thammirb Thammi RB

O dia mais esperado da vida de Naruto finalmente havia chego. Naquela tarde seria nomeado o Sétimo Hokage da Aldeia da Folha. Mas nem o reconhecimento de todos parecia ser o suficiente para aliviar o vazio no seu peito, vazio esse que só poderia ser preenchido por uma única pessoa. Ele havia feito uma promessa, estaria lá no dia da sua nomeação, mas será que cumpriria? ✦NaruSasu✦ ✦DivergênciaCanônica✦ ✦Único✦ ✦ Continuação de Idôneo✦ ✦+18✦


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#yaoi #anime #lemon #naruto #narusasu #mangá #one #pósguerra
3
1.1mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Único

✦Olá!

✦Demorou, mas finalmente a última one da trilogia Idílico/Idôneo saiu! Aeeeeeehhh! Espero que goste, foi feito de coração! ✦

✦ Ah, não é totalmente necessário ler as duas primeiras ones para se situar nessa, mas aqueles que nunca leram eu convido a experimentar a parte 1 e parte 2 que modéstia parte estão uma gracinha ^^✦

✦ Boa leitura! ✦



Indissolúvel

Já fazia alguns minutos que os olhos azuis estavam presos no teto. Havia acordado de repente, sonhou com algo que no momento, não recordava. Esperava que tivesse sido algo bom, a ansiedade o comia por dentro, afinal aquele era o dia, o grande dia que enfim seria nomeado Hokage.

Um suspiro profundo escapou ao levantar e sentar na cama. Girou o pescoço por todo o cômodo, sua nova suíte, de seu novo apartamento. Sua antiga casa devia caber toda só naquele quarto. Tinha ganhado a propriedade de um dos empresários da aldeia que afirmou que era uma honra tê-lo vivendo ali. O grande herói de Konoha. Inclusive foi dito que o restante dos apartamentos praticamente dobraram de valor só por causa da sua presença. Até havia pensado em recusar, mas aparentemente o futuro Hokage não podia viver em uma quitinete. Irônico que ninguém teve esse pensamento quando era criança.

Vai entender.

Sabia que não devia estar tão melancólico daquele jeito. Em poucas horas iria consagrar sua ambição de vida, porém não conseguia evitar sentir-se completamente vazio. Depois de tudo que tinha passado e descoberto, se tornar Hokage parecia tão... Não prioritário.

Sacudiu a cabeça indo para o banheiro, a face refletida no espelho mostrava um homem que parecia ter perdido o brilho de alegria que sempre foi sua marca registrada. Toda sua vida acreditou que o dia de sua nomeação seria o mais feliz de todos, mas não era isso que o seu rosto mostrava.

E sabia bem o porquê.

Sasuke. Tinha mais de um ano que não recebia noticias dele. O Uchiha havia comunicado que encontrara ruinas do que pareceu ser um castelo Otsutsuki. A descoberta fez com que eles criassem esperanças de descobrir mais sobre Kaguya e seu misterioso clã. As evidencias eram escassas, difíceis de localizar e a maior parte das inscrições apenas o rinnegam conseguia decifrar. A missão era perigosa e traiçoeira, somente Sasuke era apto a realiza-la. Entendia isso. Mas aquela falta de noticias... Acabava com seu espirito.

“Meu Deus, quanto drama!”

- Não amola Kurama.

“Você nem convive com aquele Uchiha e está rabugento igual a ele... Ou será que é o tempo de seca?”

Naruto cerrou os dentes recusando-se a responder a provocação daquela bijuu abusada. Claro que estava estressado e carente pela falta de sexo. Antes de Sasuke se enfiar naquela maldita missão eles tinham encontros de tempos em tempos, que se resumiam em tocar primeiro e falar depois. Isso misturado à preocupação não ajudava em nada o seu humor.

“Ele está bem, Naruto” – o tom da raposa denotava que ela estava minimamente apiedada. – “Tente se animar, hoje é o seu grande dia!”.

✦✦✦

O sol estava brilhando em um céu límpido, tudo cronometrado. Perfeição definia o dia. A Vila Oculta da Folha se agitava polvorosa com a oportunidade de ver de pertinho o mais novo Hokage... Que estava atrasado.

- Era de se esperar que depois de tanto tempo sendo seu pupilo ele adquirisse alguns de seus hábitos – Iruka reclamou para Kakashi. – Mas isso precisava aflorar justo hoje?

O Rokudaime deu ombros sem sentir um pingo de culpa. Diferente de todos os outros não estava preocupado pela demora de Naruto, na verdade tinha um ótimo palpite de onde ele estava.

Lá embaixo da torre do Hokage as pessoas pareciam indiferentes à gafe do Uzumaki e moviam-se agitadas e ansiosas para vê-lo. Os rostos dos companheiros de academia se destacavam entre a multidão com sorrisos verdadeiramente felizes pela conquista do antigo amigo hiperativo e cabeça oca que de uma forma única conseguiu o respeito e admiração de todos eles.

Poucos segundos depois o novo Hokage surgiu com o sorriso mais deslavado na cara e antes que Tsunade pudesse enforca-lo na frente da vila inteira ele se justificou dizendo que havia ido contar a novidade para o Ero-Sennin. Foi o bastante para a Godaime engolir qualquer sentimento de raiva. Todos sabiam bem que Jiraya era uma das pessoas que Naruto mais queria que estivessem ao seu lado naquele dia e entristecia o herói de guerra que ele não estaria.

Kakashi aproximou-se orgulhoso e contente por aquela realização de seu pupilo mais cabeçudo. Olhou dentro dos olhos dele e pode ver o quão feliz estava, contudo também pode ver claro como o dia que havia uma sombra ao redor das íris azuis. Gostaria de ter a oportunidade de questionar os motivos disso, mas sabia que seria praticamente impossível de fazer isso agora.

- Pronto?

- Há muito tempo – respondeu sério.

Aquela faceta do loiro ainda conseguia surpreender o Hatake. A guerra sempre teve e sempre teria o poder de transformar qualquer um, para melhor ou para pior e com Naruto não foi diferente. Depois que tudo acabou ele demonstrou um nível elevado de amadurecimento ofuscado por alguns momentos de sua antiga personalidade. Mas agora parecia que aquele garotinho feliz e ingênuo havia ficado para trás completamente e não tinha certeza se isso era bom.

Ignorante aos pensamentos do seu antigo sensei, Naruto chegou á beirada cercada e quando Tsunade e Kakashi colocaram a capa branca os as palavras “Nanadaime Hokage” escritas em vermelho se destacavam sobre o tecido claro, toda a vila ovacionou em gritos e palmas que poderiam se ouvidos a quilômetros de distancia.

O novo “sombra” da folha ergueu o braço para acenar e o barulho de comemoração pareceu duplicar. Os olhos azuis procuraram no meio da multidão seus amigos, achou Sakura, Shikamaru, Hinata, Sai e tantos outros. Para eles dedicou o sorriso mais caloroso que podia formar. Lamentou do fundo do coração que Neji não estivesse ali. Contudo... Quando sua visão começou a ir para os rostos desconhecidos dos aldeões um sentimento inconveniente veio. Quantos daqueles ali não o maltrataram e o olharam torno durante sua vida. Quantos ali não desdenharam da criança órfã e abandonada. E agora teria que considerar cada um como parte da sua família, porque era isso que o Hokage fazia. Tomava conta de todos como se fossem sua família e os defendia de qualquer possível ameaça.

Forçou-se a engolir a seco e suspirou. Não. Não era o tipo de pessoa que guardava rancores e tudo isso tinha ficado no passado. Colocou o sorriso radiante de volta no rosto. Aquele era o dia que marcaria um novo inicio. Nada daquele tipo de pensamento em sua cabeça. Não hoje.

Sentado na cadeira que pertenceu a Hashirama, Tobirama, Hiruzen, Minato, Tsunade e Kakashi... Naruto se deu conta de verdade de que era real. As fotografias dos antigos kages, todas penduradas nas paredes pareciam olhar par ele com expectativa e confiança. Queria mais do que tudo honrar a “vontade do fogo”.

“Você já honrou”. – Kurama que havia ficado o dia inteiro, quieta soou calma. – “Você foi um kage antes de hoje e sabe disso”.

Ora, ora... Isso foi um elogio?

“Só uma constatação! Pirralho.”

Mas pareceu muito um elogio para mim.

“Você deve estar com a percepção alterada de tanto que bebeu junto com os outros pirralhos idiotas.”

Naruto riu alto e de verdade, som que a cada dia se tornava mais raro. As emoções da nomeação foram encerradas com seus colegas de academia o arrastando para um bar onde encheram a cara como nunca. Já tinha tido a oportunidade de experimentar álcool antes e havia descoberto que tinha uma incrível tolerância a ele. No entanto depois da quinta rodada começou a fingir que estava ficando ruim para poder vir para cá.

Para quem sofreu tanto com a solidão era bem irônico querer ficar sozinho, em especial naquele dia. Não queria parecer ingrato. Orgulhava-se de si mesmo e tudo que havia conquistado. Só estava se sentindo estranho. Estranho de um jeito que nem conseguia explicar.

- Era de se esperar que o Hokage fosse mais atento.

O coração de Naruto acelerou violentamente e seus músculos travaram ao ouvir aquela voz depois de tanto tempo soando tão próxima assim. Virou a cadeira devagar e um suspiro trêmulo escapou dos seus lábios ao ver Sasuke sentado na beira da janela. Os cabelos negros estavam maiores e tinham perdido a aparência rebelde da juventude. O conjunto de vestes do Uchiha estava surrada pelo tempo que ele esteve viajando.

“Vai começar a melação...” – Kurama resmungou, contudo havia uma nota de alivio no tom rabugento da raposa. – “Eu vou dormir pelos próximos dez dias que eu ganho mais”.

A reclamação da bijuu fez com que Naruto despertasse daquele transe surpreso. Pulou da cadeira e abraçou Sasuke o mais apertado que conseguiu.

Apesar de estar sentindo os pulmões sendo comprimidos o moreno não protestou. Também estava emocionado por ver Naruto depois de quase um ano e três meses sem nenhum contato com ele. Aquelas íris azuis arregaladas quase temerosas de que estivesse vendo uma ilusão o tornava sensível demais às necessidades do Uzumaki.

- Oe... Do- as palavras que pretendia dizer foram engolidas pelos lábios afoitos do Nanadaime que o girou velozmente colocando-o sobre a mesa de madeira.

Naruto se encaixou entre as pernas do Uchiha que envolveu o pescoço alheio com o braço. Ambos pareciam pouco dispostos a se separarem, contudo a necessidade de oxigênio cedo ou tarde ganhava e se afastaram relutantes. O recém-nomeado Hokage segurou o rosto pálido com as duas mãos cheio de ternura.

- Você está aqui...

- Eu estou aqui...

- Você esta bem? – Tentou sem sucesso conter a emoção na voz. – Por onde esteve seu idiota, bastardo, egoísta?!

O moreno sabia que merecia o sermão, não fazia parte da sua pretensão inicial ficar tanto tempo longe, porém as investigações sobre as ruinas das fortalezas do Otsutsukis se tornou mais demorada e exaustiva do que tinha imaginado.

- Eu estou bem Naruto – colocou a mão sobre a dele que continuava no seu rosto. – Desculpe ter ficado tanto tempo sem dar noticias. – Correu os dedos os dedos pelos fios claros e uma pontinha de irritação cresceu dentro de si ao notar que eles estavam curtos ao ponto de não consegui agarra-los. – Eu vi a cerimônia.

- Estava aqui desde cedo? – O loiro se afastou incrédulo. – Por que não apareceu antes?

- Você estava comemorando com seus amigos... – Deu os ombros tranquilo. – Não quis interromper.

Sabia muito bem que muitos ali não tinha esquecido e nem perdoado suas atitudes do passado, não que se importasse, mas não podia negar que eles tinham motivos para a desconfiança. Contudo desde que o Uzumaki, Sakura e Kakashi estivessem bem o resto era apenas o resto.

- Você não teria interrompido nada. – O Uchiha apertou os lábios, Naruto parecia estar se esforçando para não parecer furioso.

Depois da guerra o Jinchuuriki tornou-se bem mais centrado e com o passar do tempo foi demonstrando uma incrível e nova maturidade. Em outros tempos ele já estaria berrando no seu ouvido e gesticulando sem se importar, mas agora mais do que nunca ele não poderia dar vazão as suas emoções assim. O que por um lado era uma pena, Sasuke sabia que no fundo aquele garoto hiperativo e determinado não voltaria à superfície e a culpa em parte era do sofrimento que tinha infligido a ele na adolescência.

- Não queria ninguém por perto. – Admitiu relutante. – Queria ficar sozinho com você.

A admissão sussurrada pareceu dissipar a maior parte da indignação do Uzumaki que estreitou os olhos, provavelmente se perguntando se aquilo na verdade não era algum tipo de mudança de tática. Contudo olhar o rosto de Sasuke nunca era uma boa ideia caso Naruto quisesse manter-se irritado, ainda mais quando tinha tanta saudade daquele bastardo arrogante.

- Senti sua falta – Naruto beijou e mordeu a orelha pálida, cheirando o pescoço branco em seguida.

- Naruto... – A voz do ex ninja renegado fraquejou ao sentir uma mordida nada delicada. – Espera aí usuratonkanchi!

- Que foi?

- Eu viajei quase três dias direto para conseguir chegar a tempo da sua nomeação. Quero tomar banho e preciso comer alguma coisa.

As sobrancelhas claras se contraíram em culpa. Tinha ficado tão emocionado ao reencontrar o Uchiha que nem se tocou que as feições dele demonstravam puro cansaço.

- Tá, me desculpa – coçou o corou cabeludo sem graça. – Vem, vou te mostrar meu novo apartamento.

- Novo apartamento? – Sasuke subiu a sobrancelha. – Tudo bem... Agora, posso te dar um conselho como Hokage? – Os olhos azuis o encararam confusos com a mudança repentina de assunto. – Treina melhor esses seus guardas da torre porque nenhum deles sequer sentiu a minha presença...

- Anotado – confirmou rindo baixo.

Duas horas mais tarde, Naruto observava Sasuke dormir no único lugar que gostaria: sua cama. O moreno como era esperado não fez nenhum grande alarde sobre o luxo do novo apartamento e até murmurou entre dentes que preferia o outro porque seu cheiro já estava impregnado nas paredes. Precisou aguentar Kurama rindo quase vinte minutos disso porque segundo a raposa, haviam centenas de “borboletas” na sua barriga. E para sua total satisfação conseguiu surpreender o moreno ao cozinhar algo que não era macarrão instantâneo.

Deslizou os dedos devagar pelo rosto pálido decorando mais uma vez a face que perseguia seus sonhos desde sempre, o rosto que havia lhe ensinado o que era amor mesmo antes de entender o que era o amor em si.

Toda solidão e mau humor que vinha sentindo desapareceu como um passe de mágica. Esse era o incrível poder que apenas Sasuke tinha. Abriu um sorriso enorme ao ver o único sol negro que costumava ficar a mostra se abrir.

- Eu dormi muito?

- Um pouco mais de uma hora. – Respondeu contornando os lábios desenhados com o dedo indicador. – Como está se sentindo?

- Bem... E você?

- Eu? – Congelou os movimentos.

- É Naruto, você – enrugou a testa. – Hoje foi o seu grande dia. Como se sentiu realizando seu sonho?

- Confesso que não foi exatamente o que eu esperava – retornou a movimentar os dedos que desceram para o peito pálido desnudo. – Acho que estou ansioso com a responsabilidade só isso.

A resposta evasiva não convenceu Sasuke, mas ele preferiu não comentar o assunto. Conhecia aquele Dobe melhor do que ninguém. Sabia perfeitamente o que ele estava sentindo, era impossível não lembrar que muitos daqueles que hoje ovacionavam seu nome o maltratavam sem dó quando ele era apenas uma criança. Claro que também havia o sofrimento de não ter Jiraya ao seu lado naquele momento tão importante. Devia estar sendo difícil lidar com todos aqueles sentimentos contraditórios.

- Você vai dar conta – pegou a mão que passeava pelo seu peito, era a dele mesmo e não a sintética e beijou a palma. – É um Usuratonkanchi determinado e teimoso, eu sei disso melhor do que ninguém.

Naruto sorriu ser reconhecido por Sasuke fazia coisas engraçadas estremecerem na sua barriga. Porém sentiu o desejo aflorar com a velocidade de um raio ao vê-lo introduzir dois dos seus dedos na boca e passar a chupa-los sem deixar de olha-lo nos olhos.

- Achei que estivesse cansado. – Lembrou com a voz rouca.

- Não para isso – afirmou puxando o rosto bronzeado de encontro ao seu pela nuca.

As línguas se tocaram antes mesmo dos lábios e se entrelaçaram com ansiedade vivida. Como se até aquele pedaço especifico do corpo dele tivesse vontade própria e sentido saudade.

O mais novo Hokage de Konoha estava voraz, parecia querer devorar Sasuke usando os dentes e os lábios. Posicionou-se em cima do Uchiha, jogando as cobertas para o lado, imediatamente o moreno abriu as pernas para acomodar o peso do parceiro. Por ambos estarem sem blusa os tórax se tocaram e o Uzumaki mordeu o queixo alheio para conter um silvar de prazer ao sentir a quentura dele.

- Tem noção de como eu senti sua falta, seu maldito? – Brigou mordendo o pescoço pálido quase com força demais para ser considerado um carinho. – Quantas noites de sono eu perdi me perguntando onde você estava, se estava bem... – Desceu a boca para a linha do peito dele, correndo-a com a língua até chegar a um dos mamilos rosados que contornou usando o musculo quente e úmido. – Por que você faz isso comigo? – Mordeu o disco sensível.

- N-Não era... minha intenção demorar tanto – ofegou Sasuke tentando se defender, jamais admitiria, mas seu corpo não negava uma caricia um pouco mais bruta. – Hummm Naruto...!

A palma do Uzumaki apertou com tudo o volume que se destacava sobre o tecido da calça de dormir que tinha emprestado ao moreno. Seus dedos contornaram a ereção sentindo o órgão enrijecer cada vez mais. Em quanto isso sua boca mantinha uma tortura lasciva nos mamilos rijos que rapidamente começaram a adotar tons de vermelho cereja o que só dava mais água na boca de Naruto.

Reivindicou a boca de Sasuke de novo sentindo-o agarrar seu cabelo rente ao couro cabeludo. Ele pareceu irritado pelos fios curtos escaparem por entre os dedos e em retaliação arranhou sua nuca impiedoso. Sua resposta foi juntar sua ereção na dele e roçar os membros com força simulando o que estava por vir.

- Você é tão gostoso, Sasuke – lambeu a cartilagem da orelha do Uchiha que estremeceu. Adorava conhecer cada zona erógena do corpo dele. – Aposto que depois de tanto tempo deve estar apertadinho vou te que te foder com os dedos primeiro, não é?

O rosto do moreno ferveu, mas seu pênis pulsou dolorido com as palavras baixas. Aquele idiota fazia de propósito só para deixa-lo tonto de vergonha e excitação.

- Ou você se tocou pensando em mim? – Desrespeitou os limites do cós da calça do parceiro e envolveu o membro rijo com a palma dourada sem hesitação. – Por que eu me toquei muito pensando em você.

O ex-ninja renegado jogou a cabeça para trás zonzo. A mão de Naruto era grossa, áspera pelos intensos treinamentos que a vida shinobes exigia, mas isso só parecia tonar a carícia mais gostosa e não pode conter o próprio quadril que passou a levantar do colchão exigindo mais dos movimentos escassos que ele fazia com o proposito de provoca-lo.

O Uzumaki nem deu tempo dele pensar e desceu os beijos de volta ao abdômen definido por músculos magros. Enfiou a língua no umbigo dele que sugou o ar entre os dentes sabendo o que viria a seguir. Quase afobado, Naruto puxou as calçar do moreno que usou as pernas para ajuda-lo a se livrar da peça que foi parar no chão junto com o edredom.

O membro de Sasuke gotejava pré-sêmem pela cabeça e Naruto espalhou o liquido pela glande com o polegar, aguardando os olhos negros estarem fixos em si para abocanhar aquele pedaço de carne e chupar lentamente para insanidade do Uchiha. Os dedos dos pés dele se contorceram e os da mão apertaram a fronha do travesseiro observando a boca do Hokage subir e descer sobre o pênis que latejava loucamente.

- Na-Naruto, v-você ah! – Os quadris magros voltaram a sair da cama ao sentir a língua quente contornar seus testículos.

- Aqui também tá pulsando também – O loiro riu sádico tocando superficialmente a entrada escondida entre as nádegas arrebitadas. – Acho que não fui só eu que senti saudades, certo?

Sasuke queria xingar aquele Hokage maldito, mas não conseguia reunir ar nos pulmões o suficiente nem para articular uma palavra. Também estava na borda do desejo, desde o dia que o relacionamentos deles evoluiu para aquele nível nunca tinham ficado tanto tempo sem se ver. Óbvio que estava carente e ansioso dos toques dele.

Prevendo que logo o Uchiha teria forças para revidar suas ações, Naruto o girou na cama e o puxou pelas ancas para que ficasse de quatro sobre o colchão. Espalmou as mãos nas nádegas brancas e apertou a carne macia sentindo uma satisfação animal em ver a pele avermelhar e ficar com a marca dos seus dedos.

Aproveitando um rápido momento de lucidez, o loiro se esticou até a mesa de cabeceira e pegou o lubrificante. Depois de ter descoberto os benefícios daquele produto nunca mais tinha ficado sem, embora ainda fosse constrangedor comprar em qualquer farmácia já que todos o conheciam. Mas não era o suficiente para abrir mão de ter. Especialmente quando tornava a relação muito mais fácil e gostosa. Colocou uma quantidade generosa nos dedos indicador e médio, ignorando o jeito que Sasuke afundava o rosto no travesseiro, levou os dígitos a região mais intima dele e penetrou lentamente sentindo a retenção dos músculos desacostumados com aquele tipo de invasão. Aliviou a força ao ouvir um suspiro dolorido escapar da boca do outro.

- Não ouse parar usuratonkanchi!

- Tão mandão – reclamou retornando as investidas e acertando a próstata sentindo um arrepio violento cruzar sua coluna com gemido manhoso de Sasuke.

- Naruto, já chega – falou do jeito mais firme que pode e seu desejo quase foi nublado pela raiva ao ouvir a risadinha vil daquele loiro fingido.

- Nem se atreva a sair dessa posição! – Mandou levantando apenas para retirar as próprias calças e se ajoelhando sobre o colchão de novo rapidamente. – Vem cá, senta aqui.

Sasuke apoiou a cabeça no ombro bronzeado ao sentir a pressão na sua entrada aumentar gradativamente conforme o membro duro o invadia. A mão verdadeira do loiro foi para seu pênis e começou a bombeá-lo no mesmo ritmo intenso das investidas. Naquele ponto não conseguia segurar os sons de prazer que fugiam da sua garganta sem sua permissão. E os grunhidos roucos de Naruto rente ao seu ouvido só multiplicavam as sensações de prazer.

Os dois estavam ajoelhados na cama e os glúteos de Sasuke encostavam-se às coxas poderosas do Hokage sempre que ele o puxava de encontro ao próprio corpo. Tomado pelo prazer o moreno passou a rebolar sensualmente sobre o colo do parceiro que corria a mão livre por casa pedaço de pele que conseguia alcançar.

- Oh...! Ah, Sasuke! – Naruto gemeu com os dentes cerrados ao senti-lo se contrair inteiro ao ter a próstata tocada pela cabeça inchada do seu membro e praticamente gritar para o teto. – Tão apertado quanto à primeira vez. Deveria ter deixado eu te preparar melhor, mas no fundo nós dois sabemos que você gosta quando dói.

A última palavra foi acompanhada de uma forte estocada que fez estrelas explodirem por trás dos olhos fechados de Sasuke que sentia um leve descontrole fazer o rinnegan soltar um brilho purpura. Respirou fundo tentando se conter, mas era difícil quando aquele maldito acertava toda vez aquele ponto tão sensível dentro do seu corpo.

- Mmmm... Ahhhn! N-narutoo – seus gemidos foram interrompidos por um puxar no seu queixo do Uzumaki que girou seu rosto na direção no dele para iniciar um beijo tão animalesco quanto o vai e vem dos corpos.

As unhas de Sasuke arranharam o braço de Naruto que mantinha a masturbação firme em seu pênis em uma forma de extenuar todo o prazer que estava sentindo. Os lábios dele não conseguiam repreender totalmente seus gemidos que soavam cada vez mais constantes conforme o orgasmo se aproximava.

Naruto interrompeu o beijo no momento que as contrações no ânus de Sasuke se intensificaram anunciando que ele gozaria em breve e ver a expressão dele retraída de prazer no momento do êxtase máximo era algo que não perdia por nada. As pálpebras semicerradas não escondiam a intensidade do olhar negro e muito menos o poderoso doujutsu que ele possuía no outro olho.

Porra, tão lindo.

O orgasmo do Uchiha era uma das coisas mais maravilhosas que seus olhos já tinham tido o prazer de ver e daquela vez não foi diferente. Ele jogou a cabeça para trás chamando pelo seu nome, o semêm explodiu em jatos que foram amparados pela mão do loiro.

Sasuke tremeu violentamente ao alcançar e clímax e tudo se tornou mais gostoso ao sentir o esperma do outro invadir seu canal. O liquido quente causou uma certa ardência, mas isso só elevava seu nível de satisfação. Ignorando as gotículas de suor que escorriam do seu cabelo bem maior agora, o moreno olhou para Naruto que ofegava buscando recuperar o ar.

- Parabéns pela nomeação, Dobe. – Sussurrou orgulhoso. – Você fez por merecer.

O comprimento seguido do elogio fez o Uzumaki sorrir, um sorriso aberto como o de antigamente e o coração de Sasuke acelerou com o amor intenso que sentia por aquele idiota, cabeçudo teimoso.

- Obrigado.

Os dois ficaram curtindo o corpo e quentura um do outro por alguns minutos até se darem por vencido e irem para o banheiro se lavar. As sobrancelhas de Sasuke subiram ao ver o tamanho da banheira que ele tinha. No outro banheiro não tinha aquilo.

Ao voltarem para o quarto, vestiram as mesmas calças que usavam anteriormente e Naruto trocou o lençol e as fronhas marcados de prazer. O Uchiha revirou os olhos para falta de jeito do Uzumaki e conseguiu vestir seu travesseiro melhor com um braço do que ele com os dois.

- Preciso lembrar de ir na lavanderia – Naruto comentou casualmente ao ver que o cesto de roupa já estava bem cheiro.

- Lavanderia? – Sasuke se acomodou na cama, exageradamente grande, diga-se de passagem. – Você tá todo moderno.

- É facilidade – deu os ombros pegando o edredom que estava no chão e deitando sobre o braço estendido de Sasuke, usando o peito para apoiar a bochecha. – Admito que ter um pouco de dinheiro é muito bom.

- Achei que não estivesse saindo em muitas missões por causa da preparação para o cargo de Hokage – brincou com os fios dourados.

- E não tenho, mas meus pais tinham umas economias que me entregaram quando eu fiz vinte e um anos... – Engoliu a seco temeroso se valia a pena ou não tocar naquele assunto. – Falando em herança, você também tem uma quantia, que era do clã Uchiha.

- Tenho? – Murmurou sem muito interesse. – Nunca soube disso.

- Estava com NE... – Umedeceu os lábios que ficaram repentinamente secos. – Com Danzou.

Sasuke enrijeceu com a simples menção daquele nome. Respirou fundo controlando a raiva, não importava, já tinha acabado, repetiu para si mesmo mentalmente.

- Não satisfeito em fazer parte do massacre da minha família ele também ficou com o dinheiro... – Ditou cheio de rancor e veneno. – Eu não quero esse dinheiro.

- Sasuke...

- Eu não quero Naruto – afirmou com a voz agressiva.

O Uzumaki beijou o pescoço levemente marcado em um pedido mudo para que o outro se acalmasse. Detestava quando o timbre dele variava daquele jeito, era o mesmo timbre da época que ele havia ficado completamente dominado pelo ódio.

- Sabe a Sakura fundou uma organização que cuida de crianças órfãs – contou cheio de tato. – Independente da história ou marca. Crianças como nós.

O Uchiha sorriu fraco e de leve, orgulhoso pela iniciativa da antiga colega de time. Quando a Haruno se conformou que não havia chance para nada ocorrer entre eles e finalmente superou aquele sentimento platônico que nutria por si, o relacionamento deles melhorou muito. Ela entendeu que o que seus parceiros de time tinham ia muito além da compreensão.

- Pode dar todo o dinheiro para ela – concordou com a ideia não dita. – Tenho certeza que ela vai fazer bom uso dele.

Naruto levantou o rosto do peito alheio e se apoiou em um dos braços para olhar nos olhos de Sasuke.

- Um dia você me disse que chegaria o tempo em que não precisaria ficar tão afastado da vila... Esse dia chegou?

O sorriso aberto que Sasuke lhe deu ajudou a aliviar a ansiedade que o Hokage sentiu ao fazer aquela pergunta, mas não a eliminou completamente.

- Você sabe que precisamos continuar investigando os Otsutsukis, temos que reunir o máximo de informação que pudermos sobre Kaguya para estarmos prontos caso aconteça de novo e o meu rinnegan costuma ser a única coisa capaz de decifrar as inscrições nas ruinas. Mas... Eu juro que não vou ficar tanto tempo fora.

Esse não era exatamente o acordo dos sonhos de Naruto, mas ele entendia que era o necessário.

- Acho que posso lidar com isso.

Os dois se beijaram de novo, de um jeito bem mais doce e se acomodaram melhor curtindo o perfume fresco que exalava das peles frescas.

“Depois de agirem como dois coelhos no cio vão ficar de melação?”

Você não devia estar dormindo, Kurama?!

“E tem como?! Com você todo excitadinho pelo Uchiha?”

Vai dormir Kurama!

Naruto engoliu o riso ao ouvir os resmungos da raposa. Não conseguia nem pensar no que Sasuke faria se um dia descobrisse que a Bijuu costumava acompanhar tudo de camarote, inclusive os momentos mais íntimos deles. Aquele era um segredo que teria que levar para o tumulo porque do jeito que Sasuke podia ser dramático era capaz de nunca mais querer transar e esse era um risco que não podia correr.

“É melhor não contar mesmo” – Kurama concordou enfezada. – “A última coisa que eu preciso é receber uma visita desse projeto de anarquista!”

O jinchuuriki decidiu não responder ou aquilo podia render e voltou a fazer carinho em Sasuke que por um instante pareceu desconfiado da sua distração, mas por sorte deixou passar.

Kurama bufou com todo aquele excesso de mel. Ia acabar ficando diabética agora que o casal ficaria mais tempo juntos. Mas no fundo, bem no fundo mesmo estava feliz por Naruto. No passado foi expectadora de um casamento de conveniência que só machucou os envolvidos, Hashirama e Mito. O Shodai Hokage nutria um intenso carinho pela ruiva que tomou como esposa, mas seu coração foi até o dia de sua morte de Uchiha Madara e ambos sofreram silenciosamente e por muito tempo por causa disso. Ainda bem que Naruto não tinha escolhido aquele caminho. Apesar de tudo sentia afeição pelo Uzumaki, coisa que nunca iria admitir, e se tivesse que aturar um Uchiha por perto para ele ser feliz de verdade... Bom, esse era um sacrifício que estava disposta a fazer.


Fim


(***)

✦Vai chegar o dia em que eu não irei sofrer para escrever um lemon, mas esse dia não é hoje! ✦

✦Beijos no Coração✦

27 de Março de 2020 às 11:51 1 Denunciar Insira 3
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Manoel Longuinho Manoel Longuinho
Krlho! Amei as três histórias!! Você manda mtooooo bem!! ♥️♥️ To apaixonado!!
~

Mais histórias

Ghost Ghost
Farsa Farsa
Gentileza Gentileza