rayanne-freitas1585096016 Rayanne Freitas

um grande amor não revelado pode ser o grande arrependimento da sua vida


Romance Chick-lit Todo o público.

#jasmim
Conto
0
1.1mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Jasmim

Caros leitores, essa história é extremamente linda e para pessoas sem sanidade mental. Se você se considera alguém insano, boa leitura. Se a vida ainda não lhe tornou insano, volte para essa história futuramente. Acredite, todos nós possuímos um pouco de insanidade.

Eu precisava contar para ela. Como todo clichê, eu planejei aquele dia durante toda a minha vida. Eu tinha cada passo metricamente calculado. Que roupa eu usaria, cada gesto, toque, som e palavra. Eu criei coragem.

Ninguém poderia tirar minha autoconfiança naquele momento.

Eu fiz exatamente como planejado, convidei a mulher de toda a minha vida para uma noite de hambúrguer na minha casa. Eu conhecia Jasmim há exatamente dezesseis anos, eu sabia cada mania, loucura, qualidade e sujeira daquela mulher. Eu estava clichêmente, completamente apaixonado por ela.

Conheci Jasmim aos meus nove anos, ela estava parada na calçada esperando sua mãe comprar sorvete. Quando acidentalmente eu atropelei ela, em meu primeiro dia com uma bicicleta sem rodinha. Claramente, eu não me apaixonei por ela nesse momento. Meu pai, ajudou Minnie. Apelido que ele carinhosamente colocou nela. A partir desse momento nossas famílias criaram uma forte conexão.

Desde daquele dia eu passei a ver Minnie em quase todas as tardes e em datas comemorativas. Até mesmo em enterros. Quando aos meus quinze anos perdi meu pai, que a propósito era pai solteiro. Minha mãe morreu logo após me dar à luz.

Minnie era minha melhor amiga, e a família dela clichêmente era minha família também.

Depois do falecimento do meu pai, eu fui morar com minha tia. Minha tia me ensinou tudo que sou e sei. Ela é tipo o Luke para o Darth Vader, ela me resgatou em um momento bem obscuro.

Minnie me visitava todas as tardes e fazíamos absolutamente nada juntos. Ficávamos sentados no terraço da minha casa conversando e comendo besteira. Aos meus 15 anos, mesmo tão jovem. Eu me apaixonei por Minnie, dormia e acordava pensando em como seriam nossos filhos. Porém, infelizmente, Minnie começou a namorar Pedro. Ela me contou todos os detalhes daquele relacionamento, seu primeiro beijo, sua primeira noite e até sua suspeita de gravidez. Que afortunadamente era falsa.

Era um pesadelo saber que o grande amor da minha vida seguia sua vida amorosa sem ser comigo. Então, como todo imbecil. Eu virei o conquistador das mulheres.

Todos os dias Minnie discutia comigo, ela se preocupava com o rumo que meu comportamento inconsequente a longo prazo poderia gerar. Mas será que ela não enxergava? Eu estava sempre tentando chamar sua atenção. Eu era um idiota e ainda sou.

Bem, voltando ao momento em que começamos. Aos meus vinte e dois anos resolvi convidar Minnie para uma noite de hambúrguer. Ela era uma dentista bem-sucedida e eu felizmente, graças a ela, tive sorte em minha vida profissional. Eu sempre gostei de escrever e toda minha fase obscura ao lado de minha tia me deram inspiração para escrever diversas estórias, que foram lançadas assim que Minnie me incentivou a publicá-las.

Morávamos no mesmo prédio, eu no sétimo andar e ela no décimo.

Eu esqueci de informá-los de algo muito importante, caros leitores. Atualmente, Jasmin namorava Carlos. Eu sei que vocês devem estar pensando que eu tive várias oportunidades de revelar meus sentimentos, e escolhi infortunadamente o pior momento. Mas, cada um de vocês foi avisado. Essa história não é para pessoas sóbrias, e sim pessoas que já conheceram seu lado afetado.

Eu estava sucumbindo cada dia mais em meus sentimentos.

Todos os dias eu olhava Minnie nos olhos, e não entendia como poderíamos ter chegado desta forma. Porque ela não me amava? Eu dediquei cada sístole e diástole do meu coração a mesma mulher durante anos.

Eu conseguia esconder cada sentimento, eu nunca havia falado sobre esse assunto com absolutamente ninguém. E isso era atormentador.

Aquele amor era aflito e impassível ao mesmo tempo.

O que me fez tomar essa decisão desesperada, foi um pesadelo na noite anterior a noite do hambúrguer. Eu sonhei que falecia e não contava nenhum dos meus sentimentos a Minnie. Eu falecia, sem que meu aflito e impassível amor fosse revelado. Eu acordei atordoado, e agradecido de ter sido apenas um pesadelo. Porém, entendi isso como um sinal de todos os deuses conhecidos e desconhecidos do amor.

Mais uma vez voltando a noite do hambúrguer, acordei de manhã cheio de esperança. Minha vida estava prestes a mudar completamente, poderia ser de uma forma fantástica ou de uma forma catastrófica. No entanto, nesta altura do campeonato e o estado de angústia em que eu me encontrava, com isso entalado na minha garganta, ambas opções pareciam superior ao estado em que eu me encontrava.

Nessa manhã, eu tomei café e subi ao décimo andar, com um donut caseiro para minha amada. Com o intuito de convida-lhe para a noite que mudaria nossas vidas. Ela havia acabado de acordar, me recebeu carinhosamente, como em todos os momentos. Era incrível como ela era doce e gentil, apesar do seu lado agressivo e rude. As manhãs não eram generosas com sua aparência, mas eu adorava a forma como ela acordava. Era um jeito único, com uma mancha branca de baba no rosto e as marcas de quem dormiu em cima de um livro ou computador.

Minnie conseguia entender cada sinal corporal, de alguma maneira eu conseguia esconder os sinais que demonstravam meus sentimentos em relação a ela. Acredito que todos nós desenvolvemos técnicas únicas para esconder os sentimentos que não queremos revelar. Mas, exclusivamente nessa manhã eu não conseguia esconder que havia algo para revelar. Minnie indelicadamente perguntou o que havia comigo naquela manhã, nós não tínhamos segredos.

Exceto por esse infortunado sentimento.

Eu disse que revelaria de noite, que faria hambúrguer caseiro. Com suco de laranja, o seu favorito.

Foi então que Minnie disse precisar me contar uma informação importante, e que aproveitaria nossa noite de hambúrguer para revelar.

A tarde eu preparei cada detalhe.

Comprei vinho para mim, caso os resultados fossem negativos. E sorvete, caso os resultados fossem positivos.

Caros leitores, gostaria neste parágrafo dizer que tudo ocorreu bem. Que Jasmim também me amava e depois daquela noite ficamos juntos pelo resto de nossa vida insignificante. Porém, como já devem supor. Não ocorreu desta forma.

Jasmim chegou em meu apartamento eufórica. Eu passei a ficar ansioso com o que ela ansiava tanto em me contar. Nós rimos, dançamos, comemos e finalmente no final da noite. Quando o silêncio tomava conta da noite, sentamos para dar as informações que tanto ansiávamos.

Ela estava tão ansiosa que eu não pude dizer uma palavra, logo começou a falar.

Ela sempre sonhou em trabalhar na indústria cinematográfica, estudou muito para ter dinheiro suficiente para correr atrás do seu sonho. Ela disse que finalmente iria pra Los Angeles iniciar a carreira que sempre desejou.

Eu não pude dizer nada. Mesmo se eu revelasse meu grande amor, eu iria iniciar uma turnê do lançamento do meu novo livro " E quando amanhecer". Eu não poderia acompanhar Minnie, e certamente ela não queria ninguém nesta nova fase.

Apesar de tudo o sentimento de felicidade por ver os sonhos dela se tornarem realidade me consumia. Eu disse a ela que minha revelação nem se comparava a dela, eu apenas iria me mudar.

Ela partiu.

Eu passei dias sem comer direito, e isso me consumia. O arrependimento de não ter dito nada e ter visto aonde isto iria nos levar. Eu havia perdido minha grande oportunidade, meu pesadelo me atormentava e aparentava estar cada vez mais próximo de virar realidade.

Eu vendi o apartamento, na esperança de realmente começar algo novo. Minha turnê iniciou, eu viajei para 8 países em 2 meses. O último país, era a Nova Zelândia. Eu aproveitei cada segundo daquele lugar, eu parecia finalmente conseguir bloquear os pensamentos sobre Jasmim. Eu passei todos aqueles dias sem realmente ter contato com a família ou amigos, apenas com os fãs das minhas estórias e as pessoas que tive o prazer de conviver. No entanto, eu nunca abria meu coração para os sentimentos mais profundos. Eu não permitia a entrada de ninguém, e como pude perceber ao retornar, não permitia a saída.

No primeiro dia do meu retorno, fui para casa da minha tia, eu havia vendido meu apartamento e ainda não sabia quais seriam os próximos passos. Minha tia notou algo diferente, ela disse que de alguma forma eu voltei cheio de esperança. No entanto, esperança de reconstruir algo que foi perdido. Desde então ela tentou descobrir o que seria esse algo perdido. Eu mudei o rumo do assunto e minha tia futuramente viria falecer sem uma resposta para o que me inquietava.

Eu continuava com meu segredo guardado as sete chaves.

Eu comprei uma casa enorme. Eu sei, minha vida parecia estar condenada a ser fria e solitária. Eu me sentia estupido, eu não conseguia sentir por mais ninguém o que sentia por Jasmim.

Eu não podia permitir ela se aproximar de mim, mesmo que ela significasse tudo para mim. Eu estava protegendo minha alma, eu precisava aprender a dizer adeus.

Minnie atingira o auge de sua carreira, e ela me procurou diversas vezes. Mas eu deixei ela ir, sem explicação. Eu menti todos os dias ao meu coração.

Porém, eu tinha cada filme seu e cada conquista guardada comigo.

Eu já não tinha inspiração, meu sofrimento se tornava cada dia pior. Pois era silencioso.

Entrei em uma livraria, em busca de livros que me inspirassem novamente. Trouxessem ao menos um vislumbre de um dia em que eu pudesse escrever novamente.

Então, aos meus vinte oito anos eu conheci Nina.

Nina era especial, ela se apaixonou rapidamente. Ela tinha brilho e esperança. Eu tentei dar o meu melhor para nina, mas algo me fez escolher nina para passar o resto da minha vida. Ela foi a primeira pessoa que ouviu minha história, sobre cada dia de tortura ao lado e longe de Jasmim. Eu fiz ela acreditar que esses sentimentos não existiam mais, eu queria acreditar que eles não existiam mais.

Quanto mais distante eu tentava permanecer de Jasmim, ela parecia ser mais real e perto.

Eu estava cansado de me prender a esses sentimentos, eu me dediquei a cuidar de nina. Mas não era algo sentimental, era puramente racional. Nina veio morar comigo após dez meses de namoro.

Tudo parecia ir bem ao lado de nina, planejávamos nosso casamento. Minha tia estava entusiasmada, ela percebia que era o início de uma nova era para mim.

Discretamente, sem que nina soubesse eu pesquisava todas as notícias de Minnie. Fui surpreendido com a notícia que Jasmim iria se casar com um roteirista famoso de Hollywood. Aquela notícia acabou comigo, minha tia notou que aquilo me abalou. Eu nunca disse com palavras para minha tia o que eu sentia por Minnie, mas acredito que ela entendia cada gesto e sinal.

Em uma manhã de setembro, especificamente no dia vinte e três, onde iniciara a primavera. Recebemos o convite do casamento de Minnie, naquele momento eu fiquei sem ar. Um filme passou pela minha cabeça, e mais uma vez a lembrança daquele pesadelo no dia anterior a noite do hambúrguer. Eu não sei como Minnie me encontrou, provavelmente com todo dinheiro e influencia ela encontrou uma maneira. Ao abrir o convite, antes que nina chegasse do trabalho, caiu uma carta.

Eu hesitei em abri-la.

Porém, não resisti ao que ela revelaria.

Tinha esperança que fosse uma carta apaixonada, dizendo que sempre me amou e que também dedicou cada batimento. E que ela estava me esperando sem pressa. No entanto, aquela carta partiu meu coração. Meus olhos se encheram de lágrimas rapidamente e eu já não poderia conter. Era uma carta de toda decepção que causei a minha amada Minnie, ela buscava explicações para minha saída da vida dela. Eu sentia a dor que ela sentiu em cada parágrafo, consoante e vogal. Ela não entendia o que ela fez para que eu fosse embora daquela maneira.

Ela apenas não entendia que eu estava sem controle, estava delirando. Eu queria lutar por aquilo, mas não poderia. Eu precisava tanto dela naquele momento, nem um minuto a mais sem ela. Ela era tudo que importava para mim, eu ficava acordado toda noite. E aquilo me consumia.

Eu queria poder responder aquela carta, pedindo para que ela me encontrasse mais tarde sozinha e que eu tinha um lugar secreto para irmos. Eu queria que ela acreditasse em nós, como eu acreditava em nós. Ela era minha perdição.

Eu guardei aquela carta e o convite, junto com todas as lembranças que guardava, e escondi de Nina.

Eu sentia falta do cheiro, do toque, das risadas e conversas. De cada detalhe do seu rosto, seu olhar que expressavam cada sentimento. De cada linha do seu corpo, e como eu queria tocá-lo. Mas eu precisava seguir, e que ela fosse feliz. Mesmo que eu não pudesse presenciar essa felicidade.

Eu percebia o quanto Jasmim, mudou minha vida. Um amor que transcendia minhas vontades.

Quando nina chegou na noite em que recebi aquela carta, ela percebeu meu silêncio e respeitou. No fundo Nina sabia que jamais seria mais do que Jasmim, e que isso não era uma competição. Porque ela jamais poderia vencer. No entanto, ela sabia que eu faria o possível para que ela fosse feliz ao meu lado. E eu agradeço a Nina pelo esforço de me fazer feliz.

Aquele convite e carta mudou mais ainda minhas decisões.

Eu antecipei meu casamento com Nina. Minha tia não entendia o que acontecerá comigo e Minnie, porém, não tocava no assunto. Ela notava como era dolorido para mim tocar naquele assunto.

Enfim casados.

Nina era simplesmente uma ótima esposa, ela parecia ter sido criada para isso. Eu me esforçava, mas jamais chegaria aos pés dela.

Eu tive momentos felizes, e momentos em que quase me esqueci completamente de Jasmim. Mas meu coração não queria esquecê-la, ela era como uma flor Jasmim. Mesmo que eu cortasse ela crescia novamente, e ela era tão bonita e perfumada que eu não poderia cortar pela raiz.

Ela era minha única direção.

Nina engravidou de nossa única filha, Yasmin.

O nome Yasmin vem da palavra árabe Jasmin. Nina nunca questionou o significado do nome de nossa filha, mas eu sabia que aquilo machucava ela. Fazia ela lembrar a mulher que me bagunçava, que se fazia presente mesmo estando ausente. Eu perguntei se ela gostaria de mudar o nome de nossa filha, mas ela se negou.

Eu já não buscava notícias sobre Minnie, e evitava assistir seus filmes. Muitas vezes no silêncio do entardecer, me sentia tentado a buscar sobre ela. A curiosidade me matava. E o que me aliviava era lembrar de todos os nossos momentos juntos, cada mês, semana, dia, hora, minuto e segundo junto.

Ao nascer de minha filha com Nina, eu sentia que Nina se distanciava a cada dia. Eu já não sabia se eu estava distante ou se Nina não suportava mais a minha amargura. Eu já não sabia quem eu era, ou o que eu fazia ali. A única coisa que trazia sentido aos meus dias era Yasmin.

Minha tia havia falecido, ela faleceu em um final de semana. Tranquila e sentada em céu terraço, assim como sempre pediu a deus. No dia do enterro da minha tia, Yasmin estava doente. Eu e Nina concordamos que eu fosse sozinho ao enterro, e ela ficasse com Yasmin. Nina me deu total apoio, eu estava acabado. Eu não tinha expressão, nem vida.

O enterro foi cheio de vida, apesar de um enterro. Minha tia era muito amada e muitas pessoas foram se despedir dela. No final, todos foram embora e eu fiquei sentado ao lado pensando em tudo que minha tia significava para mim. De repete, um carro como aqueles de pessoas ricas em filme. Desce meu grande amor Jasmim. Incrível como ela consegue dar cor e vida ao fim. Em silêncio, ela sentou ao meu lado e ali ficamos durante alguns minutos. Ao fim ela levantou com os olhos cheio de lágrimas, tocou no meu ombro e saiu.

Eu queria partilhar tanta coisa com Minnie, eu queria partilhar a minha vida. Eu queria ter de volta Minnie. Mesmo que fosse apenas como um amigo, eu me senti tão tolo em perder tudo que tínhamos. A ausência do olhar dela era como se eu morresse a cada dia. O olhar dela era tudo que eu tinha, e era tudo que eu queria ter. Naquele momento eu me arrependi de toda distância, e de todos os momentos que eu perdi ao seu lado.

Quando cheguei em casa Nina estava me esperando com Yasmin no colo, elas me abraçaram e eu me senti vivo novamente.

Caros leitores, creio que neste momento não conseguimos ver alegria em tudo isso. Vocês devem me achar um fraco, um derrotado que nunca teve coragem de expor seus sentimentos. Mas eu era apenas um menino, e eu aprendi a força do amor independentemente da forma em que ele se apresente.

O tempo passou e algo ruim aconteceu.

Nina me deixou. Ela encontrou alguém que não tinha ninguém em sua mente e coração. Alguém que conseguia se entregar por inteiro para ela. Eu queria me sentir atingido por aquilo, mas Nina merecia. Eu estava condenado a ser para sempre um homem apaixonado, por alguém que jamais teria.

Anos se passaram e eu já estava idoso. Feliz com minhas conquistas profissionais e feliz com minha filha Yasmin. Ela se tornou uma mulher forte e de carácter, e isso me fazia ver que minha missão estava cumprida.

Eu passei a vida inteira tentando esquecer Minnie, mas neste momento já não fazia mais sentido tentar esquecer. Então eu revivia todos os nossos momentos em minhas memórias. Como em todo clichê, depois de idoso eu iria em busca do meu grande amor de infância. Antes que eu fosse busquei informações sobre Jasmim, descobri que ela teve quatro filhas. Potira, Margarida, Rosa e Jasmine. Nomes de flores, assim como sua mãe. Eu não sei porque, mas ler sobre a vida de Jasmim me trouxe uma alegria imensa. Mas não deixei de pensar em como teria sido se tivéssemos ficado juntos. Eu fui tolo demais para não segurar sua mão quando tive a oportunidade, eu nunca conseguirei limpar a bagunça em que me meti. Mas tentarei, porque sempre existe esperança. Eu estou atrasado, mas eu só quero que você saiba.

Então, eu comprei um buquê de jasmim e fui em busca de Minnie.

Há alguns anos Jasmim descobriu estar com Alzheimer em um grau bem avançado, ao chegar na sua casa encontrei seu marido. Ele disse que estava me esperando e me entregou uma caixa.

Eu não entendi, ele pediu que eu visse cada informação daquela caixa e que depois me deixaria ver Minnie.

Eu vim para te encontrar Jasmim, e ninguém nunca me disse que seria fácil. Nunca foi fácil para nós.

As lágrimas escorriam pelo meu rosto, naquela caixa tinha cada foto e cada memoria que tivemos juntos. Assim, como eu havia guardado.

E lá no fundo da caixa havia uma carta.

E Jasmim revelou cada um dos seus sentimentos, ela relatou cada palavra minha, cada abraço, toque e som. Ela nunca teve coragem de revelar seus sentimentos. Ela não acreditava que fosse recíproco. E ela terminou dizendo:

" Você sempre foi bastante para mim, tudo que você é, é o que eu preciso. Sempre estive e sempre estarei apaixonada, obrigada por me dar esse sentimento tão lindo que levarei para sempre. E nem mesmo a doença me fará esquecer de você. Eu só quero que você brilhe. Você colocou cor no meu mundo, e deu perfume ao meu jardim."

Eu percebi, que o medo consumiu e destruiu o nós que poderia ter existido. Naquele momento eu tinha tantas emoções, eu não conseguia me mexer. As lágrimas apenas escorriam.

Eu tive tanta raiva de mim por ter deixado o medo me paralisar, e eu fiquei ali sentando. Revivendo nossos momentos, passando em cada página e imaginando como poderia ter sido diferente.

Então seu ex-marido tocou em mim, e me explicou tudo. Eles haviam vivido exatamente o que eu e Nina passamos. Ele disse que estavam separados e Jasmim descobriu a doença, ele voltou a morar com ela, mas apenas como suporte. Ele sabia que nunca teria o coração de Minnie.

Não havia maneiras de explicar como eu sentia sua falta, os dias pareciam tão escuros. O céu, as estrelas, a lua não parecia nada sem você. O universo parecia ter sido embaralhado. Minhas lágrimas contavam sua própria história.

Então eu abri a porta que levava até o jardim cheio de flores lindas, mas que nem se comparavam a você.

Você me olhou e sorriu.

Eu estarei perto de você Jasmin, até meus últimos dias e vou cuidar de você. Porque tudo de mim, ama tudo em você. Todas as suas perfeitas imperfeições.

Eu te dedico cada consoante, vogal que escrevi, cada pontuação, palavra, frase. Eu sabia que precisava de você, mas nunca demonstrei. Eu quero estar com você mesmo quando virarmos fantasmas. Eu vou te amar até meus pulmões desistirem. Eu estou tão apaixonado por você, e agora eu sei que nós sabemos.

25 de Março de 2020 às 06:13 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Mais histórias

Extranatural Extranatural
Destino Traçado Destino Traçado
Jamais Vu Jamais Vu