sergio-santos-junior1579047590 Sergio Santos Junior

Inspirado no sucesso do players tribune, plataforma onde os atletas postam relatos sobre a sua história, vim também eu relatar parte da minha história


Histórias da vida Todo o público.
Conto
0
1.4mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Ninguém liga, mesmo...

Desde sempre, soube que o ser humano costuma ignorar o sofrimento e dificuldades alheias, desde que elas nao as prejudiquem, mas sempre apostei que, as vezes, poderia ser diferente, apostei, e perdi.


Também nunca ignorei os efeitos que uma doença psicológica poderia causar em alguém, até então, nunca havia concordado com a narrativa de que "depressão é frescura", ou ainda, que é "ausência de Deus", e só quando você as sente na pele, é que você real se dá conta do quanto elas podem ser devastadoras, e descobri essas duas facetas de uma única só vez, quando me vi cercado pela ansiedade.


Levava uma vida normal, até o dia que certos amigos me viraram as costas, nunca esquecerei aquele início de novembro de 2018, foi diante dessa tristeza que a ansiedade deuseu o ar da graça, primeito com algumas dores na nuca, depois com a palpitação, falta de ar, até que ela me levou ao hospital, onde tive meu diagnóstico, ali começou meu calvário.


A ansiedade te esgota mental e fisicamente, mas nenhum desgaste é maior do que aquele que você tem com as pessoas tentando te provar que você não tem nada, ou pior ainda, tentando provar que o que você tem não existe.


Me lembro como se fosse hoje, as pessoas com quem mais contava, me falaram coisas que até hoje parecem ecoar em meus ouvidos, uma me disse que era falta de Deus, mas isso nao me doeu mais do que algo que outra pessoa disse, que eu estava precisando de um choque, como se fosse um louco, aquilo caiu como uma bomba em tudo o que eu sonhava, e até hoje, minha relação com a pessoa, ou melhor, com as pessoas, nunca mais foram as mesmas, mas aí eu pergunto: e daí?


Daí que eu percebi que, as pessoas falam que nos amam, que se preocupam com a gente, mas talvez não seja totalmente verdade, as pessoas se preocupam em nos ter por perto, em nos influenciar e, tal como um planeta, nos ter em sua órbita, mas elas não se preocupam verdadeiramente com a gente, daí percebi que só não estamos sozinhos pois Deus é por nós, pois de resto, sim, viemos, estamos e partiremos sozinhos.


Hoje, ainda, enfrento a ansiedade, mas aprendi que estou a enfrentando sozinho, e para o meu próprio bem, é melhor assim, aprendi a estar tendo crises violentas na frente dos outros, e fingir que esta tudo bem, há lugares que só de pensar de ir, já me fecha a respiração, e então, tenho de juntar os cacos e ir, há diálogos que tenho, que mesmo me matando, tenho de tê-los, pois enfrentar os questionamentos, enfrentar as pessoas, é bem pior.


Quanto as pessoas? Elas não ligam para o que você tem, desde que esteja fazendo aquilo que elas querem de você, elas não se importam ou realmente ligam para o que você está sentindo, nem mesmo se você estaestá triste, infeliz, frágil ou qualquer coisa do tipo, desde que você esteja fazendo o que elas querem, o resto é bobagem.


16 de Janeiro de 2020 às 02:24 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~