Короткий рассказ
1
4.7k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Único


Notas do Autor

- Fanfic inspirada na música “Rise Up” da Andra Day. Link nas notas finais. 
   - Não sou muito de shippar LeeTen, mas surgiu inspiração então espero que gostem <3 
   - Boa leitura!

Capítulo 1 - Único

Sobreviver

 

Você está triste e cansado

De viver a vida em um carrossel

E você não pode encontrar o lutador

Mas eu vejo isso em você então nós vamos caminhar com isso

E mover montanhas

Nós vamos caminhar com isso

E mover montanhas

 

Minha vida nunca foi fácil, mas deparar-me perdendo aquele a quem só pude mesclar meu amor com admiração atingia níveis altíssimos de dor, mais do que jamais senti. Mais do que sentia que podia suportar.

Kami, dê-me forças.

Roguei, em pensamentos, vendo seu corpo envolto de sangue e sem saber exatamente porque, nenhuma lágrima caiu. Não é que não me importasse, é que simplesmente não conseguia derramá-las.

E isso não significava que meu interior não estava caindo, ruindo em pedaços. Igual a Atlantis, as lágrimas que não caiam em meus olhos, causavam uma tsunami em minh’alma.

 

E eu vou me levantar

Eu vou me levantar como o nascer do dia

E eu vou me levantar

Eu vou me levantar sem medo

E eu vou me levantar

E eu vou fazer isso mil vezes novamente

E eu vou me levantar

Alta como as ondas

E eu vou me levantar

Apesar da dor

E eu vou me levantar

E eu vou fazer isso milhares de vezes novamente

Por você

 

            1 ano depois...

            A tempestade se foi. O vento brindou meu rosto, trazendo o começo de mais uma estação. Mais uma sem você. Quando mesmo que é suposto as coisas voltarem a ter sabor? Quando é que eu devo ver em outro, aquilo que apenas vi em você?

            Depositei o girassol único, colhido nessa manhã no copinho cheio de belas flores, obra de sua prima, provavelmente. Afinal, aquele clã maldito jamais entenderia a delicadeza e o poder das flores. Tal qual eu, afinal, ainda sou uma ninja dura na queda.

            E eu jamais imaginei que cairia dessa maneira, pode acreditar.

            Mas, e me dói muito admitir, eu tenho que me levantar e seguir. Espantar a poeira e aceitar, finalmente, que você se foi. Eu não posso e não vou decepcioná-lo novamente, Neji-kun. Nunca mais.

 

Quando o silêncio não é tranquilo

E parece que está ficando difícil de respirar

E eu sei que você sente como se estivesse morrendo

Mas eu prometo que vou levar o mundo a seus pés

E mover montanhas

Nós vamos caminhar com isso

E mover montanhas

E eu vou me levantar

Eu vou me levantar como o nascer do dia

Eu vou me levantar

Eu vou me levantar sem medo

Eu vou me levantar

E eu vou fazer isso mil vezes novamente

Por você

 

            — Tenten-chan! – Hinata disse-me animadamente, quando virei-me para mirá-la, a vi segurando na mão de Naruto. – Que alegria reencontrá-la aqui.

            — Hum… sim. Eu vim pensar em umas coisas. Gosto de me sentir próxima de Neji.

            — Eu sei… hum… bem… talvez não seja hora de você… – Ela começou timidamente, olhando para o chão.

            — Sei disso, não se preocupe. Realmente estou virando uma página. Não se incomode com isso. – Pigarreei e decidi trocar para um assunto que todos tínhamos conhecimento. – E o casamento? Quando sai?

            — Ah! Em breve, queremos que seja no primeiro dia de inverno. – Hinata respondeu-me corada.

            — Meus parabéns. – Disse-lhe e olhando o túmulo, uma vez mais, senti-me drenada e cansada demais. Estava na hora de ir. – Eu já vou, até breve.

            — Tenten-chan… – Hinata começou, mas quando a olhei, ela simplesmente sorriu pequeno e assentiu firmemente com a cabeça. Eu virei as costas e parti.

 

Tudo o que precisamos

Tudo o que precisamos é esperança

E para isso temos um ao outro

E para isso temos um ao outro

Vamos nos levantar

Vamos nos levantar

Vamos nos levantar, ohh ohh

Vamos nos levantar

 

            Chegando em casa, sentei-me no sofá surrado da sala com poucos móveis. Não era exatamente a vida que desejei. Sempre imaginei que após a guerra, ou alguma missão, na minha porta, eu diria-lhe sobre esses sentimentos tortuosos.

            Eu jamais tive a oportunidade de verbalizá-los.

            Sempre imaginei que apenas juntaríamos os trapos, moraríamos juntos, talvez em algum momento uma criança ou duas surgissem. As noites seriam quentes, os dias mornos e as manhãs frias. Neji sempre prezou treinar em hora ingrata, mas eu prosseguiria dormindo até as 10 da manhã.

            Costumava sonhar que seria dona de uma loja de armas, muito bem sucedida e ele seria líder do esquadrão de Inteligência, algo que Neji queria muito. Sempre sonhei que almoçaríamos juntos, que…

            Espera! É isso! Então, se não te tenho, ao menos realizarei alguns desses sonhos.

            E continuarei me movendo.

 

E eu vou me levantar

Eu vou me levantar como o nascer do dia

Eu vou me levantar

Apesar da dor

E eu vou fazer isso mil vezes novamente

E nós vamos nos levantar

Bem alto, como as ondas

Vamos nos levantar

Apesar da dor

Vamos nos levantar

E nós vamos fazê-lo milhares de vezes novamente

Por você

 

            Seis meses depois…

            — Corta essa fita logo, Tenten! – Kiba gritou e Akamaru latiu, concordando com o dono.

            — Ainda faltam cin-

            — Anda logo! – Alguns riram com a afobação do Inuzuka, que gritava a plenos pulmões. O casal Uzumaki chegou logo após e junto com ele, Naruto gritava animado.

            Tampei os ouvindo seus gritos, cada vez mais estridentes. E na multidão haviam todos, menos um. Embora o vento fosse agradável. Eu podia ouvir o cantar dos pássaros e quis imaginar que nessas pequenas coisas, Neji estava lá.

            Eu me diverti. Festamos, comemos bolo e eu me senti leve outra vez. Me senti, como há muito tempo não sentia: feliz.

            — Boa sorte, Tenten-chan! – Hinata desejou-me, ao despedir-se. Sorri-lhe feliz. Graças aos encontros no cemitério, nos tornamos amigas. Sabemos um pouco mais da vida uma da outra, e me sinto confortável com isso.

            Fechei a porta lateral e senti um vento frio, diferente do quente que nos envolvia na estação. Olhando ao longe, tive a ligeira impressão de ver alguém ao longe. Eu percebi, um segundo mais tarde, que conhecia a silhueta quase tão bem, quanto conheço a minha.

            — Neji? – Mas não estava mais lá. Senti uma mão em meu ombro e dei um pulo, o coração aos saltos. Virei-me e respirei aliviada ao ver Lee.

            — Nós não tivemos a oportunidade de conversar, mas eu gostaria de dar-lhe algo. – Lee disse-me parecendo encabulado, algo que não era de seu feitio.

            — Então dê. – Respondi-lhe, quando vi que ele esperava por uma resposta minha.

            Lee pegou a minha mão e depositou um beijo singelo, depositando uma caixinha pequena e rosada na minha palma.

            — Eu sei que você o amava. – Ele começou sem jeito e olhou-me nos olhos. Ele riu, provavelmente porque eu estou surpresa e devia mostrar isso na minha expressão. Neji sempre disse que minhas emoções eram como um livro aberto. – É, eu sei. Acho que todos sabem. Nenhum amigo simplesmente visita um túmulo e fica estagnado por 1 ano de graça, Ten-chan. E embora isso, eu a amo. Se você estiver interessada, só me deixa saber.

            Então ele se virou e partiu, sem sequer esperar por uma resposta minha. Não que nessa hora, eu tivesse uma.

 

Oh oh oh oh oh

 

            6 anos depois…

            — É um menino. Um lindo garotão. – Sakura respondeu-me, olhando na tela do ultrassom. Eu comemorei internamente. Queria muito um garoto.

            — Você já tem um nome? – Shizune questionou-me e eu sorri, pensando que Neji seria um bom, mas havia outro melhor. Outro que me lembrava tanto o pai do meu príncipe.

            — Acho que Metal é uma boa. Me lembra Lee, de qualquer maneira. – Shizune riu. Sakura me respondeu:

            — Você sempre me surpreende.

            — Você chamou a sua de Sarada, não tem moral para me criticar. – Shizune gargalhou, limpando a minha barriga proeminente.

            Quinze minutos e estávamos conversando com Lee, embora o nome tivesse sido omitido a meu pedido. Nós caminhávamos lentamente e não pude deixar de me perguntar como ele agiria, se fosse Neji em seu lugar. Sorri pequeno, deixando os pensamentos partirem, tal qual ele o fez anos atrás.

            — E esse sorriso?

            — Estava me perguntando, o que Neji nos diria se nos visse assim.

            — Nos chamaria de loucos e então, nos parabenizaria.

            — E seria o padrinho. – Concordei, sorrindo-lhe, roubei um beijo.

            E sendo correspondida com uma nova vida dentro de mim, percebi algo importantíssimo. Não importava quantos anos se passassem, eu estava completa e feliz, realizada. E embora sentisse infinitamente a falta dele, não ia prender-me nisso. Eu havia aprendido a amar Lee, e o sentimento me deixava inteira bamba.

Nós criamos algo que eu jamais imaginei que poderia sentir de novo, mas o tempo havia feito o seu papel e me dado a sua cura. A saudade era infinita, eu não podia fazê-la passar, mas era suportável. A minha paixão infantil, ainda era uma lembrança forte de tempos bons, ao lado de um grande amigo, mas era só isso.

Foi com um  choque que eu percebi que tanto quanto uma nova vida estava a cada segundo mais, intrincada em mim, eu havia passado por cima e sobrevivido. E sentia-me bem assim.

Quem foi que limitou o coração das mulheres a um único amor? Esse idiota simplesmente não me conhece.

Abracei Lee pelo braço, prestando atenção em suas palavras e planos sobre o que fazer com o pequeno quando ele fosse maiorzinho.

— Eu vou ensinar ela a escalar paredes, antes que aprenda a andar!

— Não exagera, Lee. – Ri-lhe, recebendo um beijo no queixo. – Será um menino, a propósito.

Ele urrou, falando sobre o fogo da juventude e eu girei os olhos. Meus dias tornaram-se mornos o tempo todo. E às vezes, morno é bom também.

 Notas Finais

  Link da música: https://www.youtube.com/watch?v=cXhRF3OWWGc 
   Tive a inspiração aleatoriamente, enquanto deixava a reprodução automática do youtube ligada. Sempre imaginei a Tenten como alguém que sobreviveu ao pior, nunca uma perdedora, por isso, espero que tenha conseguido passar um pouco disso hoje. E espero também que tenham gostado, agora que tal dar aquela comentada linda? *-* 
Beijos~!

23 ноября 2018 г. 2:35:31 0 Отчет Добавить 1
Конец

Об авторе

Ayala O. Melo *Lumus* Juro que não farei nada de bom~ Olá! Eu sou a Ayala, uma leitora versatil, uma escritora criativa e meio enrolada, além de universitária. Sonho em viver da escrita, mas enquanto isso não acontece, a gente vai se virando rsrs Posto em vários rites (Nyah! Fanfiction, Fanfiction.Net, Social Spirit, Wattpad, Widbook, I Luv Books e Amazon). Em todos os sites sob o nome de AyalaOM, então se encontrar minhas histórias postadas por outro autor, denuncie :D É isso, divirtam-se~*Nox*

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~