shogun Fernando Avendanha

A história dos três heróis brasileiros que combateram, lutaram e morreram na Batalha de Montese, durante a Segunda Guerra Mundial, alguns meses após o grande tedesco da Batalha de Monte Castelo. Esta é apenas uma das muitas, ótimas e tristes histórias que nossos combatentes geraram por meio de suas ações na maior das guerras.


Poesia épico Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#patriótico #brasil #montese #itália #segunda-guerra-mundial #guerra #poema #poesia #épico #drama #homenagem #pracinhas #FEB
Conto
0
5.2mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Três Heróis

Você sabe de onde eu venho?

Venho da pátria que eu tenho

É isto que os heróis cantavam

Quando deixavam o Brasil

Para em uma terra estrangeira lutar

Contra os caprichos de um velho senil

Ar, terra e mar

Dos todo’os cantos e da baiana

Chegaram na terra Italiana

Para sua pátria vingar


Após meses

Mui bem lutando

Por tiroteios muitas vezes

Pontos estratégicos conquistando

Os vinte e cinco faziam sua história

Horrores ficavam em sua memória


Avançaram com muito primor

Senta a púa, dizia o aviador


Até chegarem em Montese!


Após a batalha infernal

Onde derrotaram Lurdinha afinal!

Era agora a hora de iniciar

A operação que o Eixo iria finalizar

E agora sabemos, a guerra estava para acabar

Para a boa pátria iriam voltar

Para o morro, o Engenho

Após tão fervoroso empenho

Mas como eles haveriam de saber?

Como iriam perceber?

Se, mais tarde, estavam pra morrer


E é no início que esta história se passa


De Montese os bravos se aproximaram

Mascarenhas enviou três patrulheiros

Arlindo e dois Geraldo, bons mineiros

E de fato, algo eles viram


Viram foi novamente a sinhá!

Pronta, pronta pra matar!

Ó Mascarenhas de Morais, não deixe os bravos morrer

Bota eles pra correr!


E Morais fez isso mesmo e mandou-lhes recuar

Mas isso não fariam e os alemães iam segurar


Começou-se o tiroteio e as balas a voar

Toda uma divisão inteira

Contra três simples da mineira

Como havia de acabar?


Não havia outro jeito, o cartucho não é eterno

Não havia outro jeito, a batalha é um inferno

Quando suas balas acabaram recuaram pra floresta

Onde a última tentativa fariam pra acabar com a festa

Os alemães os perseguiram com rifle destravado

Para os brasileiros estava decidido o seu fado

Vendo o inimigo se aproximar os pracinhas se mostraram

Sem bala no cano d’arma

O inimigo atacaram

O objetivo era neles a baioneta fincar

E pelo menos um pro diabo entregar

Correram pra cima deles e levaram a saraivada

E de três simples nasciam três heróis

Um atrás do outro caiu no sujo chão

E quem restava vivo era mesmo o alemão

E o alemão se surpreendeu com a bravura dos soldados

Que até o fim lutaram quando muito desesperados


Aquele sacrifício não passaria despercebido

E para os brasileiros o chão foi abrido

Para cada um uma cova e uma cruz

E pra todos eles uma mensagem cravaram

E você se pergunta o que eles falaram?


Aqui nesta cova jaz três heróis brasileiros

Que nos combateram e morreram pelo seu país inteiro


E esta é a história dos três heróis

Que para sempre serão lembrados

Pelos que hão de vir

23 de Dezembro de 2019 às 15:43 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Continua…

Conheça o autor

Fernando Avendanha Ó Capitão, Meu Capitão

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~