hyuuganara Hyuuga

E se Shikamaru Nara se apaixonasse por Hinata Hyuuga? —Vale ressaltar que: Os personagens pertencem à Masashi Kishimoto. Hinata Hyuuga não declarou seu amor por Naruto Uzumaki Shikamaru Nara e Temari não são um casal. E, os capítulos são postados diariamente.


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público.

#naruto #hinatahyuuga #fiqueemcasa #shikamarunara
0
891 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 1

Shikamaru estava com um cigarro entre os lábios, soltou uma risada nasalada quando colocou o mesmo entre os dedos. Uma atitude que ele repudiava em Asuma-sensei, agora havia se tornado o seu maior hábito e ele sentia como se não pudesse voltar atrás e abandonar esse vício, já que, agora ele estava lotado de responsabilidades e com elas vinham o estresse —o qual ele era acometido diariamente. Embora Shikamaru possuísse uma habilidade nata de liderança, os membros de seu clã desacreditavam nele e não havia coisa que o deixasse mais frustrado e extremamente estressado.


Com o fim da Quarta Guerra Ninja, a Vila Oculta da Folha estava completamente em paz, aparentemente. E enquanto nada problemático aparecia, em seus momentos de folga Shikamaru caminhava até um local arborizado perto da Academia e por lá ele ficava, para apenas fumar seu cigarro enquanto observava os futuros ninjas da Folha, ou melhor, os reis da Folha.


Shikamaru solta a fumaça de seu cigarro, e no mesmo instante analisa Hinata Hyuuga caminhar lentamente. Hinata tinha seu rosto completamente inchado e avermelhado, todos a conheciam como uma garota extremamente tímida mas que sempre mostrava um pequeno sorriso —o que tornava seu rosto radiante—. No entanto parecia que muita coisa havia mudado desde a morte de seu primo, Neji.


O moreno não pensa duas vezes, ergue-se e segura o cigarro entre seus dedos e com a mão livre, ele acena para Hinata, a qual em momento algum ergue seu rosto pois ela estava completamente absorta em uma oscilação de sentimentos.


“Hinata!”, Shikamaru exclama.


A garota dos cabelos azulados arregala seus olhos e ergue seu rosto rapidamente, e logo em seguida seu olhar percorre por todos os lados até que ela vê Shikamaru Nara acenando para ela. Hinata sorri deixando seus olhos menores do que estavam e em seguida mexe seus dedos em um aceno pequeno. Shikamaru não se dá por vencido, caminha na sua velocidade normal para alcançar Hinata —o que não seria muito difícil já que ela parecia não ter sequer forças para sustentar seu corpo.


“Como você está?”, ele questiona caminhando lado a lado com Hinata. “Não vejo você tem muito tempo.”, Shikamaru acrescenta.


Se ele dissesse que via Hinata mais de uma vez no mês estaria sendo um completo mentiroso, desde o final da guerra —há quatro anos atrás— ele não via Hinata com frequência. E quando via, ela estava caminhando como um zumbi, seu rosto estava sempre inchado, as vezes estava avermelhado e as vezes não, Hinata estava bem mais pálida que o normal, e ele não conseguia deixar de notar como ela estava submersa em uma situação nada boa.


“Bem, e você?”, ela responde brevemente e em seguida rebate a pergunta, mesmo que não estivesse com vontade de manter uma conversa.


Hinata colocou uma mecha de seus cabelos atrás de sua orelha, em seguida apertou seus lábios um contra o outro enquanto apertava a sacola, à qual estava segurando contra seu peito, com seus dedos miúdos. Antes que Shikamaru dissesse alguma coisa, Naruto e Sakura apareceram andando lado a lado, todos na Vila sabiam que o herói de Konoha estava namorando com Sakura Haruno. E, todos os esforços —que convenhamos não foram muitos já que ela nem conseguia falar com Naruto— de Hinata para conquistá-lo haviam sido em vão, a garota estava completamente envergonhada mas por sorte ela nunca havia se declarado em voz alta, o que à poupava de muita coisa.


“Ei, Hinata e Shikamaru.”, Naruto cumprimentou ambos.


“Olá.”, Sakura sorriu e em seguida Naruto envolveu seu braço em volta do pescoço da garota de cabelos rosados.


“Olá.”, Shikamaru e Hinata falaram em uníssono.


“Nós estamos indo no Ichiraku, querem ir com a gente?”, Naruto questionou.


Era sempre o Ichiraku, Shikamaru pensou enquanto revirava os olhos.


“Não, obrigada.”, Hinata respondeu rapidamente. “Foi bom ver vocês.”, ela resmungou passando rapidamente por eles.


Não era ao todo uma mentira, Hinata apenas queria ficar sozinha como esteve durante esses anos. Desde a morte de Neji, pouca coisa fazia sentido para ela, embora estivesse treinando como uma louca para alcançar os esforços de seu considerado irmão mais velho, nada mais fazia sentido, talvez nem mesmo ser uma ninja fizesse mais sentido.


“Hinata!”, Shikamaru exclamou novamente.


Por que exatamente Shikamaru não a deixava em paz?! Hinata ponderou, ela não queria em nenhum momento ser rude com ele e nem com ninguém, mas de uns anos para cá realmente gostaria de passar muito mais tempo sozinha, por isso evitava ao máximo de sair para rua e ser obrigada a ter uma conversa casual.


“Você ainda gosta dele?”, Shikamaru questionou fazendo com que ela arregalasse os olhos.


Hinata manteve seus olhos arregalados, e logo em seguida sentiu suas bochechas aquecerem. "Como você sabe?", ela questionou arqueando uma de suas sobrancelhas. "E a resposta é não, era uma paixonite de infância.", ela retrucou.


Durante o ataque de Pain, Sakura Haruno havia tomado a decisão de forma mais rápida do que Hinata Hyuuga, a garota dos cabelos rosas entrou na briga e colocou-se de corpo e alma para salvar Naruto Uzumaki e parece que a confissão sobre amá-lo teve resultado para Sakura.


"Eu sou esperto.", ele brinca com um sorriso pequeno nos lábios. "Mas se você diz que não, eu acredito."


Shikamaru não sabia como conversar com ela, não sabia o que poderia fazer com que ela dialogasse mais. Ele conseguia ver que ela estava extremamente afundada em si como se estivesse em um deslizamento de terra no qual ela não conseguia sair, —e inconscientemente ela pedia ajuda, já que aparecia em qualquer local com sua expressão chorosa—, era possível que ela tomasse uma decisão horrível sobre sua vida, exatamente como Sakumo Hatake, o Canino Branco. Shikamaru entendia pelo o que ela estava passando, afinal, ele havia perdido Asuma-sensei e algum tempo depois perdeu seu pai.


“É aniversário de alguém?”, ele questionou ao ver que Hinata tinha um pacote bem embrulhado dentro de sua sacola.


Hinata afirmou. “Minha irmã está de aniversário.”, ela resmungou. “Ela decidiu que quer comer fora hoje.”, ela deu de ombros em seguida.


Shikamaru estava com tanta pena de Hinata. “Sério? Deve ser legal ter uma irmã mais nova.”, ele resmungou tentando manter o diálogo.


“Hanabi é bem enxerida quando quer, fora isso..”, Hinata sorriu levemente.


Ela ainda tinha salvação, Shikamaru ponderou ao ver o pequeno sorriso brotar nos lábios de Hinata.


“Você quer comer com a gente?”, ela questionou olhando-o de soslaio.


Shikamaru sabia que ela estava sendo apenas educada, então ele apenas balançou a cabeça negativamente e colocou as mãos dentro de seus bolsos. Aquela situação era completamente problemática, o moreno pensou deixando um pequeno sorriso brotar em seus lábios. Hinata nem sequer gaguejava mais, nem ficava vermelha com cada olhar que recebia, ela não era mais a mesma. Quando criança Hinata era considerada uma inútil, cada vez que fracassava era como se estivesse sendo magoada por alguém —e o que mais à deixava triste é que ela se auto magoava—, e Shikamaru sabia muito bem disso. Talvez, ela só precisasse de um ombro amigo.


Hinata parou em frente a um restaurante que havia acabado de abrir, Shikamaru analisou o local e quando voltou sua atenção para Hinata, seu tronco estava inclinado em forma de reverencia.


“Obrigada pela companhia, Shikamaru-kun”, ela resmungou arrumando sua postura em questão de segundos.


“Obrigado, Hinata-sama.”, Shikamaru resmungou abaixando sua cabeça em sinal de reverencia.


Hinata deu-lhe as costas, e enquanto ela caminhava para dentro do estabelecimento Shikamaru analisou-a de cima a baixo, ela estava usando um vestido mais largo do que ela usava antigamente, e era impossível não notar o descuido com os seus cabelos, ela agora tinha até mesmo olheiras.


Shikamaru-sama, o Rokudaime quer vê-lo.”, um Anbu anunciou parando em frente ao mesmo.


Mais trabalho, que saco.. Shikamaru reclamou para si, entrelaçando seus dedos e colocando-os atrás de sua cabeça como uma forma de apoio.

8 de Abril de 2020 às 03:37 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Capítulo 2

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas

Mais histórias

Ghost Ghost
Farsa Farsa
Gentileza Gentileza