Faded Love Подписаться

sakuu-chan Sakuu-chan Oficial

Quando ele saiu aquela noite, não espera encontrar uma pessoa que pudesse fazê-lo sentir tal sensação. Em toda a sua vida, mulher alguma tinha conseguido esse feito. Vê-la andando em sua direção despertou nele uma curiosidade sem igual, jamais pensou que ela poderia proporcionar a melhor noite de sua vida, era para ser apenas uma noite de prazer, mas acabou se tornando um amor casual, e ele não se arrependia disso. Ele não precisava saber seu nome ou seu telefone para saber que ela havia mudado algo em sua vida.


Фанфик Аниме/Манга 21+.

#fanfic #romance #hentai #sasusaku
1
4.6k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Capítulo único

Não conseguia desviar seus olhos de seu corpo que descia lentamente e subia, suas mãos pequenas tocavam-lhe a cintura, o quadril, a barriga e de forma sutil, os seios, isso tudo olhando-o discretamente. O vestido colado ao corpo marcava bem as suas curvas, deixando-o cada vez mais com água na boca, louco para prová-la.

O sorriso saiu inocente, mas, ao mesmo tempo, sensual quando ela mordeu o canto do lábio inferior e piscou o olho em sua direção, seu membro apertou contra o tecido da roupa e ele suspirou, ela estava brincando com fogo e parecia gostar bastante disso, ele não podia negar que também estava gostando, e muito, para ser sincero.

Aquele era um jogo perigoso e divertido. Mesmo de longe, ele poderia ver o quão enigmático era aquele par de olhos verdes que o observava enquanto dançava. Deu um longo gole em sua bebida e viu um homem se aproximar, ele tocou sua cintura e a puxou enquanto falava algo em seu ouvido, a mulher sorriu e retirou as mãos do homem de sua cintura e revirou os olhos.

Isso o fez o sorrir, ela era segura de si e sabia o que queria e, pelo que pareceu, aquele homem não fazia parte de sua noitada. Sacudiu a cabeça e virou-se para o barman que depositava ao seu lado mais uma bebida antes mesmo de seu comando ou pedido.

Mulheres como aquela sabiam que atraiam atenção e brincava com os homens, ela atiçava e depois os descartavam, faziam apenas o que muitos homens fazia toda sexta-feira. Não que ele achasse errado, acreditava que todo homem e toda mulher tinha o direito de fazer o que bem entendessem, quem era ele para julgar alguém? Ele era apenas um mero mortal.

Mas naquela noite, ele queria mais do que sexo, ele queria encontrar alguém que pudesse ter uma conexão a mais do que a sexual, entretanto, havia escolhido um péssimo lugar para tal conexão.

— Uma dose de vodca. - Ouviu perfeitamente aquela voz ao seu lado, apesar do som da música estar alto.

Seus olhos automaticamente pararam na mulher de cabelos ruivos rosados ao seu lado, o sorriso dela era aberto, o suor escorria pelo pescoço e sumiam entre os seios que o vestido deixava evidente e empinados, apesar do suor, ela emanava um cheiro bom e adocicado, não sabia distinguir qual cheiro era aquele, a única coisa que sabia que era gostoso de sentir.

O corpo dela era esbelto e curvilíneo, ele sabia que atraia olhares, porque os sentia em suas costas, mas, direcionados a mulher ao seu lado, se dissesse que não a encarou dos pés a cabeça, estaria mentindo, desde que entrou naquela pub, seus olhos não conseguiam desviar dela dançando, foi um magnetismo tão intenso que nem mesmo ele entendeu o que havia acontecido.

Por mais que quisesse olhá-la por um bom tempo, desviou o olhar, pois não seria nada legal ela pegá-lo lhe encarando.

— Olá! - A mesma voz soou em sua direção, fazendo-o olhá-la.

Viu ali os olhos mais verdes e intensos de toda a sua vida. Não soube se seu corpo havia esquentado por causa da bebida recém-ingerida ou por causa daquele olhar.

— Oi. - Respondeu sentindo seu sangue se agitar em suas veias. - Se divertindo?

— Não quanto eu queria. - A resposta dela havia sido categoria e com um quê a mais, que o atiçou.

— E porque não está se divertindo o quanto você queria? - Questionou virando seu corpo em direção a ela, que agora estava com o cotovelo apoiado na bancada o encarando. Ela era mais linda de perto do que imaginava.

— Me falta uma boa companhia. - Ela respondeu dando um singelo e sugestivo sorriso de canto.

— Pensei que estivesse acompanhada. - Declarou apontando para o rapaz que havia se aproximado dela antes.

— Ele não era uma boa companhia. - Ela deu os ombros, com deboche. - A propósito, Sakura.

Encarou a mão estendida e sentiu seu corpo formigar, ela era do tipo de mulher que fascinava qualquer homem e ele estava caindo em seu encanto, mas seria uma coisa tão ruim assim cair em seu encanto? Não sabia, mas estava louco para saber.

— Sasuke! - Agarrou sua mão e gostou quando ela deu um passo em sua direção enquanto sorria. - Então, que tipo de pessoa seria uma boa companhia para você, Sakura?

Estava curioso a respeito daquela mulher, queria saber o que ela considerava boa e ruim companhia, alias, não era só com isso que ele estava curioso.

— Talvez uma pessoa como você, Sasuke! - Sakura foi direta e ele sentiu seu corpo se agitar, mais uma vez, perto daquela mulher.

§-§

O gemido escapou pelos lábios de Sakura quando Sasuke apertou sua bunda e mordeu o canto de sua boca. Muita coisa tinha acontecido desde as poucas palavras trocadas no bar da pub, quando perceberam, a atração já era inegável, Sakura foi a primeira a ter atitude e lhe roubar um beijo, quando ela tentou se afastar depois de pegá-lo desprevenido, ele a puxou para outro beijo.

Até mesmo o beijo daquela mulher era enlouquecedor. Foi impossível para Sasuke segurar o gemido quando a mão de Sakura adentrou sua calça e sua cueca tocando-lhe o membro que já estava excitado, ele nem havia percebido quando eles saíram do balcão e se esconderam atrás do bar, onde ninguém poderia vê-los.

— Hum… Acho melhor sairmos daqui. – Sakura tinha a voz arrastada e levemente rouca enquanto acariciava seu membro, que agora latejava.

Não respondeu, apenas beijou-a novamente enquanto retirava a mão delicada, que ele havia percebido, de dentro de sua calça, precisava se controlar e tornar aquele momento menos visível para saírem dali.

Afastou-se muito a contragosto e viu naquele rosto angelical com olhar que fazia qualquer homem cometer uma loucura um sorriso satisfeito, ela estava brincando com ele e estava conseguindo.

Pegou na mão da mulher de olhos verdes e a puxou para saída, passaram por uma mesa e ela pegou seus pertences enquanto ele ficou afastado vendo-a conversar com uma loira e uma morena, que olharam em sua direção e sorriram animadas antes de Sakura retornar para seu lado sorrindo.

Pagou as duas comandas e saíram dali, de mãos dadas, diferentemente da pub, a rua estava fria, ele então retirou o paletó e colocou sobre os ombros desprotegidos de Sakura enquanto o táxi chegava, recebendo de volta um sorriso e um abraço da rosada pela cintura.

Era difícil controlar sua respiração e dar os comandos ao taxista enquanto Sakura o acariciava sobre a calça, já que assim que ela sentou-se no banco ao seu lado ela tirou o paletó e colocou sobre seus colos, apenas para torturá-lo.

Quando o taxista falou a palavra “chegamos”, Sasuke não pensou duas vezes antes de pagar a corrida e sair do veículo levando Sakura junto, para sua sorte, a guarita do porteiro estava sozinha, então foi para o elevador imediatamente, quando a caixa de aço se abriu, não pensou duas vezes antes de apertar o botão referente ao seu andar e prensar Sakura contra o fundo do elevador enquanto a beijava.

Ela estava deixando-o louco, sua mão apertou a bunda de Sakura com força, puxando-a para si, fazendo-a gemer sob seus lábios e puxar-lhe o cabelo. As coisas estavam saindo do controle, ou melhor, ele já não tinha mais controle nenhum desde que a viu naquela boate dançando e sorrindo.

Sua mão adentrou o vestido da mulher e a tocou sobre a peça intima, fazendo-a suspirar sob seus lábios enquanto suas mãos puxavam seu cabelo com mais força, como se pedisse para ele não parar a carícia. Bufou frustrado quando o barulho avisando que havia chegado ao seu andar apitou, porque ele estava prestes a de ajoelhar diante de Sakura só para chupá-la? Mas para sua felicidade, aquele era apenas o início de uma longa e prazerosa noite, para ele e para Sakura.

Se perder tempo, agarrou a mão da mulher que ofegava ainda encostada na parede do fundo do elevador e a levou até a sua porta, procurando as chaves de forma desesperada, mas não conseguia encontrá-las de forma alguma, devido a sua afoiteza.

— Algum problema? – Sakura o abraçou por trás e perguntou sussurrando em seu ouvido enquanto suas mãos passavam por seu peito, abdome e chegava a sua excitação que pulsou. Aquela mulher o deixaria louco.

Quando ele menos esperou, a mão de Sakura escapuliu para dentro de sua calça mais uma vez, segurando firmemente seu pênis enquanto sua mão subia e descia por toda a sua extensão, fazendo com que Sasuke apoiasse as mãos no batente da porta e suspirasse e mordesse o lábio inferior para não gemer, enquanto ela o masturbava e beijava sua nuca no meio do corredor.

— Merda! – Gemeu quando ela mordeu o lóbulo de sua orelha e aumentou o ritmo de sua mão, subindo e descendo mais rápido.

Não poderia gozar ali, precisava entrar em casa e comer aquela mulher de todas as maneiras possíveis.

§-§

Quando saiu aquela noite, estava disposta a se divertir da melhor maneira que ela conhecia, fazendo sexo com um cara que realmente atraísse sua atenção, colocou seu vestido vermelho tubinho que marcava todas as suas curvas e enchia, ainda mais, seus seios, um salto alto e uma maquiagem discreta, mas marcante.

Todos os homens aquela noite pareciam ser tão sem “atrativos”, bem, foi isso o que ela pensou até que seus olhos caírem sobre ele, lhe encarando hipnotizado enquanto dançava, tinha que confessar que o olhar que ele lhe lançava a fazia sentir sua calcinha a umedecer, ele tinha tirado todo a sua excitação em outros caras. Ela havia escolhido sua presa, e seria ele.

Vê-lo de perto fez com que sua intimidade latejasse, ele conseguia ser mais bonito do que ela esperava e seu olhar era mais carregado de luxuria do que ela imaginava, mordeu o canto dos lábios ao puxar conversa e ele responder com sua voz grossa e levemente rouca. Pelo jeito, sua noite seria melhor do que ela imaginava.

Foi a primeira a tomar atitude, não estava aguentando mais só observar aquela boca mexendo, precisava, ou melhor, necessitava saber que gosto tinha seu beijo, por isso se aproximou e beijo. E meu Deus! Que beijo. Sua língua era experiente e seus lábios exigentes, quando se afastou, estava impactada com tamanha conexão que havia sentido, mas quando ele a puxou e a beijou novamente, um arrepio percorreu todo o seu corpo.

Ela queria mais de Sasuke.

Um beijo não a contentava mais, ela queria mais, mais contato, mais ação. Ele fazia sua excitação se tornar gritante, por este motivo, não aguentou e o puxou para um lugar mais escondido, precisamente atrás do bar, ali ninguém os perturbariam, de forma travessa levou sua mão para dentro da calça social e o tocou intimamente, fazendo-o gemer sob seus lábios, fazendo-a sorrir ao constatar o que achara, ele era perfeitamente proporcional.

 — Hum… Acho melhor sairmos daqui. – Sua voz estava arrastada e rouca enquanto sua mão subia e descia no membro de Sasuke, fazendo-o suspirar excitado.

Antes de ir, precisava avisar as amigas que havia lhe acompanhado além de pegar suas coisas, enquanto Sasuke a puxava em direção à saída, ela se aproximou de seu ouviu e o puxou pelo braço, atraindo sua atenção, sentiu vontade de beijá-lo, mas sabia que se o fizesse, não avisaria nada a ninguém.

— Eu preciso avisar as minhas amigas que vou embora. – O jeito dele era incrivelmente gostoso, ou melhor, ele era inteiramente gostoso. Como tivera sorte aquela noite. – Me espera um segundo?

Quando ele concordou, deu-lhe um rápido beijo e correu até a mesa onde suas amigas, Ino e Hinata, conversavam acompanhadas de seus namorados e pegou sua bolsa sorrindo.

— Onde estava? – Ino perguntou levantando-se com Hinata.

— Me divertindo. – Riu pegando seu cartão de consumação entre os seios, que por sorte, não havia perdido.

— E quem é a vítima? – Hinata perguntou rindo, ela a conhecia tão bem.

De forma discreta apontou para Sasuke que estava mexendo no celular com uma mão no bolso da calça e lhe encarou rapidamente, fazendo-a mordeu o lábio, ele conseguia deixá-la molhada com apenas um olhar.

— Uau! – Ino falou boquiaberta, fazendo a sorrir mais abertamente, ela sabia que tinha bom gosto para homens, mas daquela vez ela havia superado as expectativas. – Divirta-se e me ligue assim que chegar em casa, pois quero saber todos os detalhes, até os mais sórdidos.

Tanto ela quanto Hinata riram das palavras da Yamanaka que sorria maliciosamente, abraçou as amigas e foi em direção a Sasuke, ele fez questão de pagar as comandas e foram embora. Claro que ela tinha que brincar com a sanidade do Uchiha, enquanto estavam no táxi, fez questão de colocar o paletó que havia sido colocado em seus ombros para lhe proteger do frio sobre seus colos, sua mão deslizou pela perna do moreno, que ela pode sentir ser bem “forte” e foi subindo, lentamente.

Sentiu que ele tencionou seu corpo quando ela o tocou intimamente sobre a calça, seus lábios se entreabriram e o suspiro excitado escapou por entre seus lábios enquanto sua mão apertava gentilmente seu volume. Ah, ela estava brincando com fogo e descobriu quando ele a jogou na parede do fundo do elevador e a beijou.

Quando a mão de Sasuke tocou-lhe a intimidade, foi impossível segurar o gemido de excitação, se antes sua calcinha estava molhada, agora ela estava encharcada. O toque de Sasuke era firme e delicado, fazendo suas pernas tremerem e ela ter que exigir mais um pouco de seus pulmões, mordeu o canto dos lábios esperando que ele caísse de boca, já que ele estava prestes a se ajoelhar a sua frente, mas o barulho do elevador avisando que havia chegado ao andar desejado atrapalhou todos os seus planos.

Se não estivesse tão excitada, teria rido das feições frustradas do Uchiha quando ele a puxou para a porta negra de seu apartamento, ele estava afoito e não conseguia achar a sua chave, então, ela precisava relaxá-lo. Posicionando-se atrás do moreno, suas mãos começaram desde seu peitoral firme, descendo por seu abdome definido até chegar ao seu alvo, onde rapidamente deixou sua mão deslizar para dentro da roupa.

Sasuke estava mais excitado do que antes, se é que poderia ser possível. Começou a masturbá-lo lentamente, para depois ir intensificando os movimentos, ele era gostoso e isso estava deixando-a louca de tesão, mais do que imaginava.

— Merda! – Sasuke gemeu e ela se sentiu incrível e aquilo pareceu dar um impulso a mais a ele, que rapidamente achou a chave da porta, abrindo-a de forma rápida, até porque, ela tinha certeza que ele não a comeria em pleno corredor.

Por mais que a ideia lhe agradasse muito.

§-§

Quando Sasuke abriu a porta, finalmente, não pensou duas vezes antes de tirar a mão de Sakura de sua calça e puxá-la para dentro. Sua excitação estava lhe incomodando muito e ele precisava se aliviar. Sakura sentiu suas costas baterem contra a porta recém-fechada e uma boca pressionar a sua em um beijo afoito enquanto as mãos masculinas levantavam seu vestido até sua cintura.

O beijo havia sido rápido, quando percebeu, Sasuke a virou, deixando-a de costas para ele, foi quando sentiu sua calcinha ser abaixada e suas nádegas serem abertas enquanto empinava a bunda e ele passava a língua por toda a extensão, indo até sua cavidade úmida. Foi impossível reprimir o longo e rouco gemido quando Sasuke empinou mais sua bunda e a lambeu, mais uma vez, enquanto um dedo a invadia.

— Oh, meu… Oh! – O gemido saiu alto, mais alto do que esperava quando Sasuke desferiu um tapa em sua nádega esquerda e introduziu lhe mais um dedo.

Sasuke ainda não tinha conseguido o que queria, e ele queria mais de Sakura, queria que ela gritasse seu nome, virou-a e colocou uma perna sua em seu ombro enquanto caia de boca em seu clitóris enquanto a voltava penetrar com dois dedos, fazendo-a segurar em seu cabelo e gemer roucamente.

Oh Deus! Sakura sentia as suas forças querendo abandonar seu corpo. Aquela era uma cena linda, em sua opinião, suas costas estavam apoiadas na porta, uma perna sua estava sobre o ombro de Sasuke que estava ajoelhado entre suas pernas lhe chupando e penetrando com os dedos, sua calcinha estava presa na outra perna apoiada no chão e seu vestido erguido até sua cintura.

Aquela era a melhor sensação que já experimentara, e olha que já tivera um razoável número de parceiros para saber apreciar o que era um bom sexo.

Ela era deliciosa, sentia seu corpo e sua perna tremer em seu ombro quando ele aumentou a intensidade em seus dedos e sugou, com um pouco de mais força, seu clitóris, fazendo-a a gemer mais alto e seus dedos serem apertados, não demorou para tirar seus dedos de dentro dela e levar a boca até sua cavidade, introduzindo a língua ali e sugando todo ou qualquer vestígio de seu gozo. Ela era mais do que deliciosa, ele não tinha palavras para descrever Sakura naquele momento.

Suas pernas estavam trêmulas e todo o seu corpo respondia com espasmos ao gozo recente, abriu os olhos lentamente e viu Sasuke ainda chupando-a, olhando diretamente para ela, fazendo seu coração acelerar e sua intimidade pulsar em ansiedade. Sasuke levantou-se e depositou os dois dedos que estavam dentro dela há poucos segundos em sua boca, fazendo-a experimentar seu próprio gosto antes de beijá-la.

As mãos se Sasuke seguraram a cintura de Sakura com força e foi subindo aos poucos, passando pelas costelas e indo para os seios, os apertando, enquanto sua língua invadia a boca da Haruno, sem pensar duas vezes, agarrou cara borda do vestido preso aos seios e o puxou, fazendo o vestido rasgar e abrir ali, afastou-se de Sakura e a encarou, ela estava ofegante e isso fazia seus seios, ainda cobertos por um sutiã sem alças e meia taça, subirem e descerem, fazendo-o morder o lábio, ela era maravilhosa.

— Você é incrivelmente deliciosa. – Sasuke sussurrou fazendo Sakura lhe encarar e ele pode ver seus olhos transbordando luxuria. – E eu vou te comer de todas as maneiras essa noite.

O sorriso de Sakura se abriu sendo seguida por um suspiro se excitação, ela agarrou sua gravata e o puxou de voltar para, beijando-o. Até mesmo os beijos haviam mudado os gostos, eram mais intensos, mas afoitos e mais gostosos. Sentiu seu corpo ser empurrado e sabia que quem fazia isso era a mulher deliciosa que devorava seus lábios em um beijo sôfrego.

Sakura o empurrou para trás até que ele batesse em algo e caísse sentado a sua frente. Lá estava ele, lhe encarando debaixo para cima, seu vestido, favorito, rasgado nos seios mostrando o sutiã e levantado até a cintura, deixando sua intimidade exposta aos olhos de Sasuke, que lhe encarava mordendo o lábio inferior.

— Gosta do que vê, querido? – Perguntou com a voz suave e doce, mas por dentro não tinha doçura alguma.

Agora era sua vez de usar e abusar de Sasuke. Levou as mãos até o feixe do vestido na lateral e deslizou o zíper fazendo o tecido folgar em seu corpo, de forma lenta e calma, tudo sob o olhar atento do moreno, deixou o vestido cair sob seus pés, tocou os próprios seios e os apertou enquanto soltava um gemido, fazendo Sasuke entreabrir os lábios e levar a mão ao membro que ainda estava escondido pelas roupas.

Lá estava ela, apenas de sutiã e salto alto na sua frente e ele não tinha palavras para descrever o quão deliciosa ela era. Sentiu todo o ar escapar de seus pulmões quando ela levou as mãos até as costas e soltou o sutiã, fazendo seus seios ficassem expostos. Eram medianos e firmes no lugar com o bico rosado, fazendo-o arfar de ansiedade de abocanhá-los.

— Então, você ainda não me respondeu Sasuke, gosta do que vê? – Sakura perguntou passando a mão por seus seios e descendo até a intimidade lentamente, se tocando enquanto gemia, ainda com os olhos cravados aos de Sasuke, que estava cada vez mais preso aquela sensualidade.

Sasuke estava ficando louco, Sakura estava conseguindo deixá-lo louco, precisava comê-la rápido, necessitava, mas quando tentou se levantar, a Haruno colocou o pé, ainda vestido pelo salto alto, e o empurrou de volta, fazendo-o ficar sentado no sofá, para sua tortura e se aproximou lentamente, colocando as mãos em suas coxas e ficando com o rosto na altura do seu, mordendo o lábio inferior.

— Não, não, não, querido… Agora é minha vez de brincar com você.

Não teve tempo de reação, a única coisa que sentiu foi os lábios de Sakura sobre os seus em um beijo afoito, mas mãos que antes estavam fazendo pressão em suas coxas sumiram e um outro peso tomou o seu lugar, suas mãos foram diretamente para a bunda da mulher de olhos verdes, que agora estava em seu colo, rebolando e fazendo seu membro latejar e exigir ser retirado daquela prisão, que era suas roupas.

Por mais que fosse delicioso beijá-lo, Sakura necessitava de mais e diferentemente dela, ele estava com roupas demais, mas antes, precisava matar sua vontade, sua fome. Saiu do colo de Sasuke e ajoelhou-se a sua frente, ainda olhando-o nos olhos, já que ele estava concentradíssimo em todos os seus movimentos, começou a desfivelar o cinto, abriu o botão e desceu o zíper de sua calça. Era impossível não perceber o volume que estava evidente sob a cueca boxe azul.

Mordeu o canto dos lábios e puxou todas as roupas, fazendo-o levantar um pouco para tirar por completo. Agora lá estava ele, sentado no sofá com o membro ereto a sua frente, com toda a sua glória, deixando-a com mais água na boca.

Foi impossível não jogar a cabeça para trás quando Sakura segurou seu membro entre os dedos e desceu e subiu por toda a extensão de forma lenta.

— Caralho! – Soltou quando sentiu a boca quente de Sakura sobre seu membro, o engolindo até onde ela conseguia, foi impossível não abrir os olhos para ver aquela cena.

Aquela era a cena mais bonita, além de ver a expressão de Sakura ao gozar, claro, que ele já tinha visto, Sakura o engolia com precisão, fazendo pressão na cabeça de seu membro e voltava a engolir, sua mão sempre acompanhando sua boca, fazendo-o o suspirar e gemer baixo ou alto, ele não fazia ideia, porque a boca de Sakura era deliciosa.

Ver Sasuke se contorcer era uma bela visão, em sua opinião, os lábios entreabertos e a cabeça jogava para trás era algo que deveria estar em uma galeria de artes. Ele era delicioso, estava adorando ter cada pedacinho dele dentro de sua boa para saboreá-lo. Sugou um pouco com mais força e o sentiu tremer entre seus lábios, sentiu vontade de rir, mas sua boca estava ocupada no momento.

Estava difícil de segurar, sabia que a qualquer momento ia chegar ao seu limite e Sakura parecia saber disso, pois sua mão desceu para seus testículos e rodou a língua sobre a cabeça de seu membro, fazendo-o suspirar, ate tinha vontade de agarrá-la pelo cabelo e fazê-la seguir seu ritmo, mas ela não precisava disso, ela sabia muito bem o que estava fazendo.

Puta que pariu! – Quase gritou quando sentiu Sakura engoli-lo novamente, foi impossível segurar e quando percebeu já se despejava dentro da boca da Haruno, que apenas ficou ali, imóvel.

Sua respiração estava ofegante e seu peito subia e descia rapidamente, ele tinha que ter segurado mais um pouco, mas foi uma missão bem difícil quando Sakura o engoliu com tanta vontade, encarou a mulher entre suas pernas e sentiu a sanidade dizer-lhe adeus. Ver e sentir Sasuke despejar-se, havia sido uma grande experiência, nunca tinha deixado uma pessoa fazer aquilo antes, mas tinha que retribuir o presente que ele lhe deu, retribuindo da mesma maneira, provando-o por completo.

Com um sorriso tornou e com o dedo do meio limpou o canto da boca enquanto sua língua limpava os lábios de qualquer vestígio do gozo de Sasuke, pegando-o desprevenido. Mordeu o canto do lábio e sentou-se em seu colo, sobre seu membro agora um pouco menos excitado do que antes, segurou seu rosto entre as mãos e o beijou.

Sakura era uma loucura de mulher, talvez nunca tivesse se envolvido com alguma assim, quando a língua da mesma invadiu sua boca e ele pode sentir seu próprio gosto, não se importou, passou os braços por entre a cintura da Haruno e a puxou mais para si, trocando os lugares, fazendo ela se deitar sobre o sofá.

Separou-se muito a contragosto de Sakura e começou a retirar a própria roupa, que tinha demais, já que o calor estava sufocando-o, de forma desajeitada afrouxou a gravata e a jogou em qualquer canto, assim como a camisa, que se abriu, arrancando alguns botões, enquanto puxou, o resto de sua roupa foi fácil. Assim que estava livre daquilo tudo, voltou a se deitar sobre a Haruno que o admirava dos pés a cabeça.

Sasuke era gostoso para caralho. Vê-lo tirar a roupa em sua frente só constatou o obvio, ele era um verdadeiro deus grego. Suspirou quando Sasuke passou a beijar e mordiscar seu pescoço, passando em seguida para seus seios, os apertando e os chupando, fazendo-a arquear as costas enquanto sua mão descia para sua intimidade e começava a tocá-la, fazendo-a soltar um longo suspiro de prazer. Ele tinha mãos divinas.

Gemeu alto quando Sasuke passou a língua pelo seu clitóris, que além de inchado, estava começando a ficar dolorido. Sugou e puxou com os dentes, de forma delicada o ponto sensível e viu Sakura se abrir mais para ele enquanto alisava e apertava os próprios seios com força, ela estava muito excitada, mas por mais que a quisesse comê-la naquele instante, ela tinha que está no ponto perfeito, coisa que não demorou muito a acontecer.

— Por mais que eu esteja adorando te ver se contorcendo assim… – Falou no ouvido da Haruno enquanto a masturbava com dois dedos. – Eu preciso muito te comer agora, Sakura.

Não teve tempo de resposta, no instante em que Sasuke falou isso, ele lhe penetrou, em um único movimento, fazendo a gemer alto e apertar os braços do Uchiha para tentar se manter lucida, o que estava sendo bem difícil.

— Puta que pariu, que delicia. – Sasuke gemeu começando a se mexer, saindo e entrando de forma lenta, talvez ele quisesse torturá-la. – Tão gostosa.

— Sasuke… – Gemeu roucamente jogando a cabeça para trás, fazendo Sasuke ir mais fundo. – Porra!

Sasuke lhe invadia sem pudor, seu olhar sempre presos aos verdes de Sakura, beijou-a aumentando a velocidade de seus movimentos, naquele momento a única coisa que passava por sua cabeça era como aquela mulher era gostosa e que ela lhe tirando a sanidade que restava.

— Mais rápido. – Sakura pediu sentindo Sasuke ir fundo, mas ela queria mais, queria muito mais do Uchiha, agarrou os cabelos dos Uchiha e o puxou para si novamente, beijando-o com intensidade.

Sorriu entre o beijo e abriu as pernas de Sakura mais um pouco, porém, o sofá diminuía consideravelmente seus movimentos, parou de forma abrupta, fazendo Sakura lhe olhar com raiva, deu um sorriso sacana e a puxou, fazendo-a ficar de joelhos sobre o sofá e depois a fez virar de costas para ele, apoiando os braços no encosto, ficando totalmente exposta a ele.

— Ah Sasuke! – O gemido de Sakura foi alto, até demais, quando ele em uma unica vez a invadiu após empinar bem sua bunda para ele.

Se seus vizinhos ouviriam? Ele não estava nem ai, a única coisa que ele ligava naquele momento estava a sua frente, o recebendo de bom grado e gemendo seu nome roucamente, enquanto ele entrava e saia rapidamente e de forma intensa.

Se alguém a perguntasse se ela sabia seu nome naquele momento ela não sabia responder, de tão perdida em prazer que estava, Sasuke entrava e saia de dentro dela com precisão, apoiou suas mãos no encosto do sofá e jogou a cabeça para trás tentando recuperar um pouco de ar, o que estava sendo bem difícil, o suor já estava começando a escorrer por seu corpo, fazendo seu cabelo grudar na nuca e no rosto.

Ver Sakura totalmente entregue era maravilhoso, subiu suas mãos desde as costas até chegar aos cabelos da mulher e os puxou, fazendo a gemer mais um pouco, mordeu e mordiscou seu ombro enquanto ela sorria de satisfação. Sabia que ela estava próxima de mais um orgasmo, mas aquela noite, ele estava empenhado em dar quantos orgasmos que ela quisesse.

Não conseguia acredita que estava indo para seu segundo orgasmo na mesma noite e com o mesmo cara, por mais que fosse difícil admitir, não era nenhum que conseguia fazê-la gozar, ainda mais duas vezes na mesma noite. Apertou o encosto do sofá com força quando Sasuke foi mais fundo e mordeu deu ombro quando ela o apertou.

— Sasuke! – O gemido foi longo e rouco assim que chegou ao seu limite.

Sentia seu corpo mole e sua respiração pesada, mas Sasuke continuava com os movimentos, mas agora mais calmos e lentos, como se soubesse que ela precisava recuperar o folego para não desmaiar. Sakura estava fraca em seus braços e isso era evidente, por isso, diminuiu o ritmo de suas estocadas e beijou seu ombro, fazendo-a soltar um riso cansado.

Saiu de dentro da Haruno e a segurou para que ela não caísse, apesar de querer muito terminar de comê-la, precisava que ela estivesse bem para isso e para apreciar cada momento, por este motivo, a pegou no colo, fazendo-a se assustar com seu movimento e a levou para o quarto e a deitou na cama.

— O que você está fazendo? – Sakura perguntou quando o Uchiha a colocou sobre a cama.

— Agora vamos fazer as coisas com mais calma. – Sasuke falou dando um sorriso e deitando sobre ela.

Teve vontade de rir, mas o beijo de Sasuke não deixou, apertando sua cintura, ele a penetrou, mas dessa vez, com calma, como se quisesse que aquele durasse uma eternidade, fazendo-a gemer sobre seus lábios. Os movimentos eram calmos, mesmo que intensos, os corpos suados faziam o calor aumentar entre os dois, Sakura enlaçou as pernas na cintura de Sasuke e arranhou suas costas, como um pedido que ele fosse mais rápido, sendo atendido prontamente.

Ele entrava e saia rapidamente, fazendo-a revirar os olhos e gemer seu nome, ela estava entorpecida pelo desejo e pelo prazer, estava tão perdida no mar de prazer que nem ao menos percebeu quando Sasuke a virou de lado, ficando as suas costas, entrando e saindo rapidamente enquanto apertava sua cintura e brincava com seu clitóris com os dedos.

Ela era deliciosa, seu cheio, apesar de todo o suor, era delicioso, estava impregnado em sua pele, fazendo-o querê-la mais, se é que isso era possível. Puxou o rosto de Sakura para sua direção e a beijou com vontade e intensidade, fazendo-a arquear seu corpo contra o seu, fazendo-o ir mais fundo dentro dela.

Sasuke voltou a ficar entre suas pernas quanto sentiu que ela já havia atingido mais um orgasmo, e por mais sonolenta que ela estivesse, ela queria mais, puxando os cabelos de Sasuke, ela o beijou profundamente, fazendo-o colar os corpos, enlaçou suas pernas na cintura do Uchiha e o puxou mais para si, queria senti-lo o mais fundo possível.

O suor escorria por seu corpo, seu cabelo, assim como o de Sakura, estavam grudados em sua testa, sua boca não desgrudava da de Sakura e sabia que seu orgasmo estava próximo, mordeu o lábio inferior de Sakura e deu uma longa estocada, sentindo finalmente, o gozo preencher a Haruno.

— Gostosa! – Gemeu quando despejou-se dentro da mulher que ofegava seu nome.

O suor estava por toda parte, sua testa estava colada a de Sasuke, que respirava fundo tentando recuperar o folego, ainda em cima dela, foi quando sorriu, Deus, quem diria que ela teria tantos orgasmos aquela noite?

Sasuke deitou-se ao seu lado e abriu os braços, deixando-o sobre a barriga de Sakura, que ofegava.

— Uau! – Sakura falou, sentindo o sono lhe atingir e um bocejo escapar por entre seus lábios.

Sasuke riu e pegou a coberta no chão e os cobriu.

— Adoraria te comer mais, mas para isso, você tem que descansar. – Lá estava ele lhe encarando com um sorriso.

— Eu só preciso de um pouco de água. – Sakura respondeu dando um sorriso, encarando o Uchiha.

Não precisou de um segundo pedido, ele levantou nu, com toda a sua glória exposta aos olhos de Sakura, que achou a bunda do Uchiha uma delicia, e saiu do quarto. Apesar de não querer demonstrar, seu corpo estava exausto, assim como o de Sakura, mas o seu desejo estava falando mais alto naquele momento e ele queria usar de abusar de Sakura até o último momento.

Assim que voltou para o quarto teve que sorrir, mas um sorriso aberto, Sakura dormia calma e serena, como se não o tivesse feito o sexo mais gostoso e prazeroso de sua vida há poucos minutos. Deitou-se e olhou para o teto, sentindo a Haruno lhe abraçar e resmungar seu nome. Por mais que quisesse ficar ali, admirando aquela mulher espetacular dormir, seu corpo exigia descanso, e ele concedeu.

§-§

Respirou fundo e resmungou, odiava ter que acordar cedo, ainda mais após sair. Tentou se mexer, mas algo fazia peso em sua cintura, abriu os olhos e deu uma olhada a sua frente, não reconhecia a mobília, foi quando rápidos flash vieram a sua mente, fazendo a morder o lábio inferior e sorrir. Sasuke.

O filho da mãe conseguia ser bonito até mesmo com o rosto amassado e os cabelos bagunçados, aquilo era maldade com os meros mortais, como ela. Aproximou-se e deu um rápido beijo no Uchiha, que manteve-se dormindo, virou um pouco o rosto e viu a hora no despertador ao lado da cama e se surpreendendo. Merda! Estava atrasada. Ino a mataria.

Levantou-se da cama lentamente e assim que colocou os pés no chão os viu sem o sapato, pois não se lembrava de quando eles haviam sido tirados, mas isso não importava, caminhou em silêncio até a sala onde as roupas estavam espalhadas e as recolheu, junto com as de Sasuke. Voltou para o quarto e se vestiu, foi quando viu que seu vestido estava rasgado. Teve vontade de gargalhar, mas, ao mesmo tempo, de socar Sasuke, porque aquele era seu vestido favorito, mas não o faria, já que a noite havia sido maravilhosa.

Entretanto, tinha que ir embora, mas não o poderia fazer com os seios de fora, foi quando seus olhos caíram nos cabides do closet com várias camisas sociais penduradas, caminhando lentamente foi até elas e escolheu uma branca com as inicias do mesmo bordado no bolso.

Olhou para Sasuke e sorriu, por mais que tivesse que ir, não queria, ainda mais sem conversar com o moreno, por isso, pegou um bloquinho de anotações ali e deixou um bilhete. Ficou em dúvida se deixava seu telefone ou não, preferiu não o fazer, deu um rápido beijo nos lábios do Uchiha e saiu, precisava correr, pois Ino a mataria.

§-§

Acordou sentindo seu corpo pesado, mas, ao mesmo tempo, revigorado, deitou de costas para a cama e passou as mãos no rosto tentando espantar o sono que ainda estava presente, foi só ai que foi apalpar a cama ao seu lado, não encontrando nada e nem ninguém ali, fazendo-o abrir os olhos e olhar. O local estava vazio, apoiou os cotovelos na cama e olhou em volta, sua roupa, da noite anterior ao pé da cama estavam dobradas. Sentou-se e viu um pedaço de papel pendurado no abajur ao seu lado, pegou e leu.

“Adoraria ter ficado para vê-lo acordar e te fazer ou receber um belo café da manhã, mas infelizmente já estava atrasada e precisei correr, mas, eu adorei te conhecer, não deixei meu telefone porque não sei se me ligaria, por isso, até qualquer dia, Sasuke!
Ps1: Roubei uma camisa sua, já que rasgou meu vestido favorito, isso me lembra de que você me deve um novo.
Ps2: Não usamos camisinha, mas não se preocupe, faço uso de anticoncepcional e DIU, não corre risco de ser papai.

Beijos e obrigada pela noite maravilhosa, delicia.

Sakura.”

Sentiu vontade de rir, não estava preocupado em ser pai, ainda mais de um filho com Sakura. Balançou a cabeça e foi para o banheiro, precisava de um bom banho.

§-§

Três meses depois…

O tempo havia passado rápido, nunca mais encontrou ou teve notícias de Sakura, até tentou ir a pub onde a conheceu, mas ninguém parecia conhecê-la ali, para sua frustração, tentou Facebook e Instagram, mas se tornava uma tarefa bem difícil quando não se tinha um sobrenome. Por mais que já tivesse se passado três meses de sua noite com Sakura, ele ainda não conseguia tirá-la da cabeça.

Respirou fundo e apertou o nó da gravata. Não acreditava que estava se arrumando para o noivado de Suigetsu e Karin, colegas de faculdade. Será que também não estava na hora dele encontrar uma pessoa e sossegar? Olhou no espelho e gostou do que viu, pegou o celular e saiu de casa.

O salão de festa estava enfeitado de flores por todos os lados, os garçons andavam entre as pessoas servindo canapés e bebidas, em sua mão um copo com gelo e uísque dançava, suspirou e colocou a mão no bolso para não olhar a hora pela quinquagésima vez. Não que quisesse embora, mas sentia que algo aconteceria aquele dia.

— Finalmente te achei cara! – Suigetsu apareceu com aquele maldito sorriso convencido desde que noivara com Karin. – Quero te apresentar uma pessoa.

Revirou os olhos e suspirou dando um longo gole e acabando com sua bebida vendo o amigo se afastar. Desde que Karin começou a namorar Suigetsu, ela cismou que tinha que arrumar uma namorada para ele, apresentando ele às várias amigas dela, algumas ele acabou saindo, mas outras, não.

— Sasuke, essa é a Sakura, amiga da Karin! – Aquele nome atraiu sua atenção, então ele se virou para o amigo a suas costas e surpreendeu com o que os seus olhos viram. Alias, ele não era o único surpreso ali.

Sakura estava parada bem diante dele, lhe encarando com os olhos verdes arregalados e a boca levemente aberta, como se também não acreditasse no que seus olhos viam. Seus olhos negros analisaram a Haruno dos pés a cabeça apenas para constatar o obvio, ela continuava maravilhosamente deliciosa.

— Quanto tempo, Sakura. – Foi impossível não deixar um sorriso mais aberto escapar ao ver que a Haruno sorria e tinha o rosto levemente corado.

— Digo o mesmo, Sasuke. – A voz dela era aveludada, fazendo-o se arrepiar ao ouvir. – E se eu me lembro de bem, você está me devendo um vestido e um belo café da manha.

Desde o dia que Sakura havia ido embora do apartamento de Sasuke, ela não conseguia tirá-lo da cabeça, e não havia sido só por causa do sexo incrível, mas agora vendo-o ali, na sua frente, sabia que era muito mais do que o sexo.

Riu, abertamente junto com Sakura que sorria, enquanto Suigetsu os olhavam sem entender nada.

— Vocês se conhecem? – Suigetsu perguntou confuso.

— Acho que você tem algo que me pertence. – Sasuke falou se aproximando da Haruno, puxando-a pela cintura, ignorando totalmente Suigetsu ao seu lado. – E eu não estou falando da minha camisa.

Sakura havia sido mais do que um sexo casual, e ela sabia disso só pela maneira que sorria de volta. Ela havia mudado algo em sua vida, assim como ele havia mudado algo na dela.

É, talvez aquela noite tivesse lhe proporcionado mais do que uma noite de prazer, porque agora que ele a encontrou, ele não a soltaria mais.

 

12 ноября 2018 г. 15:40:12 0 Отчет Добавить 0
Конец

Об авторе

Sakuu-chan Oficial Aspirante a escritora

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~