jace_beleren Lucas Vitoriano

Lethie estava desanimada após sua reprovação no teste para se tornar maga de jade. Ela queria apenas distrair-se e aproveitar sua tristeza, mas um garoto animado, Relk, a convida para participar de uma missão aparentemente simples: destruir alguns goblins. Hesitante, porém necessitando do dinheiro, a garota aceita.


Aventura Para maiores de 18 apenas.

#violência #aventura #goblins #magia #ação
0
3.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 1

NOTA DO AUTOR: Esta história foi baseada no primeiro episódio do anime "goblin slayer", podendo até mesmo ser entendida como pertencente ao mesmo universo, embora seja uma história original.


*****

Lethie olhava reflexiva e um tanto desanimada para o copo de rum doce a sua frente. Ela queria beber um pouco de vinho para extravasar, mas como era menor de idade tinha que ser contentar com rum doce que era uma mistura de suco de cogumelos e muito mel, ou pelo menos era o que o dono da taverna havia falado.

Ela não era do tipo de pessoa a ficar de baixo astral, muito pelo contrario, era sempre muito positiva e procurava ver o lado bom das coisas. Tinha dezessete anos e possuía longos cabelos azuis que estavam presos em uma trança. Vestia uma roupa longa cinza escura com uma capa verde-musgo, o uniforme padrão dos estudantes a magos de jade. O problema era exatamente esse: ela era apenas uma estudante.

Depois de quatro longos anos estudando na academia dos magos Lethie fora reprovada no teste final que a qualificaria como uma verdadeira maga de jade. O mais frustrante é que ela havia feito quase tudo certo. Conseguira realizar o manto de luz com perfeição, assim como os projeteis luminescentes e a barreira hexagonal. Porem fora no último feitiço que falhara miseravelmente, a tempestade luminosa.

A tempestade luminosa é o feitiço mais difícil dentre os exigidos para a aprovação e é nele que a maioria dos estudantes são eliminados. O irônico porem era que Lethie havia falhado, mas não pelo motivo convencional. Esse feitiço exige uma grande quantidade de energia e controle da mesma. Consiste no mago lançar uma rajada de energia em todas as direções tendo seu corpo como centro da explosão. Lethie tinha a energia necessária para o feitiço (conseguia inclusive realizar feitiços mais avançados), ela também sabia controlar seu poder. O problema da maga era deixar esse poder fluir livremente e... explodir. Os magos de jade normalmente moldam a energia em formas solidas como prismas ou armas de energia. Claro, o manto de luz era uma exceção, mas para faze-lo bastava manter a energia colada ao corpo e isso alguém com um ano de estudo na academia já conseguia fazer.

O que Lethie não conseguia fazer na tempestade luminosa era deixar sua energia em uma forma mais fluida e livre espalhando-a pelo ambiente, pois para isso a energia deveria assumir uma forma mais flexível como água ou ar.

E foi assim que ela falhara miseravelmente no teste. A tempestade luminosa, que é semelhante a uma grande explosão de luz esverdeada, simplesmente não explodiu. Toda a energia magica apenas se projetou a um metro de distância do corpo de Lethie e depois voltou para ele, como se atraída por uma força magnética.

E assim ela havia falhado e saído vergonhosamente da academia. Lethie não tinha dinheiro para pagar a taxa para refazer o teste e precisou abandonar os estudos sem ter se graduado como maga de jade. Ela havia viajado durante dois dias até chegar na cidade aonde estava (a qual ela já havia esquecido o nome) e afogava sua frustração no rum doce.

Ainda era cedo e haviam algumas outras pessoas na taverna. Além do dono do local e duas garçonetes Lethie havia visto um grupo de aventureiros em uma mesa e duas clérigas em outra. Ela bebeu mais um gole de sua bebida, o sabor era um tanto forte o que a deixava um pouco tonta, mas mesmo assim ela insistia em beber.

- Moça, você é uma maga de jade não é?

Ela virou o rosto e viu um garoto mais ou menos de sua idade. Ele tinha cabelos castanhos curtos e portava uma espada longa na cintura. Tinha luvas de couro e olhos azuis cheios de energia. Lethie sentiu uma facada no coração ao ouvir aquela pergunta. Já não bastava ser reprovada no teste, as pessoas ainda tinham que confundi-la com uma maga graduada?

- Hmmm... – ela não sabia o que responder, bom, na verdade sabia só não queria dizer em voz alta o que tanto a desanimava.

- Eu reconheci pela roupa – disse o garoto admirando-a. Lethie concluiu que ele com certeza devia ter confundido o traje de estudante a maga de jade com o dos verdadeiros magos de jade. Ela abriu a boca para corrigi-lo, mas o garoto foi mais rápido – eu tentei ser mago uma vez sabe? Não da ordem dos magos de jade. Essa magia de vocês é muito glamarosa para o meu gosto! – ele riu animado com certeza achando que havia dito uma piada muito engraçada.

Sem saber o que responder Lethie apenas sorriu educadamente e esperou que o garoto a deixasse em paz. Ela não queria ser rude com ele, só não estava a fim de conversar no momento. O garoto parou de rir e pareceu ficar muito sem jeito. Ele desviou o olhar e falou um pouco embaraçado.

- Bem, desculpe por vir aqui e começar a falar com você do nada. Nem me apresentei ainda, me chamo Relk – ele de um tapinha em sua espada e completou, como se precisasse dizer algo tão obvio em voz alta – sou um espadachim!

- Me chamo Lethiebell, mas todos me chamam de Lethie – ela ofereceu a mão e ele a apertou com um sorriso no rosto.

- Então eu sei que é um pouco inusitado o que vou pedir mas... você participa de alguma guilda? Eu me registrei hoje em uma – para provar o que dizia Relk mostrou a pequena medalha de ferro que o identificava como um membro de guilda. Ele parecia adorar provar o que dizia seja mostrando espadas ou medalhas. Lethie o achou um tanto infantil.

As guildas eram muito comuns, consistiam em organizações aonde qualquer mago ou guerreiro poderia entrar. Elas recebiam pedidos de inúmeras pessoas, normalmente referentes a eliminação de monstros ou para escoltar viajantes ou recuperar algum item especifico. Lethie planejava entrar em uma guilda, mas isso seria só depois de se formar como maga de jade.

- Ah... parabéns Relk – disse Lethie perguntando-se se era isso que ele queria ouvir – já completou alguma missão?

O garoto sorriu sem jeito.

- Bem... é por isso que vim falar com você Lethie. Aceitei uma missão hoje, algo sobre eliminar um grupo de goblins em uma caverna ao sul. Eu achei que ia ser moleza, afinal são goblins não é mesmo? mas depois que aceitei acabei sabendo que um grupo de quatro pessoas aceitou a mesma missão ontem e até agora não voltaram – ele fez uma pausa e suspirou desanimado - então eu... bem... comecei a pensar que ir sozinho não seria uma... uma boa ideia sabe?

Lethie ficou surpresa ao ouvir aquilo. Ok, todo mundo sabe que goblins não são lá grande coisa, mas ir sozinho em uma missão, em sua primeira missão, é estupidez. Individualmente goblins não são fortes, eles são pequenos e utilizam armas arcaicas. Para compensar isso porem andam sempre em grupo e aproveitam-se de emboscadas e da vantagem da escuridão visto que podem enxergar perfeitamente no escuro. Normalmente se limitam a saquear, matar os homens e capturar as mulheres para as estuprarem. São certamente muito perigosos embora, diante de todos os perigos do mundo, eles estão certamente entre uma das ameaças mais baixas.

- Quer que eu vá com você... olha eu não sei se quero entrar para uma guilda...

- Não precisa entrar se não quiser! – retrucou ele rapidamente antes que Lethie pudesse terminar sua fala – você pode me ajudar extra-oficialmente, mas não se preocupe é claro que eu dividirei o dinheiro da recompensa com você!

Aquilo soou tentador para ela. Lethie já estava sem dinheiro e por isso teve que abandonar seus estudos na academia. Se conseguisse um pouco de dinheiro poderia realizar o teste novamente. Só esse pensamento foi o suficiente para arrancar um sorriso do rosto da garota.

- Eu aceito Relk – disse levantando-se e abandonando seu copo de rum doce – quando partimos?

- Tudo bem para você se for agora?

- Por mim está ótimo.

E assim Lethie embarcou naquela missão com um desconhecido. Ela só esperava que Relk tivesse a metade da habilidade em espada do que achava que tinha. Ela porem disse a si mesma que tudo ficaria bem. Caso algo desse errado ela precisava apenas fugir certo?

Ela esperava que sim, embora uma voz dentro de si dizia que aquela missão era uma péssima ideia. Infelizmente a voz de Relk tagarelando animado era bem mais audível. Os dois saíram da taverna juntos rumo a sua primeira missão.

23 de Novembro de 2019 às 15:51 0 Denunciar Insira 2
Leia o próximo capítulo Capítulo 2

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!