Kısa Hikaye
0
1.1k GÖRÜNTÜLEME
Tamamlandı
okuma zamanı
AA Paylaş

𝗜 𝗣𝗨𝗧 𝗔 𝗦𝗣𝗘𝗟𝗟 𝗢𝗡 𝗬𝗢𝗨.

Às palavras escapavam com maestria dos lábios bem desenhados de S/N García; a latina que havia ingressado recentemente no mundo do kpop, o qual vinha cobiçando e desejando por anos de sua vida. Com apenas dezoito anos, conseguiu esse feito. Após um ano como trainee, o que acabou chamando a atenção de muitos, devido ao pouco tempo em que passou em comparação à outros idols. Fazendo parte do grupo Mamamoo, o qual já estava em curso á algum tempo. No momento, a latina de olhos escuros, participava de uma entrevista juntamente ao seu grupo. Estava distraída enquanto respondia uma pergunta, mas, havia alguém que a observava, cada detalhe, milimetricamente, Hyujin, ou como é conhecida popularmente, Hwasa. Mas, como a própria S/N adorava chamá-la, Maria. A belíssima mulher de fios escuros e lábios cheinhos, analisava com calma, o rosto de sua nova companheira de equipe. Enquanto se perguntava como a latina conseguia esconder tão bem a sua verdadeira face. Por trás de um rosto angelical, um corpo escultural, e um talento nato. García não era um anjo, a coreana sabia disso melhor do que ninguém, mas, ela transmitia isso para todos. Os seus fãs, os quais amava e agradecia por tê-los, e até mesmo os seus haters, os quais a mesma fazia questão de debochar após cada crítica. Hwasa a admirava na mesma proporção que não a suportava. Admirava a sua força, e a forma como a mesma não dava a mínima para críticas, mas, odiava o seu cinismo, a maneira como não conseguia olhá-la nos olhos por muito tempo. Se sentia pequena perto de uma maldita garota de apenas dezoito anos, e a odiava por isso. Às meninas do grupo não conseguiam entender o motivo de tamanho incômodo com a maknae do grupo, afinal, ela não dava motivos, certo? Ao menos era isso o que todos da equipe pensavam.

Mas, não. Não, não era isso.

Tinha motivo, inúmeros motivos, a maneira como a tirava do sério indiretamente era um dos motivos. Os sorrisos de canto, às mordidas no lábio inferior, a forma como mexia o quadril largo e olhava com aqueles olhos, aqueles malditos olhos que mais pareciam possuir um brilho demoníaco em sua direção, isso a fazia tremer, suar, sentir a boca seca, apenas atiçando-a para logo em seguida vê-la sorrir maliciosamente em sua direção com a certeza do efeito que a causava, isso apenas a fazia odiá-la ainda mais. Se sentia pequena, enfeitiçada, e pior, excitada, sempre que via o seu desempenho no palco. Sentia um desejo, um maldito desejo que fazia xingá-la em todas às línguas que conhecia. Naquele exato momento, enquanto se reuniam para posar para uma foto, o pequeno demônio estava fazendo isso, enquanto sustentava um inocente sorriso em seus lábios, a mão pequena e macia estava na cintura da mais velha, onde depositou um forte aperto.

Hwasa se remexeu inquieta, e isso foi suficiente para García se sentir satisfeita. Era seu hobbie deixá-la desconfortável em público, vê-la tentando conter o rubor que adornava sua face, e o palavrão que segurava em sua boca. Não sabe como explicar, nem mesmo consegue entender o que a levou a isso. A desejá-la desde o primeiro momento em que esteve ao seu lado, desde a primeira troca de olhares, o primeiro abraço, aquele onde a voz com uma leve rouquidão lhe deu às boas vindas ao grupo. Desde o primeiro dia em que a viu dançar, e desejou arrancar cada maldita peça que a impedia de visualizar cada pedaço daquele corpo. O qual parecia ter sido moldado com extrema delicadeza, com um imenso cuidado, para que não tivesse onde pôr defeito. Soube desde aquele momento, Hwasa seria a sua perdição, mesmo que já estivesse perdida á muito tempo. E, nem mesmo se importava com isso, apenas afirmou mentalmente, aquela mulher seria sua. Era isso que desejava, e a teria. García sempre foi uma mulher determinada, e usaria todas suas armas.

Estavam no carro que a levariam de volta ao dormitório. O clima estava ameno entre Byul, Solar e Wheein, sorriam entre si, enquanto conversavam sobre algo aleatório, estavam tão distraídas que nem mesmo conseguiam perceber o clima pesado que havia se instalado nos bancos de trás do carro. Hwasa olhava para a paisagem, enquanto sentia o sangue ferver. Enquanto isso, García, possuía um sorriso malicioso em seus lábios, e olhava para a mulher ao seu lado de relance. Ela estava puta. Porra, ela estava muito puta, e como isso à deixava satisfeita. Caralho, e tão excitada. O maxilar travado, a mão em punho, e os olhos cerrados, ela estava fervendo em frustração. Ao chegarem ao dormitório, todas passaram a conversar sobre o dia, e posteriormente seguiriam para seus respectivos quartos, e por ironia do destino, ou não, García e Hwasa dividiam o mesmo quarto. A coreana nem mesmo disfarçou a sua raiva, e logo seguiu para o quarto em passos pesados. O que acabou chamando a atenção das demais, às quais pareciam genuinamente confusas com o humor da rapper.

── Hyun... ─ Moonbyul nem mesmo conseguiu concluir a sua fala, pois antes disso, a coreana já havia desaparecido em um dos corredores. Logo, a de fios loiros baixou a mão, e olhou em direção às companheiras de grupo. ── O que houve com ela? ─ Havia preocupação em sua pergunta. Sempre soube da união de todas, o acolhimento entre elas, sentiu isso na pele, e nem mesmo podia negar o quanto admira isso.

── Ela parecia chateada durante toda a entrevista. Aconteceu algo que não vimos? ─ Wheein perguntou, possuía um copo de água em sua mão. Os olhos pequenos cerrados, provavelmente, tentando recordar de algo.

── Eu vou falar com ela. ─ Solar se prontificou, enquanto erguia o corpo do pequeno estofado.

── Ela só deve 'tá cansada. Vocês sabem como a Maria é, ela não consegue descansar até que tudo esteja perfeito. ─ García se pronunciou, pois, tinha um plano em mente. ── Assim como vocês estão cansadas, consigo escutar o bocejo daqui. ─ Disse, sorrindo angelicalmente, enquanto às demais a acompanhavam no riso. ── Descansem, por favor, sim? Eu vou ver como ela está, e não se preocupem, qualquer coisa eu aviso a todas. Somos uma família, afinal. Descansem, o dia foi longo. E, temos muito o que fazer ao amanhecer. ─ Juntou suas pequenas mãos. Sn ainda tinha aquele sorriso em seus lábios, quando todas assentiram, Solar, olhava firmemente nos olhos da maknae, parecendo estar orgulhosa do seu posicionamento. Logo, se despediram e caminharam em direção aos seus respectivos quartos. García ainda tinha aquele sorriso angelical no lábio quando às três sumiram no imenso corredor, logo, o mesmo deu lugar a um sorriso malicioso. Enquanto a mesma caminhava em direção a sua mochila, buscando o que havia escondido tão bem. Sabia o quanto odiavam que ingerisse bebida alcoólica. Buscou o vinho, e às duas taças.

Caminhava lentamente em direção ao quarto que dividia com Hwasa. E, nada havia lhe preparada para a surpresa que teria ao entrar no quarto. O tapa em sua cara com toda a certeza não estava em seus planos. Ainda com o rosto virado, e a raiva correndo em suas veias, a mesma escutou a respiração acelerada da coreana. Sim, ela estava muito puta.

── Qual a porra do seu problema? ─ Gritou, enquanto apertava ainda mais os punhos. García apenas pôde sorrir em escárnio ao vê-la naquela situação. Enquanto deixava o vinho e às taças sob a mesinha ao lado da cabeceira da cama. O que fez com que a rapper se aproximasse com a intenção de estapeá-la mais uma vez, sendo parada pela mão da latina em seu pulso. A qual a puxou com força, cara a cara, corpos colados, olho no olho, e respirações ofegantes.

── Não. ─ Balançou a cabeça negativamente, enquanto o seu polegar massageava o pulso ao qual segurava. ── Você não quer fazer isso, bae. ─ Sussurrou rente aos lábios carnudos de Hwasa. A qual sentiu seu coração acelerar, enquanto engolia em seco, na tentativa falha de desviar o olhar. ── Porque no fundo, bem no fundo, você sabe qual o meu problema, não sabe? ─ Com a mão livre, a latina aproximou do pescoço da mesma, onde acariciou com calma. Enquanto via a mesma fechando os olhos.

── Eu odeio você. Odeio esse seu comportamento. Odeio como todos acham que você é um anjo, sendo que é o próprio diabo. ─ Hwasa tentava ser firme, mas, não havia firmeza em sua fala. Tinha os olhos fechados, se aproveitando do toque que a latina lhe dava. E, se sentia ridícula por isso. Logo ela, uma mulher tão forte, tão poderosa aos olhos de muitos, logo ela, como pode permitir que uma menina a trate de tal maneira. E, foi pensando nisso, que, empurrou a outra com força. ── Não encoste mais em mim, S/N. ─ Havia fogo em seus olhos, mas, também havia um pulsar entre suas pernas com aquele simples toque. Se sentia ridícula por nem mesmo conseguir passar firmeza em sua fala, pois no fundo, a coreana queria, ela desejava aquele toque, ela desejava aquela maldita garota. ── Você não tem esse direito. ─ Afirmou, enquanto via a latina retirar o blazer que cobria a parte superior de seu corpo, a qual possuía apenas um cropped cobrindo os seus seios, logo tratando de se aproximar um pouco mais de seu corpo. Deu alguns passos pra trás em resposta.

── Tem certeza disso, bae? ─ A latina continuava se aproximando do corpo que inutilmente tentava se afastar do seu. Sorriu ao vê-la fechar os olhos mais uma vez, desviando o olhar, nem mesmo a repeliu quando os lábios da latina tocaram a pele do seu pescoço em um beijo molhado. O sorriso alargou ao vê-la se arrepiar diante de tal ação. ── Não mente pra mim, meu doce. ─ Sussurrou. ── Não peça para que eu me afaste, quando na verdade, anseia por minha aproximação. Deseja o meu toque, me olha como se eu fosse o seu maior desejo. ─ Hwasa levou a mão trêmula ao abdômen da latina. Enquanto ofegava ao sentir o toque dos lábios mais uma vez. ── Você me deseja, assim como eu te desejo. Deseja arrancar cada peça que cobre o meu corpo nesse exato momento, deseja saber se estou pulsando por você, assim como está pulsando por mim nesse momento, não? ─ Os olhos escuros visualizaram quando a coreana apertou suas pernas, estava certa, ela a desejava da mesma maneira. ── Já sonhou comigo, Maria? Já desejou me ter entre suas pernas, chupando, tomando todo o seu mel, eu sei que sim. ─ O sorriso malicioso se alargou ao escutar um baixo gemido após uma mordida no pescoço alheio. Ela teria alguns problemas para esconder às marcas no dia seguinte, mas, tampouco se importava com isso.

── P-pare... ─ Sussurrou, a voz fraca, e os olhos permaneciam fechados.

── Eu quero muito foder você, bae. Eu quero tocar cada pedacinho desse seu corpo delicioso, beijar, morder, cada pedaço de sua pele. Provar do seu gosto, escutar todos os seus gemidos, te deixar marcada como minha, Hyunjin. ─ A latina dizia despudoramente, enquanto sua destra se ocupava de puxar os fios da nuca da coreana, e seus lábios permaneciam maltratando o pescoço alheio. ── Então, se realmente quer que eu pare, e nunca mais a toque, me empurre, me bata, me coloque pra fora daqui agora. Estou esperando, bae.

Nem mesmo um minuto se passou, a coreana já tinha a sua resposta formada em mente, deu adeus à todos os pensamentos que lhe diziam pra se afastar da latina, quando, avançou nos lábios da mulher de curvas sinuosas. Inicialmente um beijo desajeitado devido a surpresa por parte da García. Logo, às mãos subiram o corpo da coreana, tocando, apertando, tomando tudo o que conseguia. Enquanto às línguas se encontravam em uma dança lenta e sensual, despudorada, erótica. Os lábios de Hwasa eram maltratados pela latina. Enquanto se deliciavam com o gosto de suas bocas. Os braços da coreana foram parar ao redor do pescoço da mais nova, quando essa levou às mãos para a alça do vestido da coreana. Vendo o tecido de seda caindo aos pés da mais velha. Aquele corpo, aquele maldito corpo que por tanto tempo desejou tocar. Às curvas, nas quais desejava se perder, a pele macia e cheirosa, aquela mulher era um pecado. E, por sorte, S/N era uma pecadora nata. Levou às mãos para às coxas torneadas da coreana, dando o impulso preciso para que Hwasa pudesse adornar a cintura fina. Caminhou com a coreana em direção a cama, onde deitou a mesma. Os lábios se separaram no exato momento em que García ergueu o corpo na intenção de retirar a calça social que ainda vestia, ficando apenas com a calcinha pequena e o cropped que impedia que seus seios saltassem pra fora. Hwasa se encontrava com os olhos bem abertos, contemplando a mulher em sua frente. A qual percebeu de imediato o olhar da mais velha, mordeu o lábio inferior enquanto se aproximava da cama, sentando no colo da mais velha. Pegando às mãos da mais velha, levando-as em direção aos seus seios. A coreana parecia hipnotizada enquanto movimentava suas mãos lentamente, mas, logo tratou de baixar o cropped que a impedia de ter uma total visão da parte superior da pequena. Logo os seios medianos, e mamilos teso devido a excitação, estavam a mercê da mais velha. A qual fechou os olhos calmamente enquanto apertava a carne macia em suas mãos. García fechou os olhos e sentiu um pulsar em sua boceta, mordendo o lábio inferior para conter um gemido. Hwasa não pôde conter o sorriso quando viu tal cena, logo, levando a ponta da língua ao mamilo da latina. Lambendo calmamente o mesmo, rodeando-o, enquanto apertava com força o esquerdo. García nem mesmo pensou antes de levar às mãos ao feche do sutiã que a impedia de ver os seios da coreana. Logo o mesmo estava sendo lançado em algum canto do quarto. E, tinha os seios em suas mãos. García tinha a cabeça tombada pra trás, enquanto Hwasa se deliciava com os toques da garota em seu colo, e com os gemidos manhosos desta. A latina passou a rebolar no colo da coreana, na intenção de conter a excitação que tomava o seu corpo no momento. Aquela sensação estava lhe enlouquecendo, mas, precisava de mais. Precisava chupá-la, sentir o gosto da coreana que por tanto tempo fantasiou em sua mente. Por isso, levou às mãos aos ombros da mesma, empurrando-a na cama novamente, logo, tratou de se ajoelhar no chão, tendo o quadril da mais velha na beirada da cama. Levou às mãos às beiradas da lingerie preta e desceu a mesma, desceu às mãos das coxas torneadas ao tornozelo. Beijando cada pedaço da pele exposta, não esquecendo de depositar um beijo na virilha, vendo a mais velha se remexer em agonia.

── Você é linda pra caralho. ─ Sussurrou a latina, enquanto deixava uma mordida na coxa da mais velha. Recebendo em troca um gemido alto, e mãos entrelaçadas em seus fios tingidos, puxando-os com força. ── Shii... ─ Levou o indicador ao lábio. ── Solar estava preocupada. Não queremos que ela entre aqui e me encontre com a boca em sua boceta, certo? ─ Boca suja, promíscua pra caralho, essa era a S/N que poucos conheciam. Entre esses, Hwasa. ── Eu não me importo muito com plateia, sabe. ─ Continuava à falar, como se não tivesse descendo a mão em direção a boceta encharcada da mais velha. A qual pulsava pra si a cada palavra que escapava por seus lábios. Abriu às pernas da coreana, lambendo os lábios ao visualizar o quão molhada a mesma estava. ── Eu até gosto... ─
Um verdadeiro demônio fantasiado de anjo. Continuou a falar normalmente, enquanto pressionava o clitóris inchado da mais velha, escutando o gemido manhoso da outra, assim como tentava inutilmente fechar às pernas. ─ Eu adoraria que elas entrassem aqui, e te vissem nessa situação lamentável. ─ Pressionou com ainda mais força, sorrindo como o diabo sorriria, ao vê-la tombando a cabeça pra trás em um gemido mudo. ── Excitada, molhada pra cacete e gemendo como uma cadela. Porra, você tá pingando... ─ Enfiou de uma só vez dois dedos dentro da mais velha. Hwasa arqueou às costas, enquanto flexionava os dedos dos pés, queria xingar a mais nova, mandá-la para o inferno, mas, nem mesmo conseguia. Aquela sensação que tomava o seu ser, aquele calor, o prazer que sentia apenas por ter os dedos da mais nova parados dentro de si. Se sentia pequena, patética, mas, acima de tudo, muito excitada. Moveu o quadril na intenção de vê-la mover os dedos, mas, nada adiantou. Sentiu a mão da mesma em sua cintura, a impedindo de continuar com os movimentos. Hwasa se remexeu ainda mais inquieta, tentando, teimando, mas, teve seus movimentos parados mais uma vez. Um muxoxo chamou a atenção da mais nova, a qual tinha um sorriso cínico adornando os lábios chamativos.

── S/N...

O sussurro mas pareceu um gemido. O qual chegou aos ouvidos da latina em bom grado.

── Diga, amor. Diga o que precisa, e eu farei.

A coreana engoliu em seco, enquanto lutava contra seus próprios desejos. Não iria implorar, não, jamais faria isso, seria humilhante. Mas, porra. Sua virilha queimava, aquela sensação estava lhe enlouquecendo. Porque diabos ela não movia os dedos dentro de si, ela estava querendo lhe enlouquecer.

── Peça, Maria. Eu sei o que quer, mas, só farei, quando escutar o pedido saindo por essa boquinha gostosa. ─ Para provocar, confundir um pouco mais a mente da mais velha, atiçá-la, enlouquecer a mesma, a mais nova girou os dedos dentro da boceta encharcada, recebendo um gemido agudo em resposta. A risada reverberou no quarto, se deliciando com aquela tortura. Mesmo que também estivesse sofrendo com isso. Salivava para sentir o gosto daquela mulher. Socou novamente, repetidas vezes, parando ao vê-la tentar fechar às pernas e revirar os olhos. Respirando fundo ao vê-la olhando com um brilho assassino em seus olhos.

── Quer gozar, amor? Eu posso te fazer gozar. Usando meus dedos, minha língua, e até mesmo espancando essa sua bunda gostosa. Pois eu sei, por trás de toda essa marra, se esconde uma cadela safada que adora levar uns tapas no lugar certo. Mas, precisa pedir. Implore, meu doce. Eu sei que quer. ─ Os olhos de S/N brilhavam, a latina sentia a própria boceta pulsar, e apertava às pernas na intenção de ter alguma fricção. Mas, não daria o braço a torcer enquanto Hwasa não dissesse o que ela queria. E, veio. Quando menos esperou, veio.

── P-por favor... ─ Murmurou, manhosa. ── Por favor, me faça gozar. Soque seus dedos fundo e forte dentro de minha boceta, eu preciso disso, por favor. ─ A latina sentiu que poderia gozar com apenas aquelas palavras. Sentiu escorrer perna abaixo. Mordeu o lábio inferior fortemente, sentindo o gosto do sangue em sua língua. Nem mesmo pensou muito, passou a meter fundo e forte dentro da coreana. Os urros da mesma tomando conta do quarto, não se importava mais caso alguém escutasse. Queria isso, queria que soubessem o que estava acontecendo naquele quarto. Sentia a boceta aperta comprimir seus dedos, se abaixou um pouco mais, passando a usar sua língua. Enfiando o músculo quente no buraquinho da mesma, enfiando e tirando rapidamente, logo tratando de lamber toda a boceta, até que passasse a sugar e mordiscar o clitóris da mesma. Hwasa era uma bagunça em gemidos, os olhos reviravam, às pernas inquietas nos ombros da mais nova, a saliva que escorria do canto da boca. S/N continuava a usar a língua, enquanto adicionava o terceiro dedo, às pernas da mais velha tremeram, costas arqueada, olhos apertados e um urro de prazer que tomou conta de todo o cômodo. Chegou ao ápice, dando o prazer da latina sugar todo o seu gozo, enquanto permanecia socando os dedos no interior apertado, fazendo com que acabasse choramingando por estar sensível devido aos estímulos. A coreana estava ofegante, inquieta, sentia que gozaria novamente se a latina continuasse a estimulando daquela maneira. Tombou a cabeça pra trás, choramingando, implorando pra que a mesma a deixasse descansar, pois não aguentaria mais um orgasmo naquele momento. Estava errada, quando a mais nova aumentou novamente a velocidade das estocadas, sentiu o queimor em seu baixo ventre, os olhos revirando mais uma vez, enquanto movimentava o quadril em direção ao rosto da mais nova. Apertando o lençol da cama, mordendo fortemente o lábio inferior, queria gozar novamente, precisava gozar mais uma vez, gozaria na boca daquela mulher mais uma vez. E, faria isso com todo o prazer. Maldita, um pequeno demônio. Mas, ela lhe fodia tão bem.

── Fode, isso, a-ah. Mais forte, isso, estou quase...

A latina levou a mão livre a própria intimidade ainda coberta pela calcinha, apertando, vendo o quão molhada estava. Adentrou o tecido, levando os dedos ao clitóris inchado, não pensou muito antes de enfiar dois dedos em sua boceta igualmente encharcada. Socava fortemente em Hwasa, enquanto os gemidos da mais velha eram estímulos para que metesse com força em ambas. Gemia com a boca ocupada na boceta da mais velha. Revirava os olhos de prazer, sentindo o quão perto estava, aumentou os movimentos na mais velha e em si.

── Mais forte, por favor, mais...

Com os gemidos da mais velha, a latina rodou os dedos em ambas bocetas, sentindo quando a sua parceira de equipe apertou seus dedos pela segunda vez. E, o queimor tomou o seu ventre, Hwasa melou seus dedos e sua face com sua porra, enquanto isso, a sua própria boceta apertava seus dedos e os melava com a sua porra. Gemeu de encontro a boceta da mais velha, o que a fez gemer em desespero pelo estímulo.

Ambas ofegantes, em busca do controle da respiração.

Hwasa se sentia fraca, mas, diferente do que esperava, estava realizada. E, pior. Queria mais, ainda mais, queria a sensação do corpo quente da latina juntamente ao seu. Ergueu o rosto a tempo de visualizar o olhar nada discreto da mais nova em direção a sua boceta maltratada.

── Eu passaria horas te chupando, e tenho certeza, não enjoaria nunca.

Aquela voz rouca, a qual ficava belíssima nas músicas, enlouquecendo seus fãs, agora enlouquecia a coreana. A qual balançou a cabeça negativamente, enquanto permitia que um sorriso desacreditado escapasse dos seus lábios.

── Você é um demônio. ─ Sussurrou, enquanto olhava nos olhos escuros da mais nova.

── Sim, eu sou um demônio, bae. Mas, eu posso te levar ao céu.

Devolveu, ousada, suja. Hwasa não podia discordar disso. Não após sentir aquela sensação.

A latina retirou a calcinha, e passou a engatilhar o corpo da mais velha. Colou os lábios mais uma vez, fazendo com que Hwasa sentisse o seu próprio sabor. Enquanto se posicionava onde desejava, entrelaçando suas pernas, e friccionando seus clitóris inchados devido aos estímulos anteriores. Ambas gemeram entre o beijo. S/N não perdeu tempo, passou a se movimentar, intercalando entre o lento e rápido. Sentindo a sensação gostosa que era causada pelos clitóris raspando um ao outro. Hwasa segurava em sua cintura, enquanto a latina tombava a cabeça pra trás, gemendo alto, nem mesmo se importando em ser discreta. Ali ela não precisava disso. Rebolou, pressionou, gemeu, sentiu um filete de saliva escorrendo no canto de sua boca, quando a mais velha passou a chupar seu peito, mordendo, apertando, deixando ainda mais sensível do que já se encontrava. S/N deixaria Hwasa fazer o que quisesse consigo, mas, a mais velha não precisava saber disso. A mais nova apertou os peitos da mais velha, quando, mais uma vez, chegaram ao ápice. Continuou a se mover lentamente, até que revirou os olhos, e caiu exausta sobre o corpo da mais velha. A qual se encontrava uma bagunça, assim como a mais nova. Respiração ofegante, meladas de porra, olhos cerrados e cabelos bagunçados. A mais nova tinha um sorriso terno desenhado nos lábios, satisfeita, enquanto a mais velha se encontrava mais confusa do que antes. Hwasa suspirou, enquanto levava a mão ao cabelo da mais nova, acariciando o couro cabeludo.

── Que feitiço jogou em mim, garota?

Perguntou, enquanto a risada deixava claro o quão confusa estava. Desde que conheceu a mais nova, ela não saia de sua mente, não conseguia nem disfarçar o quão excitada ficava com pequenas provocações da mais nova. S/N lhe enlouquecia, a forma como movimentava o quadril, mordia o lábio, a forma como todos pareciam babar em sua presença, a sua dualidade. Hwasa não tinha nem mais em que pensar: estava apaixonada, mas, era difícil confessar a si mesma que todo aquele ódio, era na verdade, amor. A mais nova sorriu com a pergunta, enquanto direcionava o olhar para a mulher, às bochechas gordinhas por estar deitada no busto da outra, o olhar inocente, totalmente diferente da mulher de minutos atrás.

── Eu joguei um feitiço em você, pois você é minha, Maria.

O sorriso inocente estava de volta. Hwasa sentiu-se amolecer, enquanto balançava a cabeça positivamente. E, juntava os lábios novamente em um selinho.

── Eu sou sua agora mesmo.

Sussurrou, e ambas riram.

Após tal dia, nada mais seria como antes. Hwasa seria de S/N, e a pequena seria de Hwasa. Como deveria ter sido desde o início.

17 Ağustos 2022 16:37 0 Rapor Yerleştirmek Hikayeyi takip edin
0
Son

Yazarla tanışın

Andy Oficial [ 𝐀𝐍𝐃𝐘. ] 𝔫𝔢𝔳𝔢𝔯 𝔰𝔱𝔬𝔭 𝔩𝔬𝔳𝔦𝔫𝔤 𝔶𝔬𝔲𝔯𝔰𝔢𝔩𝔣.

Yorum yap

İleti!
Henüz yorum yok. Bir şeyler söyleyen ilk kişi ol!
~