neodracht Thiago Silva

Ano após ano, um encontro reune os lideres mais influentes de cada povo consciente do nosso universo com a intenção de evoluirmos tecnologicamente e intelectualmente. Em um futuro não muito distante, a terra receberia mais um desses encontros. Todos comentavam sobre um pronunciamento que viria do governante do oitavo planeta, netuno. Todos sabiam que seu planeta estava lentamente morrendo devido a acontecimentos recentes. Após seu pronunciamento, O Kaiser Netuniano decide tomar uma medida drastica e com isso, inicia uma guerra contra todos os planetas que se negaram a ajuda-lo. Apesar de saber da dificuldade de enfrentar sete planetas de frente, O Kaiser não irá se intimidar e irá fazer de tudo para salvar seu povo de uma iminente extinção.


Найучная фантастика Космическая опера 18+.

#Universo
1
2.6k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Escuro

Para muitos neste planeta, os seres que vivem aqui eram os únicos que possuíam vida em todo o universo. Os humanos com sua visão presunçosa, sempre procuraram maneiras diversas para explicar acontecimentos nos quais sua real resposta poderia ser facilmente explicada com um pouco de raciocínio mais aberto e uma visão menos ignorante para com tudo a sua volta.

No passar do tempo, os humanos receberam provas que…tudo bem, tinham o direito de não acreditar.Em alguns momentos, suas explicações faziam muito sentido. Todos aqueles que não acreditavam na possibilidade haver vida nos planetas a nossa volta, ficaram boquiabertos quando recebemos a prova física e visual das suas respectivas presenças. Após todos perceberem que não são nem mesmo os seres mais inteligentes do universo, nós,os humanos, fomos facilmente persuadidos por outras raças a aderirmos a uma ideia na qual faria com que nós evoluissemos em uma escala inimaginável a alguns anos atrás.

Depois de anos envolvidos em conflitos, tanto físicos quanto politicos, finalmente surgiu um homem cujas ideias se alinharam quase que perfeitamente junto as ideias que nossos visitantes haviam nos indicado. Este homem é o meu pai, atualmente ele é o líder maximo da nação mais avançada no nosso planeta. Quando o ultimo presidente deixou o comando, meu pai foi eleito para seu cargo por um detalhe técnico. As pessoas desse pais quase escolheram um homem que, pouco tempo antes, foi acusado de estupro por uma jovem de quinze anos. As pesquisas diziam que setenta porcento dos cidadãos iriam votar neste doente. Quando a verdade veio a tona, todas as suas fantasiosas promessas de campanha foram imediatamente esquecidas. Todos viram seu real caráter e, mesmo com meu pai se tornando o unico candidato, o povo reconheceu que suas promessas de campanha eram realistas e essenciais para uma evolução, não extraordinária, mas dentro daquilo que é possivel para os humanos realizarem sozinhos.

Lembro muito bem do dia que foi anunciado oficialmente a data do primeiro encontro formal entre o novo presidente deste país e os governantes de outros planetas. Meu pai estava tão nervoso que nem conseguia colocar a gravata, tive que salva-lo duas vezes do suicídio acidental por sufocamento. Lembro de ve-lo tremer ao ver aqueles seres se materializavam na nossa frente. Diferente do que as teorias diziam, os seres de outra especie não vinham em gigantescas naves capazes de viajar a velocidade da luz. Na verdade, as primeiras especies a fazer contato com seres de outros mundos, criaram um mecanismo de teletransporte incrivelmente eficiente…e doloroso, tive a infelicidade de usar esse mecanismo. Foi como se eu sentisse meu corpo sendo desintegrado em um ponto e recriado em outro. Penso assim porque tive algumas reações peculiares, como amnésia momentânea.




Eu estava no meu quarto repleto de pôsteres de filmes de super heróis, eles literalmente cobriam por inteiro aquelas paredes brancas. Olho para o relógio simples em meu pulso e percebo que ainda falta quatro horas para o momento mais esperado do ano. Todo o mundo gostaria de fazer parte daquele momento, afinal, quem não gostaria de conversar com seres de outros mundos que muitas vezes te olham como um chimpanzé retardado. As pessoas não imaginam o quão animado e exitado eu ficarei nessa reunião.

No centro de meu quarto, minha cama com lençois brancos estava posicionada estrategicamente. Em minha cabeça, caso alguém invadisse e quebrasse alguma das paredes do meu quarto, eu estaria longe o suficiente para fugir e não sofreria danos de possíveis escombros.

A Unica coisa "de rico" que eu já havia pedido para o meu pai, foi que o chão do meu quarto precisava ser uma grande tela que simulasse o espaço. Na minha opinião, a coisa mais bela que existe não foi criada por humanos…as estrelas são aquilo de mais belo que nós podemos encontrar.Mesmo assim, os humanos conseguem apagar seu brilho. Cidades grandes sempre me tiraram do serio.

Olho novamente para o relógio, estou muito impaciente, estou sem nada para fazer a quase uma hora. Meu irmão mais velho disse que estaria aqui a meia hora atrás…talvez esteja com a Nanci, sua namorada…ou talvez esteja com a Sue, também sua namorada.

Minha porta começa a se abrir lentamente, um senhor de setenta anos entra em meu quarto com seu terno recém trazido da lavanderia. É impressionante a velocidade em que as roupas são limpas e secas…mais impressionante que isso é lembrar que levaram quase dez anos para conseguirem criar uma máquina que limpe suas roupas mais rapidamente, como nós ultilizamos bem o nosso pouco tempo.

-Sr.Caine?. Disse o mordomo com sua voz fraca.

-Sim?. Respondo de forma cordial.

-O Sr.Seu pai pediu para que eu lhe trouxesse esse presente que foi dado por aquele que virá representando Netuno. Respondeu ele.

Eu olho para suas mãos e percebo que está segurando uma pequena caixa que possuia uma cor semelhante a um carvão. Ele se aproxima e me entrega aquela pequena, porém, pesada caixa.

-Obrigado. E…não precisa me chamar de Sr.

-Devo respeitar a sua familia da mesma forma que os Srs. me tratam. Disse ele com um ligeiro sorriso. Com licença Sr. preciso completar minha lista de afazeres o quanto antes.

Ele conclui suas palavras e caminha a passos lentos em direção a minha porta. Segundos após sua saída, minha porta é escancarada com um chute e uma sonora de exitação vinda de meu irmão.

-Qual é, maninhoooo!!!!. Disse ele com sua voz completamente desafinada.

-Com qual das duas você estava transando?. Falei ainda analisando aquela caixa.

-Ei, você também recebeu um. Se liga. Disse ele com sua voz se aproximando de mim.

Ele se senta nos pés da minha cama. Ele usa uma calça jeans rasgada nos joelhos; uma camisa preta com uma estampa que mostrava uma mulher loira usando um biquini vermelho; e por fim, usava um penteado que destacava bem seu pequeno topete negro.

-Aqui, rapaz. Olha direitinho. Disse ele ao insistir para que eu olhasse sua mão estendida a minha frente.

Vejo um anel com corpo prateado e uma pedra negra refletindo as luzes no teto do meu quarto. Aquela pedra se assemelhava a um diamante negro…Parecia possuir o mesmo brilho de um diamante.

-É, eu recebi uma caixinha dessas e dentro estava essa beldade…eu diria que é mais bonito que a minha namorada 2. Disse ele ao fitar novamente aquele belo anel.

Fecho minha mão em volta daquela caixa e ela começa a vibrar. Ela então se despedaça em inúmeros pedaços, se torna uma especie de areia negra que parece sujar minha cama…mas, não, segundos depois, aquela areia simplesmente desaparece. Vejo um anel semelhante em cima de minha cama, rapidamente o pego e o admiro.

-Cara, isso é lindo. Falo em estado de êxtase.

-Não é. Olha, eu vou nessa, preciso ver umas coisas antes do encontro.

-Belê, só não inventa de dar camisinha usada para os visitantes. A ultima vez que você teve contato com um, você disse que era um quitute da terra.

-Foi engraçado…e olha, vê se não é pego se masturbando que nem foi no natal passado. Tchau, mãozinha nervosa. Concluiu ele ao sorrir e se dirigir a porta do meu quarto.




Horas haviam se passado e eu estava em uma pequena sala escura com a mão de meu pai repousando sob meu ombro. Eu olhava para as cortinas tremulando a minha frente e percebia inúmeras silhuetas diferentes andando para lá e para cá.

-Estão prontos?. Disse a voz de meu pai.

Minha mãe é a primeira a responder, ela confirma e olha em volta para garantir que eu e meu irmão estivéssemos presentes. Apesar daquela escuridão, era possivel ver seu vestido vermelho com pontos brilhante e um pequeno decote ,que por sua vez era escondido por seus cabelos negros que se estendiam um pouco abaixo de seu busto. Meu irmão confirma em seguida, agora usava um decente terno sem gravata. Eu confirmo por ultimo e meu pai retoma a palavra.

-Bom,vocês sempre se comportam bem na vez que tivemos esse tipo de situação,mas eu gostaria de lembrar que eles podem agir de forma…diferente. O tradutor de lingua que eles usam ainda é algo caro e muitos não poderão responder.Vocês sabem, caso não saibam responder, eles irão acenar com a cabeça para o lado direito. Todos possuem formas que misturam a sua forma natural com uma forma humanoide. Não estranhem se alguém possuir um rabo vermelho, ou chifres azuis…alguns podem até ter um corpo de serpente. Disse meu pai.

-Que nem a medusa. Disse meu irmão ao fundo da sala.

Nós passamos por aquela cortina de seda e instantaneamente sinto um frio em meu estômago. Haviam menos pessoas do que eu esperava, mas suas caracteristicas físicas eram intimidadoras e ao mesmo tempo…

-Belas. Completou uma voz fraca ao meu lado.

Lentamente viro meus olhos para o lado e vejo o mordomo com uma bandeja prateada e vazia em suas mãos enrugadas. Meus pais já estavam bem distantes de mim.

-Desculpa, você disse…?. Perguntei confuso.

-As diferentes especies que se encontram nesse local. São muito belas, não?. Respondeu ele com um olhar que parecia estar vendo um pôr do sol. Diga-me, como o Sr. os vê?. Concluiu ele.

Eles estavam espalhados.Quatro conversavam com meu pai, Dois conversavam entre si enquanto viam meu irmão fazendo mágicas de forma que o segredo ficava evidente para qualquer um…havia um separado de todos. Seus braços estavam cruzados para trás e seus olhos pareciam fixos em mim.

-Eu vejo uma mistura de humano, que possui escamas negras ao inves de pele…Quando pisca, consigo perceber uma membrana semelhante a uma serpente venenosa. Ele usa uma especie de tunica negra com detalhes em azul escuro…

-Muito interessante. Ele foi a responsável por lhe enviar esse belo anel em seu dedo. Sabe me dizer qual planeta ele governa?. Disse o mordomo fascinado.

-Meu pai me falou sobre ele. Considerando a forma que contamos o tempo, podemos dizer que ele está no poder a quase cem anos. É o governante mais antigo dentre todos os oito planetas. Ele é o cara que,há alguns anos, precisou usar noventa por cento de todos os recursos de seu planeta para impedir que seu povo fosse extinto por um meteoro semelhante ao que dizimou os dinossauros. Desde então, seu planeta está definhando aos poucos. Dizem que ele pretende fazer uma espécie de proposta hoje. Essa proposta poderia ajuda-lo a reerguer seu povo e lentamente iria faze-lo crescer novamente.

-Ele já tentou convencer os outros governantes uma vez, por que ninguém aceitou ajudar?.

-Por que os recursos que ele precisa são vitais para todos…em relação a nós, ele precisaria de boa parte do nosso oxigênio. Nosso oxigênio substituiria um composto de seu planeta que eu soube estar abaixo de dez por cento.

Sinto o olhar do mordomo fixar em mim e me transferir um ar de fascínio da parte dele.

-Você ainda anda "pegando emprestado" os arquivos confidenciais de seu pai Sr.?.

-Olha, essa informação é confidencial e eu só te disse oque você já sabe. A propósito, você é uma incognita para mim. A sua ficha diz que você trabalha a favor dessa casa presidencial a anos e nunca pediu ou aceitou ter férias. No seu arquivo, diz que você nunca faltou um dia no trabalho…mas teve um dia que eu fiz uma pesquisa muito cuidadosa e achei uma foto sua em uma feira em outro continente, não tenho dúvidas que era você…não são muitas as pessoas que possuem o mesmo carro dos anos oitenta com a mesma cor e até as mesmas falhas na pintura. Eu chequei novamente os seus dias de trabalho e consta que você estava trabalhando nesse dia. Talvez você possa me contar como você pôde estar em dois lugares ao mesmo tempo.

-O Sr. é muito esperto, mas isso é confidencial.

Nós deixamos escapar um rapido sorriso enquanto meu pai se postava atrás de uma pequena bancada de madeira a frente de todos. Meu pai começa seu discurso, mas eu nunca tive o menor saco para isso.

-Tome, use isso. Vai te fazer ver melhor a situação. Disse o mordomo ao esticar sua mão para mim.

Olho rapidamente aquela caixinha preta em suas mãos, mas não consigo tirar meu foco daquela tatuagem que se mostrava embaixo de sua manga.

-Bela tattoo. O que é isso?. Respondi ao pegar a caixinha de sua mão.

-Essas são lentes que te farão ter a mesma visão dos nossos colegas mais avançados aqui. Disse ele ao se referir aos visitantes.

Vejo de relance o mordomo abotoar direito seu terno para esconder sua tatuagem. Abro a caixa e coloco aquelas frescas lentes em meus olhos.

Tudo toma uma coloração unica que unia vermelho, cinza, azul escuro e branco. Vejo um ser meio humanoide e meio ser aquático apertar a mão de meu pai, tomar seu lugar e iniciar um novo discurso. Olho em volta e meus olhos novamente param nele.Sua aparência não havia se modificado, mas agora possuia duas laminas vermelhas saindo de ambos os seus cotovelos. Seu corpo parecia ter uma aura que queimava instantaneamente o solo a cada passo que ele dava.

-Como conseguiu essas lentes?. Perguntei ao mordomo. Não recebo uma resposta, então olho para o lado e vejo o mordomo cumprimentando uma mulher visitante. Seu vestido era verde com pedras semelhantes em diamante que formavam um colar em seu decote. Sua pele era incolor, quase que transparente. Sua cabeça possuia uma forma cilíndrica com duas antenas nas laterais…antenas essas que eram na verdade olhos.

Ao olhar rapidamente para os lados, vejo meu irmão tentando tirar a atenção de uma mulher cuja cabeça parecia ser apenas um olho flutuando em cima de um corpo transparente, mas humanoide. Minha mãe conversava com um homem que não parecia ter olhos, seu cranio parecia ser semelhante a um elmo de gladiador. Seu corpo era totalmente escuro, não possuia qualquer ponto de luz. Ele era muito diferente do homem que estava a seu lado. Seu corpo era totalmente branco e não possuia uma cabeça para descrever.

-Ei, volta aqui, imediatamente. Falei para o mordomo que se aproximava.

-Sim, Sr.?.

-Por que meu pai trouxe a familia e os outros não?.

-Em Quantos encontros o Sr. esteve presente?.

-Uma, o meu pai estava tomando a posse e todos vieram cumprimenta-lo rapidamente.

-Os equipamentos que usam para se adaptarem a um novo planeta são muito trabalhosos e caros. Mesmo com o estado avançado deles, essa tecnologia requer diferentes compostos que são incrivelmente difíceis de se encontrar.

-Cara, estamos prestes a bater Dois mil e trezentos anos e a nossa tecnologia ainda está dez passos atrás dos outros.

-Sem esses encontros, a nossa tecnologia não valeria de mais nada. Concluiu o mordomo e novamente se afastou.

O Tempo havia passado e finalmente era a hora em que o governante de Netuno teria a palavra.

-Primeiramente, gostaria de agradecer ao governante que foi nosso anfitrião nesta noite. Dizia ele com sua voz fria e grave.

Sua boca não se mexia. Assim como os outros que discursaram hoje, ele usava de um aparelho que pegava seus pensamentos, os traduzia e o externava.

-Esse encontro não é apenas para trocarmos conhecimento, mas também consiste na ideia de que podemos evoluir juntos e oferecermos uma vida digna aos nossos povos. Como sabem, meu planeta esta definhando aos poucos. Há algum tempo, precisei tomar uma decisão difícil para nossa sobrevivencia. Não foi justo conosco, mas era o unico jeito para sobrevivermos. Venho em frente a vocês e peço que me ajudem a reerguer meu povo. Disse ele.

-Oque está sendo pedido não pode ser feito. Aquilo que você precisa vai tirar a vida de muitos daqueles que compõe os nossos povos. Eu entendo a sua situação, mas se nós unirmos nossas mentes,talvez possamos achar uma outra forma.Disse meu pai com um tom de compreensão.

-Todas as mentes do meu planeta fizeram inúmeros cálculos, viram todas as possibilidades e não há outro jeito. Aquilo que vocês irão nos fornecer irá lentamente ser reposto pelos seus próprios sistemas. Todos nós iremos perecer caso não tenhamos ajuda. Pensem em todos os seres que irão morrer em meu planeta, pensem naquelas crianças.

-Eu compreendo, mas você precisa entender que nós iremos perder as nossas crianças se fizermos isso. Eu lhe dou a minha palavra que irei ajudar você, mas não podemos fazer oque é pedido.

-Eu previ que suas respostas seriam essas, mas eu precisava tentar conversar. Prometi ao meu filho que não deixaria ele morrer daquele jeito.

Rapidamente desvio meu olhar e vejo algo brilhante perto daquela bancada. Eu me aproximo e me abaixo. Eu passo minha mão e tiro um pouco de grama. Parecia ser uma especie de linha em volta da bancada.

O Anel em meu dedo começa a esquentar e repentinamente é ejetado da minha mão. O mesmo ocorre com todos que estavam ali, todos haviam recebido anéis, exceto o mordomo. Os anéis unem seus diamantes negros e formam uma especie de esfera negra opaca.

A Esfera aumentava a cada segundo…até que se torna algo de um tamanho imensurável e assustadora. Os visitantes começam a ser despedaçados e seus pedaços sugados por aquilo que se mostrava ser um buraco negro nascendo. Eu via a terra rachando e sendo sugada para aquela esfera. Olho para minha familia, eu vejo suas peles sendo rasgadas com seus músculos e orgãos sendo expostos. Seus corpos se esticam para cima e em menos de um segundo se tornam inúmeros pedaços…eles são sugados pelo buraco negro. Meu corpo esta imóvel, olho lentamente para trás. Vejo esse governante Netuniano com seu braço esticado para frente, parecia segurar um dispositivo em forma de cubo que sugava o oxigênio de nosso planeta…percebo isso quando começo a ofegar. Ele se abaixa,finca a lamina de seu cotovelo direito no meu peito e me levanta. Sinto o sangue escorrendo pela minha boca e pelo meu peito…Com violência, sou jogado para fora daquela area protegida.Assim como a terra, eu estava na iminência de ser completamente destruído…e então,tudo se torna escuro.



4 мая 2022 г. 10:12 0 Отчет Добавить Подписаться
0
Прочтите следующую главу Silhuetas De Um Exército

Прокомментируйте

Отправить!
Нет комментариев. Будьте первым!
~

Вы наслаждаетесь чтением?

У вас все ещё остались 19 главы в этой истории.
Чтобы продолжить, пожалуйста, зарегистрируйтесь или войдите. Бесплатно!

Войти через Facebook Войти через Twitter

или используйте обычную регистрационную форму