Side Effect Подписаться

deumtach Aymee Belmonth

Uchiha Itachi é a última pessoa que a compositora Haruno Sakura quer ver no casamento de seus melhores amigos. Sexy e implacável, ele já partiu o coração da Haruno uma vez, e ela não cederá ao desejo insaciável dele novamente. Mas Itachi sempre atinge seus obetivos... E quando a gravidez de Sakura chega às págimas dos jornais, ele sabe que é o pai. Pior: fará com que ela pague por ter mantido em segredo seu estado. Agora, a Senhorita Autossuficiente está prestes a se tornar dependente... de Itachi!


Эротика 18+.

#Sakuita- #Itachi- #Sakura- #Itasaku- #Naruto- # #Sakuita #itachi #sakura #itasaku #naruto
0
3.5k ПРОСМОТРОВ
В процессе - Новая глава Каждый четверг
reading time
AA Поделиться

Capítulo I

Uchiha Itachi soube o momento exato em que sua ex-noiva entrou na catedral. Percebeu o silêncio que se instalou ali e os murmúrios que se seguiram. Pelo que pode perceber todos estavam realmente surpresos por ela estar ali.

Com o coração na boca, Itachi sentiu que as pessoas viravam a cabeça para observa-la, precisavam ver se ela já apresentara mudanças, rugas no rosto ou se essas haviam sido retiradas com cirurgias plásticas, precisavam saber se estava mais magra ou mais gorda. Desejavam tomar conhecimento sobre tudo a seu respeito, porque ela já fora muito famosa, e o famoso sempre seria escravo do público, isso era um fato.

E o Uchiha sabia muito bem disso. Então não ficara à sombra observando e aprendendo sobre o lado escuro da fama? O modo que ela corrompia e tomava conta da vida "normal" como se fosse um ácido maligno?

O corpo musculoso enrijeceu-se ao observar a rosada avançar pela catedral, onde em breve seria realizado o casamento de sua melhor amiga e ex-companheira de banda. O cabelo rosado estava arrumado em um coque extremamente elaborado e alinhado, ela usava um quimono azul com detalhes em dourado e diversas flores brancas estampadas... À primeira vista, o vestido parecia falsamente simples... Até que Sakura se movia e deixava ver os sapatos de saltos muito altos e a fenda lateral revelava uma perna bem torneada.

Ele sentiu uma onda de desejo, seguida de uma imensa raiva. Então ela ainda gostava de se exibir como uma vagabunda qualquer? Ainda gostava de saber que era desejada pelos homens que a comiam com os olhos... E que fantasiavam com seu corpo tentador e o rosto de um anjo mau?

A rosada ocupou seu lugar em uma das primeiras fileiras, virando-se com um sorriso amistoso para a pessoa ao seu lado.

A última vez que Itachi a vira fora a cinco longos atrás... mais do que suficiente para se tornar imune aos seus encantos. Mas a pergunta era: Já que estava vacinado contra isso, porque seu coração batia tão forte? E porque estava tão excitado? Essa mulher era realmente um demônio no corpo de uma bela moça.

Tentou miseravelmente pensar em outra coisa quando a cerimonia teve seu inicio, entretanto não era nada fácil para o moreno. Não quando o casamento parecia ser mais longo do que deveria ser talvez se deva ao fato do noivo ser filho do presidente do Japão. Itachi era sempre impecável nesse tipo de cerimônias, mas hoje em especifico estava com o pensamento em certa Haruno. Esse "encontro" teve mais efeito do que o esperado nele.

Imaginou Sakura sob seu corpo em uma cama de lençóis imaculadamente brancos, em que sua pele alva reluzia como opala, com os cabelos extremamente rosas espalhados, as orbes verdes fixadas nele e o cheiro inebriante de cereja preenchendo o lugar.

Ele recordava-se dos seios medianos que cabiam perfeitamente em suas mãos, do desejo que sentira por ela, das noites de delírio e paixão que compartilhara.

Discretamente balançou a cabeça, tentando livrar-se desses pensamentos, pois eles lhe deixavam extremamente perturbado; desejava imensamente esquecer o primeiro e único grande erro que cometera na vida. Seu noivado com Haruno Sakura fora a única falha que cometera em sua vida repleta de sucessos. O Uchiha era orgulhoso descendente de uma família nobre do Japão. Seus ancestrais haviam sido eruditos, soldados e diplomatas... Uma linhagem aristocrática sempre com muitas terras e, no entanto, pouco dinheiro. Mas então Itachi se tornara o chefe da família, tomara conta dos negócios e prosperara muito.

Nos dias atuais a família Uchiha possuía propriedades em quase todo o mundo, além de diversas filias de suas empresas. Itachi tinha tudo que um homem poderia desejar, entretanto seu coração estava vazio.

Os sinos começaram a repicas dando fim a cerimonia. Itachi surpreendeu-se, acabara perdendo-se em seus pensamentos e não sentiu o tempo passar ao seu redor. De súbito surgiu a figura de Hyuuga Hinata caminhando sobre o tapete vermelho... Deslumbrante entre sedas brancas e pérolas, de braços dados com seu marido, Uzumaki Naruto.

Itachi sorriu minimamente. Quem poderia imaginar? A última vez que vira Hinata ela dançava em um palco gigantesco usando uma saia microscópica.

Era isso que todas usavam quando Hinata, Ino e Sakura formavam o grupo Kunoichi's... A maior banda feminina do planeta. E até ele mesmo fora, por um certo tempo, apenas um de seus admiradores.

Espero que os convidados se dispersem para ver se Sakura o imitava e saia da igreja. Será que ela havia amadurecido com o tempo? Será que agora se lamentava das escolhas que fereza no passado? Escolhas essas que o fizeram repudia-la.

Na noite passada não conseguiu conter a ansiedade e acabou pesquisando na internet. A Haruno continuava solteira e sem filhos. Devia estar com seus 26 anos refletiu. Não estaria preocupada por ainda não ser mãe? Um sorriso cruel se fez presente nos lábios de Itachi. Essa pergunta era óbvia claro que ela não estava. Afinal que atrativos teria a maternidade para uma mulher como ela? Para Sakura tudo se resumia a sua carreira profissional.

Observou sua pele alva e por instantes viu que ela se distraia e falseava o pé ao olhá-lo. Um brilho esquisito surgiu nos olhos verdes. Entretanto o que a rosada sentia ou pensava não era da conta dele. Não mais. Contudo ele não seria humano se não se alegrasse por vê-la perturbada na sua presença.

Sakura sumiu das vistas de Itachi e o moreno distraiu-se conversando com alguns conhecidos. Porém sentiu um perfume conhecido, aquele cheiro inebriante de cereja tão característico dela. E em seguida ela continuou, enquanto uma loura bonitinha virava-se no banco da frente, apenas com a intenção de sorrir para o moreno.

Itachi, porém, não compareceu a esse casamento para arrumar alguma pretendente e ter um namorico para passar tempo.

Deixou a catedral e cerrou os olhos diante da luz do sol. Passou os olhos por todo o pátio e viu Sakura a alguns metros de distancia rodeada de pessoas que exigiam sua atenção, contudo ela não os ouvia.

A rosada estava atenta à porta da igreja como se estivesse esperando pelo Uchiha, e quando i viu parado ali demonstrou uma emoção que o mesmo não conseguiu analisar.

Itachi automaticamente começou a caminhar na direção da rosada, mal notando as diversas mulheres que o observavam discretamente... E isso era uma coisa a qual já estava acostumado. Chegou até a mulher e as demais pessoas se calaram com curiosidade. Talvez a expressão em seu rosto, falassem por si mesmas, já que todos se afastaram rapidamente, deixando-o sozinho com a Haruno.

– Ora, ora... Vejam quem resolveu dar um tempo do trabalho e prestigiar a amiga. – Murmurou ele tentando manter um timbre de voz sereno.

Sakura sentiu o coração bater forte e não queria sentir-se assim. Precisava demonstrar frieza, controle e indiferença quanto a ele. Entretanto não era nada fácil, não quando o rosto do maldito Uchiha estava tão perto de si... Um rosto mais bonito e selvagem do que qualquer outro que já vira.

Sakura sentiu-se franca.

Bem na realidade ela era forte, não iria de forma nenhuma demonstrar nenhum sinal de fraqueza. Até porque este é Uchiha Itachi, o homem que confunde amor com controle, que a abandonou porque você não aceitava ser um fantoche nas mãos dele, que levou outra mulher pra cama na primeira oportunidade que teve...

Diante de seus olhos surgiu uma cama com lençóis desfeitos, uma massa de cabelos longos e moreno, nádegas roliças. E Itachi, de olhos fechados, um sorriso de êxtase nos lábios mentirosos enquanto a mulher nua lhe dava prazer.

As imagens da traição ficaram tão vividas em sua cabeça, elas eram com pequenas agulhas que lhe perfuravam sua mente infinitas vezes. Sakura tratou de apaga-las, como vinha fazendo durante esses cinco anos. Não devia pensar nisso, Não podia.

– Obrigada. Acabou de arruinar meu dia, que poderia ser perfeito. – Murmurou com frieza. – Afinal, quem lhe convidou?

O Uchiha não estava esperando tanta hostilidade da pequena mulher a sua frente, mas por algum motivo misterioso isso lhe agradou. Talvez a perspectiva de uma briga com a Haruno fosse excitante.

Ele deu um passo na direção dela.

– Quem você acha? Os noivos é claro! Sou amigo intimo de Naruto a vida inteira. Ou pensa que sou um penetra?

É óbvio que não. Uchiha Itachi jamais iria de penetra em algum lugar, por mais simples que fosse. Sakura tratou de manter a voz calma ao comentar.

– Mas não sabia que ainda mantinha contato com Hinata-chan.

– Não mantenho a muito tempo... Nunca mais a vi desde a época em que nós dois terminamos. – Seus olhos tinham um brilho zombeteiro. – Mas ela deve ter ficado feliz com a perspectiva de casar com o filho do presidente e resolveu me convidar também.

Sakura sabia muito bem o que motivara Hinata. Um homem como Itachi seria de extrema importância na lista de convidados, seu poder e fama dariam prestígio para qualquer noiva. E, é claro sua beleza máscula garantiria a animação de todas as convidadas. No entanto por qual motivo Hinata não a alertara quanto à presença de Itachi? Provavelmente a noiva imaginaria que sua amiga certamente não compareceria a cerimonia se soubesse.

Entretanto a Haruno já estava completamente imune ao charme do moreno, estava mais madura e mais vivida, sabia o suficiente para que a atração sexual dela a deixasse indiferente. Então por que isso não estava acontecendo?

Itachi trajava um terno elegante como muitos ali presentes, porém algo no modo como o mesmo se vestia, acabava destacando-se dos demais. Talvez fosse o exterior sofisticado misturado a algo selvagem e primitivo de sua personalidade. O Uchiha era do tipo que sempre conseguia o queria que fazia uma mulher gritar de prazer. Angustiada, Sakura se lembrou de si mesma, fora exatamente assim com ela, refletiu.

– Talvez Hina-chan precisasse aumentar a lista de convidados e você veio a calhar. – Disse dando de ombros. – A catedral é muito grande e era preciso ocupar todos os lugares. E, sem dúvidas, um nobre japonês é um convidado importante para qualquer noiva.

Ele sorriu como se as ironias não o incomodassem e como se Sakura quisesse apenas se exibir.

– Faz muito tempo Sakura. – Murmurou.

– Cinco anos. – Sorriu com frieza. – O tempo voa quando uma pessoa está se divertindo... Algo que não acontecia quando era sua noiva.

Mas Itachi não parecia estar ouvindo, passeava com olhar pelo corpo dela como se tivesse direito a isso.

– Emagreceu. – Comentou com ar sério.

Sakura ficou com raiva, isso era típico de Itachi. Escolher algo de que ela se orgulhava e transformar em alguma coisa ruim. Esforçava-se muito para manter a silhueta, corria debaixo de sol ou chuva todas as manhãs. Quando viajava frequentava as academias dos hotéis. E isso a ajudava a passar as longas horas de solidão.

Jamais ingeria carboidratos depois das 17h e raramente tomava bebidas alcoólicas, Tinha um estilo de vida disciplinado porque com a idade cada vez se tornava mais difícil manter o peso. E um corpo bem-feito a ajudava a enfrentar a vida. Mantinha-a alerta em um meio profissional em que a beleza era tudo... Um meio que destruía quem não se mantivesse a altura de suas exigências. E Sakura se sacrificara muito por sua carreira para negligenciá-la agora.

– Que bom! – Exclamou. – Perder peso era o que mais queria, – Replicou passeando com o olhar pelo terno cor de carvão que não ocultava os músculos dele, mas mesmo assim resolveu provocar. – Você poderia tentar se exercitar também Itachi. Perder algum peso... Ficaria com um físico mais moderno.

– Não acho. Faço todo o exercício que preciso sem ser um narcisista que não sai das academias de ginastica. – Fitou Sakura com os olhos velados de desejo e acrescentou. – Meu corpo é rijo nos lugares onde precisa ser.

Sakura corou instantaneamente.

– Você é desprezível.

– Acha mesmo? Lembro que gostava de mim como eu era.

– Isso foi há muito tempo. Desde então, graças a Deus eu amadureci. Adquiri um gosto mais refinado e hoje detesto os trogloditas.

– Então deve ter mudado de verdade. Jamais conheci outra mulher que não apreciasse tanto um troglodita na cama.

As lembranças invadiram a mente de Sakura assustando-a. Itachi a beijando. Itachi penetrando seu corpo. Itachi fazendo o mesmo com outra mulher. A Haruno teve ímpetos de gritar, lançar-se sobre ele e perguntar por que fizera aquilo... Por quê? Entretanto, não daria chance de ressuscitar o passado, estava tudo terminado, sua vida era agora e seu futuro não incluía Uchiha Itachi.

E ela precisava se afastar dele.

Forçou-se a olhar por cima do ombro dele e fingir que reconhecera alguém.

– Não devo monopolizá-lo mais Itachi. Tenho certeza de que muitos convidados desejam conversar com você. Alias, acabei de ver uma garota que parece ansiosa por isso. – Sorriu para ele com malicia. – Estou certa de que continua em forma e que vai levá-la para a cama em um piscar de olhos.

Assim dizendo, ela começou a se afastar, temerosa de que Itachi tentasse detê-la. Mas ele não fez isso, Sakura caminhou pelo pátio sentindo o calor de seus olhos sobre seu corpo. Podia voltar correndo para o hotel onde estava hospedada, fazer a mala e retornar a Tóquio. Podia escapar do ex-noivo e de todas as lembranças dolorosas.

Contudo, sabia que não faria isso por razões de boa educação; ela e Hinata iriam se reencontrar e não podia deixar a amiga neste dia tão importante sem comparecer à sua festa. Virando o rosto para longe da câmera de um paparazzo que surgira não se sabia de onde, suspirou fundo. Precisava agir como adulta. Iria à recepção e evitaria o moreno. Que mal poderia haver nisso? Era boa quando se tratava de evitar certas pessoas. E duvidada de que Itachi ficasse desacompanhado por muito tempo.

Encaminhou-se para a fila de ônibus de dois andares fretados especialmente para levar os convidados à recepção, procurou um assento disponível e sorriu discretamente para o homem que logo se sentou ao lado e se apresentou. Mas era difícil se concentrar na conversa dele, embora ostentasse um rosto muito bonito, parecia ser educado e muito gentil.

Então, por que nunca se sentia atraída pelo tipo certo de homem? O tipo confiável que iria adorá-la se ela desse a chance. Não seria por isso que ainda era solteira aos 26 anos... Sem nenhum relacionamento concreto e a chance de ter um bebê?

Lembrou-se da entrevista que dera na semana anterior para uma revista; a jornalista persistente a fizera se confrontar justamente com esse problema, comentando que se lá esperasse demais, não poderia vir a ser mãe. Sakura respondera que naturalmente queria um bebê, acrescentando em tom de brincadeira que primeira precisava encontra o pai da criança!

O ônibus circulou pelas ruelas estreitas até chegar aos portões da propriedade dos Uzumakis. Sakura prendeu a respiração ao olhar para a mansão, de que Hinata tanto falara.

A propriedade era guardada por dois leões de bronze que pareciam rugir sobre duas bases de colunas. Os pilares ao lado da escada que conduzia à porta principal estavam decorados com as mesmas flores da catedral. Pensou como Hinata tinha sorte. Um marido e uma nova vida. Não seria humana se não sentisse um pouquinho de inveja, certo?

Na fila para cumprimentar os noivos, foi sufocada por uma nuvem de tule e rendas brancas quando Hinata a abraçou.

– Sakura-chan! Estou tão feliz por você ter vindo. Gostou da cerimonia?

– Foi divina... Nada verdade você está divina, a noiva mais linda que já vi. Mas não me disse que Itachi estaria aqui. – Murmurou no ouvido da amiga.

– Deveria ter avisado? – Hinata sorriu de modo conspirador, o que fez parecer ter 19 anos outra vez. – Sei que no momento vocês dois não estão juntos, mas resolvi convidá-lo de qualquer modo... Porque por certo tempo Itachi fez parte de nossas vidas. E ele é muito amigo do Naruto-kun. Não ficou zangada, ficou?

Sakura esboçou um sorriso seco. O que poderia dizer? Que o rever era como entrar de novo em um buraco negro de péssimas lembranças? Fitou Hinata e refletiu que se esse era o dia da amiga... Não era o momento de ter seu próprio orgulho ferido.

– Claro que não fiquei zangada Hinata-chan! – Retrucou com alegria na voz.

– Então não existe mais nenhuma possibilidade de vocês reatarem? – Perguntou Hinata com a expressão um tanto frustrada.

– Está brincando? Itachi e eu somos passado.

Assim dizendo, deu passagem para os próximos convidados cumprimentarem os noivos, pegou uma taça de champanhe de um garçom que passava por ali.

Por que se deixar intimidar por Uchiha Itachi? Era uma mulher independente não? Se acaso esbarrasse com ele na recepção se isso acontecesse, é claro iria tratá-lo com a frieza de antes.

Os convidados começavam a encher o enorme salão de banquetes com mesas para todos. Tudo era decorado em tons de dourado e branco e os candelabros brilhavam sobre suas cabeças. Sakura teve a impressão de ter entrado em um mundo de contos de fadas.

Uma delicada recepcionista apontou para a mesa que Sakura deveria se sentar, dando o nome das duas pessoas que sentariam ao seu lado. A rosada ficou contente por ver que ficaria entre duas senhoras. Estava muito feliz por perceber que não ficaria perto de Itachi. Pelo menos Hinata tivera esse gesto de diplomacia.

Dirigiu-se para sua mesa com o lugar marcado, tomando cuidado para não tropeçar nos saltos muito altos. Não prestava muita atenção aos demais convidados até que uma mão puxou a cadeira para ela sentar e uma espécie de premonição a dominou.

Sakura ficou imóvel ao cruzar seu olhar com o homem que deveria ter se tornado seu marido há cinco anos antes.



PRÓXIMO CAPÍTULO

– Só não entendo por que se sentou aqui.

– Pelo mesmo motivo que você, creio eu. Para participar do suntuoso almoço oferecido pelos noivos e ter a oportunidade de brindar e desejar todas as felicidades do mundo ao casal.

– Por favor, não se faça de desentendido Uchiha! Não foi isso que te perguntei. – Ela retrucou observando o início de barba no rosto viril.

Por que precisava ser tão sexy? E por que ela estava tão excitada só por ficar ao lado dele?

9 мая 2019 г. 12:56:50 0 Отчет Добавить 119
Продолжение следует… Новая глава Каждый четверг.

Об авторе

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~