mrs-hatake Mrs. Hatake

Kakashi perdeu o pai muito cedo, tinha apenas cinco anos de idade após morrer em um acidente de avião quando retornava para casa após uma viagem de negócios. Minato e Kushina adotaram o pequeno Hatake, aceitando o último pedido de Sakumo e o criaram como filho, dando todo amor e carinho que ele merecia. Sakura Haruno foi criada por Tsunade Senju como a sua filha, após perder os pais de uma forma trágica, durante um horrível acidente de carro enquanto fugiam de um assalto. Desde então, convivia ao lado de sua mãe adotiva que atuava como a diretora do hospital de Konohagakure. O destino decidiu cruzar os seus caminhos em uma manhã quando Sakura foi salva por Kakashi, contra alguns valentões que estavam cercando-a e colocou todos eles em seus devidos lugares. Trocas de olhares marcaram presença após todo o susto passar e Sakura sentia-se grata por ter sido tirada daquela situação. A rosada conseguiria adentrar no coração de Kakashi e mostrar-lhe que daria todo o amor que merecia receber? O prateado deixaria levar-se pelas emoções que seu coração insistiria em não sentir? Descobriria o que é amar alguém de verdade?


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#naruto #sakuraharuno #kakashihatake #kakasaku
1
1.0mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Quartas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Uma Grande Perda

Minato chegou às pressas ao hospital junto de Kushina ao receber a notícia sobre o acidente que o seu amigo havia sofrido. Ele desceu do carro rapidamente e viu Sakumo sendo retirado da ambulância, correu em sua direção e segurou as mãos do mesmo.

— Sakumo... Estou aqui, meu amigo. — Segurou firme as suas mãos.

— Fico feliz que esteja aqui. — Sorriu fraco, respirando pesadamente. — Eu quero te fazer um pedido, Minato. Eu não irei durar muito tempo. — Respondeu sério.

— Do que está falando? Claro que você irá, Sakumo. O Kakashi precisa de você, mais do que qualquer coisa. É só um garoto. — Franziu o cenho, não entendendo o que ele queria dizer.

— Minato, eu quero que você prometa para mim que irá cuidar do Kakashi. Quero que cuide dele e o ensine tudo que vai precisar para se tornar um bom homem. Faça isso por mim, por favor.

— Eu... Eu prometo. — Afirmou com um nó apertando a sua garganta.

— Obrigado, amigo. Onde ele está? — Perguntou.

— Na escola, mas posso pedir para irem buscá-lo, se quiser.

— Melhor não, eu não quero que ele me veja nesse estado deplorável. Quase à beira da morte. Você e a Kushina serão os pais dele de agora em diante, está bem? Eu posso ir tranquilo, porque sei que o meu garoto estará em boas mãos de agora em diante. — Sorriu entre as lágrimas.

— Sakumo, eu... Eu serei o melhor pai para o Kakashi, darei o meu melhor. Eu prometo.

— Eu sei que vai, confio em você. Diga ao Kakashi que eu sempre o amarei. Para todo o sempre. — Soltou a mão dele lentamente.

— Não. Não. Não. Sakumo, fale comigo. — Sua voz era desesperadora enquanto era afastado pelos paramédicos que saíram correndo com ele para dentro do hospital, mesmo sabendo que não tinha mais o que fazer, ele já chegou quase sem vida, mas queria fazer algo antes. Despedir-se do amigo.

Kushina abraçou Minato fortemente enquanto encostava a cabeça em seu peito, tentando controlar as lágrimas que escorriam de seus olhos, mas ao mesmo tempo pensava no pequeno Kakashi. Tinha apenas cinco anos e já perdeu duas pessoas. Faria tudo o que fosse possível para fazê-lo sentir-se bem, tentaria o máximo mostrar-lhe que seria uma boa mãe para ele. E ensinaria tudo o que deveria saber.

**********

Kakashi segurava a mão de Minato sem mencionar nenhuma palavra enquanto olhava para frente em total silêncio, observando todas as pessoas que se despediam do seu pai depositando as flores sobre o caixão e afastavam-se em seguida. O lugar foi esvaziando aos poucos, restando apenas os três. Minato aproximou-se e respirou fundo, ajeitando os seus óculos escuros para esconder as lágrimas que escorriam de seus olhos. Sentiu o abraço da esposa e o nó em sua garganta apertava cada vez mais, como se estivesse o sufocando de alguma maneira.

Minato agachou-se e pegou o pequeno Kakashi em seu colo, aconchegando-o em seus braços. Disse palavras reconfortantes em seu ouvido e ele apenas concordou com a cabeça enquanto seguiam para a saída. Kakashi olhou para trás pela última vez, antes de irem embora. Para a sua nova casa, não era tão ruim. Gostava bastante de Minato e Kushina, os seus novos pais.

— Eu quero que você se sinta em casa, Kakashi. Será o seu novo lar daqui em diante. Está bem? — Minato apoiou as duas mãos sobre os joelhos.

— Está bem. — Foi a primeira frase que mencionou após todo o ocorrido.

— Não precisa me chamar de pai ou a Kushina de mãe, só se sentir-se confortável com isso. Pode usar os nossos nomes, não vejo problema nisso. — Minato sempre sendo amigável.

Kakashi concordou com a cabeça enquanto olhava ao redor, eles sempre estiveram presentes em sua vida mesmo quando os seus pais ainda eram vivos. Eram grandes amigos e Sakumo confiava sua vida ao Minato, não confiaria ninguém ao seu filho como fazia com ele.

— Venha, vou mostrar o seu novo quarto. Espero que goste, se não estiver do seu agrado, podemos mudar a decoração para uma melhor. Você escolhe. — Sorriu subindo as escadas, segurando as mãozinhas do pequeno Hatake.

— Está bom assim, Minato. N... Não precisa mudar. — Sorriu tímido.

— Como achar melhor, amigo. Colocar de algum super-herói que você goste muito. O que acha?

— Batman e... Homem-Aranha. — O loiro sorriu com isso.

— Está certo, vamos decorar com os dois. Assim não precisará escolher. — E abriu a porta do quarto, entrando junto dele.

Minato cruzou os braços perto da porta, enquanto observava Kakashi andando ao redor antes de sentar-se na cama em silêncio, fitando as mãos.

— O... Obrigado. — Disse baixinho, quase em um sussurro.

— Não precisa agradecer, Kakashi. Você é nosso filho agora, faz parte da família. Quero que se sinta bem e se tiver algo lhe incomodando, pode conversar com a gente. Estamos aqui para ajudá-lo.

Kakashi concordou e fechou os olhos, sentindo um beijo carinhoso em seus cabelos antes de Minato afastar-se e sair do quarto, dando uma última olhada nele para ter certeza de que estava bem. Ao encontrar-se sozinho, o pequeno não conseguiu segurar as lágrimas que escorriam de seus olhos.

Abraçou os joelhos e sentia o seu peito ardendo como se estivesse a ponto de arrancar o seu coração de alguma forma, não aguentava essa maldita dor que estava o sufocando. Secou as lágrimas que insistiam em cair, mas precisava disso. Precisava colocar para fora toda a dor e sofrimento que estavam tomando conta do seu ser. Primeiro perdeu a sua mãe para uma doença incurável e agora foi o seu pai em um maldito acidente de avião. Mas agora tinha Minato e Kushina que sempre cuidaram dele e mostravam o quanto se importavam com ele.

Tinha que agarrar-se nisso e sabia que nunca o machucariam, sempre o consideravam como o filho e o tratavam com muito amor e carinho. O amor que sentiam por Kakashi, não poderia ser retirado de maneira alguma, eles o amavam e isso nunca mudaria. Estava certo sobre isso.

**********

Kushina retornou à cozinha após dar uma verificada em Kakashi e entregar-lhe um lanche e encontrou Minato de braços cruzados enquanto olhava para o nada, como se estivesse pensando em algo.

— Tudo bem? — Despertou-o dos seus pensamentos, acariciando os seus braços de cima a baixo.

— Acha que eu consigo ser um bom pai para ele? E se eu falhar de alguma maneira? — Suspirou.

— Você será ótimo, querido. Não se martirize sobre isso, sempre cuidou dele como ninguém.

— Tenho medo de não conseguir ser o que o Kakashi precisa, em um momento tão delicado.

— Estaremos aqui para ele, não se sinta mal com isso. Sabe que Kakashi gosta muito de você.

Minato sorriu concordando com a cabeça e abraçou-a carinhosamente, depositando o queixo em sua cabeça enquanto pensava sobre tudo que aconteceu nos últimos dias e foi tudo tão rápido que não sabia nem como reagir com os últimos acontecimentos, principalmente com a perda de Sakumo.

— Eu serei um bom pai para o Kakashi, é uma promessa. — Fechou os olhos.

— Você já é, só não percebeu isso ainda. — Kushina sorriu com uma das mãos em sua cintura.

— Vou aceitar a sua resposta, para me convencer sobre isso. — Disse amoroso.

— Ele é muito apegado a você, use isso ao seu favor, para mostrar-lhe que sempre estará lá por ele.

— Sim, está certa. Eu farei isso, talvez Kakashi me deixe aproximar-se mais dele. Sem pressa.

Após a breve conversa com a esposa, Minato subiu as escadas para saber como o pequeno Hatake estava e se precisava de alguma coisa. Abriu a porta lentamente e viu-o deitado na cama com os braços por baixo da cabeça enquanto fitava o teto em silêncio. O loiro aproximou-se lentamente e deitou ao seu lado, mas não mencionaram nenhuma palavra. Apenas lutavam contra suas próprias dores na presença um do outro.

— Só quero que saiba que eu estou aqui e se precisar desabafar sobre qualquer coisa, estarei ouvindo você. Tudo em seu tempo, mas se quiser ficar em silêncio, eu aceito também. — Disse amigável.

Kakashi aproximou-se calmamente de Minato e sentiu os braços do loiro ao redor dele, passando-lhe toda confiança e conforto que precisaria daqui para frente. Com novos pais, uma nova vida e família. Do jeito que gostaria que fosse. Seria feliz ao lado deles, tinha certeza sobre isso.

27 de Março de 2020 às 18:01 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Salvando Uma Desconhecida

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Mais histórias

Ghost Ghost
Farsa Farsa
Gentileza Gentileza