xscar Scarlett Bulckowisk

❝ Eu o odiava, com todas as minhas forças, mesmo sem muitos motivos, afinal, até mesmo suas imperfeições eram bonitas! Ele era, por inteiro, bonito! E talvez... só talvez... fosse sua perfeição que me fizesse odiá-lo ainda mais! Como eu o faria desistir de mim em três semanas, se nem mesmo eu parecia querer deixa-lo? ❞ Lissandra - Liss - Bacher tinha seus vinte e dois anos, criada no verdadeiro berço de ouro. Sempre, em toda a sua vida, havia sido tratada como uma princesa, tendo o que queria, na hora que queria. Sempre, até o bendito dia em que viu todo o império multimilionário de seus pais cair em ruínas em sua frente, deixando-os na beira da miséria. Todavia, Liss tinha uma sorte quase milagrosa. Antes mesmo de ter que se desfazer de todos os seus luxos, a oportunidade bateu em sua porta em forma de Mikhail Fierrs, o homem que mais admirava e pai de sua melhor amiga, oferecendo-a não só uma oportunidade de trazer todo o império de seus pais de volta, como também, não abdicar de nenhum de seus luxos. Aquela oportunidade apenas tinha um preço: casar-se com seu filho mais velho, o ex-CFO das empresas Fierrs que agora administrava a enorme fazenda herdada pela mãe, que havia falecido há alguns meses, ou fazê-lo desistir do casamento em três semanas. Sentindo-se sem escolha (afinal, abdicar de seus luxos não era algo que ela gostaria de optar) ela se vê tentada a fazer Ygor Fierrs desistir dela, sendo a pior noiva do mundo. Seu plano apenas tinha uma falha: não imaginar que Ygor Fierrs fosse a mais pura tentação em forma de homem.


Romance Erótico Para maiores de 18 apenas.

#389 #comédia #amor #258 #humor #drama #erótico
1
951 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Sextas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

1.0 Um Porsche, muita lama, e um futuro marido gostoso.

— Então....

Meus pais se sentavam em um lado da mesa e eu do outro. Eles me olhavam com uma certa expectativa.

— Mikhail Fierrs está no escritório! Quer conversar com você.

Meus olhos brilharam, com toda certeza. Mikhail Fierrs era simplesmente o meu ícone quando se falava em administração. Foi por ele que eu havia feito quatro anos em uma faculdade privada e me formado em tal curso. Me levantei de uma só vez, e andei em direção ao escritório. Oh, céus!! Seria minha hora de brilhar? Empurrei a porta com delicadeza, vendo o homem sentado ali com um copo de bebida na mão.

— Senhor Fierrs? — Adentrei o cômodo e ele virou o rosto com um sorriso de canto.

— Lissandra! Como está grande. — Veio em minha direção e apertou minha mão. Contornei toda a escrivaninha e me sentei de frente para ele. — Bem, creio que esteja surpresa por minha visita.

— Um pouco. — Dei de ombros, me aconchegando na cadeira de couro. — Todavia, creio que queira ser direto, sim?

— Claro, prefiro ir direto ao ponto. Soube que sua família está passando por alguns problemas financeiros, certo?

— Bom... — Soltei um suspiro. — A situação não está... boa para nós, tenho que admitir. A empresa despencou e não sabemos como faremos para reergue-la. Talvez tenhamos que abdicar de algumas coisas, como a casa e...

— E se... você tivesse a chance de poder ajudar sua família sem abdicar de nada? Muito pelo contrário, ganhando ainda por cima.

Franzi o cenho.

— Senhor Fierrs, eu...

— Não me leve a mal, Lissandra. Não é o que você está pensando. — Ele riu. — Eu tenho uma proposta para você.

— Sou todo ouvido.

— Bem, creio que sabe que tenho um filho, além de Anyia. Ele é o mais velho. — Pareceu divagar por instantes. — Morava comigo na cidade, formado por uma das melhores faculdades da América Anglo-saxônica em economia. Era o CFO da Fierrs até Sirena vir a falecer. Quando... alguns meses após seu inventario foi aberto e ele acabou assumindo a fazenda que ela deixou. Uma fazenda enorme, que tem uma grande contribuição para o PIB espanhol. A plantação é maravilhosa, possuí dois espaços: um para produtos naturais e outro para transgênicos, sem falar do espaço para o gado.

— Hã... eu... bem, é maravilhoso, mas o senhor poderia ir direto ao ponto?

— Se prefere. — Ele suspirou. — Ygor precisa se casar, Lissandra, e sem dúvidas com uma pessoa da cidade. Minha relação com ele está abalada, e ele quase não me ouve. Eu poderia deixa-lo quebrar a cara para aprender, mas não quero perder todo o patrimônio de minha esposa por causa dele. Ygor não pode, de maneira alguma, se casar com alguma daquelas mulheres, principalmente Arabelle Velásquez, sua ex-namorada. Ele está solteiro novamente, e sei que vai acabar caindo nas garras daquela mulherzinha repugnante que só quer o dinheiro da fazenda. Eu quero que ele se case com alguém que seja digno, ao menos.

— Hã... por que eu, então? Digo, estou falida, posso fazer o que Arabelle faria.

— Porque... eu vejo algo diferente em você, Lissandra. Sem falar que é uma mulher da cidade, pode por um pouco de juízo na cabeça dele. Quem sabe traze-lo novamente para Paris e deixar um representante lá?

— O que eu ganharia com isso?

— Bem... eu posso reerguer a empresa dos seus pais, e você terá um marido rico pelo resto de sua vida. — Mikhail deu um sorriso ladino. — Além de que... terei a certeza que você não vai ser uma dessas mulheres aproveitadoras que tentará algo contra meu filho para herdar a fortuna, pois com a empresa do seu pai de volta no mercado, não dependerá do dinheiro de Ygor.

Pisquei.

— Senhor Fierrs, eu.... — Suspirei. — É uma proposta tentadora, mas...

— Mas? Não venha com isso, Lissandra. Prefere ter que levar uma vida suburbana? — Ele riu. — Viver em um bairro pobre e podre nos subúrbios de Madri? Além de que... toda a imprensa ficará sabendo. Você será excluída da roda dos ricos de Madri, e duvido muito que seus "amigos" olhem na sua cara ou vão te visitar em uma casa caindo aos pedaços.

Desviei o olhar. Tentava fingir que as palavras que ele atirava não faziam efeito, mas via que falhava miseravelmente.

— Vamos melhorar esse acordo. — Mikhail suspirou. — Soube que você está interessada em Leon Álavas, certo? Bem, se aceitar se casar com Ygor, te dou três semanas para faze-lo desistir do casamento. Se isso acontecer, reergo a empresa de seus pais mesmo sem você se casar com Ygor, e você pode ficar com Leon. Caso contrário, seus pais sairão ganhando do mesmo jeito e você se casará com Ygor.

— Não brinco com os sentimentos alheios.

— Não se preocupe, mostrei uma lista de garotas em potencial para um casamento com ele e ele te escolheu. Por algum motivo, ele achou que combinariam, por isso estou aqui. Agora, só falta você. O que me diz?

❛ ━━━━━━・❪ ❁ ❫ ・━━━━━━ ❜

Meus dados moveis não funcionavam, nem mesmo o sinal do rádio, e aquilo me irritava.

O fato que eu estava indo para o fim do mundo, em minha concepção, me irritava ao extremo. Oh, certo, você não está entendendo nada, não é? Deixe-me me apresentar, queridos.

Eu me chamo Lissandra, tenho vinte e dois anos e sou formada em administração. Sou filha de um casal de empresários do ramo alimentício, que, até poucos meses atrás, eram os mais ricos da Europa.

Eram.

Infelizmente, por culpa do destino, eles faliram, ou melhor, chegaram à beira da falência, porém, isso não vem ao caso. O que vem ao caso é que eu estava há quilômetros longe de Madri, afogando os pneus novos da minha Porsche vermelha em um mar de lama que as pessoas consideram como estrada, enquanto "7 Rings" soava pelos altos falantes do meu iPhone. Minhas mãos delicadas agarravam o volante negro com o logotipo daquela marca extremamente elitista enquanto eu acelerava o máximo que podia, com um certo receio que meu carro pudesse ficar atolado naquele monte de barro. Meus óculos escuros da Chanel reluziam a luz dourada que o sol brilhante oferecia como um agrado, porém, mesmo com aquele maravilhoso sol, ainda estava frio.

— Qual a necessidade de morar tão longe?! — Resmunguei, acelerando ainda mais. — Porra, acho que estou perdida! E nem mesmo tenho um GPS! Bendita seja essa merda de lugar!

Grunhi enquanto continuava a dirigir. Olhava para fora, caçando qualquer resquício de uma fazenda grande. Quando encontrei, vi que Mikhail não estava brincando.

Era logo a primeira, e em volta, parecia haver um pequeno vilarejo. Retirei os óculos enquanto adentrava a fazenda com um certo cuidado. Alguns trabalhadores me olharam como se vissem algo incrivelmente anormal.

Entendo a surpresa de vocês, compartilho dela. Também nunca pensei que iria estar aqui.

Umedeci os lábios, e continuei dirigindo até onde me pareceu uma garagem a céu aberto. Grunhi por ter que abandonar meu tão querido 911 embaixo daquele sol. Meneei a cabeça antes de puxar a minha bolsa. Pensamentos positivos, Lissandra! Pensamentos positivos!

Enfiei meu celular dentro da mesma, com o player desligado. Abençoado seja quem criou o iTunes ou eu teria a pior viagem do mundo. Ajeitei os óculos em meu rosto novamente e abri a porta do carro. Travei.

Por algum motivo, aquela garagem parecia mais um monte de lama onde você largava o seu carro, e eu não estava com a mínima vontade de sujar a minha mais nova Gucci no meio daquela lama nojenta.

Eu joguei pedra na cruz! Ou melhor, eu joguei o muro de Berlim por completo!

Respira! Respira! Respira!

Fechei os olhos e tomei um impulso. Me levantei, e a cada centímetro que minha bota afundava naquele monte de barro eu sentia um remorso enorme. Tive sorte de conseguir me manter em pé, e fechei a porta do carro. Quis chorar ao me afastar e ver os pneus, junto com uma parte da lataria, cobertos pela lama da estrada.

— É apenas... sujeira. — Murmurei para mim mesma. — Vai sair com água.

Me virei, jogando meus cabelos para trás. Andei com um pouco de dificuldade naquela terra.

— Ei, quem é a senhora? — Uma mulher me parou. Usei de toda a minha paciência para não gritar.

— Vim ver Ygor, Ygor Fierrs. — Dei meu melhor sorriso. — Avise-o que é a noiva dele.

— N-Noiva?

— É, noiva. — Bufei. — Lissandra Bacher.

— Hã... tudo bem, vem comigo.

Segui a mulher por toda a entrada, até chegarmos na enorme fazenda. Retirei os óculos, um pouco apalermada com o tamanho daquele casarão. Depois de instantes, subi os degraus que levavam a varanda e adentrei o hall de entrada.

Novamente, lá estava eu, surpresa com aquela casa. Ok, talvez eu tivesse subestimado e imaginado aquelas fazendas do século XVII, o que era completamente diferente do que estava em minha frente. Era um lugar simples, o que não era sinônimo de pobre. A mobília era aconchegante, as paredes pintadas por cores suaves.

— Vou chama-lo, por favor, fique aqui.

Oh, como se eu realmente fosse desaparecer em um estalar de dedos. Somente se Thanos existisse, mas duvido muito que ela saiba quem Thanos seja.

Assenti, enquanto via-a desaparecer por uma das portas. Naquele momento, minha mente teórica começou a pôr em prática todas as suas paranoias. Como ele seria? Mikhail não era tão velho... deveria ter uns sessenta anos? Bem, no máximo, Ygor poderia ser um homem de quarenta, quarenta e três anos. Não era velho, porém... também não era meu tipo.

Minhas mãos pareciam suar.

Eu havia tentado buscar algo sobre "Ygor Fierrs", mas ele parecia um mito online. Não havia Instagram, nem mesmo Twitter. Pareci ter perdido meu tempo ao tentar descobrir mais sobre ele.

Girei em meus calcanhares ao ouvir um barulho. A bile pareceu subir diretamente para a minha garganta quando meu olhar se focou no homem que adentrou o cômodo.

Usando uma bermuda e um par de botas, levava uma camiseta bolhada sobre o ombro e os cabelos pareciam úmidos, jogados para trás. Meu coração se acelerou. Seu físico era invejável, o peitoral era digno de quem fazia de tudo para manter uma excelente forma. Me olhou, e vi o intenso verde que seus olhos possuíam. Perdi todo o ar que eu tinha em meus pulmões, e senti partes que em hipótese alguma deveriam esquentar começarem a pegar fogo.

— Senhorita?

Sua voz me trouxe de volta a realidade. Quase soltei minha bolsa ao perceber que ele havia se aproximado. Cheirava a alguma fruta cítrica, o que me fez indagar internamente se ele havia acabado de sair de algum banho de rio ou algo parecido.

Deus, será esse o caseiro gostoso que todo filme têm?!

— Lissandra, Lissandra Bacher. — Estendi minha mão para um cumprimento formal, recuperando minha voz que havia sumido ao vê-lo. — Eu... bem... sou a noiva de Ygor Fierrs. Vou... passar três semanas aqui, resolvendo os assuntos do casamento.

— Oh, claro. É um prazer finalmente conhece-la, futura senhora Fierrs. — Apertou a minha mão, e me surpreendeu ao levar as costas da mesma até a boca, depositando um selar. — Eu sou Ygor, seu futuro marido.

29 de Março de 2020 às 00:59 1 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo 2.0; um lago, girinos e um cafuné contra o medo.

Comentar algo

Publique!
Allan Ortiz Allan Ortiz
Eu adorei a proposta! E confesso que fiquei ansioso pra saber como vai ser a relação dos dois <3 e também estou animado pra ver se haverá alguma vilãzinha no meio pra atrapalhar tudo (eu adoro vilões hahaha)
March 29, 2020, 02:19
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas

Mais histórias

Destino Traçado Destino Traçado
Jamais Vu Jamais Vu
Heart of book Heart of book