ludwitch lud fernandes

Vanessa sofreu um acidente e perdeu a memória, agora, o único resquício de seu passado que permanece consigo são seus estranhos sonhos em um bosque com um homem de capuz. Quem é esse homem? Onde fica esse bosque? Por que ela não consegue se lembrar de nada? Só havia uma certeza em sua vida: podia contar com a ajuda de Gabrielle para desvendar esses mistérios. Ou pelo menos ela achava que podia, até chegar em casa e ter uma surpresa terrível. Desesperada por respostas, Vanessa fará de tudo para descobrir o que seus sonhos significam.


#1 in Триллер Всех возростов.

#mistério #assassinato #sonhos #conto #segredo
54
13.3k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

parte 1

Vanessa acordou sobressaltada, já era a terceira vez que tinha o mesmo sonho naquela semana.

No primeiro sonho, ela viu um homem pálido e magro caminhando dentre as sombras das árvores, não era possível enxergá-lo direito devido à neve que cobria o chão e as árvores, e era da mesma cor de sua pele.

No dia seguinte, ela teve o mesmo sonho, mas, dessa vez, ela pôde ver o homem vindo em sua direção e passando por ela como se não a visse. Ele usava um capuz preto, então era muito difícil ver seu rosto. O homem misterioso continuou andando reto até entrar em uma caverna escura e desaparecer.

E agora, no último sonho, o homem notou a sua presença, veio caminhando até ela e a encarava, parecia tentar lhe dizer algo, porém não conseguia, apenas movia os lábios sem emitir nenhum som. Mesmo estando cara a cara com ela, era quase impossível ver seu rosto, o capuz cobria-o quase todo. A única coisa que Vanessa conseguiu ver foi uma cicatriz no queixo do homem, uma cicatriz que ela com certeza já havia visto, contudo, não conseguia se lembrar aonde.

Ainda processando o sonho que acabara de ter, Vanessa se levantou e desbloqueou seu celular e percebeu que havia se esquecido de programar o despertador na noite anterior. Já eram 9 horas, estava muito atrasada para o trabalho.

Ela correu para tomar um banho rápido e um café, tentando fazer o mínimo de barulho possível para não incomodar Gabrielle, sua colega de quarto que a acolheu até que as coisas voltassem ao normal…

Na pressa de sair, Vanessa acabou esbarrando em um copo, que caiu no chão e se quebrou. Um pequeno caco de vidro caiu em seu pé, fazendo um corte que, apesar de pequeno, ardia e sangrava muito. Ela correu para o banheiro e fez um curativo.

Seu pé ainda doía ao andar, mas ela estava muito atrasada e precisava correr, então pegou a chave de seu carro e saiu, torcendo para que o barulho do copo se quebrando não tenha acordado sua amiga.

Na noite anterior, Gabrielle estava de plantão, ela era médica e ficou trabalhando por 12 horas seguidas, só saiu do hospital às 5 da manhã. Quase sempre era assim, Gabrielle mal tinha tempo para descansar entre um turno e outro e vivia fazendo plantão, pois elas moravam em uma cidade pequena, e o hospital local só tinha 2 médicos. Por isso Vanessa evitava ao máximo fazer barulho quando Gabrielle estava dormindo, não queria atrapalhar seu único momento de descanso.

Vanessa finalmente chegou no trabalho, e como sempre, seu dia foi completamente entediante, 8 horas olhando para a tela de um computador preenchendo planilhas e fazendo relatórios. As horas passavam se arrastando até finalmente chegar a hora de ir para casa.

Antes de sair do trabalho, ela foi ao banheiro ver como estava seu machucado. Já havia parado de sangrar e quase não estava ardendo mais, ela conseguia andar normalmente.

Hoje é a noite de folga da Gabi, será que ela quer aproveitar e sair para comer fora? Ou talvez ver um filme? Vanessa pensava enquanto dirigia de volta para casa.

Porém, ao chegar em casa, ela percebeu que havia algo de errado. A porta estava aberta, e a Gabi nunca deixaria a porta aberta, ela sabe que o bairro é perigoso e morre de medo de ser assaltada. Ao chegar mais perto, Vanessa percebeu que a porta fora arrombada, pois a madeira ao redor da porta estava quebrada.

Ela foi se aproximando com cuidado, pensando que seja lá quem tivesse arrombado a porta, poderia estar lá dentro ainda. Ao olhar pela janela, viu que tudo estava revirado, como se alguém estivesse procurando por algo.

Vanessa deu a volta na casa lentamente, e olhou pela janela da amiga, para conferir se ela estava em casa. Ela não estava preparada para aquilo, aquela visão lhe causou um frio na espinha, Gabrielle estava no chão com o pescoço cortado, morta.

Ao ver Gabi estirada no chão, Vanessa entrou em pânico. Começou a chorar, com os olhos encharcados e as mãos trêmulas, ela pegou o celular para ligar para a polícia, mas era muito difícil ver os números, após algumas tentativas, ela conseguiu ligar e explicar, entre soluços, o que havia acontecido.

17 февраля 2024 г. 17:37 2 Отчет Добавить Подписаться
19
Прочтите следующую главу 2

Прокомментируйте

Отправить!
Cleiton Souza Cleiton Souza
História bem elaborada, parabéns!
Mra Bates Mra Bates
Suspense legal
~

Вы наслаждаетесь чтением?

У вас все ещё остались 6 главы в этой истории.
Чтобы продолжить, пожалуйста, зарегистрируйтесь или войдите. Бесплатно!

Войти через Facebook Войти через Twitter

или используйте обычную регистрационную форму