marizelia-guedes1559813156 Marizelia Guedes

Leonardo reencontra seu irmão Fabrício depois de 10 anos. porem morto. acusado de roubo e trafico. então resolve provar a inocência de seu irmão, e no seu caminho vão esta Camila Filha de Rodrigo Mendonça homem de negócios obscuros, e Gonçala Filha de Cezar Ramalho advogado que colocaria Fabrício na cadeia. uma dessas duas esta transplantada com o coração de Fabrício. Amanda e Frederico filhos de Sergio. entre amor e ódio, princípios , valores e ética, vão motivar seu senso de justiça. tudo pode acontecer , pessoas ligadas por uma tragedia.


Romance Romance adulto jovem Todo o público.

#e-principios----intrigas-e-muitas-confusões- #valores #ética #vingança
1
1.3mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Sábados
tempo de leitura
AA Compartilhar

interpretação e entendimento alem das circunstancias.

A luz irritavam seus olhos, o despertar foi angustiante, a cabeça era a único membro que podia mexer, ainda sentia o efeito da anestesia, aos poucos ia se recordando das coisas, na verdade apenas lapsos de lembranças aguçavam seus pensamentos, nada definido, em definição havia mais espaços vazios que preenchidos, memória mesmo, só dos poucos minutos que despertara. Um zunido no ouvido a incomodava, necessariamente não era dor, mas tirava seu sossego, a sensação era de perda, o desconforto era assombrador. o lugar era estranho embora percebesse se tratar de um hospital, os acessos colocados em sua mão, atentava que fora atendida e mantida ali, aos poucos tentava buscar lembranças, mas em vão, nada pode esclarecer sua presença naquele quarto hospitalar. ouvia também vozes vinda do corredor, assim julgou que estaria numa emergência, mas por qual motivo? qual razão? aos poucos conseguiu se por sentada naquele leito, zonza não insistiu com os esforços, respirou fundo, e sentiu uma fisgada em seu peito, levando sua mão ao local do incomodo, sentiu dor ao toque, e tateando percebeu que havia suturado um corte, bem entre seus seios, ainda tremula, se esforçou um pouco mais, e pôs se de pé, com cuidado ia segurando em alguns suportes que a manteria segura, ate que chegasse a um pequeno espelho que estava do lado da porta que dava acesso ao banheiro. Alem de sentir, queria ver seu ferimento, pois tinha dificuldades em abaixar a cabeça ou mexer qualquer membro do seu corpo.

As verdades vieram com força, aceitar já tinha aceito, mas entender, não, isso nunca. perguntas que não se calavam, explicações que não justificavam, e respostas chegariam de imediato. O fato era doloroso demais, para ser absorvido tão rápido, nem que vivesse 100 anos, essa dor passaria... porque? porque ele? se perguntava inconformado, porque não eu? o incrédulo? ele não! lastimava Leonardo em som de desespero. ver seu irmão naquele caixão era penoso, e suas lagrimas diziam tudo que estava a sentir em seu coração, sangrava sua alma, e incapaz de afastar-se de onde estava, movia sua cabeça como se procurasse a tal resposta que tanto esperava, e lastimava tamanha perda. imagens, apenas imagens, de pessoas que tentavam confortá-lo, na verdade estranhos em sua volta, imagens das fotos dos lugares pelos quais passaram seu irmão, e outras imagens de onde ele passaria, sua dor emergia em indignação, eram tantos porquês, que a sua contestação ganhou peso e suas palavras disseminou o ódio. _ele tinha fé, eu não tinha nada, que Deus é esse que tira a vida dos seus? e deixa viver os que não merecem? e o choro dava o desfecho de seus danos...A mão no seu ombro pesou, era um homem alto, forte, trajando calça jeans, camisa preta, e uma maleta_venha comigo, precisamos conversar. a insistência daquele senhor, o fez segui-lo, afastando assim do corpo do irmão que já estava de saída para o cemitério. Assim já distante do caixão, o senhor se apresentou, _meu nome é Gustavo, Gustavo Augusto Ramos de Morais, o Fabrício dividia o quarto comigo e creio que tudo que pertencia a ele deve ficar com você. _o que eu vou fazer com essas coisas? por acaso isso traria meu irmão de volta?

_Entendo sua dor. só imaginei que quisesse ter as coisas dele. entrando na conversa, uma voz feminina, interrompe os dois..._ deixe comigo. obrigada. e você Leonardo, venha, temos que acompanhar o corpo. já conduzido, a seguiu sem reclamar.

As voltas do mundo ensina que a espera é sempre sábia, a movimentação aumentou, o corre corre nos corredores do hospital aceleraram, a emergência e urgência vinha do quarto 19, logo ao lado do quarto que estava Camila, que ainda olha sua cicatriz diante aquele espelho, e o alvoroço chamou sua atenção, e seguiu na direção da porta, de onde pode se ouvir:_venha doutor, venha, a paciente esta tendo uma parada, teve reação ao transplante. ouvindo isso por inúmeras vezes ate que se fechou a porta do quarto ao lado. voltando para seu leito, Camila se pôs a imaginar, se ela também havia feito um transplante. pois apresentava um corte imenso entre seus seios, e aquela ala estavam todos que fizeram cirurgias. quem seria a paciente do quarto ao lado? seria jovem? idosa? sem saber os reais motivos porque tanta curiosidade referente ao acontecido que presenciara agora pouco, vagava em seus pensamentos, ate que percebeu a entrada de uma enfermeira _olá, despertou! que bom, você tem uma medicação agora.

_ouvi uma movimentação no quarto ao lado, o que aconteceu?

_uma paciente não reagiu bem pós cirurgia, mas fique tranquila, esta sendo acompanhada. esse medicamento pode te dar sonolência, como se sente? tem dor?

_não. só estava um pouco zonza, e pouco posso me movimentar.

_ Isso tudo esta dentro da normalidade. mais tarde o dr vai passar aqui para te avaliar ok?

_quando vou ter alta?

_não se apresse, o dr vai passar por aqui, daí vai te falar tudo ok?

Algumas horas depois... o tempo era inimigo da ansiedade, inquietude depois de receber a ligação do hospital, avisando da possível alta de Camila após mais de 15 dias, onde ficou três dias em coma, e levada a fazer uma cirurgia com grande risco de morte, as orações foram válidas, tê-la de volta em casa seria uma segunda chance, e entre todos, os corações batem aliviados...mesmo devido ao trauma sofrido sua memoria poderia ter sido afetada, observação já detectada pelo medico Dr. Sergio Vogado dias atras.

Nos tramites legais a medida de afastamento do Dr Sergio prosseguiu sendo a a cirurgia de camila a ultima do seu Curriculum. mais de 40 anos de profissão, precisava descansar, pois foi diagnosticado com um Câncer raro, esse sem solução, poucos meses, semanas ou dias, para tirá-lo a vida. em plena consciência, construiu sua história salvando vidas, e que ironia, não poder salvar a sua própria. era um homem realizado pessoalmente e profissionalmente, casado, tem dois filhos Frederico, esse seguiu a carreira do pai, e já trabalharam juntos em alguns casos, é residente no hospital onde também é administrador geral, já Amanda passa longe da medicina, investiu em fotografias, hoje bem requisitada em sua área ama viajar, conhecer lugares de todas as formas.

Receber pessoas não fazia parte da Rotina de Frederico mais uma em especial não tinha como recusar, era Gustavo Augusto, seu fiel amigo.

_ tem que ser rápido, tem uma reunião em 5 minutos.

_só passei pra dizer que fiz como pediu, deixei todas as coisas do Fabrício com o irmão.

_Certo. a imagem do meu pai jamais sera manchada. com isso deixo tudo sobre controle. quando avaliar os documentos, onde o Fabrício é um doador de órgãos, nada vai poder fazer contra o hospital ou com qualquer profissional.

_é o Coração dele salvou uma vida.

_creio que vai muito alem disso meu amigo, estou vivo por isso também. fiz a coisa certa para a pessoa certa.


continua...


5 de Abril de 2020 às 15:23 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Encontros e desencontros, qual foi o ponto de partida?

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas

Mais histórias

At First At First
The Lunar Maid The Lunar Maid