A Trindade Seguir história

angelitsa Angelitsa

O sentimento que detinham por ela era capaz de vencer qualquer obstáculo A rivalidade A distância O tempo A repulsa e abominação que aquele ato pudesse aparentar -Vocês têm meu coração, agora desfrutem do meu corpo... Eram fortes, eram poderosos, eram únicos, agora seriam uma tríade Uma trindade. Mas por ela seriam um só E apenas ela com seu amor!


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#drama #shoujo #novela #romance #amor #hentai #trisal #poliamor #trindade #sabakunogaara #uchiha #haruno #gaara #sakura #sasuke
0
684 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Esperanças...desesperanças

Trindade: conjunto de três entidades, seres, objetos...de igual natureza.


Eles se buscaram, se quiseram, tanto...

Tanto!

Os lábios macios e cálidos desceram pelo pescoço fino lhe causando os arrepios mais profundos que já sentiu em toda sua vida.

Quando encontraram os seus a língua ávida a sugou com ânsia e mal pôde se deter em tocar os fios ruivos.

Ao senti-lo arrastando-se sofregamente até o colo arfou

Gemeu quando os dedos longos do homem que tanto amou durante a vida buscaram a ver livre das vestes que agora eram somente um incômodo.

Quando se viu liberta, exposta... a língua sedenta dele passou do ventre ao encontro das carnes de seios firmes, entumecidos de desejo

Sentiu quando eles os provaram, cada um deles.

Lhe sugando, experimentando das aureolas rosadas

Ensopando-a de desejo

Em um sussurro os lábios profanos disseram

- Gaara, Sasuke... quero vocês dois dentro de mim

E encontrou o mar de olhos

Verdes, negros...

Prontos para possuí-la

Prontos para tomarem-na para si

Prontos para serem um só

Pela primeira vez!

________________________________________________________


Um ano atrás...

Abriu os olhos ao sentir a brisa fria da manhã e o sol lhe tocar a face de maneira insistente. Levantou-se sem demora pois tinha pressa em chegar a seu destino.

Suna.

Mesmo já estando no País do Vento o clima ainda era aprazível e mal dava indícios que logo, no mais tardar no fim da tarde, toda aquela brisa fresca se transformaria em algo seco e os tons verdes da vista dariam lugar ao terroso e arenoso da Vila da Areia.

-Vamos, não podemos perder tempo.

Disse aos outros que a acompanham

-O Kazekage nos espera.


Relutou, se esquivou, fez de tudo para evitar que precisasse sair da Vila, de sua vila, Konoha.

Afinal era para lá que ele voltaria.

Ele havia dito que voltaria...

Dentro de seu ser era essa esperança que a mantinha firme, ela sabia bem lá no fundo... sentia que um dia, qualquer dia Sasuke cruzaria os portões da Folha dizendo que estava de volta.

Que estava lá para ficar.

Era a esperança, sempre a esperança, esse sentimento que estava tão vivo dentro dela quanto o amor que sentiu por ele durante toda a vida.



A clínica psiquiátrica foi um sucesso em Konoha! Ideia dela, executada pela mesma junto a amiga loira, mas com inspiração nele.

Talvez se cuidasse daquelas crianças evitaria um mal maior.

O mal que cresceu no interior do Uchiha e agora o mantinha distante para se curar.

Se curar de seus pecados, de seus erros.

-Está mesmo com pressa Testuda!

Exclamou a Yamanaka a seu lado assim que todos já estavam prontos para partir.

Os olhos verdes apenas miraram os azuis obstinada.

-Não temos tempo a perder.

Disse olhando para seu destino mais à frente.





O trabalho era muito e de alguma forma lhe ocupava a mente. Foi clara desde o início que não era de seu agrado deixar a vila, mesmo que para implantar a ideia da clínica para recuperação de crianças no pós-guerra que foi vista com primazia por grande parte das nações shinobis.

Ino seria ótima para esse encargo, ela gostava de falar e de se expor muito mais.

Mas Kakashi foi direto

- Suna sempre foi nossa principal aliada, você deve estar lá como forma reafirmar essa aliança e para iniciar esse projeto, o seu projeto além de nossos muros!

Não teve jeito, não tinha justificativas, então partiu

Era como se um impulso maior a puxasse para a vila no País do Vento.




Os olhos verdes, tão intensos e luzentes quanto os seus não tiravam a atenção de si.

Ele prestava atenção em cada detalhe do que dizia e só desviava quando a amiga loira tinha alguma coisa a acrescentar.

Finalizada a apresentação da clínica montada em Konoha, Sakura disse que precisaria se inteirar do que eles tinham disponível em Suna para assim montar uma proposta acessível a nação da areia.

Foi quando aconteceu.

Ele se pôs de pé.

Não era muito alto mas sua presença naquela sala era a mais respeitada e superior a todas

Soberana

-Muito bem...

Ele começou

-Sejam bem- vindas a Suna.



-Você podia ter sido um pouco mais simpático Gaara.

O irmão andava a seu lado após deixarem a sala de reuniões.

-Fui atencioso o suficiente Kankuro.

Antes que o outro tomasse fôlego para dizer mais alguma coisa o cortou em um lampejo.

-Porque não aproveita para verificar se nossas convidadas estão sendo bem acomodadas já que está tão preocupado?!

Observou a forma como o mais velho o encarou assim que adentrou em sua sala

-Como queira Kazekage!

Sentou-se sobre a grande e fina cadeira soltando o ar ao largar o corpo pesadamente no assento.

Apoiou a testa sobre uma das mãos e suspirou

Kankuro tinha razão, precisava ser mais aberto com as pessoas novamente, voltar a ser a pessoa que lutou durante anos para manter afastada aquela aura escura que se dissipou após duras penas.

Pediria desculpas ao irmão mais tarde

A ele e a seus convidados.

Eles não tinham culpa de seus infortúnios.

Não tinham culpa por ter sido rejeitado.

Ninguém tinha no fim das contas.



Quando ergueu a cabeça de fios ruivos tinha uma certeza na mente

Aquele sentimento não foi feito para ele.

Fora tirado dele na infância e agora o rechaçava como se não fosse merecedor do mesmo

Talvez realmente não o fosse...

Ao sentir a testa quente, exatamente sobre o kanji talhado a duras penas teve certeza

Não foi feito para o amor.



Não esperava se apaixonar por Hakuto Hoki*, não esperava que acatar aquela ideia absurda do conselho de casamento arranjado lhe captaria de uma maneira tão forte e intensa quando viu a genin de cabelos negros pela primeira vez.

Ele foi dominado por aquela sensação tão boa, tão incrível e nunca antes sentida e pouco depois já se imaginou estando com ela, vivendo com ela, partilhando a vida, tendo filhos...

Mas ela não o amava, e mesmo aceitando o acordo a kunoichi fugiu junto a seu amor verdadeiro.

E levou seu coração junto

Ferido, magoado

Ela era uma Nara agora, jamais seria uma Sabaku como chegou um dia a almejar

Nunca a forçaria a ficar com ele, mas teria sido mais justo o seu não.

A expectativa foi o pior.

Ela era uma Iryō-nin, sentiu suas mãos o curando quando achou que ela precisasse ser salva.

Ficou encantado, deslumbrado.

Não existiam mãos como a de uma Iryō-nin...

Mas definitivamente ela não era como aquela que estava pousando em sua residência aquela noite.

Nenhuma médica-nin era.

Simplesmente porque não havia ninguém melhor do que ela

Hakuto lhe curou o braço ferido

A Haruno lhe devolveu a vida!

Sempre seria grato e ela sempre lhe teria seus préstimos, mas de uma coisa o Sabaku tinha certeza.

Queria distância de Iryō-nins e suas mãos mágicas e acolhedoras

Queria longe qualquer uma que pudesse destruir seu interior...

Mais uma vez!



Era bom Temari estar em Konoha naquele momento, assim não ficaria no seu pé como Kankuro agora o fazia.

-Vai nos deixar esperando?

-Já estou terminando isso aqui.

-Gaara, temos visitas, estão todos te aguardando na sala de jantar, são aliados, vieram nos auxiliar...

-Se são aliados entendem a função de um Kazekage.

Não houve mais discussão, o Sabaku mais velho saiu da sala deixando o irmão sozinho com os pergaminhos entre as mãos.

Assim o tempo passou e a madrugada entrou alta. Sua única e maior distração eram os assuntos da vila, nem mesmo os cactos, um hobbie recreativo e que lhe dissipava a mente já lhe interessava mais.

Hakuto gostava de cactos...

Sua vila e as pessoas que moravam nela eram o mais importante, era o que mereciam sua total e completa atenção.

Eram sua única paixão.

Foi quando a vista ficou turva que baixou os papeis da frente dos olhos.

Olhou para frente e mirou a mesma cadeira de sempre, a mesma onde Temari e Kankuro se jogavam para reclamar, brigar, fofocar ou seja lá o que fossem lhe dizer nas inúmeras vezes que adentravam em sua sala.

Estava lá, do mesmo jeito, na mesma posição.

Baixou os olhos mais uma vez para as folhas e continuou a leitura, mas aos poucos as letras foram se embaralhando e o foco se perdendo.

Suspirou

Talvez já fosse hora de parar.

Então se pôs de pé mas quando o fez tudo ficou fora de lugar.

Toda sua sala

Todo o seu mundo girou

Então a escuridão dominou

E se apossou de todo seu interior.




Calor...

Um calor fundo foi o preenchendo pouco a pouco como uma luz no fim do túnel

Uma brasa ardente o trazia de volta para a claridade e foi apenas nesse momento que teve forças para abrir os olhos.

Ali ele viu, ainda meio disforme e borrado a imagem no fim do túnel

Pensou em Hakuto e suas mãos mágicas, desejou que fosse ela, bem lá no fundo.

Mas o que encontrou foram os fios rosados e o sorriso de alívio quando os verdes intensos encontraram os seus.

-Graças a Kami!

Ouviu alguém pronunciar ao longe

-Kazekage!

Ela o chamou e por fim conseguiu finalmente focar sua visão

E com os verdes sobre os seus a ouviu pronunciar

-Está tudo bem Kazekage, não se preocupe...

Ainda sorrindo continuou o inundando com aquele calor abrasador

-Eu vou cuidar de você.



CONTINUA...




* Hakuto era uma kunoichi de nível genin de Sunagakure e a chefe da Família Hōki, escolhida pelo conselho para se casar com Gaara. Depois de um ato elaborado ser realizado, Hakuto se muda para Konohagakure com seu amado para viver com o clã Nara

Fonte: Gaara Hiden: Uma Miragem de Tempestade de Areia

18 de Fevereiro de 2020 às 15:46 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Rastejando

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 6 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!