Contagem regressiva para a Copa dos Autores 2020. Registre-se agora e tenha a chance de ganhar prêmios!. Leia mais.
william-ramos1567459303 William Ramos

Em um treinamento com sua sobrinha, Harumi quebra as paredes espirituais no que ocasiona na vinda dos irmãos Kogarashi ao mundo físico para investigar quem foi o ser com tamanha habilidade, mas seu tio Kaygoro não ira deixar que ninguém mexa com seu povo muito menos com sua sobrinha, e para protege-los um sacrifício doloroso terá de ser feito Música 1 --> https://www.youtube.com/watch?v=pI7Jc-fSQQ8&t=85s Música 2 --> https://www.youtube.com/watch?v=mSXff7ymgPk


Ação Todo o público.

#morte #criaturas #batalhas #ficção #ação #A-Batalha-de-Kaygoro
Conto
0
3.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

A Batalha de Kaygoro

Observação - (à Nessa história irei colocar as palavras músicas 1 e 2, em uma parte do texto para que você coloque a música que irei deixar na descrição e linkado com a frase, para que você as escute e entre na mesma vibe que eu entrei quando criei essa história. )



Era uma tarde tranquila em uma vila de porte médio que ficava na beira de uma floresta fechada, mas essa tarde tranquila estaria por acabar muito brevemente, mas Kaygoro já previa isso, por isso fez questão de evacuar todos os cidadãos da vila rapidamente, incluindo seu pai e sua mãe, cujo a idade já batia forte enfraquecendo os ossos do corpo, e seu irmão companheiro da vida que sempre o ajudava em momentos difíceis com sua filha jovem de 15 anos que puxara o tio e já apresentava um talento imenso tanto no campo de batalha quanto em poder espiritual.


Mas de repente..........


Um portal redondo com uma luz incrivelmente forte se abre no céu, perto da vila, capaz de cegar os olhos de quem olhar diretamente para ela, mas pelo que parece somente Kaygoro e sua sobrinha conseguem enxergar esse portal, e três silhuetas saem de dentro desse portal, Kaygoro pressente o perigo, é grita para que todos corram logo, sua sobrinha está ajudando na evacuação rumo a floresta, Kaygoro corre diretamente para o portal para tentar ganhar tempo e impedir tais seres, sejam lá quem forem de fazer algo contra o seu povo, então todas as silhuetas dessem do portal e ficam de frente com Kaygoro, sua sobrinha olha de longe assustada com tamanha energia vindo deles, Kaygoro está de frente com a ameaça ou melhor dizendo com as três ameaças, são elas ninguém mais ninguém menos do que os irmãos Kogarashi, eles são os três guardiões do palácio do rei das almas, o senhor Kamaratuma.


E agora eles estão no mundo físico, para investigar quem foi o ser com tamanha habilidade capaz de quebrar as paredes espirituais, (Paredes espirituais são o que dividem o mundo físico do mundo das almas), esse ser foi a sobrinha de Kaygoro, “Harumi” que devido ao seu treinamento com seu tio despertou um poder, cujo ela não conseguiu controlar e quebrou as paredes, no que ocasionou no alarde do rei que mandou por ordem direta dele que os irmãos Kogarashi viessem ao mundo físico ver quem era e leva-los a ele, mas Kaygoro não iria deixá-los se quer chegarem perto de sua sobrinha.

O primeiro a falar e Baku Kogarashi, o irmão do meio que possui uma espada enorme quase do tamanho de seu corpo e com a lâmina tão fina e afiada capaz de cortar um fio de cabelo no ar.


Baku: Esse mortal consegue nos ver irmãos.


Himetsu Kogarashi o irmão mais velho fica em silencio só observando Kaygoro, Himetsu possui duas espadas em sua cintura com as lâminas azuis, ele é o mais calmo e experiente de todos os irmãos


Zandestsu Kogarashi o irmão mais novo e mais alto dentre eles, também o mais cruel, possui só uma espada com a lâmina extremamente grossa e o cabo cumprido (parecida com a espada do Zabuza), diz:


Zandestsu: Não acredito que um ser insignificante como esse quebrou as paredes.


Lá atrás Harumi para de ajudar os moradores da vila e fica por último nas extremidades da floresta, observando seu tio contra os três, mas Himetsu percebe o olhar fixo neles além de Kaygoro e consegue enxerga-la e diz:


Himetsu: ao que parece ele não é o único dessa vila que consegue nos ver - (e ele ponta com o dedo para Harumi que fica surpresa) – aquela garota está olhando para nós.


Himetsu: essa definitivamente e uma vila que possui mortais com habilidades estranhas, levaremos todos ao rei, ao trabalho.


Zandestsu dá uma risada animada e diz: deixe a garota comigo, aquele palácio me deixou sem o que fazer a muito tempo.


Kaygoro olha para trás e grita para Harumi......


Kaygoro: corra Harumi, leve o nosso povo em segurança a terra do Senhor Donkai – e então ele vira para frente, mas ainda olhando com o conto de olho para Harumi com um olhar de adeus.


Zandestsu: oras e o que um ser como você irá fazer em – (ele abre um sorriso esnobe no canto da boca e continua) - acho que você tem algum afeto por aquela garota irei mostrar esse afeto da pior maneira possível hahahah.


MÚSICA 1


Kaygoro: o único lugar que vocês irão será para o inferno comigo


E então ele bate as mãos uma nas outras “CLAP” e grita: Jigoku kyūbu – (Cubo do Inferno), e chamas saem do chão em volta deles e uma parede de fogo vai ser erguendo aos céus queimando tudo que encosta, até que se feche em formato de cubo em volta dele e dos irmãos, Harumi olha aquelas chamas se formarem em volta deles com lagrimas nos olhos sabendo que se aquilo está acontecendo, significa que ela nunca mais vera seu tio novamente, Kaygoro intensifica as chamas para que Harumi não consiga ver o que está acontecendo dentro do cubo e então ela dá as costas chorando e sai correndo para dentro da floresta junto ao seu povo.


Zandestsu: uma caixinha de fogo hahaha, não brinque comigo mortal – (e então Zandestsu lança uma rajada de poder com sua espada contra a parede, mas nada acontece, pelo contrário, seu poder e repelido contra ele) - mas o que?


Himetsu começa a ficar com uma expressão mais séria, ao que parece ele começa a entender o que está acontecendo, e então Kaygoro engrossa suas cordas vocais o máximo que pode e começa a recitar palavras estranhas.


Kaygoro: Moon....No....Guunn....Doon....Goourr.......KAI - (Portões de Gun Don Gour, Abram-se)


Kaygoro: Agemasu....Watashi....no....Tamashi.... – (Entrego minha alma) -


E então ele eleva a voz e grita:


Kaygoro: Zambakuu


Himetsu e Baku e até o temível Zandestsu, arregalam os olhos sem acreditar no que acabaram de ouvir, Himetsu pega suas duas espadas rapidamente em um ato de desespero e as crava no chão e começa a criar um campo de proteção em volta dele e do Baku.


Baku: Corra aqui agora Zandestsu, temos que quebrar esse cubo com os nossos três poderes antes que seja tarde.


Mas Zandestsu está com um olhar sanguinário nos olhos e um sorriso psicopata no rosto e diz:


Zandestsu: vou ficar e lutar seus covardes, eu duvido que um mortal como ele consiga trazer Zambaku até aqui.


Baku: idiota venha logo


Então Himetsu levanta a mão para que Baku pare de falar e diz:


Himetsu: Já e tarde, olhe no abdômen do mortal, já começou entre logo no círculo de proteção, Zandestsu sofrerá as consequências sozinho.


Após Kaygoro gritar o nome de Zambaku, ele escuta uma voz em sua mente “Seu último desejo será como uma ordem, agora me entregue sua alma.”, no abdômen dele começa a sair uma espécie de fumaça branca meio amarelada, esse fumaça conforme vai saindo vai envelhecendo o corpo de Kaygoro, aos poucos seus cabelos vão perdendo a coloração normal e ficando branco, sua pele vai se enrugando, seu olhos perdem a pupila, seus músculos vão ressecando até que seu corpo fique apenas carne e osso. A fumaça aos poucos vai ganhando forma de um corpo, um pouco maior do que Kaygoro, quase batendo a altura de Zandestsu, do pé desse corpo ossos vão surgindo, erguendo-se até a cabeça dando forma a criatura, logo depois os músculos fazem a mesma trajetória dos ossos , os três irmãos observam a criatura ganhando forma com uma expressão seríssima, por último, vem a pele cinzenta dando a forma completa da criatura, que possui um cabelo preto cumprido com quatro braços em seu tronco, os braços de baixo fazem um selo de mão do tigre, os outros dois braços de cima seguram duas espadas, uma foice Naginata e outra espada com lamina cumprida com cabo curto do tamanho ideal para segura-la, sua língua se divide em três e é tão cumprida que e capaz de passar do queixo como se fosse uma cobra, ao redor de seu corpo e de suas espadas símbolos de fogo vão surgindo.


A expressão psicopata de Zandestsu já não e mais visível, “Então esse e o famoso Zambaku, o desgraçado realmente conseguiu, drogahn”, pensa ele, mas não há tempo para Zandestsu ficar pensando nem para Himetsu e Baku que começam a recitar palavras estranhas fazendo um ritual de acumulo de energia, Zandestsu vira rapidamente na direção dos irmãos e grita....


Zandestsu: Fiquem preparados para abrirem a proteção, caso eu não consiga derrota-lo irei até vocês.


Música 2


Mas cada segundo e importante em batalhas e no momento que Zandestsu vira para falar com os irmãos, Zambaku aparece atrás dele como tivesse se tele transportado, ele gira sua foice sem perder tempo para fazer o ataque, mas Zandestsu dá um pulo para trás na tentativa de se esquivar, mas que falha quase que por completo, pois a foice corta profundamente sua costela, Zandestsu levanta sua espada em posição de defesa e com a outra tenta estancar o sangue que escorre aos montes em sua pele, Zambaku lambe o rosto com sua língua enorme e dá um sorriso que faz a espinha de Zandestsu tremer, a criatura como na primeira vez some e em um piscar de olhos ela aparece de costas, atrás de Zandestsu com sua espada levantada para cima, no braço direito de Zandestsu na altura do tríceps aparece outro corte profundo, e sangue jorra do corte como se fosse agua.

De dentro da proteção seus irmãos param com a ritual e olham a situação terrível que seu irmão mais novo se encontra, Himetsu começa a observar que algo está errado com os ferimentos de Zandestsu e comenta com o Baku....


Himetsu: olhe para os ferimentos de Zandestsu.

Baku: estão bem profundos

Himetsu: Não e só isso, olhe com atenção

Então Baku se vira e olha para os ferimentos de Zandestsu....

Himetsu: nas extremidades dos cortes, a pele fica preta e uma fumaça leve sai de dentro dela

Baku: o que isso quer dizer

Himetsu: Que os cortes não irão se fechar até que a vítima morra, pelo que eu ouvi do rei, esse e o grande poder de Zambaku, seu fogo e tão ardente que não importa no que ele toca não existe cura, só a morte.

Baku: não é possível, isso quer dizer que ele irá...

Então Himetsu o interrompe e diz

Himetsu: Morrer

Baku: como e possível aquele canalha invocar uma criatura tão poderosa

Himetsu: e o que temos que descobrir, se conseguirmos sair daqui vivos

Então em uma tentativa desesperada de salvar seu irmão Baku grita....

Baku: Zandestsu corra para a proteção rapidoooo

Himetsu: idiota o que pensa que está fazendo


Zandestsu escuta o grito de seu irmão e analisa as opções, porém, nenhuma delas está ao seu lado, então ele invoca uma bola de energia na ponta de sua espada e lança contra a criatura que está de costas, com isso ele tenta criar uma distração e corre na direção de seus irmãos tentando se salvar, Baku fica com um olhar de esperança e grita para que seu irmão corra mais rápido, porém o olhar de esperança e facilmente perdido entre a foice cheia de sangue que esta perfurando o peito de Zandestsu que é levantado no ar, fazendo com que seu peito se afunde cada vez mais na foice, a criatura se tele transportou novamente, mas dessa vez sem deixar que sua presa escapasse com vida.

Baku cai de joelhos e fica com uma expressão de terror e sem palavras....


Baku: Na....o..e...zande..


Ele fica balbuciando até que seu irmão o interrompe


Himetsu: Baku levante-se, não é hora para lamentações, o ritual.....levante-se agooraa


Então Baku levanta e continua com o ritual que estava sendo realizado antes, enquanto isso Zandestsu vai perdendo a vida lentamente na foice de Zambaku que recita algumas palavras intraduzíveis a qualquer ser vivo e então o mesmo processo de envelhecimento que aconteceu com Kaygoro vai acontecendo com Zandestsu, seus cabelos, pele e músculos vão envelhecendo e uma aura branca vai saindo do corpo de Zandestsu conforme ela e sugada pela boca de Zambaku.


No alto com a foice penetrada em seu peito, jaz sem vida Zandestsu, que após perder a alma e a vida por Zambaku e jogado com um único movimento contra as paredes de fogo, que bate com tudo e cai no chão, aos poucos o fogo vai consumindo o que restou de seu corpo, Zambaku volta sua atenção aos irmãos dentro da barreira de proteção, eles estão prosseguindo com o ritual de acumulo de energia o mais rápido que podem; Zambaku pega a foice com a mão direita e a ergue pro alto, os selos de mão do tigre que Zambaku não desfez desde que foi invocado ainda está sendo feito, porém, agora um brilho começa a sair de dentro de suas mãos, conforme o brilho cresce, as chamas das paredes de fogo começam a se concentrar na foice, como se a foice fosse um ímã e o fogo o metal, as chamas vão se entrelaçando com a foice até cobri-la inteira com fogo.


Agora Zambaku tem em suas mãos uma foice de fogo, ele se posiciona para arremessa-la, seu braço faz o movimento para trás o máximo que pode e....


A foice e lançada contra a barreira de proteção, que com o primeiro contato e explodida virando poeira, Himetsu e Baku são jogados de lado e a foice fica cravada no chão no meio dos irmãos, sem perder tempo Himetsu pega suas duas espadas que foram jogadas no chão com a explosão, Zambaku aparece no meio deles para pegar a foice, sem dar tempo para que os irmãos pensem direito no que está acontecendo, com a espada na mão esquerda Zambaku ataca Himetsu que defende a tempo, e ao mesmo tempo ele consegue pegar a foice a lançar um golpe de baixo para cima contra a cabeça de Baku que consegue se mover para lado a tempo, salvando sua cabeça mas não sua orelha que está voando no ar, Baku perde metade de sua orelha, o que acontecia com os ferimentos de Zandestsu agora acontece nas extremidades da orelha de Baku, a queimação e aterrorizante e ele grita de dor, Zambaku foca em Himetsu querendo ao menos causar algum dano no irmão mais velho.


Mas Himetsu e o irmão mais velho e o mais experiente, não é à toa, os dois trocam golpes tão rápidos que fica difícil acompanhar com os olhos, Zambaku tenta de todas as formas ferir Himetsu que defende todos os golpes sempre à procura de uma brecha, e em uma dessas brechas Himetsu consegue cortar o braço de Zambaku que segurava a foice, porém, ele não demonstra nenhuma expressão de dor, pelo contrário, ele faz um movimento com o braço cortado na direção de Himetsu, jogando o sangue que escorria de seu ferimento no rosto dele e em um de seus olhos, Himetsu grita de dor e leva as mãos ao olhos baixando a guarda, o momento perfeito para Zambaku que sem perder tempo efetua um golpe com sua outra espada mirando a cabeça de Himetsu, mas Baku aparece a tempo defendendo seu irmão...


Baku: o que aconteceu?


Himetsu: Cuidado o sangue dele..... e ácido... não consigo enxergar...ahhnn


Baku: Droga temos que sair desse maldito cubo rápido!


Baku defende o golpe de Zambaku com sua espada, e com a mão esquerda que está livre coloca no peito da criatura e grita....


Baku: Zaraki Nº 5.... Kai...


E uma bola azul vai surgindo na mão de Baku que explode no peito da criatura, que é jogada para longe caindo perto do corpo de Zandestsu, Zambaku crava sua espada na cabeça morta de Zandestsu para se apoiar e levantar num gesto provocativo, que funciona contra Baku....


Baku: Desgraçado...


E ele tenta avançar, mas seu irmão coloca a mão em seu ombro o impedindo e diz...


Himetsu: Não caia nessa ele só quer te atrair para perto dele.


Himetsu: Vamos acabar com isso, vamos sair daqui o mais rápido possível.


Himetsu cego de um olho segura as mãos de Baku, e com a ajuda do ritual que estava sendo realizado, eles conseguem concentrar o máximo de energia possível, os dois gritam ao mesmo tempo parecendo uma só voz...


Baku e Himetsu: “MIKADZUKI”


(“MIKADZUKI” = “Lua crescente”)


E uma bola branca de energia espiritual enorme vai os encobrindo, Zambaku desiste de se levantar e dá um sorriso irônico, a bola de energia preenche todos os espaços dentro do cubo, pressionando-o tanto que explode....


Todos são jogados para longe, a invocação de Zambaku desaparece com a explosão do cubo, Himetsu e Baku estão caídos desmaiados um pra cada lado, e o corpo de Zandestsu também e jogado para mais longe.........


Uma Portal se abre no céu, como aquele que os irmãos Kogarashi vieram, de dentro dele desce um esquadrão de soldados do rei com vestes brancas, eles vão até os irmãos desmaiados e os carregam para levarem de volta ao mundo das almas, alguns dos soldados vão até Zandestsu e fazem um sinal de condolência, e pegam o que sobrou dele, Himetsu faz um esforço para acordar e pronunciar uma última frase e aponta para o corpo caído de Kaygoro e fala....


Himetsu: ele o invocou... peguem....o....corpo....de....le.


Os soldados com as mãos desocupadas também pegam o corpo de Kaygoro, que é levado junto para o mundo das almas para que investigações sejam feitas com o corpo dele.


Após essa grande batalha Himetsu e Baku são levados para serem curados e ficaram de repouso por um tempo, Kaygoro e levado para o laboratório de pesquisa das almas para ser estudado, e para Zandestsu e feito uma cerimônia de honra para que sua morte não seja esquecida nunca pelos membros ali presente...




FIM


Imagem que me inspirei para criar Zambaku




Selo de mão do tigre








12 de Abril de 2020 às 16:53 4 Denunciar Insira Seguir história
1
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~