Vingadores: Guerra Infinita Seguir história

true_hero Henrique Ribeiro

Após os eventos de Guerra Civil, os Vingadores estão divididos, com sua existência quase nula por conta do Tratado de Sokóvia. Uma vez desunidos, o planeta e todo o Universo se veem em extremo perigo quando, das profundezas do cosmos, a ameaça final surge: Thanos. Determinado a reunir as Joias do Infinito para infligir sua vontade maléfica perante a realidade, Thanos acaba entrando no caminho dos heróis. Para impedi-lo, os Vingadores deverão unir forças com os Guardiões da Galáxia, os Miraculous, o Homem-Aranha e muitos outros para impedir que sua invasão de ruína e destruição ponha um fim ao Universo como conhecemos.


Fanfiction Impróprio para crianças menores de 13 anos. © Direitos aos diretores do filme original, e os criadores dos respectivos personagens da fanfic

#Ben-10 #homem-aranha #ladybug #guerra #Thanos #vingadores
0
175 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

O início! A ameaça final aparece!

“Perfeitamente equilibrado. Como tudo sempre deveria ter sido”

.

.

MARVEL

STUDIOS

.

.

.

VINGADORES: GUERRA INFINITA

Com o rompimento dos Vingadores, o mundo agora se encontra sem uma equipe de heróis para protegê-lo e tenta a todo custo se recuperar desse desaparecimento repentino. Graças a isso, TONY STARK começa a novamente ter pesadelos sobre uma ameaça próxima, e se apressa para fortificar suas armaduras e ajudar na defesa mundial. Já STEVE ROGERS cuida de continuar suas missões de equipe, agora com uma equipe as sombras do governo, e com apoio dos CARTOON RANGERS e do rei T’CHALLA.

Enquanto isso, uma nova leva de jovens heróis urbanos vem surgindo ao redor do mundo, também visando ganharem maior notoriedade no espaço heroico e ajudar na proteção dos inocentes. No espaço, após uma dura batalha pela sobrevivência, o povo asgardiano finalmente conseguiu deixar o agora destruído Reino Dourado, sob o atual comando de THOR. Ele e vários guerreiros de Sakaar, incluindo HULK, partem rumo a Terra para reconstruir sua civilização e começar uma nova era.

Contudo, nas sombras do cosmos, o Titã Louco chamado THANOS finalmente põe em prática o seu plano final, fazendo assim a maior ameaça já vista aparecer. Coletando a JOIA DO PODER em Xandar, ele parte juntamente de seu exército e a ORDEM NEGRA para conseguir a JOIA DO ESPAÇO, localizada na nave asgardiana. Com uma batalha sendo travada e a maior parte da tripulação morrendo, agora falta pouco para que a segunda Joia do Infinito seja alcançada. E isso, é apenas o começo...


.


.


.


ESTAMOS SENDO ATACADOS! REPITO: ESTAMOS SENDO ATACADOS! ESTAMOS A 2 SALTOS ESPACIAIS DE ASGARD! ISSO NÃO É UMA NAVE DE GUERRA! REPITO: NÃO É UMA NAVE DE GUERRA! NOSSA TRIPULAÇÃO É FORMADA POR CRIANÇAS, FAMÍLIAS ASGARDIANAS! OS SOBREVIVENTES SÃO POUCOS! PRECISAMOS DE AJ- corta a transmissão


Em meio a destroços da nave asgardiana flutuando em meio ao espaço, via-se outra nave à frente, gigantesca e com uma aparência bem ameaçadora. Ela disparava constantes mísseis contra o transporte asgardiano, que logo começava a se desestabilizar enquanto algumas cápsulas de fuga saiam rumo às infinidades do cosmos, como maneira de fugir do massacre. Dentro da nave, havia apenas a destruição e ruína. Inúmeros destroços caídos, juntamente de dezenas de sobreviventes, tanto guerreiros de Sakaar quanto civis asgardianos. Realmente, uma verdadeira tragédia abatida sobre o povo do Reino Dourado. Encostado sob um pilar e com sua mão a barriga, Heimdall tentava resistir às dores, mas voltou à estaca zero enquanto observava um ser a caminhar por entre os corpos.


Fauce de Ébano – Ouçam-me, e alegrem-se – Passou por cima de um corpo – Pois vocês tiveram o privilégio de serem salvos pelo grande titã. Podem achar que isso é sofrimento, mas não. É salvação. O Universo agora pende para o equilíbrio por conta de seus sacrifícios – Ele passou por Loki, que mantinha um olhar preocupado ao observar tudo aquilo – Sorriam, pois se tornaram até na morte, filhos de Thanos.


O Deus da Mentira continuava a olhar a figura de Fauce, ainda a manter sua expressão preocupada. Ele deu uma leve olhada para o que acontece ao redor, vendo o resto da Ordem Negra a matar aqueles que ainda se mexiam com seus armamentos. Após isso, Loki apenas teve a única opção de olhar para o que estava a sua frente, mas que ainda sim era uma visão perturbadora. Mais alguns corpos, caídos em meio a um ser de armadura dourada, de braços cruzados e a observar o espaço com serenidade. Ele se vira levemente, dando uma olhada para o derrotado Thor caído aos seus pés.


Thanos (calmo) – Eu sei como é perder... Ter a certeza de que está certo, e falhar mesmo assim – O titã agarrou o Deus do Trovão por sua vestimenta enquanto ele se contorcia – É assustador, não? Deixa as pernas trêmulas. Mas eu pergunto pra quê? – A Ordem Negra cercou Loki – Tema. Tente fugir. Todos têm seu destino. O de vocês está aqui – Ele saiu da fumaça – Porque vocês, tem a mim – Mostrou a Joia do Poder na Manopla.


Thor (se levantando) – V-você fala de-mais...!


Thanos (se direcionando a Loki) – Agora, o Tesseract ou – Apontou a Manopla para Thor – A cabeça do seu irmão. Imagino que tenha uma preferência – Ele deu um sorriso.


Loki (sério) – Ah, eu tenho sim. E não é ele.


Vendo a resposta que o Deus da Mentira lhe passou, Thanos logo ficou sério e energizou a Joia do Poder, a botando contra a cabeça de Thor. Os gritos do Deus do Trovão começavam a ecoar por toda a sala à medida que as rachaduras roxas da joia transpassavam por entre sua testa, a fazendo sangrar. O olhar no rosto de Loki logo se transformava em desespero. Podia não demonstrar, mas ele realmente se importava com seu irmão, e ver aquilo o deixava perplexo com a crueldade do Titã Louco. Precisava fazer algo. Thor fizera tanto para tira-lo do caminho das sombras. Era no mínimo uma dívida por tudo que aconteceu até aquele momento. Deu um passo para frente, alarmado.


Loki (preocupado) – JÁ CHEGA! ESTÁ BEM!


Thanos então retirou a Joia do Poder da cabeça de Thor, levando a manopla à altura de sua boca e dando uma leve assoprada na fumaça que vinha da mesma. O Deus do Trovão, ainda segurado pela gola, se recuperava do ataque, ofegante.


Thor – N-Não estamos com o Tesseract! Ele foi destruído em Asgard!


Tentando se explicar para Thanos, Thor nem sabia do que seu irmão havia feito, pouco antes de escaparem de Asgard. Dando leves olhadas de preocupação para o deus, Loki logo levou sua mão direita aos céus, fazendo assim o Tesseract aparecer em suas mãos. Thor transparecia uma mistura de decepção, surpresa e de que já sabia que aquilo aconteceria. Thanos e sua Ordem Negra por sua vez, sorriam ao ver que mais uma Joia do Infinito estava ao alcance deles, juntamente com seu objetivo.


Thor (decepcionado) – V-você não mesmo jeito, meu irmão.


Loki (andando até Thanos) – Eu lhe garanto, irmão: O Sol brilhará sobre nós outro dia – Thanos deu uma risada.


Thanos (sorrindo) – Seu otimismo é descabido, asgardiano – Loki puxou o Tesseract.


Loki – Em primeiro lugar, eu não sou um asgardiano – Thanos deu um leve olhar de confusão – E em segundo, nós temos o Hulk.


E então, houve-se um forte rugido vindo de perto dali, e logo a inconfundível figura gigante esverdeada de Hulk atingiu o Titã Louco com baita soco. Loki se esquivou, deixando o Tesseract cair no chão enquanto Thor se desvencilhava dos braços de Thanos, também caindo no chão. Os dois gigantes rolaram, e Hulk novamente rugiu, partindo para acertar o rosto do titã com seu braço. Acertou mais dois socos em seu rosto e aplicou um murro no seu peito, o empurrando contra uma parede e o prendendo lá ao colocar seus dois braços sobre o pescoço de Thanos. O Gigante Esmeralda ainda bateu o corpo do Titã Louco duas vezes contra a parede antes de começar a pressiona-lo contra a estrutura. Vendo isso, Cull Obsidian tentou avançar, mas Fauce o impediu, apenas assentindo e indicando que Thanos poderia cuidar daquilo sozinho.


Ainda a pressionar Thanos contra a parede, Hulk tinha a certeza de sua vitória. Era óbvio que ele venceria ali, mas sua surpresa surgiu logo em seguida. Com uma força tremenda, o Titã Louco logo se pôs a agarrar os dois braços do Gigante Esmeralda, sorrindo e os tirando de seu pescoço de maneira até fácil. O olhar do verdão virou surpresa. Ele logo desferiu um soco contra o nariz de Hulk, o que o fez dar alguns passos para trás. Os dois se encararam por alguns segundos antes do verdão tentar mais um soco, mas Thanos defendeu e desferiu outro soco, logo desviando e acertando as costas de seu oponente. Então uma verdadeira surra se iniciou. O titã começou a usar de golpes rápidos e coordenados para tirar a concentração de Hulk, batendo ele contra uma estrutura já destruída e aplicando uma forte joelhada contra seu rosto após outra série de golpes. Ao ver que o verdão estava bem desnorteado, Thanos simplesmente o agarrou e o levantou acima de sua cabeça com uma facilidade tremenda, dando alguns passos antes de joga-lo sem piedade contra o chão. O Incrível Hulk, tão forte e tão poderoso, agora jazia derrotado e humilhado.


Olhando o corpo caído do Gigante Esmeralda, Thanos nem percebeu a repentina chegada de Thor, que logo desferiu um golpe contra suas costas, mas ele nem sentiu nada. Quando foi tentar outro ataque, o titã simplesmente deu um chute contra seu peito, o jogando para longe. O deus por sua vez, tentou avançar de novo, mas Fauce de Ébano usou seus poderes telecinéticos para prender seu corpo por inteiro com pedaços de metal caídos em meio aos destroços. O olhar furioso de Thor indicava sua total sede de vingança de Thanos. Ele passou a observar o caído Heimdall, que também o encarava com preocupação. Voltou seu olhar aos céus enquanto segurava, com sua mão esquerda, sua espada da Bifrost.


Heimdall (se esforçando) – Pai de Todos... Deixe que a magia flua sobre mim só mais essa – Levantou a mão direita na direção de Hulk – Vez...


A energia da ponte do arco-íris logo se manifestou no local onde Hulk estava desmaiado, e isso o fez acordar. O raio de luz então saiu dali, se dirigindo em meio a infinidade do cosmos para Midgard. Precisava que o povo da Terra estivesse avisado da ameaça que estava por vir. Eventualmente, com aquele ato de nobreza, seu destino estava selado. O guardião logo ouviu os passos se aproximando, vendo Thanos e Corvus Glaive a sua frente. O titã pegou a lança de seu filho, olhando Heimdall com seriedade enquanto ele dava uma olhada para Thor, que permanecia trêmulo com o que acontecia.


Thanos (sério) – Foi estupidez... – Ele então fincou a lança contra o peito de Heimdall.


Thor (furioso) – NÃÃÃÃÃÃÃO!!!!!


O golpe fora brutal para o guardião da Bifrost, que nada teve a fazer senão dar um último suspiro antes de encostar sua cabeça contra um destroço. Naquele momento, Heimdall estava morto. A lança ainda continuava fincada contra seu peito enquanto Thanos se retirava. O olhar no rosto de Thor transparecia algumas lágrimas em meio a sua fúria e ódio. Seu melhor amigo. Apunhalado no coração, de maneira trágica. Não. Aquilo não ficaria assim.


Thor (furioso) – VOCÊ VAI MORRER POR ISSO!!


Novamente usando seus poderes telecinéticos, Fauce de Ébano transformou pedaços de metal em uma prisão para a boca de Thor, fazendo com que ele ficasse calado. Após isso, ele se dirigiu ao Tesseract, caído no chão, e o pegou, levando-o até a gigante figura de Thanos. O mesmo retirou seu elmo, também começando a retirar toda a sua armadura. Com duas Joias do Infinito em posse, não precisaria daquilo. Ele seria simplesmente invencível para qualquer ser no Universo. A arrogância e sede de poder agora dominavam o Titã Louco, e ele não pararia por nada até obter todas as seis Joias do Infinito para infligir sua vontade sobre a realidade. Fauce se ajoelhava perante seu mestre enquanto oferecia o cubo para o mesmo, rendido as suas vontades.


Fauce – Minha humilde pessoa, curvo-me perante sua presença. Saiba que na história, nunca houve um único ser que teve o prazer de portar mais de uma Joia do Infinito – Thanos retirou sua armadura completamente e pegou o Tesseract com sua mão direita – O Universo está ao seu alcance.


Usando uma força tremenduosa, Thanos logo começou a pressionar a estrutura do cubo, fazendo rachaduras aparecer em sua superfície. Ele então pulverizou o objeto, deixando energia cósmica fluir pelo local. Quando abriu sua mão, tudo que via eram os cacos do que um dia fora o Tesseract, juntamente a Joia do Espaço que jazia escondida em seu interior. Remexeu os dedos para jogar os cacos para o chão, deixando apenas a joia ao seu alcance. A pegou e a direcionou para o local ao lado da Joia do Poder. Ao chegar perto da Manopla, ela logo começou a transferir energia para o compartimento. Thanos então a soltou, deixando que se acoplasse a Manopla do Infinito. Um poder imensurável então percorreu o corpo do titã, fazendo com que o mesmo desse um grunhido antes de olhar para a Joia do Espaço, agora em sua posse juntamente da Joia do Poder. Ele abriu um sorriso enquanto os membros da Ordem Negra permaneciam atentos.


Thanos – Existem mais duas Joias na Terra – Fechou a Manopla – Encontrem, meus filhos. E tragam pra mim em Titã.


Próxima Meia-Noite (se ajoelhando como o resto) – Pai, não iremos desaponta-lo.


Loki (chegando ali) – Se me permitem – O grupo olhou para o deus – Se vão para a Terra, vão precisar de um guia, e meio que eu tenho... Experiência nessa área.


Thanos (debochando) – Se considerar falha experiência...


Loki – Eu considero experiência experiência – Começou a andar até Thanos – Ó poderoso Thanos. Eu, Loki. Príncipe de Asgard – Deu um olhar arrependido para Thor – Filho de Odin, o Rei Legítimo de Jotunheim.


Enquanto o Deus da Mentira continuava a dialogar com Thanos, Thor podia perceber o que ele realmente pretendia com tudo aquilo ao ver seu irmão a criar uma adaga em seu braço. Ele tentaria matar o Titã Louco. Uma tática ousada, e o Deus do Trovão sabia disso, mas, o que poderia fazer para impedir? Estava tão impotente ali. Restava apenas assistir e ver o que aconteceria. O coração do deus rezava para que o pior não ocorresse, mesmo que as circunstâncias indicassem o contrário. Não suportaria perder Loki por uma terceira vez.


Loki (abaixando a cabeça) – Ofereço a minha eterna... Fidelidade – Esperou alguns segundos e atacou, mas Thanos o parou alguns centímetros ante sua garganta usando a Joia do Espaço – Droga...!


Thanos – Eterna? – Apertou a mão de Loki, fazendo a adaga cair – Acho que devia escolher as palavras com mais cuidado.


Puxou o Deus da Mentira para perto, usando a manopla para segurar seu pescoço firmemente e erguê-lo sem quaisquer dificuldade. Loki logo começou a se contorcer, dando chutes contra o peito do titã enquanto sentia o ar em seu corpo se esvaindo. Thanos o fitava com seriedade, finalmente terminando com a traição e a falha que lhe ocorreram há 6 anos. Deu uma leve olhada para Thor. O olhar do deus transparecia terror, e isso satisfazia seu coração. Novamente voltou suas atenções ao quase morto Loki, ainda a tentar resistir, mas agora de maneira fraca pela falta de força. Seus olhos começavam a ficar vermelhos e a lacrimejarem. Ainda sim, ele podia pronunciar palavras, porém, seriam suas últimas.


Loki (agonizando) – Você... Nunca... Será.... Um deus...


Thanos então abriu um largo sorriso em seu rosto, e com um leve movimento, quebrou o pescoço de Loki como se fosse vidro. Ao ver isso, Thor logo gritava de tristeza e raiva daquilo, mesmo com sua boca presa. O titã então deu uma olhada para o Deus do Trovão, se dirigindo ao mesmo a passos lentos, mas que já faziam uma tensão se iniciar ali. Thanos largou o corpo do Deus da Mentira ao chão, poucos metros a frente de onde Thor se mantinha acorrentado pelos pedaços de metal. Estava feito. Não haveria mais volta para Loki. Era o fim de um grande mentiroso, mas que também finalizou sua vida arriscando-a para que a ameaça ao Universo fosse enfim encerrada.


Thanos – Dessa vez sem ressureições.


O titã levantou a Manopla do Infinito, com sua mão aberta, e ativou a Joia do Poder. Fechou o punho, deixando que a joia liberasse sua energia por toda a nave. Ao longo do local, explosões roxas e rachaduras começavam a aparecer, começando a destruir o veículo espacial por completo. Logo, Thanos levou a mão à frente de seu abdômen, ativando a Joia do Espaço para abrir um portal e levar ele e a Ordem Negra para fora dali, por fim, encerrando seus serviços. Com isso, a prisão metálica de Thor se rompeu, permitindo seu livre movimento, mas pela fraqueza do momento, teve de se arrastar. Encostou sua mão no peito de Loki, clamando pelo seu nome, e se pôs a chorar sobre seu corpo morto. A tristeza corroía o coração do Deus do Trovão. Seu melhor amigo e seu irmão estavam mortos. Agora, caso sobrevivesse, sua missão seria destruir Thanos, não importasse o que acontecesse. Ele iria pôr um fim aquela loucura, custe o que custar. E então, a nave explodiu por inteiro em um grande clarão.


.


.


.


Em meio à vasta imensidão do cosmos, um raio de luz brilhante passava de maneira rápida pelo espaço, logo passando pelo Sol e se dirigindo ao Planeta Terra. Em Nova York, ele podia ser visto nitidamente, e carregava o já consciente Hulk dentro dele, mas, o verdão sentia algo a mais. Ele sentia três energias poderosíssimas ao redor do mundo, eram as Joias do Infinito presentes na Terra. Mas, não existiam apenas duas? Como era possível que uma terceira estivesse ali? Bom, deveria focar nesses assuntos depois, pois seu destino estava próximo, e se localizava no Greenwich. No Sanctum Sanctorum, Stephen Strange e Wong começavam a descer as escadarias do local, preparados para irem a uma lanchonete depois de um dia de trabalho intenso nas artes místicas.


Strange – Sério? Você não tem dinheiro nenhum?


Wong – Conexão com o material, é desconexão com o espiritual – Strange riu.


Strange – Heh! Vou falar isso na lanchonete e vão te preparar um sanduíche meta-físico.


Wong (checando seu bolso) – Pera pera pera! Acho que tenho aqui 100 – Retira o dinheiro – Rúquias!


Strange (interessado) – Que dá?


Wong – Quase um dólar.


Strange (desinteressado) – Aff, o que você quer?


Wong (entusiasmado) – Bom, o sanduíche de atum de lá é ótimo e-


Quando o mago ia continuar, o raio de energia da Bifrost atravessou as estruturas do telhado do Sanctum, caindo bem no centro da escada onde os dois se encontravam. Eles se protegeram, e logo deram uma olhada para trás. Dirigiram-se ao local com velocidade, com Strange chamando o Manto de Levitação e fazendo seu uniforme enquanto Wong projetava dois escudos de magia para se precaver de qualquer ataque. Dentro do buraco enorme feito pelo raio de energia, encontrava-se a figura de Bruce Banner, ainda a retroceder a sua forma humana. Seu olhar esbanjava terror e preocupação enquanto ele observava os dois magos acima dele. Seus olhos ainda estavam verdes, mas logo voltaram ao normal.


Bruce (assustado) – O Thanos tá vindo.. E-ele tá vindo...!


Strange (confuso) – Quem?


.


.


.


Beach City


Na pacata e meio avançada cidade praiana de Beach City, um pouco mais afastado do centro urbano, a base dos Cartoon Rangers se encontrava a mil por hora. Os membros mais inteligentes do time, como Jeff e Raven, coordenavam as buscas no computador principal da base. Sumo, Jake e Nicole cuidavam da manutenção dos equipamentos do grupo enquanto Connie, Steve Pizza, Gus e Penny treinavam em um simulador de batalha, que mostrava monstros da armada de Sledge. Gumball, Darwin e Titio Avô verificavam os mapas estelares com a ajuda da tecnologia que conseguiram na batalha contra Rrezen há alguns meses. Um pouco mais afastado da base, Steven e Clarêncio dialogavam entre si para quanto a liderança dos Rangers. O híbrido se mostrava um tanto quão indeciso sobre ao que fazer. Os Vingadores Secretos de Steve Rogers estavam em constantes missões, mas Steven sabia que seu amigo não conseguiria manter aquele pique todo por muito tempo. Ainda mais com a pequeníssima equipe que tinha no momento. Deveria se juntar a eles para dar apoio, mas, parecia que havia algo na liderança que estava o puxando. Clarêncio de certa forma entendia. Também se sentia despreparado para liderar a equipe dos Rangers, mesmo já tendo experiência por ser o vice-líder.


Clarêncio – Tá complicado...


Steven – Pois é... Sabe, às vezes eu sinto que o mundo joga as piores decisões pra mim. Tudo que eu fiz... A gente ser controlado.


Clarêncio (preocupado) – Ste – O citado olhou para ele – Aquilo não foi culpa sua. A entidade da Diamante Supremo se infiltrar na nossa mente... Nada daquilo foi culpa de alguém.


Steven (se culpando) – Não, cara – Se segurou no corrimão a sua frente – Me permiti ser fraco num momento importante. Importante não só pros Rangers, mas pros Vingadores também. Sabe, eu não me considero um líder digno às vezes.


Clarêncio – Cara, você é o melhor que nós poderíamos ter. O Rrezen te abalou, eu sei... Mas lembre-se do que cê fez na luta final. Lutou com todas as suas forças e nos protegeu dos ataques dele – Steven assentiu, e observou o horizonte – Isso vai se resolver. Eu sei disso.


Steven (olhando o horizonte) – Eu espero, Clarêncio – Olhou para ele – Porque eu sinto que tem algo vindo, e dessa vez, deveremos estar unidos. Todos nós.


Sem entender o que seu amigo quis dizer com aquela fala, Clarêncio apenas assentiu antes de olhar para a cidade abaixo deles, preocupado com o futuro. Logo, um alarme de emergência fora emitido de dentro da Base Ranger, e os dois logo se dirigiram numa velocidade absurda para a sala de comando. Chegando lá, os Rangers os aguardavam um pouco preocupados. O mapa estelar estava aberto e um ponto vermelho estava nele, se movimentando com velocidade na direção da Terra. Steven logo transformou seu olhar em preocupação também

.

Steven (preocupado) – Me digam que não é o que eu tô pensando.


Gumball (observando o mapa) – Infelizmente, parece que nossos amiguinhos espaciais voltaram.


Jake (estalando os punhos) – Pouco importa. Vou esmagar todos eles.


Raven (indiferente) – Que nem da última vez?


Jake – Indiferente!


Penny – Ok, gente. Acalmem os ânimos. Precisamos saber do que se trata isso.


Gumball (confuso) – Amor, você não sabe? Não era a pesquisadora do grupo?


Penny – Sim, mas disso eu não sei!


Darwin (cochichando para Gus) – Vish, dessa vez o negócio deve ser brabo.


Gus (preocupado) – Acredito que devamos contatar o grupo do Steve.


Steve Pizza – Ou as Gems, né?


Connie – Esperem um pouco. Devemos fazer um reconhecimento do que estamos lidando primeiro.


Steven (observando com atenção) – Espera um pouco... Nicole! Calcula o local de pouso de acordo com a trajetória!


Nicole (mexendo nos controles) – É pra já!


Usando alguns códigos presentes no computador, a gata azul logo conseguiu aumentar o tamanho do mapa, direcionando com maior precisão o local de seu pouso. Nisso, todos acabaram se surpreendendo. A nave iria pousar exatamente em Manhattan, e isso preocupava Steven. Talvez, fosse vingança pelo que os Vingadores fizeram com a armada Chitauri em 2012. Era necessário um reconhecimento próprio antes de qualquer chamado ou ataque precipitado. Os Rangers permaneciam preocupados. Ao fundo, podia-se ver Titio Avô comendo um pacote recheado de seus braços caídos. O grupo o olhou com nojo.


Titio Avô (confuso) – Bom dia. O que foi gente?


Jeff (com nojo) – Cara, você tá comendo seus próprios braços!


Titio Avô – Ah, me deixem. Eu tô comendo de boa aqui, viu? – Os Rangers reviraram os olhos e voltaram a observar.


Sumo – Ei, cara. Me dá um desses depois, hein?


Clarêncio – Então, Steven. O que devemos fazer quanto a isso?


Steven (se virando para o time) – Eu vou pra Manhattan fazer reconhecimento. Mando um alerta se for grave.


Gumball (preocupado) – Tem certeza? Se quiser, podemos ir com você.


Steven – Eu agradeço, Gumball. Mas deixa comigo, ok?


Gumball apenas assentiu, igualmente ao resto dos Rangers. Steven deu um sorriso para eles, e por instinto, os 14 membros se abraçaram de maneira forte, simbolizando sua grande amizade. Após alguns longos segundos, se separaram, e Steven se dirigiu para o pedestal de sua energema, a puxando para sua mão e a colocando em volta do seu pescoço. Logo após, pegou seu morfador, juntamente com um estoque de quase 30 Chargers. Botou um no morfador e o energizou. Assim, a nanotecnologia implantada por Shuri nos trajes começou a envolver o corpo de Steven, e em poucos segundos, ele já estava transformado em Rexarts. Isso impressionava o resto dos Rangers. Era a primeira vez que viam o resultado da transformação do novo traje. Logo, ficavam doidos para testar também quando a hora chegasse.


Rexarts (desativando a máscara) – Vou te contar. Princesa Shuri faz uns designs bem bacanas – Olha para o T-Rex gigante – E ainda manteve o T-Rex? Melhor traje de todos!


Darwin (entusiasmado) – Mal posso esperar pra testar o meu!


Rexarts – Certo, gente – Assentiu e se dirigiu para fora da base, quando Connie segurou sua mão – Connie, eu tenho que ir.


Connie – Sim, eu sei, mas... – Beijou Steven – Saiba que onde quer que esteja, eu vou estar. Te amo.


Rexarts – Também te amo.


E logo, o líder dos Rangers saiu da base. Steve Pizza liberou o Ptera Zord para que ele pudesse chegar mais rápido a Manhattan. Dando um grande salto, Rexarts logo entrou no Zord, começando a comandar seus movimentos em meio ao voo plano. No hangar, Connie observava com preocupação. Estava com medo de perder Steven nessa nova luta que estava por se aproximar, mas ela devia ser forte e procurar fazer o possível para neutralizar a ameaça. Deu um sorriso e se virou para voltar a sala de comando e coordenar os avanços do líder dos Rangers.


.


.


.


Ponte do Brooklyn, Manhattan


Na famosa Ponte do Brooklyn, a Lata-Velha dos Tennysons atravessava o monumento em velocidade média, sem ser muito rápida, nem lenta. O trânsito estava bom, e tudo estava caminhando para mais um dia tranquilo nas férias. Talvez aquelas fossem as férias de verão mais tranquilas que Ben, Gwen e Max já passaram desde que o Omnitrix caiu na Terra, e eles aproveitariam muito. Planejavam ir ao Central Park, a fim de fazerem um acampamento no local mais natural de toda Manhattan. Obviamente, esperavam que fosse uma noite tranquila, além de marshmellows e histórias de terror. Enquanto Max dirigia e Gwen ia ao assento de passageiro, Ben mantinha-se mexendo no relógio, sentado na mesa do trailer e bem focado. Isso incomodava a ruiva.


Gwen (incomodada) – Ben, larga essa coisa! Vem ver como é a cidade!


Ben – Não tô a fim.


Gwen – Prefere ficar vendo se tem um alien novo nesse troço? – Ben a olhou com desprezo – O que? Isso é uma total perda de tempo!


Ben (provocando) – Assim como ir numa viagem com você – Mostrou a língua.


Gwen (irritada) – Grr... – Preparou uma bola de Mana, mas Max a impediu – Vovô!



Max – Parem os dois. Estamos aqui para aproveitar a viagem. Essas férias estão sendo as mais tranquilas de todas e não quero que estraguem isso. Imagino que não queiram também.

Os dois – Desculpa, vovô...


E então, os dois primos se voltaram para prosseguirem a viagem, mantendo o que estavam fazendo antes daquela pequena discussão começar. Estava tudo seguindo tranquilo, até que Ben percebeu algo de estranho com o Omnitrix em seu pulso. O logotipo inicial do aparelho logo começou a transitar do verde para o laranja, o que deixou o jovem Tennyson assustado. A única vez que tinha visto isso fora quando teve de viajar aos confins da galáxia para que Azmuth consertasse o relógio e impedisse que ele destruísse metade de todo o Universo numa explosão colossal. Ainda preocupado com o que poderia acontecer, ele pensou em contar a Gwen e Max, mas lembrou de que isso apenas atrapalharia ainda mais a viagem, portanto, tratou de esconder seu braço esquerdo por debaixo da mesa enquanto passava a observar a cidade de Nova York a se aproximar cada vez mais. Por fim, ele deu um sorriso, esperançoso com o dia que viria.


Mas mal sabia ele, que isso era apenas o começo de algo ainda maior...

23 de Março de 2020 às 12:31 0 Denunciar Insira 0
Continua… Novo capítulo Todas as Segundas-feiras.

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~