amorakriis Mahina ✿

(...) — Ah minha pequena, você foi moldada para mim, na medida certa.— Acariciou o corpo feminino, mantendo foco nos seios sensíveis enquanto ditava tais palavras. —Mas não te preparei para foder assim, Devagar...


Erótico Para maiores de 18 apenas.

#Sexhard
Conto
80
6.8mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Dianna admirava seu reflexo no espelho à alguns minutos, em seus seios haviam hematomas roxos com bordas avermelhadas, local mais apropriado para se esconder as marcas de uma noite quente dos pais ou outras pessoas. Os dedos finos e gélidos passeavam pelas marcas suavemente, trazendo flashs dos momentos alucinantes e quentes em que foram feitas. ᅟᅟᅟᅟ ᅟ

Um suspiro excitado e satisfeito saltou dos lábios rosados antes de um sorriso nostálgico nascer em sua boca.

—Dean — Sussurrou extasiada. Assim como chegou, toda a alegria se foi com as memórias do homem que lhe fazia bem todas as noites, o cara que lhe satisfazia de maneiras incríveis, que amava seu corpo como nenhum outro homem amaria. Era tão errado, tão sujo mas tão bom, tão gostoso, tão-

Diah?A mais velha pulou no lugar e tentou inutilmente tampar suas intimidades.

—Droga Dean, não me assuste desta maneira.— Bradou espantada, cobrindo parcialmente seus seios.

—Está se tampando por que? Já vi e revi tudo isso. — Disse o mais novo fitando-a como se fosse a única coisa do mundo que saciaria sua fome.

—Estava fazendo o que na frente do espelho?— Questionou o mais alto abraçando-a por trás e olhando o corpo nu refletido no espelho.

—Não posso me olhar no espelho mais? — Indignou-se, forçando uma expressão dramática.

—Claro que pode. Está apreciando minha obra de arte?— As mãos ásperas e pesadas seguiram para os seios marcados e sensíveis da mulher, iniciando uma massagem lenta e gostosa.

— Ai Dean, eles estão sensíveis e doloridos. —As falanges ásperas cutucaram os mamilos com delicadeza.

—Claro que estão, trabalhei intensamente horas atrás. Sabe que minhas mãos são destinadas à eles, é automático. — Dean se aproveitando da fraqueza alheia, inclinou a cabeça e começou desferir selinhos suaves pelo pescoço da morena enquanto sussurrava cada palavra.

—D-dean...— Grunhiu esganiçado, como se estivesse em umas das sessões em que o rapaz lhe tirava o fôlego com seu enlace apertado.

—Relaxa — A destra do mais novo escorregou, se apoiando na barriga lisa, puxando o corpo feminino para trás e fazendo a bunda nua sarrar em seu pênis semi-ereto por baixo da calça moletom.

—Aah, Dean isso é tão errado nós não deveríamos fazer isso.— Se preocupou tentando fugir do semi abraço alheio.

— Esquece isso Dianna, nos faz bem. Qual o problema? — A mulher se virou e fitou o olhar intenso de outrem, este que a desequilibrava.

—Talvez o fato de sermos...— Foi interrompida pela canhota que a silenciou em meio a frase.

—Shhh...— Se inclinou para beija-la, obtendo êxito ao ter o beijo aceito. Os lábios cheios foram sugados com volúpia pelo os semelhantes do mais novo, causando um arrepio já costumeiro na pobre garota que se situava na palma da mão áspera alheia. Audaciosa, a lingua do rapaz logo pediu passagem para adentrar sendo aceito imediatamente, como deveria ser, Diah sempre cederia a sua dominação. E como um bom bruto, não perdeu tempo em deixar uma série de mordidas e sugadas nos lábios cheios voluptuosos. O enlace das mãos ásperas que até então se encontrava na cintura fina, seguiram caminho para as coxas volumosas puxando e erguendo, para poder carrega-la. Seu pé livre logo encontrou a porta do banheiro, empurrando e liberando a passagem para o quarto, rapidamente seguiu até a cama que ficava no centro do quarto lilás com muitas polaroides espalhadas pelas paredes.ᅟᅟᅟᅟ ᅟᅟᅟᅟᅟᅟᅟ Dianna foi jogada brutalmente na cama, fazendo o corpo saltar uma vez antes de ceder deitado, as pernas pararam abertas dando uma visão privilegiada para quem dominaria seu prazer, este que se encontrava em pé observando fixamente a vagina recentemente depilada e bastante úmida. Deanse sentou na beirada da cama entre as pernas grossas e lambeu os lábios lentamente antes de puxar o tronco pequeno e fino para ficar com a cintura elevada, quase a dobrando ao meio, colocando a buceta que tanto amava bem perto de seu rosto.

A dona do quarto teve que se apoiar nos braços sobre a cama para não virar cambalhota. Ensandecido, aproximou para apoiar o quadril suspenso da morena em seu peito, ficando com as mãos livres, na intenção de usá-las como bem entendesse. Seus olhos encontraram os semelhantes e antes de qualquer atitude, o homem sorriu ladino em aviso de que iniciaria a "tortura". A mão grossa passou suavemente pela coxa esquerda enquanto desferia beijos molhados pela direita, assim que o toque chegou bem perto da vagina pulsante e quente o maior cessou os selares, levando seu dedo áspero para esfregar contra a fina pele dos lábios inferiores da buceta. Isto foi o suficiente pra fazer a morena resmungar em resposta, o dedo circulou lentamente toda sua área molhada e quente até chegar na ponta do clitóris. Dean usou a ponta da falange para estalar toques sobre o carocinho rijo e úmido, o corpo feminino saltou levemente em cada "toque".

—P-are de brincar com ela —Implorou sofrida, apertando as unhas contra o pulso, marcando a pele.

—Por que? Você 'tá gostando tanto, está toda molhada — Debochou, sabendo o quanto era vil por maltratar tanto a garota.

— Por favor, põe um — Não perdeu tempo em acatar o pedido, enfiando lentamente o dedo indicador dentro da vagina molhada e quente.

—Dee...— Com a mão direita aumentou a velocidade da massagem no clitóris antes de curvar o dedo indicador esquerdo dentro do canal da vaginal para achar o outro ponto de prazer da garota.

—Isso- porra...— Sorrindo travesso, Dean se curvou para perto da buceta e correu a língua quente e aveludada de baixo para cima, colhendo boa parte da lubrificação natural. O corpo curvilíneo fraquejou e quase despencou, se não fosse as mãos fortes e agora livres lhe sustentando, certamente escaparia para fora da cama.

O homem se concentrou completamente em fazer o trabalho que tanto pesquisou, leu e assistiu em conteúdos da web, tal trabalho que levava sua pequena à se contorcer com tanta flexibilidade, aparentando uma ginasta. Sua boca foi encaixada acima do clitóris rijo, cobrindo todo perímetro e fazendo pressão na intenção de ter apoio nos próximos atos seguinte. Estes formados por um bater veloz de língua na extremidade do clitóris. Consequentemente, o estímulo levou a garota à fincar as unhas nos ombros fortes, num aperto dolorido que induziu Dean fazer com mais vontade ainda.

(...) Dianna se encontrava extremante sensível em certa área, pois, na madugada anterior aquele que tinha carta livre para lhe possuir, havia feito uma questão absurda de encarar noite a dentro brincando com sua vagina, enfiando os dedos em si enquanto usava a boca para marcar brutalmente seus seios. Seu record foi batido, gozando seis vezes apenas com os dedos grossos e ásperos ganhando espaço dentro de si. Dean se concentrou tanto em faze-la gozar, que ignorou seu próprio prazer, ciente que deveria estar mudando o tom de suas bolas para um azul. Por fim, com outrem totalmente desgastada por cima de uma bagunça de lençóis, lhe restou um belo banho frio. (...)

As coxas voluptuosas formavam um enlace em torno da cabeça do homem e quase o sufocava na buceta exageradamente molhada, enquanto a destra pequena tentava empurra-lo para longe, e assim se formava uma de suas atitudes que soava cômica a ele, ato de tentar afastar enquanto o mantia preso, bipolaridade do sexo. Quando uma pontada absurdamente forte se formou em seu baixo ventre, Diah abriu as pernas e afastou o mais novo de uma vez, arrastando-se para trás.

— Não vai fugir de mim— Pronunciou predatório, rosnando baixinho ao mesmo tempo em que a puxava pelas pernas e virava de bruços na cama. Sem perder mais tempo, montou no corpo feminino e lhe prendeu com seu peso.

— Eu ainda não terminei —Gracejou debochado, achando divertido o desespero alheio, era gratificante para seu ego ver que tinha o poder de controlar o fogo no corpo feminino.

— Achou mesmo que eu passaria a madrugada toda te preparando, a manhã te deixando molhada 'pra não te comer do jeito tenho vontade a tempos?— Sussurrou próximo ao lóbulo da orelha, dando pausas para beliscar e sugar a tez perfumada. O pênis ereto e quente foi encaixado na bunda volumosa e Dean usou ambas as mãos para abrir espaço, pressionando todo o peso do seu torso nas costas magras, prendendo-a abaixo de si. Sua pelves iniciou lentamente movimentos de vai e vem, e desta vez as mãos forçavam a bunda arrebitada à comprimir, apertando o músculo enrijecido.

O Caralho sumia e reaparecia no topo da bunda redonda em movimentos lentos que deixavam a menor sentir nitidamente as pulsadas gostosas do membro, os resmungos finos chegavam como carícia aos ouvidos de Dean, fazendo o rapaz sorrir satisfeito. Se havia algo que ele realmente adorava, era todo o dengo que a garota tinha na cama. Abrupto, se ergueu e sentou sobre os calcanhares, trazendo a morena para fazer o mesmo. Assim que ela estava posicionada, precisou de poucos movimentos para encaixa-la na glande rubra. Lentamente, desceu o corpo mole de prazer da mais velha até sentir que estava empalando por completo, um suspiro duplo escapou de ambos os lábios e a cabeça de fios longos e úmidos encostou em seu ombro. O homem virou o rosto e suavemente beijou os lábios doces, que se encontravam entreabertos num ofegar constante.

—Posso?— Sussurrou rente a boca inchada.

—Me come D-Dean — Com a força dos braços, o maior sustentou o corpo feminino para estocar lento e profundo, arrancando grunhidos manhosos de Diah. "Tão apertada, tão molhada, tão doce, tão pulsante poderia morar dentro dela para sempre." Pensou enquanto se sentia deslizar no interior apertado.

—hmm- É tão bom sentir seu pau inteiro d-dentro de mim, me sinto satisfeita em saber que consigo te engolir t-todinho. — Declarou com a voz tão arrastada que se o mais novo não soubesse diria que estava embregada. Mas pensado por outro ângulo realmente estava, embregada de prazer.

— Você foi moldada 'pra mim. Na medida certa — Acariciou o corpo curvilíneo, dando mais atenção aos seios sensíveis.ᅟᅟᅟᅟ ᅟᅟᅟ

— Mas não te preparei toda para te comer assim, devagar.— Soltou uma risada rouca no ouvido alheio. Antes de Dianna pensar sobre o sentido da frase, seu corpo foi rapidamente erguido e levado para fora da cama, mãos fortes a sustentava e a posicionava frente as portas de vidro da varanda de seu quarto. Não teve tempo de firmar os pés no chão, quando se chocou contra o vidro ao ser empalada violentamente, seu quadril foi bruscamente agarrado, sendo obrigada a assumir posição nas pontas dos pés, a porta começou a embaçar com o quão quente estava a temperatura de seu corpo pequeno e a procura por apoio naquela base lisa foi praticamente inútil.

—Oh, minha nossa— Gemeu em bom tom. A mente de Dianna girava no alerta que dessa vez seus pais descobririam suas aventuras, pois, ela e Dean deixariam rastros de uma porta de vidro quebrada. Os carros passavam e as pessoas andavam ao lado de fora tocando suas vidas enquanto eram observadas por um olhar desfocado de uma mulher em pseudo transe, as estocadas estavam tocando tão fundo em si, que aos galopes suas pernas perdiam as forças.

—Oh... porra... Dean Dean— Rogou por sua atenção sem necessidade, pois os olhos negrumes estavam voltados para si.

—Gosta assim? N-nunca te peguei desse jeito, estava morrendo de vontade — A voz masculina soava grutural pelo esforço e prazer.

— Pela D-divindade — Berrou enlouquecida.

— Divindade não, por mim! Chama a porra do meu nome.— Sufocou, apertando o pescoço fino, como um alerta para quem deveria voltar seus gemidos.

— D-dean Dee- oh — Grunhiu conforme o ar escasso lhe permitia.

— Isso, minha puta. Chame pelo dono do teu prazer —A língua quente do homem correu a nuca alheia, largando da garganta para erguer a perna direita, em busca de mais liberdade para estocar o mais fundo possível. A velocidade era imensa, tão forte que aparentava que o rapaz estava querendo disputar com a velocidade de seus corações disparados. Dianna apoiou sua testa na porta de vidro demostrando o quão rendida estava, sabia que ao fim daquela foda, não saberia como andar novamente. Todavia, de um jeito dominante, a mão de outrem puxou os cabelos enrolados para trás fazendo a mulher voltar a encostar a cabeça em seu ombro.

—Quero ver seu reflexo no vidro... Sua cara de tesão é meu combustível.—Um grito manhoso escapou da garganta da mais velha indicando o quão próxima ao ápice estava.ᅟᅟᅟᅟ ᅟᅟᅟᅟ Rapidamente, a mão que erguia a coxa farta voou para a vagina banhada e começou a massagear o clitóris tão veloz quantas as estocadas.

—Quer gozar?— Questionou cretino, brincando mesmo nos últimos momentos.

—Por favor D-dean.— Implorou chorosa, grudando as unhas nos pulsos alheios.

—Está desesperada Dianna?— Era sádico e apreciava ser assim, pois sabia que tudo oque exibia num sexo, levava a mulher à loucura.

—Não f-faz assim comigo— No mesmo instante diminuiu a velocidade tanto das estocadas, quanto da massagem no clitóris.—Não quer assim? Quer devagar então — Moveu a pélvis devagar, quase estagnando o ato de uma vez.

—N-não Não... V-volta.— Dianna tentava se comunicar, mas por estar com a mente nublada suas palavras saiam sem nexo algum.

—Que? Está falando de que? Não estou entendendo— A risada rouca do homem evidenciou o quanto ele estava adorando brincar desta maneira.

— PORRA DEAN M-ME FODE.— Ordenou já desesperada, se agarrando aquela fina linha de orgasmo que não poderia perder, pois até encontra-la novamente "sofreria" bastante na mão do rapaz.

—Assim que gosto, desinibida e mandona — Retomou com a velocidade máxima ainda mais bruto.

—Uuh eu vou— anunciou o orgasmo, travando a vagina para o pênis avantajado esfregasse com mais força onde queria. Os espasmos vieram violentos fazendo-a pular e arranhar mais ainda os braços alheios, querendo que ele parasse de esfregar seu clitóris pulsante.

—D-deannnn para, para— Sacolejou tentando se desvencilhar, tremendo como se estivesse em conclusão.

— Não — O maior franziu o cenho ao sentir ser mais comprimido dentro da vagina, seu pau pulsava forte, iria gozar a qualquer momento.

A massagem não perdia a velocidade e Dianna se perguntava como um homem conseguia ter tanta força e agilidade nas mãos. Em meio a essa loucura de gemidos e súplicas, Dianna gozou novamente um orgasmo seguido de outro sem pausa, sentia seu coração pular querendo sair do peito. Quando pensou em se jogar no chão sentiu a mão de Dean parar bruscamente a massagem e o líquido quente preencher sua vagina.

—Aaar porra, como é gostosa —Rugiu atrás si. Dean, fez menção de tirar seu pênis da pequena e ela travou ele dentro de si novamente.

—Não! Gosto de sentir pulsar—A frase quase não tinha som, era como se a menor tivesse corrido uma extrema maratona. Deixou uns segundos a mais e ergueu a morena logo em seguida contra a vontade dela, levando para cama.

—Está bem? Te machuquei?— Questionou preocupado com seu bem estar.

—Não. Quando vamos fazer de novo?— Por mais que estivesse visivelmente cansada, seu tom de voz foi animado.

—Apressada, preciso cuidar de você primeiro.— Selou os lábios com carinho.

-

Novamente no banheiro Dianna se sustentava pelo os braços na pia e observava o estrago que Dean havia feito enquanto o mesmo enchia a banheira atrás de si.

—Droga Dee tem marcas de dedos no meu pescoço. Como vou esconder isso?— O homem se aproximou e abraçou o corpo pequeno por trás como mais cedo, seus olhos encontraram o reflexo belo pelo espelho como num deja vú.

—Desculpa, peguei pesado.— Se lamentou mesmo que dentro de si não havia arrependimento e se a mulher lhe pedisse para recomeçar ali mesmo, ele o faria.

—Não, tudo bem...— Diah ergueu os braços querendo que o mais alto lhe carregasse até a banheira, ele havia realmente a deixado com dificuldades de locomoção.


••• Mais tarde naquele dia ~

A garota desceu as escadas bem arrumada e encontrou seus pais chegando.

—Oi mãe, Oi pai.— Cumprimentou abrindo um gigante sorriso de quem estava incrivelmente feliz.

—Está linda querida, vai sair?— Norman perguntou, apreciando a aparência da jovem que lembrava fisicamente quando era mais nova.

—Vou mamãe— Ajeitou as roupas e puxou os fios para frente dos ombros.

—É algum menino ? Heim?—Perguntou, oferecendo um sorriso ladinho e um manear de sombracelhas que sugeriam cumplicidade.

—Não... apenas amigas.— Riu fraco, contendo a informação que já havia se encontrado com um menino hoje e ocorreu de forma deliciosa.

—Até por que se fosse um menino eu matava ele — Dean surgiu nas escadas de blusão e calça moletom, traje de assistir animes.

—Meu filho, você não pode ser assim com sua irmã, ela está na idade de namorar.— Norman encrencou séria ao que seu caçula se comportava de maneira possessiva demais e poderia afastar futuros pretendentes com sua extrema proteção com a irmã.

—Só por cima do meu cadáver —Insistiu não baixando a postura rígida frente a mãe. Don, o pai, passou pelas mulheres da casa e bagunçou o cabelo do filho mais novo.

—Esse é meu garoto, nada de deixar sua irmã namorar por aí.— Elogiou, tomando a reta para seus aposentos.

—Pode deixar estou de olho nela pai.— Comentou com um ar de riso, disfarçando o olhar dominante. Dianna revirou os olhos e esperou sua mãe se retirar para poder se pronunciar uma última vez antes de sair.

—Você não vale nada Dean Parker


—Você é minha Dianna Parker


— × —




Ps:. Dei uma ajeitadinha ;)

26 de Abril de 2021 às 23:42 15 Denunciar Insira Seguir história
35
Fim

Conheça o autor

Mahina ✿ Bem - vindos .-.

Comente algo

Publique!
Maria Natália Messias Camargos Maria Natália Messias Camargos
Garaio, fui pega de surpresa quando descobri no final que os dois são irmãos, deus do céu Maria a nossa frente kskskksks (Sou católica mas não tenho o mesmo preconceito dos antigos, mentalidade velha é pra velho, nova geração com seu pensamento próprio e próprios julgamentos ^^)
NíngYì Mèng NíngYì Mèng
Oh, céus, eu achei o pilar da perfeição dos contos eróticos.
July 20, 2021, 04:49

  • Mahina ✿ Mahina ✿
    Sinto extrema satisfação de saber que a leitura foi boa pra você 💖💖💖 August 07, 2021, 19:28
ES Elaine Silva
Maravilhoso , queria mais
May 20, 2021, 21:23

Valéria Santos Valéria Santos
Q perfeição de conto erótico meu Deus 😱😍😍😍
May 15, 2021, 11:13

Emilly Ribeiro Emilly Ribeiro
Aaaaaaa tá incrível
April 17, 2021, 20:42

Ingrid Iasmin Ingrid Iasmin
adorei!!!
March 03, 2021, 22:33

Camila Masumy Camila Masumy
ameiiiiiiiiiiiiiiiii
December 22, 2020, 07:33

Bee Guimarães Bee Guimarães
Eu só digo uma coisa : 👏👏👏👏👏 PARABÉNS MELHOR “HISTÓRIA” QUE JÁ LI NA VIDA 😗👌❤️
December 03, 2020, 03:54

  • Mahina ✿ Mahina ✿
    Mesmo? Kkkk Fico muito feliz bae 🥰 May 17, 2021, 02:34
~