ARTE FINAL DO PRAZER Seguir história

juanpablo Juan Diskay

Um grupo de amigos, dois rapazes e três moças, resolveram se juntar e criar um Studio de artes gráficas, abrangendo design gráfico e arquitetura. Indiferentes às suas realizações profissionais, os envolvimentos íntimos e amorosos entre eles foram inevitáveis, mas fora do ambiente de trabalho. Posteriormente, uma sexta personagem entrou no circuito, fechando o encontro dos segmentos do polígono, transformando este vértice num hexágono de amor e prazer. Esta é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com fatos ou pessoas terá sido mera coincidência. Obra registrada. Plágio é crime.


Erótico Para maiores de 18 apenas.

#artefinaldo-prazer
0
814 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

COLOCANDO EM PRÁTICA

Estava um dia muito chuvoso na maior cidade do país. Fernando orientava os empreiteiros, concluir os últimos detalhes da montagem dos armários para o novo escritório que ele criou, junto com outros quatros amigos. Eles concluíram o curso acadêmico e a seis meses decidiram fundar um estúdio, uma agência de publicidade, para criação de artes gráficas, design de produtos, criação de comerciais e publicidade. Ele e o amigo dele, João Carlos, conseguiram um bom contrato com uma empresa multinacional no setor de varejo, onde o grupo comercializava produtos alimentares, eletrodomésticos e outros produtos como roupas e utensílios para casa e cozinha. Era uma demanda muito grande de serviços, pois as quantidades de produtos chegavam aos milhares. Fernando e João Carlos apresentaram um trabalho, concorrido com outras empresas do setor, que foi prontamente aceito pelo cliente. Eles eram graduados em Design Gráfico. Eles chamaram as amigas Carolina e Renata para se unirem a eles, as duas formadas em Design de Produtos. Para completar o grupo eles convidaram Milene, uma arquiteta de formação, já com uma experiência em Design de Interiores. O objetivo inicial da agência seria fornecer todas as demandas de publicidade e-commerce e criação dos jornais de ofertas. Teriam que estabelecer a programação visual atrativa dentro dos estabelecimentos comerciais. Além de comercializar vários tipos de produtos de vários fornecedores diferentes, a meta inicial seria criar a configuração visual dos novos produtos de marca própria. Fernando e João Carlos seriam os criadores do design. Seria eles também responsáveis pela propaganda e divulgação dos produtos. Carolina e Renata seriam responsáveis pela arte final. Milene ocuparia na disposição física das mensagens de divulgação. O contrato também abrangia a configuração arquitetônica da estrutura física do cliente. O planejamento do Fernando seria reunir no dia seguinte para iniciar as atividades.

Fernando era um rapaz de 28 anos, extremamente centrado nas suas atividades. O nerd da turma. Sempre passava em primeiro. Estudioso por natureza, ele concentrava muito nos seus objetivos. Um rapaz simpático, com características físicas comuns. Nunca usou um terno na vida. Sempre andava bem vestido. Morava com a namorada em um pequeno apartamento no centro. Eles estavam juntos a quase um ano. Sempre foi independente. Tinha uma simpatia que atraía muito as mulheres. Sempre teve relacionamentos onde acabava que as mulheres iam morar com ele. Devido ao seu jeito quieto, corria a fama que as mulheres não tinham muita paciência com ele, devido a sua calma excessiva e ele ter poucos amigos.

João Carlos era mais despojado e brincalhão. Ele e Fernando se conheceram na faculdade. João trocava de namorada toda semana e gostava muito de baladas. Saía de casa na sexta e só aparecia no domingo à noite, causando muitas preocupações à mãe. Hoje ele é mais moderado e responsável. Respeita muito o Fernando e boa parte da conquista deste cliente, veio da sua facilidade de comunicação com as pessoas. Era um rapaz bem apresentado, fisicamente bonito. Frequentava academia de artes marciais. Filho do meio de uma família abastada, sempre teve o que quis com as mesadas generosas do pai. Atualmente ele namora uma moça, que é vizinha dele desde criança. “– Você ficou maluca, menina? Este rapaz não quer nada com a vida! É um moleque irresponsável! ” Dizia a mãe dela, reprovando o namoro. Com o tempo ele se quietou, e está bastante empolgado com o início das atividades da empresa. Acompanhou, junto com Fernando, toda a reforma para montar o escritório.

Carolina era amiga a tempos de Fernando. Se conheciam desde o ensino médio. Ficaram algum tempo sem se ver e depois, novamente se encontraram na faculdade. Desde então não perderam mais contato. Comentavam que eles namoravam escondidos. Sempre estavam juntos. “– Não! Carol nunca namorei! Ela é só minha amiga! ”. Dizia ele ao João, que não acreditava na explicação do amigo. Carolina tinha 27 anos, e era uma moça magra, de estatura média, tinha uma beleza singular. Uma morena clara que chamava atenção de muitos rapazes. Viram ela com poucos namorados. Pessoa também de poucos amigos e amigas, vivia de forma simples, sem chamar muita atenção. Estava sempre bem vestida. Auto ditada na sua profissão, antes de formar já era convidada a integrar profissionalmente em várias empresas. Autossuficiente deste os 18 anos, vivia também uma vida sem muita ostentação e muito discreta. Tinha o necessário para atender a sua própria vivência. Morava sozinha em um apartamento no mesmo prédio do Fernando. Ela mesma incentivou o Fernando a comprar o espaço lá. Sua família era de uma cidade do interior. Sabiam muito pouco da vida pessoal dela. Estava ansiosa, se preparando também para a primeira reunião no dia seguinte, dia da inauguração.

Renata era uma moça mais agitada. Fugaz nas suas demandas, ela sempre apresentava um semblante de ansiedade, mas na verdade era uma característica gesticular dela. Falava apressadamente, mas tinha muito equilíbrio na sua comunicação. Inteligente, também tinha muita habilidade na sua profissão. Dava aulas à noite em cursinhos técnicos e sempre esteve ativa profissionalmente. Nunca lhe faltou oportunidade para trabalhar. Fernando a conheceu em um destes cursos, quando ele buscou após sua formação, uma melhoria na especialidade de artes gráficas, e acabou se dando muito bem com ela. Fernando chegou a cogitar a possibilidade de namorar com ela. Fisicamente atraente, Renata apresentada um corpo quase perfeito, com contornos bem moldados. Apesar de discreta, às vezes vestia alguma roupa que destacava seu corpo, chamando muita atenção dos homens. A mais velha da equipe, tinha trinta e dois anos. Atleta de fim de semana, alternadamente tirava um pouco do seu tempo para dar aulas voluntariamente de educação física em comunidades carentes. Com a vida pessoal também discreta, ela não conhecia nenhum dos membros da equipe formada por Fernando. Ela seria apresentada no dia da primeira reunião.

Milene era uma negra lindíssima, de 30 anos, arquiteta e decoradora de interiores. Ela atendeu um anúncio publicado pelo João Carlos, solicitando um ou uma profissional da área. Depois de entrevistar vários profissionais, decidiu junto com Fernando a contratação dela. Eles souberam, em pesquisa em redes sociais, que ela é modelo e faz desfiles eventualmente. Trabalhava numa grande construtora até dois meses atrás. Mostrou muita habilidade profissional nos testes. Fernando e João fariam uma proposta para uma sociedade de participação, como consistiria para todos. Também seria apresentada no dia da inauguração. Fernando a chamou um dia anterior para dar os retoques finais nos acabamentos.

Finalmente, chegou o grande dia, onde todos se reuniram e confraternizaram.

- Carol, João! Quero apresentar nossas novas colaboradoras, Renata e Milene! João já conhece Milene, pois foi ele quem a entrevistou na contratação. Ela passou os três últimos dias aqui comigo para definirmos o layout do escritório. Ela é arquiteta de formação, ótimas referências em criatividade arquitetônica. Será a responsável pela instalação e arranjo visual dos nossos clientes. Renata é Design de Produtos, como a Carolina! As duas trabalharão juntas na programação visual dos produtos, estabelecendo a arte final e a apresentação. Com o tempo, vamos conciliando nossas tarefas um para com os outros. Eu e João Carlos seremos os diretores de arte. Cuidaremos das primícias com o nosso cliente, reuniremos com vocês para definirmos o produto final e cuidaremos da propaganda e divulgação.

- Tenho outro comunicado! Já temos um grande cliente e já começaremos as nossas tarefas. Entendo que o dia será de adaptação, verem a infraestrutura para executarem os seus trabalhos, e avisem se precisarem de alguma coisa! Nós cinco sozinhos não daremos conta de toda a demanda que teremos inicialmente! Então gostaria que indicassem alguém de confiança para ficar no atendimento da recepção, aproveitando a mesma pessoa, para auxiliar nos afazeres mais simples, como tirar cópias, suprimentos e organização. Eu tenho preferência que seja do sexo feminino, e acho que ainda não precisa de muita experiência. E tem que ser rápido! As máquinas começaram a rodar! Outro assunto é que ficará a cargo de cada um nas suas responsabilidades, contratar um auxiliar na área específica. Carol e Renata, contratem alguém que já estejam focados no estudo de Design de Produtos. Milene contrate alguém voltado na área de arquitetura, e eu e João vamos contratar dois auxiliares na área de Design gráfico. Nada de falarem que fulano ou beltrano é meu. Todos eles trabalharam em conjunto, aprendendo a lidar com o nosso mercado. Será nossa responsabilidade treiná-los para serem no futuro líderes das novas equipes. Todos terão o mesmo salário e serão contratados como Assistentes Técnicos! Ok? Todos aprovaram!

- Outro assunto! O mais importante de todos! Eu e João, meu sócio agradecemos a vocês por terem aceitado trabalhar conosco! O laboratório já foi feito, incubamos o projeto, e agora vamos gerar! Como já decidimos o salário com vocês e já até te informamos, nós dois decidimos que vocês serão nossas sócias! Daremos 15% para cada uma e eu e João ficaremos com 55%, sendo 30% para ele e 25% para mim. Maior parte será dele, pois, a maior parte dos recursos foi ele que forneceu. O nosso primeiro cliente ele quem trouxe até nós, e nada mais justo que ele seja o sócio majoritário. O comando da empresa será meu, mas todos estarão envolvidos em qualquer decisão que interfira nas nossas propostas! Então? Aceitam?

- É claro que aceito, Fernando! Nem tem como recusar! Disse Carol, agradecendo.

- É lógico que eu aceito também! Disse Renata.

- Estou com vocês! Muito bom! Estou surpresa! Podem contar comigo! Disse Milene, jamais imaginando uma oportunidade desta.

- Ótimo! Que bom que aceitaram! Lembrem-se de uma coisa importante! Todos meus trabalhos particulares serão trazidos para cá, e os lucros que eles gerarem serão divididos proporcionalmente também para vocês! Eu gostaria que vocês fizessem a mesma coisa! Só que a parte dos seus lucros que caberia para mim e João Carlos, nós investiremos uma porcentagem na empresa e a outra parte será guardada para distribuirmos para instituição de caridade. Renata já se envolve em vários projetos neste segmento de ajudar as pessoas, então ela será responsável desta tarefa. Concordam?

- É claro que concordamos! Disse as três mulheres quase ao mesmo tempo.

- Ótimo! Vamos lá, então! Bom trabalho a todos! Motivou Fernando, já focando no atendimento ao novo cliente. O prazo já estava ficando apertado.

- Estou com vocês! Muito bom! Estou surpresa! Podem contar comigo! Disse Milene, jamais imaginando uma oportunidade desta.

- Ótimo! Que bom que aceitaram! Depois conversamos sobre os detalhes do labore. A distribuição dos lucros!

As atividades se seguiram conforme o planejado e cada se adequando às suas responsabilidades.

Três dias mais tarde, Renata apresentou uma prima que estava na faculdade de belas artes, iniciando os estudos. Maria Clara. Uma morena também lindíssima. Malhava muito e praticava esportes com a Renata. Apesar de nova, 20 anos, já era casada. Ela seria uma recepcionista “faz tudo”. João Carlos ficou babando pela morena. Fernando percebeu o interesse dele e resolveu não comentar nada, por enquanto. Esperaria para ver como as coisas andariam. Estavam no início das atividades e ainda teriam que avaliar o comportamento de todos os colaboradores.

Os dias estavam ficando cada dia mais intenso e tomava quase o tempo inteiro da equipe. Já havia várias semanas e praticamente todos os dias, inclusive sábados, trabalhavam até 14 horas por dia. Feriados e alguns finais de semana eles dedicavam ao descanso e até trabalhavam em alguns serviços. Vida social: Zero.

Se a expectativa inicial era de contratar uma recepcionista e cinco auxiliares, um para cada um dos sócios. Com o crescimento espantoso da agência, os sócios decidiram de criar setores, como financeiro, RH, compras e suprimentos. Em menos de seis meses, o espaço físico já havia dobrado de tamanho. Apesar da crise que assolava o país, eles eram um exemplo raro de prosperidade e crescimento.

- Maria Clara! Informe aos diretores que estou solicitando uma reunião para hoje à tarde! Confirme a presença de todos, por favor! Solicitou Fernando.

- Sim, senhor! Respondeu Maria Clara, que já havia sido promovida a secretária da gerência.

Com a confirmação das presenças, todos se reuniram na hora marcada. Não houve preocupações, pois, quase era um cotidiano estas reuniões.

- Oi, pessoal! Eu avalio que esta seja a reunião mais importante desde que iniciamos nossas atividades! Carol e Renata estão superalinhadas, Milene, como sempre, muito bem no seu setor, que inclusive, Milene, o RH me informou da sua solicitação de contratar mais um ou uma estagiária....

- Desculpe interromper, Fernando! Estou com muita demanda e sinceramente meu ritmo diminuiu e quase não tenho tempo para arrumar minha vida pessoal. Solicitei porque preciso de alguém que faça o trabalho de configuração e finalização nos projetos. A demanda está alta, isso é muito bom, mas está exigindo muito de nós! Exclamou Milene.

- Isto é verdade! Nós estamos priorizando nosso trabalho e o social está praticamente acabando! Retrucou Carol. – Eu e Renata estamos quase dormindo juntas! É quase 24 horas por dia! Saímos do trabalho, e ainda ficamos horas conversando e alinhando coisas do trabalho! Completou.

- Fernando! Não estamos querendo dizer que isto é ruim! Estamos crescendo, está havendo um excelente retorno financeiro para todos nós, mas já tem uns três meses que eu não tomo nem uma cerveja. Quando chega domingo, fico o dia inteiro dormindo de tão cansada! Completou Carol.

- Pessoal! Eu falei que esta seria a reunião mais importante desde o começo da empresa, é justamente por isso! Hoje é sexta feira ´nós cinco vamos sair no horário e vamos para um bar beber alguma coisa! Disse Fernando.

- Agora ouvi uma notícia boa! Sorriu João.

- Outro fato! Não precisamos disto! Da nossa profissão, já cuidamos e está tudo bem! Da nossa condição financeira, já cuidamos e estamos muito bem! Da nossa saúde, não cuidamos e não sabemos como está! Estou dizendo da saúde mental e física! Não vai adiantar nada se continuarmos nesse ritmo! Hoje já podemos governar tudo sem muito nos exigir. Então eu em contato com uma empresa para nos dar um curso, aqui na empresa mesmo, de gestão empresarial, que nos tomará duas horas diárias durante os próximos dois meses, sempre logo após o horário do nosso expediente, às 18:00 horas! Vai depender se vocês concordam ou não!

- Claro que concordamos! E eu estou falando pela Carol, pela Milene e por mim! Disse Renata.

- Também concordo! Disse João Carlos.

- Ótimo! Vou pedir a Clara para chama-los aqui na segunda! Concluiu Fernando.

- Na próxima semana, o nosso grande amigo, João Carlos, estará ficando mais velho! Então pensei em sugerir a ele organizar uma confraternização entre nós e os amigos e parentes dele, lá na casa dele, que tem um espaço fantástico com piscina, tudo por conta dele! O que vocês acham? Perguntou Fernando olhando para as meninas.

- Concordamos plenamente! Disse as três, comemorando.

- Eu concordo também! Só não gostei da parte que tudo será por minha conta! Mas! Fazer o que? Vamos sim! Nem lembrava da data! Riu João.

- Então entra em acordo com as três aqui e veja o “menu” para a festa! Vamos comemorar! Eu penso iniciar no sábado e só terminar no domingo! O que acham? Brincou Fernando.

- Aí também já virou bagunça! Reclamou João.

- Ótimo, pessoal! Então está decidido que o nosso expediente a partir de segunda feira será das 8:00 horas até às 18:00, com duas paradas de 15 minutos, uma de manhã e outra à tarde, e uma hora e meia de almoço! Vou pedir a Clara para fazer a ATA e vocês todos assinam! Depois reúnam com as suas equipes e disciplinam elas também! Está proibido hora extra nesta empresa. Se precisar, contratamos mais gente!

Tudo acertado, eles conversavam entre si. As três moças combinaram para encontrar em um bar que elas conheciam. João e Fernando iriam com suas namoradas. As meninas iriam com seus namorados.

- Fernando! Posso chamar a Maria Clara? Ela está com a gente desde o início! O casamento dela não está indo muito bem! Pode ser uma oportunidade para ela colocar sua vida em dia! Ela trabalha o dia inteiro e depois vai para a faculdade! Está precisando muito também! Perguntou Renata.

- Sem problema, Renata! Pode sim! Avisa ela! Disse Fernando, concordando.

Passaram o resto da tarde na empresa e saíram no horário conforme combinaram. Carol e Renata marcaram em uma boate mais discreta, em um bairro boêmio da cidade.

Fernando chegou por volta das dez horas da noite! Havia um tumulto de gente querendo entrar. Ele ligou para Carol para ver se era ali mesmo o encontro. Ela confirmou e foi lá fora entregar o ingresso da reserva.

- O pessoal já estão lá dentro! Só faltava você! Cadê sua namorada? Perguntou Carol.

- Ela teve um probleminha! Depois te conto! Vamos? Respondeu Fernando.

Eles se juntaram com o resto da turma. Estava todo mundo bem animado. Exceto o marido da Maria Clara, que nitidamente estava desconfortável no ambiente. Clara estava se esforçando para se divertir.

- Clarinha! Fique mais à vontade! Você não está aproveitando nada da festa! Anime-se, menina! Exclamou Renata.

- Já, já eu relaxo! Estou um pouco cansada também! Roberto também está pouco à vontade! Disse Clara.

Continuaram a se divertir. Não demorou muito e Maria Clara e o seu marido despediram e foram embora. Fernando, mais reservado, ficou o tempo todo sentado à mesa. Carol, Renata e Milene dançavam e se divertiam muito, tomando vários drinks e cervejas. João Carlos estava com a namorada, mas se divertiam muito também, mas na deles, um pouco afastado do grupo. Carol chamou Fernando para dançar pela enésima vez e ele recusou todas.

- Já vi um indivíduo parado, mas igual a você está para existir! Disse Carol.

- Você sabe que eu não gosto de dançar! Nem sei dançar! Eu me divirto assim, sentado olhando as loucuras dos outros! Você me perguntou sobre a minha namorada, onde está o seu namorado? Perguntou Fernando.

- Que namorado? Eu já não tenho a mais de um ano! Terminamos um pouco antes de começarmos a trabalhar na empresa! E agora que complicou mesmo manter um relacionamento! Não tenho tempo para quase nada! Replicou Carol. - E a Renata e a Milena estão na mesma situação. Somos três solteironas! Completou rindo.

- Não demora muito e vocês logo arranjam alguém. Três mulheres bonitas assim, dificilmente ficam solteiras! Exclamou Fernando.

- E você? Está indo bem com Juliana? Perguntou Carol.

- Na verdade tem mais de um mês que ela saiu de casa!

- O que? Como assim?

- Um dia ela me pressionou para que eu escolhesse entre ela ou o meu trabalho!

- E aí?

- Aí que sai um dia para trabalhar e quando voltei ela tinha ido embora! Deixou um bilhete toda magoada, que eu era um ingrato, que estava voltando para a casa dos pais dela no interior! Eu não me importei, pois, nossa relação já estava desgastada desde quando comecei a montar a empresa. As obras e a preparação das documentações tomavam quase meu tempo todo. Ela já estava reclamando. Aí você já sabe o resto da história do meu tempo! De lá para cá, é a primeira vez que tomo uma cerveja sossegado! Mas está bom! Menos uma preocupação! Disse Fernando.

- Você é uma pessoa muito boa, Fê! Desde que eu te conheço você não muda este seu jeito! Sempre simpático, ajudando os outros, prestativo, inteligente, bonitão, charmoso....

- Pode parar! Parece que está me paquerando!!!!!

- Mas é mesmo! Olha só que você fez por nós! Todo dia agradecemos o que você fez e faz! Todos na empresa te respeitam e adoram você! Você nunca toma uma decisão sem nos envolver nos seus projetos! Isto é muito lindo em você! Mulher de sorte aquela que você escolher para viver com você! Disse Carol.

- Carol! Somos amigos a muitos anos! A minha natureza é assim! Daqui a não sei quantos anos, você vai continuar a me ver assim! Entenda que eu sou independente a mais de dez anos e o que me moldou, me molda e sempre me moldará, são pessoas como você, como Renata, como João, como Milene e como tantos outros que tive a sorte de encontrar na minha vida! Então, minha amiga, quem deve agradecer sou eu que tenho pessoas como vocês para me motivar! Respondeu Fernando.

- Nossa, amigo! Posso te dar um abraço? Disse Carol emocionada.

- Claro, Carol! Claro que pode! Sempre que você quiser! Respondeu Fernando abraçando a amiga.

- O que está acontecendo aqui? Perguntou Renata, abraçada com Milene.

- É o Fernando, amigas! Este jeito dele de nos tornar pessoas melhores e mais motivadas! Respondeu Carol, nitidamente emocionada.

As três se abraçaram e Carol comentou com elas o que acabara de conversar com Fernando. Não demorou e Renata veio e o abraçou e depois Milene fez o mesmo. Elas saíram de perto dele, saltitando para a pista de dança. Fernando procurou com os olhos o João. E logo o encontrou, que de longe, parecia que os dois, ele e a namorada, estavam brigando por algum motivo.

- O ambiente está tenso! Primeiro a Clara, agora o João! Pensou Fernando, pedindo mais uma rodada de bebidas.

Fernando chamou o João para sentar com ele. Ele apareceu todo nervoso, reclamando da namorada.

- Primeiro reclama que não estávamos saindo, agora reclama porque saímos. Não estou nem podendo conversar com as três meninas que ela acha que já estou namorando com elas! Vai entender! Disse João desabafando.

- Fique calmo, amigo! Daqui a pouco ela tranquiliza. Envolve ela com as meninas e já ela vai se sentir mais segura!

- Falar é fácil! Vá tentar explicar para ela! Reclamou João.

- Vou te dar um conselho! Ela quer ficar sozinha com você! Pega ela e leva para sua casa, para um hotel, qualquer lugar onde fica só vocês dois! Aí você vai ver ela ficar calma! Vá lá!

- É! Acho que vou fazer isto mesmo! Despede das meninas por mim! E paga minha parte! Semana que vem vai ser por minha conta mesmo! Disse João sorrindo e despedindo do amigo.

Fernando o observou até sair com sua namorada da boate. De longe dava para ver com ela já estava mais tranquila. O ambiente não favorecia casais de namorados. Tinha muita mulher bonita, muito rapazes sedentos, muita bebida e muita música. Ambiente próprio para solteiros.

- Posso sentar, Fernando? Perguntou Renata.

- Não! Estou esperando minha esposa e ela é muito brava! Respondeu Fernando, brincando.

- Seu bobo! Riu Renata. – É o seguinte! Milene está passando por uma situação pessoal difícil! Se você não sabe, ela vem de uma família simples e com muitas dificuldades. E hoje graças a empresa, ela consegue equilibrar um pouco suas coisas! Foi uma luta ela formar na faculdade. Seu pai e sua mãe são muito doentes e ela teve até que vender o carro para cobrir suas despesas! Falei para ela conversar com você e com João, para que pudessem ajudá-la a comprar outro carro! Ela tem ido todos os dias na casa deles e sempre retorna muito tarde! Eu, Renata, acho que está ficando muito perigoso para ela! Só que ela acha que você e o João já fizeram muito por ela! E também, é muito orgulhosa! Guarda tudo para ela! Custou a conversar comigo! Aí, estava pensando juntar nós quatro...

- Nós quatro?

- É. Eu, Carol, você e João e comprarmos um carro para ela e tirar um pouco de cada vez dos proventos dela! O que você acha? Perguntou Renata.

- Vamos ver! Segunda feira nós conversamos! Ok?

- Ok! Você é um anjo! Disse Renata dando um beijo no rosto do Fernando e levantando para se juntar as amigas.

Fernando ficou observando as três amigas. Cada uma mais bonita que a outra. Onde elas dançavam, ficavam rodeadas de rapazes querendo aproximar, mas elas determinaram um limite de aproximação. Não queriam namorar aquele dia. Queriam curtir a vida. E isto elas estavam fazendo muito bem naquela noite. Eventualmente vinham à mesa, davam um gole na bebida, faziam um charminho para Fernando e voltavam para a pista. Fernando já sinalizava cansaço e chamou Carol.

- Carol! Estou muito cansado e já estou querendo ir! Vou pagar a conta até aqui e o que consumirem daqui para frente vocês controlam! Tudo bem?

- Fê! Acho que vou com você! Estou morta também! Vou avisar as meninas! Espere aqui! Disse Carol.

Logo depois as três vieram e resolveram todos irem embora. Programaram de saírem novamente no dia seguinte à noite. Carol pendurou no braço do Fernando, encostando a cabeça no ombro dele. Renata levou Milene para dormir na casa dela. Estava muito tarde para ela ir embora. Fernando pediu um táxi e Carol foi com ele, pois moravam no mesmo prédio. Carol morava no 11° e Fernando no 7°.

Fernando acompanhou ela até a entrada do apartamento dela.

- Vamos entrar? Uma última dose! Convidou Carol.

- Hoje não! Talvez outro dia! Me liga amanhã! Desconvidou Fernando.

Carol deu um abraço e um beijo no rosto dele, prontamente retribuída. Ela acompanhou ele aguardando o elevador e depois sumindo com as portas fechado por detrás dele.

- Putz! Quase dez horas! Resmungou Fernando não acreditando que dormiu tanto. Tomou seu banho e ficou pensando no que fazer, pois não havia programado nada. Já estava costumeiro trabalhar todos os sábados e aquele era o primeiro depois de muitos meses que eles descansariam.

Lá pelas onze ele olhou pela primeira vez no celular e viu algumas ligações não atendidas. Tinha algumas da Renata e da Milene. Tinha uma da Carol.

- Alô? Disse Carol ao atender.

- Ei, Carol! Você ligou aqui e estou te retornando!

- É! Liguei mais cedo se você queria ir comigo na padaria tomar café! Mas agora já esta tarde e eu já fui!

- Acredita que acordei dez horas hoje! Nunca dormi tanto! Estou bem descansado! Podemos ir almoçar juntos, se você quiser! Convidou Fernando.

- Claro que quero! Me liga aquando estiver saindo! Disse Carol, com o coração em chamas.

- 12:30, 13:00 horas está bom?

- Sim! Está ótimo!

- Você escolhe o local! Na hora você me fala! Disse Fernando, percebendo a alegria da sua amiga.

- Pode deixar! Beijos! Tchau! Disse ela desligando o telefone e colocando-o na boca, como um beijo, pensando em algumas coisas.

Fernando desligou o telefone e pensou: - O quê que esta menina está aprontando?

- Renata? É o Fernando! Retornando suas ligações!

- Ué? O que aconteceu! Liguei umas vinte vezes!

- Dormi como uma pedra! Acordei tarde! O que foi?

- Falei com a Milene sobre a nossa conversa ontem no bar. Ela não gostou muito! Até me xingou! Acho que ela ficou com raiva de mim! Queria saber se tem como você ligar para ela e explicar porque nós estamos tentando ajudá-la! Desculpe envolver você, mas sabe como eu sou! Me entusiasmo fácil com estas coisas! Me ajuda? Por favor! Disse Renata.

- Pode deixar que eu ligo para ela! Depois eu ligo te informando! Respondeu Fernando.

- Nossa, amor! Obrigada! Não deixa ela ficar com raiva de mim, não! Adoro aquela moça! Comemorou Renata.

- Está bem! Não vou deixar! Beijo! Disse ele, desligando o telefone.

- Puxa vida! Está todo mundo carente! Está tudo uma loucura! Murmurou Fernando.

Ele ficou alguns minutos pensando sobre a Milene e resolveu ligar para ela.

- Oi, Milene! Você me ligou mais cedo! Estou retornando!

- Oi, Fernando! Não era nada! Estava chateada na hora com uma coisa que aconteceu e já esfriei a cabeça e estou resolvendo! Disse Milene.

- Milene! Pode até parecer que tudo está bem, mas não está! Até o tom da sua voz está mudado! Pode falar comigo! Antes de qualquer coisa, hoje eu considero você como minha amiga! E sendo assim, eu sempre vou querer o seu bem! Pode contar comigo! Insistiu Fernando.

- Ai, Fernando! Não quero passar minhas preocupações para vocês! Você e João tem sido tão bons para mim! E eu não quero perder este momento na minha vida! E penso que se eu ficar falando para vocês todos os meus problemas, pode atrapalhar a nossa relação! Está tão bom como estar! Por favor! Não insista! Disse ela, já quase chorando.

- Minha amiga! O que seria de mim sem vocês e o que seria de vocês sem mim! Somos um grupo! Parceiros! Estamos aqui é para isto mesmo! A vida passa muito rápido e se perdermos as oportunidades, tudo pode ser tarde demais! Não quero perder esta aliança que nós temos por puro orgulho! Se um dia eu precisar de alguma coisa, você com certeza seria uma das pessoas que eu procuraria! Então, deixa a soberba de lado e me diz o que mais cedo queria comigo! Exclamou Fernando.

- Nossa, Fernando! Tudo para você parece mais fácil! Estou tão chateada com minhas coisas! Estou tendo muitas dificuldades de resolver! Tenho medo de refletir no meu desempenho no trabalho! Estou com medo de muitas coisas! Até briguei com a Renata hoje! Por puras bobagens! Disse Milene chorando muito.

- Você vai fazer uma coisa para você mesma! No fim da tarde, mais no início da noite, você virá até a minha casa e vamos conversar pessoalmente! Você vai me ligar lá pelas cinco da tarde e vamos marcar! Combinado?

- Eu não quero incomodar você! Na segunda feira nós conversamos! Disse ela.

- Às cinco! Hoje! Estou esperando! Beijo, minha amiga! Disse ele desligando o telefone.

- Mas, mas...! Tentou ela dizer alguma coisa, mas percebeu que ele já havia desligado o telefone.

10 de Fevereiro de 2020 às 14:39 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo EMOÇÕES À FLOR DA PELE

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!