A meia deusa e o Shinki Seguir história

K
Keila Goulart


Izi Miran nascera com uma habilidade sobrenatural na qual nenhum humano deveria ter, aos seus dez anos de idade despertou a capacidade de ver seres invisíveis a outras pessoas normais, durante alguns anos estudou sobre o assunto e concluiu que era uma meia deusa, já que possuía alguns poderes de deuses. Dado erros cometidos em seu passado, Miran aos seus dezesseis anos tenta viver como uma garota normal sem utilizar seus poderes, algo que não dura muito tempo pois em certo dia ao conhecer um garoto do mundo espiritual chamado Yukine ambos iniciam uma amizade duvidosa. Com a nova amizade Izi Miran conhece o mundo espiritual de uma maneira diferente da que já estava acostumada, um outro lado, que acaba a fazendo se envolver por completo com deuses, Shinkis e fantasmas do outro lado, causando assim uma antiga inimiga voltar para causar a mesma problemas e confusões.


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#drama #rituais #lutas #Deuses-japoneses #noragami #espiritual #romance
0
539 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Terças-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Dia diferente

"Eu nasci, em um mundo, onde para a maioria das pessoas, alguém que se joga de cima de um prédio para morrer, comete suicídio ou que tira a vida de outro humano, é apenas por ter a mente fraca por ter se envolvido com quem "não presta" e porque não teve quem os aconselhar para viver de uma forma melhor ou mais produtiva e isso o levou a tal ato. Eu não acredito nisso, na realidade oque faltou para essa pessoa, na minha opinião, foi desejar melhorar, alguém não se pode influenciar tão facilmente se tiver mente aberta,não basta ter alguém que o aconselhe se está pessoa não estiver disposta a viver da maneira correta".

Longo suspiros dos alunos da minha classe percorrem os ares, enquanto leio meu texto em voz alta na frente de minha turma.

Após finalizar a leitura, estico a folha com minha opinião, para a professora.

Professora Tabata: muito bem Izi Miran, pode-se sentar.

Caminho indiferente até meu lugar que se localizava na penúltima cadeira da primeira fileira.

Enquanto passo por alguns alunos ouso cochichos.

?: Está se achando porque o texto dela foi escolhido comoo melhor da sala... Tis ele é tão simples.

?: Ela só foi escolhida porque é vice-presidente do Conselho estudantil, se não fosse por isso, não seria

?: Não passa de uma puxa saco dos professores.

?: É a cachorrinha deles.

Apenas ignoro tais comentários e sento na minha cadeira.

Tabata: continuando a aula, hoje vamos falar sobre os novos projetos para a segurança da escola.... Todos nós sabemos oque houve no ano passado... Alguém pode me dizer oque aconteceu?

Ela olha para todos da sala ninguém responde, como sempre este é seu método para fazer os alunos participarem da aula, perguntando coisas obvias,embora eu tenha certeza que a maioria sabe a resposta a sala fica em silêncio.

Tabata: Koi Keze?

Olho para trás onde minha amiga, se localizava dormindo.

Miran: Keze!

Falo um pouco alto e a mesma abre os olhos.

Koi Keze: sim!

Tabata: oque houve ano passado, que prejudicou muito a escola?

Ela ficou intacta.

Miran: o ato de vandalismo- Sussurrei.

Koi Keze: ah verdade! No ano passado, após a volta das férias de meio de ano, os vidros do primeiro andar foram todos quebrados durante a tarde, mas não sabem até hoje quem foram os culpados.

?: O Conselho estudantil é tão útil que não conseguiram achar os vândalos, mesmo olhando as câmeras de segurança...

Uma garota da sala falou com um tom irônico, enquanto mandava um olhar de reprovação para mim.

?: Cof cof patético.

Olhei para a janela para fugir do clima pesado do ambiente,vi que em uma das quadras estavam alguns rapazes praticando futebol.

Observei e perto da cerca estava um garoto loiro observando o treino.

Miran: será que ele está cabulando aula...Ou não é aluno daqui?...(p)

Ele deu um salto bem alto para longe dali, um salto tão alto que nenhum humano comum conseguiria.

Senti meu corpo arrepiar.

Koi Keze: Miran...

Virei meu olhar para ela.

Koi Keze: você parece espantada...Viu alguma coisa?.

Balancei a cabeça negando.

Koi Keze: não liga para oque esse povo fala, são todos invejosos...

Miran: eu não me importo com oque eles falam.

Koi Keze: Confesso que as vezes também te invejo um pouco.

Olho para ela e vejo em seu ombro, um pequeno ser negro, algo que não é um bom sinal.

Miran: ei! Você é a melhor nadadora do clube de natação, e a melhor atleta se alguém deveria sentir inveja sou eu!

Falo colocando um sorriso no rosto.

Vejo que o ser que possuía em seu pescoço voar para longe dela, oque significava que ela talvez já não estivesse mais sentindo inveja.

Miran: mais um bom trabalho!(p).

(***)

Estava caminhando no corredor da escola indo em direção a escada que leva ao terraço quando vejo uma garota carregando outra na costa.

Miran: talvez tenha desmaiado(p).

(***)

Estava observando a vista quando olho para o céu e vejo seres negros sobrevoando o mesmo.

Miran: queria não os ver...

Olho para os alunos que caminhavam pelas áreas verdes da escola, um local lindo e bem cuidado pelos jardineiros.

Miran: tão belo...

Um sorriso surge em minha face, mas logo se desfaz.

Sinto um vazio no meu corpo, como se algo tirasse tudo que estava em mim.

Miran: se eu ao menos fosse normal...

Diferente de qualquer outra garota, eu sou uma meia-deusa, nasci humana, porém com algumas habilidades de um deus, o motivo deu ter nascido assim, tenho uma pequena ideia, mas não sei se fui criada para algo maior do que viver apenas para ver o outro lado da vida.

Miran: não é como se eu quisesse ver vários monstros ao redor das pessoas e em cima delas....(p)

No inicio eu fazia de tudo para deter os "fantasmas", é assim que se chamam esses seres de formatos e cores diferentes, para que as pessoas parassem de se matar, mas agora... Qualquer ato que aconteça ao meu redor que envolva o outro mundo, finjo não ver, apenas ignoro.

Miran: eu devo ser alguém realmente ruim...(p)

?: Yupi!

Ouso passos se aproximarem, olho para trás e vejo uma garota, a mesma que estava desmaiada no corredor enquanto estava sendo carregada, ela corre até mim e pula no muro de proteção e quando está para saltar do terraço da escola, me inclino para frente e agarro seu braço.

Nessa hora ela consegue se equilibrar e me olha espantada.

Miran: você tá louca! O que tem na cabeça, querendo se suicidarassim! E ainda na minha frente!

Começo a analisar seu corpo até ver onde o fantasma que a levou a fazer aquilo estava escondido.

?:Ei! Pare de me olhar assim!

Me assusto ao ver, na parte de trás da garota uma cauda de gato do tom roxo.

Dou dois passos para trás.

Miran: o-oque você é?

Pergunto espantada.

?: Eu que te pergunto, como consegue me ver?....

Por alguns minutos ela parece pensar em algo.

?: Você é... Uma alma?

Nego com a cabeça.

Miran: responda minha pergunta, quem é você? E qual sua especie?

?: Eu me chamo Iki Hiyori... Sou uma meio fantasma.

Miran: nunca li sobre isso....

Hiyori: mas... E você?

Miran: eu sou uma sub-deusa, meio humana e meio deusa.... Me chamo.... Izi Miran...

Hiyori: o Yato nunca me falou sobre..

Ela fala um pouco distante como se estivesse pensando em alguém.

Miran: você estuda aqui?

Ela faz "sim" com a cabeça.

Hiyori: bem... Estou indo, podemos nos encontrar aqui, nós próximos dias, para a gente se conhecer melhor.

Ela da um pulo bem alto para longe dali.

(***)

Já havia lavado meu rosto três vezes, queria me dar leves tapas, como castigo, por novamente ter falado com um ser do outro mundo.

Miran: eu prometi a mim mesma, não me envolver com fantasmas, deuses e nem shinkis!(p)

?: Izi Miran...

Olho para trás era uma garota do Grêmio.

Miran: Sim?

?: O grêmio e conselho estudantil iram realizar uma reunião daqui alguns minutos... Você... Se esqueceu?

Ela me olhou com reprovação.

Miran: já estou indo para lá.

Me olho mais uma vez no espelho, minha aparência até que é "agradável", um rosto pálido na qual destaca meus olhos verdes, assim como uma esmeralda... Possuo cabelos curtos castanhos escuros, e lábios finos.

Miran: han... Não é como se minha aparência fosse fazer diferença na reunião.

(***)

Caminhava pela calçada enquanto carregava doze livros nas mãos.

Miran: aqueles impertinentes, terminaram a reunião tarde, e ainda sobrou para mim devolver estes livros na biblioteca do Centro...(p)

Paro atrás de uma mulher que estava na frente da linha do trem, o mesmo ainda não havia chegado, porém já conseguia ouvir seu som de longe.

Miran: já vai passar...

Quando o tremestá mais perto vejo um fantasma pular no pescoço da mulher a minha frente, a mesma corre e passa pela proteção que havia entre aquela área da calçada e a linha do trem.

Miran: droga! Já estou vendo tudo! Eles não tem jeito!!(p).

Jogo os livros para trás e também passo pela proteção, em seguida me jogo e empurro a mulher para longe da linha do trem, ela cai sobre mim e o trem passa.

Abro meus olhos e vejo a minha frente no pescoço da mulher um ser negro, com o formato de um olho, me encarando a poucos centímetros do meu rosto.

Com minha mão o empurro para longe dali.

Após eu e a mulher nos levantarmos ela agradece, e eu pego meus livros do outro lado dos trilhos, após o trem passar por completo.

Miran: mas que confusão... Coloquei minha vida em risco de novo... Eu disse que pararia... E vou!... Só tenho que voltar a ignorar esses tipos de acontecimentos...Eu preciso ser normal!... Ser normal!(p).

Não é como se fosse fácil, ver que alguém vai se matar na sua frente e ficar parada sem fazer nada, ao menos para mim é extremamente dífícil.

Caminho com passos lentos, os livros estavam pesados, de repente sinto algo bater sobre meu corpo, era uma pessoa que passou e esbarrou em mim, caio sentada no chão e os livros caem sobre mim.

Miran: era só oque faltava!!- Murmuro com raiva.

Olho para trás para ver quem havia esbarrado em mim era um rapaz loiro que estava andando sem se preocupar com o ocorrido..

Miran: Ei! LOIRINHO! VENHA ME AJUDAR!- Grito.

O rapaz olha para mim e vem em minha direção.

Miran: oque está olhando? Me ajude a recolher... Você ajudou a derrubar, já se esqueceu?

Falei recolhendo alguns livros ele me ajudou sem dizer nada.

Após ele esticar uma pilha de livros vejo que próximo ao seu pescoço possuía algo escrito, estava marcado um nome.

Miran: espera você é um shinki?...

Fiquei surpresa, todos Shinkis que eu havia visto se vestiam de forma exagerada e chamativa, já ele estava com uma roupa comum além de estilosa tipica de um adolescente.

?: Sim, como consegue me ver?

Miran: dèjà vu...(p).

Miran: sou uma meia deusa...

?: Não parece.....

Me senti ofendida.

Miran: Yuki, neh?

Yuki: Yukine...

Miran: quem é seu mentor?

Miran: por que estou fazendo essas perguntas? Eu deveria ignora-lo, droga Miran seja normal!(p)

Yukine: Yato..

Miran: deus Yato, nunca ouvi falar.

Miran: ótimo agora to agindo sem pensar, parabéns Miran isso vai faz uma par de pergunta pra ele!(p)

Yukine: ele é só um deusinho de merda.

Me surpreendi com o comentário.

Miran: não deveria falar assim do seu mentor.

Ele começa a me encarar.

Miran: oque foi?

Yukine: sua mão está manchada.

Olho e realmente estava.

Miran: droga, deve ter sido o fantasma de olho... Preciso de um poço puro...(p).

Miran: você... Sabe onde tem um poço com água benta?...An! Você... Deve estar ocupado, eu mesma acho um.

Ele pega seis livros da minha mão, e começa a caminhar.

Yukine: eu sei onde tem um...

Miran: obrigada, pela ajuda.

Yukine: só.... Estou pagando, por ter te derrubado...

(***)

Acabara de lavar as mãos a mancha desapareceu.

Miran: manchas de fantasmas só saem com água purificada, melhor dizendo... Água benta...

Yukine: eu sei...

Seco minhas mãos na minha saia preta do uniforme escolar, e pego os livros e carrego seis em cada mão.

Miran: tchau Yukine.

Comecei a dar passos um pouco rápidos.

Yukine: espera...

Viro a cabeça e o encaro.

Yukine: qual seu nome?

Miran: Izi Miran...

Ele se virou e foi para a direção oposta da minha.

(***)

Saio da biblioteca, fazendo massagens nas minhas próprias mãos elas estavam dormentes.

Volto para casa em meio a vários pensamentos...

Miran: espera aquele garoto que estava perto da cerca da escola... Durante a manhã!!(p).

Vejo o céu mudar sua cor, tons alaranjados e amarelos surgem com o por-do-sol.

Acabo lembrando dos olhos do tal do Yukine

Miran: aqueles olhos eram realmentebonitos

Lembro novamente da garota do terraço.

Miran: hoje.. Foi um dia bem estranho...- Sorrio.

14 de Janeiro de 2020 às 16:35 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Sempre fui alguém diferente

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 8 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!