Between Worlds Seguir história

cecifrazier Cecília Frazão

Deus separou os céus dos mares na criação, todavia, nada separaria o grande amor que ainda unia esses dois mundos.


Fanfiction Desenhos animados Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#lance #keith #voltron #klance
Conto
0
282 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único: Sequestrador de Corações

Lance esperou a primeira oportunidade que tivera para escapar de seus pais sem ser notado. O rei e a rainha de Atlanta estavam resolvendo assuntos referentes a negociações com o reino vizinho, e por isso, o príncipe herdeiro do trono conseguiu fugir sem ser notado. Graças, é claro, à Katie e ao Hunk, que quase sempre encobriam essas escapadas.

Ah, se seus pais descobrissem que ele ia frequentemente à superfície, certamente o deixariam de castigo. Ainda mais, se soubessem com quem se encontrava todas as vezes.

Dando um belo chute no traseiro da responsabilidade, Lance nadou agilmente até o tal ponto de encontro: Uma grande rocha no meio do oceano. Não tinha como ir nadando até a praia, pois, era muito longe! O local mais próximo que achou foi aquela rocha.

Quando Lance chegou, tomou um impulso para subir. Sua grande cauda azul impedia aquela ação de ser menos complicada e as barbatanas entre os dedos quase o fizeram escorregar. Mesmo sendo difícil, Lance sentou-se sobre a rocha. Havia um tipo de alga em uma parte do oceano que, ao ser ingerida, dava a habilidade aos seres do mar de poder respirar na superfície. Entretanto, o efeito durava apenas duas horas.

A alga era árdua de se encontrar, mas, ele achava que valia o esforço. Nada seria complicado demais se a recompensa fosse passar tempo com aquele anjo.

O anjo no qual ocupava maior parte dos pensamentos do príncipe de Atlanta, era justamente membro do povo inimigo: Os Gardenianos, comumente chamados. Há muito tempo, sua raça entrou em guerra com estes, não tendo nem vencedor ou perdedor. Desde então, foi como se ambos os povos vivessem em um tipo de Guerra Fria, sendo possível uma batalha ser desencadeada a qualquer instante.

Se Lance ligava para isso? Sim, ele tinha suas preocupações e temia por seu povo. Entretanto, o príncipe egoísta no momento não via a hora de ver Keith, o irmão do herdeiro de Gardênia.

“Aquele idiota está atrasado de novo”, Lance bufou, irritado. Detestava quando Keith demorava demais. Aquele Sol não fazia bem à sua pele sensível!

Lance, quando ouviu um já conhecido bater de asas ao longe, sentiu o coração acelerar. Olhou para cima, com os olhos azuis semicerrados por conta da luz forte. Era por isso que chamava Keith de anjo; aquela imagem dele descendo das nuvens com feixes passando entre as penas de suas grandes asas alaranjadas, davam-lhe um aspecto angelical.

— Lance. — Keith disse seu nome com um sorriso. Assim que estava perto o suficiente, pousou sobre a pedra. Da primeira vez que o tritão olhou para os chamados 'pés' do gardeniano, achou-os engraçados. Comparou-os aos das gaivotas, mas, Keith deixara claro que eram idênticos aos dos gaviões.

— Não me venha com esse sorriso cínico, seu molusco. — Lance cruzou os braços e virou a cara. — Estou fritando debaixo desse Sol há mais de uma hora!

— Você acabou de chegar. — Ele revirou os olhos. Às vezes, Lance gostava de ser extremamente dramático. E pensar que quando se conheceram, Keith imaginou que o príncipe era tímido e reservado. Por fim, sentou-se ao lado do tritão e o segurou pela cintura. — Não vou nem ganhar um beijo?

— Você é muito atrevido! — O príncipe exclamou, porém, passou dias desejando ter aqueles lábios tão quentes sobre os seus tão frios. Sentiu a mão acolhedora de Keith sobre seu rosto, fazendo Lance encará-lo.

— Como se você desgostasse. — Sorriu, e Lance pôde jurar que derreteria com aquele sorriso tão brilhante. Por isso, deixou de fazer seu pequeno drama e beijou Keith calmamente. Este, obviamente, estava com tantas saudades daquele príncipe que aprofundou o beijo quase de imediato, carregando-o de emoções e transbordando todos os sentimentos possíveis.

Lance estremeceu com o contato da língua morna na sua, entregando-se por completo. Seus olhos estavam fechados assim como os de Keith, e respirava rápido cada vez que o outro apertava sua cintura.

— Ah, espera um pouco. — Lance separou o beijo, completamente ofegante. — Eu... faz um tempo que não fazemos isso.

— Está tudo bem? — Keith tocou a bochecha gelada do tritão. Sabia que era cada vez mais difícil dele conseguir ir até a superfície, então, beijos assim tiravam totalmente seu ar. — Quer voltar?

— Não! Céus, Keith, pare de ser tão babão. — Ele franziu as sobrancelhas. — Estou bem. Acha mesmo que quero voltar agora que estou contigo?

— Desculpe, mas, eu me preocupo com o príncipe dos mares. — Riu, dando um beijinho nos lábios de Lance.

— Eu quero que você me leve para passear. — Lance tocou as madeixas negras do gardeniano. — Sabe, como fizemos outro dia.

— Você não ficou encrencado nesse dia?

— Meus pais estão em reunião hoje, então, provavelmente vão demorar uma eternidade para sair daquela sala. — Ele fez um bico. — Por favor.

— Tá, tá bom. — Keith se levantou e logo se agachou para pegar o tritão no colo. Lance era pesado, mas, possuía força o suficiente para carregá-lo.

— Para onde vai me levar, sequestrador? — Lance sorriu, passando seus braços pelos ombros de Keith.

— Para um lugar onde nunca possam nos encontrar. — Riu. Ele pegou impulso e abriu voo, fazendo Lance apertar o contato. Este sempre sentia o estômago revirar ao olhar a imensidão do oceano de tão alto, por isso, mantinha o foco nos olhos acinzentados e tão profundos de Keith.

— Um dia você acaba me matando. — Reclamou, recebendo um beijo na bochecha em troca.

— Ainda com medo, Lance? — Keith perguntou. — Deveria confiar mais em mim. Sabe que nunca te deixaria cair.

— Eu sei, seu exibido. — Lance acabou por sorrir. Analisou os traços de seu amado com calma, desde os olhos bem desenhados até a boca avermelhada; diferente da sua, que possuía uma coloração puxada para o azul por viver em baixo d'água. — Keith...

— Diga.

— Eu te amo.

— Eu também te amo. — Keith sorriu, sincero. Ajeitou Lance em seu colo para poder beijar os lábios gelados que tanto gostava de beijar. — Amo mais que qualquer coisa.

Ouvir aquilo aqueceu o coração de Lance. Nunca haviam dito isso abertamente um para o outro, entretanto, certamente, fora a melhor coisa que já ouviram em toda sua vida.

20 de Março de 2020 às 16:06 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Cecília Frazão Hey, eu sou a cecifrazier, mas, pode me chamar de Ceci/Zezi, já que praticamente todo mundo me chama assim. Eu escrevo fanfics e de vez em quando uma história original, poema, conto, etc. Já me viu por aí? Pois é, eu estou em vários lugares da internet mesmo. Fui do Nyah, depois fui do Social Spirit e agora estou testando novas plataformas, como o Inkspired, Wattpad e Sweek. Relaxa aí e vem ler as coisas que eu escrevo.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~