titibunny Titia Bunny

"[...]- Entregou as composições? – Sehun perguntou, tentando me ajudar a lembrar o que eu estava esquecendo. - Sim, ou eu não estaria aqui hoje. – Respondi antes de terminar de beber o meu chá. – Sinto que é algo com o Taehyung, ele parecia um pouco triste quando eu disse que ia sair com vocês. - Aniversário de namoro? – Minseok hyung perguntou e nisso eu me toquei... Merda! Eu havia esquecido! Por isso o TaeTae estava estranho comigo desde cedo. Pela minha cara de desespero os meninos perceberam que eu realmente havia esquecido do aniversário de namoro. – Ainda dá tempo de comprar presente e fingir que não esqueceu. - Merda! Merda! Merda! – Resmunguei, passando a destra pelos fios negros, claramente frustrado e nervoso. – Eu não faço ideia do que comprar para ele! Porra! Eu sou um merda de namorado! [...]"


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#titibunny #lemon #kim-taehyung #min-yoongi #toptaehyung #bottomyoongi #taegi #bts
0
1.6mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Suck me like a lollipop

Eu estava com alguns amigos, aqueles com quem as pessoas não me veem tirando fotos porque gostamos de não divulgar nossa amizade, tomando Bubble Tea em uma cafeteria no centro de Seoul e falando sobre algo que no momento eu não estava prestando atenção. Imagina se as fãs descobrem que eu, Mark, Sehun e Minseok costumamos sair juntos para reclamar da vida e tomar chá? Seria um verdadeiro caos para nós!

Mas voltando ao assunto da conversa que eu não estava mais prestando atenção, provavelmente era só o Sehun resmungando que o Luhan não vem vê-lo, ou o Mark comentando o quanto as coisas estão estranhas entre ele, Jackson e Jinyoung, ou ainda o Minseok hyung falando algo que o JongDae fez para ele – eu invejo o relacionamento deles. Claro que eu não iria prestar muita atenção nisso, afinal eu estava com a sensação de que tinha esquecido algo extremamente importante, mas não conseguia me lembrar o que era exatamente.

- Yoonie? Aconteceu algo? – Mark me chamou a atenção, ele parecia bastante preocupado, o que era bem típico dele. Porém, isso fez com que os outros dois me olhassem um tanto quando preocupados também.

- Não sei. – Suspiro. – Sinto que estou esquecendo algo muito importante. E isso nunca é coisa boa.

- Entregou as composições? – Sehun perguntou, tentando me ajudar a lembrar o que eu estava esquecendo.

- Sim, ou eu não estaria aqui hoje. – Respondi antes de terminar de beber o meu chá. – Sinto que é algo com o Taehyung, ele parecia um pouco triste quando eu disse que ia sair com vocês.

- Aniversário de namoro? – Minseok hyung perguntou e nisso eu me toquei... Merda! Eu havia esquecido! Por isso o TaeTae estava estranho comigo desde cedo. Pela minha cara de desespero os meninos perceberam que eu realmente havia esquecido do aniversário de namoro. – Ainda dá tempo de comprar presente e fingir que não esqueceu.

- Merda! Merda! Merda! – Resmunguei, passando a destra pelos fios negros, claramente frustrado e nervoso. – Eu não faço ideia do que comprar para ele! Porra! Eu sou um merda de namorado!

- Eu lembro quando eu esqueci o aniversário de 3 anos com o Dae. Foi difícil driblar a empresa para eu poder concertar a cagada. – O hyung comentou. – Nada que uma noite de sexo não resolva.

Seu último comentário nos fez rir muito e acabamos compartilhando histórias sobre aniversários de namoros e presentes, procurando algo que pudesse me ajudar. Até que Sehun e Mark tiveram uma brilhante ideia.

- Tem algum fetiche que ele tenha que vocês nunca tentaram? – Sehun perguntou.

- É verdade, pode ser o momento ideal para realizar esse desejo dele. – Mark completou o pensamento do Oh.

- Acho que tem... Taehyung tem uns fetiches bem peculiares na verdade. – Comentei, me arrependendo logo em seguida ao ver o olhar de curiosidade dos três.

- Conta no caminho, nós vamos ao shopping. – Minseok hyung ditou, deixando a gorjeta da atendente em cima da mesa e nos puxou cafeteria a fora, indo para o carro. Sim, viemos todos no carro do nosso querido hyung.

[...]

Arrependimento me define.

Não estava nem um pouco preparado para isso, mas esse era o preço a se pagar por esquecer uma data tão importante. Mas ainda assim, me sinto um tanto quanto envergonhado demais para viver.

Primeiro porque EXO resolveu que minha casa era lugar de passar o tempinho de liberdade deles, segundo que Byun Baekhyun – depois de me dar um sermão de meia hora – resolveu me fazer de boneca e me arrumar para o meu namorado, enquanto o Minnie hyung colocava todo mundo para deixar a casa numa decoração romântica. Claro que tudo seria pior se o trio chinês de ex-escravos da SM estivesse por aqui, já que Tao hyung iria deixar tudo muito caro, principalmente porque não é ele quem está pagando.

Suspiro alto enquanto Baek está separando a minha roupa e pensando em minha maquiagem. A coisa fica pior quando Kyungsoo hyung entra no quarto com um par de meias 7/8 negras com renda.

- Achei que ia combinar. – Ele comentou e deu de ombros, jogando as meias para o Byun, que bateu palmas, extremamente animado. – Não me olha com essa cara, isso tudo podia ter sido evitado, você sabe disso.

Tive que concordar com o Soo hyung, se eu tivesse lembrado da data, organizado tudo antes, eu não estaria sofrendo nas mãos deles.

- Quero saber de tudo depois, Yoonie! – Baek falou de maneira manhosa, fazendo com que o Do revirasse os olhos.

- Cuida da sua vida, hyung! Deixa o casal em paz e vai dar a bunda! – Obrigado Do Kyungsoo hyung por ser o melhor hyung me protegendo da mente curiosa e pervertida de Byun Baekhyun.

[...]

Está tudo pronto.

Só falta uma única coisa.

O meu namorado, que está muito atrasado e isso me deixa mais nervoso ainda. Quase duas horas de atraso. Desisto de esperar, vou até o quarto e pego um pirulito dentro de um pote escondido no armário – para protege-los dos maknaes ou eles pensariam que eu sou uma loja de doces. Volto para a sala com o pirulito em preso entre meus lábios e pulo no balcão da cozinha, sentando-me ali mesmo, na esperança de que meu namorado tivesse o bom senso de vir passar o resto da noite comigo.

Segundos depois, de ter colocado a minha bunda no mármore frio da bancada, meu celular vibra fazendo com que eu me levantasse para pegá-lo em cima da mesa de centro.

“Está em casa e acordado? Estou indo aí hyung.

Xoxo Taehy.”

Respondi rapidamente que ainda estava acordado o esperando. Não que fosse uma surpresa para ele, já que é de conhecimento de todos que eu sou muito mais ativo durante a noite, preferindo dormir profundamente durante o dia.

O nervosismo voltou a tomar conta e eu já estava no terceiro pirulito quando a porta foi aberta, porque Taehyung tinha sua própria chave da minha casa, agitando Holly.

- Ei! Calma, é só o Taehy! – Disse para o cão, bagunçando seus pelos acalmando-o. Taehyung abriu a porta e assim que me viu, naquela situação toda, sorriu malicioso. Retirei o pirulito da boca, de maneira lenta e sensual. – Parabéns para nós, saeng!

- Achei que tinha esquecido. – Pude ver um misto de alegria e desejo em seu olhar, não era atoa, já que eu estou maravilhoso com essa roupinha de empregada e morrendo de vergonha. – Kyungsoo hyung e Minseok hyung ficaram me perturbando no Kakao até eu dizer que viria e realmente valeu a pena sair de baixo dos cobertores.

Ele fechou a porta, trancando-a e veio até mim, acariciou uma das minhas coxas enquanto me puxava para um beijo, murmurando um feliz aniversário antes de realmente encostar nossos lábios. Sua canhota estava em minha cintura, enquanto a destra repousava em minha coxa – numa carícia com uma pegada firme, porém suave. Conforme o beijo avançava, ganhando sensualidade, algumas mãos bobas aqui e ali, até que eu o afastei com um sorriso maldoso nos lábios.

Devolvi o pirulito nos lábios e empurrei Taehyung até o quarto, para não deixar que Holly observasse o que iríamos fazer. Chegamos no quarto e não me segurei em - depois de fechar a porta - ficar na ponta dos pés e atacar o pescoço levemente bronzeado de Taehyung o deixando cheio de minhas marcas. Taehyung pareceu gostar de minhas carícias, pois uma de suas mãos apertou com força e possessão minha cintura fina e a outra foi por debaixo de meu vestido de empregada, apertando uma de minhas bandas branquinhas coberta apenas pela calcinha fina de renda. Não fiz questão de gemer manhoso durante tais apertos em meu corpo já necessitado.

Derrubei o mais novo em minha cama e busquei pela gaveta do criado mudo – tirando dela uma bisnaga de lubrificante e um lenço, que usei para prender as mãos dele à cabeceira da cama.

- Eu vou te dar o presente, saeng. No entanto, você não pode me tocar e é por isso que está preso. – O olhei nos olhos enquanto me concentrava em brincar com o doce em meus lábios, lambendo lentamente a bola doce e cor-de-rosa antes de suga-la. Fazia tudo bem lentamente, observando-o de maneira inocente enquanto o mesmo se mantinha concentrado nos movimentos dos meus lábios. Aproveitei para me sentar em seu membro – ainda coberto pelas calças jeans escuras – e rebolar levemente enquanto trabalhava com o pirulito em minha boca.

Passei a intercalar as reboladas com quicadas – como se ele realmente estivesse me fodendo – sem parar o que eu fazia com o doce na boca, sentindo-o endurecer abaixo de mim. Vez ou outra eu retirava totalmente o pirulito dos lábios, deixando um som erótico escapar em meio aos suspiros do Kim. Tirei a blusa do mais novo e rocei o pirulito em seus mamilos, os chupando logo em seguida, mantendo o contato visual, mantive isso até que minha boca roçasse no cós da calça jeans.

- O que quer que eu faça, Taetae? – Perguntei, sorrindo com uma falsa inocência. Meu sorriso foi respondido com outro, porém o dele era pura malícia.

- Quero que me chupe, hyung. – Ele respondeu.

- E como quer que eu te chupe, Taehy? – Sorri brincalhão, queria provoca-lo, ver até onde ele aguentaria.

- Quero que me chupe como um pirulito. – Ele respondeu baixo, com a voz rouca, me causando arrepios. Abri o botão da calça e desci o zíper, puxando-a para baixo lentamente, distribuindo beijinhos pelas coxas dele.

Assim que me livrei da calça e da cueca, esfreguei o pirulito na glande avermelhada e depois o devolvi em minha boca, enquanto minha destra trabalhava lentamente em masturba-lo. Passei o pirulito por toda a extensão do membro teso - ouvindo-o arfar pelo contato do doce com a pele sensível - seguindo o caminho do doce com a língua, sugando a glande, sentindo o gosto de morango misturado com o do pré-gozo.

Vi Taehyung tentar se soltar enquanto gemia arrastado quando raspei meus dentes pela sua glande antes de abocanhá-lo por inteiro, sentindo-o tocar a minha garganta. Movi minha boca lentamente para cima e para baixo algumas vezes antes de sugar a cabecinha vermelha novamente e esfregar o pirulito na fenda, para então abocanhá-lo de novo.

Então me afastei dele, ficando de pé em frente a cama, virei de costas para ele e levantei a saia do vestido e tirei a calcinha. Passei lentamente o pirulito em minha entrada – depois de garantir que ele teria toda a visão do ato – e lentamente o penetrei, gemendo arrastado e o olhando, enquanto movimentava a bolinha do doce para dentro e para fora. Passei a rebolar no pirulito, ouvindo Taehyung gemer frustrado – por não poder fazer nada além de assistir.

- Puta merda hyung! Me solta logo! – Ele resmungou ao me ver enfiando o pirulito mais fundo, deixando minha bunda bem arrebitada.

Fui surpreendido ao sentir as mãos grandes do Kim me puxando, deixando-me deitado em suas coxas – com a bunda exposta para si. Senti a primeira pancada em minha nádega esquerda, enquanto ele movimentava o pirulito em meu ânus, me tornando uma bagunça de gemidos.

- Vou te castigar por me deixar amarrado no nosso aniversário, hyung. – Ele sussurrou em meu ouvido, deixando mais um tapa em minhas nádegas. – Vou deixar essa sua bundinha branca toda marcada com a minha mão.

Gemi alto ao sentir que dois dedos dele se juntaram ao pirulito dentro de mim, enquanto ele revezava em qual nádega ele batia, me fazendo soltar uma série de gemidos sôfregos, ainda mais pelo meu membro estar pressionado em suas pernas.

- Fica de quatro para mim hyung. – Ele mandou depois de depositar 10 tapas em cada banda da minha bunda. Não me fiz de rogado e o obedeci depois que ele tirou o doce de dentro de mim.

Soltei um gemido surpreso ao sentir o músculo molhado dele rodear a minha entrada que piscava em antecipação, não demorou muito para que Taehyung me penetrasse com sua língua, me fazendo gemer arrastado e manhoso, rebolando em seu rosto a procura de mais contato. Ele se afastou e mordeu a minha nádega direita já sensível pelo spanking anterior, para então voltar a me penetrar com sua língua e três dedos.

- Taehy! Shit! Me fode logo! – Eu pedi entre os gemidos. Ele riu. O desgraçado do meu namorado riu! Então se afastou de mim, segurando meus braços e me amarrou na cabeceira da cama.

- Você quer brincar, hyung? – Ele perguntou, com a voz rouca próxima ao meu ouvido, causando-me arrepios. Taehyung passou a distribuir chupões e mordidas pelo meu pescoço enquanto suas mãos trabalhavam em soltar o meu vestido.

- Pelo amor que você tem em mim, Taehyung, me fode! – Pedi mais uma vez, porque Min Yoongi não implora. Senti ele distribuir os chupões pela minha coluna até chegar em minha bunda, ele se movimentou na cama e eu gemi manhoso ao sentir sua glande ser pressionada contra o meu buraquinho, mas sem penetrá-lo.

- Aguenta chupar o pirulito até o fim enquanto eu meto em você, hyung? – Ele perguntou, a voz mais rouca devido ao desgaste dos gemidos, e claramente maliciosa. – Não pode deixar ele cair hyung.

Ele colocou o pirulito em minha boca e voltou a roçar sua glande em minha entrada, espalhando o pré-gozo por ela, pressionando vez ou outra, mas nunca penetrando de fato. Eu gemia manhoso, frustrado, querendo que ele parta logo para a ação, mas sei o quanto nós adoramos as provocações – afinal elas deixam tudo muito mais prazeroso.

Então finalmente ele entrou, numa única estocada – forte e funda – quase me fazendo derrubar a porcaria do pirulito ao gemer alto e dolorido. Ele não se moveu por um tempo, e eu sou muito agradecido por isso, me dando tempo para me habituar com a invasão.

Assim que rebolei em seu membro, procurando me ajustar melhor, ele começou a se mover – lento, porém forte e fundo – procurando pelo meu ponto doce enquanto eu tentava não derrubar o pirulito preso em meus lábios enquanto gemia baixo a cada estocada.

O cheiro de sexo tomou conta do ambiente, assim como os sons dos nossos gemidos misturados com o barulho da cama batendo na parede e dos nossos corpos se chocando. Taehyung intercalava entre estocadas rápidas e lentas, atingindo minha próstata em quase todas elas.

Junto com as estocadas vinham os tapas nas coxas e na bunda, me fazendo gemer mais alto e testando ainda mais a minha capacidade de manter o pirulito na boca – que ficava cada vez menor e mais difícil de manter. Ouvi o barulho de algo ser aberto, e logo senti esse algo pressionando a minha entrada já ocupada por um Kim Taehyung.

- Tão lindo, hyung! Seu cuzinho é tão guloso! – Taehyung voltou a estocar lentamente, provavelmente observando seu membro entrando e saindo de dentro de mim, acompanhado pela extensão do pirulito.

Filho da mãe! Ele colocou a porra de um pirulito no meu cu! E é daqueles compridos!

- É tão bonito de observar, hyung! Você recebendo tudo, de maneira tão gulosa! Sinto que poderia fazer isso o dia todo. – E então ele acelerou as estocadas novamente, me fazendo gritar em êxtase.

Nós dois sabíamos que eu não duraria muito mais tempo. As estocadas estavam cada vez mais certeiras e o pirulito deixava tudo mais intenso. E com mais algumas estocadas eu atingi o clímax, gozando forte contra o lençol azul claro da cama e contraindo fortemente minha entrada, fazendo com que o Kim gemesse alto em resposta. Ele estocou mais algumas vezes antes de se desfazer dentro de mim e após o clímax ele continuou estocando, enquanto eu sentia sua porra escorrendo pelas minhas coxas.

Um tempo depois ele saiu de dentro de mim – e tirou o pirulito junto – e se jogou ao meu lado, soltando minhas mãos e me entregando o doce.

- Vejo que conseguiu, hyung. – Ele sorriu e chupou o pirulito que eu segurava, que estava sujo de gozo. – Foi uma ótima ideia brincar com doces Yoonie hyung, tenho até mais ideias para brincarmos e...

- Me de um tempo, ta legal? Não sou de ferro, Taehy! – Suspirei cansado. – Sou um idoso já e gastei todas as minhas energias.

Ele riu, se jogando em cima de mim e enchendo o meu rosto de selinhos sujos de esperma, tudo o que pude fazer – e fiz – foi rir gostoso da animação dele.

- Obrigado pelo presente, Yoonie. Assim que descansar podemos falar sobre minhas ideias. – Então ele se jogou novamente ao meu lado e me puxou para si, fazendo com que eu deitasse minha cabeça em seu peito.

- Claro, claro. Posso dormir um pouco agora? – Fiz uma pergunta retórica, pois o cansaço já havia me atingido e eu estava em uma pequena briga contra o sono para poder conversar um pouco com ele. – Minha bunda dói.

- Me desculpa, hyung. – Seu sorriso diminuiu.

- Não se desculpe, idiota, você sabe que eu gosto. – Emburrei, já que não queria que ele ficasse achando que me machucou.

- Vou te dar seu presente quando acordar. – E isso foi o suficiente para me despertar, afinal, fiquei curioso.

- Nada disso, Kim Taehyung, me dê agora esse presente. – Resmunguei, sentando na cama, gemendo dolorido logo que minha bunda entrou em contato com o tecido. Ele riu e foi em direção a calça jeans que ele usava quando chegou e tirou uma caixinha de dentro de um dos bolsos.

Tae se sentou ao meu lado na cama e me ofereceu a caixinha.

- É algo simples e discreto, mas ainda assim é nosso. – Ele disse ao ver que eu já estava completamente sem reação. Assim que abri a caixinha de veludo preto pude ver o par de alianças pratas, finas e discretas. – Não é um pedido de casamento ainda hyung. É só uma aliança de compromisso, para manter os urubus longe.

E foi assim que eu entrei numa bagunça de rir e chorar ao mesmo tempo e ele teve que colocar a aliança em minha mão e na própria, porque eu não conseguia fazer nada soluçando e rindo.

Eu realmente espero que ele nunca descubra que eu só realizei os fetiches dele porque esqueci do nosso aniversário de 3 anos de namoro, mas me sinto tão mal por isso, ainda mais vendo a aliança em meu dedo – esse fato só contribuiu para a minha onda de choro e fui rapidamente amparado por um namorado sorridente e ligeiramente em pânico por me ver chorando. Foi complicado explicar, em meio aos soluços, que eu estava chorando de felicidade pelo romantismo do mais novo.

E depois de eu me acalmar e comermos um lanche, finalmente deitamos em minha cama e dormimos agarradinhos, como fizemos em quase todas as noites nos últimos 2 anos e meio.

E eu não mudaria nada.

Porque Kim Taehyung é perfeito para mim.

E talvez eu seja perfeito para ele.

12 de Janeiro de 2020 às 01:57 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Titia Bunny @TitiaBunny no spirit, nyah! e wattpad

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Mais histórias

Dar Asas ao Medo Dar Asas ao Medo
There's you, the ocean and me There's you, the oce...
KakaSaku: Reencontros KakaSaku: Reencontros