Falsa Memória Seguir história

remo-felipe1579008746 Remo Felipe

Um homem com a idade não especificada se encontra em uma casa a qual aparentemente a conhecê. Ao longo do tempo que passa dentro dela escuta uma voz a qual lhe chama pelo nome. De quem poderia ser essa voz?


Suspense/Mistério Todo o público. © Todos os direitos reservados como Autor e Editor.

#mistério-suspense
0
519 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Quartas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Carpete e a Voz

Estou na sala, deitado em um tapete bem velho, cheio de pó. Em minha frente, algumas relíquias me parecem familiares. Tenho uma leve impressão de já ter visto este lugar, mas "onde?" Bom, não consigo lembrar, e por fim, acabo deixando de lado.

Minha barriga ronca, caminho em direção a cozinha, abro a geladeira, e acabo tendo uma surpresa, não há nada. De repente ouço uma voz bem fraca, curioso começo a procura - lá em todos os cómodos da casa e não a encontro. Ainda ouvindo - a, não desisto de acha - lá, até que ouço chamar pelo meu nome, ao lado do tapete. Surpreso, me aproximo lentamente é tento reconhecer a voz que me invoca, e novamente me vem aquela sensação de conhece - lá. Ainda com aquele suspense, chegando até o carpete, ao me aproximar, ponho minha orelha tentando ouvir algo mais, porém, ela some, ficando somente em minha cabeça.

Me sentando sobre o carpete começo a me fazer diversas perguntas, tais como:

“Que lugar é este?”

“Oque estou fazendo aqui?”

Ainda sem nenhuma resposta, vou atrás de justificativas começando assim a vasculhar os quartos da casa. Depois de um longo tempo as procurando, acabo encontrando nada. Quando percebo, estou suando, minhas mãos estão frias, meu corpo fica imóvel até que, a ouço novamente, aquela linda voz que me chama pelo nome. Sigo em direção a ela até me deparar com o tapete novamente. Repito a mesma ação tentando escuta – lá, até que consigo. Tento - lhe fazer diversas perguntas, porém, ela não me escuta, sumindo depois de alguns instantes. Assim me jogo sobre o chão esvaecendo.

Dias se passam, tardes, noites, e eu ainda sem saber o que fazer. São 6:30 da manhã, olhando fixamente para o relógio que está em meu pulso, mudo a direção do olhar diversas vezes, como um bebê se contorcendo no berço. Me sinto em um labirinto onde a única saída é aquela voz. As horas continuam passando e nada, e as lagrimas escorrendo pelo meu rosto, desespero? talvez! até que decido descansar, com muita coisa em mente, acabo entrando em um sono profundo. Em minha cabeça começo a desenhar os seus traços, tento me levantar, mas não consigo minhas pernas estão solidas minha mente desnorteada e meu corpo está mole. Ouço pequenos sons vindo diretamente da cozinha, sem poder me erguer arrasto – me. Faltando apenas alguns metros de distância fico sem enxergar, e depois de um período abro meus olhos lentamente até ver uma sombra aparentemente de uma mulher. Estou na cozinha, sentado em uma cadeira de rodas, ainda com as mesmas fraquezas. Em minha frente a pessoa misteriosa a qual procuro a vários dias, olhando para ela decido então lhe perguntar:

“Quem é você?”

Ela me responde com um leve sorriso, que inclusive, me pareceu familiar. Com a visão um pouco embaçada, vejo somente sua sombra e os traços do seu lábio. Acordando assustado e suando, levanto-me do chão vou em busca de uma folha e tento reproduzir sua estrutura em que vi em meu sonho. Seu retrato oculta -se em minha cabeça, sumindo rapidamente assim como as estrelas deixam a noite. Minha mente parece falhar de vez enquanto vejo que ela só lembra o que lhe convém. Após terminar de desenha – lá (A tal Moça) pego sua imagem e a coloco em um caderno pequeno, que por sinal, acabei achando enquanto vasculhava os quartos, logo em seguida o guardo em meu bolso. Ficando cheio de dúvidas começo a explorar a casa novamente, mas desta vez em um lugar diferente. Olho para o lado, notando uma escada a qual não havia subido antes.

14 de Janeiro de 2020 às 13:50 0 Denunciar Insira 0
Continua… Novo capítulo Todas as Quartas-feiras.

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~