Novo desafio de escrita disponível! #UmMundoParelelo. Leia mais.
d1vine Pedro Freitas

História Baseada No Anime e Manga - Demon Slayer Kimetsu No Yaiba, Cujo Autora é Koyoharu Gotouge, lembre-se de dar todo o crédito a ela por essa história. Um reino tomado por corrupção onde aqueles que são fracos hão de fazer oque os fortes mandam. Reis tomam aquilo que os cidadãos mais amam e destroem suas familias, criaturas espalhadas por todos os lados torna impossível escapar. Mas não para Akaichi Noteki, ela se tornou uma Espadachin para que pudesse eliminar todos aqueles que transformam este mundo em um lugar pior. Akaichi teve que perder muitas pessoas importantes para ela até virar oque é atualmente, além de ter que lutar contra oponentes formidáveis em diversas ocasiões. Tendo somente sua irmã e melhor amigo ao seu lado, esta é a história da Águia Vermelha de Raygon.


Fantasia Épico Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#sobrenatural #anjos #371 #328 #ação #32816
0
1.2mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

O Reino De Raygon


{|-|}




´´...´´


Era um dia ensolarado em um Reino do Japão cujo nome é Raygon...não havia nenhuma nuvem no céu, aquele seria um ano dentre o Período Edo (1603 - 1863). E dentro de uma simples casa duas crianças brincavam. Essas duas crianças são Akaichi Noteki e Kurodji Noteki, Akaichi era a irmã mais nova, ela tem um cabelo curto de cor escarlate com pequenas partes em roxo e uma pequena franja cobrindo sua testa, além disso seus olhos tem a mesma cor que ametistas. Kurodji a mais velha, possui um cabelo longo que desce até os seus joelhos uma longa franja que cobre parte do seu olho esquerdo também com longas laterais que descem até os seus ombros, o cabelo tem uma cor de branco acinzentado e seus olhos são da mesma cor que violetas, parecidos com o de sua irmã. Elas estavam vestidas com vestidos feitos de couro, que seus pais haviam comprado com o pouco dinheiro que possuem. As duas estavam conversando normalmente sobre assuntos de seus dias cotidianos e seus pais haviam saído para visitar a sua Majestade por alguma razão. Passaram-se horas de conversa e seus pais finalmente voltaram para casa, Akaichi corre em direção a seus pais, ela então os abraça e sorri gentilmente, já Kurodji apenas observa. Alguns minutos se passaram e a familia começou o jantar.



Akaichi : ´´Então, oque vocês foram fazer lá no palácio, mamãe?´´



Akatsuna, a mãe de ambas irmãs , se vira lentamente, ela finge um sorriso.



Akatsuna : ´´Nada demais, Akai. Só estavamos conversando com ele, como sempre.´´



Akaichi : ´´Aaah mãe mas você sempre diz isso!´´ Akaichi faz uma careta, balançando sua cabeça para a esquerda.



Kyojin, o pai das irmãs, apenas ri. Ele anda em direção a sua filha e acaricia seu cabelo levemente.



Kyojin : ´´Não se preocupe Akai a sua mãe não vai fazer nenhuma bobagem como na última vez.´´



Kurodji : ´´Hm..? mas eu ouvi que foi você quem inventou aquela ideia boba que quase acabou com o salário da mamãe.´´



Kyojin : ´´Caramba Kurodji, você realmente é impiedosa.´´ Todos riem, e logo se sentam em uma pequena mesa, Akaichi se senta no colo de sua mãe e Kurodji fica em pé. As cadeiras estavam sendo usadas pelos pais, mas as irmãs não se importavam, bom , pelo menos eles acham. Akatsuna levanta a tampa de uma panela, um aroma de sopa subiu e tomou conta da casa, Akaichi respira esse mesmo odor e ri baixinho, ela tem um olfato aguçado que a permite sentir o cheiro de coisas a metros de distancia. Já Kurodji possui uma audição apurada, ela consegue ouvir os borbulhos de dentro da panela bem como o som de um casal brigando na casa ao lado.



Kurodji : ´´E então? oque vamos fazer amanhã?´´ Kurodji pergunta, levemente tapando seus ouvidos ao levantar a sua mão direita e colocar sua palma ao lado do mesmo.



Akaichi : ´´Ah eu quero muito ir na cachoeira de novo!´´ Akaichi responde, sorrindo novamente.



Akatsuna : ´´Hm..acho que você está empolgada de mais, não é? será que não lembra de nossa última visita até lá?.´´



Akaichi : ´´Sim, sim eu sei! eu fiquei doente por ficar muito tempo na água, mas eu prometo que não vou dessa vez!´´



Kyojin : ´´Bom, vamos pensar no seu caso.´´



Akaichi : ´´Hihihi´´



Kurodji : ´´Hah, acho que você precisa crescer irmã, você já tem dez anos!´´



Akaichi : ´´Hmm! mas eu prefiro ser uma criança ao invés de uma adolescente!´´



Kurodji : ´´Ah sua bobinha, sempre com essa história.´´



Eles continuam o jantar até todos terminarem, Kurodji pega os pratos e Kyojin a panela, ambos começam a limpar e logo depois vão para o único quarto que existe em sua casa. Uma única cama, não muito confortável, mas que faz seu serviço. A noite tomou conta do céu e as estrelas apareceram junto com a Lua. A familia de Akaichi e Kurodji era de baixa classe, tinham dinheiro apenas para se sustentar, sobreviver. Mas mesmo assim eram mais felizes que qualquer nobre daquele Reino Pútrido. A noite as duas irmãs conversam sobre seu dia, e logo após isso vão dormir. O dia voltou novamente, o clima estava completamente diferente do dia anterior. Estava nublado e frio, uma chuva forte lá fora. Mas isso não afetava Akaichi, ela já estava acostumada com isso, e sua familia também. Seus pais haviam ido para o Palácio Real mais uma vez e elas novamente brincavam. Porém gritos de cidadões vieram minutos depois, Kurodji consegue-os ouvir e avisa sua irmã que algo esta acontecendo lá fora. As duas rapidamente abriram a porta de suas casas e um homem gritou.



Homem : ´´Akatsuna e Kyojin vão ser executados! vamos ver! isso é um show que não se perde!´´ O Homem diz, balançando seu braço no ar.



|[ As duas estavam chocadas, quase que paralizadas. Esses eram os nomes de seus pais. As duas correram o mais rápido possivel, empurrando as pessoas no meio do caminho até elas chegaram á praça principal. Ambos os parentes das irmãs estavam ajoelhados contra o chão, sangue estava espalhado enquanto as irmãs olhavam para os seus pais. |]



Akaichi : ´´Mãe! Pai! não!!´´ Akaichi grita, logo tentando correr até lá.



Kurodji : ´´Não vá, Akai! é perigoso demais!´´



Akatsuna : ´´Fique longe!´´ Ela grita, sua voz estava fraca.



Kurodji segura a mão de Akaichi enquanto ela chora rios de lágrimas. Ela não podia acreditar que seus pais estavam prestes a serem executados, por quê? qual foi o motivo? elas se perguntavam. Um homem com uma armadura ornamental, robusta e cinza que cobria praticamente todo o seu corpo se aproxima de Akatsuna e Kyojin, ele tinha um cabelo curto de cor cinza e olhos escuros, sua cara cheia de cicatrizes e uma expressão aterrorizante em seu semblante. Ele anunciou



Harzar Raygon II : ´´Eu, Rei de Raygon , filho de Laynal Lionel Primeiro. Anuncio a morte destes dois plebeus. O seu motivo é traição ao nosso Reino, por se rebelarem contra as nossas regras. Que isso sirva de exemplo a todos aqueles que ousarem se opor á nós. Não hesitaremos em matar cada um que tentar.´´ O rei puxou um grande machado de cor negra com suas mãos, ele o levantou sobre a cabeça dos "culpados". Akaichi solta um grito quando o Rei balança o seu machado em direção ao pescoço de ambos os parentes, sangue se espalhou por todos os lados. Suas cabeças rolaram pelos pedregulhos da praça principal. Akaichi coloca a sua mão sobre sua boca, sua pele estava pálida.



Elas estavam tão chocadas que seus corpos praticamente não se moviam, seus corações estavam para sair de suas bocas. Elas começaram a voltar para casa enquanto Akaichi limpa suas lágrimas. Mas quando elas voltaram, viram os Guardas se aproximar de sua humilde casa com torchas, fogo foi ateado em sua superfície. Kurodji correu até eles, gritando. Mas o Guarda simplesmente lançou seu braço esquerdo em direção ao rosto da menina, seu cotovelo, que estava coberto com uma armadura, a lançou metros para trás. Akaichi rapidamente corre até sua irmã, à abraçando fortemente. Kurodji entra no abraço de Akaichi, seu nariz sangrando. O Guarda se aproxima de ambas e cospe em seus rostos, sorrindo maleficamente. Andando de volta para o castelo enquanto seu esquadrão o segue.



Akaichi : ´´Por quê eles são assim? por quê eles nos odeiam tanto? porquê isso teve que acontecer?´´



Kurodji : ´´Eu não sei irmã..esse lugar..esse povo..eles querem nós duas mortas. Eles..nos veem como meras formigas..que podem ser facilmente esmagadas.´´



Akaichi continua a abraçar sua irmã. A chuva piorou e elas tiveram que correr para um esgoto, era um lugar horrível, sujo e podre. Mas elas não tinham outro lugar para ir, Akaichi se sente doente só de sentir o cheiro daquele lugar. Ambas sentam-se contra a parede, suas cabeças estavam baixas. Passaram se dias e elas sobreviveram apenas se alimentando dos insetos e ratos que apareciam naquele lugar, as pessoas passavam por cima do esgoto como se nem soubesse que elas existem nesse Reino. Akaichi tosse varias vezes, ela estava doente. Kurodji se manteve forte, ela conseguia roubar algumas coisas das praças de vez em quando, mas voltava com machucados horrendos. Por quanto tempo elas teriam que viver assim? não durariam muito, provavelmente. Porém em um dia chuvoso, uma pessoa apareceu naqueles esgotos. Era uma mulher, ela usava uma roupa de freira. Ela chamou as duas meninas que se aproximavam devagar e cuidadosamente. Elas não podiam confiar em ninguém, aprenderam isso desde o primeiro dia nos esgotos. Mas a freira apenas acodiu as irmãs, ela usou de uma magia especial cujo elemento é a luz para curar a doença de Akaichi e os machucados de Kurodji. A Freira então levou as irmãs para uma Catedral Imensa, suas paredes e torres feitas de mármore com janelas cristalinas que mostram desenhos de anjos. A chuva parou e o sol raiou, nuvems se abrindo novamente. Elas ganharam uma nova chance? será que o mundo na verdade nunca as esqueceu? A Freira levou ambas para um banheiro, ela deixou que as irmãs tomassem um banho e logo após isso ás entregou roupas que foram doadas pelos cidadões.



Freira : ´´O meu nome é Elizabeth, mas pode me chamar de Liza se quiser.´´ Ela sorri, seus cabelos eram brancos e longos como os de Kurodji, mas não de idade, eram verdadeiramente brancos como a neve, uma cor incomum. Seus olhos eram dourados com símbolos do clã das deusas que foi erradicado anos atrás, como se fosse a encarnação de uma certa deusa do passado.



Akaichi : ´´M-Muito..O-Obrigado, senhora L-Liza.´´ Akaichi diz, enrolando seu cabelo ao redor de seu dedo.



Elizabeth : ´´Bom, vocês duas. O jantar vai ser servido as Oito Horas, tenham certeza de não dormir antes!´´ Ela diz, novamente sorrindo enquanto anda pelo corredor.



Akaichi e sua irmã andam de volta para seu quarto, elas se encaram por um momento, se perguntando se isso era uma ilusão criada pelo Rei ou se seria uma realidade alternativa, de qualquer jeito elas tinham que aproveitar ao máximo.



Akaichi : ´´Parece que..no meio de tantas pessoas ruins, há alguém bom nesse mundo..´´



Kurodji : ´´Sim..parece que..sim..´´



Akaichi : ´´Oque foi irmã?´´



Kurodji : ´´Ah não é nada..e quê..faz tanto tempo que alguém nos trata assim..não é?´´



Akaichi : ´´Sim..ela me lembra muito a..a..´´ Lágrimas começam a formar nos olhos de Akaichi, mas Kurodji a abraça mais uma vez.



Kurodji : ´´Vai ficar tudo bem, Akai. Sua irmã vai ter proteger, não importa oque acontecer.´´



Akaichi : ´´Eu..te amo..irmã´´



Kurodji : ´´Eu também..sua fofa.´´



O relógio começa a bater o seu sino. Era Oito Horas da Noite. Akaichi e Kurodji se dirigem para a sala de jantar, haviam varios padres e freiras espalhadas pelas mesas de madeira, decorações de uma civilização antiga estavam esculpidas nas paredes interiores de mármore da Catedral, de frente a porta no final da parede uma estatua de um ser alado estava presente, ela estava brilhando ao segurar uma lâmpada. Elas se sentaram na mesa do canto esquerdo, isoladas das outras crianças que muito provavelmente eram criadas por ricos nobres como seus escravos. Uma outra freira serviu o jantar delas, e elas finalmente conseguiram comer uma comida digna de uma pessoa. Duas Horas se passaram e elas voltaram para seus quartos depois de conversar com Elizabeth por um momento, haviam duas camas no quarto mas Akaichi não queria dormir sozinha então se aconchegou com sua irmã em uma única cama, era muito melhor que aquela que eles tinham em sua casa, mas sem os seus pais por perto não era a mesma sensação. Desde então se passaram varios dias, elas conseguiram formar laços com algumas crianças que não eram metidas e mimadas. Uma delas tinha o nome de Makero, aparentemente ele era treinado por espadachins mas decidiu vir á Catedral em seu descanço, elas formaram um laço com esse menino que tinha uma personalidade Gentil e um estranho poder que impressionava a todos no lugar, o poder de manipular a água com sua respiração. Mas o destino nunca é tão bom assim...Era um dia chuvoso, como aquele em que seus pais os deixaram. A Catedral estava linda como sempre, Akaichi estava olhando para o horizonte tranquilamente, Kurodji estava descansando ao seu lado. Kurodji então avisa sua irmã imediatamente. Ela apontou para as torchas de fogo e batidas de tambores vindo na direção da Catedral. No meio de tantos soldados, um homem de armadura cinza estava sentado sobre um cavalo, era ele, O Rei. Ele chegou as portas da Catedral e Elizabeth o confrontou.



Elizabeth : ´´Oque você quer, Harzar?´´ Elizabeth grita, andando em direção ao Rei.



Guarda : ´´É assim que você trata vossa realeza Harzar Liones? como ousa sua vadia!.´´ O guarda levanta sua espada, avançando



Elizabeth : ´´Ora seu..´´ Elizabeth prepara uma magia de luz, se posicionando.



Harzar : ´´Silêncio!´´ Ambos pararam



Harzar : ´´Elizabeth, a Freira que Lidera esta Catedral. Oque estava pensando quando achou que eu não perceberia que estava pegando os potenciais soldados do reino para si mesma?´´



Elizabeth : ´´Eles não são soldados! são crianças inocentes! eles precisam de cuidado, afeto e amor! não armas, mortes e violência´´



Harzar : ´´E quem é que decide isso? você é ingênua se acha que vai ser o suficiente para manter o reino seguro, oque você sabe sobre criar um exército?´´



Elizabeth : ´´Você esta tirando a juventude deles, eu não posso perdoar isso! eu nunca vou!´´



Harzar levanta sua mão, ele a lançou em direção a Elizabeth , em um piscar de olhos ele a levanta pelo pescoço. Um guarda da catedral se aproxima, puxando sua espada e correndo.



Guarda da Catedral : ´´Senhora Elizabeth!´´



O Guarda da Catedral tenta atacar o Rei, mas seus guardas reais foram mais rapidos e as espadas perfuraram o pobre guarda em seus pontos vitais, ele caiu , estando morto. Outros guardas se aproximaram do Rei e ele simplesmente levantou seu machado, jogou Elizabeth contra o chão e arremessou seu Machado. Acertando dois dos Guardas, os Guardas Reais atacaram os que sobraram e uma carnificina foi oque sobrou.



Elizabeth : ´´Como...ousa..seu..monstro.´´



Harzar : ´´Eu vou pegar todos os seus lindos filhinhos e transformar-lôs em máquinas de matar.´´ Harzar diz, sorrindo. Ele levanta sua pé e o coloca sobre a cabeça de Elizabeth, Akaichi e Kurodji se viraram elas não conseguiriam ver aquela cena. Harzar empurrou seu pé contra a cabeça de Elizabeth, ela começou a gritar. Nada sobrou da cabeça de Elizabeth...



Akaichi se vira pra sua Irmã que estava surpresa e assustada ao mesmo tempo



Kurodji : ´´Nós temos que fugir, Akai! não podemos ser pegas por aquele cara!´´



Akaichi : ´´Mas como vamos fugir?´´



Kurodji : ´´Eu tenho plano, só me siga!´´



As duas correm pra dentro da Catedral e um Guarda avisa o Rei do Ocorrido.



Harzar : ´´Invadam a Catedral e pegem todas as crianças! se alguém tentar os parar mate-os sem dó nem piedade!´´



Os guardas reais gritam, correndo pra dentro da Catedral enquanto puxam suas espadas. Gritos podiam ser ouvidos dos anderes inferiores e as Irmãs correm para o outro lado da Catedral. Kurodji pega dois mantos escuros e coloca um na sua irmã e o outro em si mesma. As duas correm, até seus pulmões secarem. Elas alcançaram a parte norte da Catedral onde uma enorme Escada em Espiral leva a uma saída diantêira. Quando estavam prestes a sair da Catedral um Martelo voou em sua direção, as duas se abaixaram rapidamente, se abraçando enquanto o Martelo violentamente destroi a porta feita de vidros cristalinos. Cacos de Vidro se espalham por toda parte, Kurodji grita para correr e as duas rapidamente se movem para fora, em direção a uma mata fechada. O Guarda do Martelo corre na direção das duas, ele avisa os outros guardas das fugitivas e eles começam a busca. As duas irmãs adentram a floresta obscura, correndo como se não houvesse amanhã, oque poderia ser verdade. Elas pararam para respirar, caindo no chão. Seus pulmões estavam doendo absurdamente e seus corações queriam escapar por suas bocas de tanto esforço feito. Quando olharam para trás elas viram o grupo de guardas ás seguindo. Akaichi diz que não consegue mais correr e grita para que elas se entreguem para os guardas, mas Kurodji apenas puxa ela e a carrega em suas costas. As duas correm por alguns metros ate Kurodji escorregar e cair de um pequeno penhasco, ela jogou Akaichi para frente que sai rolando dentre as pedras. Akaichi se levanta em um suspiro quando ouve a sua irmã mais velha gritar de dor, sua perna esquerda estava sangrando e havia sido fraturada. Akaichi então toma uma decisão, ela puxa Kurodji para suas costas e a carrega enquanto tenta correr. Elas chegaram a uma ponte, e os guardas continuavam a seguir-las. A ponte já era muito velha, e quando as irmãs estavam prestes a cruzar o abismo que havia embaixo da ponte ela começou a se romper lentamente. Akaichi grita, tentando alcançar o outro lado enquanto a ponte se quebra em dois, ela se agarra a ponte que cai em direção ao paredão do penhasco, mas não consegue se segurar e ambas caem no abismo que parecia não ter fim. Elas cairam por vários metros até atingir a superfície de um rio, a correnteza leva ambas com uma força inimaginável. No entanto, duas mãos rodeadas por uma armadura cinza as puxam para fora. Harzar joga as duas até a terra, andando lentamente até elas. Akaichi somente abraça Kurodji, ela não conseguia correr mais.



Harzar : ´´Vocês duas são componentes muito interessantes. Dariam ótimas guerreiras para o meu exército.´´ Ele diz, sorrindo.



Akaichi : ´´Nós nunca nos aliariamos á você! foi você quem matou nossos pais! eu nunca, jamais vou te perdoar!´´



Harzar : ´´Oh..esse rosto, eu o reconheço. Você duas devem ser filha de Kyojin e Akatsuna. Que surpresa..´´



Kurodji : ´´Argh..seu monstro..´´



Harzar : ´´Vocês escolhem, ficar aqui e morrer lentamente sem á ajuda de ninguém, ou se aliar a mim para viver uma vida digna de um guerreiro. Escolham.´´



Ambas olham para si mesmas por um momento e elas decidem.



Kurodji : ´´Nós...´´



Akaichi : ´´Nunca vamos nos aliar a você!´´



Harzar : ´´Hm..que pena. Vocês não me deixam escolha então.´´



Dois guardas batem nas duas em seus pescoços, seus nervos são acertados e as duas caem no chão, ambas inconscientes.



Harzar : ´´Vocês foram estupidas de pensar que tinham uma chance..que pena..esperava mais de vocês...´´



Passaram se Três Dias desde os acontecimentos na Floresta, Akaichi e Kurodji acordam dentro de uma masmorra, elas estavam cansadas. Quando se levantaram para ver quem estava por trás das grades, viram o rei de Raygon as observando perversamente. Akaichi percebeu que estava sem roupa e rapidamente escondeu suas partes íntimas, Kurodji estava apenas com uma túnica. Ela olhou para sua Irmã, passando outra túnica para ela. Harzar esperou ela se vestir, mas não se virou nem por um segundo.



Harzar : ´´Tente ser mais rápida da proxima vez. Enfim, vocês duas irão para o campo de treinamento agora, e melhor comerem antes de ir se não quiserem colocar suas tripas para fora.´´



Harzar abre o portão da cela em que ambas estavam ele joga um único pão seco dentro da cela e começa a andar em direção a sua sala do trono, ele estava acompanhado de varios guardas. As irmãs dividiram o único pão que lhes foi dado, era duro e seco, quase sem vida. Mas pelo menos era melhor que baratas e ratos. Elas logo se dirigem para o Campo De Treinamento onde varias crianças de idades que variam de 9 a 13 estavam presentes, Akaichi tinha 11 anos e Kurodji 13. Elas ficaram uma atrás da outra, na frente de uma fila de vários. Ricos, Pobres, todos eles estavam lá, até mesmo Makero que estava vestido em um kimono azul escuro com uma capa quadriculada de cor preta e branca sobre seus ombros, seus cabelos tinham uma cor preta avermelhada, seus olhos a mesma coisa. Para os Nobres e o Clero essas crianças eram nada além de copos descartáveis. E o seu treinamento é anunciado pelo Chefe De Guerra Barthor Lionel, o irmão mais novo de Harzar, que estava cobrido com um manto preto para esconder sua identidade.



Barthor : ´´Sejam bem vindos ao inferno, moleques. Aqui vocês não terão o abraço de suas mães e nem o amor de seus pais. Estarão sozinhos e completamente expostos a morte. O primeiro teste de vocês sera escalar a montanha atrás de mim, ela está repleta de monstros horríveis, armadilhas letáis e Hokis com sede de sangue. Vocês receberão uma Katana e algumas Kunais, e precisarão sobreviver por Sete Dias nessa montanha, aqueles que ousarem tentar sair da área da montanha serão recebidos com uma chuva de flechas, e aqueles que alcançarem o seu topo serão protejidos por Árvores de Wysteria(Uma planta que espanta Hokis, Monstros e Espiritos Malignos com seu cheiro forte.) eu lhes desejo boa sorte, por que precisarão.´´



Akaichi se apoia nas costas de sua Irmã e Kurodji acaricia o cabelo de sua Irmã mais nova.



Kurodji : ´´Vai ficar tudo bem, Irmã. Nós vamos sobreviver a isto com certeza.´´



Akaichi : ´´Eu acredito em você..irmã´´



A fila começa a andar e elas logo recebem suas Katanas e Kunais além de um Uniforme especial cuja aparencia é : Um colete especial de cor preta com linhas vermelhas nas extremidades, uma fileira de botões dourados no meio e uma gola longa de cor branca, o colete também possui mangas brancas, não só isso o uniforme também inclui luvas pretas , uma capa de cor carmesin com uma palavra escrita no seu centro em Kanji que significa "Exterminar". O uniforme também inclui uma bainha para a Katana e armaduras para os cotovelos e joelhos, manoplas também podiam ser usadas. Após se equiparem devidamente as Irmãs foram em direção a entrada da montanha onde uma grande muralha de 25 metros cercava os seus arredores. Elas foram em direção a um portão de cor negra e seguiram em frente em direção ao topo da montanha, os seus destinos serão decididos nestes Sete dias.



| Fim do Capítulo I. |

20 de Março de 2020 às 03:40 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo A Floresta Da Morte

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!