ageha_sakura Ageha Sakura

Em um vila completamente cercada pelo mar vivia Kim TaeHyung, um garoto travesso com espirito aventureiro. Após fazer algo que ultrapassou suas travessuras, foi viver junto aos piratas e reviver da forma que sempre sonhou. Dez anos depois, enfrentando inimigos, fugindo da marinha, aprendendo a manusear armas, entre outros. TaeHyung e seus companheiros acabam por desembarcar numa ilha e lá o mesmo descobre um dos maiores tesouros do mar, um belo e encantador Tritão.


Фанфик Группы / Singers 18+.

#vkook #taekook #kookv #piratataehyung #taehyungpirata #jungkooktritão #tritãojungkook
4
3.4k ПРОСМОТРОВ
В процессе - Новая глава Каждые 30 дней
reading time
AA Поделиться

Esmeralda

+

Bom dia / Boa tarde / Boa noite


Sejam todos bem vindos a "Oceania"!


Espero que gostem de mergulhar nesse oceano repleto de aventuras.


Boa leitura 💗

___________________



Numa vila de aparência pacífica plebeus viviam consideravelmente bem, apesar de ocorrerem alguns pequenos problemas como roubos e brigas constantes, tudo vivia em paz.

Tudo parecia pacato demais até pequenas crianças, e alguns adolescentes, começarem a tornar do lugar uma completa bagunça.

TaeHyung era um desses jovens. Com apenas treze anos, um menino órfão que gostava de enganar todos os burgueses da região, sempre roubando comida e às vezes algumas moedas.

Líder dos Ratos de Rua, gostava de atormentar todos os comerciantes e enlouquecer a Madre Constantina, dona do orfanato onde vivia com os demais integrantes da gangue.

Seu nome era conhecido por todos, era impossível não reconhecer os fios dourados como os raios de sol ou a pele amorenada como avelã. Seu sorriso quadrado sempre presente acompanhado do seu rostinho angelical.

Era mesmo uma criança deveras bonita, mas o que tinha de beleza igualava-se a sua audácia e esperteza. Moleque bastante travesso que irritava qualquer um sem o menor esforço.

Mais uma vez estava de castigo. Seus joelhos sobre as sementes de milho, orando para pedir perdão aos seus pecados. Ele sabia que era bastante doloroso, contudo não dava o braço a torcer e voltava sempre a fazer as mesmas travessuras.

Após as horas necessárias acabarem o mesmo foi liberto do castigo e subiu de imediato para o quarto.

Mas dessa vez ele já estava tramando algo grandioso, que poderia enlouquecer a Madre e talvez finalmente conseguiria ser expulso do orfanato Os Cordeirinhos de Jesus.

Tudo estava sendo planejado com seus colegas, o plano deveria seguir sem problemas e assim conseguiria sua sonhada liberdade para desvendar o mundo a fora.

[🌊]


O amanhecer não tardou em aparecer, assim revelando o dia seguinte que era tão esperado por todas aquelas crianças.

Os raios iluminaram o rosto de cada um, impedindo-os de dormirem um pouco mais do que a hora marcada.

TaeHyung era dentre eles o mais ansioso. Seu coração não parava de palpitar um instante sequer, como se estivessem contando cada segundo para cumprir sua grande missão.

Pulou da cama completamente eufórico e foi acordando todos, de um por um. A manada de crianças descia correndo pelas escadas, assustando todas as noviças e irritando ainda mais a Madre Constantina.

Todos sentados nas diversas mesas de madeira grossa, esperando ansiosos pela primeira refeição do dia para irem brincar. Bom, a maioria delas iriam fazer coisas típicas de crianças, porém TaeHyung e os demais tinham planos mirabolantes e um pouco diabólicos.

A refeição foi servida. Uma oração feita antes de finalmente atacarem como animais, devorando tudo sem nenhuma piedade.

O pequeno Kim podia jurar que essa havia sido a alimentação mais rápida que já fizera em toda a sua vida. Terminou e saiu em disparada, correndo sem rumo fugindo de todos até ser seguido pelos demais integrantes da pequena gangue.

Todos subiram nas bicicletas e pedalaram com pressa, sem importarem-se em assustar alguns camponeses ou espantar as galinhas. O que desejavam era apenas chegarem o mais rápido que podiam para assim armar tudo e poderem ajudar TaeHyung a fugir, mesmo que acabassem arriscado-se em demasia.

Ao longe podiam ver o topo do castelo, indicando-os que estavam chegando na cidade, aproximando-se do sonho de liberdade.

Tão rápidos podiam sentir o vento entrar em contato de forma violenta, como se pudessem abrir os braços e saírem voando pelos céus. Chegaram um pouco cansados, mas com sorrisos do tamanho do mundo.

Largaram as bicicletas em becos tão conhecidos por eles e começaram a repassar o plano mais uma vez.

- Quero que os gêmeos Kang fiquem no telhado do padeiro. Você, Yunan, vai ficar na retaguarda, vigiando os passos e impedindo que alguém queira impedir-me. Os demais vigiem toda a área. - TaeHyung falava com sua voz um pouco rouca, demonstrando sua pose de líder.

- E o que eu devo fazer, Tae? - Miriã, a única menina do grupo, havia perguntado ao loiro.

- Você irá acompanhar-me! É você quem vai ajudar-me a pegar o nosso precioso prêmio.

A garota morena de olhos verdes como esmeraldas sorriu animada. Pela primeira vez o Kim havia confiado em si, mesmo sendo diferente dos demais havia sido finalmente aceita de igual para igual.

- Confiamos em você, Miriã! Você está com a vida do chefe em suas mãos. Não nos decepcione! - Yunan havia falado, acariciando as bochechas rosadas da morena.

- Darei minha vida pelo bando. Somos um! - Colocou sua mão a frente do corpo, depois todos os outros colocaram em cima da sua e fizeram sua saudação.

- Agora! Avante, Ratos de Rua!! - Berrava o Kim demonstrando toda a sua euforia.

Todos saíram com certa pressa. Escalando paredes, entrando em casas escondidos e finalmente alcançando os telhados. Corriam por cima como gatos, mas sabiam ser espertos e esconderem-se como verdadeiros ratos.

Cada um finalmente estava em sua determinada posição, enquanto Tae e Miriã junto de Yunan aproximavam-se do ponto demarcado.

Era ali que agiriam pegando a chave para a libertação daquela cidade monótona e cercada pelo mar.

- Todos posicionados? - Perguntou o Kim, demonstrando toda a sua seriedade.

- Sim!! - Ambos responderam ao mesmo tempo.

- Ótimo. Avançamos ao meu sinal.

Passou alguns longos minutos. O coração de cada um acelerava constantemente, a ansiedade dominando as veias e presenteando uma enorme quantidade de adrenalina no sangue.

Precisavam apenas esperar, entretanto, parecia ser um enorme desafio quando se têm crianças desesperadas por uma aventura.

O som estrondoso das trombetas soaram por toda a rua.

Os comerciantes e as demais pessoas apressaram-se em deixar a rua impecável. Posicionaram-se em filas de ambos os lados da via, esperando pela passagem do Rei e da Família Real.

Mais uma vez o som das trombetas e de passos em marchas podiam ser ouvidos.

Em uma carruagem, depois da primeira tropa de soldados, estavam o Rei Leopoldo e sua família.

Toda a nobreza estava desfilando em carruagens luxuosas, mostrando-lhes poder e a exuberante quantia em dinheiro que possuíam.

O sorriso de TaeHyung alargou-se ainda mais ao ver que o seu alvo se aproximava.

- Só mais um pouco...

Todos confirmaram esperando pela ordem do líder. Faltava muito pouco, só mais alguns segundos e poderiam finalmente agir.

As tropas de soldados passaram em passos um pouco rápidos até finalmente a carruagem real aproximar-se de onde estavam.

- AGORA!! - O grito ruidoso de TaeHyung fora a deixa que precisavam para pularem dos telhados, iniciando-se assim a grande missão.

Uma verdadeira baderna formou-se. Crianças pulavam em cima de oficiais da guarda real, derrubando e impedindo-os de atacarem.

TaeHyung sendo segurado em uma corda agora balançava chegando na direção do Rei. Miriã segurava o objeto com toda a sua força, enquanto Yunan saltava em seguida para proteger o Kim com sua pequena espada afiada.

Finalmente suas mãos tocaram a belíssima coroa feita em ouro puro e enfeitada com as mais belas pedras preciosas.

Voltou ao telhado a tempo de mostrar sua língua para Leopoldo que demonstrava aos poucos sua carranca de indignação.

- GUARDAS!! Peguem aqueles moleques! Eles ousaram roubar a Coroa do Rei! - Leopoldo gritava mostrando toda sua fúria contra as crianças órfãs que agora fugiam e escondiam-se nos bueiros.

Algumas crianças eram pegas e outras conseguiam escapar, enquanto TaeHyung acompanhado dos outros dois fugia com a coroa dentro de um saco feito de pano.

Corriam como se suas vidas dependessem disso - o que não deixava de ser um fato.

Pularam do telhado em cima de uma carroça repleta de feno para animais. Correram mais e mais, quase sendo pegos até verem-se encurralados por alguns guardas.

Parecia que tudo teria um fim definitivo, todavia, o Kim era bem mais esperto do que imaginavam. Ele havia jogado o saco para o alto e todos os guardas entraram em desespero para tentar pegá-lo, assim esquecendo dos pequeninos que corriam com o saco verdadeiro.

Escalaram mais algumas paredes, entraram em casas assim separando-se do líder.

TaeHyung quase apanhou de mulheres por vê-las seminuas nos banheiros, mas conseguiu manter-se ileso até avistar o porto.

O que o Kim jamais esperava era que naquele dia um Navio Pirata estava vindo à ilha com o objetivo de saquear todo o Reino.

Ele pode reconhecer o velho símbolo da caveira em uma bandeira negra no topo da vela.

Todos esperavam pelo desespero do moleque, porém ele apenas havia ficado ainda mais animado e por isso correu mais ainda com a coroa em mãos.

Chegando na ponte do porto retirou a coroa do saco, jogando-o longe. Levantou a joia rara para ser iluminada pelos raios solares e avistada pelos piratas.

O pessoal do navio havia identificado o tesouro, então resolveram mandar um de seus botes até o garoto.

O coração do loiro acelerava ainda mais, muito ansioso para finalmente conseguir sua tão almejada liberdade.

O bote estava aproximando-se e o garoto resolveu gritar.

- Deixem-me ir com vocês em troca da Coroa!!

Os piratas ficaram um pouco temerosos e desconfiados de alguma armadilha, contudo, ao verem o brilho no olhar e o sorriso largo estampado em seu pequeno rosto, aceitaram por fim.

O garoto estava prestes a ser pego pelos guardas, por isso logo saltou no mar e nadou até o boto, entrando e podendo enfim considerar aquilo como um recomeço.

Antes pode ouvir um doce grito, reconhecendo por ser de Miriã e seus amigos.

- BOA VIAGEM!! LÍDER, JAMAIS ESQUEÇA DE NÓS!

Sentiu suas lágrimas abandonarem seus olhos com pressa e sorriu acenando para seus companheiros.

Era de partir o coração. Era doloroso demais se despedir deles dessa forma, entretanto, não largaria a sua chance de ser feliz.

Chegando no gigantesco navio sentiu suas pernas fraquejarem. Engoliu em seco temendo ter tomado a decisão errada.

Adentrou a enorme embarcação junto dos piratas enquanto ainda segurava a coroa.

Dentro do deque viu-se cercado por homens fortes, exalando masculinidade que comparados a si podiam massacrá-lo com um simples soco.

- Então... Poderia explicar-me como um pirralho como você conseguiu roubar a Coroa do Rei? - O capitão do navio, James, havia perguntado.

Com certo medo TaeHyung apertou a joia mais ainda ao seu corpo. Olhou nos olhos do homem à sua frente e retirou algum resquício de coragem para finalmente respondê-lo.

- Eu sou líder de uma pequena gangue de crianças órfãs... Juntos armamos um plano e furtamos a Coroa.

O silêncio instalou-se em todo o navio. O frio tomou conta da sua pele, pois estava encharcado pela água do mar.

De repente gargalhadas tomaram o lugar do silêncio que parecia condená-lo, conseguindo então causar-lhe um susto momentâneo.

- Conseguimos um garoto esperto, Capitão! Vamos ficar com ele? - Perguntou um dos piratas.

James levou a mão em direção a sua barba, coçando-a um pouco e sorrindo deu sua sentença.

- Claro! Por quê não? A partir de hoje você faz parte dos Piratas da Rosa Negra. Bem vindo...

Pôde sentir seu coração saltitar um pouco de acordo com a felicidade que tomava conta da sua mísera existência.

- Muito obrigado, Senhor! - Curvou-se várias vezes em forma de agradecimento enquanto era abraçado por todos os tripulantes.

Naquele mesmo dia haviam feito uma festança, tudo para comemorar mais um tripulante que havia entrado no bando.

TaeHyung estava muito feliz por saber que havia sido bem recebido por todos. Finalmente estava em casa.

Após afastar-se um pouco da festa de boas vindas pode fitar o céu estrelado. A imensidão que nunca havia tido a chance de privilegiar. Estava completamente extasiado, havia criado um vício naquela visão.

O mar parecia não ter fim, o céu e as águas aparentavam sempre beijar-se no horizonte. Tudo numa bela perfeição.

E foi nesse momento que uma estrela cadente passou, ele fechou seus olhos e fez um pedido silencioso.

Que eu possa encontrar a minha própria joia rara...

[10 anos depois]


O mar não estava calmo e os piratas tentavam segurar o leme com força, enquanto buscavam reforçar a força das cordas na vela.

O timoneiro tentava fazer seu máximo para segurar a velha embarcação dos Piratas da Rosa Negra.

A bandeira com uma caveira e uma rosa negra na boca balançava fortemente com a força do vento, parecia que iria rasgar a qualquer momento.

O capitão dava ordens e mais ordens para seus subordinados, pois precisavam se manterem firmes e suportar a tempestade.

A navegadora observava tudo enquanto avaliava para enfim dizer qual direção eles deveriam tomar.

Tudo parecia complicado, mas TaeHyung encontrava-se firme trabalhando ao lado de seus companheiros.

Os braços um pouco musculosos por causa do trabalho manual, a pele morena e bela com um pouco de suor escorrendo junto a água do mar que banhava-o pouco a pouco. Os fios loiros e longos grudados na testa, enquanto uma expressão séria apossou-se de sua face.

Mais um raio cortou o céu escuro de ponta a ponta. Tudo parecia que iria piorar. Todos estavam perdendo suas forças contra O Deus dos Mares numa batalha dura e considerada impossível.

Enquanto continuavam seus trabalhos árduos alguns faziam suas orações, rogando para qualquer deus que existisse, precisavam de algum milagre para conseguirem escapar de toda aquela tormenta.

O Kim parecia cogitar a ideia de render-se ao destino quase prescrito, contudo permanecia buscando forças que nem ele sabia de onde.

Capitão James estava quase desistindo, mas não poderia demonstrar isso porque querendo ou não a vida de todos os seus tripulantes estavam em suas mãos.

- AVANTE HOMENS!! Vamos vencer esta tempestade! - Exclamava com toda a força da sua voz, o que causava um pouco de rouquidão.

As palavras do capitão eram como combustível que precisavam para aumentarem a essência da coragem como uma chama viva.

Mais algumas dicas da navegadora e finalmente conseguiram sair daquela turbulência toda.

O alívio preencheu cada um dos piratas. A sensação de nascer de novo era tão mágica e surreal. Os sorrisos estampados no rosto de cada um e os gritos eufóricos mostravam com clareza que estavam aliviados.

- CONSEGUIMOS! SAÚDEM O CAPITÃO! - Alguns exclamavam em puro êxtase.

A euforia dominava cada um, não conseguiam mais conter tamanha felicidade.

Ajeitaram a vela e começaram a limpar todo o navio.

TaeHyung avistava a beleza do céu claro e do brilho do sol, este que iluminava a sua própria beleza.

Algumas das mulheres tripulantes do navio paravam apenas para admirá-lo. Até mesmo os homens encantavam-se com o jovem rapaz.

- Capitão, estamos terminando todos os afazeres e estão cogitando fazer uma festa em comemoração ao desafio que foi atravessar o Mar Cáspio. - Falava TaeHyung um pouco entusiasmado.

James sorria da afobação do garoto, então apenas fez uma carícia nos fios úmidos.

- Acalme-se, Tae, o capitão já tinha isso em mente. - Mei Li, a navegadora falava enquanto ousava tocar seu braço em forma de afeto.

- Tudo bem. Vou voltar aos meus afazeres, com sua licença capitão. - Curvou-se em respeito e saiu voltando a ajudar os demais no deque.

Algumas gaivotas apareciam apenas para se alimentarem. O sol começava a esquentar bastante, o calor dominando os corpos que não cessavam em deixar tudo pronto.

A maresia acompanhava o ritmo das ondas, deixando sua marca na velha embarcação.

Na cozinha era possível ouvir os barulhos das panelas e o cheiro da comida atiçando o paladar de todos.

Tudo o que precisavam agora era um bom descanso, por isso trabalhavam duro até avistarem ao longe uma ilha que parecia ser deserta. Um bom lugar para aproveitarem o restante da tarde e dormirem por toda a noite.

Navegaram mais um pouco até finalmente ancorarem na ilha.

Desceram muitos caixotes e espalharam por toda a praia. Fizeram uma enorme fogueira e finalmente começaram a jogar algumas peças de roupas e se jogaram nas águas salgadas.

A ilha possuía uma praia linda, com areia branca e fofinha, além de várias árvores frutíferas mais para dentro. Coqueiros altos que faziam uma boa sombra. E no meio tinha uma cachoeira com água bastante cristalina, em um azul turquesa encantador.

Todos estavam aproveitando para relaxarem o suficiente e fugir um pouco da Marinha, pois a mesma adorava desbravar o mar em busca de criminosos como eles.

TaeHyung estava tomando banho em uma parte da cachoeira que não havia mostrado a ninguém. Necessitava demais ficar sozinho e relaxar sem escutar a gritaria, o cheiro de suor e observar as mulheres enlouquecendo para terem algo consigo.

Sentia a água gelada descer por cada parte da sua pele totalmente despida, causando arrepios e uma sensação gostosa.

Os cabelos dourados como ouro totalmente úmidos e grudavam na região da sua testa e pescoço, por serem longos.

- Nada como um tempo consigo mesmo... - Refletia enquanto sua mente começava a viajar para anos atrás quando era apenas uma criança órfã, mas que comandava uma gangue encrenqueira.

Depois de ter aprontado tanto ao ponto de roubar a Coroa do Rei, fugir num navio pirata e entrar na tripulação. Foram anos aprendendo a cozinhar, limpar o deque, manusear o leme, erguer a vela e finalmente manusear uma espada.

Foram muitos anos de sofrimento, um pouco de dor, mas a companhia deles fora o suficiente para fazê-lo crescer e confia somente nas pessoas certas.

Não negava ter roubado diversos estilos de tesouros, deixado mulheres e homens caídos aos seus pés, infiltrar-se na Marinha para conseguir informações e lutar com todas as suas habilidades.

Possuía um cartaz de procurado, o valor sendo o terceiro maior de toda a tripulação, perdendo somente para o Capitão e o cozinheiro do navio.

Ao sentir seus músculos totalmente relaxados saiu debaixo da cachoeira e nadou mais um pouco.

Voltou para as pedras onde estavam suas vestes, sentou-se ao lado delas e comeu alguma fruta que havia pego no caminho.

Observou um arco íris formar-se no topo da cachoeira junto da luz solar.

Mas quando tudo parecia apenas uma calmaria pode ver uma luz surgir na água, tornando-a num azul forte e em seguida uma enorme cauda na cor esmeralda apareceu.

TaeHyung jurou estar sonhando ou alucinando por causa da fruta, entretanto, ao avaliar bem não era sonho ou um efeito alucinógeno.

Um tritão estava na sua frente o fitando com olhar feroz.

O medo começava a surgir. Já tinha ouvido diversas lendas durante esses anos que viveu no mar, contudo a realidade agora o surpreendia ainda mais.

Levantou-se e vestiu algumas peças de roupa, porém não conseguia escapar do forte contato visual.

Havia caído no feitiço das sereias, mas sem ouvir a doce e tentadora melodia do belo tritão a sua frente.


*Notas Finais*


Gostaria de agradecer a maravilhosa yoonieris por ter feito essa belíssima capa e esse banner maravilhoso, obrigada minha flor 💞


Link do Spirit:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/oceania-14867578


Meu twitter: @stephy_lilian

CuriousCat:
https://curiouscat.me/stephy_lilian


Vejo vocês no próximo capitulo, bye 💖

18 января 2019 г. 17:57:11 0 Отчет Добавить Подписаться
121
Прочтите следующую главу Escuridão

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~

Вы наслаждаетесь чтением?

У вас все ещё остались 4 главы в этой истории.
Чтобы продолжить, пожалуйста, зарегистрируйтесь или войдите. Бесплатно!

Войти через Facebook Войти через Twitter

или используйте обычную регистрационную форму