jace_beleren Lucas Vitoriano

Durante o dia dos pais, Gohan pensa no relacionamento com seu pai, Goku, e também na forma diferente como ele e sua mãe Chichi o criaram.


Фанфик Аниме/Манга Всех возростов.

#dragon-ball
Короткий рассказ
0
3.7k ПРОСМОТРОВ
В процессе
reading time
AA Поделиться

Capítulo único

Gohan estava sentado em um dos bancos do campus da universidade. Mais um dia tranquilo, tudo que ele queria era descansar um pouco depois das três aulas exaustivas que assistira. O jovem garoto saiyajin estava a observar o céu pensativo.

Aquele era o dia dos pais, mais um em que ele passaria longe de Goku. Seu pai havia morrido anos atrás, sacrificando-se para salvar a terra do monstro Cell. Mas faria muita diferença caso Goku estivesse ali, ao seu lado? Com certeza seria maravilhoso compartilhar essa data com seu pai, mas agora, crescido, Gohan podia dizer, com decepção, que Goku não fora um bom pai.

Não era que Goku fosse uma má pessoa, mas, no fundo, ele nunca deixara de ser aquela criança irresponsável e de coração puro, nunca amadurecera para a vida. Ele nunca fora um bom pai, porque nunca tivera consciência do que um pai deveria ser.

Gohan lembrava que, quando era criança, idolatrava-o. Seu pai era seu maior exemplo, um guerreiro poderoso, o homem mais forte da terra, salvando-a inúmeras vezes. Ele era como um super-heroi, virtuoso e cheio de qualidades. E sua mãe? Chi-chi era a chata, aquela que o obrigava a ir para o colégio e fazer os deveres de casa. Naquela época ele não sabia dar a ela o valor que ela merecia.

Foi só quando começou a crescer que Gohan percebeu que toda aquela insistência de sua mãe, todas aquelas brigas para que ele estudasse e se tornasse um bom aluno, as vezes que ela o mandara arrumar seu quarto ou lavar a louça, tudo isso era sua forma de demonstrar seu amor e preocupação com o filho. Chi-chi queria prepará-lo para a vida. Ela não se importava de se passar pela “ãe-chata”, enquanto Goku era o pai legal que só aparecia para levar Gohan para se divertir, mas nunca estava lá para lhe dar uma lição de vida ou lhe fazer uma crítica construtiva.

Não era que Goku não amasse seu filho, Gohan sabia disso, mas ele simplesmente não tinha noção do que era educá-lo para a vida, ou melhor, tinha, mas para ele isso se resumia em treinar e se divertir. O que para Goku, essas duas coisas eram quase sinônimos.

Gohan suspirou, seu olhar fitando o céu. Um céu límpido com macias nuvens brancas. Ele se lembrou de Picollo, esse sim, mesmo de seu jeito rígido, fora um pai mais presente em sua vida. Os anos em que Gohan passara com ele, treinando para se preparar para o ataque dos saiajyns, foram duros e rigorosos. Mas Picollo demonstrava sua preocupação com ele, educando-o, mostrando-lhe o quanto a vida era dura. Lhe ensinando que ele deveria se preparar para todos os obstáculos e injustiças que poderiam aparecer em seu caminho. Tivera erros? Com certeza! Deixar uma criança sozinha para sobreviver no meio do nada era loucura, mas Picollo nunca o deixara sozinho de fato, estava sempre a observá-lo de longe, vigiando-o para que nada de realmente grave lhe acontecesse. E, tudo isso, era necessário para prepara-lo para o ataque dos saiyajins.

Quando Gohan estava com Goku, nos raros momentos em que seu pai não estava morto ou que largava a família para ir treinar, era tudo só diversão. Os momentos dos dois juntos eram de treinos. Lutas eram divertidas e, para o saiajyn, isso era tudo que importava.

- Ei, Gohan!

O garoto desviou o olhar das nuvens, fitando a bela garota de cabelos morenos que se aproximava dele com um sorriso carinhoso e levemente tímido no rosto. Era Videl. Os dois haviam começado a se relacionar não fazia muito tempo atrás e ele já começava a sonhar em uma vida juntos.

- Olá! Sua aula acabou? – perguntou levantando-se e dando um beijo delicado nos lábios da garota.

- Sim, felizmente. Então, vamos? – ela agarrou-o pelo braço, fitando-o com carinho.

- Claro – respondeu Gohan.

Os dois caminharam juntos para longe dali. Enquanto andava, tendo Videl tão próxima. Gohan dizia a si mesmo que, se um dia ele e Videl tivessem um filho, seria ele um pai mais presente e responsável que o seu. De Goku levaria o melhor consigo: a leveza, o jeito amável e o companheirismo, mas não deixaria de lado suas responsabilidades paternas. Não deixaria de educar seu filho, de dar-lhe broncas quando necessário, de se preocupar com seu futuro.

18 ноября 2019 г. 18:24:07 0 Отчет Добавить Подписаться
0
Продолжение следует…

Об авторе

Lucas Vitoriano Ola, me chamo Lucas, adoro escrever, ver animes, jogar Magic the gathering, ler entre outras coisas mais rs. Sou particulamente fissurado em mitologia grega, meus autores favoritos são Neil Gaiman e Kazuo Ishiguro e, meu livro favorito, é As brumas de Avalon.

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~