luishawn LuiShawn King

Isabella passou pela prostituição e pelo tráfico de crianças. Sua história foi, exageradamente, recheada por conflitos e situações que levaram à gravidez na infância. Dando início à sua adolescência, foi resgatada e enviada a um orfanato, onde certa parte do seu passado foi ressuscitado. Será que dessa vez ela vai conseguir sobreviver ao horror? Bom, essa resposta é incerta. Entretanto, talvez ela encontre o verdadeiro amor da sua vida.


Horror Horror teen Para maiores de 18 apenas.

#dark-smith #lgbt #girl #luishawn
0
3.8mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

27/11/20

O GRANDE DIA

Naquela manhã, todos os órfãos esperavam em pé, alegremente, que o sol penetrasse em seus quartos. Com os seus olhos voltados na direção da janela, que deixaram entreaberta na véspera, para a visita da claridade angelical da manhã, sentiam que a noite já estava prolongada demais.

Júlia estava tão contente com a chegada da nova órfã que nada poderia tirar da sua mente que a nova habitante poderia ser a sua melhor amiga. Bom, a não ser a sua relação complicada com os outros, que lhe afrontava dizendo que ela não daria certo com ninguém, nem mesmo com a novata.

Em frente ao espelho do seu quarto, a sua mão deslizou pela sua roupa, com a intenção de desamarrotar. Era essencial causar boas impressões. Coisa típica de qualquer adolescente.

Logo, do lado de fora do orfanato, Dark Smith fez com que surgissem os rumores de vida. Automóveis buzinavam como se fosse dia alto. Havia barulho dos caminhões no asfalto áspero. Júlia atentou melhor, e notou movimento na casa. Distinguia perfeitamente o caminhar da Conceição indo na direção do quarto.

Imaginou que o vento tivesse fechado a janela, impedindo a entrada do dia. Ergueu, então, os seus braços e abriu-a tendo um ótimo ângulo de visão, declarando que aquele dia seria o melhor da sua vida. Além de ser o seu aniversário, receberia de presente uma nova e única amiga. Talvez.

Conceição chamou, chamou e chamou. Todos aqueles dorminhocos estavam atrasados.

Quando por fim se deram por vencidos, convencidos que a diretora não desistiria de chama-los, se levantaram! Júlia jogou o seu travesseiro contra o pôster da sua cantora pop favorita e arregalou os seus lindos olhos castanhos.

A moça se colocou sentada na cama como quem sofria de uma ressaca, e com os olhos ainda lutando contra a vontade de chorar de emoção, saiu em direção do banheiro, ouvindo mais um grito frenético da Conceição.

Depois de se vestir, ela desceu a escada em direção à sala de estar. Enquanto descia, amarrava os seus longos cabelos lisos num rabo de cavalo, pensando no trabalho árduo que seria organizar todo o orfanato para a chegada da novata.

Toda aquela empolgação não via há anos, e Conceição nunca se responsabilizou com tanta garra para a organização da chegada de um órfão desconhecido, até então. Preparou um enorme banquete, com a existência de todo tipo de comida! O conhecimento culinário daquela diretora era incrível, tanto é que dizia que era um dom herdado da mãe, afinal, em alguma coisa tinham que ser parecidas.

A CHEGADA

O cheiro de um leve perfume doce misturado com o gostoso aroma de café inundaram suas narinas no momento em que Isabella — a nova habitante do orfanato — pisou na sala de estar. Sua presença foi capaz de surpreender todos.

Um sombrio silêncio assombrou, passando-se por um simples sussurro diante aos gritos psicológicos que habitaram o cérebro de cada órfão que assistia aquela pobre criança carregando outra criança em seu ventre.


— Você está gravida? — Questionou um infeliz, segurando um pedaço de bolo em suas mãos, esfregando a sua sobrancelha com os dois dedos.


Conceição deu um belo beliscão no curioso.


Isabella sorriu, ou talvez foi mais para uma careta irônica, porque já estava esperando aquele questionamento.


Ela sempre foi bonita, mas se comportava como se essa percepção jamais houvesse passada pela sua cabeça. Especialmente após ter sido resgatada daquele freak show. Ela se vestia com roupas largas e sem graça todos os dias. Quase se enterrando dentro delas. Naquele dia era um conjunto de moletom azul.


— Há uma longa história por trás deste capítulo da minha vida! E se quiserem que ele faça sentido, é melhor não morrerem antes da revelação! — Ela não parecia nem um pouco envergonhada por revelar isso, com um toque de seu humor negro.


Por conta daquele constrangimento, a diretora penetrava o seu olho punidor nos olhos de todos que aparentavam expressar rejeição à novata. Com a intenção de tornar aquela tempestade em um lindo dia ensolarado, Conceição convocou todos à mesa.


Ao se sentar, Isa pôde observar que os pratos sobre a mesa eram espelhados. Ela viu o seu rosto difusamente refletido no vidro: um rosto cansado, bem rebocado, a sobrancelha feita.


— Todos aqui têm a sua própria história, a sua própria origem! Entretanto, sob o auxílio de Deus, no livro de suas vidas, palavras foram escritas para que assim nos encontrássemos hoje, sob a proteção da minha gloria e misericórdia. — Disse Conceição.


Isa olhava fixamente para o prato, aproximando e afastando a cabeça, tentando apanhar a imagem completa de seu rosto, que parecia fugir-lhe, numa brincadeira diabólica.


— Louvado seja o nome da Santa Conceição! — Todos os órfãos disseram ao mesmo tempo, exceto a novata, a qual estranhou tal manifestação.


Automaticamente todos os olhinhos daquelas crianças se voltaram contra a nova moradora. Ela aparentava estar com vergonha, mas não sofreu calada. Queria dar satisfação sobre a sua gravidez. Não queria ser vista como uma irresponsável. Ao perceber que todos estavam esperando ouvir a sua história, ela entendeu que era chegada a hora.


Isabella limpou a sua garganta, fazendo com que acreditassem que ela iria dar início ao relato. Mas o que realmente estava acontecendo era uma coisa extremamente importante! Pegando todos de surpresa, com um grito ensurdecedor, a bolsa de Isa rompeu.


Levantando-se da mesa sentindo uma dor extremamente terrível, com uma só braçada derrubou todos os talheres e alimentos que estavam em sua área, enquanto sentia um forte gosto de sangue em seu lábio.

10 de Janeiro de 2020 às 22:29 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo Todas as Segundas-feiras.

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~