raquelterezani Raquel Terezani

Às vésperas de completar 36 anos, recebe uma carta de sua avó Cassandra que, quando estava viva, afirmava ser uma bruxa, nunca sendo levada a sério. Regina agora tem em mãos uma poção para viajar no tempo. Ela se recorda imediatamente de seus dezessete anos. Naquele tempo alguns incidentes tristes com pessoas próximas ainda não haviam acontecido e suas únicas preocupações eram estudar e admirar seu crush na hora do intervalo. Aquele presente desperta nostalgia e curiosidade, fazendo Regina concretizar o feitiço e redescobrir detalhes e sentimentos que ela já nem se lembrava mais.


Ficção adolescente Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#amor #adolescente #crush #familia #cliche #viagemnotempo #bruxa #feitiço #dezessete #trintaanos
9
4.4mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Dedicatória

Para as Minhas Four (que comigo são Five, rs).

E para as Primas Paiva.

O tempo nos uniu ainda mais.

2 de Dezembro de 2019 às 09:42 2 Denunciar Insira 3
Leia o próximo capítulo Capítulo 1 – Afortunadamente

Comentar algo

Publique!
Amanda Luna De Carvalho Amanda Luna De Carvalho
Olá, tudo bem? Faço parte do Sistema de Verificação e venho lhe parabenizar pela Verificação da sua história. Gostei de sua história pelo fato de ter percebido alguns pontos bem interessantes e similares com uma pessoa com quem vivi no passado. Por exemplo, o fato de existir uma personagem com meu nome, mas acho que não temos muito em comum porque essa Amanda bebe e eu odeio bebida alcoólica, além de eu ser branca como neve e ter cabelos castanhos arruivados. Tive uma colega apelidada de Babi e com quem não mantenho contato mais (Graças a Deus) porque essa Barbara era muito prepotente. A coerência me parece adequada pois não notei nada muito confuso em frases ou diálogos. A estrutura me parece apropriada também pois tudo se assemelha estar bem ligado aos fatos que Regina começou a reviver, uma vez que está na adolescência outra vez. O cenário de antes e depois da personagem até me faz imaginar que estou viajando no tempo também. Quem não gostaria de voltar ao passado, né? Posso até imaginar que estou no lugar da Regina e retornei à adolescência novamente. Acho que livros sobre viagem no tempo sempre despertarão interesse no público em geral. A gramática está ótima no contexto geral, mas apontarei alguns deslizes como: interjeições sem vírgula antes do vocativo. "Oi tio. — Regina cumprimentou Roberto e logo em seguida Clarinha correu para subir no colo dele" — Seria indicado colocar uma vírgula depois da interjeição Oi. "Vai vô Cido! — Brigite imitou a neta e o homem obedeceu, rindo e sentando-se à mesa com eles" — Seria indicado colocar uma vírgula depois de Vai, já que se trata do mesmo caso mencionado acima. Comumente essas regrinhas de português são gerais para ocorrências assim e simples para se recordar depois. Espero ter sido útil ao citar isso. A história em si está excelente, ainda mais por se tratar de um dos temas mais atraentes em livros, como voltar ao passado. Congratulações pelo tópico escolhido. E eu fiquei muito gratificada com aquilo que li realmente. Incentivo a continuar escrevendo questões desse tipo, já que muitas pessoas gostam de obras assim. Até mais!

~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 24 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Mais histórias

Pompéia Pompéia
Nem eu imaginava Nem eu imaginava
O Cavalo Domado O Cavalo Domado