ruthpereira33 Ruth Pereira

Anne e Marcos apaixonam se á primeira vista, apesar de saberem que era proibido um vampiro e uma humana loba mas não resistiram á paixão e lutaram juntos por ela. Dessa relação nasceu a Carol e o Matt, Carol era vampira, loba e bruxa por sua vez Matt era apenas lobo. Quando a Carol tinha 17 anos ela e o Matt foram para Nova York onde vão acontecer muitas amizades, muitos desafios, muita rivalidade, muitas lutas, muitas perdas e onde a Carol vai descobrir que é suprema de todos os vampiros e lobos e que alguém a quer matar para não alcançar o seu objetivo de unir 2 inimigos mortais os vampiros e os lobos. Será que a Carol vai conseguir cumprir a sua missão de vida? Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência...Este livro é totalmente da minha autoria espero que gostem😉😉😉


Fantasia Épico Todo o público.

#romance #fantasia #aventura #vampiro #lobo #princesa #superpoderes #bruxa #vampira #princesadosvampiros #princesadoslobos #suprema #loba
1
1.2mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

O começo de uma historia proibida




Numa aldeia perto de Roma, vivia Anne uma jovem com 16 anos cabelos loiros, olhos azuis como o mar, bonita, gentil, amorosa e generosa com os outros. Vivia com os seus pais, adorava muito o seu pai mas ele passava muito tempo em viagens de negócios, já a sua mãe Anne detestava a maneira como ela gastava dinheiro exageradamente com luxos enquanto o seu pai trabalhava longe para lhes poder dar uma boa vida.


A Anne estudava muito, queria ter um bom emprego depressa para sair daquela casa, era impossível conviver com a sua mãe, elas discutiam constantemente porque Anne não tolerava a maneira como a sua mãe gastava dinheiro.


Um certo dia Anne estava voltando da escola e encontrou a sua mãe sentada no sofá com uma cara não muito boa, perguntou o que se passava ela respondeu que o seu pai há 3 meses que não mandava dinheiro então Anne teria que desistir de estudar para trabalhar a tempo inteiro para a sustentar.


Elas discutiram durante horas pois Anne não queria parar de estudar muito menos para sustentar uma mulher que só esbanjava dinheiro, Anne não aguentava mais discutir e sem olhar para trás saiu de casa em direção ao lago, o único sítio que lhe dava paz e sossego pois lá sentia-se perto do seu pai.


-Porque ele parou de enviar dinheiro? Estará se esquecido de mim? Isso não, o meu pai me amava e muito, que lhe aconteceu- pensou Anne em voz alta, de repente de trás das árvores ouviu um barulho olhou e viu um homem devia ter 25 anos, tinha cabelos pretos pelo pescoço, olhos castanhos mas hipnotizantes, tinha uma capa preta com um símbolo, Anne já tinha visto aquele símbolo não se lembrava onde, então Anne se levantou e ele disse:


-Olá, não precisas ter medo, eu sou o Marcos e tu?- disse ele lhe estendendo a mão


-Olá eu sou a Anne, desculpa me assustei- disse a Anne lhe apertando a mão


-estava a passear aqui perto e ouvi uma voz e vim ver o que era, podia ser alguém em perigo – disse Marcos


- Desculpa estava refletindo alto sobre o meu pai, digamos que este sítio é especial para nós- disse a Anne sorrindo


-Aconteceu lhe alguma coisa?-perguntou Marcos


-não sei, ele viajou e agora deixou de dar noticias, desculpa estou chatear-te com a minha conversa- disse Anne, mas ao contrario do que Anne pensava, Marcos nunca tinha se sentido tão bem como se sentia falando com ela.


- Eu estou a adorar estar aqui contigo - disse o Marcos


-Obrigada e tu Marcos que fazes por aqui?


- Eu vim passear precisava espairecer também- disse o Marcos nervoso afinal não podia dizer a verdadeira razão de estar ali


-estou me tentado lembrar de onde conheço esse símbolo da tua capa mas não me ocorre de onde- Marcos olhou-a desconfiado pois nem toda agente sabia que aquele símbolo era dos Vincitori


-Este símbolo é do castelo dos vincitori ali em Roma, eu sou de lá- disse esclarecendo tudo, afinal podia hipnotiza-la para esquecer tudo se quisesse.


-espera me lembrei foi o meu pai, ele contava uma história de uns senhores que viviam no castelo em Roma do qual eu não me podia aproximar nunca- disse a Anne assustada recuando para trás


-calma, eu não te faço mal, apenas quero conversar contigo, tu estás a gostar de falar comigo?- ela assentiu- então vamos conversar mais um pouco mas senão quiseres podes ir embora, mas não achas se te quisesse fazer mal não o tinha já feito.- Disse Marcos, ele estava encantado por ela, desde que ouviu a sua voz. Anne se sentou ao seu lado e ficaram conversando até ser de noite, depois Marcos acompanhou Anne até em casa e combinaram encontrar-se todos os dias naquele sítio.


Dias se passaram, Marcos e Anne estavam completamente apaixonados um pelo outro, tinham começado a namorar e estavam muito felizes, com Marcos Anne esquecia tudo o que passava na sua casa, as discussões, a preocupação pelo pai, estar com Marcos era muito inesquecível, cada beijo era magnífico e a segurança que ele lhe dava era única. Até que Marcos decidiu contar a Anne a verdade sobre si


-Anne, preciso te dizer uma coisa-disse Marcos


-Diz amor, tudo bem?- disse Anne levantando a cabeça do peito de Marcos


- eu sou um vampiro, por isso vivo naquele castelo- disse Marcos sendo direto, Marcos nunca teve jeito para esclarecer coisas então fazia-o direto, Anne ficou parada no tempo, como se tivesse lembrado de algo


-Estás Bem Anne?- disse Marcos preocupado


-eu me lembrei do que o meu pai me contou- ela olhou Marcos que esperava uma resposta impaciente- ele me disse que eu sou de uma família de lobos e que a minha mãe é filha de um bruxo e um lobo, Marcos como não me lembrei antes disto? Eu não me lembrava sequer que o mundo sobrenatural existia.


-Talvez ele tivesse feito um feitiço para não te lembrares antes da hora certa, que idade tens?


- Eu tenho 16 anos mas vou fazer 17 anos no mês que vem, mas há um livro lá em casa tipo um diário, o meu pai me deu sem a minha mãe perceber e mandou que eu o escondesse.- Disse a Anne se levantando


-Onde vais Anne? É melhor falarmos sobre tudo isto


- Marcos esse livro tem a resposta às minhas dúvidas, se o meu pai me deu é porque é importante, mas espera se eu sou um loba e tu vampiro, isto não é proibido?- disse Anne para Marcos


- É, mas eu te amo Anne eu não me imagino sem ti, vamos resolver tudo juntos, se fossemos os dois lá a tua casa, eu entro sem ninguém perceber e lemos os dois o livro, pode ser?


- Sim vamos- disse Anne, foram andando Anne entrou no quarto e Marcos já a esperava


- Rápido


- Estou habituado, venho velar o teu sono todos os dias- disse Marcos meio envergonhado, Anne foi até ele tocou no rosto dele, deu-lhe um beijo e disse:


- Isso é tão fofo Marcos, na próxima deita comigo, podemos dormir abraçados- disse Anne sorrindo


-está bem amor, e agora onde está o livro?- disse Marcos, Anne começou a tirar o chão flutuante e lá estava ele, começaram a lê-lo lá explicava tudo sobre a transformação dos lobos, a guerra dos vampiros, os cheiros familiares, poderes de bruxa que ela podia herdar da mãe e muitas coisas sobre o mundo sobrenatural. Anne ficou cansada com tudo aquilo e resolver deitar mas antes trancou a porta do quarto e pediu a Marcos que ficasse com ela, ele aceitou e ela adormeceu no peito de Marcos.


Na manhã seguinte, Anne acordou com Marcos ao seu lado, olharam um para outro e ela tomou uma decisão importante queria ser de Marcos mesmo que isso implicasse terem de fugir juntos para serem felizes, tirou a roupa ficando de lingerie, beijou Marcos e se entregaram ao amor que sentiam um pelo outro. Depois Marcos foi para o castelo dos vincitori devido a deveres cumprir e Anne ficou a descansar em casa, primeiro dia que faltou á escola mas estava cansada demais para ir, e com a cabeça a girar de tanta informação.


Dias se passaram desde da primeira noite de Anne e Marcos, as discussões com a mãe por causa do emprego que ela queria que Anne arranjasse, eram cada vez mais frequentes e não poder contar que tinha descoberto tudo sobre ela e o pai estava a sufoca-la, num dia depois de uma discussões dessas Anne passou mal, vomitou e ficou muito enjoada.


- Será algo que comi estragado? Que estranho nunca me senti assim?- disse Anne pensando alto, nessa tarde contou a Marcos o que aconteceu que também estranhou até que se fez luz na cabeça dela


- Marcos, os vampiros podem ter filhos?- perguntou Anne, Marcos estranhou aquela pergunta


- Sim pode acontecer, apesar de ser mais raro do que vocês humanos, porque Anne?


-Da primeira vez não usamos prevenção estarei gravida?


- Espera eu vou comprar um teste e volto já e tiramos as dúvidas- Marcos saiu como fumaça, e voltou depressa com o teste.


-Anne a tua mãe vem aí, eu vou sair mas volto logo está bem?- disse Marcos lhe dando um beijo


-está bem, eu fico bem, podes ir amor- disse Anne, depois que Marcos saiu Anne foi á casa de banho fazer o teste, esperou e deu positivo, Anne ficou de rastos, saiu dali e correu para o quarto deitou-se na cama e chorou.


-Que merda é esta Anne? Quem é ele?- era a mãe de Anne tinha descoberto o teste que ela se esqueceu na casa de banho- como me foste esconder isto? Era por isto que não procuravas trabalho? Andavas metida com quantos Anne?


-Queres falar de esconder mãe? Porque nunca me contaste que eras bruxa e loba e pai lobo? Sim eu me lembrei de tudo mãe, e mais o livro que pai deixou me esclareceu do resto- a mãe ficou inquieta perante aquilo, mas mantê-se dura


- Quem é ele? Para te teres lembrado ele é um ser sobrenatural? Fala- gritava a mãe de Anne


- Ele é um vampiro e sim este filho é dele, só dele, nós nos amamos mãe.


-tu vais acabar esse namoro e vais abortar esse monstro entendeste?- disse a mãe de Anne e saiu porta fora do quarto, Anne a seguiu


-eu não acabar nada mãe, isto é amor, este é o meu filho não um monstro


- Que raio de criatura bizarra pode sair daí? Fala Anne tu vais abortar acabou a conversa e vais deixar de ver esse vampiro também, senão sais desta casa.


-NUNCA MÃE, eu vou embora sim porque o meu filho é mais importante que tu ou esta casa- e saiu em direção ao quarto, quando entrou Marcos estava sentado na cama, ela o abraçou e ele apertou e disse:


- Nós vamos criar o nosso filho juntos Anne, arruma as tuas coisas e vamos embora, nunca vais ficar sozinha


- Mas Marcos, isto é contra as regras, tu sabes


- Eu sempre quis ser pai, e agora estás gravida de mim, eu por ti luto até ao fim, eu sei que vai ser difícil mas juntos vamos conseguir- depois se beijaram e Marcos ajudou Anne a arrumar o mais importante e desceram juntos as escadas. Quando chegaram perto da porta, mãe de Anne esperava-a, quando iam a passar pela mãe de Anne, ela tocou na barriga de Anne e disse:


- Esse monstro nunca vai nascer et draconi qui est ad mortem( esse monstro não vai nascer) - Marcos empurrou-a mas fui tarde, Anne estava flutuar com bola de luz azul em seu redor.

26 de Março de 2020 às 18:16 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Chegada ao Castelo

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 5 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas