Sábado à noite Seguir história

funnuss caelena Oliveira

TAEKOOK | FLUFFY Jeongguk e Taehyung tinham vidas corridas demais para que pudessem aproveitar um ao outro como queriam, mas naquele sábado tinham apenas um ao outro, cobertores quentinhos e comédias românticas.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#fluffy #jungkook #taehyung #vkook #taekook
0
445 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Dia de preguiça.

Para Jeongguk, o melhor dia da semana era o sábado, especialmente à noite. Por incrível que pareça, ele não gostava do final de semana para curtir as inúmeras festas que aconteciam no centro da cidade, tampouco para as “noites de garotos” que Jimin insistia em fazer em sua casa — mas todo mundo sabia que a tal noite dos garotos era para Jimin se aproximar de Yoongi, por quem ele tinha um crush danado. Mas Jeon amava os sábados porque era o dia em que podia ficar agarradinho com Taehyung o dia inteiro.

Os horários dos dois não combinavam nem um pouco. Enquanto um ia para a faculdade, o outro rumava para o serviço e vice-versa. E sempre sobrava apenas o finalzinho da noite para poderem colocar os assuntos em dia e trocar uns beijinhos depois do jantar, só para depois caírem mortos de cansaço na cama. Jeongguk era quem acordava mais cedo; era cozinheiro de um restaurante armênio e estava se empenhando para ganhar a vaga de sub-chefe, e sempre fazia um biquinho fofo todas as vezes que se despedia do namorado que terminava de se arrumar para ir a faculdade.

Mesmo com a saudade, os dois sabiam que os seus esforços não eram em vão e que trariam bons resultados no futuro. E se o futuro reservava Kim Taehyung ao seu lado, todo o esforço de Jeongguk valeria a pena.

Talvez por isso o sábado fosse especial para ambos.

O cozinheiro era quem chegava mais cedo em casa. Aproveitava o tempo para organizar o local. Lavou as louças sujas que se acumularam durante a semana, limpou o chão e até colocou a roupa para bater na máquina. Jeon já conhecia o lado possessivo de Taehyung com a limpeza — um mal de família que ele infelizmente herdou — e sabia que namorado não iria sossegar até ver tudo brilhando e cheirando eucalipto.

Com a casa limpa, Jeongguk preparava mimos logo em seguida — pipoca salgada com muita manteiga, brigadeiro e uma Coca-Cola geladinha — para os dois. Organizava todos os comes e bebes na cômoda que ficava do seu lado da cama, ligava a TV, conectando-a na Netflix procurando por qualquer filme cult que encontrava e era só esperar seu dengo chegar para eles aproveitarem o dia bem agarradinhos, é claro.

Taehyung chegava em casa por volta das 15h e só o pó da rabiola, coitado; o corpo doía como se uma manada tivesse pisado em cada pedacinho do seu corpo. Ele clamava por um banho quente, sua cama bem quentinha e um Jeongguk abraçando-o por trás. Então não tardou de jogar as suas coisas no sofá e ir correndo para o banheiro tomar uma boa ducha.

Estranhando o silêncio e tudo limpo, Taehyung saiu do banheiro com uma toalha enrolada em sua cintura e outra em torno do pescoço para secar seu cabelo. Chegando na porta do quarto, ele só conseguia sorrir. Todas as luzes estavam apagadas com a exceção de um abajur e um Jeon concentrado em um mangá de Boku no Hero.

Por mais que quisesse uma resposta para entender o porquê de amá-lo tanto, Taehyung nunca iria conseguir; perdia-se em tantas premissas que preenchia Jeon Jeongguk e cada vez que o via uma nova premissa surgia.

Não demorou para Jeongguk percebesse a presença do mais velho escorado no batente da porta olhando para si. Sentiu-se quente ao ver o tronco desnudo e não tardou de jogar o mangá em qualquer canto do quarto e ir correndo para os seus braços.

— Oi, minha lua. — Kim disse antes de dar um beijo carregado de saudade e desejo.

— Oi, meu sol — Respondeu quando as bocas se separaram. As mãos de Kim rodeavam a cintura do cozinheiro firmemente. — Senti sua falta, amor.

E aquelas três palavrinhas atingiram o corpo de Kim por inteiro, como um remédio de alívio imediato.

— Também senti, meu amor. — Respondeu entrelaçando as suas mãos e indo para cama. Agradecendo aos céus mentalmente por isso. Se ajeitaram confortavelmente na cama e trataram de maratonar o filme escolhido enquanto comiam o brigadeiro.

Concluindo que a escolha do filme e não foi uma das melhores, Taehyung escolheu uma série que o seu colega de trabalho comentou no horário do almoço, se arrependendo de ter assistido no terceiro episódio. Por fim, Jeongguk se aproximou do corpo de Taehyung, distribuindo vários selares por todo o corpo, e esses beijos inocentes se transformaram em beijos intensos que terminaram em uma noite quente de amor

De manhã era só preguiça.

O cozinheiro se agarrava no namorado, impedindo que o ruivo levantasse da cama para ir no banheiro e consequentemente ir fazer um café para os dois. Tudo que ele queria era passar o domingo debaixo das cobertas e continuar agarradinho de preferência. Fingindo desistência de tentar fugir, Taehyung se acomodou no peito de Guk.

— Amor… — Resmungou para o Jeon, que fingia estar dormindo. — É só um café, não vai dar mais que quinze minutos.

— E daí? São quinze minutos sem você. Nananinanão. — Disse manhoso.

Taehyung riu.

— Normalmente os casais ficam mais bem dispostos no domingo. Sabia que Jongdae e o Minseok fazem caminhada todo final de semana?

— Ai, Tae… Nós dois somos um casal diferente. Somos o casal da preguiça, agora faz um cafuné gostoso na minha cabeça. — Disse levando a mão do namorado até a sua cabeça.

Convencido que ele o namorado era o ser mais fofo do mundo, Taehyung assentiu, fazendo o carinho no cabelo.

Passado bons minutos na mesma posição, agora conversando, Taehyung aproveitou que Jeongguk ria das tentativas frustradas de Jimin com Yoongi e correu para a cozinha enquanto o cozinheiro corria para o banheiro, caso contrário ele faria xixi ali mesmo.

O cheirinho do café forte se alastrou pela casa, fazendo o estômago do mais novo roncar alto, arrancando um sorriso sem graça.

— Vai querer o que de café da manhã? — Questionou o mais novo, abrindo a geladeira.

— Hm, sei lá. Panqueca?

Assentindo, Jeon foi pegando os ingredientes para preparar a massa. Tae gostava de ajudar o namorado, mas dessa vez deixou-o no comando da cozinha e foi tomar banho.

— Sabe o que eu estava pensando?

— Em quê?

— Caminhada. Hoje. Você e eu. — Disse firme.

Fez uma cara contragosto à ideia.

— Mas hoje?

— É, ué. O sol está forte e devemos receber um pouco de vitamina D. Vamos, lua? — Fez um bico que o mais novo não pôde dizer não.

— Tudo bem.

Quem achou que eles fossem fazer a tal caminhada que nem seus amigos? É, amigos, vocês foram tapeados.

Kim pegou o celular, abrindo o aplicativo de músicas para montar uma playlist bem animada para caminhada. Dentre as músicas sugeridas, estava “I love you, baby” de Frank Sinatra — que não combinava nada, nada com a proposta. Automaticamente lembrou-se do filme 10 coisas que eu odeio em você. Esquecendo-se do projeto fitness que ele mesmo propôs minutos antes, ligou a TV, conectando na Netflix e procurou como quem não quer nada pelo filme; e, para a sua surpresa, tinha. Deitou na cama e disse para si “Só dez minutos”.

Guk voltou da cozinha, vendo o namorado repetir as falas do filme e sentou-se na cama, acompanhando o decorrer da cena. Se o namorado não lembrava de ir, não seria ele que iria lembrar.

— Amor, só mais vinte minutos.

Rindo, ele concordou.

E os míseros vinte minutos foram pela culatra e de 10 coisas que eu odeio em você, eles foram para Uma linda mulher e depois caíram no sono — tudo bem, só o Kim que dormiu. Mas releva que o coitado estava cansadinho.

Jeon poderia acordá-lo para irem ir fazer a maldita caminhada, mas observar seu amor dormindo na casa deles, debaixo das cobertas quentinhas, era mil vezes melhor. Corrida eles podiam fazer em outro dia, não no dia de preguiça. Então ele se arrumou, repousando sua cabeça no peito de Kim, e dormiu.

Ah, deixa eles aproveitarem o feriado deles.

22 de Janeiro de 2020 às 08:36 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

caelena Oliveira 1001 plots 0 fanfics

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas