Contagem regressiva para a Copa dos Autores 2020. Registre-se agora e tenha a chance de ganhar prêmios!. Leia mais.
Conto
3
3.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único – O Amor é Complicado

Não era nenhuma novidade ver aquela bela garota desfilando com um rapaz pelos corredores da escola. Afinal, sua beleza era tão grande como a de uma flor rara. Os cabelos loiros e compridos esvoaçantes combinavam perfeitamente com os olhos azuis e a pele alva. Sabia como se produzir bem. Mesmo estando na escola, usava uma combinação perfeita de maquiagem para destacar sua beleza, na quantidade certa para que nenhum funcionário lhe repreendesse.

Yamanaka Ino não era apenas a garota mais popular de sua sala, e sim de toda a escola. Já tinha saído com vários rapazes que muitas garotas cobiçavam, como o Presidente do Conselho Estudantil Uchiha Sasuke, o capitão do Clube de Judô Hyuuga Neji, e até mesmo o Capitão do time de futebol da escola, Uzumaki Naruto. Ela achava este último um pouco agressivo, mas tinha que admitir que o garoto tinha seu charme.

O que era raro é vê-la sem nenhum namorado. E isso só acontecia na época de provas. Ino adorava se divertir com os garotos, mas tinha consciência de que precisava passar de ano. E suas notas não andavam muito bem, principalmente em química e física.

— O que eu vou fazer Sakura? — Ino perguntou chorosa para a amiga de infância — Nossas provas começam na semana que vem e eu não entendo absolutamente nada da matéria!

— E se você pedir ajuda a alguém para te explicar a matéria? — Sakura sugeriu. Ajudaria Ino se pudesse, é claro, mas ela não estava muito melhor do que a amiga.

— Pedir ajuda para quem? — Ino exclamou — Quase todos os alunos da classe estão abaixo da média em física e química. E eu não vou ter aulas de reforço, nem pensar!

— É exatamente como você disse. Quase todos — Sakura olhou disfarçadamente para uma carteira em uma das primeiras fileiras ao lado da janela. Havia um garoto com cabelos negros espetados, com a cabeça abaixada e apoiada nos braços, aparentemente tirando um cochilo.

— O que tem aquele dorminhoco?

— Não o reconhece? É o Shikamaru. O aluno mais inteligente da classe — Sakura explicou — Se ele não puder te ajudar então eu não sei quem pode.

— O aluno mais inteligente, é? — Ino repetiu, abrindo um sorriso maldoso. Ela realmente não prestava muita atenção nos garotos que não considerava atraentes, então não tinha como saber disso. Mas precisava mesmo de ajuda para passar na prova. E o aluno mais inteligente era um garoto… aquilo era simplesmente perfeito!




~~~~~X~~~~~X~~~~~




No segundo intervalo, Shikamaru não estava mais cochilando na carteira, então Ino precisou revirar a escola inteira atrás do garoto, que no momento só queria relaxar.

— Você já comeu o pão que comprou na cantina, não foi? Ainda vai comer mais?

— Você ainda não viu nada, eu só estou começando!

Shikamaru estava deitado embaixo de uma árvore, encostado no tronco com os braços atrás da cabeça de modo que as mãos serviam como travesseiro. Seu amigo melhor amigo Chouji estava sentado na grama do pátio perto dele, abrindo um pacote de batatinhas e devorando-as sem piedade. Shikamaru já estava acostumado com o apetite voraz do amigo, mas ainda achava incrível que o garoto conseguisse comer tanto.

— Olá — Ino cumprimentou com a voz doce, aproximando-se sorrateiramente. Conseguiu esconder sua raiva por demorar tanto para encontra-lo com perfeição — Shikamaru, não é?

— Isso mesmo — ele apenas girou os olhos para encará-la, sem mover nenhum músculo — E você é…

— Ino! Yamanaka Ino! — Chouji interrompeu antes que Shikamaru pudesse terminar a frase — Puxa, é um prazer te ver assim tão de perto. Você é praticamente uma celebridade da escola!

— Ora, obrigada — ela continuou sorrindo, embora desejasse se afastar daquele garoto. Bem, se Shikamaru fosse tão fácil de ser conquistado quanto ele, aquilo seria moleza — Shikamaru, eu preciso falar com você, se não se importa. A sós — ela foi bem específica.

— Ah… bem, eu estava precisando comprar outro pacote de batatinhas mesmo — Chouji falou meio sem graça — Até depois, Shikamaru — ele se afastou e o amigo despediu-se com um aceno.

— E então, será que posso saber o que a estrela da escola quer comigo?

— Bem, é que eu percebi que nós nunca tivemos a chance de conversar — ela sentou-se ao lado de Shikamaru, encostando-se na árvore também — Mesmo estando na mesma classe, nunca sequer nos falamos direito. Então, eu estava pensando… que poderíamos nos aproximar um pouco mais — ao dizer isso ela realmente se aproximou do garoto, encostando seu corpo no dele — Poderíamos ser amigos… daquele tipo que ajuda um ao outro quando precisa estudar para as provas ou fazer deveres escolares, entende? Ou talvez poderíamos ser algo mais se quiser…

— Resumindo, você está tentando me seduzir para que eu faça os seus deveres de física e química para você, é isso? — Shikamaru a interrompeu, se afastando da garota.

— O que? — ela arregalou levemente seus olhos azuis. Por que não estava funcionando? Nenhum homem jamais resistiu ao seu charme! — Não, não é isso…

— Os trabalhos que os professores passaram também contam pontos. Mesmo se você se der mal na prova, mas tiver feito um bom trabalho, terá uma boa chance de passar de ano — Shikamaru deduziu — Mas nem mesmo os trabalhos escolares você consegue fazer sozinha. É por isso que está aqui, não é? Para pedir que eu faça os trabalhos no seu lugar.

— E se fosse isso? — Ino decidiu abrir o jogo. Sakura tinha razão, aquele garoto era mesmo inteligente. E não apenas quando se tratava de matérias escolares. Ela se ajoelhou e engatinhou até Shikamaru, de forma que seus rostos ficaram bastante próximos. Ela segurou a face do garoto com uma das mãos, os lábios a centímetros de distância — O que você faria?

— Eu diria “não” — Shikamaru afastou-a de si e colocou-se de pé — Não pense que pode ganhar tudo só porque tem um rostinho bonito, Ino — acrescentou antes de se afastar a passos largos.

Ino não podia acreditar. Em todos esses anos nenhum homem jamais resistiu ao seu charme! Não importava o que ela pedisse, por mais banal que fosse, sempre conseguia. Todos os homens sempre caiam aos seus pés, Ino era simplesmente irresistível. Então por que raios aquele maldito nerd estava se fazendo de difícil?

Ino levantou-se, respirando fundo. Precisava se acalmar e pensar em alguma estratégia. Talvez não estivesse sendo sedutora o suficiente. Talvez tivesse pego o rapaz desprevenido. Sim, isso mesmo… garotos nerds como aquele não deviam estar acostumados com uma beldade como ela dando em cima deles assim do nada. Talvez só tenha ficado nervoso e não soube o que fazer.

Isso mesmo, ela só precisava tentar de novo. Afinal de contas, Ino era irresistível.




~~~~~X~~~~~X~~~~~




No dia seguinte, quando as aulas estavam terminando, Ino revisava seu plano com Sakura.

— Tem certeza de que isso vai dar certo? — Sakura perguntou — Quero dizer, o plano é bom, mas não acha que é… muito ousado?

— Eu preciso passar de ano, Sakura, e só o cérebro daquele garoto pode me ajudar — Ino insistiu — Não se preocupe. Garotos como ele nunca devem nem ter segurado na mão de uma garota. Ele vai ficar deslumbrado com qualquer coisa, não vou precisar fazer muito esforço.

— Se você está dizendo — Sakura desistiu de tentar convencer a amiga.

— E você? — Ino indagou — Já arranjou um jeito de passar nas provas? Não me diga que vai estudar toda a matéria sozinha?

— A Hinata está me ajudando a revisar a matéria.

— Aquela mosca morta? — Ino exclamou incrédula — Duvido que alguém como ela consiga te ajudar!

— Não precisa falar assim. A Hinata só é um pouco tímida… ok, muito tímida — Sakura corrigiu-se ao ver a amiga revirar os olhos — Mas ela passou raspando no bimestre passado, então pelo menos está melhor do que eu.

— Todo mundo está com nota baixa, acho que você não tinha mesmo muitas opções — Ino suspirou — Mas vocês mal se falam. Ela está te ajudando a troco de que?

— Eu prometi que a ajudaria a ter um encontro com o Naruto se ela me ajudasse com a matéria — a amiga explicou — Hinata sempre teve uma queda enorme pelo Naruto, e ele anda bastante deprimido desde que você o deixou, então não deve ser muito difícil.

— Suponho que não — Ino deu de ombros, sem se importar com o fato de Sakura estar bancando o cupido para seu ex-namorado e uma garota que ela achava um pouco irritante — Então boa sorte para você. Tenho um alvo que não posso perder — ela afastou-se da amiga e atravessou a sala, andando na ponta dos pés para que sua presença não fosse notada.

Shikamaru estava escrevendo alguma coisa no caderno, soltando um bocejo ocasionalmente e resmungando sobre como aquilo era problemático. O sono foi embora quando Ino o abraçou por atrás, enlaçando seu pescoço, obrigando-o a inclinar a cabeça e ver a garota de cabeça para baixo.

— Olá — ela cumprimentou com um sorriso nos lábios. Não era o mesmo sorriso doce do dia anterior. Dessa vez sorria de um jeito mais atrevido — Estudando até essa hora? As aulas já terminaram.

— Pois é, mas eu quero passar nas provas — Shikamaru respondeu — Será que pode me soltar?

— É claro. Se você concordar em me ajudar com a matéria — ela deslizou uma das mãos devagar pelo corpo dele, até onde seu braço alcançava.

— O que está tentando fazer? Me seduzir para que eu te ajude? — Shikamaru perguntou, erguendo uma sobrancelha.

— Ah, é claro que não — Ino fingiu-se de inocente — Eu só preciso de uma ajudinha para conseguir passar nas provas — inclinou um pouco mais a cabeça até seus rostos ficarem a poucos centímetros de distância — Por favor, vai… você é o único que pode me ajudar, Shikamaru…

Agora ele começava a entender como Ino tinha conseguido sair com tantos caras populares, e de classes diferentes ainda por cima. Ino tinha um jeito único de seduzir os homens. Sabia usar não apenas o corpo escultural que possuía, mas também tinha jeito com as palavras. Claro que Shikamaru também a achava deslumbrante, e não queria que a garota repetisse de ano. Mas havia alguma coisa nela que incomodava Shikamaru.

— Tudo bem, eu te ajudo.

— Verdade? Que ótimo! — Ino o soltou e deu pulinhos como uma criança que acaba de ganhar um presente. Em seguida voltou a abraça-lo — Você é incrível, Shikamaru. Sabia que podia contar com você!

— Não fique tão animada. Eu não vou te dar o trabalho pronto, nem te dar cola na prova se é o que está pensando — ele se apressou a dizer — Vou te ajudar a estudar para as provas, para que você aprenda a matéria e possa fazer as provas sozinha.

— O que? — Ino soltou-o imediatamente, indignada com a atitude dele.

— Se quiser passar nas provas, terá que fazer isso com seu próprio esforço. E tem uma condição — Shikamaru acrescentou.

— Que condição? — Ino perguntou, incapaz de manter aquele sorriso forçado no rosto.

— Vamos estudar em outro lugar, fora do colégio. Assim não haverá distrações.

— Por acaso está querendo me levar para sua casa? Como você é apressado — Ino deu uma risada maldosa. Não estava contando com aquilo e também não sabia se valia a pena correr aquele risco.

— É claro que não. Vamos nos encontrar na biblioteca da cidade — Shikamaru corrigiu, parecendo ofendido — E não era isso que eu ia dizer — levantou-se para poder encará-la melhor — Quero ver a verdadeira Ino quando formos estudar juntos.

— Como assim a “verdadeira Ino”?

— Você está sempre coberta por quilos de maquiagem, usando joias, o uniforme estrategicamente curto para destacar as formas do seu corpo… é como se você fosse uma linda boneca que todos desejam. Isso sem falar no modo como você fala e age. Você só diz coisas que as pessoas querem ouvir para conseguir o que quer, e isso me incomoda. Mas eu quero ver o que há por trás disso tudo. Então, quando for me encontrar, vá como você realmente é.

— Mas eu…

— Nada de “mas”. Se quiser minha ajuda, essa é a minha condição. Amanhã é sábado. Se ainda quiser que eu te ajude, me encontre na biblioteca da cidade amanhã de manhã.




~~~~~X~~~~~X~~~~~




Na manhã seguinte, Shikamaru passou cerca de uma hora revisando sozinho a matéria de química. Quando começou a ficar com sono, olhou para o relógio de pulso. Dez da manhã.

— É, acho que ela não vem.

— Quem não vem?

Uma garota loira de cabelos soltos e compridos estava parada diante dele. Usava um vestido azul simples, de mangas curtas e sem estampas. As sandálias tinham salto baixo, combinando com a roupa. Carregava uma sacola cheia de livros.

— Lamento o atraso. É difícil… não me arrumar — Ino sentou-se diante dele. Sentia-se no mínimo desconfortável. Para ela, ficar sem usar joias e maquiagem era como ficar nua. Mas essa foi a condição de Shikamaru, e como não era nada excêntrico, acabou aceitando, embora achasse um tanto incomum. Pegou o vestido mais simples que tinha e que ainda cabia nela para ir estudar com ele, para que não houvesse a possibilidade do garoto reclamar que ela tinha se arrumado usando uma roupa bonita. Apenas torcia para que todo aquele sacrifício valesse a pena.

— Olha só, você está bonita — Shikamaru a encarou, os olhos levemente arregalados — Está bastante diferente.

— Não precisa tentar me animar — ela resmungou.

— Estou falando sério

E estava mesmo. Nem parecia a mesma garota metida que via todos os dias na escola. Estava com um ar mais natural. Shikamaru finalmente podia ver sua verdadeira beleza. E era grande, quase pura, se não fosse por aquela personalidade difícil, é claro. Ino ficava muito mais bonita do jeito que realmente era do que com toda aquela maquiagem escondendo a beleza original com a qual já tinha nascido.

— Você fica bem melhor assim, Ino. Aquele batom forte que você usa, e todo aquele… sei lá o nome daquilo que você passa no rosto… eles escondem a sua verdadeira beleza.

Shikamaru a viu corar com o comentário, corar de verdade. Sabia disso, pois a garota não estava usando maquiagem agora para disfarçar o embaraço que sentiu com o comentário.

—Bem… é bom saber que sou bonita mesmo sem maquiagem — ela tentou disfarçar o constrangimento, cruzando os braços — Mas não ouse espalhar isso pela escola, ouviu? — ela praticamente ordenou — E então? Viemos aqui para estudar ou para você tirar sarro de mim?

Shikamaru conteve uma risada e abriu o livro de química na página com a matéria que iria cair na prova. Era muita matéria para aprender em tão pouco tempo. Mas, surpreendentemente, Shikamaru explicava o conteúdo muito melhor do que o professor. Ele detalhava melhor o assunto, fazia com que as coisas parecessem mais fáceis. Ino fez anotações em seu próprio livro e em seu caderno conforme ele ia explicando as coisas. Também fez alguns exercícios que o garoto passou depois de explicar a matéria. E refez os mesmos exercícios várias vezes, já que teve dificuldade com alguns. De tarde, começaram a estudar física, que parecia ser menos difícil. Ino fez novas anotações e errou menos exercícios do que na parte da manhã. Só pararam de revisar a matéria quando uma funcionária da biblioteca foi falar com eles, informando que estava na hora de fechar. Havia anoitecido sem que eles percebessem.

— Caramba, já são seis horas — Shikamaru falou assim que deixaram a biblioteca — Não acredito que passamos o dia inteiro aqui. Eu preciso ir para casa.

— O que foi? Vai levar bronca da sua mãe se não voltar logo? — Ino zombou.

— Pior que vou — ele confirmou, fazendo a garota rir.

— Já que vai levar bronca de qualquer jeito, que tal vir até um lugar comigo primeiro? — Ino chamou e, sem esperar por uma resposta, puxou o garoto pela mão. Andaram até o final da rua, onde havia uma barraca de sorvete.

— Sorvete a essa hora? Sério?

— E por que não? — ela se aproximou do vendedor — Qual sabor você gosta?

— Pode deixar que eu pago o meu.

Shikamaru comprou uma casquinha de chocolate e Ino de morango. Os dois se sentaram em um banco da praça a poucos metros dali.

— Parece uma barraca de sorvete simples, eu sei. Mas esse é o melhor sorvete da cidade — Ino comentou enquanto saboreava o seu.

— Que engraçado ouvir isso logo de você — Shikamaru comentou, abocanhando o sorvete também — Pensei que a famosa Yamanaka Ino gostaria de ir até uma sorveteria luxuosa ou alguma coisa assim.

— Hoje eu sou uma garota comum, não é? — Ino lembrou.

Ela realmente fazia isso. Frequentava lugares caros e chiques quando saía em algum encontro. Ainda que adorasse o sorvete daquela humilde barraquinha, jamais comeria o sorvete de lá enquanto estivesse em um encontro com algum dos garotos mais cobiçados do colégio. Isso acabaria com sua reputação!

Mas hoje estava desfrutando daquele delicioso sorvete com um colega de classe com quem mal falava. E que não a estava julgando por isso. É engraçado como o mundo dá voltas.

— Você tem razão. Esse sorvete é bom mesmo.

— Me deixe provar o de chocolate.

Ino inclinou-se para provar o sorvete do garoto ao mesmo tempo em que Shikamaru abocanhava o próprio sorvete. Seus lábios se encostaram, bem de leve, mas foi o suficiente para deixar ambos embaraçados.

— Eu… acho que já vou andando — Ino recuou, colocando-se de pé — Obrigada pela ajuda com a matéria — ela se afastou a passos rápidos, a boca suja de sorvete de chocolate.




~~~~~X~~~~~X~~~~~




As provas correram sem grandes problemas. Isto é, lógico que todos os alunos estavam nervosos. Alguns ficaram até com falta de ar e passaram mal. Mas o resultado foi satisfatório, pelo menos para alguns. Só para alguns mesmo, porque pelo menos metade da classe ficou abaixo da média de novo. Sakura passou raspando, assim como Hinata, que conseguiu seu encontro com Naruto. Ino tirou 7,5. Ela esperava uma nota melhor, mas, considerando que a média era 5,0 e no bimestre passado ela tirou 2,0 a garota não tinha do que reclamar. Shikamaru, como sempre, foi o único a tirar nota máxima.

— Como você faz isso? — Chouji perguntou durante o intervalo do almoço. Ele e Shikamaru estavam sentados na grama do pátio novamente, o garoto se enchendo de batatinhas enquanto o amigo permanecia deitado debaixo da sombra de uma árvore.

— Como eu faço o que?

— Tirar nota máxima, é claro! Você foi o único que conseguiu acertar todas as questões das provas. Como você consegue? — Chouji olhou para os lados e falou baixinho — Por acaso você colou?

— Claro que não! É só você estudar — Shikamaru respondeu ofendido.

— Não importa o quanto eu estude, nunca vou conseguir tirar nota máxima que nem você. Tive sorte nesse bimestre, passei raspando — ele devorou outra batatinha — Falando nisso, a Ino também tirou uma nota bem melhor do que de costume, você reparou?

— É claro que reparei. Depois de tudo que passamos, ela tinha obrigação de passar nas provas.

— Como assim? Você a ajudou a estudar? — Chouji perguntou e Shikamaru percebeu que tinha falado demais. Não queria que ninguém soubesse que eles tinham estudado juntos. Explicar aquilo seria complicado para ele e para ela — Shikamaru… por acaso vocês estão saindo?

— É claro que não!

Isso realmente passou por sua cabeça por um breve instante. Ele teve um dia agradável com a “verdadeira Ino”, precisava admitir. No entanto, assim que voltaram para a escola, a garota voltou a ser a Ino de sempre. Cheia de joias, o rosto coberto de maquiagem, uniforme apertado realçando suas curvas… e nem sequer falou com ele. É claro que não falou, por que ela falaria com Shikamaru? Já tinha atingido seu objetivo, não havia mais motivo para a garota falar com ele. O sábado que passaram juntos foi uma exceção que ela abriu apenas para cumprir a condição que ele impôs para que ela conseguisse o que queria. E, uma vez que já tinha conseguido, a garota voltou a ser a Ino que ele via em sua rotina diária. Aquela garota que tanto o incomodava. E que tanto chamava sua atenção.

— Sei… falando nela — Chouji comentou e Shikamaru ergueu os olhos apenas para ver Ino se aproximando deles — Minhas batatinhas acabaram. Eu vou comprar mais — ele levantou-se e se afastou cantarolando.

— O que você quer?

— Vim agradecer sua ajuda — Ino respondeu, sentando-se ao lado dele — Se não fosse por você eu não teria conseguido passar nas provas.

— É, provavelmente não teria conseguido mesmo — Shikamaru concordou — Que bom que deu tudo certo.

— Por que está falando assim comigo?

— Por que você me ignorou a semana inteira? Porque voltou a ser a Ino de sempre, coberta com quilos de maquiagem e com esse uniforme apertado? — Shikamaru devolveu a pergunta.

— O que isso tem a ver?

— Tem a ver que foi com essa “estratégia” que você tentou me convencer a te ajudar.

— É, mas não funcionou — Ino lembrou — Você me pediu para ver a “verdadeira Ino”, e já viu. Agora posso voltar a me vestir como eu quiser e usar as joias que eu quiser.

— Para poder conquistar o cara que você quiser, não é?

Era isso. Finalmente Shikamaru entendeu o que tanto o incomodava naquela garota. Ino era naturalmente bonita, e ele não gostava de como ela forçava tanto aquela beleza artificial. Sabia que garotas usavam maquiagem, é claro, embora a maioria não tanto quanto Ino. Mas não era isso que o incomodava. Era o modo como Ino agia. O jeito dela falar e o efeito que isso causava nas pessoas ao seu redor. Principalmente nos homens. Ino se aproveitava de sua beleza para sair com quem ela quisesse, quando ela quisesse, e terminava com os rapazes quando lhe desse vontade, e nem sequer percebia o tamanho das consequências que causava para as pessoas ao seu redor ao fazer isso.

— Você nunca percebeu, não é? O estrago que fez nas vidas dos caras com quem já saiu e largou do nada quando se cansou deles — Shikamaru perguntou com a voz amarga — Primeiro foi o Sasuke. Tudo bem que o cara é o maior convencido, mas ele não merecia o que você fez. Ele e o Naruto eram melhores amigos, e agora não podem nem se ver que já começam a brigar depois que descobriram que você estava saindo com os dois ao mesmo tempo. O Naruto é meu amigo, mas mal fala comigo depois que aquilo aconteceu, o cara está muito deprimido. E também tem o capitão do Clube de Judô da escola, o Neji… ele ficou furioso quando você o largou simplesmente porque se cansou dele e agora parece que está usando os outros membros do clube como saco de pancadas ao invés de ensiná-los a lutar para extravasar a raiva. Dizem que se continuar assim ele vai perder o posto de capitão. Eu poderia continuar aqui citando um monte de nomes dos caras que você ferrou, mas isso levaria o dia inteiro — ele respirou fundo, recuperando o fôlego. Tinha falado tudo muito rápido — Ino, eu realmente gosto de você. Mas não… “de você” — ele apontou para a garota de cima a baixo — Gosto da verdadeira Ino, que passou o dia comigo na biblioteca. Que conversou comigo, que me deu um sorriso verdadeiro e que me mostrou que coisas simples, como uma barraca de sorvete podem ser maravilhosas. Essa não é você de verdade. E se você quiser continuar vivendo como uma garota fútil e superficial vá em frente. Mas eu não quero ser apenas mais um da sua lista.

Ele deu meia-volta e rumou de volta para o interior do colégio, deixando Ino pasma com a verdade que Shikamaru tinha jogado na sua cara.





~~~~~X~~~~~X~~~~~





— Ele disse mesmo isso? — Sakura perguntou quando Ino lhe contou toda a história durante o segundo intervalo. Estava chocada, mas fazia o possível para manter o tom de voz baixo, pois havia outras pessoas na sala.

—Disse — Ino respondeu, sentada na carteira atrás da dela a cabeça apoiada nos braços, completamente deprimida — Acha que é verdade, Sakura? Acha que sou mesmo uma garota superficial que só gosta de brincar com os homens?

— Bem… — Sakura fez uma pausa, tentando escolher as palavras certas — Não acho que você seja superficial. Quero dizer, nós sempre conversamos sobre todo o tipo de coisas, você é uma ótima amiga. Mas…

— “Mas” o que?

— Ah, Ino, você não pode negar que ela tem uma certa razão — Sakura foi obrigada a falar — Quero dizer, não estou defendendo o Shikamaru, mas não foi muito legal você ter saído com o Naruto e o Sasuke ao mesmo tempo. A amizade deles nunca mais foi a mesma depois disso — “na verdade a amizade deixou de existir”, era o que Sakura queria dizer, mas falar isso seria um golpe muito grande para Ino — E talvez também não tenha sido uma boa ideia você ter terminado com o Gaara sem avisá-lo e começar a namorar o Neji. Quero dizer, geralmente, quando alguém termina o namoro, as duas partes envolvidas precisam ficar sabendo disso, não é? — Ino a olhou com indignação pela amiga estar jogando tudo isso na cara dela de repente e Sakura encolheu os ombros como quem se desculpa — Sinto muito, mas só estou dizendo a verdade. O Gaara teve um ataque de raiva quando soube que você tinha terminado com ele sem avisá-lo, você ficou sabendo? Ele destruiu o canteiro de flores nos fundos da escola e cobriu tudo com areia. E ainda pichou o muro do colégio perto da areia. Se me lembro bem dizia algo como “Se o amor não poderá florescer para mim então nenhuma flor vai nascer neste lugar”… alguma coisa assim.

— Céus, eu sou um monstro, Sakura — Ino baixou a cabeça, escondendo-a entre os braços — É por isso que o Shikamaru não quer mais olhar para a minha cara. Disse que não quer ser apenas mais um nome na lista de caras com quem eu já saí.

— Ei, espera aí — Sakura ajeitou-se na cadeira para encará-la melhor — Você chamou o Shikamaru para sair?

— Estava pensando em fazer isso, mas ele não me deu oportunidade — Ino ergueu a cabeça novamente — Quero dizer, de todos os caras com quem eu já saí, ele foi o único que não me pediu para fazer nada excêntrico. Tudo bem que a condição que ele impôs para me ajudar com os estudos foi inesperada, ele disse que queria ver a “verdadeira eu”. Como eu sou fora da escola, sabe? Sem maquiagem, joias, essas coisas. Mas foi divertido sair com ele. Pude ir a lugares que geralmente não frequento com outros garotos. Lugares mais humildes, porém muito agradáveis, mas que não costumo ir porque não quero estragar minha reputação na escola. Mas o Shikamaru não se importou com isso. Ele não se incomodou em comer sorvete em uma barraquinha comum ao invés de ir a uma sorveteria cara, e… por que você está rindo?!

— Acho que você está apaixonada por ele, Ino — Sakura sentenciou segurando o riso — De verdade.

— Eu não estou apaixonada por aquele nerd!

— Ah, é mesmo? — Sakura ergueu uma sobrancelha — Então como explica tudo o que acabou de dizer? Que você está frustrada com o fato do Shikamaru estar te evitando. Que ele é o único que te aceita como você realmente é. Que ele te fez enxergar todos os erros que cometeu. E principalmente, que ele foi o único a rejeitar a garota mais popular da escola, quando você teoricamente deveria ser irresistível?

— Eu odeio quando você tem razão.





~~~~~X~~~~~X~~~~~





Durante a semana que passou aconteceram muitas mudanças na escola. Naruto e Sasuke pararam de brigar e voltaram a serem amigos. Agora, Naruto estava saindo com Hinata e Sasuke voltou a se dedicar corretamente às tarefas do Conselho Estudantil como não fazia há muito tempo. Neji parou de usar os outros integrantes do Clube de Judô como saco de pancadas e voltou a treiná-los adequadamente. Gaara se tornou o principal voluntário para reconstruir o canteiro de flores que ele mesmo tinha destruído, a começar por retirar a areia dali, e céus, era muita areia.

Mas a mudança mais radical com certeza foi a de Ino. Ela deixou de usar maquiagem exagerada. Também parou de usar várias joias chamativas, agora usava apenas um par de brincos discretos de pérolas. Comprou um uniforme escolar do tamanho certo, que não destacava suas curvas de forma exagerada. É claro que os outros estudantes notaram e comentaram sobre isso durante dias, vários deles vieram perguntar o que aconteceu, mas a garota disse apenas que “se sentia melhor sendo ela mesma”.

E quando chegou sexta-feira, Ino almoçava sozinha no terraço da escola. Isto é, até Shikamaru chegar.

— Ah, então era aqui que você estava se escondendo.

— Você não deveria estar com seu amigo Chouji? — ela perguntou sem desgrudar os olhos do almoço.

— Ele está na fila da cantina. De novo. Aparentemente dois pacotes de batatinhas não são o suficiente para ele — Shikamaru esclareceu. Ele sentou-se ao lado de Ino, embora afastado o suficiente para não invadir seu espaço pessoal — Então, o que houve? Parece que aconteceu uma mudança drástica na escola de repente. Você tem alguma coisa a ver com isso, não tem?

— Você tinha razão. Eu prejudiquei a vida de muita gente sem nem perceber — Ino deixou a marmita de lado, perdendo o apetite — Pedi desculpas a todos os garotos com quem já saí e magoei. Parece que as vidas deles estão voltando ao normal aos poucos.

— Puxa, isso deve ter levado um bom tempo.

— Levou mesmo — Ino riu sem graça — Mas me sinto aliviada que tenha funcionado — ela virou-se para encará-lo — Obrigada, Shikamaru. Por me mostrar que eu estava errada. Se não fosse por você eu continuaria repetindo os mesmos erros de novo e de novo, sem nunca perceber o que estava fazendo.

— Ei, você é uma garota esperta. Tenho certeza de que iria perceber mais cedo ou mais tarde. Só avisei para que fosse mais cedo — ele respondeu — A propósito… desculpa pelojeito como falei com você naquele dia. Eu não queria te magoar nem nada.

— Você estava certo, não precisa se desculpar.

— Certo… — o olhar dele recaiu sobre a garota. Ino realmente ficava mais bonita assim, do seu jeito natural, ao invés de quando usava aquela maquiagem pesada. Sua personalidade parecia mais doce também, e mais verdadeira. Os cabelos loiros e a pele alva fazia com que ela parecesse um anjo — Ino… não sei por que você mudou o visual, mas você realmente fica mais bonita assim. Do jeito que realmente é ao invés de se enfeitar como uma boneca.

— Eu mudei por sua causa — ela contou — Você tinha razão sobre isso também. Sabe, eu me produzia daquele jeito para atrair a atenção dos outros garotos. Mas, depois que você me mostrou o estrago que eu estava fazendo na vida deles, percebi a pessoa horrível que estava sendo. Se continuasse, não adiantaria nada continuar usando aquele visual, eu apenas continuaria saindo com outros caras e repetindo os mesmos erros — ela explicou — Estou cansada. Cansada de fingir ser alguém que não sou. Cansada de não poder frequentar lugares humildes, porém divertidos para não comprometer minha reputação. Então, se alguém dessa escola quiser ficar comigo, terá que me aceitar como eu realmente sou.

— Já tem alguém que te aceita como você realmente é.

Shikamaru a segurou pelo rosto, aproximando a garota de si, e selou seus lábios. Ele os movia devagar, como se temesse que a garota fosse recuar a qualquer momento, mas Ino não o fez. Ela apoiou uma das mãos em seu ombro enquanto sentia a outra mão do rapaz deslizar por suas costas, puxando-a para mais perto.

Ino sentia o coração disparar, o rosto queimando conforme Shikamaru aprofundava o beijo. Aquilo era tão estranho… ela já teve vários namorados, então por que estava se sentindo assim? Parecia até que aquele era o seu primeiro beijo. Bom, talvez fosse de certa forma. Ino era a garota mais popular da escola inteira, e sempre saía com os garotos mais populares de determinadas classes. Mas este não era o caso aqui. Estava beijando um garoto por quem tinha se apaixonado de verdade pela primeira vez. Por isso seu rosto queimava como se estivesse em brasas quando ele intensificou o beijo. Por isso seu coração disparava quando sentia Shikamaru aproximar seus corpos.

Infelizmente ou não, Shikamaru não era tão experiente no assunto quanto ela, então logo sentiu falta de ar e precisou encerrar o beijo.

— Olha só, não sabia que você podia ficar vermelha — ele zombou assim que recuperou oxigênio o suficiente para falar.

— E você perde o fôlego com muita facilidade — ela devolveu a provocação.

— Foi mal, não sou tão experiente no assunto quanto você — Shikamaru ergueu as mãos como quem se desculpa — Na verdade nem um pouco experiente.

— Então eu sou a sua primeira namorada? — Ino ergueu uma sobrancelha.

— Se estivermos namorando, sim — ele admitiu — Espera, eu é quem devia te pedir em namoro.

— Ah, isso é o de menos — Ino revirou os olhos — Vamos apenas concordar que estamos namorando e pronto.

— Que garota complicada que você é — Shikamaru massageou as têmporas com os dedos — Certo, então que tal sairmos hoje à noite? Aonde você quer ir?

— Vamos repetir aquele sorvete — ela não sugeriu, praticamente decidiu isso sozinha.

Quando o sinal tocou anunciando o fim do intervalo, Ino o puxou pela mão, arrastando-o de volta para a sala de aula. Shikamaru lembrava-se de como seus lábios tinham se encostado acidentalmente quando ela abocanhou um pedaço do sorvete dele sem pedir. Não sabia se podia chamar aquilo de beijo, mas não importava mais. O soverte de lá era realmente bom, e a ideia de voltar até lá com Ino era melhor ainda. A garota estava alegre de novo e, ao que parece, aquela personalidade forte era uma característica verdadeira dela. Céus, o amor era mesmo complicado… mas o que não é complicado na vida? Ino tinha perdido o medo de mostrar quem ela realmente era, uma garota linda sem precisar se enfeitar, divertida e alegre, sem toda aquela fachada para conseguir o que quer. E valia a pena enfrentar qualquer complicação para ficar com a verdadeira Ino de quem Shikamaru tanto gostava.




_______________________


Notas Finais:

História postada também no Nyah! Fanfiction e no Spirit.

2 de Dezembro de 2019 às 19:32 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Mais histórias

Banshee Banshee
Tell me a secret Tell me a secret
Poções Poções