a12hopelover__ Vanessa

Min Yoongi saiu de casa aos 17 anos e se mudou para Seul, para lutar por seu sonho de se tornar um rapper. Só que a vida não é tão gentil, Yoongi recebeu vários "nãos", porque não há espaço para gays no rap. Apesar de todo preconceito envolvido, Yoongi não pretende abrir mão de seus sonhos e vai lutar por eles. Em uma manhã nublada, conheceu um jovem bailarino, que lhe chamou atenção, pois mesmo depois que a chuva começara a cair, ele não parou de dançar, mesmo que seu público quase todo tenha se dispersado pela chuva, ele continuou a dançar com um largo sorriso no rosto. Jung Hoseok está bem longe de casa e de sua família que ainda vive em Daegu. Foi para Seul estudar engenharia eletrônica, mas visto que não combinava com seu perfil, trocou por veterinária. É apaixonado por dança, se ele tivesse que escolher entre veterinária e dança, não precisaria sequer pensar para saber onde seria mais feliz. Sem nenhum parente na cidade e nenhum trabalho, acabou aceitando viver em um relacionamento onde está claro que não há respeito por parte de seu parceiro. O que será que o destino reserva para esses dois jovens sonhadores? Será que esse encontro mudará a perspectiva de vida de ambos? { Disponível também no Spirit e no Watpadd. } +18 Não aceito adaptação dessa obra.


Фанфик Группы / Singers 18+.

#BTS #Yoonseok #Sope #BangtanBoys # #Sobe #SugaHope #HopeSuga #SeokYoon #fickpop
3
1.9k ПРОСМОТРОВ
В процессе - Новая глава Every week
reading time
AA Поделиться

1. 하나

● Min Yoongi ●


Eu estava atrasado, acordei cedo para me atrasar com calma.

Tinha uma audição às 09h hoje, acordei às 06h30, mal pude dormir com tamanha ansiedade. Tomei um banho demorado para tentar aliviar a tensão que sentia, não é a primeira vez que vou à uma audição em uma empresa, mas é sempre tão assustador quanto a primeira vez.

Vesti uma camiseta larga branca, uma calça jeans clara com rasgos nos joelhos, um All Star preto, coloquei uma jaqueta jeans e fui correndo para o ponto de ônibus. Não demorou até que o ônibus para o centro passasse, mas na metade do caminho, o ônibus começou a morrer, aos poucos, até parar totalmente.

- O que houve? - perguntei ao motorista.

- Não sei rapaz. Ele perdeu a força e já não liga. - respondeu.

- Tenta de novo! Senhor, eu vou me atrasar! - falei tristonho.

Ele tentou, tentou e tentou, sem sucesso.

- Me desculpe, rapaz. Por que não pede um táxi? - propôs.

- Eu não tenho dinheiro. - sorri sem jeito - vou à pé, boa sorte com seu ônibus! - fiz sinal de positivo para ele.

- Boa sorte, com seja lá o que for fazer, meu jovem! - respondeu de volta, sorrindo.

Vendo que faltavam 30 minutos para às 09h e eu ainda estava deveras longe, apertei o passo, rezando para que os segundos parassem de passar. Sei que não vai acontecer, mas e se por um milagre acontecesse?

Logo notei que meu milagre não chegaria, então eu corri, corri como se minha vida dependesse de eu chegar na hora marcada, 'peraí... minha carreira depende disso!

Quando já estava perto, eu mal podia respirar, estava encharcado de suor, meus pulmões ardiam, como se estivessem em chamas, minhas narinas também queimavam, fiz uma pausa curta, apoiei minhas mãos sobre os joelhos, respirei fundo algumas vezes.

Já conseguia avistar dali o prédio da Max Enterteniment.

- Vamos, Yoongi! Estamos quase lá! - falei para mim mesmo logo voltando a correr.

Entrei na recepção da empresa e recebi dezenas de olhares de desaprovação, eu estava suado e ofegante. Todos me olhavam como se eu fosse um mendigo. Me aproximei da recepcionista:

- Moça, eu vim... Eu vim... p-para a audição. - falei, tentando recuperar o fôlego - Sou Min Yoongi.

- Das 09h? Você está bem atrasado! - me disse.

- Eu tive... m-m-muitos problemas pra conseguir chegar, por favor, me ajuda a entrar. - fiz cara de cachorro abandonado.

- Vou falar com o vice presidente. - ela fez uma ligação e realmente falou com alguém, que bom que ela não tentou apenas me enganar - eles vão te dar uma chance. Tem um homem se apresentando agora, depois dele você pode entrar - sorriu amigavelmente - Boa sorte! - cruzou os dedos.

- Obrigado. - respondi lhe dando um sorriso animado. Aquilo foi fantástico, desde que cheguei a essa cidade, ninguém nunca me sorriu de forma tão verdadeira quanto essa moça, sinto meu coração aquecido de uma forma muito boa.

Logo o rapaz que se apresentava deixou a sala, me lançou um olhar triste e disse:

- Boa sorte, espero que não seja contratado, essa empresa é tóxica.

Saiu, me deixando ali, completamente boquiaberto sem saber o que dizer. Em poucos minutos fui chamado para me apresentar.

Cantei um rap de minha autoria se chamava Moonlight.(menção a Agust D -2 aqui rsrsrs)

Assim que terminei de me apresentar, os jurados ali presente discutiram entre si, sem me olhar. Minhas mãos suavam muito, apertava meus dentes com muita força, involuntariamente, sentia pequenos arrepios em meu corpo, estava muito nervoso, esperando que eles me dissessem o que decidiram.

- Olha, todos concordamos que você tem talento para o rap. - sorri, contente com o elogio - Você cantou suas próprias rimas, correu um grande risco! E sua música é perfeita, você também é um excelente compositor.

- Obrigado. - sorri leve.

- Mas lamentamos muito, Min, seria indispensável para nós ter alguém com tamanho talento debutando em um de nossos grupos, mas fomos informados nas condições em que você chegou à empresa, encharcado de suor, ainda está - olhei para mim mesmo - completamente atrasado, ofegante. Muitas pessoas te viram entrar nesse estado aqui, o que é lamentável. Um idol não pode jamais, chegar em qualquer lugar nessas condições deploráveis.

- Senhor, eu tive problemas, o ônibus em que eu estava quebrou e eu vim literalmente correndo 'pra cá...

- Nós te pedimos explicações, Min? - me interrompeu - saísse mais cedo de casa, porque esse tipo de coisa, acontece o tempo todo, você devia estar preparado, ou dormisse aqui na porta. Mas chegar da forma que chegou... É totalmente desagradável aos nossos olhos.

- Dormir aqui na porta seria muito mais digno não é? - eles me lançaram olhares assustados, que porra! Quem eles acham que eu sou?

- Seria de toda forma uma vergonha para você. Mas todo esse alvoroço é perdoável. Entretanto, fomos informados por outra empresa que você realmente não se encaixa no perfil de um rapper. Fomos informados sobre sua orientação sexual. - finalizou.

- De novo isso? Minha orientação sexual não tem nada a ver! É só algo extra sobre mim, ninguém precisa saber, se isso incomoda tanto. - informei.

- Vejamos, você já viu algum rapper gay? Hum? Já viu algum rapper beijando homens? Se assumido publicamente? Não. Gays não podem ser rappers garoto. Mude sua sexualidade e volte a nos procurar. - falou com desdém.

- Eu nunca mais vou pôr meus pés nessa empresa! Todas as vezes que eu precisar passar na porta dessa merda, vou passar fazendo três orações. - ataquei.

- Você vai voltar, você quer muito ser um idol, todos querem! Você vai desistir de seus namoradinhos e vai voltar se arrastando, pedindo uma nova chance. - disse convencido de que tinha razão.

- Eu não vou mudar minha sexualidade, vocês que deveriam mudar essa cabeça preconceituosa de vocês, são tão nojentos. Eu nunca mais vou voltar aqui, prefiro passar o resto da minha vida vendendo espetinho de cordeiro do que voltar nessa empresa maldita. Tenham um bom dia senhores e vão 'pro inferno.

Deixei o auditório com sangue nos olhos, quem eles pesam que são para tratar as pessoas desse jeito? Bando de filhas da puta! Eu posso virar um pedinte, mas eu nunca mais vou voltar aqui, nunca mais!

- Como foi Sr Yoongi? - a recepcionista me perguntou sorrindo.

- Foi péssimo. Você parece ser a única pessoa gentil desse lugar, procure um emprego melhor. - sorri triste.

Me apressei em deixar aquele prédio, ouvi meu estômago roncar, sai de casa sem comer absolutamente nada, esbarrei em um garoto que devia ter uns 13 anos, me desculpei e segui, mas ele me impediu me fazendo responder suas perguntas bobas:

- Você estava fazendo audição na Max Enterteniment?

- Estava. - respondi frio.

- Você foi bem? - perguntou me dando um sorriso, pude ver seus dentinhos centrais, eles eram inclinados levemente para frente, lembrava os dentinhos de um coelho, não posso negar, é fofo.

- Eu fui perfeito - vi os olhos do garoto brilharem - Mas não fui contratado, porque as pessoas dessa empresa são uns pau... deixa pra lá! - me virei para ir.

- Eu vou marcar uma audição lá! - revelou animado.

Poxa, é uma criança, não posso permitir que uma criança tenha seus sonhos pisoteados por aqueles desgraçados.

- Garoto, você deve ser talentoso, porque não marca pra ir em outra? A Max é podre! Marque em qualquer lugar, menos nessa aqui, acredite em mim, essa empresa é literalmente nojenta. - aconselhei.

Ele me olhou com as sobrancelhas unidas e um biquinho nos lábios. Logo sorriu e disse:

- Obrigado! Ouvirei seu conselho. - sorriu.

Dei as costas e me retirei ainda o ouvi gritar seu nome para mim:

- Eu sou Jeon Jungkook! Quem é você?

Eu não o respondi. Não tô afim de fazer amizade com um pirralho, eu salvei a sanidade mental dele, é isso, ele que me agradeça. Eu não devo absolutamente nada para ele, nem sequer meu nome, não somos amigos afinal. Minha barriga roncava, fui até a praça mais próxima, sempre tem vendedores por lá, e a comida é mais barata. Como não tenho dinheiro, preciso economizar.

Tinha uma movimentação ali, várias pessoas aglomeradas e um som tocando, nitidamente um Hip-hop coreano. Me aproximei, gosto da música e também quero saber o que está rolando, porquê parece que vai cair a maior chuva e essas pessoas aqui correndo o risco de se molhar, tem que ter um grande motivo!

Me aproximei e adentrei em meio a multidão, logo vi um rapaz magro, alto de pele levemente bronzeada, vestindo uma calça estampa militar folgada, uma camiseta branca grande no corpo dele e também um chapéu estilo pescador.

Ele dançava, tinha movimentos precisos e parecia leve, ele dança muito bem! Começaram a cair pingos de chuva e a maioria do público se dispersou, ficaram só umas cinco pessoas embaixo de guarda-chuvas e ele continuou a dançar debaixo da chuva, sem se incomodar em nenhum momento, tinha um largo sorriso no rosto. Eu estava encantado com ele, ele tinha um motivo muito forte para dançar debaixo da chuva? Ou ele é realmente apaixonado pelo que faz?

Logo que sua apresentação terminou, seu pequeno público o deixou dando uma salva de palmas curta, eu me aproximei dele, intrigado:

- Você vai ficar doente! - O repreendi.

Ele me olhou com um sorriso enorme.

- Aaah! Não se preocupe! Minha saúde é de ferro! - continuou juntando suas coisas.

- Por quê você continuou a dançar quando seu público já havia te abandonado? - indaguei.

- Eu não estava dançando 'pra eles. Quero dizer, eu gosto que me vejam, é claro, gosto quando aplaudem e elogiam! Mas eu estava dançando 'pra mim! Eu amo dançar, sou apaixonado! - sorriu - quando eu danço, é como se eu... recebesse uma injeção de alegria, me sinto leve. Me desestressa também, me deixa mais feliz. Dançar é importante 'pra mim, é como entrar em um universo onde não exista problemas, eu não preciso me preocupar com política, racismo, homofobia... nada! Sou só eu, a melodia e meus passos. - O jovem tinha um brilho no olhar e um sorriso satisfeito no rosto - dançar é o que mais amo, você me entende? Dançar é minha vida, por isso eu coloco toda minha alma em cada passo que componho, cada movimento do meu corpo, tem um pedaço da minha alma nele. - ele fala com tanto amor da dança e eu entendo tudo o que ele sente, eu me sinto assim com o rap.

- Eu entendo você. - sorri leve para ele - Eu sou apaixonado em soltar umas rimas por aí! Eu sou Min Yoongi - estendi minha mão para ele, que me olhava encantado, virou um pouco a cabeça para o lado e sorriu apertando minha mão:

- Eu sou Jung Hoseok! Você é rapper? - perguntou.

Nesse momento, a chuva ficou bem mais forte e em um impulso eu puxei o rapaz pelo pulso.

- Vamos sair da chuva! - gritei.

Corremos para nos abrigar, ouvi os risos dele ao meu lado, ele se divertia como as crianças se divertem nos intervalos das aulas. Que cara mais engraçado. Ele deve levar uma boa vida, para ser tão alegre assim.

Encontramos abrigo embaixo do teto de uma lanchonete, ele, ainda sorrindo me disse:

- Você me arrastou pra bem longe do meu carro!

- Cara! - lhe dei uma olhada - por que não me contestou? Eu só queria te ajudar.

- Não se preocupe! Não estou reclamando! Não me importo! - continuou sorrindo.

Minha barriga voltou a roncar, fiquei um pouco envergonhado pois foi um som alto.

- Está com fome? Vamos entrar e comer alguma coisa! - me propôs.

- Não... eu... vou esperar para ir para casa. - respondi de imediato.

- Essa chuva vai demorar a passar. Vamos entrar! - tentou me puxar.

- Não! Isso aqui é caro. Eu... Eu não tenho dinheiro, Jung. - abaixei a cabeça.

- Bom... Eu tenho. Quero dizer, meu marido me deu um cartão para eu usar como quiser. Vamos?

- Não. Eu não posso aceitar! Não nos conhecemos! - falei um pouco indelicado.

- Claro que nos conhecemos! Você é Min Yoongi, o rapper e eu sou Jung Hoseok, o bailarino. - sorriu - Vamos! Eu quero comer com um amigo!

Não pude mais contestar, porque aquele carinha magro me arrastou para dentro daquela lanchonete cara. Eu nunca vou ter dinheiro 'pra pagar esse tal Jung Hoseok. Meu Deus!

23 мая 2021 г. 11:32:46 2 Отчет Добавить Подписаться
2
Прочтите следующую главу 2 두

Прокомментируйте

Отправить!
Lari Yoonseok Lari Yoonseok
Você por aqui!🥺🥺 Essa história é top!!💜💜💜💜💜

  • Vanessa Vanessa
    🥺🥺👉🏻👈🏻💜 May 28, 2021, 12:24
~

Вы наслаждаетесь чтением?

У вас все ещё остались 1 главы в этой истории.
Чтобы продолжить, пожалуйста, зарегистрируйтесь или войдите. Бесплатно!

Войти через Facebook Войти через Twitter

или используйте обычную регистрационную форму

Похожие истории