NADA DE LOBOS! Seguir história

vimeirosm Ana Beatriz

"Já parou para pensar em como a sua vida pode mudar de repente sem que você tenha controle do giro de 360 graus? Bom, eu também não. " Nada de Lobos! é uma fanfic que contará a história emocionante do jovem Byun Baekhyun, o primeiro humano já registrado na Coreia do Sul. Um homem de vinte e um anos que luta para conquistar seu espaço em meio ao preconceito e o ódio direcionado para si por ser diferente do que muitos consideram como "normal". Renegado pela família, Baekhyun se vê refém de escolhas que nunca pensou que deveria ou que fosse sua obrigação tomar. Cuidar de um bebê? Que absurdo! Você também se sente julgado por ser diferente? E se em meio a todo esse caos você conhecesse dois alfas absurdamente opostos? Um doce, mas que ás vezes pode te dar um golpe mortal. Já o outro, completamente azedo, mas que desabrochará ao decorrer do tempo. Qual você escolheria? Byun Baekhyun, Park Chanyeol e Kim Junmyeon, três homens entrelaçados por um destino incerto e cheio de reviravoltas. Nada de Lobos!, como já dizia Baekhyun, não se junte aos loucos, pois a sua sanidade, para muitos, já é a própria loucura.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#xiumin #chen #lay #sehun #suho #kyunsoo #kai #chanbaek #abo #exo #baekyun #chanyeol
4
725 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Chanyeol olhou para a incubadora no final da segunda fileira rezando para que estivesse admirando a criança certa. Claro que era, Hyuna não lhe daria o desprazer de lhe gerar uma criança feia. Seu filho era a bolota mais bonita de toda a coreia, ainda que a mãe não valesse um pão assado. Sorriu, bobo por finalmente conseguir avaliar as orelhas. Era realmente seu menino, seu garotinho com orelhas de abano. Suspirou antes de se voltar para o final do corredor, onde a mulher que mais odiava estava, sentada em uma velha cadeira de rodas. Olhou uma última vez para o bebê dorminhoco antes de ir naquela maldita direção.

── Por que não morreu no parto? Teria me livrado de muitos problemas ── rosnou. Fungou de leve, o cheiro repugnante daquela ômega lhe causava os piores enjoos. Depois daquele dia infernal, onde encheu a cara como se não houvesse amanhã, fazendo questão de dormir com a pior mulher de Seoul, Chanyeol prometeu que nunca mais ingeriria uma gota de álcool. Limpou o nariz com a costa da mão esquerda, sorrindo irônico pela tossida fingida do ser asqueroso a sua frente. De repente, temeu que a vida precária de Hyuna viesse a afetar a saúde do seu bebê.

── Vai se foder Park.

── Depois de você, Kim.

Rosnaram. Ainda que tivesse educação, e nunca fosse machucar nenhum dos ômegas daquele hospital, nunca sentiu tamanha inclinação para enforcar uma pessoa como teve naquele momento. Imaginou como seus dedos largos cobririam a pele pálida daquele pescoço rodeado por um cordão de quinta categoria. E mais uma vez, em menos de cinco minutos, o ódio dominou suas veias. Além de lhe exigir dinheiro como uma fanática, a desgraçada, em nenhum momento dos nove meses, investiu em cuidar da gestação.

── Agora que a criança já nasceu, você pode transferir o resto do dinheiro para a minha conta. ── tossiu. ── Já assinei aquelas merdas de papéis.

── Porra, eu devo te pagar um jantar por fazer a sua obrigação? ── bateu palmas, raivoso como nunca. Chanyeol era conhecido como um Alfa “calmo” até de mais. ── Você fodeu com tudo Hyuna. Se o Kyunsoo não tivesse nascido saudável, você seria uma mulher morta agora. Eu teria o prazer de destroçar cada partizinha insignificante do seu corpo podre e você sabe muito bem como eu sou apto para isso. Então, sua vadia, não teste a porra da minha paciência. Some, tem sorte que o meu pai é gentil o bastante, porque eu não sou. Conhece o meu modo de resolver as coisas.

Bem a sua frente, Kim arrumou desajeitadamente o cabelo, cobrindo o pescoço as pressas. Uma risadinha surgiu atrás dos dois, o mais velho dos Park’s sabia o quanto seu filho poderia ser obscuro, mas não imaginava que chegasse a tanto. De repente sentiu um sentimento incomum surgir abaixo do estômago, seria satisfação? Chanyeol, que nem ao menos percebeu o quanto se aproximou da mulher, limpou a garganta e se afastou a passos apressados, queria voltar o mais rápido o possível para perto do seu filho. Criar um laço quase que impossível, não era um ômega e tão pouco poderia amamentar o seu pequeno filhote, mas faria o possível para ser os dois. Ninguém encostaria em Kyunsoo, nem por cima do seu cadáver.

18 de Fevereiro de 2020 às 12:48 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo CAPÍTULO UM

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 11 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!