litalea-draak Litalea Draak

Depois de toda merda que eu já fiz na porra da minha vida, não esperava terminar logo desse jeito.


Kısa Hikaye 13 yaşın altındaki çocuklar için değil.

#thank-you #hollywood-undead #deuce #drama
Kısa Hikaye
4
4.2k GÖRÜNTÜLEME
Tamamlandı
okuma zamanı
AA Paylaş

Thank you.

Depois de toda merda que eu já fiz na porra da minha vida, não esperava terminar logo desse jeito.

Eu tinha tudo o que qualquer filho da puta em Los Angeles desejava: mulheres, drogas, bebidas, fama e dinheiro. Mesmo depois daquela palhaçada de expulsão do Hollywood Undead, a banda que EU criei, as luzes não se apagaram pra mim. Pau no seu cu, Decker. Eu ainda tinha o meu caminho, as pessoas me invejam e não faziam porra nenhuma para ao menos tentarem ser iguais a mim. Ninguém poderia ser igual a mim.

E foi justamente essa droga de pensamento que me trouxe até aqui. É, na porra de um hospital, completamente apagado.


O que aconteceu? Algumas horas antes eu estava em uma festa. Muita galera famosa no ramo underground da música estava lá. Naquela festa eu pude ver um anjo conversando com demônios. Cara, como ela era gata! Espero poder ver aquele par de olhos castanhos tímidos mais uma vez. De todas as garotas do mundo, ela com certeza era a única perfeita. E não estou falando do tamanho dos peitos dela ou do volume daquela bunda.

Ela estava lá, conversando com o talarico do Decker, a bicha louca do Daniel e o Jordon. Ela sorria, mas eu sabia que não estava feliz em estar com aqueles fodidos. Mantive distância daqueles otários, ficando na mesa do bar. Para cada pensamento relacionado a isso, eu virava um copo. Demorou um pouco até que eu conseguisse ver o chão longe e as pessoas rodando, finalmente estava totalmente chapado. Com um sorriso no rosto voltei a interagir com aquelas pessoas, cagando pra mais da metade das coisas que ouvia. A outra metade eu simplesmente não ouvia mesmo.

Em algum momento eu esbarrei naquela garota, desta vez ela estava sozinha. Gostaria tanto que não tivesse esbarrado com força. Foi uma puta trombada, na verdade. Nós dois caímos no chão, ela por cima de mim. Uma cena digna da porra de uma fanfic ou a droga de um filme clichê. Não nego que no fundo eu estava feliz por isso ter acontecido. Quando ela levantou o rosto eu pude contemplar aqueles lindos olhos tímidos castanhos. Caralho, parecia que o tempo havia congelado. Nunca na vida eu dei atenção pra essas merdas de histórias românticas, onde a garota perfeita surgia do nada e tudo se transformava magicamente em algo belo. Foda-se essa merda! Eu estava totalmente doido!

Tão doido que a raiva me surgiu mais rápido do que a noção de realidade. Vi claramente o Decker se aproximando de nós e levantando a garota, tirando ela de perto de mim. Me pus em pé no mesmo instante e enquanto puxava a garota mandei um soco na cara do filho da puta intrometido. Jorel não deixou barato, devolveu imediatamente. Ela entrou no meio, tentando separar a briga que mal havia começado. Outros dos putos vieram nos separar. J3T, como sempre agindo como se fosse dono de todos, conseguiu tirar a vadiazinha do Jorel de perto de mim. A garota foi com eles. Porra!

Enfim, depois disso eu fui embora. Estava saindo do prédio quando a vi novamente, desta vez vindo de livre e espontânea vontade até mim. Foi gratificante, não nego. Conversamos um pouco, não consigo me lembrar de absolutamente nada depois disso. Muito menos sobre os assuntos daquele papo.

Alguns flashes me vêem à memória, apenas borrões rápidos e aleatórios. Nós dois em um carro. Risos e conversa animada. Alguém parando em frente ao prédio onde rolava a festa com uma lamborghini laranja. A chuva e muita água, não sei se é o mar, um lago ou só um rio. A voz dela, cantando algo alegremente. Um olhar perdido no passado e um reflexo embaçado. Um desafio e um beijo. O grito e o ar...

Inferno. É realmente assim que eu vou acabar? Por que me dar algo tão bom para em seguida me tirar tudo, Deus? Já vi destinos melhores para pessoas piores.

Me afoguei em mim mesmo, sem poder fazer qualquer merda para mudar essa porra de vida. Por que, afinal, eu tive de beber tanto naquela noite? Por que eu briguei com eles? Por que ser traído pelo meu melhor amigo?

Claro, toda minha desgraça começou por sua culpa, Decker! Eu tinha uma idéia foda, você topou e juntos conseguimos sucesso. Fama e dinheiro foram só consequências. Mas você preferiu ouvir um bando de novatos de merda ao ouvir seu melhor amigo. Vocês se voltaram contra mim sem motivos e me expulsaram da MINHA banda! Nunca me deram uma explicação pra isso e continuam fazendo a mesma merda por anos!

Que se foda. Eu já cansei dessa porra.

Maldição do caralho, não havia outra forma de resolver as coisas? Por que só agora, prestes a morrer, que eu consigo enxergar as merdas que fiz? Eu não poderia ter pensado dessa forma antes? É isso?

Me diz, Deus, por que caralhos você fez isso? Por que foder tanto a minha vida se já iria acabar com ela? É pedir demais uma última chance, nem que seja pra me despedir dessa garota?

Ah, quem não me conhece que me compre. Sempre o insensível, agora pedindo por uma chance para ter uma última despedida.


Sabe, eu queria mesmo entender tudo. Você era meu melhor amigo, Dog, o que aconteceu pra você me dar essa puta facada nas costas? O que eu fiz?

Claro, a porra do meu orgulho não vai me deixar pedir desculpas se eu não sentir mesmo que você ou suas putinhas estão certos. Eu ainda tenho tanto ódio de você por isso. De todos vocês.


Eu vou mesmo terminar aqui? Está tão escuro e frio que me sinto preso em um pesadelo.

Esse inferno, essa guerra na minha mente precisa acabar. Eu não consigo entender essa merda e por isso não vou sossegar. Acho mesmo que vou estar em paz quando tudo estiver claro.


Olha só, onde é que eu fui parar.

Debaixo d'água.

Remoendo minhas mágoas.

Insistindo em uma briga que já tem mais de anos.

Querendo entender.


O que aconteceu com você, Deuce?

Cara, você era foda. Agora não passa de um puta bosta.

Um cuzão maldito que conseguiu matar a única pessoa que em muito tempo pareceu ser sua única luz. É, acho que agora acredito mais no sobrenatural.


Me perdoe, Ari. Não me lembro do seu nome todo, mas queria deixar como meu último pensamento você. O pouco que conversamos foi o suficiente para que eu quisesse conhecer mais sobre você.

É uma pena não termos mais tempo. Eu sinto que isso já está chegando ao fim. É como se essa escuridão estivesse ficando cada vez mais forte e isso me dá um pouco de medo.

Incrível, estou com medo.


Não devo ter mais nada pra falar. Nenhuma merda pra pensar.

Vamos, já passou da hora de terminar essa porra.














Tudo se iluminou novamente. Como se alguém estivesse me puxando pra fora daquele pesadelo.

Meu corpo todo se arrepiou, voltei a sentir tudo e com isso uma maldita dor na cabeça.

Quando o acidente aconteceu, devo ter batido com muita força. Meu corpo estava dormente, meus olhos cegados pela droga da luz branca.

Já era de se esperar, um hospital e rodeado de filhos da puta. No caso, médicos e enfermeiras.

Cara, eu chuto que estou nesse lugar a uns dias e ao julgar pelo pouco que consegui ver no quarto ninguém veio aqui. Nenhuma visita, nenhum amigo. Foda-se minha família, até mesmo eles não apareceram. Eu tenho certeza disso e não importa a porra do motivo.

Amigo... quando minha onda de ódio sobre a expulsão diminuiu e eu sumi de tudo por um tempo, senti que essa foi a principal coisa que eu perdi. Estava sempre rodeado de pessoas, mas não confiava em nenhuma delas ou tinha a relação que já cheguei a ter com os caras do Hollywood Undead. Eu perdi a família, as amizades, a banda, os fãs... tudo. Vocês me deixaram sozinho. Sabendo que era a única coisa que eu tinha.

Não estava claro, nas minhas letras, que eu forcava tudo? Forçava minha ostentação, meu poder, meu talento e minha felicidade.


Não faço ideia de quanto tempo se passou desde que cheguei a essa merda. Cansei, simplesmente cansei de toda essa putaria. Não consigo falar por causa dessa porra de tubo na minha garganta, mas eu preciso saber o que caralhos aconteceu com a garota que estava comigo.

Passei o dia tentando chamar a atenção de uma dessas enfermeiras velhas e quando finalmente consegui me arrependi até a última gota.

Ela me deu uma caneta e colocou um pedaço de papel perto da minha mão. Eu queria muito ver o estado do meu rosto pra ainda estar precisando usar essa porra de tubo.

Escrevi apenas duas palavras, o suficiente pra que ela entendesse o que eu queria saber. Ela me disse que a garota não estava mais aqui, que sua família realizou seu velório ontem e que eu devia minha vida a ela.

Eu juro que tentei, mas não entendi porra nenhuma depois disso ou como ela tinha feito algo pra me salvar. Fiquei em um estado de choque estranho. A voz da enfermeira parecia não existir e eu deixei de sentir tudo.


Me perdoe, Ari. A culpa é minha por você não estar viva hoje.

No único momento em que tive a chance de fazer algo certo eu fodi com tudo e inclusive com você, mas não da forma que eu queria. Você não tem noção do quanto estou me arrependendo de tudo o que fiz naquela festa. Tudo poderia ter sido diferente, se eu não fosse esse fodido de merda. Agora me sinto na obrigação de fazer por merecer, eu tenho que merecer isso!


Eu te prometo, Ari. Não deixarei que se arrependa de ter, de alguma forma, dado sua vida por mim.


Obrigado, obrigado por isso.

Você me deu mais uma chance.

Esse não é o fim, mas onde tudo começou.

Obrigado, obrigado por isso.

Você me deixou viver novamente.


02 Ocak 2020 19:56:35 0 Rapor Yerleştirmek Hikayeyi takip edin
1
Son

Yazarla tanışın

Litalea Draak A típica garota do interior que sonha em conquistar o sucesso seguindo seus sonhos. Bem, o que mais poderia dizer sobre mim? Tenho 19 anos e adoro heavy metal, escrevo há 5 anos e meu anime favorito é Devils Line :)

Yorum yap

İleti!
Henüz yorum yok. Bir şeyler söyleyen ilk kişi ol!
~