jacianasuzy Jaciana Suzy

Era um dia chuvoso, eu nem sabia porque estava ali. Eu não sou de frequentar bares, não sou de conversar com estranhos e tampouco de me envolver com eles. Mas naquele mesmo dia, foi exatamente o que eu fiz.


Эротика 18+.

#contos #indie #contoerotico #bar #prazer #bebidas #sexy #barman #empoderada
Короткий рассказ
30
4.0k ПРОСМОТРОВ
Завершено
reading time
AA Поделиться

Capítulo único

O bar estava mais cheio do que eu lembrava da última vez que vim. As pessoas também eram diferentes. Não as pessoas em si porque isso é óbvio. Mas o estilo, as músicas, a forma como elas se relacionavam. Eu não sei. Talvez seja só eu ficando velha para esse tipo de coisa. — Pensei enquanto caminhava entre a multidão.

— Boa noite, você pode me dar qualquer coisa que contenha álcool? — pedi ao barman enquanto me sentava em um dos bancos em frente ao bar.

— Dia difícil? — ele perguntou.

— Está mais para uma semana difícil. — Dei um meio sorriso.

— Aqui. Por conta da casa. — Ele me mostra um copo com coquetel de morango.

Bebi um pouco do conteúdo do copo e percebi que continha vodca. Fechei os olhos em resposta, apreciando o sabor da bebida.

— Obrigada. É a minha bebida preferida. Como você adivinhou?

— Eu tenho o dom de descobrir o que as pessoas gostam.

Algo na forma como ele falou ou no fato de que ele estava mais perto do que eu tinha percebido antes, me fez ficar sem resposta. Eu apenas o encarei por alguns segundos, totalmente sem reação, até um homem o chamar.

Eu soltei o ar que nem sabia que estava segurando. Olhei para ele de longe e deixei escapar um riso que antes estivera contido.

Não acredito, o barman tinha flertado comigo. — pensei em satisfação. — Tudo bem, Amy, faz um tempo que você não faz isso, mas ele é todo seu se você quiser.

Passei a mão pelo meu cabelo loiro recém pintado, chequei a maquiagem com a câmera do celular, conferi minha roupa e estava pronta.

— Okay, vamos lá. — disse para mim mesma.

Para a minha felicidade, havia começado algum show indie na área externa do bar, então as pessoas começaram a vim menos para a área interna onde a gente estava.

— Então...estava pensando sobre o seu dom.

— Estava? — Ele sorriu de uma forma sexy.

— Você disse que pode descobrir o que as pessoas gostam. — cheguei mais próximo dele — O que você acha que eu gosto?

— Aqui não.

Ele me olhou e saiu andando em direção a lateral do bar. Havia uma passagem que interligava a parte da frente com a parte de trás do local, mas aparentemente poucas pessoas usavam, já que ele precisou destravar os cadeados e acender a lanterna do seu celular.

Após entrarmos, ele fechou o portão atrás de nós, mas não com os cadeados. E fez sinal para que eu fosse segui-lo.

Chegamos até a metade do beco, que eu sabia que era a metade pelo barulho da música ter diminuído enquanto andávamos e pelo que eu conseguia ver da iluminação da lanterna. E surpreendentemente, não era um local sujo ou mau cuidado. Possuía uma cerâmica azul clara tanto no piso como nas paredes e alguns vasos com plantas, que eu agradeci por não ter tropeçado.

— Agora podemos.

Ele me pressionou contra a parede e sob a luz da lua acima de nós, eu conseguia ver seus olhos cor de mel e seu cabelo castanho na altura dos ombros.

— Acho que essa é uma boa hora para nos apresentarmos. — falei com sarcasmo.

Ele riu. — Meu nome é Eric. Prazer em conhecer.

— Me chamo Amy e o prazer é todo meu. — disse enquanto aproximava meus lábios do seu pescoço.

Ele apertava a minha cintura, puxando para mais perto de si e eu dava pequenos beijos em seu pescoço.

Sentia as suas mãos passeando pelo meu corpo, chegando até os meus seios e apertando levemente. Eu gemia em resposta, minha respiração começando a ficar entrecortada, meu corpo o desejando cada vez mais.

Ele me beijava ardentemente, sentia sua língua percorrer minha boca e sua mão ir por baixo do meu vestido, alisando a parte interna da minha coxa.

— Eric — sussurrei entre o beijo.

Com a respiração ofegante, nos separamos por um momento e eu assistia enquanto ele tirava a sua camisa, revelando uma tatuagem que ia da metade do peitoral ao ombro.

Observei aquele novo detalhe que incrivelmente o deixava mais sexy e o puxei para mais perto.

Ele passou a mão novamente por baixo do meu vestido, mas dessa vez, a colocando por dentro da minha calcinha. Eu arqueei as costas contra a parede e fechei os olhos em meio àquelas sensações.

— Mais... rápido... — falei com a respiração entrecortada.

Percebi ele se aproximar do meu ouvido. — Seu desejo é uma ordem.

Após alguns instantes, cheguei ao ápice enquanto cravava minhas unhas em suas costas para lidar com o prazer que estava sentindo.

— O seu dom funcionou. Você sabe o que eu gosto. — Coloquei meus braços em volta do seu pescoço.

— Eu te disse. — Ele segurou minha cintura e me beijou.

1 октября 2020 г. 3:17 2 Отчет Добавить Подписаться
8
Конец

Об авторе

Jaciana Suzy 25 anos, cristã, nordestina e formada em Psicologia.

Прокомментируйте

Отправить!
Luiz Carlo's Luiz Carlo's
Muito bom o seu trabalho, interessante e instigante, o Erik soube cortejar com maestria! Um pouco diferente dos HOT que eu escrevo, este trabalho é bem sutil mas bem intencional no sentido de aguçar o leitor, deixando a imaginação dele pensar (os termos que quiser)... Muito sucesso pra você... 🙏🏽 🤗
~