luraywriter Luray Armstrong

Kirishima é um homem muito romântico, apesar do que a maioria das pessoas pensam ao descobrir sobre sua profissão. Ele ama levar seu namorado, Bakugou, para jantares, levar seu café da manhã preparado com muito amor na cama bem cedinho, é prestativo, carinhoso e muito doce. Mas, principalmente, ele acha que ser romântico tem a ver com surpresas: você tem que surpreender a sua pessoa amada se quiser ser uma pessoa romântica e máscula de verdade. E como o pedido de casamento deles tinha que ser especial, e qualquer ideia mais tradicional não surpreenderia Katsuki, Eijirou apelou para sua ideia mais inusitada. Capa: Stirped


Фанфик Аниме/Манга 18+.

#gay #yaoi #bl #lemon #kiribaku #bnha #smut #mha #gangbang #orgia #porn-actor-au
Короткий рассказ
0
1.4k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Capítulo único — Plus Ultra Lust






Notas: Olá!! Essa é minha fic de presente do Bakugou, e também participando da KiriBaku week com o tema atores! Ninguém especificou que tipo de atores eles são rs

Pra quem pulou as tags: orgia, gangbang.

Não diria multishipp pq n é bem um casal nem nada disso.

Ah e também, Kirishima tem um ou dois parafusos a menos. Mas pq ele ama muito o Bakuguinho.

Desculpem por qualquer erro que possa ter escapado minha revisão!

Espero que gostem!.

Inspirado em:

https://poenaroda.com.br/comportamento/hot/ator-porno-pede-noivo-em-casamento-no-meio-de-uma-orgia/









Kaminari sentiu a língua de Sero deslizar dentro de sua boca enquanto o gemido alto de Bakugou reverberou pelo quarto de motel chique. O moreno enfiava lentamente seu pau duro coberto pela camisinha e lubrificante no loiro de cabelos espetados e suados abaixo de si, todavia concentrado no beijo com Kaminari.

O barulho alto que saia da boca de Katsuki foi logo silenciado com o pau de Izuku pincelando seus lábios com delicadeza para então se enfiar até a garganta de uma vez, o calor úmido acomodando bem o pênis rígido e grosso.

Midoriya assistiu enquanto Kirishima, Todoroki e Shinsou trocavam um beijo triplo muito íntimo repleto de línguas por todo canto logo ali perto, enquanto Kaminari e Sero separavam seu beijo para que Hanta pudesse agarrar a bunda farta de Katsuki e meter nela com força, sentindo o gemido gostoso do loiro de quatro na sua frente reverberar em seu pau, fazendo com que ele mesmo suspirasse em prazer. Porra, apenas a cena já era muito sexy.

Ele continuou abusando da boca de Katsuki como bem queria, lentamente, aproveitando como se tivesse todo o tempo do mundo, deixando sair suspiros e gemidos baixos, sua expressão de prazer estampada em seu rosto.

Ele assistiu quando Shoto tocou o ombro de Sero por trás, silenciosamente pedindo para que ele se afastasse e substituiu o pau do amigo pelo seu próprio, claramente maior, fazendo com que Katsuki gemesse ainda mais alto no pau de Midoriya, que se enfiou mais fundo na garganta dele, recebendo uma garganta profunda talentosíssima. Alguns segundos depois o homem de cabelos verdes se afastou da boca de Katsuki, receoso que ele o fizesse gozar cedo demais e pôs uma camisinha em si mesmo se enfiando logo depois no ânus já preparado de Shoto, que gemeu alto ao ser duplamente estimulado.

Ao seu lado, Sero trocava a camisinha que usara em Bakugou por uma nova e se enfiava com vontade em Kaminari, que tinha as pernas bem arregaçadas para ele. Por sua visão periférica, notou Shinsou se aproximar de Kaminari e sentar em sua cara sem nenhum aviso prévio, a língua do loiro rapidamente deslizando para fora de sua boca para lamber a fenda entre sua bunda com lentidão, derramando gemidos necessitados ali com desejo pelas investidas bruscas de Sero. Midoriya fechou os olhos para se deleitar com o buraco de Shoto lhe apertando cada vez mais de propósito.

Katsuki sentia as investidas de Shoto em seu cu, sincronizadas com as investidas de Midoriya atrás dele, além de ouvir os gemidos altos de Kaminari, Sero e Shinsou bem ao seu lado. Toda a situação era tão quente que ele quis se tocar para se aliviar, mas uma mão grande de dedos grossos o impediu segurando seu pulso. A outra mão dessa mesma pessoa ergueu seu rosto e o obrigou a ficar propriamente de quatro no chão, e assim ele recebeu de bom grado o pau enorme de Kirishima em sua boca.

Ele engoliu com vontade, a língua deslizando por todo o comprimento com tesão, como se saboreasse a melhor das refeições. Katsuki sugou com força a cabeça e deslizou por todo o pau duro, oferecendo uma garganta profunda dedicada enquanto olhava no fundo dos olhos vermelhos de Eijirou para capturar toda e qualquer expressão de prazer que ele fizesse.

— Você é uma boa putinha pra mim, não é? Me engolindo dessa forma gulosa, você quer que eu goze bem fundo na sua garganta?

Katsuki assentiu da melhor maneira que podia, gemendo sem saber se era pela provocação na voz sexy de Eijiro ou porque Todoroki estava acertando sua próstata com vontade.

Talvez era por causa dos dois…?

— Se você for um bom garoto eu posso fazer isso por você. Você vai ser um bom garoto?

Dessa vez Katsuki não respondeu, levando uma mão para estimular as bolas de Kirishima enquanto ele trabalhava sua língua pela glande molhada de pré-gozo, estimulando a pele sensível caprichosamente.

Eijirou deixou um gemido rouco escapar de sua garganta, acariciando o cabelo de Katsuki antes de empurrar sua cabeça para acomodar todo seu comprimento novamente. O loiro chupou com desejo, gemidos que seriam cada vez mais altos se sua boca não estivesse tão ocupada enviavam vibrações pelo pênis intumescido, as empurradas de Shoto cada vez mais fortes e sem ritmo.

Eijirou não se forçou a segurar mais nenhum segundo, já tendo sido estimulado e provocado anteriormente por Shinsou e Shoto, agora assistindo em deleite Katsuki ser fodido por Shoto, que era fodido por Midoriya, e sentindo sua própria ereção ser completamente acolhida na boca molhada e quente.

Deuses, Katsuki o fazia sentir tão bem!

Ele gozou bastante no fundo da garganta dele, como prometido, já que Katsuki tinha mesmo sido um bom garoto.

Lentamente, ele retirou seu pênis ainda ejaculando da boca de Bakugou, o que acabou fazendo com que uma boa quantidade de porra acabasse na bochecha de Katsuki, deixando a cena de sua boca babada e inchada ainda mais sexy, o olhar repleto de luxúria e desejo no rosto de Katsuki mostrando que ele não estava nem um pouco incomodado com a porra quente de Kirishima em sua cara.

Ele se afastou, se sentando sobre os próprios tornozelos para assistir os dois shows que se desenrolavam em sua frente. Enquanto Katsuki era fodido por Todoroki que era fodido por Midoriya, Sero acariciava lentamente o pênis flácido e suas bolas de forma relaxada, assistindo Shinsou foder Kaminari com força, o loiro sem ter sequer forças para gemer e implorar por mais aquele ponto.

Todoroki liberou um gemido entrecortado, finalmente deixando seu gozo sair na camisinha dentro do cu de Katsuki, a dupla estimulação sendo demais para ele, arranhões fortes feitos na bunda de Bakugou, já vermelha de ser abusada pelo atrito das estocadas dele e de Sero. Dois gemidos altos foram ouvidos pelo quarto, vindos de Midoriya e Kaminari gozando ao mesmo tempo, logo em seguida.

Todoroki se retirou de Bakugou, que se sentiu ser virado gentilmente para deitar de barriga para cima e ter seu pau devorado com gosto por Midoriya para que ele gozasse em sua boca. Com a vista embaçada, Katsuki observou a expressão desejosa de Hitoshi enquanto gozava dentro de Denki, um liquido branco escorria pelos dedos que ele chupava enquanto enfiava-se com força dentro do outro loiro.

Katsuki gozou, deixando um som estranho escapar de sua garganta cansada quando o ar abandonou seus pulmões. Ele se sentiu ejacular na garganta de Izuku, que engoliu tudo de muito bom grado e depois se levantou, se esticando até o rosto de Bakugou para lamber também o gozo de Kirishima.

Atrás deles, ouviram uma voz feminina gritar:

— Corta! Pausa de 20 minutinhos, vamos lá.

Logo, os câmeras se afastaram e se espreguiçaram, guardando o material nos locais adequados.

Midnight, a diretora da rede pornô — Plus Ultra Lust— para a qual trabalhavam se levantou de sua cadeirinha para fazer uma ligação.

Todos se levantaram e se dirigiram para a área escondida no cantinho do quarto onde a pequena produção havia separado os lanches para todos poderem comer durante a pausa, rindo.

— Eu não acredito nisso, Kaminari. — Eijirou comentou, a risada alta reverberando pelo quarto.

— Eu to dizendo, pô, ele errou a fala dele. Não tem muita coisa no nosso roteiro, Denki, e mesmo assim você errou a fala. — Sero acusou, desacreditado.

— Ah, vai se fuder, eu esqueci, ué. — Denki tentou se defender, sabendo muito bem que não havia muito bem como.

Todos ali eram atores pornô, unidos numa amizade um pouco estranha apenas por acabarem chegando na mesma agência de filmes e produção de pornô homossexual.

O filme de hoje tinha um roteiro simples: um grande grupo de amigos acabava num motel apenas por diversão, para aproveitar o champanhe caro e as banheiras chiques, mas “de alguma forma” a conversa entre eles ficava sexual e David Matsumoto, o nome dado ao papel de Katsuki Bakugou, era desafiado a provar que era o melhor passivo de todo o grupo de amigos. Para tanto ele teria que, no mínimo, mamar todos os amigos e obviamente ser passivo ao menos da maioria deles.

Logo, Katsuki tinha “carinhosamente” ganhado o apelido de “marmitinha de motel” pelos amigos que estavam prestes a passar aquela noite quase toda gozando em sua boca ou em seu cu.

Ele não se importava com as piadinhas, sabia que eram apenas amigáveis e, mais importante, uma vingança pelos apelidos e piadas que ele mesmo já havia feito com todos ali, que eram mil vezes pior do que “marmitinha de motel.”

— Mas, olha, a gente tem que combinar que o papel do David combina muito com o Katsuki, eu consigo total ver ele sendo desafiado a provar ser o melhor em alguma coisa e fazendo na hora sem pensar duas vezes. — Shinsou comentou, vendo Katsuki bufar fingindo estar irritado, todavia na verdade tentando esconder um sorriso de concordância.

Era mesmo a cara dele.

— Mas ninguém falou do que realmente importa aqui: Como assim eu vou ser ativo do Katsuki? Dois passivos, dois TWINKS passivos. Gente, isso não convence ninguém. — Kaminari comentou, parecendo de fato ofendido pelo filme exigir que ele fosse ativo de alguém, ainda por cima de Katsuki.

— Faria mais sentido vocês pegarem um dildo bem grande de duas cabeças e ficar na cama batendo bunda. — Sero comentou com uma expressão séria, como se aconselhasse um amigo num dilema grave.

Todos riram, muito mais pela expressão do amigo do que pelo comentário.

— Eu também não to muito feliz de dar pra você, Kaminari. — Katsuki comentou, brincando com o colega de profissão.

— Claro, acostumado com o Latrell ruivo que você namora, deve tá acostumado com 23 centímetros ou mais, arrombado. — Kaminari brincou.

— E você com esse seu pauzinho mixuruca, vou nem sentir. — Katsuki provocou, debochando de Kaminari.

— E não são 23 centímetros também, né, caramba. — Kirishima se “defendeu”.

— Eijirou, todo mundo acabou de ver seu pau duro faz tipo cinco minutos, quem ce pensa que tá enganando? — Midoriya comentou, mastigando o sanduíche em sua boca com calma.

— Ninguém! Só to dizendo que não é 23. O que cês acham que eu tenho aqui? — Eijirou perguntou, genuinamente interessado no porquê seus amigos gostavam de exagerar tanto sobre o tamanho de seu pênis.

Sinceramente? Era pouco maior que o de Midoriya e Shinsou.

Mas claro, assim que descobriram que era divertido perturbar Eijirou sobre esse assunto eles jamais deixariam de comentar, ainda por cima tendo a ajuda de Katsuki, seu namorado.

— Uma mangueira de bombeiro. — Kaminari respondeu.

— Um senhor cacetinho. — Midoriya riu enquanto falava de boca um pouco cheia, Todoroki discretamente limpando os farelos dos cantos de sua boca.

— Uma britadeira. — Eijirou virou a cabeça rapidamente para encarar Katsuki, que havia acabado de falar aquilo.

Ele ria para a face indignada de Eijirou. O loiro ficou na ponta dos pés, depositando um selinho carinhoso nos lábios de Eijirou:

— Relaxa, pocotó.

Eijirou bufou, controlando a risada que queria escapar de seus lábios.

Antes mesmo de irem pra cama pela primeira vez Katsuki, bêbado, lhe deu esse apelido, comparando seu corpo forte e muito musculoso ao de um cavalo. Quando finalmente transaram o apelido se consolidou de vez e Katsuki usava para provocá-lo quando bem entendia.

O casal já estava junto há três anos. Se conheceram por um aplicativo de relacionamento, sem levar um ao outro muito a sério no começo. Era apenas um lance. Katsuki um dia pediu a Eijirou para acompanhá-lo numa gravação, foi quando Eijirou descobriu que Katsuki era um Camboy. Eles filmaram algumas vezes e mantiveram contato.

Não parecia que a relação ia muito além de amigos sexuais, duas pessoas que se entendiam muito bem, não brigavam e tinham uma química enorme no sexo. Ambos ocupados em seus próprios interesses, sem tempo para viver nenhuma história de amor.

Até que Eijirou convidou Katsuki para o primeiro encontro deles sem finalidade sexual. Ele estava com tempo, sozinho, carente e aconteceu de Katsuki ser o primeiro a confirmar o convite, apesar dele ter chamado outras pessoas também.

(E era justamente por ter chamado outras pessoas que Eijirou insistia que o destino havia feito ele responder primeiro.)

Eles se encontraram, jantaram e conversaram por horas e horas sobre vários assuntos, conhecendo um ao outro de uma outra forma muito íntima além do sexo. Os encontros se tornaram cada vez mais conversativos e cada vez menos envolvendo seus pênis saindo de dentro de suas calças.

Eijirou, perdidamente e irremediavelmente apaixonado por Katsuki, finalmente mostrou seu eu exagerado, grudento, muito carente e meloso para Bakugou e foi aceito, recebendo de volta todo o carinho que dava, claro que de um jeito bem diferente, do jeito de Katsuki.

Eles apenas se apaixonaram mais e mais e passaram a viver juntos, Eijirou participando cada vez mais das lives e vídeos de Katsuki postadas na internet. Kirishima não era ciumento, apenas um pouco inseguro, e jamais impediria o amor de sua vida de viver como bem entender ou tentar mudá-lo.

Afinal, foi por aquele Camboy estressado e gostoso que ele se apaixonou.

Então, quando Katsuki foi convidado a fazer parte da agência de Midnight isso exigiu deles muito diálogo, que acabou numa solução um tanto inesperada: por que não irem os dois trabalharem lá? Infelizmente, não era como se Kirishima estivesse tendo sucesso em sua área profissional no momento. Se aquilo desse certo, ele até ganharia mais.

E assim o tempo passou até que eles chegaram naquele exato momento, em que Katsuki e Eijirou participavam de um gangbang, e Kirishima se excita ao ver seu namorado sendo fodido com força por outras pessoas.

É, ele realmente tinha se acostumado com sua profissão atual.

Eles voltaram rapidamente para o pequeno cenário de quarto de motel espelhado e Midoriya logo se posicionou para comer Bakugou. Enquanto ele penetrava o ânus já alargado, Shinsou estava deitado por cima de Katsuki o beijando e batendo uma punheta para os dois de uma forma muito libidinosa. Era uma visão e tanto, se afundar em Katsuki enquanto observava a bunda empinada de Shinsou ser apertada com força pelo loiro.

Ao lado deles, Sero e Todoroki se beijavam com calma, apenas acariciando o corpo um do outro, já que o roteiro dizia que após comer Katsuki o papel de cada um basicamente havia acabado, eles deveriam apenas se manter em cena, mas afastados para que os outros tivessem sua vez.

Mais perto, e atualmente no foco da câmera, estava Eijirou, novamente assistindo seu namorado ser fodido enquanto beijava Kaminari, o loiro completamente derretido nos braços dele, mole como geleia e submisso como qualquer um ficaria sendo tocado por Eijirou.

Midoriya tomou seu tempo fodendo Katsuki com força, mas bem lento, fornecendo um show e tanto para as câmeras antes de gozar nas coxas dele se masturbando após sair e retirar a camisinha. Assim, Shinsou logo assumiu seu lugar, não deixando Bakugou se sentir vazio por tempo demais e estocando nele. Já muito perto de gozar, ele metia com força, buscando o próprio alívio.

Assim que Shinsou gozou todos sabiam que era a vez de Kaminari, e o quarto se encheu de risadinhas que se fingiam de discretas. O próprio Bakugou colocou uma mão em sua boca para esconder o riso e Denki se aproximou dele corado.

O nervosismo logo se esvaiu dele ao ver que o outro loiro ainda não havia gozado mesmo depois de Izuku e Hitoshi, então contanto que achasse a próstata dele ele iria gozar, certo? Agora estava até muito ansioso para fazer o loiro abaixo de si gozar. Claro que o orgulho de Bakugou seria abalado se ele gozasse sendo passivo de Kaminari, poderia ser considerado sua vingança particular pelas provocações de antes, né?

Katsuki parecia saber exatamente o que ele estava pensando e se ergueu, puxando-o pela nuca para lhe beijar de forma desejosa, mesmo que tenha deixado escapar uma risada de escárnio em seus lábios.

Após colocar sua camisinha, Denki entrou, estranhando a sensação que não experimentava há anos, de fato, de ser o ativo numa relação sexual. Ele puxou uma perna de Bakugou mais para cima, apoiando em seu ombro e se focou em achar o ponto exato em Katsuki que o faria gozar mais rápido.

Não foi tão difícil, e logo, depois de toda a provocação anterior de Kirishima em seu corpo, ele gozou junto de Katsuki, sentindo o aperto gostoso do outro ao redor de sua ereção.

Por fim, finalmente, para a alegria de Katsuki, Eijirou se aproximou ficando por cima dele.

— Eu acho que você não vai nem sentir quando eu entrar depois de tudo isso. — Eijirou falou baixinho em seu ouvido, deixando sua língua percorrer a pele suavemente logo em seguida.

Os dois riram baixinho, Katsuki muito cansado e focado no arrepio que a voz rouca de Kirishima causou em seu ouvido para se importar com a provocação dele.

Ele sentiu mais beijos suave escorrerem por seu pescoço, mordidas e chupões com sua dose de violências, enquanto os selinhos doces intercalaram. Ele desceu por seu corpo lambendo seu mamilo, arrancando um suspiro um tanto quanto surpreso de seu namorado.

O ruivo mordeu aquele mesmo mamilo, que o maldito sabia ser seu ponto sensível e Katsuki não pôde evitar levar as duas mãos para a nuca de Eijirou, rebolando seu quadril para conseguir alguma fricção no corpo de seu namorado. Suas mãos continuaram agarrando o cabelo e a nuca dele quando ele continuou o abuso em seu mamilo, gemidos mais necessitados do que o necessário saindo de sua boca. Em parte, pelas câmeras. Por outro, aquela altura do campeonato seu corpo já estava sensível demais.

Além de que era impossível não se derreter ao toque de Eijirou Kirishima.

Ele subiu por seu corpo, o abdômen tão colado no de Katsuki que o gozo de Kaminari se espalhava por ambos os corpos. Kirishima beijou seu namorado com ardor, agarrando a coxa grudenta pelo gozo de Midoriya do loiro com força para levantá-la e roçar seu pau na entrada dele.

Apenas atiçando, mas não penetrando de verdade.

Deixando Katsuki ansioso, o pau já rígido novamente pulsando em seu abdômen, como ele sempre gostava de fazer.

Provocando.

De repente, Kirishima agarrou os dois tornozelos de Katsuki com violência e levantou, deixando o ator pornô arregaçado sob si, a respiração acelerada em surpresa. Então, ele empurrou as duas pernas dele em direção ao abdômen, deixando seu buraco bem exposto e só então entrou, enfiando tudo de uma vez, preenchendo Bakugou com força.

Eijirou era consideravelmente maior do que Kaminari e Katsuki levou um pouco de tempo para se acostumar com o tamanho dele. Nunca antes em sua vida ele esteve tão apto, em seu local de fala, para dizer que de fato Kirishima era maior do que todos ali, e a diferença entre ele e Midoriya ou Shinsou não era tão pequena quanto ele pensava.

Felizmente, aquele era o pau do homem que o comia quase todo dia, então ele não estava tão desconfortável e muito menos surpreso com aquele tamanho.

Ele respirou fundo e rebolou para permitir que Eijirou metesse e seu namorado e colega de cena não se fez de rogado, mas iniciou um ritmo forte e rápido, com desejo, apertando a parte de trás das coxas de Katsuki logo acima de seus joelhos.

Bakugou sentia como se o ruivo estivesse fodendo o ar para fora de seus pulmões, tão forte e tão delicioso que ele não conseguia pensar, o ar escapando de si muito rápido. Seu corpo todo queimava e tencionava para então relaxar de novo, o orgasmo se concentrando em seu baixo ventre. Ele estava perto, tão perto.

Sem aviso, Eijirou se retirou, o girou e o colocou de quatro para então meter de novo, sem piedade, apertando com tanta força a bunda redonda de seu colega de cena que Katsuki sabia que ficaria marcado ainda no dia seguinte.

Sem forças nos braços para se segurar o loiro apoiou a cabeça no chão, concentrando as forças restantes em manter seu quadril bem empinado para que Kirishima pudesse meter fundo e deixá-lo finalmente gozar.

Logo, Katsuki deixava um choramingo escapar de sua boca gozando forte e melando o tapete no chão do quarto de motel com sua porra.

Eijirou aproveitou a deliciosa sensação do cu de Katsuki se apertando ao seu redor enquanto gemia alto, puxando seu pênis para fora, retirando a camisinha e terminando o trabalho com a própria mão para gozar na bunda e nas costas de seu namorado enquanto a câmera focava no rosto e corpo de Katsuki, pegando apenas o movimento de sua mão e gozo escapando da cabeça de seu pênis e atingindo o loiro abaixo de si.

Como Eijirou havia combinado, então, Midnight gritou corta, lhe olhando nos olhos enquanto ele sorria enquanto o cameraman perto dele desligava a câmera, apenas o outro que não estava à vista de Katsuki mantinha a máquina ligada, filmando,

Kirishima ajudou seu namorado a levantar do chão. Ele parecia exausto, uma lágrima solitária escorrendo em seu rosto pelo último orgasmo, o corpo todo suado, o cabelo bagunçado e molhado, seu gozo e de todos os outros colegas de cena espalhado por seu corpo, além da porra do próprio Eijirou em suas costas. Ele se apoiava completamente em seu corpo, não disfarçando o desconforto que sentia em sua bunda.

Tão lindo, tão perfeito.

Com toda a certeza, aquele era o homem que amava e com quem queria viver o resto de sua vida.

Shoto se aproximou de Kirishima discretamente, fingindo querer também ajudar Katsuki e entregando a pequena caixinha de veludo. Assim que a pegou Eijirou segurou uma mão de Bakugou e se ajoelhou em frente a ele.

Katsuki estava muito confuso observando Eijirou ajoelhado em sua frente. Ele já havia gozado, por que seu namorado queria chupá-lo? Ele sequer sabia se aguentava mais algum osgarmo naquela noite.

Eijirou beijou suavemente a mão que acolhia a do homem da sua vida e abriu a caixinha do anel, falando baixinho, a voz embargada de emoção e lágrimas salgadas já descendo por sua face:

— Katsuki, o homem mais forte, másculo, belo, sensual e inteligente, você, que namora esse bobo apaixonado que daria a própria vida por você, aceita casar comigo?

O queixo de Katsuki Bakugou caiu. Isso era sério? Kirishima estava… estava…

Pasmo, mas ainda emocionado, o loiro o puxou de leve pela mão para que levantasse e o abraçou, falando um sim rouco baixinho no seu ouvido.

— É claro que eu quero me casar com você. Mesmo você sendo um idiota que me pediu em casamento depois que a gente gravou uma orgia. Caralho, Eiji, eu to todo melado de porra, tem suor no meu corpo que nem é meu.

Eijirou riu. Tá, talvez não tenha sido, sei lá, a melhor ideia do mundo.

Mas ser romântico era surpreender seu parceiro, e Katsuki estava muito surpreso. Um jantar romântico, uma viagem, até mesmo esconder algo no bolo era algo que Kirishima já havia feito, jamais surpreenderia seu, agora, noivo.

— Eu não me importo nem um pouquinho, sabia? Porque eu te amo de qualquer jeito, para todo o sempre. — Eijirou falou olhando em seus olhos.

Naquele momento, Katsuki pensou que Eijirou não tinha o menor direito de ser tão fofo mesmo sendo tão idiota.

Mas, claro, aquilo só provava que ele tinha escolhido o homem certo para passar o resto de sua vida.

20 апреля 2020 г. 20:53:21 0 Отчет Добавить Подписаться
0
Конец

Об авторе

Luray Armstrong Oiii Sou não binário e pansexual. Pronomes masculinos: ele/dele. Obrigado! Viciado em: SasuNaru, KiriBaku, WangXian. No meu perfil você encontra fics de Naruto, BNHA, PJO e em breve MDZS. Sejam bem viad0s! arte do perfil: Nathy Maki

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~