Caminhos Gelados Seguir história

maasxw Marco Alves

O mundo que conhecemos mudou. Sob um novo sistema nosso planeta agora é dominado pelo controle político de grandes corporações que cada vez mais hegemonizam seu poder, a automação dos meios de produção é total e a crise de desemprego foi superada por um regime de gratificação universal. Em meio a essa nova tendência uma nova era glacial começou a surgir, as mudanças no clima tomaram um rumo de descontrole de temperatura levando a nossa raça ao limite. Alaf é um jovem que está prestes a compreender sua realidade sobre uma nova percepção, cabe a ele e seus amigos lidarem com grandes desafios que os levaram a tomar caminhos inesperados. Esse livro vai ser uma introdução básica da historia, o mundo da série "Caminhos" é composta de 3 derivados: ·Caminhos Gelados ·Caminhos Sombrios ·Caminhos Perdidos


Ficção científica Para maiores de 18 apenas.

#381 #301
0
530 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

A faísca

Era manhã, Maier estava sentado em um dos vários acentos de uma das igrejas da cidade, o frio havia afastado a maior parte dos outros e por isso podia ouvir de tempos em tempos o estrondo das madeiras podres em meio a grande construção, o eco soava entre as paredes e as colunas deixando o imenso clima de solidão, algo que Maier gostava profundamente.

A época de natal havia chegado mas não se podia comemorar a data por aquelas redondezas, tempos já tinham-se passados desde um fato importante que ocorrera, chamavam o acontecimento de “Queda das republicas”, o nome já embrulhava o estomago de qualquer um que por grande má sorte tivera que presenciar tudo, desde incríveis e estrondosos gritos até uma vista vasta de pessoas amontoadas esperando seus corpos apodrecerem, alguns atreviam dizer que era uma Terceira Guerra Mundial, outros, mais religiosos, diziam que era o início do apocalipse, mas para Maier era algo totalmente diferente, quando criança era apaixonado por desenhos e quadrinhos de super-heróis, quando jovem se apaixonou por leitura, amava um bom livro de ficção, seus favoritos eram os futurísticos e que remetiam a um mundo pós apocalíptico, ele adentrava em cada um dos cenários dos contos e talvez sua vida seja só mais uma história a contar, porém, a realidade se tornava concreta quando sentia sua pele enrugar e por vez saber que sua hora já estava perto, era um homem de idade mas a velhice ainda era uma novidade, sempre se assustava quando olhava em um espelho, sua pele se tornara flácida, suas olheiras se aprofundaram tornando o redor dos seus olhos maquiados em um tom negro, seus cabelos já não existiam e sua boca desidratada virara um campo de feridas.

Depois de algum tempo sentado se cansou e, levantando-se saiu pela grande porta da frente, estava nublado e podia perceber a escuridão daquela cidade, o tempo também não fez bem a ela, fora um local tranquilo mas a guerra a afetou como a pior das doenças, não tinha se quer 1/3 da população que um dia teve e a tornou prospera, podia ainda ver os antigos edifícios que agora viraram cinzas sobre as ruas; quando se pôs a observar as estrelas um jovem passou ao seu lado, inalava um cheiro bom, um perfume de grife talvez, Maier o encarou rapidamente e o acompanhou com o olhar até não conseguir mais velo, o jovem estava com uma toca que cobria seus cabelos e uma roupa que tampava todo seu corpo, voltou a se concentrar nas estrelas, não demorou muito para uma nuvem de fumaça chamar a sua atenção, talvez era apenas a nevoa forte ou então um grande mar de poluição, a lua servia de plano de fundo, estava linda!

Um rápido vento quente atingiu um pedaço de seu braço que estava descoberto, não se importou com aquilo, mas os ventos insistiam em o atingir e o som das madeiras se quebrando chamou-lhe a atenção para que olhasse para trás, o jovem estava voltando ainda com a toca cobrindo sua cabeça, e a igreja... a igreja estava em chamas, em um grande susto se afastou para mais perto das grades que o cercavam e continuava a observar bestializado o fogo se espalhar por todos os lados, todas aquelas chamas fizeram com que a sua atenção fosse chamada para aquele intenso jogo de cores e o calor que encostava em sua pele se tornava cada vez mais aquecedor em uma manhã tão fria como aquela, a igreja estava já completamente destruída e Maier ainda continuava posto, segurando uma das grades enquanto via o fogo montar um misto de cores entre o alaranjado e o azul cristal, talvez aquilo remetia a uma lembrança, uma aventura passada em uma de suas lutas com o exército de seu país, fez lembrar do dia que foi recrutado para a guerra que pôs fim a alegria de sua vida.

15 de Janeiro de 2020 às 06:43 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Campos

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!