akira-sam2702 Akira Sam

Sasuke precisa fugir de um pai abusivo e perigoso e acaba indo de encontro ao irmão mais velho na Coreia do Sul, lá além do irmão ele conhece um belo médico chamado Naruto que esconde um segredo e pode lhe salvar de todos os seus medos.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#fantasia #yaoi #romance #aventura #menma #itachi #sasuke #naruto
5
1.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Primeiro.

Mundos opostos.

Sinopse Sasuke é um gênio, embora tenha perdido as lembranças de sua infância num terrível acidente que vitimou sua mãe e fez seu pai mandar o irmão mais velho embora, ainda luta para ser feliz, mas seu pai é um homem intolerante, exigente demais e completamente louco, fugir dele é tudo que o jovem deseja, mas ele encontrará bem mais que isso...

Aviso Legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história não me pertencem, são de propriedade de seus respectivos autores e criadores.
1 - Primeiro contato, olhos azuis. 2 - Naruto e Sasuke. 3 - Medo de tempestade. 4 - Beijo roubado. 5 - Beijo roubado, esse beijo vem ou não vem? 6 - No mundo mágico. 7 - Gatinho quer carinho. 8 - Minha calça! Malditas fÃs enlouquecidas... 9 - Gatinho manhoso. 10 - Mais um gatinho? 11 - Gatinhos manhosos no mundo mágico. 12 - Novidades chocantes. 13 - Confusões e pequenas encrencas. 14 - Akira. 15 - Descomplica baby. 16 - A armadilha e o romance. 17 - Amor, castigo e rosquinhas. 18 - Tranquilidade. 19 - Lobo solitário. 20 - Um dia de primavera...

1. Primeiro contato, olhos azuis.

Notas do Autor
"Olá, como prometido estou lançando uma nova fanfic, essa pretendo escrever mais lentamente, espero que gostem, começa em nosso mundo e em nosso tempo, mas viaja para um outro universo, onde os seres são um pouco diferentes, fiz uma enquete e ganhou NaruSasu, então teremos Sasuke Uke, lindo e fofo, e Naruto sendo ele mesmo, teimoso, difícil e lindo.
Espero que curtam magia, teremos um pouco, tirei algumas coisas do mangá Kamisama onegai e outras de Naruto mesmo. "


O quarto estava na penumbra, apenas um fino raio de sol invadia aquele espaço silencioso naquela madrugada muito fria da cidade de Osaka no Japão e o garoto que tentava em vão dormir estava encolhido como uma bolinha entre os edredons fofos de sua cama, mas tudo o distraía, o contorno pesado da cortina que impedia os raios frios e leves do sol, as sombras disformes no chão perto de sua cama, que pertenciam aos seus tênis caros e largados ali de qualquer jeito, e até mesmo um montinho de roupas que naquela semi escuridão se parecia muito com um monstro prestes a saltar em cima dele e o atacar. O despertador tocou sua música e ele se sentou sonolento, a cabeça pesada ainda pela falta de sono, uma leve porém insistente dor de cabeça se formando, talvez isso fosse pelo fato de que não havia comido nada na noite anterior e nem no dia inteiro também e que uma leve vertigem agora o ameaçava, mesmo assim sabia que precisava se levantar, se colocou em pé e arrastou-se até o banheiro acendendo a luz, entrou e tirou a roupa toda, tremendo de frio e logo ligou o chuveiro quente se metendo embaixo dele e suspirando de contentamento, ficou um pouco ali, deixando a água quente lavar toda a tensão e então saiu e se enrolou na toalha, seguiu ao quarto, acendeu a luz dali também e procurou seu uniforme, embora fosse apenas um garoto de dezessete anos já cursava uma das melhores e mais respeitadas universidades do país, no primeiro ano de arquitetura e urbanismo, por ser um aluno considerado um gênio pela maioria conseguiu entrar mais cedo e a rotina um tanto estafante da faculdade não o incomodava em nada, mas as cobranças de seu pai sim, essas o estavam matando aos poucos, isso e sua violência gratuita e terrível. Sasuke passou a mão lentamente na cintura, onde um hematoma estava ficando esverdeado, ainda estava dolorido, mas já estava melhor, suspirou e se trocou rapidamente, não suportava se olhar no espelho, se sentia inferior, feio, pequeno, o oposto de seu pai, imponente, forte e viril. Com a cabeça doendo mais forte decidiu descer, ainda era bem cedo, com sorte só encontraria os empregados pela casa e poderia comer algo em paz antes de tomar um analgésico para a dor que piorava a cada segundo, desceu as escadas em silencio e adentrou a enorme cozinha, encontrando Izzi lavando louças.

-Bom dia menino, dormiu bem? Sasuke sorriu e se sentou cansado, aceitando a xícara de café fumegante que ela lhe ofereceu e também alguns biscoitos ainda quentinhos, recém-saídos do forno.

-Pelo visto a discussão de ontem foi ruim não é? Deveria não se abalar tanto, e tentar dormir mais meu querido, suas aulas são puxadas e já são muito para você nessa idade, não se cobre tanto. Ela falou e afagou seus cabelos gentilmente.

-Izzi, quando Itachi era pequeno, ele...Digo, o senhor Fugaku era igual?

-Não...Eram tempos felizes pequeno, realmente felizes, pena que não lembra... Sasuke concordou, não se lembrava de nada de sua infância, quando o acidente que vitimou sua mãe ocorreu ele com então dez anos foi jogado pela janela do carro em alta velocidade e acabou perdendo muito sangue devido a vários ferimentos, um deles na cabeça, por sorte isso não afetou seu raciocínio lógico e nem sua inteligência, mas apagou suas memórias completamente, não que tenha se esquecido de Itachi, dele não, mas não eram lembranças, era algo mais visceral, mas inteiro que somente lembranças, era o cheiro dele em sua pele, o carinho de irmão, o sorriso sempre sincero e a saudade tão presente que sempre doía muito. Foi depois deste acidente trágico que Fugaku mandou Itachi para um colégio interno e depois de lá para uma faculdade da Coréia do sul e então finalmente o irmão foi viver em outra cidade e sumiu por um ano todo, até que um dia apareceu na saída do colégio e presenteou o irmão caçula com um celular e assim eles se falavam. Sasuke sorriu com a lembrança tão viva em sua memória, aliás lembranças recentes eram agora mais vivas, talvez por serem únicas.

-Sasuke... -Por onde andou Itachi!

-Fazendo minha vida, mas não posso seguir com ela sem você, e eu prometi a mamãe sempre cuidar de você, tome esse celular, é nosso segredo, Fugaku não pode saber dele, nunca.

-Podemos nos falar todos os dias, ele sempre terá créditos e quando se sentir acuado ou com medo me ligue...Se algo ruim acontecer me chame, nem que eu mova céus e terra eu venho te pegar, juro! Sasuke sorriu.

-Que foi? No que está pensando menino?

-Nada Izzi, nada...Pode me fazer um lanchinho? Não gosto da comida da faculdade.

-Ah menino...Notei que emagreceu muito, precisa comer melhor, passa o dia todo na faculdade e a noite estuda até tarde, esquece de comer, esquece de sair, você tem uma vida além dos estudos. Mas Sasuke sabia que era mentira, ele não tinha uma vida, apenas obedecia o pai, ou apanhava, as coisas eram assim desde que sua mãe morreu e seu irmão foi mandado embora, ele e Fugaku naquela mansão solitária e assustadora dia e noite...Noite e dia... Terminou de pensar e se levantou, pegou o lanche e enfiou na mochila, ia subir para tomar o analgésico quando sentiu um calafrio ao ver o pai vindo em sua direção, ele fez apenas um mínimo sinal de cabeça para que o filho entrasse em seu escritório, o que era estranho dado a hora, mas ele mais do que depressa obedeceu, entrou e fechou a porta, ficando parado em frente a escrivaninha de carvalho, onde o homem estava, o garoto olhava o chão, as mãos estavam nas costas, dedos entrelaçados, nervoso e quieto, esperou pacientemente o pai ascender o charuto e tragar, para depois soltar a fumaça em sua direção, sabendo que isso lhe causava náuseas. -Ontem recebi uma proposta interessante de meu sócio Madara...Falou e analisou as expressões do filho, notando o leve estremecimento que o nome causava no jovem.

-Sabe que os negócios não andam muito bem não é? As ações caindo, a empresa da China ainda em fase de implantação e da Coréia em adaptação, precisamos nos focar aqui mesmo, no Japão, as exportações ainda não se estabilizaram, compreenda que não queria, mas o que fiz foi absolutamente necessário. Sasuke não entendia onde o pai iria chegar, mas não estava gostando nada, Madara era um homem cruel, que sempre que possível tentava uma aproximação mais íntima do menor, sempre o cercando e o apavorando, ele o odiava.

-Mas com a proposta dele sairemos do vermelho e teremos capital para investir mais aqui, espero um aquecimento do mercado para o próximo semestre então creio que será um bom negócio, desde de que você o satisfaça é claro. Falou Fugaku com naturalidade, como quem informa o preço do leite.

-Senhor? Eu não entendi. Respondeu Sasuke nervoso.

-Você já é bem grandinho para entender, ele o quer na cama com ele, uma troca, você dorme com ele e eu recebo a ajuda financeira que preciso, é simples. Sasuke deu dois passos para longe do seu pai, como assim?

-O senhor ficou louco, não farei isso! E-eu tenho medo dele! Sabe disso! Falou alto, se arrependendo depois, pois num salto o homem já estava na sua frente, as mãos em punhos.

-Está me desafiando seu merdinha? Perguntou e socou sua barriga, o deixando sem ar, ele mal caiu no chão e os chutes vieram certeiros em suas costelas, ele gritou, como das outras vezes, mesmo sabendo que ninguém viria socorre-lo, mas desta vez era pior, dez vezes pior, ele o chutava e xingava, chutava de novo e de novo.

-Pai! Pare por favor! Gritou Sasuke tentando se encolher, chorando aos soluços. O homem parou e arrumou os cabelos, ergueu o filho pela camisa amarrotada e o fez encara-lo, limpando o sangue de sua boca com as costas das mãos.

-Sexta-feira a noite ele vem te buscar, cuide desses machucados, ele não quer marca alguma em você, ele mesmo fará as dele, obedeça o homem, isso é uma ordem! Fugaku o jogou longe e ele caiu ainda chorando, o homem saiu e ele tentou levantar, mas não conseguiu, logo a porta abriu e Izzi veio correndo, chorando muito, o pegou e ajudou a levantar, o arrastando para o quarto.

-Sasuke, o que ouve? Isso é mais sério que antes, precisa ir ao médico. Mas o menino apenas a abraçou e chorou, chorou muito antes de finalmente a soltar.

-Izzi, eu sempre vou amar você, como se fosse minha mãe...Vá embora dessa casa maldita, não olhe para traz, fuja, desapareça, esse homem não é meu pai, ele é um demônio...

-E se chamar a polícia? Assistentes sociais? Ela perguntou nervosa. Sasuke puxou a camisa que usava e tocou uma cicatriz na barriga, onde alguns pontos foram dados as pressas.

-Este aqui foi quando eu chamei a polícia, passei uma semana de cama...Não, isso é inútil, ele sempre ganha, mas não desta vez...Nunca mais.

-Sasuke, o que pretende fazer? Izzi perguntou nervosa.

-Não se preocupe, eu vou viver com Itachi, semana que vem é meu aniversário, faço dezoito anos, ele não poderá mais me usar, nunca mais. Sasuke beijou os cabelos cinza da bela mulher e sorriu uma última vez para ela.

-Adeus Izzi, quem sabe a vida permita que um dia a gente se veja de novo? Com cuidado ela o abraçou e afagou seus cabelos demoradamente.

-Vai meu menino, foge daqui. Sasuke se levantou e se trocou, tomou alguns analgésicos e saiu, o motorista o esperava, nem ligou para o fato do jovem patrãozinho andar mancando e gemer de dor a cada passo, nada daquilo era da conta dele.

-Bom dia senhor Sasuke, faculdade?

-Sim Souji, por favor passe numa farmácia antes.

-Sim, senhor...O senhor Fugaku me mandou busca-lo hoje na faculdade, esperarei no portão dois.

-Obrigado. Respondeu Sasuke, ele sabia que o pai o vigiava, isso era só um modo de mante-lo sob controle, mas não desta vez. Sasuke comprou alguns remédios para dor e algumas bandagens e voltou ao carro, seguiu para a faculdade e entrou, caminhou até sua sala, mas não entrou, foi até um dos banheiros, trocou o uniforme por uma roupa simples e casual, calça jeans e uma camiseta, jogou uma jaqueta por cima, antes disso tinha enfaixado a região dolorida, desta vez a dor era maior, talvez tivesse quebrado uma costela, respirar doía, mas não podia parar agora, saiu do banheiro e rumou ao portão de saída mais distante, já na rua pegou um táxi e seguiu para o aeroporto. Uma vez no aeroporto, embora a dor o estivesse quase cegando comprou passagem para a cidade onde o irmão vivia na Coreia do sul, e aguardou nervoso seu vôo, assim que entrou no avião e ele subiu e suspirou nervoso. Mentalmente agradeceu Izzi de novo, a dois meses ela arrumou para ele documentos falsos, assim ele pode sair do país, tinha gastado quase todo seu dinheiro com isso, mas não se importava, estava fugindo, fugindo dele, daquele monstro que um dia chamou de pai... Quando o avião desceu e ele conseguiu pisar em Seul sorriu apesar da dor, sacou o celular e discou o único numero da agenda.

-Itachi, sou eu...Por favor irmão me ajuda, preciso ficar com você.

-Sasuke, me fale onde está eu pego um avião...

-Estou em Seul...Onde posso encontra-lo?

-Santo Deus! Como conseguiu sair do Japão? Bom, eu estou no centro de pesquisa, devo sair as dezoito, são quinze horas...Me espere na cafeteria “Yokai”, a dona de lá é minha amiga, ela se chama Kushina, é um amor de pessoa, fale que é meu irmão e ela vai cuidar de você até eu chegar, come algo e descanse, assim que conseguir eu vou...E irmãozinho...Eu vou cuidar de você. Sasuke já estava chorando, mas segurava os soluços para não assustar o irmão, a última coisa que queria era ser um estorvo para ele, concordou e desligou, pegou outro táxi e pediu para ir a cafeteria, estava com o endereço em mãos que havia pegado do irmão, mas o motorista sorriu.

-Ah...Cafeteria Yokai, adoro esse lugar, o melhor café do mundo todo, toda a cidade adora o lugar, não sei como eles conseguem, tem um jeitinho de café do interior com aquele requinte dos melhores lugares, é perfeito, boa escolha rapazinho. Sasuke tentou sorrir, mas a dor o impediu, ele se encolheu e rezou para chegar logo, para sua sorte as ruas de Seul eram lisas, não machucava andar de carro por ali, e dez minutos depois ele se via em frente a uma fachada linda com desenhos perfeitos de mangás na frente onde se lia em letras garrafais... “Cafeteria Yokai” -Que nome estranho...Sussurrou para si mesmo, pagou o taxista e percebeu que seu pouco dinheiro acabou, tudo bem, não tinha fome mesmo. Entrou num ambiente calmo, as paredes tinham desenhos de um mundo diferente, uma floresta de bambus, seres com orelhinhas de gato ou raposa, templos antigos, deuses antigos, lendas...Cadeiras estofadas em marrom escuro, mesas de madeira maciça, iluminação suave e um cheiro divino de café.

-Boa tarde, o que deseja meu jovem? Perguntou uma ruiva linda.

-B-boa tarde...E-eu sou Sasuke, irmão de Itachi, ele me falou para espera-lo aqui, eu posso? Não tenho dinheiro para pedir nada...Desculpe. Tentou falar firme, mas suas palavras saíram tremidas e vacilantes.

-Oh, irmão caçula de Itachi! Ino, querida, venha aqui, o irmãozinho do Ita chegou! Sasuke ficou meio perdido, e logo uma morena bonita se apresentou a ele, fazendo uma reverencia rápida.

-Oi, eu sou Ino, sócia e namorada desta ruiva exuberante aqui, você é uma gracinha mesmo, do jeitinho que ele falou! Oh que fofura! Ela exclamou e se aproximou, e ele claro se encolheu. Ino olhou para Kushina e ambas se entenderam assim.

-Venha, vamos sentar ali naquele sofá mais afastado, a Ino vai pegar um cafezinho com leite e alguns biscoitos para você, parece pálido demais, está bem? Sasuke queria responder que sim, mas a dor era agora insuportável, aparentemente ele realmente estava com uma costela quebrada, cambaleou até o sofá e gemeu de dor ao sentar, o olhar da ruiva sobre ele era constrangedor.

-P-por favor pode me dar um copo de água? Vou tomar um remédio. A mulher buscou a água e ele tirou um envelope de comprimidos pela metade, engoliu dois e se recostou esgotado.

-Criança, este remédio é muito forte...Como conseguiu compra-lo? Ela perguntou analisando o envelope.

-Eu uso para dor a alguns meses, não é mais tão bom, a dor não vai embora mais...Ele falou meio grogue. -Ino, esquece o café, chame Naruto, agora! E depois me ajude a leva-lo para cima, vamos deita-lo na cama.

-Sim amor, é pra já. Sasuke gritou de dor ao se sentir ser carregado, mas seus olhos não se abriram, ele gemeu fraquinho ao ser colocado numa cama macia e não reclamou quando sentiu um pano úmido e gelado na testa quente, os calafrios subiam e desciam por seu corpo e algo não estava bem, mas ele não sabia o que era, vagamente lembrava de uma das surras que teve, de fugir, de estar a salvo. -Itachi...Chamou delirando de febre.

-Não, eu sou Naruto, Naruto Uzumaki, é um prazer conhece-lo Sasuke... O rapaz abriu seus olhos e focalizou o olhar mais lindo que já viu na vida, olhos azuis maravilhosos como pedras preciosas.

-Seus olhos são lindos...Parecem brilhar como jóias... Naruto riu e tomou o pulso febril do pequeno a sua frente, o achou lindo, mesmo tão pálido, ele tinha um rosto angelical, como o de uma boneca de porcelana, devia ser a febre, ninguém é tão branquinho assim, e haviam aqueles lindos olhos negros, eram piscinas profundas, imersas em escuridão, francamente ele se afogaria ali sem medos.

-Onde dói? Perguntou pressionando a mão na barriga dele e ele gritou na hora, assustando o jovem médico que imediatamente puxou sua camisa, analisando os hematomas roxos, enormes e feios, tocou as costelas mais demoradamente com bastante cuidado.

-Uma costela quebrada, mas sem um raio x não posso ter absoluta certeza, quem fez isso com você? Lágrimas rolavam do rostinho triste.

-Um monstro. Sasuke apagou, sua respiração diminuiu e Naruto se levantou nervoso, no mesmo instante Itachi entrou no quarto.

-Naruto! O que ouve com meu irmãozinho?

-Ah, só me ajude, ele precisa ir para o hospital, vamos rezar para que ele não tenha tido uma hemorragia interna, depois você me explica como um menino destes está tão machucado assim, quantos anos ele tem? Quinze?

-Vai fazer dezoito sexta que vem. Respondeu Itachi o pegando no colo e deixando as lágrimas caírem uma a uma.

-Vamos! Gritou Naruto e Itachi só pensava no irmãozinho em seus braços e na promessa feita a sua mãe enquanto ela estava no chão, no acostamento, coberta de sangue e morrendo. “Cuide dele filho...Cuide de Sasuke pra mim, não deixe seu pai machucar ele, a culpa não é do Sasuke...E você...Seja feliz...” Ela morreu segundos depois. -Sasuke, acorde irmãozinho, por favor, por favor...


2. Naruto e Sasuke.

Depois que os exames foram feitos, o que incluía um raio x que revelou duas costelas quebradas o médico finalmente pode relaxar, não havia hemorragia interna o que podia ser bem perigoso e fora alguns hematomas ele estava melhor agora, medicado adequadamente e dormindo tranquilo, sua face serena não demonstrava a situação terrível pelo que certamente passou. Itachi estava sentando numa cadeira, segurando a mão do irmão, seus olhos fundos e inchados de tanto chorar, não parava de se recriminar por não ter ajudado antes, mas como poderia? Chegou mesmo a procurar uma advogada para tentar conseguir a guarda do irmão, mas devido a posição social do pai isso seria impossível, Fugaku era um homem de negócios importante e tinha contatos com a máfia, por isso mesmo o amigo vivia bem longe, mantendo contato em segredo com o irmão caçula.

-Itachi, ele está bem, uma semana de repouso absoluto e mais uns vinte dias mantendo um ritmo tranquilo e ele estará novinho em folha, como ele se tornará maior de idade logo, pode cogitar a ideia de morarem juntos não é? Itachi olhou o amigo e sorriu fraco.

-É tudo que mais quero, proteger ele...Sempre quis protege-lo, parece que não fiz um bom trabalho não é? Naruto se sentou perto do amigo e fez um cafuné em seus cabelos, e ele recostou a cabeça no ombro do amigo suspirando cansado.

-Eu me ausento por um tempinho e quando volto já encontro meu irmão dando em cima do meu namorado? Bonito né senhor Naruto! Reclamou Menma aparecendo na porta com um sorriso maroto.

-Amor! Você veio! Se levantou Itachi e correu para os braços do namorado que afagou seus cabelos e o estreitou num abraço gostoso.

-Ei, claro que sim, Naruto me avisou...

-E eu? Nada de abraço, beijinhos e coisas melosas? Reclamou o loiro rindo. -Bobo! Mostrou a língua o rapaz menor, que tinha cabelos tingidos de um roxo lindo e vibrante, num corte bem estilizado, levemente comprido, se vestia como um ídolo do k-pop e era lindo, na verdade muito parecido com o irmão mais velho, só que totalmente extravagante.

-Amor, e o produtor não vai ficar zangado com você? E suas fãs? Nenhuma te seguiu? Perguntou Itachi analisando o corredor pelo vidro do quarto.

-Calma meu lindo...Eu fugi, isso vai dar mais o que falar, não liga pra isso, minha música é um sucesso, então o diretor tá feliz de verdade comigo, posso relaxar um pouco. Itachi sorriu e estreitou o abraço envolta da cintura do menor, beijando seus cabelos coloridos.

-É duro amar um astro...Mas mudando de assunto, aquele ali é meu irmãozinho, coitadinho, tão machucado... Menma se aproximou da cama e olhou o menor dormindo tranquilo, tão parecido com Itachi! Só que a versão pequena e fofa, como um gatinho.

-Ele parece um gatinho, deve ser manhoso né?

-Quem dera ele pudesse ser, com meu pai devia viver sob a mira do medo o tempo todo, me sinto tão mal em não poder ter estado lá o ajudando...Reclamou Itachi apertando a mão do namorado na sua. Neste instante Sasuke abriu os olhos e tentou focalizar Itachi, que rapidamente soltou a mão de Menma.

-Itachi...Falou o menor sorrindo. -Você acordou! Graças a Kamisama! Menma sorriu para ele e Naruto também, e o pequeno paciente se sentiu subitamente assustado, se encolheu na cama e buscou uma saída rapidamente com os olhos, completamente acuado pelo medo. Itachi o puxou para seus braços, o acalmando. -Calma, ninguém aqui vai te machucar, este loiro é seu médico, o nome dele é...

-Naruto...Eu lembro. Falou Sasuke.

-E este é Menma...Meu...meu amigo. Falou Itachi olhando para o rapaz que apenas revirou os olhos e levou um chute no pé dado por Naruto.

-Aí! Reclamou Menma. Mas então Sasuke pulou na cama, mesmo machucado e apontou um dedo em direção ao rapaz de cabelos roxos.

-Menma, o vocalista da banda Dreams? Sério? Mas...Como? Menma coçou a cabeça meio sem graça e sorriu abertamente para Sasuke, se aproximando dele.

-Eu sou irmão caçula deste médico bonitão que está de olho em você e sou namorado do seu irmão, espero que não seja homofóbico. Itachi bateu a mão na testa, Naruto riu divertido e Sasuke...Bom, Sasuke se sentiu uma garotinha na frente do seu ídolo de k-pop favorito, primeiro ficou sem ar, depois deu um gritinho, e por fim olhou o irmão com cara de espanto.

-Nossa! Sério Ita que você namora ele? Esse é o melhor dia da minha vida! Adoro a Dreams! Menma sorriu.

-Um fã! Que bom, nada de homofobia então né? Sem problemas com isso e pelo visto tá feliz, ótimo, agora posso abraçar meu namorado a vontade. Sasuke riu e fez uma careta com a dor que sentiu.

-Só com uma condição... Menma revirou os olhos, estava bom demais pra ser verdade.

-Posso ir ver um dos seus shows? Por favor!!! Sasuke implorou com as duas mãos postas, parecia um anjinho fazendo isso e claro que Naruto quase babou.

-Só isso? Aha, claro!!! Quando estiver melhor nós te levamos nos bastidores e pode assistir de pertinho, prometo autógrafos dos outros integrantes, meu não vale, já sou da sua família.

-Certo, certo, tá tudo muito bom, mas...Ele precisa ser examinado de novo e eu quero meu paciente descansando e não falando de k-pop. Menma riu e mandou um beijinho para o menor e puxou Itachi pela mão.

-Tchauzinho, vou dar uns pegas no meu lindo namorado e depois a gente volta. Itachi ficou corado e abaixou a cabeça, sendo puxado pelo outro que era mais energético que ele.

-Esse Menma...Francamente, mas onde eu estava...Sim! Examinando meu paciente e preciso de respostas sinceras, ouviu? Sasuke engoliu em seco, ficar sozinho com aquele loiro não era uma boa ideia, ele se sentia meio inseguro...Aquele homem era lindo de morrer e tinha olhos maravilhosos que pareciam ver ele por dentro, era meio assustador.

-Abra a boca e faça Ahhhh.... Sasuke obedeceu, devidamente envergonhado, e logo o médico pegou o estetoscópio e abriu levemente sua camisa branca, deixando o menor ainda mais nervoso, o que acelerou seus batimentos cardíacos absurdamente.

-Sasuke, eu sou médico, tenha calma, assim vou achar que está tendo um infarto.

-Desculpe...Fico nervoso com pessoas desconhecidas...

-Hum, foi seu pai quem te bateu?

-Foi...

-Posso saber o motivo? Sasuke abaixou a cabeça, não queria contar aquilo, era vergonhoso demais, ele nem conseguia pensar o assunto ainda, por isso se manteve em silêncio total.

-Hum...Ele fez algo mais com você? Sasuke demorou para entender o que o médico perguntava, mas enfim fez sinal negativo com a cabeça.

-Permitiria que eu fizesse um exame para ter certeza? Faz parte das normas do hospital, afinal você é bonito, está ferido, tá na cara que sofreu uma violência...

-Não! Por favor...Pediu Sasuke envergonhado.

-Eu juro...Ele não me tocou assim...Respondeu tremendo, essa reação era suspeita, mas o médico percebeu que obrigar ele a passar por isso seria bem pior, resolveu mudar o foco do assunto.

-Você tem duas costelas fraturadas, na verdade trincadas, um tornozelo ferido, já bem inchado, alguns hematomas na cintura e nas costas, tem algo mais que eu precise saber? Quero medica-lo corretamente, os remédios que tomou não eram adequados, não deve se automedicar assim, poderia ter morrido sabe? Nada de pisar no chão por alguns dias, repouso e boa alimentação.

-Desculpa, eu precisava fugir...Só consegui porque tomei remédio para dor, juro que não faço de novo. Naruto sorriu de leve, o menino era lindo mesmo, seu semblante suave, o rosto ligeiramente corado, olhos baixos, onde cílios longos se moviam graciosamente, as mãos no colo, apertadas uma na outra, sinal de nervosismo, os cabelos bagunçados...

-Posso ir pra casa? Não gosto de hospitais. Perguntou Sasuke nervoso.

-Pode, vou chamar seu irmão, isso se eles não estiverem se comendo em alguma das salas vazias, se o segurança pega terei que intervir de novo, esses dois...Francamente! Sasuke mordeu os lábios envergonhado e quase escondeu a cabeça no lençol de tanta vergonha, isso lá era coisa de se falar para um virgem que nem ele? Santo yaoi perdido! Naruto notou e riu alto, a carinha fofa do menino era impagável, ele parecia um anjinho corado, ou...Um gatinho manhoso? Tanto faz! Qualquer uma dessas denominações seria perfeita, o caso era esse, ele Naruto Uzumaki, médico, e monge nas horas vagas, senhor da chave dos dois mundos estava se apaixonando por um garoto lindo, realmente lindo e completamente tímido.

-Desculpe, nem sempre falo assim, costumo brincar assim quando se trata deles, porque...Menma é meu irmão caçula e Itachi meu melhor amigo, mas vou tentar me refrear em sua presença, tá bom? Não precisa achar que sou um pervertido... "Embora eu seja mesmo, graças ao seu rostinho interessante..." Pensou Naruto, analisando o menor.

-T-tudo bem...Respondeu Sasuke e voltou a se deitar com cuidado por causa das costelas feridas. Antes que Naruto pudesse sair, Menma entrou e puxou Itachi pela mão, se escondendo quase sem fôlego ali.

-O que ouve agora? Perguntou Naruto. -Fãs...Enlouquecidas!!! Preciso me esconder, urgente!! Naruto revirou os olhos e enfiou os dois no banheiro, depois retirou um óculos do jaleco, e fez cara de médico mau, logo a porta foi aberta por um grupinho de meninas quase loucas.

-Onde está nosso Menma??? Gritaram todas ao mesmo tempo.

-Não há Menma nenhum aqui, o que querem neste local? Não podem ver que estou numa consulta particular? Uma da meninas sorriu para o médico lindo e deslumbrante e pediu desculpas e todas saíram de mansinho, eles podiam ouvir elas no corredor.

-Droga, era fonte segura que Menma estava aqui, aos beijos com alguém, quem pode ser? Uma fã? Oh céus!!! Naruto riu e piscou para Sasuke, que a essa altura estava mais nervoso ainda, definitivamente tinha medo dessas fãs loucas. Naruto abriu a porta e pegou Menma mordendo o pescoço de Itachi, que tinha uma perna enroscada na cintura do outro e uma mão em sua bunda. Sasuke cobriu a cabeça e Naruto bufou, fechando a porta de novo.

-É, vou te levar para dar uma volta...Já sei! A lanchonete da mamãe!

-Oi? Agora? Mas Itachi...

-Bom, não quero atrapalhar os pombinhos e a julgar por onde eles estavam logo a gente vai ouvir muito mais do que precisa, o que acha? Vem comigo? Sasuke ficou indeciso, mas então ouviu um gemido alto.

-Menma...Hum... -Vou! E Sasuke levantou os braços como quem pede colo, prontamente o loiro o pegou nos braços, ele era leve e cheiroso, adorou a sensação de ter o menino nos braços, podia muito bem pegar uma cadeira de rodas...Não! levar ele nos braços era muito melhor.

-Naruto? -Sim... -Você tem um cheiro bom. Naruto se arrepiou inteiro, e pensou... "Kamisama onegai!!"

Notas finais
Kamisama onegai...tradução, Deus por favor...
Bom, espero que estejam gostando, se puderem me contem. Um beijo de Akirasam.


3. Medo de tempestade.

Notas do Autor
Este capítulo ficou fofinho, espero que gostem. Boa leitura.

-Pra onde vai me levar? Perguntou Sasuke segurando no pescoço do loiro bonito, que sorria de um jeito divertido. -Eu ia te levar para a lanchonete da mamãe, mas se eu fizer isso e o tonto do seu irmão não te achar depois...Bom, ele vi surtar... -Para a cantina, lá tem coisas gostosas para comer e a julgar pelo seu peso noto que não vem comendo nada bem, estou certo? Perguntou Naruto já entrando na cantina e colocando o pequeno garoto numa cadeira, ele resmungou de dor um pouquinho. -Aí... -Desculpa, suas costas vão doer ainda por um tempo, afinal são duas costelas fraturadas. -É, eu sei...Tá tudo bem, não é a primeira vez que machuco minhas costelas...Falou triste, olhando as mãos em cima da mesinha. -Imaginei, pode conversar comigo se quiser, pode confiar em mim. Sasuke deu um sorrisinho, era pequeno e tímido, mas era um sorriso e isso alegrou o jovem médico, ele nem imaginava que podia ficar tão comovido com um simples sorriso inocente. -O que quer comer? Temos torta salgada com frango e queijo, e temos tortas doces, tem de chocolate e morango, frutas vermelhas...Hum, e minha favorita, baunilha com laranja. -E-eu acho que quero provar então essa, a sua favorita...Respondeu Sasuke tentando olhar para o balcão para que o loiro não visse como ele estava corado. -Certo, e para beber? Suco, leite com chocolate... -Leite puro e morno, será que eles fazem? Naruto riu, esse menino era uma criança mesmo... -Acho que eles podem providenciar, já que sou o dono desse lugar. Sasuke o olhou e ficou ali, parado, vendo ele pegar as tortas com a moça e trazer na mesa e depois ir buscar o leite e o capuchino que ele pegou para tomar. -Hum, é muito boa mesmo, gostei...Ah, posso perguntar uma coisa? Naruto deu uma garfada na torta e confirmou com a cabeça. -Faz tempo que meu irmão e seu irmão...Faz tempo que eles namoram? -Bom, quando eu conheci Itachi estávamos no colégio interno, o melhor na verdade, mas era chato, só que eu podia vir pra casa no final de semana e ele não tinha para onde vir, um dia eu o convidei para vir passar o final de semana em casa e ele conheceu Menma, foi tipo amor a primeira vista, logo depois meu irmão começou os testes para a banda Dreams e foi ficando cada vez mais difícil, mas Itachi sempre o apoiou e eles estão juntos desde de então... -Ah, nossa...Nunca imaginei meu irmão namorando outro garoto...Fiquei surpreso. -Achou estranho? Perguntou Naruto que já tinha comido sua torta e agora beliscava uns pedacinhos da torta do outro. -Não, não é isso...Só surpreso. Naruto o analisava discretamente, ele estava mais corado agora que comia alguma coisa e era tão lindo que o fazia ter palpitações, como seria beijar ele? Porque ter nos braços era bem gostoso, e se ele o abraçasse forte? Seria gostoso também? Aquela voz fininha em seu ouvido, as mão macias e tão pequenas em seu pescoço...Kamisama... -Naruto? Naruto! -Ah, oi? -Nossa, você estava me olhando de um jeito estranho, cheguei a pensar que estava tendo alguma coisa...Me assustou. -Desculpa gatinho, eu estava pensando em umas coisas... -Deve ser um homem ocupado, não precisa ficar aqui comigo, podemos voltar e sei lá...Você volta para seus afazeres de médico. -Estou bem tranquilo hoje, este é um pequeno hospital particular, atendo geralmente os integrantes das bandas de K-pop e seus auxiliares, familiares e coisas assim, e alguns particulares. -Deve ser caro...Não queria fazer Itachi gastar dinheiro comigo, sei que meu pai não lhe deu dinheiro algum, e que ele trabalha para sobreviver, e agora eu serei um fardo para ele...Falou e abaixou a cabeça, parecia prestes a chorar. Naruto tocou sua face bonita e levemente corada. -Ei, nunca cobraria nada dele, fique tranquilo, e eu acho que seu irmão não pensa assim, você não é um fardo para ele, na verdade é uma alegria ter você aqui, ele sempre falava de você, me mostrava fotos suas no celular. -Que? Ele mostrou fotos minhas? Aí, que vergonha!!! Sasuke escondeu o rosto nas mãos, e Naruto riu divertido. -Você mandou uma foto sua num jardim, usando um casaco de inverno azul, estava com um gatinho preto nos braços, era seu? -N-não...Meu pai nunca me deixaria ter um gato, era um gatinho da casa ao lado...Eu o achei tão fofo que resolvi tirar uma foto e mandei para o Itachi, não imaginei que ele mostraria para você. -Hum, sim, ele te ama muito, mostrou sua foto para mim, minha família e os amigos dele, todos eles... -Aí, esse Itachi... Resmungou Sasuke. -Vem, colinho que vou te levar de volta, eles já devem ter terminado. Sasuke ficou com o rosto quente só de imaginar o que seu irmão devia ter feito, e também porque voltaria aos braços daquele loiro bonito e forte, mas ergueu os braços e foi pego delicadamente nos braços, aconchegou a cabeça no ombro dele e se deixou levar, era bom ser cuidado assim, ele nunca soube o que era isso. Naruto chegou na porta e chamou do lado de fora e logo um Itachi corado e com vergonha abriu a porta, Menma estava enxugando os cabelos molhados na porta do banheiro. -Ah...Desculpem por isso, não resisti ao meu namorado gostoso dando sopa no banheiro. -Menos Menma, está deixando o Sasuke com vergonha. Retrucou Naruto e Menma riu revirando os olhos. -Desculpe...Falou Itachi sem conseguir olhar para o irmão. Num concurso para ver quem era o mais tímido, certamente daria empate. -Ah por Kamisama, eles são mesmo umas fofuras!!! Mas não precisam ficar assim, não fizemos nada de errado. Falou Menma e deu um selinho na bochecha de Itachi. -Bobo...Resmungou Itachi. -T-tá tudo bem...Vocês são namorados, o Menma tem razão...Falou Sasuke se ajeitando na cama, mesmo que não estivesse a fim de ficar ali mais. -Conta pra eles amor, vai! Falou Menma todo animado. -Então, minha equipe e eu fomos chamados para a conferencia de cientistas que vai ser realizada em Tóquio amanhã, serão três dias de conferencias e debates e temos grande chances de mostrar nosso trabalho por lá, eu quero ir, mas...Não queria deixar você sozinho, então se concordar o Naruto pode cuidar de você nestes dias, sei que está em cima, e eu não quero te deixar, afinal acabou de chegar...Mas dependo do meu trabalho e do dinheiro das pesquisas... -Você não pode recusar né Naruto? Afinal eu vou também, tenho show agendado lá, então eu e Itachi poderemos nos ver a noite, ficaremos no mesmo hotel, os meninos da banda podem me dar cobertura e a noite vou fugir da minha suíte e passar a noite com meu lindinho. Itachi e Menma olhavam para Naruto com olhos suplicantes, mas ele na verdade estava amando essa ideia, só para não dar o gostinho deles verem sua animação fez uma cara séria. -O que eu não faço por vocês dois... Itachi sorriu e abraçou o amigo, seguido de Menma que pulava no quarto todo feliz. -Santa Beyoncé! Por um momento achei que iria recusar e eu teria que te chantagear com aquelas fotos de nudes suas, tipo ameaçar jogar na internet ou colocar num site de relacionamentos homossexuais, essa loirice toda aí iria render centenas de telefonemas, não ia ter paz mais na vida. Falou Menma rindo. -Baka! Você ia deixar ele fazer isso comigo Itachi? -Bom, o irmão é seu...E eu nunca conseguiria controla-lo, sabe disso...Mas e você Sasuke, concorda? -Se você precisa...Eu concordo sim...Respondeu, mas estava triste, sentia saudades de Itachi e agora que estavam juntos ele iria viajar por três longos dias. -Não fique triste por favor, eu prometo que não queria isso, mas é importante, e eu sou o chefe da pesquisa, preciso ir, não dá para mandar a equipe sem mim. -E-eu sei...Tudo bem... Itachi o abraçou com cuidado e olhou para Naruto sorridente. -Estou indo, tenho que buscar as passagens e arrumar tudo para a viagem, por favor arrume o quarto de hospedes para Sasuke, a geladeira está abastecida e tem roupas limpas que podem servir mais ou menos no Sasuke, quando eu voltar e ele estiver melhor podemos comprar roupas novas. -Tchau irmãozinho, eu volto em três dias, se comporte e faça tudo que o médico mandar, tá bom? -Tchauzinho gatinho, a gente se vê logo, vou te apresentar o pessoa da banda, cuida dele Naruto, senão seus nudes vão vazar. -Bobo...Resmungou Sasuke e viu seu irmão sair, de mãos dadas com Menma. -Esse Menma... -Onde ele conseguiu suas fotos pelado? Perguntou Sasuke. -Ahh, a culpa foi dele mesmo, fui num show dele e depois saímos para dançar, bebemos muito e acabamos num parque tarde da noite, fomos brincar de verdade ou desafio e todo mundo tava de cara cheia, acabou que todo mundo tem fotos um do outro pelado, é constrangedor... Sasuke ficou corado, realmente era constrangedor, melhor lembrar de nunca beber perto deles, vai saber... -Ok, vamos embora? Pensando em como Itachi cozinha devo ir ao mercado e abastecer melhor, só deve ter bobeira na geladeira, e você precisa de comida de verdade, vou te alimentar direitinho...Sorriu o loiro. Por alguma razão isso soou tão pervertido que Sasuke se encolheu na cama, talvez ficar três dias na companhia desse loiro fosse algo perigoso. -Vem, colinho... Sasuke de novo deu os braços e de novo foi carregado para fora, colocado num carro confortável e logo estavam no transito, era reconfortante ver as ruas, pessoas andando, levando suas vidas tranquilas, o jovenzinho imaginava um dia ter toda essa liberdade, sem ter medo de seu pai aparecer e o machucar de novo. -O que foi, está nervoso? -N-não... "Talvez um pouquinho..." Pensou Sasuke olhando o físico sarado do loiro ao volante, mas ele estava se iludindo, com certeza o loiro tinha uma namorada ou um namorado, bonito e chique como ele, nunca olharia para um magricela como ele, com olhos escuros e olheiras feias, pensar nisso o deprimiu e ele abaixou a cabeça. -Sasuke...Não fique triste, o seu irmão volta logo. -E-eu sei...Não é isso, eu só não queria dar trabalho e estou dando muito trabalho, para ele, e para você. -Trabalho nenhum, é um prazer cuidar de alguém tão fofo assim... Sasuke não respondeu, ficou olhando a rua, certeza que o loiro só estava sendo gentil, o movimento dos carros, os remédios que tomou, nem viu quando dormiu, acordou com um carinho na face, estava de novo nos braços dele, e era tão gostoso ali... -Desculpe...Dormi. -Tudo bem, vou te colocar na cama do Itachi, porque não arrumei o quarto de hospedes, e como eu suspeitava só tem comida congelada na geladeira e potes de sorvete, e no armário só tem pipoca e salgadinho, sinceramente seu irmão precisa urgente aprender a cozinhar, porque o meu é pior ainda, como os dois vão sobreviver quando morarem juntos? -Comprando comida? -Engraçadinho...Já volto. Falou Naruto e deu um selinho na testa do garoto que ficou sem graça com o carinho, ele não estava acostumado a isso. Naruto saiu e quando desceu notou que uma tempestade se aproximava, mas o mercado era perto, ele provavelmente conseguiria comprar o que precisava e voltaria antes da chuva, se apressou e entrou no carro, ainda analisando o tempo. Sozinho no apartamento e sem poder se locomover o jovem Sasuke se recostou e fechou os olhos, mas um trovão alto o fez saltar na cama e isso fez suas costas doerem bastante. -Aí...Droga. Olhou pela janela que tinha a persiana aberta e viu a tempestade escura chegando, ele tinha medo de tempestade, muito mesmo, mais ainda desde de o dia em que Madara veio no meio de uma tempestade horrível e entrou em seu quarto a noite, sorrateiro, subiu em sua cama e... Sasuke sentiu uma dor de cabeça estranha, o medo lhe subiu em ondas, ele arfou em busca de ar, lá fora a chuva começou a cair, e ele se desesperou, queria pelo menos fechar a persiana e assim não ver os raios, mas os trovões o faziam tremer de medo e ele com esforço se levantou, pulando em uma perna só, e conseguiu fechar a persiana, infelizmente a chuva forte e os relâmpagos o deixavam terrivelmente em pânico e ele perdeu o equilíbrio caindo sem apoio no chão, não conseguiu se levantar e o próximo relâmpago apagou as luzes, tudo ficou na mais completa escuridão. Sasuke ouvia sua respiração alta, voltou ao dia em que Madara entrou em seu quarto, ele estava sozinho, Izzy provavelmente já dormia em seu quarto, ele subiu em sua cama, o prensando nela, tapou sua boca com uma das mãos e sorriu na escuridão, sussurrou em seu ouvido... -Hoje você não escapa menino... Os pelinhos do corpo de Sasuke se arrepiaram inteiros com a lembrança, ele estava preso a essa lembrança, tão preso que não viu e nem ouviu quando Naruto entrou de novo no apartamento, colocando as sacolas na bancada da cozinha. -Credo que tempo horrível, tive que subir os oito andares de escada com essas sacolas...Sasuke? Sasuke cade você? Naruto ouviu Sasuke chorando e seguiu o som, o menino estava encolhido no chão, perto da janela, lutando como se alguém o tocasse, se aproximou lentamente e realmente tocou em seu braço. -Sasuke? -Não!! Por favor saia daqui, por favor, por favor sai do meu quarto, socorro! Não!!! Tá me machucando...Chorou mais alto. Naruto o abraçou e esperou a crise passar, acariciando seus cabelos negros. -Calma, calma...Sou eu, Naruto...Lembra? Dos olhos azuis bonitos? -Olhos azuis...Repetiu Sasuke e subitamente abraçou Naruto escondendo seu rosto em sua blusa meio molhada. -Estou com medo, não gosto de tempestades, me trazem lembranças ruins... -Percebi...Vem, vamos para o quarto. -Não me deixa sozinho! Gritou Sasuke se agarrando em seu pescoço. Naruto o abraçou de volta e o ergueu nos braços sem dificuldade, ele era tão leve...Precisava alimenta-lo melhor. -Calma, vamos deitar, eu vou tirar essa camisa molhada, na verdade estou todo molhado... Naruto tirou a calça e a camisa e se deitou, puxando o edredom sobre eles e o menor se aconchegou em seu peito, aninhado como um gatinho, o maior começou um carinho em seus cabelos, e ele resmungou feliz, um novo trovão se ouviu e Sasuke se assustou, mas o loiro para acalma-lo beijou seus lábios, só um leve selar. -Calma...Eu estou aqui e vou cuidar de você meu gatinho... Sasuke suspirou feliz...De repente se sentiu tão quentinho e protegido, nos braços fortes daquele loiro alto, e tão bonito...Seus pensamentos subiram aos céus, e fez um pedido quase inocente... -Kamisama onegai, quero ficar perto dele para sempre...E dormiu aninhado nos braços quentinhos dele.

Notas finais
Ok, espero que tenham gostado...Tchau, até mais. Se puderem comentem...


4. Beijo roubado.

Notas do Autor
Oi, Sasuke tem traumas que Naruto quer descobrir, esse loiro também reparou que seu desejo em ajudar o lindo paciente já passou do normal faz tempo, ele quer proteger, cuidar e dar carinho a ele, mas tem um certo receio de assusta-lo. Por outro lado, Sasuke está percebendo que o médico é alguém em quem ele pode confiar, alguém em que pode protege-lo...Só precisa vencer seus medos.

Naruto acordou sentindo o calor do corpo leve embolado na cama, todo encolhido entre os edredons e seu peito, enrolado como um gatinho, sorriu ao ver a bagunça de cabelos negros e se levantou devagar para preparar um bom café da manhã, afinal eles dormiram sem comer nada, enquanto fazia sua higiene matinal o jovem médico analisava os traumas do garoto, obviamente ele havia apanhado, mas também podia ter sofrido outro tipo de abuso, pelo que percebeu podia ter sido abuso sexual e pensar nisso o enervava muito, quem no mundo podia pensar em machucar alguém tão doce? Foi para a cozinha e preparou ovos mexidos, torradas, e suco de laranja, mas lembrando que o pequeno gostava de leite esquentou um pouco de leite e achou um pacote de biscoitos de chocolate, colocando numa vasilha em cima da mesa e foi acordar o menor, entrou no quarto e mexeu de leve nos cabelos bagunçados, sorriu ao ver ele se sentar coçando os olhos como uma criança. -B-bom dia...Falou bocejando. -Um banho? Perguntou Naruto. -Ah, e como faz com esse gesso no meu pé? Falou Sasuke apontando para o pé. -Isso não é exatamente um gesso, é apenas uma tala e algumas bandagens, vou tirar e assim pode tomar um banho gostoso. -Posso apoiar o pé no chão hoje? -Não disse isso, pode se apoiar em mim. Sasuke corou nervoso. -Vai dar banho em mim? -Vou te ajudar...Porque? Tem algum problema nisso, ambos somos homens né? -Mas eu...Não gosto que me vejam sem roupas...E-eu sou magro demais, e sou...Eu tenho vergonha! Naruto riu e passou a mão nos cabelos bagunçados com carinho nada profissional. -Não acho que está tão magro assim...Mas pense assim, eu sou médico, não precisa ter vergonha de mim. -Isso não muda nada, tenho vergonha sim... -Venha, vou te levar, não vamos demorar, o café da manhã está pronto, ordens médicas. Sasuke suspirou e foi levado ao banheiro, pediu licença para fazer xixi, porque isso ele tinha mais vergonha que tudo, depois escovou os dentes e finalmente o loiro entrou, ligou o chuveiro e experimentou a temperatura da água, depois se voltou a Sasuke que olhava os azulejos do chão. -Vamos tirar a blusa? Sasuke ergueu os braços e Naruto achou graça, tirou sua camiseta amassada e notou que realmente ele precisava engordar um pouquinho, mas mesmo assim era muito bonito. -Tá, agora a calça...Posso? Sasuke de olhos fechados concordou fazendo apenas um aceno de cabeça. Naruto puxou a calça e a cueca e tirou a tala do seu pé junto com as bandagens, depois o conduziu até embaixo do chuveiro e começou a ensaboa-lo, enquanto o moreno passava shampoo na cabeça, sentindo a água quentinha na pele e adorando o ato de tomar um banho gostoso e tirar aquele cheiro de hospital do corpo. Quando o banho acabou foi envolvido numa toalha grande e felpuda e carregado para o quarto, ficou na cama esperando enquanto Naruto procurava alguma roupa para ele nas coisas de Itachi, trabalho difícil já que o irmão era bem mais alto que ele. -Acho que tudo ficará muito grande, mas pelo menos está limpinho, pegue essa camiseta e esse moletom, deve servir... A camiseta ficou um vestido, era preta e de uma banda de rock, descia até seus joelhos, as meias eram quentinhas, mas a calça de moletom era grande demais. -Estamos só nos dois, depois eu busco algumas roupas do Menma, elas servem em você, pode ficar assim, tá comprido como um vestido mesmo. Sasuke achou que tudo bem, afinal não pretendia sair mesmo, mas era um pouco vergonhoso ficar com as pernas a mostra. -Tenho pernas finas...Reclamou. -Acho suas pernas lindas, lisinhas... Naruto se aproximou e Sasuke ficou tenso, mas logo foi levado a cozinha e achou lindo...Sobre a mesa da cozinha tinha uma tigelinha com biscoitos de chocolate, leite, suco, torradas e ovos mexidos, ainda quentes porque ficaram guardados no microondas. -Uau, nem Izzy faria melhor... -Quem é Izzy? Perguntou Naruto, colocando ovos mexidos num pratinho e servindo seu lindo paciente. -Nossa governanta...Minha amiga...Algo próximo de uma mãe eu acho... -Bom, coma...Quer suco ou leite? -Leite morno por favor. Naruto sorriu, acertou em deixar leite ali, se lembraria disso. -Hum...Adoro torradas com geléia...Ovos mexidos...Tudo que tem aqui eu gosto. -Que bom...Quero que coma e se sinta melhor, depois tem uns remédios que precisa tomar, não quero que sinta dor. -Obrigado...Naruto...Respondeu Sasuke sorrindo de leve, e realmente comeu tudo. Naruto lhe deu dois comprimidos e ele os tomou com a ajuda de um pouco de água, depois foram para o sofá, e Sasuke escolheu uma animação para assistir, ficou sentado no sofá e logo estava encostado no loiro, se sentia bem perto dele, se sentia seguro. A campainha tocou e o menino ficou tenso, agarrou-se a uma almofada. -Calma...Não precisa ficar nervoso, deve ser um amigo de seu irmão. -Não abre! E se for meu pai? Falou tremendo e apontando para a porta, lágrimas descendo do rosto suave. -Calma, tenho certeza que não é nada... Naruto se levantou e atendeu a porta. -Mãe? Ino?O que fazem aqui? As duas mulheres sorriam na porta, cheias de pacotes nas mãos, entraram atropelando o loiro e logo colocando os pacotes em cima da mesinha da cozinha, mas assim que elas viram o estado de Sasuke correram para ele assustadas. Sasuke estava chorando...Soluçando...Tremendo... -Minha nossa, o que fez com ele Naruto? Perguntou Kushina abraçando o menino. Ino se sentou e afagou os cabelos negros ainda molhados pelo banho recente. -Naruto! Desembucha logo! Naruto coçou a cabeça nervoso. -Vocês assustaram ele...Acho que meu paciente tem alguns traumas com o pai e ficou em pânico ao imaginar que era ele que tinha vindo o levar embora de novo. -Tadinho...Desculpe, a gente devia ter avisado que iria vir, mas calma, ninguém vai machucar você, e se tentarem eu arranco a cabeça do infeliz! Falou Kushina nervosa. -E eu ajudo! Retrucou Ino. -D-desculpa...E-eu...Fiquei em pânico. Tentou explicar enxugando as lágrimas, desta vez ele se achou muito tolo e ficou envergonhado por ter feito tanto escândalo por nada. Naruto se ajoelhou em sua frente e tocou suavemente sua mão que ainda tremia. -Vou protege-lo. Mas hoje teremos uma conversa, quero saber tudo que ouve tá bem? Confia em mim? Sasuke concordou e fungou, mas as duas mulheres sorriam para ele, estavam ali tão gentis, como podia ser tão medroso? -Desculpa de novo... -Querido, o jeito que você estava quando chegou...Qualquer um ficaria nervoso, não peça desculpas, apenas...Confie na gente, vamos cuidar de você e seu irmão também...Mas mudando de assunto, trouxemos guloseimas, coisinhas doces e salgadas. -Obrigado mãe...Obrigado Ino...Falou Naruto feliz. -Nossa, porque está usando só uma camiseta, tá frio hoje! Naruto pega uma manta para ele, que coisa! -Ah...Nada do Itahi serve em mim. Respondeu Sasuke. -Vou pegar umas coisas do Menma, se bem que...Ah, ele é meio espalhafatoso em roupas, sempre coloridas demais, ama roxo, acho que você é mais...Tradicional? -Tudo bem, não ligo para cores, pode ser qualquer uma... -Aí, aí...Lindo, doce, gentil e ainda por cima não é esnobe, case com ele! Falou Ino. -Ino! Retrucou Naruto. Kushina riu e deu um beijinho na bochecha de Ino. -Vamos amor... Temos que abrir a cafeteria. -Tchau meninos...e não se comportem tá!! -Ino!!! Mais uma vez Naruto a repreendia, mas ria disso, se dependesse dele realmente não iria se comportar, mas como médico tinha que ser mais responsável... -Elas saíram e o loiro fechou a porta, mas quando se voltou quase teve um ataque, Sasuke estava sentado, segurando os joelhos, todo tímido, as pernas nuas a mostra...Os lindos olhos negros curiosos... -Kamisama...Que visão... Sasuke sorriu meio sem graça. -Naruto, fica aqui pertinho de mim...Por favor... "Minha sanidade está por um fio..."

Notas finais
Vai lá Naruto deixa a sanidade se soltar...Libera meu lindo!


5. Beijo roubado, esse beijo vem ou não vem?

Notas do Autor
E então Naruto, beija ou não beija??? Por Kamisama ele está tentando não fazer besteira...Afinal de contas o garoto é paciente dele, irmão caçula do melhor amigo...Mas Sasuke não tá colaborando muito, infelizmente como nos contos de fada sempre tem uma rainha má não é? E essa tem cabelo rosa.

Naruto olhou a cena a sua frente e seu coração bateu muito, mas muito mais forte, o rapazinho estava encolhido, abraçado aos joelhos, e usava uma camiseta longa, deixando as pernas a mostra, era pura perdição, era possível que ele realmente não soubesse disso? Pior que era, uma única olhadinha em sua direção mostrava como ele era inocente nestes aspectos, pior ainda... -Ah...Tudo bem... Naruto se sentou e imediatamente o pequeno se aconchegou nele, suspirando feliz, realmente ele parecia um gatinho manhoso, devagar o loiro colocou a mão em seus cabelos e ficou fazendo cafuné, assistiram um filme, mas logo o menor dormiu, deviam ser os remédios, o sono acumulado, a agressão sofrida, haviam tantos motivos, mas o que mais agradava o médico era bem mais simples, ele dormiu porque se sentia seguro ali, em seus braços e enquanto ele dormia seus lábios pareciam tão doces...Convidativos, belos... Naruto não resistiu, beijou suavemente os lábios macios e sorriu ao toque suave, asas de borboleta... -Ah pequeno, o que fez para tirar minha sanidade deste jeito? Ficou ali por um tempo e depois o levou para a cama, e ele nem mesmo acordou, já era tarde quando resolveu preparar o jantar, tinham muitas coisas da cafeteria, mas o loiro achou melhor fazer uma sopa nutritiva, estava chovendo lá fora, um clima frio e cinzento, ótimo para sopa quentinha e filminho no sofá, quando o cheiro gostoso invadiu o ambiente ele ouviu ruídos no quarto e foi até lá, avistou Sasuke acordado. -Que cheiro bom, é sopa? -Sim, você gosta? -Adoro...Izzy sempre fazia pra mim. -Ótimo, vem, vamos comer. Sasuke se deixou levar, era gostoso ser mimado, mas ele queria poder andar logo novamente, por um lado era meio constrangedor. Naruto o serviu de uma sopa gostosa com legumes e carne, e eles comeram conversando amenidades, era fácil conversar com Naruto, assim como era fácil ficar em silêncio, ele conseguia ser simpático e gentil e um bom ouvinte. Quando a refeição terminou foram novamente para o sofá da sala, e se sentaram juntos, com Naruto a mexer no cabelo negro bagunçado. -Quer me contar o que ouve de verdade em sua casa? Com seu pai? Não quero ser insistente, mas se falar é melhor, pode ajudar. Sasuke pensou um pouco e como se sentia mais a vontade, resolveu contar. -Meu pai me fez uma proposta, passar o final de semana com o sócio dele, e em troca ele pagaria uma grande quantia em dinheiro para meu pai, e isso ajudaria a empresa, acontece que eu tenho muito medo deste homem, ele é assustador e sempre me intimidou, desde de criança, eu neguei e meu pai me bateu, falou que me obrigaria a dormir com o cara de qualquer jeito e eu...Fugi. Naruto estava de boca aberta. -Seu pai queria que você dormisse com o sócio dele por dinheiro? É isso mesmo? -Sim...E eu sou um garoto, não é que eu ache errado dos homens juntos, nada disso, mas...Acho que precisa haver amor, carinho ou pelo menos consentimento...E eu odeio esse homem, ele me assusta muito, eu sempre tenho uma lembrança...Que eu não sei se é pesadelo ou realidade, de uma noite de tempestade e desse homem entrando em meu quarto, me prendendo na cama e...Fazendo coisas comigo que machucavam muito...Falou Sasuke deixando uma lágrima rolar, mas ele logo limpou disfarçando. Naruto o abraçou com carinho e beijou seus cabelos negros suavemente. -Sim, fez bem em fugir...Mas isso não devia acontecer com ninguém, é uma maldade. Sasuke concordou e se aconchegou mais ao loiro, mas sentiu uma pontada de dor no pé enfaixado. -Aí...Reclamou, tocando o tornozelo ainda muito inchado. -Hum, preciso buscar mais bandagens e material para trocar isso, depois do banho preciso fazer uma nova tala e usar alguma pomada para dor, e pegar mais remédio, vou até o hospital buscar, ficará bem enquanto isso? -Sim, pode ir... Naruto se levantou e riu olhando o menor no sofá. -Conhece o conto de fadas Branca de neve e os sete anões? -Claro! Eu adoro...Quer dizer, eu vi quando eu era criança junto com Itachi...Falou com vergonha, não iria contar que adorava aquela animação. -Certo, então preste atenção, não atenda a porta enquanto eu estiver fora, e não aceite maças de pessoas desconhecidas, entendeu branca de neve? Sasuke riu e cobriu-se com a manta. -Tá bom, vou ficar quietinho aqui, pode ir... Naruto saiu e deixou uma chave perto dele, levou sua cópia e trancou o apartamento pelo lado de fora, Sasuke ligou a televisão e ficou vendo uma série que adora, Addicted web série (Heroin), capítulo 8, estava interessante, já devia fazer uma meia hora e a campainha tocou insistente. Sasuke se sentou nervoso, claro que ele não era a branca de neve, mas tinha medo de atender a porta, no entanto...Não podia ficar assim a vida toda não é? Se levantou pulando num pé só e foi até a porta bem devagarinho e olhou pelo olho mágico, vendo uma cabeleira rosa lá fora, era uma garota com certeza. Abriu a porta devagar e quase caiu, pois a rosada entrou com tudo e depois ficou olhado ele meio sem entender o que ele fazia ali. -Quem é você? Algum projeto de Itachi miniatura? Cadê meu loiro lindo e sarado? -Ah...Eu sou Sasuke, o irmão caçula do Itachi e o Naruto saiu para buscar remédio pra mim. Respondeu tentando voltar para o sofá, sem receber ajuda daquela mulher estranha. -Ué, desde de quando Naruto é babá? Gente, ele é médico, pelo amor de deus! Ela resmungou e se jogou no sofá nem um pouco preocupada com o rapazinho que tentava chegar até aquele mesmo sofá e se sentar. -O que você tem? Foi atropelado por acaso? -Não...Bom, mais ou menos isso... Ela bufou irritada e deu espaço para ele se sentar ali. -Por isso que crianças não devem andar sozinhas por aí...E falando nisso onde estão suas calças? Porque está usando essa camiseta gigante? Fica assim perto do meu loiro? Sasuke não gostou dessa última frase...Nem um pouquinho e não quis explicar nada para essa enxerida. A porta abriu e Naruto entrou, meio preocupado. -Sasuke, porque a porta está destrancada? Quando viu a rosada revirou os olhos nervoso. -Sakura...Como me achou? -Perguntei a sua mãe e ela contou, eu vim te ver, estava com saudades de você, porque não me procura mais? Não está com saudades? -Ahhh, foi só um encontro...E acho que isso não... -Cala a boca loiro lindo, estou com um vinho delicioso na bolsa e não aceito um não como resposta, vamos beber um pouquinho? Sasuke se levantou com dificuldade, tentando sair dali, aquilo estava o enojando e muito, e por um motivo que ele não sabia explicar, logo sentiu os braços do loiro em sua cintura. -Vamos, quer ir no quarto? -Quero sim, pode me ajudar? Sakura torceu o nariz para isso, mas ficou na sala esperando. -Ela é sua namorada? Perguntou o moreninho. -Claro que não! Bom, a gente saiu uma vez e foi até divertido...Mas nada a ver. Sasuke não perguntou mais nada, foi até o quarto e se deitou na cama com a ajuda do loiro. -Vou beber uma taça de vinho com ela e assim ela vai embora, depois te ajudo no banho e faço uma nova tala, tá bom? -Tá sim... Naruto saiu e deixou a porta entreaberta, a Rosada na sala era esperta e tinha notado que logo seria despachada, por isso jogou uma pequena quantidade de um pó no vinho que já tinha colocado numa taça e ofereceu ao loiro assim que ele voltou. -Uma taça e vou embora gostosão...E você pode voltar a ser a babá daquela criança branquela ali... -Sasuke não é uma criança, já tem quase dezoito. -Uau! Parece ter bem menos...Enfim, um brinde a nós e um futuro interessante... Naruto brindou e virou a taça... Depois disso tudo ficou um borrão em sua mente, ele sentiu calor, se sentiu estranho, quente, muito quente, e viu a mulher despir suavemente a roupa na sala mesmo, num instante eles se atracaram ali, estava excitado com algo...Alguma coisa errada...Mas sua mente não colaborava... Sasuke ouviu tudo do quarto, por estar meio impossibilitado de se mover não tomou banho, seria perigoso sozinho...Não tomou o remédio para dor...E ao ouvir o que ouviu se sentiu muito sozinho...Chorou até dormir...Sentia seu coração aos pedacinhos, ele tinha confiado naquele loiro e ele... -Ele não é nada meu, não me deve nada, está apenas cuidando de mim, não devo confundir as coisas...Não sou uma garota bonita com seios fartos e lábios carnudos, é claro que ele prefere ela, é a escolha certa...Falou para si mesmo, antes de se encolher na cama e chorar como uma garotinha que perdeu seu primeiro amor. Pela manhã Naruto acordou com uma baita dor de cabeça, rolou na cama e estava enrolado com um corpo quente e nu... -Sakura! O que faz aqui? Porque estamos pelados na cama do Itachi??? -Ué, porque a gente fez sexo a noite inteira...Seu garanhão...Mas podia não me chamar de Sasuke não é? Isso pega mal...Deve ser porque tá cuidando dele né? Enfim, a balinha que eu usei me deixou meio tonta, mas a que joguei no seu vinho agiu bem... -Puta merda! Você me drogou sua louca? -Ah, eu só usei uma coisinha para te esquentar, nada demais... -Saia daqui! Suma, vaza! Desaparece! Gritou Naruto nervoso. Ela se levantou e foi pegando as roupas pelo chão indignada. -Mal agradecido! Estúpido, infantil!!! -Suma Sakura antes que eu perca a minha paciência... Ela rosnou e se vestiu as pressas, saiu batendo a porta e Naruto passou as mãos na testa nervoso, foi ao banheiro e tomou uma ducha, tomou uma aspirina e foi até a cozinha para fazer o café, viu o saquinho com o remédio que Sasuke deveria ter tomado, as bandagens que ele deveria ter feito. -Droga! Foi até o quarto e ele estava vazio. -Sasuke! Cadê você? O rapazinho saiu do banheiro se apoiando no batente da porta, meio pálido demais para seu gosto. -Sasuke! Está sentindo dor? Minha nossa...Se aproximou, mas viu o rapaz recuar por instinto. -E-eu to bem...Acho que deveria ir ver sua namorada...Ontem eu percebi que estava atrapalhando então...Acho que posso esperar o itachi voltar e... Naruto o abraçou triste e o beijou em seguida, um beijo roubado no calor do momento. (Até que enfim...) Se soltou dele e respirou apressadamente, porque sabia que a droga lhe deu muito tesão, mas tudo que viu foi o menor a sua frente, lindo e seu... -Desculpe, aquela bruxa me deu um vinho batizado e eu perdi a noção...Ela me usou ontem, fui um idiota, não a quero, ela não é minha namorada e eu não sei como me desculpar por isso...Te deixei sem banho, sem remédio, sozinho...Me perdoe... Sasuke não sabia como reagir, aquilo era verdade? Mesmo que fosse doía muito...Ele estava com inveja dela, com ciúmes...Porque? -É natural...Respondeu meio tonto. -O que é natural? -Que deseje uma mulher e não alguém como eu...Respondeu Sasuke e quase caiu, sendo amparado pelos braços fortes do loiro. -O que é normal? Não me fale de nada normal...Não hoje... Sasuke chorou e o loiro o levou ao banheiro, lhe deu um banho carinhosamente e o levou ao quarto, fez a bandagem novamente, passou pomada e lhe deu os remédios todos, trouxe o café na cama e se sentou ao seu lado, esperando, quando enfim ele terminou tirou a bandeja e se aconchegou ao seu lado. -Seu irmão é meu melhor amigo...Você está sob meus cuidados profissionais...Eu sou responsável por você... -O que tem isso? Perguntou Sasuke triste. -E se eu quiser te beijar de novo? Sasuke o olhou nos olhos, aqueles olhos tão azuis! -Eu queria ter nascido uma linda menina...E assim seria sua namorada...Falou de modo simples e até inocente. -Pois eu prefiro você assim...Um lindo menino... Sasuke se viu envolvido nos braços dele, no calor dele, no cheiro dele...E fez uma prece silenciosa... "kamisama onegai...Faz ele gostar de mim..."

Notas finais
Alguém aí querendo jogar pedras na Rosada? Comentem se for possível, quero saber a opinião de vocês.


6. No mundo mágico.

Notas do Autor
Imaginem Sasuke como um neko lindo...Orelhas felpudas e rabinho inquieto...Que fofo!!!

"Kamisama onegai...Faz o Naruto gostar de mim?" Sasuke tinha plena consciência de que queria muito o abraço de Naruto, seus carinhos, ele queria mais que tudo se sentir acolhido em seus braços fortes, onde acreditava que nenhum mal poderia toca-lo, sabia que ainda corria riscos consideráveis, que seu pai mesmo sabendo que ele logo seria maior de idade não desistiria tão fácil de machuca-lo e o odiar, mesmo que ele nunca soubesse o motivo deste ódio todo. Só que ali, naquele abraço ele não tinha mais medo. -Naruto, acho que eu...Que eu gosto de você. Falou de olhos fechados, sentindo o calor da pele quentinha do outro. O loiro suspirou muito feliz, ele também gostava muito do pequeno...Mas como Itachi reagiria se algo acontecesse entre eles? Por isso apenas beijou os cabelos macios do menor e sorriu para si mesmo. O telefone tocou e ele se levantou para ir atender, deixou Sasuke ali e foi até a sala, era raro o telefone fixo tocar, ultimamente as pessoas só usam o celular, por isso deduziu que era importante. -Moshi, moshi... -Itachi? É você? -Não, sou o Naruto, estou cuidando do apartamento do meu amigo, deseja deixar um recado? Ouve um suspiro do outro lado, e Naruto sentiu um aperto no peito que só podia indicar problemas. -Diz a meu filho que eu estou chegando, não permitirei que ele fique com Sasuke, e ele já devia saber disso, não importa onde ele esconda o irmão, eu vou acha-lo, se tiver juízo vai fazer seu amigo entender isso, eu não brinco, e depois Sasuke tem um importante compromisso este final de semana, que não foi adiado. Falou o homem friamente e desligou o telefone. -Droga! Droga! O que faço agora? Falou em voz alto o médico, e logo correu par ao quarto, não queria assustar o pequeno, mas não tinham muito tempo. -Sasu, nós vamos sair, parece que seu pai te achou e esta vindo para cá, vou leva-lo para um lugar onde ele não pode te alcançar, mas...Preciso que confie em mim, está bom? Sasuke ficou branco como uma vela, e seus olhos se encheram de lágrimas. -Naruto, não deixa ele me pegar, por favor! -Não deixo, calma...Ligue para Itachi e avise ele que vamos sair daqui, avise que ele não deve voltar para o apartamento, deve ficar com Menma até eu avisar que esta tudo bem. Sasuke pegou o celular e ligou para o irmão, mas ele não atendeu, deixou alguns recados e percebeu que Naruto pegava uma malinha de mão e colocava algumas coisas estranhas dentro, objetos diferentes que ele nãos sabia o que eram, pareciam incensos e amuletos, como os dos templos. -Confie em mim tá bom? Vem, vamos descer agora! Sasuke ficou em pé, mas foi levantado nos braços pelo loiro que apenas deu a mala nos braços de Sasuke e abriu a porta, olhando com cautela pelo corredor, desceram de escadas e rumaram para os fundos do prédio, numa saída escondida que seria facilmente confundida com um armário, deram num terreno baldio e rumaram para outra área que dava num beco. -Naruto, estou com medo, ainda não consigo andar...Como vamos nos esconder? -Eu posso te levar, você não é pesado, temos apenas que chegar no templo. -Templo? Vamos nos esconder num templo? Naruto ouviu um barulho e ficou parado, encostado num canto, mas eram apenas dois rapazes conversando, passaram pela rua a frente sem olhar para os lados, eles saíram dali e novamente o loiro olhou para a rua, atentamente, logo viu um carro preto estacionando ali perto e dois homens descendo do carro, eles analisaram uma foto no celular de um deles e rumaram para o prédio a frente. -São homens de meu pai, eles vieram me levar embora...Falou Sasuke num fio de voz, tremendo nos braços do loiro, que o apertou mais junto a si. -Calma, eles não sabem que estamos aqui, vamos atravessar a rua e logo estaremos no templo e a salvo deles. Com cautela o loiro caminhou entre as pessoas que as vezes davam uma olhadinha na cena, mas por verem a perna enfaixada do menor percebiam que ele estava ferido e deixavam isso de lado, conseguiram chegar ao outro lado da rua e logo entraram numa outra rua mais arborizada, subiram alguns metros e deram num pequeno templo, Naruto colocou Sasuke no chão e ele se apoiou num dos pilares do templo, enquanto o loiro entoava uma canção. Para surpresa de Sasuke a porta se abriu sozinha como se a canção fosse a chave e eles entraram, era muito bonito o templo, mas bem pequeno, um cheiro gostoso de incenso enchia o ar, e haviam flores recentes no altar e bolinhos de arroz como oferendas. -Fique sentado aqui, vou abrir o portal, está bem? Sasuke concordou e se sentou num dos bancos, mas não entendeu o que ele quis dizer, como assim abrir o portal? Naruto enquanto ascendia mais incensos olhava o menino sentado ali, tão lindo e assustado, sabia que leva-lo para aquele mundo era arriscado, como ele ficaria por lá? Algumas mudanças podiam acontecer é claro, assim como aconteciam com outros...Ele ficaria com muito medo? Mas não havia escolha, aquele monstro do pai dele não estava de brincadeira, ele queria mesmo pegar o filho caçula, e não desistiria tão fácil assim, tinha certeza que Itachi ficaria bem estando ao lado de Menma, afinal ele era um astro pop e vivia cercado de seguranças. Quando Naruto vestiu as roupas de monge percebeu com o canto dos olhos que o moreninho ficou espantado. -Você não é médico? Naruto o olhou e sorriu divertido. -Sim, eu sou, mas também sou um monge aqui neste mundo...No outro eu sou um pouquinho diferente... -Que outro? Perguntou Sasuke nervoso. -No mundo das divindades sagradas, dos yokais e dos familiares...O mundo mágico. Com um toque simples em um sino todo o templo tremeu e Naruto entoou um novo cântico, uma porta enorme se abriu onde antes só existia uma parede e nada mais e Sasuke ficou chocado com isso, do outro lado ele podia ver flores e um dia lindo de sol, borboletas coloridas voavam e um cheiro gostoso de primavera invadia o templo. Naruto se levantou e pegou Sasuke nos braços, sorriu ao ver a incredulidade em seus olhos negros e caminhou até o portal, antes de atravessar olhou bem dentro dos olhos do moreno. -Confia em mim mesmo? -E-eu confio sim...Respondeu Sasuke apertando a mão nas vestes do outro. -Feche os olhos e só abra quando eu mandar, tá bom? A primeira vez que atravessamos é desagradável, depois a gente se acostuma. Riu quando viu que Sasuke escondeu o rostinho em suas vestes e ficou tenso, ele então entrou no portal e ouviu sinos e viu a luz quase intensa demais passar por eles, mas logo seus pés tocaram o chão familiar do outro lado e o portal se fechou a suas costas, selando o mundo humano do mundo mágico como sempre fazia. Naruto se sentou na grama com sua carga preciosa nos braços, notou que Sasuke estava inconsciente, o que era normal para a primeira passagem e também notou outra coisa muito interessante, o belo moreno se tornou um hibrido, com orelhinhas felpudas negras, isso fez o jovem loiro sorrir satisfeito, se antes Sasuke era lindo, agora era absolutamente irresistível, e se ele tinha orelhinhas, será que tinha rabinho felpudo? O loiro percebeu que sim, um rabinho de gato felpudo era visível agora. -Minha sanidade acabou completamente meu gatinho lindo... Sasuke se moveu e abriu os olhos meio sonolento, mas quando olhou para Naruto ficou pasmo, de boca aberta, e apontou para a cabeça do loiro totalmente aturdido. -Naruto! V-você tem orelhas de...Raposa? Mas como? E onde estamos? Naruto riu, é verdade ali ele era o guardião do templo, mestre Naruto, o yokai raposa, e junto com seus auxiliares mantinha o local seguro, livre de deuses caídos e entidades do mal. -Sasuke eu te disse aqui é mundo mágico, e sim eu sou um hibrido raposa, e você...Bom, é melhor eu te mostrar não é mesmo? Vamos a minha casa, lá tem espelho. Sasuke se sentou nervoso e tocou a cabeça, dando um gritinho ao sentir orelhinhas felpudas ali também e mais ainda ao ver que tinha...Um rabo? -Naruto!! Eu tenho orelhinhas e um rabinho? O que eu sou? -Ah...Não fique assustado, parece que você é um hibrido de gato persa, ficou uma gracinha em você eu devo admitir, até meu irmão teria inveja, ele é um hibrido de gato também, acho que combina perfeitamente com ele. -M-meu irmão sabe disso? E-ele já veio aqui, neste mundo? -Bom, ainda achamos cedo para contar para o Itachi, mas pretendíamos trazer ele no feriado de final de ano, quando o portal está mais fácil de abrir, fizemos até uma aposta, meu irmão acha que ele vai ser provavelmente um hibrido de felino e eu acho que será mais para um hibrido de coelhinho fofo... Embora ainda meio assustado o jovem Sasuke riu, imaginando seu irmão como um coelho, e isso foi o que quebrou a tensão e o medo. -Sou um gatinho? Sério? -Sério, e aqui seu pai nunca mais pode te tocar...Você não pode ficar aqui para sempre, já que não é meio humano e meio yokai como eu, mas pode ficar até seu pai desistir de te achar e você ser maior de idade, e podemos voltar sempre...Vivendo entre os dois mundos, assim como minhas mães fazem. -Kushina e Ino? E-elas sabem? -Bom, minha mãe Kushina quando era adolescente visitou um templo no ano novo e conheceu um deus raposa, ele estava visitando o mundo humano, eles meio que se encantaram um pelo outro e tiveram uma noite juntos, eu nasci deste encontro...Filho de um deus raposa e de uma humana eu sou o que chamam de yokai, e tenho liberdade entre os dois mundos, também posso trazer outros para cá, mas na passagem todos que são humanos viram hibridos, por isso as orelhinhas... Sasuke estava impressionado com essa história. -Mas sua mãe nunca mais viu o deus raposa? E seu irmão caçula, ele também é um meio yokai? -Pois é...Foi uma paixão de uma noite apenas, afinal ele é um deus...Tempos depois quando eu tinha um ano e meio ela conheceu Ino e se apaixonou, as duas se tornaram namoradas e ambas cuidaram de mim juntas desde de então, quando eu era ainda muito pequenino já abria os portais e nós três passamos muito tempo brincando por aqui, principalmente nos finais de semana, foi quando descobri que como filho de um deus tenho direitos e deveres e me foi designado um templo para cuidar, meu irmão foi adotado alguns anos mais tarde, ele é um hibrido também mas nasceu no mundo mágico, também é um meio yokai, mas seus pais que estavam neste mundo morreram num ataque a uma das aldeias, um ataque de um deus caído, meu pai e minha mãe já se viram novamente e são bons amigos agora, ele entende o amor das duas e respeita muito, na verdade ele adora as duas. -Gente! Quanta coisa...E como mantem essas duas vidas? Um médico e um monge lá e um...O que é aqui mesmo? Perguntou Sasuke confuso. -Aqui sou o guardião do templo...Mas é fácil, lá no mundo humano sou médico e tenho um pequeno hospital, que cuida de pessoas e alguns yokais de passagem por lá, tenho aquele pequeno templo onde faço minhas oferendas e mantenho a ponte entre os dois mundos sempre aberta e bem escondida e aqui venho pelo menos duas vezes na semana para me certificar que tudo está em ordem. Sasuke entendeu tudo, mas era tudo novo e ele se sentia diferente...Se levantou meio tonto e notou que sua perna não estava doendo, olhou para Naruto que sorriu e fez sinal de que ele podia caminhar. -Eu não estou ferido aqui, veja! Sorriu pulando de alegria, mas logo parou envergonhado, sua cauda macia se enroscava entre suas pernas e era meio esquisito, suas orelhinhas ficaram se mexendo e ele teve vontade de se enroscar em Naruto para receber cafuné. -Naru...Como vou usar roupas com esse rabinho? E porque eu quero tanto receber carinho? Naruto riu e o abraçou fazendo carinho entre suas orelhinhas macias e quentinhas. -Porque você é um gatinho manhoso e está querendo carinho, por isso suas orelhinhas estão assim, e não se preocupe, pode usar alguns quimonos que tenho aqui, eles são adaptados para nossa condição, afinal eu também tenho cauda, veja só... Naruto ficou em pé e Sasuke riu, tocando a cauda fofa de raposa laranja que ele exibia, isso era mesmo incrível. -Vem, vamos para minha casa meu gatinho...Lá tem biscoitos e leite quentinho. -Hum, adoro leite... Naruto riu, devia ter adivinhado que Sasuke seria um gatinho, dado ao fato que ele amava carinho, chamego e leite morno... -Aqui...Você pode ficar comigo? Perguntou o menino com a voz meio baixinha, segurando a cauda com uma das mãos meio tenso com a pergunta. -Hum...Naruto pensou colocando a mão no queixo e analisando o pequeno a sua frente, a imagem perfeita da inocência intocada e da beleza pura. -Gatinho, eu moveria os dois mundos para ficar com você... Sasuke se deixou ser levado pela mão até um templo que viu surgindo a distancia e lá na porta esperando um belo homem com um quimono leve e colorido, cabelos longos e brancos esperava a ambos. -Bem vindo Sasuke Uchiha...Espero que sua estada neste nosso mundo seja boa e amistosa. Falou o belo homem. -O-obrigado senhor... -Pode me chamar de Kamisama, e eu ouvi todos os seus pedidos lindo gatinho. Sasuke ficou espantado, olhando o belo deus a sua frente. -Kamisama!? Perguntou incrédulo olhando para os dois, o deus raposa e o yokai Naruto. -Meu filho quando disse que ele era lindo não me disse a verdade, ele é maravilhoso... Naruto sorriu e abraçou o gatinho quase mudo de espanto. -Pois é pai, eu falei que ele é lindo, as minhas mães falaram o mesmo... -Seu pai é o deus Kamisama? Perguntou Sasuke tremendo de nervoso, afinal ele pediu tanta coisa aquele deus, principalmente...Ele pediu o próprio Naruto! Que vergonha! Kamisama como se entendesse a vergonha que tingia o rostinho bonito lhe tocou a face quente e acariciou seus cabelos negros aveludados. -Tudo bem pequeninho...Seus pedidos eram tão doces que eu não podia ignora-los...Bem vindo ao meu mundo.

Notas finais
Tão fofo!!! Esperem o próximo capítulo repleto de uma dose dupla de fofura com lemon...


7. Gatinho quer carinho.

Notas do Autor
Gente! O gatinho descobriu uma coisa muito interessante no mundo mágico, será que o seu médico particular vai poder ajuda-lo? Só lendo para descobrir e se encantar.

"O Deus Kamisama é o pai de Naruto...Que vergonha!!" Esse pensamento encheu a cabeça do pequeno gatinho envergonhado, mas o belo Deus sorriu para ele, tocando em sua face quente e fazendo um carinho que para seu espanto o fez ronronar baixinho. -Calma criança...Seus pedidos são apenas seus, não vou contar para ninguém, mas agora que eu estou frente a frente com você posso te dizer que merece receber exatamente o que me pediu... Sasuke engoliu em seco, nervoso, abaixando a cabeça e Naruto que não entendeu nada apenas sorriu. -Filho leve esse gatinho para o interior do templo, cuide bem dele, e do templo, vou sair por alguns dias, tem uma vila nos arredores do vale das sombras que está sendo atacada por um deus caído, irei ajuda-los, fique aqui e cuide de tudo, principalmente desse menino lindo. E dando uma piscadinho para o filho saiu caminhando lentamente e logo sumiu no ar. -E-eu...Nunca iria imaginar que ele era seu pai...Que vergonha! Eu sempre pedi coisas para ele... Naruto riu divertido. -Não se sinta só, ele é meu pai, mas eu também faço orações a ele, afinal é um Deus, e o que pediu recentemente? Sasuke corou intensamente e notou que nesta forma sua timidez era ainda maior, ele se sentia mais vulnerável e manhoso que antes, sua cauda subiu e ele sentiu as orelhinhas mexendo sem parar. -Que graça, ficou nervoso? Quer carinho? -C-como sabe disso? Perguntou Sasuke torcendo as mãos umas nas outras. -Bom, acabei entendendo o que significa quando a cauda está em pé e as orelhinhas assim...Você está nervoso, ou ansioso, e ao mesmo tempo quer mimo, carinho... Naruto falou e se aproximou do gatinho o envolvendo nos braços quentes e ele se rendeu na hora, aconchegando o corpo pequeno no outro, sentindo o cheiro gostoso dele, farejou a roupa numa atitude nova, apertando os dedos no tecido macio, queria sentir a pele, beijar, tocar...Porque queria isso? Escondeu o rosto na dobra do pescoço dele, com vergonha dos seus desejos. -Naruto...Eu me sinto estranho... Naruto o olhou mais atentamente, ele estava corado, as orelhinhas murchas, a carinha triste. -Vem, alguma coisa te desagradou, vamos arrumar um quarto para você...Um banho e uma caminha quente, leite morno e biscoitos... -Mas eu quero ficar com você...Choramingou e o loiro o pegou no colo o aninhando entre seus braços. -Quer ficar no meu quarto? Se sentirá mais seguro lá? -Sim... Foram para o quarto do loiro, eles entraram e o mesmo foi preparar o banho, enquanto Sasuke se via curioso ao extremo, se levantou e foi fuçar por ali, havia muito para ver, mas ele ficou absolutamente encantado por uma bola de cor linda que estava numa estante alta, era cintilante e pequena, parecia macia e o jovem gatinho decidiu alcança-la, não demorou e percebeu que podia escalar tranquilamente aquela estante, sua cauda se agitou e ele deu um pequeno salto, subiu sem dificuldade e quando alcançou a bolinha seu pé escorregou e ele caiu, se segurou em tudo que tinha no caminho, livros, objetos e tudo veio ao chão, por um milagre inesperado ele caiu e não se machucou, mas um monte de coisas caiu em cima dele, incluindo a cortina que ele no susto puxou. Naruto voltou correndo ao ouvir o barulho e o que viu era no mínimo divertido, o gatinho no chão, sentado entre um monte de bagunça, com a cortina na cabeça, e uma carinha de assustado. -Nossa, seus instintos de gato são fortes, o que queria pegar na estante? -D-desculpe, eu queria a bolinha...Daí caiu tudo em cima de mim, desculpa a bagunça, não sei porque fiz isso, nunca fiz bagunça, nem quando era pequeno...Falou com lágrimas nos olhos negros. -Ei, ei...Não chora, você não tem culpa, são os instintos felinos que são bem aguçados em você...Queria a bolinha, essa bolinha? Falou Naruto pegando a bolinha colorida e entregando ao gatinho, livrando ele do meio daquela bagunça, notando que ele arranhou toda a cortinha ao tentar se segurar nela, estava toda retalhada...Sorriu divertido ao ver isso. -Eu não gostava desta cortina mesmo e tinha que redecorar, vem, banho... Sasuke saiu do meio da bagunça, agarrado a bolinha macia e foi levado ao banheiro, torceu as orelhinhas para a banheira grande, mas quando Naruto começou a tirar a roupa para entrar também se animou, queria ver como era...Aquele...corpo...magnífico... -Nossa! Como você é bonito e forte! Exclamou espantado ao ver o corpo do outro, ele tinha músculos definidos e sua cauda era felpuda e macia, mexendo para todo lado irriquieta. Naruto parou com as mãos na cintura e se virou antes de tirar a última peça de roupa. -Tire sua roupa e vamos entrar na água, tá quentinha... Sasuke engoliu em seco e começou a tirar a roupa, cada vez mais vermelho, até ficar nu na frente do outro, daí sim sua cauda se escondeu entre suas pernas e suas orelhinhas murcharam totalmente, era vergonha. Naruto achou isso a coisa mais fofa do mundo, numa escala de 01 a 10, era fofura nota 11. -Vem aqui, tá tudo bem, eu te acho lindo, muito lindo mesmo. Falou sinceramente, olhando para aquele corpo lindo, de tirar o fôlego a sua frente, se a sua sanidade estava em ordem? Já tinha ido para o espaço... Puxou o gatinho para a banheira e terminou de se despir, isso deixou o outro mais vermelho ainda, pois ele se encolheu um pouco na água perfumada e cheia de espuma. -Sasuke...Senta aqui, vou esfregar suas costas tá bom? Sasuke ficou de costas para Naruto e ele começou a passar uma bucha macia em suas costas lentamente... -Naruto, ser um hibrido é estranho...To sentindo umas coisas novas... -Que tipo de coisas gatinho? Me fale que eu posso ajudar. -Hum, mas você não vai ficar bravo comigo? -Como alguém poderia ficar bravo com você? Impossível isso...Naruto falou achando muita graça disso, na verdade o mundo mágico altera um pouco cada um, ele por ser um yokai não tinha essa mudança muito forte, mas Sasuke já era doce e delicado no outro mundo, ali era uma fofura, mas o que ele podia estar sentindo de tão diferente assim? -Seja lá o que for não ficarei bravo, prometo! -Estou quente... -Ué, a água está muito quente? -Não, tá gostosa, eu estou quente em um lugar específico...Ronronou o gatinho, sentindo a mão grande passear em suas costas nuas. -Onde? Me fala. Sasuke se virou na banheira, os olhos negros intensos e enroscou as pernas na cintura do yokai raposa. -E-eu estou morrendo de vergonha...Mas estou muito, mas muito necessitado disto. E falando assim beijou a boca do outro, logo apertando seu corpo junto ao dele num abraço quente, onde suas ereções se tocaram levemente, arrepiando a pele intensamente. -Sasuke...Não faz isso...Fico louco menino... -Então fica e me ajuda, me toca, me beija...Faz coisas comigo... -Coisas? Que coisas? Perguntou rindo e foi mordido na boca. -Coisas gostosas, eu sei que você sabe...Faz comigo Naruto? (Ah...Depois dessa a sanidade do loiro sumiu, ele esqueceu até do próprio nome.) Naruto abraçou o menor em seu colo e o apertou ali, intensificando os toques em seus corpos, deslizou a mão pelo corpo macio e molhado até tocar na cauda e descer mais, achando as nádegas branquinhas que apertou gostoso, e viu Sasuke se derreter e jogar a cabeça para traz, expondo o pescoço que foi imediatamente beijado e mordido com afinco, a água fazia um barulho engraçado em choque com seus corpos quentes. Naruto passeava a mão pelo corpo leve e Sasuke gemia e ronronava satisfeito, quando uma das mãos do loiro tocou sua ereção já dolorida gemeu alto, satisfeito em sentir o toque ali, o loiro sabia toca-lo e sabia provoca-lo, o ergueu na banheira e o fez sentar na borda, abriu suas pernas e deslizou a língua na virilha macia, antes de tomar o membro tenso na boca, inteiro, quase provocando espasmos de prazer no pequeno, ele o olhava e achava essa face corada, de olhos semi abertos, a boquinha vermelha se abrindo para deixar escapar gemidos doces a coisa mais linda do mundo, o tomou na boca e o fez gritar de prazer, sentiu os jatos do prazer de Sasuke invadir sua boca e o provou, era doce. -O gatinho ficou mansinho, quer mais? Sasuke ainda meio tonto se abraçou ao loiro e sorriu. -O gatinho quer mais... Naruto já o preparava dentro da banheira, a espuma facilitando o ato, seus dois dedos o invadiam e ele gemia manhoso, estava apertado e era muito gostoso, ele rebolava em seus dedos, achando incrível que algo assim fosse gostoso. -Naruto, isso é gostoso...Gemeu no ouvido do belo yokai. -Posso colocar outra coisa aí? -P-pode...Mas vai devagar...Pediu o moreno. Naruto o fez sentar devagarinho em seu colo, mais precisamente em cima de seu membro duro e urgentemente precisando de carinho, era apertado e entrava devagar. -Aí...Isso dói...Mas é...Hum... -Quer parar? Tá doendo muito? Sasuke o beijou e desceu o corpo, até sentir o outro inteiro dentro dele, estava doendo, era estranho e mesmo assim ele queria mais disso, mais dessa sensação estranha e nova em seu corpo que tremia inteiro pelo ato. -Ah, Naruto! Gritou Sasuke parando para se acostumar a isso, e recebendo beijos que o distraiam da dor inicial. Com carinho o loiro tocou no membro já desperto do moreno e isso amenizou o desconforto, ele então se mexeu delicadamente e o loiro tomou sua cintura nas mãos, o fazendo se erguer e descer num ritmo constante, antes que ele pudesse assimilar isso algo aconteceu, um lugar dentro dele foi tocado e ele gritou de prazer. -Naruto! Ah!!!! O loiro riu e acertou ali novamente, apertando a cintura leve em suas mãos fortes, a água da banheira se derramava toda para fora, seus corpos se chocavam quentes, o corpo de Sasuke era invadido com extremo prazer e ele gemia a cada nova estocada, o ritmo se intensificou e eles agora estavam tão juntos, as mãos apertadas umas nas noutras, as bocas coladas num beijo intenso, os corpos perdidos no prazer e então gritaram juntos, recebendo um orgasmo intenso que fez Sasuke se derramar na mão de Naruto enquanto o loiro se desfazia dentro do pequeno menino gato. Todo esse prazer fez o corpinho jovem e frágil cair nos braços do outro, satisfeito e molinho. -Ah...Acho que o gatinho tá esgotado... Naruto riu e o abraçou, aconchegando ele em seu peito, ouvindo o leve ronronar do gatinho manhoso, até que percebeu que ele dormiu, o tirou da banheira e levou ao quarto, o enxugou e cobriu, e se deitou ao seu lado, tão esgotado como ele, ambos dormiram tranquilos. Kamisama ao longe cantarolava satisfeito consigo mesmo.

Notas finais
E aí minha gente, estou com três fanfics no momento, essa que é pura fofura, outra que é torturante e claro prisioneiro do destino que tem de tudo um pouco, ufa!! Comentem se puderem, um beijo. Akirasam.


8. Minha calça! Malditas fãs enlouquecidas...

Notas do Autor
Gente, me diz essa capa ficou legal?? E quanto ao capítulo, imaginei isso assistindo os videos da BTS, não me julguem...Achei a cara do Menma e do Itachi.

Menma recebeu um olhar enviesado do moreno ao seu lado, e desatou a rir, estavam ambos escondidos num armário de vassouras, dentro da gravadora e agora o cantor tinha vários pensamentos nada castos sobre o outro. -Seu doido! E se pegam a gente, eu morreria de vergonha, caramba!!! Precisa se controlar! -Sério? Você gemeu bem para quem queria controle não é? Itachi o empurrou naquele espaço apertado, coisa que não fez grande diferença, já que o local só permita que ambos estivessem colados, sentia o rosto quente de vergonha, quase tinham sido pegos numa situação bem constrangedora agora a pouco por um bando ensandecido de fãs do seu namorado, ah como ele ficou nervoso! -A culpa é sua! Quem mandou me segurar daquele jeito? E ainda por cima morder meu pescoço e...Descer minha calça! Francamente Menma, você é um tarado! Menma riu divertido, tinham ido para o estúdio gravar um arranjo para uma música, o pessoa já conhecia Itachi, os outros meninos gostavam dele, o tratavam com todo carinho, as vezes até carinho demais para seu gosto, mas enfim...Voltando ao ponto, ficou tarde e todos foram embora, ficando só ele, Itachi e o produtor, mas lá fora as meninas não arredaram pé, quando tudo estava pronto o produtor se despediu e saiu, eles ficaram sozinhos e ele como um safado que sempre foi não resistiu em ver o seu namorado lindo dando sopa ali, tratou de agarra-lo, como sempre ele relutou, ele o beijou e imobilizou sobre a mesa de som, puxando sua calça na esperança leve de quem sabe...Fazer um carinho e ouvir seus gemidos, quando um som alto os faz perceber que as fãs tinham entrado, disto até o fato de estarem presos num armário de vassouras no terceiro andar foi um pulo. -Menma, eu ainda estou sem minhas calças! Menma riu divertido, tentando não fazer muito barulho, na presa ele simplesmente arrancou a calça do menor que estava enroscada em seus pés e correram assim mesmo pelo corredor oposto ao das fãs loucas, pegando um escada de incêndio e se escondendo depois ali. -Pra mim você fica lindo só de camisa branca e cueca azul...Itachi lindo... O moreno ficou quase da cor de um tomate e abaixou a cabeça praguejando pelo namorado tarado que tinha, foi quando ouviram as vozes fininhas de duas adolescentes no corredor, logo ali, provavelmente encostadas na porta do armário de vassouras. -E-eu acho...Acho que ele fugiu, de novo! Como pode ser tão rápido assim? -Pois é, foi quase...Mas eu consegui uma coisa hoje, olha só isso aqui! -Uma calça jeans...Oh meu deus! Meu deus! Meu deus! De quem é isso? Itachi quase morreu ao ouvir isso, aquelas fãs estavam com sua calça jeans nas mãos! Não!!!Um pesadelo, só pode ser um pesadelo!!! Ouviu-se um monte de gritinhos histéricos das duas, Menma tapou a boca de Itachi para que ele também não gritasse indignado de que as fãs estivessem com um item seu, e bem pessoal nas mãos, se bem que Menma tinha que admitir que isso resultaria numa grande, enorme enxurrada de assuntos na internet, já podia até ver... “De quem pode ser a calça encontrada no estúdio de som? Um amante secreto de Menma? Uma menina? Um menino? Quem poderia arrancar suspiros do astro pop Menma Uzumaki?” Menma quase riu alto ao pensar nisso, imagina as fanfics? Oh céus isso seria interessante, tratou de colar o ouvido na porta, sendo mordido pelo namorado enfezado. -Aí...Reclamou. -Olha, tem algo no bolso, veja!!! Gritou uma delas e lá dentro Itachi roía as unhas de nervoso, ele tinha algo comprometedor nos bolsos? O que pelo amor de Kamisama!!! -Papel de bala, grande coisa, só diz que o dono dessa calça não joga lixo na rua... -Numero 38 masculino...É um homem!!! Eu sabia, quem será???Oh, espera, tem mais aqui!! Menma olhou feio para Itachi e sussurrou em seu ouvido. -Meu lindo não deixe provas nos bolsos... -Calado! Resmungou Itachi nervoso. -Oh isso é bom, veja, um bilhete de amor, que fofo!!Elas gritaram agora, pulando, histéricas. Itachi ficou muito corado de repente e protegeu o rosto nas mãos, mais cedo estava escrevendo uma canção num papel, era uma canção de amor que ele não tinha coragem de mostrar ao namorado, porque achava bobinha demais... -Bilhete de amor? Sério? Sussurrou Menma, comovido. -Não seu bobo...É a letra de uma canção... As fãs gritavam lá fora e outras se juntaram a elas, conversando. -Consegui uma foto parcial de pernas nuas correndo, entrando pela porta de incêndio, são pernas bonitas! Uma das fãs falou toda convencida. Itachi apertou um gritinho agora, tinham tirado foto de suas pernas, sério? -Hum, que pernas lindas, parece que nosso Menma tem bom gosto, vou comparar com nosso banco de dados de ídolos, e ver se bate com algum, começo com Neji, ele tem carinha de uke. "Elas tem um banco de dados de fotos de pernas?Sério isso!!" Pensou Itachi nervoso, essas meninas pareciam espiãs. Menma riu baixinho lá dentro, e Itachi ainda estava mortificado demais com a foto de suas pernas para ouvir mais alguma coisa. -É porque meninas, o nosso Menma é seme, com certeza! Olha o físico dele! Definitivamente ele é seme! Menma quase engasgava com próprio riso e nem via a cara feia do outro que agora despertava de seu transe. -Vamos, ainda temos que verificar o subsolo, quem sabe estão por lá, afinal o nosso garoto misterioso está sem calças...Todas riram animadas. -Acha que ele é tímido? Pequeno? Fofinho? Será que ele é meigo? Aposto que é baixinho! Todas riam muito com essas especulações. Itachi agora tinha sido ferido no seu íntimo mais interno, ele sentia muita raiva quando o chamavam de baixinho! Ele não era baixinho tá! Ter um metro e sessenta e cinco não é ser necessariamente baixinho, tá certo que Menma tinha um e setenta e oito...Detalhes! -Ah como eu queria ter tirado uma foto da bunda dele, imaginem!!! Foi por pouco... Elas se distanciaram e Itachi rosnou irritado. -Menma, elas levaram minha calça, e a culpa é sua! Fez um bico fofo ao ficar muito emburrado. -Eu tenho roupas na sala de descanso, as vezes tomo banho aqui, sempre deixo roupas leves e alguns agasalhos da banda, só temos que chegar até lá sem deixar elas fotografarem sua bunda. -Menma! Ele riu e abriu a porta devagarinho, avaliou tudo e tentou puxar Itachi, mas ele não saiu, estava com vergonha, sua camisa era curta, deixava metade de sua bunda de fora. -Não vou, vai lá buscar pra mim, faz de conta que é um daqueles episódios de zumbis que você tanto gosta e tenta voltar vivo pra mim. Menma riu do drama, tirou a camisa longa que usava e colocou em Itachi, ficou lindo, parecia um vestido, mas por isso mesmo ficava fofo, ele tinha pernas macias e lisinhas, muito bem torneadas, deixavam o cantor de boca aberta, principalmente com ele puxando todo envergonhado o tecido com as duas mãos. -Ita, se eu não estivesse seriamente preocupado te jogava naquela mesa de som de novo...Você tá muito comível meu gato selvagem... Itachi revirou os olhos, e olhou feio depois para ele, em primeiro lugar a culpa de tudo isso era o próprio Menma, onde se viu agarra-lo assim? Na mesa de som! -Tsc...Só você...Vem, me leva, e não deixa aquelas fãs loucas me verem! -Tá, tá saquei, igualzinho episódio de filme zumbi, esconder para sobreviver, fugir e caçar comida...Ops, no nosso caso, caçar uma calça...Menma começou a rir sem parar. -Que foi? Qual a graça? -Aí, aí...Essas fãs zumbis querem literalmente nos comer...Vamos logo! E Menma se virou para Itachi fazendo posse de zumbi no corredor deserto. -Cérebro...cérebro... -Credo! Resmungou Itachi. Conseguiram chegar a sala de descanso e o moreno correu até o vestiário, pegou uma calça comprida de moletom escuro e vestiu, se sentiu novamente bem, infelizmente ouviram os seguranças e o som das fãs fugindo, fugindo em sua direção! -Menma! Onde eu me escondo? O cantor não podia deixar as fãs encontrarem Itachi, ou o pobrezinho nunca mais teria sossego, por isso o enfiou na sauna e fechou a porta, virando em seguida e sendo cercado por uma dúzia de fãs. -Olá meninas, são do meu fã clube oficial? Otomes loucas? “Pausa para gritinhos histéricos, emoção, lágrimas e palavras desconexas...” Menma fez sua melhor cara de galã e sorriu derretendo meia dúzia delas, mas algumas aguentaram firmes ali, e uma delas mostrou a calça de Itachi, mais ou menos como um troféu. -Pode nos dizer de quem é essa calça? Ou do dono destas pernas? Uma das meninas mostrou um celular, onde se via com clareza as belas pernas de Itachi em fuga. -Eu gostaria de dizer que são minhas...Infelizmente não são. As meninas o cercaram por mais uns dois minutos quando finalmente um dos seguranças conseguiu abrir a porta da sala que estava lacrada agora pela habilidade das meninas em empilhar coisas ali e um grupo grande de seguranças entrou, tirando as meninas desmaiadas e as acordadas embora, quando se viu livre o jovem cantor correu e abriu a porta da sauna e pegou o namorado nos braços todo suado e ofegante. -Desculpe amorzinho, te jogar na sauna foi tudo que me ocorreu...Falou Menma dando beijinhos na testa molhada do menor. -Mor, quero ir embora...Odeio saunas, e não quero ver uma fã sua por um tempo, eu adorava aquela calça...Resmungou infeliz o jovem Itachi. -Sinto muito pela calça e pela canção...Falou Menma sendo sincero. -Ah, tudo bem...Eu tenho cópias em casa... -Ótimo, vamos ver, vou compor a melodia e cantarei no festival de inverno. -M-mas você nem viu se ficou bom...Resmungou Itachi sem graça. -Fala do nosso amor? -F-fala sim... -Pra mim está perfeito. Itachi sorriu e meneou a cabeça, esse seu namorado era mesmo único. Seu celular vibrou e ele o pegou, uma mensagem de Sasuke. O moreno olhou assustado para Menma. -Amor, sabe onde seu irmão poderia esconder o meu irmãozinho? Meu pai está a procura dele, isso é preocupante, sua turnê começa amanhã, como farei para ficar com Sasu? -Nossa amor, não percebeu ainda? Naruto vai ficar muito feliz em ter seu irmãozinho com ele e não se preocupe, meu irmão tem lugares onde ninguém pode encontra-los, melhor ficar aqui, seguro comigo... -Sim, muito seguro...E sem calças... Num instante com um golpe ninja maravilhoso o jovem cantor jogou o moreno no sofá da sala de descanso e apagou a luz principal, sorrindo da carinha de incredulidade do menor. -Tsc...De onde paramos mesmo? Itachi engoliu em seco...Esse olhar azul safira estava tão intenso que podia ver seu próprio medo estampado nos olhos lindos, mas também podia ver sua entrega lentamente... Numa prece muda o jovem Itachi pediu razão a Deus, mas dizem que Deus não pode conceder a razão aos seres humanos, pois Deus também criou o amor, e isso ele adora ver...Já que quem ama perde totalmente a razão. “Kamisama onegai, me permita resistir a Menma e ajude meu irmãozinho...Por favor...Amém!” Nem mesmo Itachi acreditou em suas palavras, pois ao mesmo tempo seu coração gritava... “Faz amor comigo...Menma.”

Notas finais
E então? Gostando?


9. Gatinho manhoso.

Notas do Autor
Oi, sim eu sei, demorei, calma...Pois é, três fanfics...De novo, mas vamos indo com calma que tudo tem jeito.Neste capítulo Sasuke acorda neste novo mundo, seus instintos de felino são uma fofura, deixam o belo loiro completamente maluco. Boa leitura!

O dia amanheceu lindo, passarinhos cantavam próximos a janela, a cama estava quentinha e havia um cheiro gostoso no ar, um cheiro conhecido ao mesmo tempo estranho, bom e meio doce, leve e bem perto...Sasuke se esticou todo e procurou o aroma gostoso que sentia, ainda de olhos fechados e achou o dono deste aroma...Era Naruto que dormia ao seu lado, isso fez o pequeno abrir os olhos ainda sonolento e sorrir feito bobo. Mas foi então que uma onda de compreensão veio do nada e ele lembrou de tudo, oh céus! Isso desencadeou uma porção enorme se sensações pelo seu corpo, todas confusas, primeiro um calor subiu do dedinho do pé até a pontinha dos cabelos negros, depois uma vergonha persistente passou por seu rosto colorindo suas bochechas de um tom vermelho, e daí para complicar ele sentiu medo de ter sido muito atirado e o outro achar ele um gatinho de rua safado, isso tudo misturado fez ele ter a pior das reações possíveis... Naruto acordou com leves soluços ao seu lado e olhou na direção de Sasuke, que estava todo encolhido na cama, enrolado no edredom e chorando com a cabeça escondida entre os joelhos. -Sasu, porque está chorando? Eu fiz algo errado? Se arrependeu de ontem? Mas Sasuke não respondia, nem olhava para ele ainda, estava fungando baixinho, tentando a todo custo manter os olhos fechados. -Gatinho...Chamou Naruto de novo, se aproximando do pequeno híbrido. -E-eu não sou assim, nunca tinha me atirado em ninguém, eu tinha até medo de ser tocado e daí eu...Eu quis...Você sabe...Tô com vergonha! Falou por fiz, e isso fez Naruto abrir um sorriso divertido. -Ora, é isso? Porque está com vergonha? A gente só fez amor, nada demais, e você não gostou, é isso? -E-eu gostei...Mas você me acha um gatinho vadio? Naruto riu muito disso, como ele podia pensar numa coisas dessas? Um gatinho que nunca tinha feito nada disso antes, e que era a fofura encarnada e a perdição descarada na sua frente, na verdade se não tomasse cuidado podia facilmente agarra-lo ali mesmo, suspirou em busca da sua tão sonhada sanidade perdida...(Devia ter ficado lá fora com certeza, porque ali naquele quarto não estava!). -Ah Sasu...Você como um ser humano comum já é a coisa mais linda do mundo, agora como híbrido é a perdição. Sasuke jogou a cabeça de lado e andou pela cama como um felino curioso, parando na frente do loiro, sua cauda mexendo para todos os lados. -O que isso quer dizer? Não entendo...Seus olhos negros tão lindos brilhando na mais perfeita das imagens. -Aí, aí...Suspirou Naruto. -Quer dizer que não estou bravo com você e que não fez nada de errado, mas vamos tomar café? Tá com fome? Sasuke se animou e se desenrolou do edredom com alguma dificuldade, ficando nu na frente do outro, pegou a cauda nas mãos e passou os dedos no pelinho negro e fofo, depois riu achando engraçado. -É engraçado, eu sinto minha cauda...Faz cócegas, é estranho, e como vou vestir roupas assim? Perguntou ao loiro que agora estava ficando seriamente preocupado em nunca mais sair do quarto... -Ah...Roupas? Ah, sim, as roupas são feitas para acomodar nossas caudas, já que quase todo mundo tem uma por aqui, geralmente quimonos...Tem certeza que quer roupas? -Uai, não posso andar por aí pelado né? Falou Sasuke e se aproximou do seu...(O que ele era mesmo? Amigo, namorado?) -Naruto...O que a gente é um para o outro agora? Perguntou e se enroscou no outro, ronronando sem pensar muito nisso. (Naruto sem sanidade, respiração cachorrinho!!! Calma, tem um híbrido lindo e moreno sentado em seu colo, ronronando!) -Ah...Eu...Quero ser seu namorado. Falou Naruto, tentando se acalmar. -Namorados fazem bastante aquelas coisas gostosas que a gente fez ontem? E eu posso te provocar? Perguntou Sasuke passando a mão fofinha pelo peito do outro, arranhando de leve a pele levemente bronzeada dele. (Naruto...Sem mais nenhuma ideia na cabeça...Vazio total! calor, calor, calor...Chama o bombeiro!) -Ah, namorados fazem muitas coisinhas gostosas...Mas Sasuke, eu tenho que cuidar de você, isso incluí te alimentar sabia? (Sasuke ronronando, sendo totalmente safadinho e manhoso, ronronando e esfregando seu corpo quentinho no outro...Porque sabia que isso faria o loiro pegar fogo.) -Naruuuuu....Como chama aquilo que a gente fez mesmo? Perguntou agora de frente para o loiro, a mão descendo perigosamente para a virilha do mesmo. -Ahhh, santo deus do yaoi! A gente...Fez amor ontem...Respondeu Naruto entre perdido, assanhado e totalmente louco pelo moreninho. Sasuke sorriu um sorriso lindo, safado e inocente ao mesmo tempo, como ele conseguia isso? -Então...Faz amor comigo? Pediu manhoso, beijando a boca de uma loiro ofegante, completamente duro e totalmente louco por ele naquele momento. (Naruto conseguiu pensar ainda, que o moreninho aprendeu bem rápido a seduzi-lo...Graças aos céus por isso! A vida é bela!) -Sasu...Eu não conseguiria te largar nem que o deus do submundo aparecesse na minha frente agora, só de sunga dançando axé music. Sasuke riu disso, porque convenhamos, isso devia ser bem cômico. -Bobo...Respondeu o moreninho e o loiro o pegou pela cintura o jogando na cama e ficando por cima, selando sua boca macia e quente ( gente, como é quente e gostosa!) naquele mesmo momento, já estavam nus mesmo, então...As mãos do loiro eram ávidas e curiosas e além de tudo atrevidas pra caramba, ele passeava pelo corpo todo do outro, o arrepiando completamente com seus toques sutis, o deslizar das mãos na pele quente, como se quisesse desenhar sua pele toda, cada curva, cada canto, cada pequeno detalhe que fazia de Sasuke um ser único e só seu. Já Sasuke gemia em cada toque, arrepiado e todo feliz com isso, amava o modo como o outro era super gentil em cada toque, como sua mão o acariciava sem nunca feri-lo, como se ele fosse a mais preciosa das jóias, enlaçava os braços no pescoço do outro e beijava de leve suas bochechas quentes, amando seu cheiro que lhe era tão familiar agora. -Naruto...Gemia entre um arfar e outro. Os corpos se uniam e se esfregavam em busca de mais contato, a pele macia de um tocando a do outro como se isso fosse a coisa mais importante do mundo, e realmente era naquele momento, a entrega de ambos era tão intensa que sem perceber o pequeno gatinho abria as pernas, gemendo e esperando ainda mais do outro, que já buscava com seus toques encontrar mais prazer no que faziam, sua mão direita já tocava o membro desperto do pequeno, o acariciando num vai e vem lento e torturante que fazia ambos gemerem descompassados. -Naru...Ah... -Gostoso gatinho manhoso? -Hum...Gostoso...Mas gatinho quer mais... Naruto riu e desceu num sucessão de beijos, a cada beijo um arrepio, a cada toque de sua mão um leve gemido, até que chegou onde queria, deu uma longa lambida na extensão do membro rosado e ele gemeu mais alto, puxando as pernas um pouco, os dedinhos dos pés encolhendo com o prazer súbito...E isso desencadeou muito mais. A língua do loiro desenhou o membro todo, o devorou com lambidas e chupões enquanto sua mão massageava, subindo e descendo, era insano essa sensação tão prazerosa, o calor da mão, o calor da língua, o momento de sentir o membro tenso dentro da boca ávida, não havia no mundo melhor coisa, era fechar os olhos e se entregar a sensação...Inebriante, incrível, insana. Sasuke gemeu alto, o corpo ficando tenso, sentia leves espasmos no baixo ventre, suas mãos prendiam o lençol da cama fortemente, seus pés se mexiam, a pele arrepiava mais e mais, a cada nova sucção se sentia mais perto, ambas as mãos do loiro se infiltraram em suas nádegas, o erguendo um pouco e ele gemeu perdido, o calor foi mais forte , seu corpo tremeu inteirinho e ele chegou ao seu ápice soltando um breve gemido rouco. Naruto continuo onde estava apreciando a cena a sua frente, de um Sasuke ofegante, entregue, os olhos semi fechados, a boquinha meio aberta, os cabelos bagunçados, colados na testa pelo calor e o suor do momento e aproveitando isso deslizou a mão até as nádegas dele, abrindo espaço para aquele ponto quente, seus dedos estavam molhados do sêmen recente e ele introduziu um deles na cavidade apertada, fazendo o moreno resmungar baixinho, ficou brincando ali um pouquinho e logo colocou outro dedo, a sensação era quente e boa, ele sentia as paredes o comprimirem e isso o deixava mais excitado ainda, se é que isso era possível. -Gatinho...Não aguento mais. -Naru...Gemeu Sasuke de olhos fechados e soltou um gritinho leve ao sentir o membro do outro entrando em sua cavidade apertada, prendeu os dedos no lençol e fechou mais apertado ainda os olhos, pequenas lágrimas se soltando deles, e um resmungo de dor escapando dele, mas mesmo assim...Mesmo assim era bom. Naruto atento a cada uma das reações do menor, parou um instante e esperou, depois de alguns torturantes instantes em que o corpo do menor o espremia, ele se moveu lentamente, e gemeu arrastado ao faze-lo, era tão gostoso! Levou os lábios aos mamilos rosados e os beijou, sentia o seu corpo quente, entrava e quase saia do corpinho lindo, suas mãos na cintura dele, apertando a carne quente, e sua boca a brincar entre os mamilos, contornando, beijando, sugando, até ouvir o menor começar a gemer de novo, tinha achado aquele ponto de prazer gostoso dentro dele, tratou de acerta-lo muitas vezes, sempre querendo mais e mais prazer para seu gatinho manhoso. Sasuke não podia acreditar em como isso era bom, como era gostoso ter ele assim dentro de seu corpo, a cada nova estocada gemia alto, porque era muito gostoso sentir isso, queria mais e mais dele, mais fundo, mais dentro, mais gostoso, se pegou apertando os braços ao redor do pescoço dele, se prendendo ali, ofegante, em busca de tocar sua boca macia e aveludada, sentir sua língua atrevida que a poucos instantes estava fazendo ele enlouquecer, quando o sentiu beija-lo gemeu dentro do beijo, totalmente perdido nele, no cheiro dele, no carinho dele. Naruto ergueu ambas as pernas do moreninho um pouco mais, segurando em suas coxas macias e roliças e estocou com mais vontade, indo fundo dentro dele, e o ouvindo gritar por mais, aumentou o ritmo até sentir que iria explodir de prazer e então...Seu sêmen invadiu o corpinho macio e ele foi arrebatado no prazer. Ambos se abraçaram neste momento, ambos tremendo de prazer. -Naruto...Eu acho que te amo. O jovem loiro sorriu, cansado demais até para falar, mas mesmo assim deitou de lado na cama e puxou o pequeno gatinho para mais perto, selando seus lábios num beijo suave. ............................................................................................................................................................................................................................................... Do outro lado da porta... -E então Akira sama, podemos servir o café da manhã ou não? -Ah, pela que eu ouvi agora duvido muito...Todo mundo para a cozinha! Eles vão dormir de novo, agora só na hora do almoço. Falou o híbrido de gato branco, um loirinho pequeno. O yokai raposa resmungou irritado, esses dois... -Mas Akira sama, preparamos bolinhos e chá... -Hum, adoro bolinhos e chá, vamos comer Yuki? O yokai raposa pensou um pouco, quando Kamisama não estava o chefe ali era Naruto, mas quando Naruto estava ocupado...Ocupado demais com o novo gatinho, o chefe era Akira sama, o gatinho branco. -Tá bom...( O yokai raposa adoraria ter um momento a sós com aquele gatinho branco de cabelos azuis e boquinha rosada...) Akira sorriu feliz e foram ambos para a cozinha levando a bandeja decorada.

Notas finais
Ah gatinho manhoso safadinho!!! Não resisti e coloquei personagens que não estão no anime...Desculpem, me lembrei de algo e bem...Só duas pessoas no mundo vão entender isso (eu e ele...) a raposa e o gatinho.


10. Mais um gatinho?

Notas do Autor
Olá, como seria nosso lindo Itachi no mundo dos Deuses e Yokais? Um belo híbrido gatinho como seu irmão caçula? É só comparar com a capa que fiz, é desse jeitinho que eu o imagino, aproveitem a leitura.

-Amor, eu estou preocupado com meu irmão, pode ligar para suas mães e perguntar de novo? -Bobinho, como posso ser mais claro...Deixa eu ver...O Naruto tá a fim do seu irmão, pronto! Falei. Itachi que estava sentado no sofá se recompondo ainda do ataque de indecência do namorado que quase, digo quase o pegou ali mesmo, na sala de descanso do grupo, enquanto um bando de fãs malucas eram colocadas para fora, educadamente é claro quase teve um ataque, como assim? -Menma, não brinca comigo...Resmungou Itachi, fazendo aquele bico fofo que só ele conseguia fazer. -Não estou brincando, eu mesmo vi o jeito como ele olha seu irmãozinho, não adianta é o sangue Uchiha, acaba com nossas defesas, é um ataque impiedoso...Primeiro vocês olham pra gente com esses olhos penetrantes e lindos e depois...Bang! Já era! Falou Menma sendo totalmente dramático e caindo no outro sofá com a mão sobre o coração, como se tivesse sido alvejado por um golpe fatal. Itachi riu divertido e entrou na brincadeira do namorado, imaginando um nome para o golpe de sedução que certamente não fazia ideia que tinha. -Tá bom, se eu tivesse esse poder todo de sedução como chamaria isso? Perguntou olhando nos olhos do namorado. -Hum...Amaterasu. Respondeu convicto. -Porque esse nome? Perguntou Itachi confuso. -É um deus...E me pareceu o nome perfeito para um golpe fatal...Bem no meu coração...Falou Menma novamente caindo de modo teatral. -Tá bom...Amaterasu é o golpe fatal...E como seria o nome da defesa perfeita? Menma riu antes de responder. -Suzanoo, claro! Itachi queria entender onde o namorado achava tanta criatividade assim, mas desistiu. -Nem vou perguntar...Mas chega disso, eu acredito em você, mas mesmo assim meu pai está procurando eles, e eu fico com medo, Sasuke está com muito medo, meu pai é um perigo, ele realmente quer machucar meu irmãozinho... Menma achou que estava na hora de mostrar ao namorado o seu segredo, seu outro mundo, onde ele era mais livre que neste, sem fãs correndo atras dele o tempo todo, sem shows, somente a paz de um templo e a tranquilidade de um lago...E um quarto bonito com uma cama grande, onde ele podia finalmente ficar a sós com seu namorado...Porque não pensou nisso antes? O vocalista pegou o celular e ligou para o seu produtor que atendeu todo feliz. -Oi minha estrela, como vão as coisas? -Quando começa a turnê? Perguntou rapidamente. -Bom, em mais ou menos uns quatro dias, depois desse show que foi muito bom achei que mereciam um descanso, teve a gravação de hoje... Que foi a última antes do MV e decidimos dar uns dias para que descansem, preciso perguntar...De quem era a calça que as fãs acharam? -Então sobre isso...Vou levar um acompanhante em turnê comigo, um amigo tá bom? -Oh, claro...Arrumarei acomodações... -Ele dorme comigo...Quero dizer, ficará no mesmo quarto comigo, tenho certeza que os outros não vão se importar, até porque Neji não vai deixar o Gaara sozinho e Sasori nunca na vida deixaria alguém que não fosse ele dividir o quarto com Deidara... O produtor suspirou vencido e riu do outro lado. -Esse amigo tem nome? -Itachi Uchiha...E chefe não quero fofocas tá bem? O homem respirou fundo do outro lado, uma mania dele, infelizmente ele adorava vazar informações, isso porque as meninas que eram fãs ardorosas do grupo Dreams amavam essas coisinhas, imagina se o tal de Itachi for bonito então? -Me mande uma foto dele para constar nos registros... Menma se virou e clicou o namorado com o celular, enviando em seguida, dando risada da carinha de indignado do namorado ao ser pego assim de surpresa, deitado no sofá, com a camiseta meio levantada mostrando a barriguinha sarada dele. -Menma! Resmungou Itachi. -Uau! Ele é um arraso! Nossa, as fãs vão shipar muito vocês dois, estou até vendo a quantidade de fanfics que vão surgir, os comentários, nossa quanta publicidade!!! -Chefe! Discrição pode ser? Ou tá difícil? -Certo, certo, um ar de mistério pode enlouquecer elas do mesmo jeito... -Bom, tudo certo, vou sumir por uns quatro dias então, já que o show foi um sucesso e estarei incomunicável, até mais! Ele desligou ainda ouvindo o chefe reclamando do outro lado e sorriu divertido, pegando na mão do namorado e o puxando para fora, saindo do prédio por uma porta lateral e entrando num carro onde um motorista já aguardava. -Olá, nos leve ao templo por favor, aquele que já conhece. -Sim, senhor... Itachi queria perguntar mas resolveu esperar, até porque o namorado começou um cafuné em seus cabelos...Se ele fosse um gatinho estaria ronronando agora... -Que bom que a conferência foi adiada meu amor, assim teremos esses dias livres...Falou Menma feliz de verdade. -Bom, o pessoal até que gostou, terão mais tempo para passear e ver a cidade. -Pequeno, vou te levar para ver seu irmão, ele está totalmente seguro e posso provar isso, mas tem uma coisinha que preciso falar com você antes, uma coisinha pequena... -Fala logo. Resmungou Itachi impaciente. -Bom...Só confia em mim tá bom? Itachi sorriu, ele confiava plenamente no namorado. -Me leve onde quiser... -Mesmo que seja para outro mundo? -Hum...Se eu estiver com você pode me levar para outro mundo... Menma riu e continuou o cafuné até que chegaram ao pequeno templo, ele dispensou o motorista e lhe deu folga, pedindo que voltasse somente dali quatro dias, as duas da madrugada em ponto, o homem não estranhou a ordem e foi embora feliz com sua folga, nisso o vocalista entrou no templo puxando o moreninho pela mão, logo ascendeu incensos no altar e depois desenhou os símbolos em uma porta enorme na parede, uma porta desenhada na parede...Que para total espanto do moreninho abriu. -Vem amor, vamos ver Naruto e Sasuke. Itachi com medo e muito curioso entrou na passagem...Sentiu uma onda de vertigem e logo abriu os olhos, sentindo o chão macio sob seus pés, era grama, grama verdinha e fresca, e flores e borboletas...Mas onde estavam? Se virou para Menma, mas ele mantinha o rosto corado e sorridente olhando para ele. -Porque não te trouxe aqui antes? Você é naturalmente lindo, mas aqui...Bom, aqui você é um pecado. Itachi não entendeu e passou a mão nos cabelos, descobrindo orelhinhas de gato felpudas na cabeça...Tremeu ao sentir o toque, se ele tinha orelhinhas...Não! Ele não podia ter uma cauda! Podia? Assim que pensou a cauda negra se moveu e ele deu um pulo, completamente assustado, e foi quando ele viu o seu namorado. -Gato? Sério? Perguntou olhando as orelhinhas de gato e a cauda macia. -Acho que é de família...Embora eu nunca tenha conhecido minha família biológica. -Enquanto eu sou um hibrido de gato branco, você é um exemplar lindo de hibrido de gato preto...Nossa, como ficou lindo em você, vamos nos apressar meu amorzinho, ou eu perco a cabeça e te jogo no chão aqui mesmo, porque francamente tá difícil assim... Itachi ficou muito corado e envergonhado, se sentiu muito mais perdido ali, as emoções a flor da pele, esse súbito desejo do namorado o deixou desconsertado e ele...Chorou. -Itachi? Bebê? Porque tá chorando? -Você...Você só quer o meu corpo! Não me ama! E se enrolou o chão como um bolinho. Menma se aproximou devagar, ele tinha sido muito grosso e tinha esquecido que ali os sentimentos e emoções do humanos ficavam bagunçados, seus instintos felinos eram fortes, mas ao mesmo tempo isso o deixava frágil, se ele era sensível no mundo humano, ele era bem mais... -Pequeno, não fala isso...Eu te amo, é que você ficou tão lindo que eu perdi a cabeça, perdão meu bebê... Itachi subitamente pulou em seu colo, quase o derrubando e começou a ronronar em seu pescoço. -Verdade? Diz que ama Itachi. -Eu te amo Itachi. -De novo... -Te amo, te amo, te amo meu pequeno gatinho Itachi. O moreno riu e enxugou as lágrimas, depois pegou em sua mão e o olhou nos olhos carinhosamente. -Amor, me leva pra ver meu irmãozinho? Ele vai adorar me ver assim, acha que ele é um gatinho ou um coelho? -Não sei...Naruto é uma raposinha, acredita? -Uau!! Exclamou Itachi. -Vamos? Falou Menma. -Sim! Respondeu Itachi, sorrindo, a cauda balançando no ar todo feliz.

Notas finais
Gostaram???Desculpem eventuais errinhos, cansaço e sono...


11. Gatinhos manhosos no mundo mágico.

Notas do Autor
E então nosso lindo Itachi começou a entender o mundo em que se encontra e seus instintos estão aflorando mais e mais...Sorte do Menma.

Menma achou que Itachi estava levando isso de entrar em um mundo mágico muito tranquilamente, mas estava enganado, deram alguns passos e o moreno se sentiu tonto, a cauda o desequilibrava, ele se sentia estranho e começou a perceber que realmente aquilo não era um sonho. -Amor, vamos parar um pouquinho...Não me sinto muito bem... -Calma Ita, atravessar o portal entre os mundos a primeira vez é mesmo complicado, o que está sentindo? Itachi se sentou no chão mesmo e logo o namorado estava ao lado dele, tocando em sua testa um tanto quente. -Menma, que lugar é esse, eu to sonhando? -Não amor...Este é o mundo oposto, um local em outra dimensão, aqui vivem seres diferentes e ao mesmo tempo parecidos conosco, veja só aquele ali. Apontou para um homem sorridente que vinha andando pelo vale junto a uma mulher, ambos eram híbridos de raposas. -Existem deuses e yokais, meio yokais e alguns humanos como você e Sasuke, mas aqui, quando atravessamos o portal nos tornamos híbridos, cada um com uma carga animal, no seu caso e no meu de um felino, um gato doméstico. -Mas...Mas...Eu to confuso...A gente se conhece a tanto tempo e você nunca me contou nada disso, porque? Não confiava em mim? A voz de Itachi era triste, magoada. -Não é isso...Eu só queria achar um momento certo, você é sempre tão racional, lembra quando eu queria te levar ao templo no equinócio da primavera ou do outono? Ou no ano novo? Você sempre me dizia que não precisava orar, que era bobeira e então eu...Não achava um jeito de te contar que este mundo aqui existia, que a magia era real, e que eu vivia de certo modo entre os dois mundos desde de criança...Já que meu irmão é filho de um deus yokai e uma humana e eu nasci aqui, sou um yokai mas fui criado em seu mundo, minhas mães me adotaram deste mundo. -Naruto? Um yokai? Igual nos filmes? Tipo o Inuyasha?E você tipo o Sesshoumaru? -Ah, mais ou menos, mas nem tanto...Eu sou mais bonito que aquele metido do Sesshoumaru. -Eu to com medo...Resmungou Itachi abraçando o corpo. -Ei...Não precisa ter medo de nada, venha comigo, eu tenho um lugar aqui muito legal, é um templo grande, vai encontrar Sasuke lá e vamos conversar e comer bolinhos. -Por isso disse que meu pai não iria achar o Sasuke de jeito nenhum né? Ele está seguro aqui. -Sim meu pequeno, aqui Sasuke está seguro, seu pai não tem como entrar neste mundo, e agora pare de se preocupar...Venha comigo, tá bom? Itachi estava indeciso, ele não se sentia igual antes, seu equilíbrio estava afetado e sua mente também, ele senti aromas novos e as cores pareciam mais vivas, e o cheiro de Menma era tão bom!! Menma notando a indecisão do menor se aproximou e beijou sua boquinha linda, e ele suspirou dentro do beijo, adorando o toque, no final...Mesmo em outro mundo aquele ali que o beijava era seu namorado, e ele o amava. -Vou te levar no colo, é pertinho, tá vendo aquela curva ali? É logo depois. Itachi concordou e segurou no pescoço do namorado encostando a cabeça em seu ombro com carinho e fechando os olhos... Logo estavam na frente do templo, e entraram, alguns servos vieram até eles, mas como já conheciam o jovem mestre Menma o deixaram tranquilo, ele apenas deixou o moreninho num sofá macio e dando um beijo em seu rosto foi procurar Naruto. -Espera aqui meu pequeno, vou buscar o Naruto e o Sasuke. -Tá bom... Menma desconfiou que encontraria Naruto no quarto...Só esperava que não estivesse atrapalhando nada, bateu duas vezes na porta e logo Naruto abriu, com cara de sono e felicidade... -Menma! Gritou Naruto o abraçando. -Ei? cadê o nosso paciente? -Hum...Dormindo...Acho que eu deixei ele meio cansadinho, mas a culpa não foi minha! Ele é muito gostoso irmão...Sangue Uchiha, agora eu acredito em você. Falou Naruto fazendo cara de vítima. -Bom, trate de acordar o pequeno porque o meu Itachi tá querendo ver ele...Alias deixa eu dar uma olhadinha...Menma espiou na porta e riu ao ver o pequeno moreninho todo enrolado nos edredons, com suas orelhinhas lindas de gatinho. -Temos uma ninhada agora...O Itachi também tem orelhinhas fofas, ele é todo fofo. Naruto riu. -Se ele tiver os mesmo instintos do meu pequeno você pode tomar um energético que o gatinho manhoso vai te deixar maluco. Menma riu divertido. -Tomara que sim, anda logo, se veste homem! Naruto pediu um momento e entrou para acordar seu gatinho, fez um carinho em sua bochecha corada e ele logo acordou. -Ahh que preguiça...Resmungou. -Seu irmão está aqui junto com Menma, vamos descer? -Sério Naru? Ai que alegria!! Mas...Me ajuda no banho? Estou meio...Sem forças...Falou envergonhado. Naruto riu e o pegou no colo, tomaram um banho rápido e logo desceram usando quimonos leves de algodão macio. -Sasuke! Gritou Itachi e se levantou correndo e abraçando o irmão com carinho, ambos se olharam sorrindo, eram tão parecidos, com a diferença que Sasuke era bem menor e mais magrinho, mas agora eles eram mais parecidos ainda, já que tinham orelhinhas e rabinho de gatos. -Você tá tão fofo! Exclamou Itachi acariciando as orelhinhas macias do irmão. -Mas Ita, você também tá muito fofo! Eles riram um do outro, felizes em estarem juntos ali. -Bom, que tal um lanche minha gente? Falou Naruto. -Oba! Gritou Menma, to morrendo de fome. -Eu quero! Falou Itachi feliz. -Também, mas tem leite morno? Respondeu Sasuke rindo. -Tudo que quiser meu lindinho...Falou Naruto afagando seus cabelos macios. Menma tossiu para chamar a atenção de todos, e fez uma carinha muito engraçada. -Então já rolou? Se entenderam? Tão namorando? Sasuke ficou da cor de um tomate vermelho e escondeu o rosto no ombro do irmão que riu e afagou seus cabelos. -Tudo bem irmãozinho, fico feliz por vocês... -Tá...Mas rolou? Insistiu Menma. -Menma!! Gritaram todos juntos olhando feio para ele. -Que foi? Todo mundo quer saber, qual o problema? Se defendeu divertido. -Se quer mesmo tanto saber...Sim, aconteceu, tá feliz agora?Falou Sasuke fazendo careta. Itachi deu um gritinho e apertou o irmão no abraço. -Nossa! Você foi rapidinho em maninho? Se divertiu Itachi. -Baka! Reclamou Sasuke. Ainda rindo foram para a cozinha onde um yokai pequeno e fofo os atendeu gentilmente, ele era delicado e tinha cauda longa e branca, uma cauda curiosa que ficava rodopiando para lá e para cá, orelhinhas branquinhas e olhos esverdeados e lindos cabelos azuis compridos, amarrados com uma fita de cetim branca. -Olá, eu sou Akira e vou servi-los, espero que tudo esteja do agrado de vocês. -Perfeito Akira como sempre...Falou Naruto sorrindo para o belo menino. Eles se serviram de biscoitos e pães e conversaram bastante, contando do ocorrido com as fãs e tudo mais, depois foram para os fundos, num belo jardim e se sentaram em mantas macias sob a grama verde, borboletas os rodeavam e logo Sasuke e Itachi se ocuparam em tentar pegar as belas borboletas, os instintos animais eram fortes neles e era muito fofo de ver como eles se divertiam brincando ali. -Como Itachi reagiu? Perguntou Naruto analisando o amigo que naquele momento ria muito junto ao irmão já que a borboleta estava sentada entre as orelhinhas dele. -Ele não desmaiou e por um momento se manteve até firme, mas então os instintos e o desconhecido o deixaram assustado, parece que agora já se adaptou melhor, e com Sasuke como foi? -Bom, ele destruiu meu quarto... Falou Naruto rindo. -Eu fui arrumar a banheira para ele e quando voltei ele estava no meio de uma bagunça enorme, com a minha cortina totalmente fatiada e livros e coisas da estante por todo o lado, foi hilário. -Nossa...Tadinho, deve ter levado um susto. -Foi sim...Meu pai o viu e o adorou. -Kamisama estava aqui? Oh, eu queria tanto ver ele dessa vez! Tenho um pedido a fazer. Falou Menma. -E que pedido seria esse? Perguntou Naruto, analisando que os pedidos do irmão eram sempre malucos. -Que minhas fãs adorassem o Itachi quando eu o apresentar ao meu público...Sabe, ele é muito preocupado com minha imagem, então a gente tem que se esconder dos outros o tempo todo e é até engraçado...Mas por causa disso temos pouco tempo juntos, ele é o responsável pela equipe de pesquisa dele, e eu tenho minha banda, você entende né? -Tá difícil namorar? -Pior...Mês passado só conseguimos ficar uma noite juntos, o resto foi como naquele dia no hospital, eu o sequestro para um banheiro ou armário de vassouras...E o pior é que Itachi é muito tímido e fica todo envergonhado, ele me mata de vontade. Falou Menma revirando os olhos e fazendo Naruto rir. -Seu bobo, é por isso que se apaixonou por ele, não percebeu ainda? Se apaixonou pelo cara tímido e fofo. Menma riu, era verdade, ele se apaixonou justamente porque Itachi o olhava de um modo diferente, completamente único e verdadeiro. Depois de algum tempo os gatinhos estavam cansados, Sasuke veio para o lado de Naruto todo manhoso e Itachi ficou olhando para Menma com carinha de quero colo, mas com vergonha de pedir, por isso mesmo seu rabinho estava entre suas pernas e ele estava de orelhas baixas. -Ita, meu pequeno está cansado? Vamos entrar e tomar um banho gostoso e descansar? -S-sim...Respondeu meio sem graça. -Ahh, eu to cansado, quero colinho! Falou Sasuke já mais acostumado aquele mundo e suas sensações. Naruto sorriu e o pegou nos braços, recebendo um beijo na bochecha por fazer o que ele queria. Itachi podia ouvir o irmão ronronando dali onde estava e isso o fez sorrir, logo Menma se aproximou dele e lhe afagou a bochecha corada de tanto correr por ali. -Seus instintos são fortes...Nunca imaginei te ver correndo para pegar borboletas, foi lindinho. -Ahh, a culpa não é minha, são essas coisas novas que sinto...É tão desconcertante, e tem esse rabo que fica balançando pra lá e pra cá, e sinto minhas orelhinhas mexendo e é estranho pra caramba. Respondeu e segurou a calda entre as mãos, afagando seu pelo lustroso e macio. -Hum, isso melhora com o tempo, percebeu como Sasuke está bem? -Sasuke está manhoso e carinhoso, mas eu acho que ele está muito feliz, isso me parece bom, eu acho que o Naruto tá muito apaixonado. -Pode acreditar...Ele está mesmo, mas vamos entrar? Quer colo também? -Bobo! Reclamou Itachi. -Eu sou um adulto tá, tenho até minha própria equipe de pesquisa e...Não posso ser visto assim, sendo levado para lá e para cá como um gatinho manhoso, isso seria muito vergonhoso! -Ita...Aqui ninguém te conhece e não iriam estranhar isso, os gatinhos são muito manhosos, eu mesmo gosto muito de carinho...Mas como sou nativo deste mundo meus instintos são mais controlados, os seus são novos, estão a flor da pele, é natural um gatinho querer mimo, olha só como você está? Até parece a primeira vez que saímos juntos, tã acanhado e todo nervoso. Itachi ficou corado de verdade agora, ele lembrava bem do dia que saíram juntos, não como amigos, mas como namorados, ele quase morreu de vergonha! Isso porque dentro do cinema ele o beijou, no meio das pessoas! Tá certo que estava escuro e tudo, mas nossa! Foi muito constrangedor. -Tá vendo? Tá com vergonha, estou vendo...Mas suas orelhas estão baixinhas e seu rabo entre as pernas, está com vergonha e quer carinho, por isso não reclama! E Menma o pegou no colo subitamente, ali ele era mais forte e isso facilitava as coisas, sorriu ao ver a carinha de espanto do menor e o levou dali direto para seu quarto, é claro. Abriu a porta e entrou depositando ele na cama grande, depois lhe deu um selinho e foi para o banheiro preparar a banheira, antes porém colocou a cabeça na porta para uma recomendação. -Ita, não destrói meu quarto, a decoração é nova. Itachi bufou irritado, porque raios ele iria fazer isso? Cada coisa!! Ele então ficou observando ao redor, o quarto era muito bonito, a cama bem grande, qual foi a última vez que tiveram tempo e uma cama grande assim? Já fazia um bom tempo na verdade, eles sempre se viam correndo por conta da agenda apertada do namorado, ou porque precisavam esconder seu namoro de todos já que Menma é um astro pop. Lembrou do dia no hospital e da forma como Menma o encostou na pia do banheiro e...Lembrar disso o deixou quente e vermelho, esse namorado tarado que ele tinha! Não perdia a oportunidade de lhe roubar uma casquinha... -Gatinho o banho tá pronto, vem! Itachi riu e foi, quase perdeu o fôlego ao entrar e ver o namorado totalmente nu ali, como ele era lindo! Corpo bem proporcionado, uma calda longa balançando e as orelhas curiosas a se mexer...Deixou escapar um murmúrio de aprovação sem querer e o outro riu, adorava quando sentia essa admiração. -Meu lindo, não vai tirar a roupa? Estou doido para ver como você ficou assim de hibrido. Itachi corou e começou a tirar a roupa, na verdade estava com vergonha justamente por isso, como será que ele ficou? Tirou a camisa e já se sentiu nu, o outro riu e se aproximou lentamente, tomando o comando da situação, beijou seu pescoço exposto e tirou sua calça, depois levou os dedos a cueca e a puxou para baixo, rindo ao ver como isso o deixava desconcertado. -Ita, quantas vezes preciso dizer que você não tem que ter vergonha de mim? Que eu te acho lindo de qualquer jeito, mas...Confesso que assim você está além da beleza...Está maravilhoso. Itachi fechou os olhos ao ficar nu, era uma coisa que sempre fazia, a vergonha era tanta que ele sempre fazia isso, demorava um tempinho para se soltar, assim sentiu os lábios roçando suas pálpebras suavemente e meio inseguro abriu os olhos, só para se deparar com imensos olhos azuis a encara-lo sorridentes. -Menma...Falou inseguro. -Você ficou lindo assim... O loiro iniciou um beijo lento e o puxou para a banheira, o fazendo sentar em seu colo e abraça-lo, gemeu pela saudade desse contato e porque se sentia mais sensível que nunca. Menma analisava seus contornos com a palma da mão, acariciando seu rosto e pescoço, descendo pelo peito, tocando a pele nua e quente com carinho, sentindo a respiração tão descompassada quanto a de Itachi. -Ita...Meu pequeno, meu gatinho...Estou louco para te amar com calma, para ter você só pra mim. Itachi gemeu dentro do beijo, amava quando o outro falava essas coisas, era gostoso, se sentia amado e querido, aprofundou o beijo de modo mais afoito, sentindo a mão do namorado deslizar por suas costas nuas criando ondas de prazer por onde os dedos finos passeavam, esses mesmos dedos tocaram suas nádegas, lhe acariciando ali, e ele de novo gemeu, perdido no prazer que isso lhe proporcionava. Se mexeram dentro da água, buscando maior contato, a espuma os envolvendo, o aroma do sabonete de morango preenchendo o ambiente, e os corpos tão quentes dentro da banheira, as mãos de Itachi faziam um carinho delicado na nuca de Menma, e ele o beijava no rosto, na bochecha, dava leves e sutis mordidinhas no pescoço, estava tão envolvido nesta brincadeira que tomou um susto ao sentir um dedo a invadi-lo, gemeu arrastado e empinou sem perceber dentro da banheira, queria sentir mais daquilo, sua calda longa rodopiou ansiosa e ele gemeu manhoso. Menma o amava, amava tanto que chegava a doer, ele o desejava intensamente e ver essa reação o deixou duro na hora, se esfregou nele dentro da água e a fricção de seus corpos aqueceu a ambos, precisava ser paciente porque já fazia um tempo desde de que realmente chegaram ao final, sempre ficavam nos carinhos, com toques deliciosos e cheios de desejo, mas raramente podiam se amar mesmo, como ele pretendia agora, por isso queria fazer tudo certo e não machuca-lo. -Ita, está tudo bem meu amor? -Hum, sim...Respondeu ofegante, sentindo vergonha e vontade ao mesmo tempo, numa mistura estranha e gostosa, e fez algo que nunca fez antes, beijou seu namorado na boca com sofreguidão e se enroscou em seu corpo, desejando que isso o fizesse perceber que ele já não aguentava mais. -Apressadinho...Resmungou Menma. -Amor...To quente...Por favor... O loiro riu e puxou seu gatinho o virando na banheira, deste modo o fazendo ficar de costas para si, tendo assim mais acesso, levou a mão lentamente ao membro dele e o acariciou com movimentos lentos e torturantes e com a outra mão continuou o trabalho gostoso de prepara-lo, ele desta vez gemeu alto e de modo manhoso, rebolando nos dedos do outro. -Menma... -Ah que gostoso que você é meu pequeno... Com carinho o elevou um pouquinho e ele se retesou ao entender o que o outro faria, mas logo sentiu o corpo sendo posicionado e fechou os olhos sentindo o membro a invadi-lo, o começo era sempre levemente dolorido, mas a mão carinhosa a masturba-lo o distraia dessa pequena dor inicial e ele logo gemeu quando sentiu o tamanho todo do namorado dentro dele, finalmente o tomando para si, e novamente gemeu rebolando. Menma se sentiu espremido e gemeu com o ato, seu namorado era apertado e manhoso, adorava ter ele assim, o apertou no colo e o sentiu se mexer, era gostoso poder finalmente fazer amor, sem pressa, com carinho e local apropriado, sabia que Itachi merecia isso, todo carinho e dedicação do mundo. -Itachi, eu te amo meu pequeno...Sussurrou em seu ouvido e começou a se mover, entrando e saindo daquela cavidade apertada, tentando atingir aquele ponto que fazia o menor delirar em seu colo, e logo conseguindo...Sentiu o outro tremer, gemer e rebolar mais ainda, sorriu ao sentir isso. Soltou do membro dele, se concentrando em segurar em sua cintura e meter fundo nele, precisava disso, estava louco por ele, precisava muito ter ele assim, só para si, somente seu...Sentia a espuma a sua volta sendo jogada no chão, os corpos se misturando no ato, mordia o pescoço dele, beijava em seguida, lambia a pele macia, pelos deuses como ele era gostoso! Parou e virou o menor de novo em seu colo, desta vez de frente, e ele logo enlaçou seu pescoço, sentando nele mais uma vez, desta com mais agilidade, gemendo ao sentir todo seu tamanho de novo dentro, a fricção dos seus copos era insana, o loiro levou as duas mãos ao rosto bonito e o tomou, beijando sua boca com um enroscar de línguas, enquanto seu corpo o devorava, desceu a mão até os mamilos e os acariciou ouvindo os gemidos mais gostosos ao toca-lo ali onde ele era muito sensível, sem parar os movimentos o ergueu mais alto e o fez se enterrar nele, desta vez ambos gritaram de prazer e Menma quase não conseguiu se segurar, mas queria um pouco mais, novamente lhe segurou a cintura e o moveu, seus corpos se chocando, loucos, quentes e perfeitos e então...Estremeceu e se soltou dentro dele, gemendo ao faze-lo. -Pequeno...Resmungou afoito, beijando o pescoço macio. Itachi ainda se sentia quente, de fato não tinha ainda chegado ao seu ápice, mas logo sentiu as mãos macias do namorado a levanta-lo da banheira e enrola-lo numa toalha, logo o levando a cama, onde foi devidamente despido novamente, desta vez o loiro sorriu e desceu numa trilha de beijos pelo seu peito, logo tomando seus mamilos em mordidinhas e chupadas gostosas que o faziam se perder no prazer, suas pernas se moviam na cama, os dedinhos dos pés apertados no prazer antecipado, erguia o corpo, buscando tocar a intimidade do outro, gemendo de vontade... Menma desceu mais os beijos, tocou a virilha e ergueu uma perna do seu pequeno, beijando a coxa macia e lambendo a pele úmida, enquanto a outra mão deslizava entre a virilha, quase tocando o membro necessitado e tenso, mas sem de fato faze-lo, isso arrancava gemidos sofridos do menor, e ele amava isso, essa tortura linda e gostosa...Os gemidos, os afagos, o modo como ele se entregava e choramingava em suas mãos, tão lindo... Buscou alivia-lo finalmente, tomando o membro na boca e o ouviu gemer gostoso dessa vez, procurou colocar os dedos em sua pequena cavidade molhada de sêmen para acaricia-lo mais profundamente, buscando com dois dedos seu ponto sensível e logo o achando, o fazendo gemer ainda mais alto, fazia movimentos de vai e vem, quase retirando o membro da boca e o envolvendo em seguida totalmente, rodeando a glande e lambendo toda a extensão do membro, somente para depois voltar a suga-lo, e ele gemia afoito, olhos fechados, mãos apertando o lençol da cama. -Menma...Ahh, eu vou... O loiro sorriu e o sugou mais intensamente, os dedos fazendo uma profunda pressão em seu interior molhado e apertado e ele gemeu de novo, arqueando o corpo e gozando em sua boca, enquanto seu interior todo se comprimia em espasmos pelo orgasmo intenso e gostoso. Menma se soltou dele e limpou a boca com as costas da mãos, sorrindo abertamente para o estado largado do namorado na cama. -Gatinho lindo... -Ahh, isso foi tão bom...Resmungou Itachi antes de fechar os olhos e cair no sono. Menma fez o mesmo, se deitou e puxou o menor para seu peito, fechando os olhos e apagando, realizado e feliz.

Notas finais
Hummmm, esse gatinho manhoso do Itachi, amei esse lemon...
Gente, quando a fic acabar farei um epílogo com Akira tá bom, assim acho que fica mellhor.


12. Novidades chocantes.

Notas do Autor
Os gatinhos são fofos, mas terão uma bela surpresa logo, logo...Viva a lua cheia meus lindos!

Itachi se mexeu dolorido na cama, esticou todo o corpo e bocejou, depois se lembrou de tudo e viu que estava totalmente nu na cama, e que ao seu lado Menma dormia tranquilamente. -Oh céus! Ainda bem que não sou uma garota, ou corria o risco de ficar grávido depois dessa... -Na verdade a maioria dos híbridos pode ficar grávido sim, este é um mundo oposto ao seu, é natural os meninos terem seus bebês, porque não seria? -Kamisama? Perguntou Itachi puxando um edredom com o qual cobriu até o pescoço. -Sim, sou Kamisama...Como vai pequeno Itachi? Gostou deste mundo? Menma se mexeu e abriu os olhos avistando o deus bonito sentando na beira da cama, encarando seu namorado todo envergonhado e escondido em um montanha de edredom. -Ah, Kamisama! Como vai? Falou suave o loiro, se ajeitando na cama, totalmente a vontade apesar de estar pelado. -Não tão bem quanto vocês, posso apostar... -Ué, já te falei, se tá a fim daquele lindinho da cozinha devia investir, porque sendo um deus ou não o tempo corre, e tem gente de olho no Akira... O deus tossiu e se levantou, ele por uma momento ficou tentado a ir até a cozinha, para quem sabe...Tomar um chá? -A propósito...Eu vim dizer que deviam tomar cuidado, porque ontem foi lua cheia...Sabe o que acontece neste mundo quando a lua está tão linda assim, não é? -Ué, eu deveria? Perguntou Menma confuso. -Bom, de qualquer jeito agora já é tarde... Então Menma arregalou os olhos e ficou meio verde, num tom engraçado que foi amenizando conforme a consciência o tomava lentamente. -Bebês...Balbuciou. -O que? Falou Itachi se sentando mais perto do deus, esquecido por um momento de sua nudez. O belo deus sacudiu a calda de raposa e mexeu as orelhas macias, olhando a sua frente com certo...Interesse. -Uau! Você é muito bonito...Muito mesmo, não tem do que se preocupar, com tanto beleza assim é impossível o bebezinho nascer feio...Meus parabéns papais! Itachi desmaiou, Menma tentou socorre-lo, mas ele já estava arfando de nervoso, contentamento, medo e tantos outros sentimentos que nem podia falar. -Sasuke e Naruto também namoraram ontem? Nem sei porque perguntei, isso é mais do que obvio...Bom, eu sempre quis ter uma família grande, vejam só, serei padrinho dos dois...Mas eles tem que chamar de titio Kamisama, porque vovó não dá, aí já é demais né? Com um leve estalar de dedos o pequeno hibrido acordou, amparado por seu namorado. -Amor, é verdade? Vou ter um bebê? -É sim, eu esqueci deste detalhe...Lua cheia é o período da fertilidade neste mundo, tanto para mulheres como para homens...Desculpe meu pequeno... Itachi sorriu vendo Kamisama saindo do quarto suavemente, com suas vestes a rodea-lo, a enorme calda de raposa rodopiando ao seu redor. -Vou ter um bebezinho...O nosso bebezinho... Menma o abraçou manhoso e chorando de emoção, mas foram interrompidos por um Sasuke muito nervoso que pulou no colo do irmão, que graças a deus estava enrolado de novo no edredom. -Ita, você vai ser titio! -Novidades irmãozinho...Você também... Sasuke o abraçou rindo e chorando, tudo ao mesmo tempo e Naruto entrou depois, com uma bolsa de gelo no olho esquerdo, que parecia bem inchado e provavelmente iria ficar roxo. -Nossa, o que foi isso? Por deus Naruto!! -Bom, primeiro o Sasuke chorou...Depois ficou nervoso, depois irritado, e num segundo após eu estava com o olho roxo, ele me socou por ser idiota e não usar preservativo, e agora ele vai ser mamãe muito novo...Mas depois chorou de novo e veio pro meu colo, todo manhoso... -E é papai, seu bobo...Resmungou Sasuke sendo afagado por Itachi. -Nossa que perigo são os hormônios de uma gestação de híbridos...Resmungou Menma analisando o olho do irmão suavemente. -Mas como é que o bebezinho vai sair? Ahh, to com medo de saber...Gemeu Sasuke escondendo o rosto no ombro do irmão que olhou de modo assustado para Menma, que olhou para Naruto...Que deu de ombros... -Cesariana com magia...Muito simples e sem cicatrizes, os pontos são mágicos e não aparecem...E claro que não dói. Ambos os gatinhos suspiraram aliviados e então... Os dois irmãos loiros receberam almofadas na cabeça, nas pernas, em todos os lugares, e depois das almofadas vieram as coisas que estavam ao alcance das pequenas e afoitas mãos, eles estavam bravos de verdade. -Idiotas! Porque não usaram camisinha? Gritou Sasuke nervoso. -Sim, porque não usaram? Repetiu Itachi jogando um abajur no namorado assustado. -Jesus! Se os hormônios estão assim agora, imagina depois? Estamos lascados irmão...Reclamou Menma, tentando esquivar de um vaso de porcelana com cara de ser muito, mas muito valioso antes de virar caquinhos no chão. -Desculpa...Foi o calor do momento...Mas vai dar tudo certo, vamos cuidar dos dois...Emendou Naruto, sendo acertado na cabeça com uma maça que estava ao lado da cama numa bandeja. -E como é que eu vou dançar e cantar com um barrigão? E sendo homem ainda por cima? -Mas Ita, eu sou o cantor...Falou Menma. -Eu sempre vou nos seus shows!! Gritou Itachi para fazer o seu ponto de vista ser compreendido, foi quando ele percebeu algo a mais. -Meu trabalho!! Minha equipe!! Como farei isso? -Calma amor, arrumaremos um meio de fazer tudo dar certo...Afinal quando voltar ao nosso mundo humano não serão mais híbridos, talvez nem estejam mais grávidos...Pelo menos não lá...Eu acho...Falou Menma jogando um palpite. Um leve pigarrear foi ouvido na sala e uma criatura linda, com roupas suaves e brancas entrou no ambiente com uma nova bandeja de chá e biscoitos. -Na verdade...Ah, caso saiam deste mundo...Bom, a gravidez será preservada...E vocês serão híbridos lá também, pelo menos até nascer o bebezinho. Explicou a jovem raposinha branca chamada de Akira. Itachi ficou branco, Sasuke corado. -Como vou participar da reunião como um hibrido? Perguntou meio confuso o jovem moreno Itachi. -E se eu voltar e meu pai me ver assim? Perguntou Sasuke tremendo. -Calma meus lindos, eu sou médico no outro mundo e um maravilhoso mago neste, posso achar uma solução, pelo menos tentar...Foi a vez de Naruto falar, encarando os dois com um sorriso nos lábios. -Naru, o que foi? Porque sorri desse jeito? -Porque me toquei que se Itachi aparecer para o fã clube do Menma deste jeito as meninas vão morrer...Só uma sugestão para você Menma, mostre ele, elas vão ama-lo! Itachi estava de boca aberta com essa ideia e com o sorriso maroto do namorado. -Mas eu posso ficar aqui não é? Perguntou Sasuke. -E perder meu show e não tirar fotos com seus ídolos? Falou Menma analisando as unhas curtas e bem feitas. -Oh...Eu preciso ir!! Gemeu Sasuke nervoso. -Tá decidido!! Quando a gente descansar vamos voltar para o mundo humano e vamos causar uma boa confusão por lá! Falou Menma torcendo as mãos de modo sádico. -Esse meu irmão é doidinho de pedra...Mas eu concordo com ele, daremos um jeito...Com certeza. Finalizou Naruto.

Notas finais
Deixa eu explicar gente...Akira é uma raposinha branca, assim como Kamisama é um deus raposa...Bom, vou explicar tudo isso depois, enfim...Imaginem a confusão desses lindos meninos no mundo humano tentando esconder orelhas e rabinho? Já pensou as mães de Naruto e Menma?Elas vão amar...


13. Confusões e pequenas encrencas.

Notas do Autor
Olá meus amores, estou com um capítulo bem fofinho hoje e espero que gostem, claro que essa fic é toda fofinha como já notaram né? Bom, boa leitura.

Naruto riu ao ver como seu gatinho estava lindo usando aquela touca creme que cobria suas orelhinhas felpudas e o longo sueter da mesma cor que lhe escondia a cauda macia que tanto gostava de acariciar, e ainda havia todo aquele jeitinho doce dele, o encarando com fios de cabelos negros que escapavam displicentes da touca e ficavam brincando em sua pele alva do rosto, fora aquele olhar todo tímido que conseguia ter mesmo depois de terem feito amor feito loucos, o que resultou na gestação do seu pequeno e fofo gatinho. Nada que ele não tenha amado, até mesmo a parte de ser pai, isso era incrível demais. -Fofo. Falou para o menor que apenas sorriu e então se aproximou dele meio receoso e ficou na pontinha dos pés para tocar seu rosto, no caso seu olho ligeiramente roxo e murmurar culpado. -Desculpa...Fiquei chocado ao saber que eu seria...Que eu estava grávido, em meu mundo isso não acontece com os meninos sabe? É estranho pensar que eu estou mesmo esperando um bebezinho, ainda me sinto tão jovem e inseguro, estou morrendo de medo. Naruto sabia que sim, e podia imaginar como era difícil, no fundo se recriminava por não ter notado a lua cheia, mas o fato que o amor que sentia pelo seu pequenino e frágil Sasuke o fez perder o juízo totalmente, logo ele um médico e ainda por cima um monge...Enfim, agora ele teria que dar segurança e amor em dobro ao seu gatinho assustado. -Me perdoe gatinho, eu não pretendia isso, sei que não está preparado, depois de tudo que passou, eu realmente sinto muito, mas prometo te amar e cuidar de você e do nosso bebezinho com todo meu empenho e carinho, prometo te fazer feliz. Sasuke ronronou e se aconchegou nele, fechando os olhos satisfeito com a frase. -Tá bom...E-eu entendo... Logo ouviram batidinhas na porta e Naruto abriu, um outro loiro todo arrumado entrou no quarto, puxando seu moreninho fofinho pelas mãos e o fazendo sentar na cama, ao lado do irmão menor. -E então, estamos todos prontos? Perguntou Menma, ajeitando a camisa branca que vestia, que estava perfeitamente linda com sua calça skin preta e botas de cano alto, ele estava perfeito. -Você está lindo, olha só, dá uma voltinha, vai enlouquecer as fãs assim. Falou Naruto ao irmão. -Precisa ficar tão lindo assim? Sério? Falou Itachi nervoso, sendo abraçado pelo irmão caçula que confidenciou em seu ouvido. -Mas acontece que você está lindo também maninho, muito, mas muito bonito mesmo. E realmente estava, usando uma calça clara e uma blusa de lã branca larga, uma touca na mesma cor, realçando seus cabelos compridos, amarrados num rabo frouxo, caindo pelas costas, tênis branco e meias fofas, a imagem da pureza e da perfeição. -Eu lindo? Já se olhou no espelho meu pequeno? Minhas fãs morreriam de inveja se te vissem agora, eu to morrendo de inveja de suas roupas, queria estar no lugar delas, e te envolver inteirinho...Falou Menma de forma sacana e Itachi corou na hora, nervoso. -N-não diz essas coisas...Resmungou ficando corado e fazendo até mesmo Sasuke achar graça disso. Um farfalhar de roupas se ouviu e o deus Kamisama entrou no recinto, trazendo um amuleto nas mãos e parando em frente aos meninos sorridente. -Por favor mandem um grande abraço as meninas por mim, está bem? E diga a Kushina que eu estou muito feliz em saber que teremos bebezinhos na família. -Pode deixar pai...Falou Naruto e abraçou o deus bonito em seus braços, sorrindo abertamente. -Mas o que é isso? Perguntou Menma curioso olhando o amuleto nas mãos da divindade raposa. -Ah, então, se acontecer algo e não for possível encontrar um templo e fazer todo o ritual para voltar a esse mundo e claro...Se for uma real necessidade é só me chamar com esse amuleto em mãos e eu traga vocês de volta. -Nossa! Que legal, obrigado pai... Kamisama sorriu e entregou o amuleto a Naruto e olhou os gatinhos meio temeroso. -Tem certeza que não podem esperar os bebês nascerem aqui em segurança? Depois voltam ao seu mundo se quiserem depois... -Eu tenho um show hoje, é impossível e meu lindo aqui tem um entrevista daqui a...Olhou no relógio de pulso e novamente para o deus. -Daqui a duas horas, então...Precisamos ir mesmo, isso sem contar nos pacientes do meu irmão. -Abrirei o portal agora mesmo, façam boa viagem e retornem logo, não preciso dizer que seria complicado que os seres daquele mundo vissem nossos híbridos não é? -Sim, seria bem complicado...Falou Itachi nervoso abraçando o irmão caçula. O deus abriu o portal que era ali naquele ambiente uma enorme parede naquela mesma sala, e fez sinal para que todos se dirigissem a ele, o que fizeram, Naruto com Sasuke ao seu lado e Itachi segurando na mão de Menma, atravessaram e se encontraram do outro lado, em seu mundo. -Ahh, Kamisama tem razão, ainda sou um híbrido...Falou Sasuke analisando suas orelhinhas que estavam no mesmo lugar. -Tem razão...Temos que ter cuidado agora...Rebateu Itachi. -Tá bom, eu vou levar Itachi para seus colegas na reunião e depois vou para a sede ensaiar para hoje a noite, quero todos lá, ouviram! Vou apresentar os outros integrantes a Sasuke e depois do show vamos jantar juntos. Sasuke vibrou de alegria e Naruto suspirou, sabia que os shows do irmão eram uma loucura com as fãs cantando junto e gritando seu nome quando ele cantava alguma canção mais sentimental, mas tinha que admitir que era legal. -Tá, vamos a cafeteria e depois a gente combina onde se encontrar tá bom? -Tá bom, tchau meninos, se cuidem e não façam besteirinhas...Nada que eu mesmo não faria...Disse Menma rindo. -Melhor então ir para um motel...Já que se for para depender da sua imaginação...Resmungou Naruto e Menma colocou a mão no coração de modo teatral. -Calúnia! Difamação, eu sou um santo! Itachi riu. -Tá, e quem fica tentando me agarrar em armários de vassouras? -Nossa, que coisa mais Harry Potter! Falou Sasuke adorando isso, será que o seu namorado iria querer isso um dia? -Em banheiros...Salas de espera, mesas de mogno...Rebateu Itachi. -Uau! Que diversidade maninho... Itachi parou constrangido e ele e Menma foram embora, com uma calorosa discussão romântica entre eles. -Esses dois...Sempre assim, não sei como meu irmão encontra tanto fôlego para perseguir o seu irmão. -Deve ser porque meu irmão é lindo? Naruto riu e abraçou o menor com um abraço apertado e meio sufocante. -E...Você meu lindinho, meu gatinho atrevido não é? -N-não como ele, imagina...Olha só meu tamanho, sou um nanico...Resmungou triste. -Que absurdo, você é a coisa mais fofa do mundo todo, lindo e doce...Meu híbrido perfeitinho. -M-mas eu preciso respirar Naru...Resmungou Sasuke e logo o loiro o largou rindo, foram para a cafeteria onde ficariam seguros, afinal não sabiam se Fugaku tinha realmente desistido de pegar Sasuke. Quando entraram na cafeteria foram imediatamente abraçados por duas mulheres...Com Sasuke sendo esmagado no colo quente e perfumado da ruiva. -Oh pelos deuses, como você demorou meu filho, eu estava preocupada com vocês...Porque não me avisou seu desnaturado! Falou a ruiva dando um croque na cabeça do loiro que se encolheu só para levar outro de Ino, isso estava assustando um pouco Sasuke não muito acostumado a reações tão intensas, e ele se encolheu um pouquinho. -Sasuke meu lindinho...Oh...Espere, e essas orelhinhas...Oh pelos deuses! Isso só pode significar uma coisa...Me segurem, vou desmaiar, ainda sou nova para ser avô! Ino havia puxado a touca de Sasuke e ambas viram as orelhinhas, depois de socorrer a esposa que quase morreu ao perceber o menino híbrido, o que neste mundo só podia significar que ele estava grávido. -Naruto! Sasuke é novinho, porque não esperou mais algum tempo! Que irresponsabilidade meu filho. Falou Ino, mas acariciava o menor já em seu colo. -Mãe! Foi sem querer, eu não percebi a lua cheia, e depois...Bom, Menma também não reparou na lua cheia... -Não me diga! Itachi está...Itachi está grávido também? Oh céus...Alguém me dá água...Tá tudo ficando escuro... Ino correu para acudir Kushina, mas ria divertida, enquanto acariciava a testa da ruiva. -Amor, imagina que lindo, dois bebezinhos fofos...Somos muito sortudas não é? -Ahhh e com filhos muito irresponsáveis...Kushina falou, mas então parou porque Sasuke estava chorando. -Ei, lindinho não chora, o que ouve? Falou Naruto o abraçando. -E-eu disse que suas mães não iriam gostar...Fungou nervoso. -Não é isso meu pequeno...Elas estão preocupadas com você que é novinho, mas eu prometo que todos nós iremos ajudar, nunca vai ficar sobrecarregado, é uma promessa, irá estudar e se formar no que quiser, seremos dois pais amorosos e eu vou ser bem responsável. Kushina e Ino se aproximaram e o abraçaram, ainda bem que tinha poucos clientes no local, porque quem estava lá não estava entendendo nada, um menino com orelhinhas de gato, falando em gravidez... -Bom, acho melhor a gente ir mais para o canto e conversar mais baixo, pode ir servir os clientes amor, eu cuido dos dois, tá bom? Falou Ino e Kushina concordou na hora, alguns clientes estavam achando uma graça toda essa cena, era como um cosplay para fazer um marketing na cafeteria e estava funcionando, algumas pessoas já tiravam fotos de Sasuke, embora eles nem notassem. -Tá bom, vou preparar um capuccino duplo com bastante chocolate e trazer um muffin para nosso pequeno gatinho, pode deixar a touca por enquanto, essas orelhinhas são lindas e todos devem achar que é um arquinho mesmo. Falou Ino antes de ir pegar as coisas. -Tá melhor meu amorzinho? Perguntou Naruto acariciando as orelhinhas do gatinho. -To sim, desculpe...Fiquei nervoso. -Tudo bem, posso garantir que elas vão amar esse bebezinho como se fosse delas, temos sorte de ter as duas... Sasuke riu e concordou, não notou um homem alto tirando várias fotos suas de todos os ângulos e ficou feliz ao ver Ino trazendo seu muffin e seu copo grande de capuccino que iria dividir com seu namorado, conversaram animados, sem notar que o homem ouvia tudo sobre o bebezinho do lindo híbrido. ................................................................................................................................................................................................................................................ A reunião... Itachi estava nervoso, ser um híbrido implicava em instintos que ele não entendia ainda, se sentia muito mais sensível, sua audição e olfato, assim como todos os outros sentidos eram mais apurados, por isso ele notava qualquer variação nos homens a sua frente, mas sua condição em híbrido parecia ter o deixado quase irresistível também. -Então...Quantos anos tem mesmo senhor Itachi? Quer dizer parece tão jovem para ser chefe dessa organização...Falou um dos empresários que não tirava os olhos do moreno lindo e perfumado a sua frente. Essa pergunta desconcertou Itachi, ele queria falar sobre o projeto e não sobre sua pouca idade, felizmente sua assistente o salvou bem na hora, muito embora isso o tenha deixado subitamente corado o que causou uma onda de suspiros pela sala de reuniões. -Senhores, vamos nos ater ao projeto, o que acham senhores? -Bem, sem sombra de dúvidas é o melhor projeto em pesquisa que já vi, digo...Procurar outros mundos é uma tarefa complicada, sabemos que isso é novo, mas a possibilidade está lá, sempre esteve. Falou um dos homens, oferendo a Itachi uma garrafinha de água muito gentilmente. Itachi pensava que agora ele não seria mais capaz de duvidar de nada, afinal ele mesmo voltou de outro mundo, não entre as estrelas, mas...De um portal mágico e tinha suas orelhinhas e seu rabinho felpudo para comprovar isso, muito bem escondidos é claro. -Podemos analisar o orçamento inicial, e na verdade não me parece muito alto, as instalações estão prontas já, temos o melhor telescópio e os melhores computadores, então...Bom, se meus colegas aceitarem eu também aceito. -Senhor Takahiro eu agradeço muito...Falou Itachi fazendo uma reverencia, o que resultou em sua touca cair, revelando suas orelhinhas fofas e causando uma reação de espanto de todos. -Ora, ora...Um astrônomo renomado usando um acessório desses...Riu-se um dos homens, justo o que mais encarava Itachi. Envergonhado e certo que perdeu o respeito deles por isso acabou ficando com os olhos cheios de lágrimas e suas orelhinhas mexeram murchando na hora, o que causou espanto, o senhor Takahiro se levantou e tocou as orelhinhas do moreno e se espantou. -Mas são de verdade! Como?? Todos os homens cercaram Itachi, tentando ver com seus próprios olhos... -Parem!! Gritou Itachi indignado, resolvido que a verdade era a melhor coisa a ser dita ali. -E-eu...Eu posso afirmar que tem outros mundos, eu estive em um, não entre as estrelas, muito embora minha pesquisa com certeza aponte para mundos habitados, mas nesse mundo eu me tornei um híbrido...Por isso eu tenho orelhinhas...Sou um híbrido de gato, isso no entanto não mudou minha determinação e eu quero pedir que não contem a ninguém é claro... (Silencio absoluto...Quase grilhinhos cantando na sala...E um Itachi nervoso, tão nervoso que sua longa cauda escapou da roupa e rodeou seu corpo nervosamente, causando comoção na platéia interessada...) -Itachi...Que coisa mais linda! Seu dinheiro será liberado, fico feliz em saber que existem outros mundos, e que você esteve em um deles... -Mas...Não podem contar a ninguém, eu tenho medo que o governo tente me pegar para experiencias...Falou Itachi nervoso. -Vamos protege-lo! Gritaram os homens juntos, inebriados com a visão doce e o perfume do jovem híbrido fofinho. -E tem mais uma coisinha...Itachi falou mexendo nas mãos nervosamente. -Nada mais me espanta depois disso...Falou Saskura sua assistente. -É melhor revisar suas ideias...Eu estou grávido...Híbridos engravidam... (Uma comoção encheu a sala, cheia de frases alegres e sorrisos complacentes e doces) -Por deus! E quem é o pai? Ele vai assumir não é? Perguntou um dos homens. -Se ele não assumir posso me oferecer para casar com você...Respondeu Takahiro sorridente. -Ei, eu ia falar isso primeiro! Disse um dos homens, irritado. -Ahhh, é do meu namorado Menma...O cantor de K-pop... -Um cantor de K-pop? Falou Takahiro sorridente. -É...Um cantor que eu amo muito...Posso contar com a discrição de vocês senhores? (Todos concordaram plenamente...) Uma coisa que Kamisama não contou porque considerou irrelevante é que os humanos se tornam reféns dos híbridos, eles os acham tão lindos e fofos que não podem recusar nada que eles peçam, por isso o deus raposa não estava nervoso com seus dois híbridos no mundo humano. -Tá bom, voltando ao nosso contrato...Falou Itachi analisando a folha. -O dobro, eu vou doar o dobro...Falou Takahiro. -O triplo...Disse outro. -O que quiser...Respondeu um terceiro homem. No final a reunião acabou com seus amigos e funcionários cheios de alegria pelo chefe, o saudando pela nova fase na vida e felizes com um contrato praticamente milionário em sua pesquisa. Itachi achou ótimo, nunca podia imaginar que ser fofo seria tão bom.

Notas finais
Oiê...Mereço comentários???Please!!! To carente...


14. Akira.

Notas do Autor
Olá, dois capítulos num dia, eu sou demais!!! Eba...Bom, calma lá né...Vocês que me dizem isso, não eu...
Enfim, neste capítulo estou explorando um novo romance, de quem será?

"Sinto as flores tão tristes hoje? Porque será? Alguma coisa está muito errada...Será que é comigo?" pensou o deus Kamisama caminhando entre as flores de seu imenso bosque, então sentiu uma presença forte ao seu lado, logo porém sua aura poderosa quase sumiu deixando apenas um vislumbre de seu imenso poder, um vislumbre que ele sendo o grande deus raposa podia sentir perfeitamente. -Como vai Kamisama? Suas flores não parecem muito bem não é? -Oi ABSOLUTA, como vão as constelações celestes e conspirações interplanetárias? Perguntou Kamisama ainda andando suavemente e tocando suas belas flores com dedos suaves. -Hum...Creio que precisamos conversar meu querido amigo, porque ainda está sozinho? O que te impede de realmente amar alguém? A deusa perguntou, estava usando um quimono branco e prateado com flores de cerejeira em seu tecido leve e fluído. -Porque está subitamente interessada nisso, posso saber? Ele se virou e a encarou, colocando as mãos na cintura. -Bom, considerando que o amor causou a renúncia do antigo deus ABSOLUTO e o amor me colocou em seu lugar, eu agora considero o amor a força mais poderosa do universo inteiro...Sei que conheceu meu antecessor não é? Já o viu agora? -Hum...Sim, eu estive em seu casamento no submundo, admito que o demônio que ele tem é bem...Impressionante... E admito que o ABSOLUTO ficou lindo com o novo corpo dele, um anjinho doce e perfeito, com bochechas macias e coradas e um corpinho que se me permite a ousadia enlouqueceria qualquer criatura mágica ou não mágica de todos os mundos, mas quem diria não é? Um anjo e um demônio...Realmente incrível... -Sei, então como eu disse, o amor é a maior força do universo, eu me tornei a deusa ABSOLUTA por amor, por amor a minha linda Mia, então minha pergunta é bem simples...Porque se priva do amor? Kamisama pegou uma pequena flor entre tantas, delicada e sutil e a deu para a deusa, depois olhou em seus olhos profundos, onde cabia o poder do universo em expansão. -Porque eles são mortais e eu sou imortal...Todos que amo são mortais, eu poderei seguir suas almas e ver onde viveram a seguir, eu poderei até viver perto deles por um tempo, mas não indefinidamente, porque este é meu mundo e eu o amo, mas...Todos aqui são mortais, eles me deixaram mais cedo ou mais tarde, mesmo os meus amados híbridos, mesmo aqui neste mundo onde a vida é longa, eles partiram...Todos eles...Não posso sofrer isso...Não suportaria. O belo deus tremeu diante da mera suposição de amar tanto e perder em seguida. Cibele a deusa ABSOLUTA sorriu de modo enigmático o que fez as orelhinhas macias se erguerem em total atenção. -Porque está sorrindo? Ele perguntou suavemente. -O deus todo poderoso se fez uma doce criatura só para ir ao mundo humano e entender o amor, ele se apaixonou e abandonou o poder do universo inteiro...Aprendemos algumas coisinhas com isso sabe? Eu li toda a história dos deuses e de de tudo que li só tem uma coisa que pode verdadeiramente matar um deus, um como nós...A solidão. -Ou nos enlouquecer, como aconteceu com Asura e Indra em tempos antigos...Rebateu Kamisama. -Sim, mas eles enlouqueceram porque foram separados, eu quero que ame alguém verdadeiramente, se fizer isso eu darei a esse ser a imortalidade. Kamisama levou a mão ao coração, perplexo demais para falar, ele tinha ouvido direito? -Mas...Nós não temos esse poder, não temos tanto poder... Ela sorriu complacente e se aproximou o beijando na face. -Eu crio vidas todos os dias, eu crio mundos inteiros, acha mesmo que eu não posso dar a imortalidade a um híbrido doce que nunca na vida fez qualquer mal? E depois já foi feito antes...Com o amante humano de Lúcifer, você sabe o deus do submundo...O todo poderoso senhor do inferno... -Ahh, eu sei quem é! Francamente ele é um anjo caído, um dos primeiros das grandes guerras...Mas eu não sabia que o belo Eros era meio humano para ser transformado em imortal, e isso não é contra as leis que o próprio ABSOLUTO criou no início de tudo? Nunca dar vida eterna aos seus filhos híbridos? Tendo somente dado essa dádiva aos seus anjos e deuses? -Eros é um humano, um humano puro, nascido e criado na Terra. Kamisama abriu e fechou os lábios assustado. -Mas e aquela história de que todo o universo iria ser consumido pelo fogo caso as regras fossem quebradas? Cibele sorriu e devolveu a flor aos dedos do seu amigo. -Novos tempos, novas regras...Eu mudei as coisas um pouquinho, anjos e demônios estão vivendo muito bem agora, temos vampiros e lobisomens e fadas e sereias...Bruxos humanos e seres que nem eu ainda consegui classificar, as regras foram feitas em um mundo onde só haviam deuses e híbridos, olhe a diversidade que existe agora! Precisamos viver em harmonia, até mesmo o mais jovem ser de nossa criação está tentando, até mesmo o ser humano está tentando viver em harmonia, porque nós não podemos? As regras não podem obrigar alguém a sofrer assim, um deus, um vampiro, um anjo, um demônio...E híbridos e humanos...Todos nós amamos, é justo viver um ao lado do outro. Kamisama sorriu, um sorriso que ele não tinha a muitas eras, nunca se permitindo amar, por medo da dor da separação, então um leve rubor subiu as suas faces, as colorindo intensamente ao pensar em Akira. -Eu já namorei muito, mas nunca me permiti amar...No entanto eu conheço uma pessoa...Alguém que eu nunca nem mesmo fiquei muito tempo sozinho, um belo e lindo híbrido...Acha que eu, quer dizer...Poderia chama-lo para sair comigo? E se for ele...Digo se for ele o amor da minha vida, realmente lhe daria a vida eterna ao meu lado? Cibele sorriu. -Chame Akira para sair, ele está esperando a tempo demais...E ele gosta de flores, então...Leve flores. -Como sabe que é o Akira? Perguntou Kamisama, mas então sorriu, ela é Cibele, a deusa suprema. -Obrigado. Disse de modo simplista e se voltou a sua casa. Mia apareceu por entre as flores e abraçou Cibele pelas costas, depositando um beijo ali, foi gentilmente virada e ganhou um selinho suave nos lábios macios. -Minha deusa danadinha, na verdade a vida eterna já foi dada duas vezes não é? Para Eros e para mim... Cibele a beijou de novo, antes de virar a palma da mão suavemente, criando um vórtice espaço tempo acima delas. -Ele não perguntou...Mas o que acha de fazermos uma visitinha ao submundo? Estou curiosa com novas pinturas dos anjos nas paredes de pedra, dizem que é celestial...Depois estou com saudades de todos. Ambas sorriram e desapareceram. Kamisama entrou em casa e caminhou lentamente até os fundos até ouvir uma conversa interessante, e mesmo sendo um deus é muito curioso, então...Ficou ouvindo pela fresta da porta, mordendo as unhas de nervoso. -Akira, quero apenas uma chance, porque não aceita ser meu namorado? É porque eu achei que você era fêmea? Foi um mal entendido... Akira fungou meio sentido. -Não foi por isso, eu já estou acostumado a isso, todo mundo me confunde, acho que deve ser porque eu sou muito baixinho...Mas é que eu gosto de outra pessoa...Além disso você achava que eu era uma gatinha branca e eu sou um híbrido de raposinha! Entenda, eu tenho carinho por você, é meu amigo, mas...Não posso ser seu, desculpe Yuki. Yuki ficou zangado e bateu a mão na mesa, se aproximando de Akira bem irritado. -Sua raposinha teimosa! Akira se encolheu com medo e então... -Mas o que está acontecendo aqui? Falou alto o deus Kamisama entrando na cozinha. Akira tremeu e correu até Kamisama se encolhendo em seu peito, com medo de Yuki que naquele momento ficou totalmente desarmado e pedia desculpas e mais desculpas. -Perdão senhor Kamisama, eu me descontrolei, mas nunca machucaria Akira, eu juro! A voz do deus era profunda quando ele afirmou com convicção... -Saia daqui, espero que fique algum tempo longe, pelo menos um mês, e peça desculpas a Akira. O Yokai se virou para a raposinha branca encolhida nos braços do deus. -Desculpe Akira, realmente me perdoe...E-eu já vou indo...Ele falou e saiu pela porta dos fundos. Akira fungou ainda escondendo o rosto no peito do deus e então como se notasse o que fazia tentou se afastar, sem sucesso, porque o deus o apertou mais e mais nos braços, sentindo o pequeno coração dele bater como as asas de um beija flor, todo seu pequeno corpo tremendo...Que reação interessante. -Kamisama...Pode me soltar agora...Obrigado. O deus sorriu, porque o pequeno híbrido estava corado e tremendo em seus braços, mesmo que fosse nervoso por estar nos braços de um deus, havia algo mais ali, ele o admirava? Teria interesse nele? -Akira, você gosta de alguém? Eu ouvi acidentalmente sua conversa com Yuki... -Ah, eu gosto sim...Mas ele é muito importante e eu...Bom, eu sou só o Akira, eu sirvo na cozinha, nunca...Não tenho chances. Falou corado, as mãos pequenas empurrando seu peito, tocando em sua pele macia por sobre o tecido do quimono, mas o deus sentia a vibração do corpo leve, ele estava com as pernas bambas, o peito arfando, a respiração descompassada...Isso queria dizer que... -Você gosta de mim?Perguntou Kamisama a queima roupa e pronto... Akira se soltou nos braços do outro, chorando. -Desculpe, desculpe...Eu sei que não devia, isso é imperdoável...E-eu vou embora...Não fique bravo senhor... Kamisama sentiu todo o seu ser vibrar, naquele momento apostou que Cibele já sabia. -Ei pequenino...Não estou zangado, eu na verdade estou honrado, pare de chorar, eu vou fazer o seguinte, vou subir e me trocar, venho te pegar quando escurecer, vamos a um encontro, tá bom? Não quero que cozinhe hoje, quero que se sinta especial, o que me diz? Falou o deus pegando no rostinho corado e beijando suas faces molhadas de lágrimas. -I-isso é verdade? Perguntou Akira ainda soluçando...(adorável!!!) -Sim, é verdade...O que me diz? -S-sim...Eu vou. Sussurrou o pequeno Akira e corou ao ter um beijo suave plantado em seus lábios virgens. -Até daqui a pouco raposinha...Falou o deus Kamisama e subiu para seu quarto. Akira tocou os lábios macios e estremeceu, depois que sentiu o controle de suas pernas de novo, pulou de alegria sozinho na cozinha. "O deus Kamisama me chamou de pequenino! E me convidou para sair!!! Oh céus!!!" Akira correu para seu quarto, precisava estar deslumbrante para seu amor...

Notas finais
Então...Novo shippo...Adoro Kamisama e achei que ficaria legal com Akira. Lembrando aos meus leitores, gente a fanfic é yaoi, então sim...Temos casais do mesmo sexo. Outro dia alguém reclamou dizendo que só tem yaoi no que eu escrevo, e bom...É verdade, as vezes tem um beijinho yuri, alguma coisinha hentai, mas...Amo yaoi, fazer o que? É minha fraqueza exatamente como a kriptonita para o super homem... Se alguém ficou curioso sobre a deusa Cibele e tudo mais, é de uma fanfic minha https://spiritfanfics.com/historia/em-teus-olhos-4679959. Beijos de Akirasam.


15. Descomplica baby.

Notas do Autor
Todos os gatinho merecem beijinhos!!! E eu ganho também?? Bom, voltando a nossa fanfic...(corando agora de vergonha) enfim...Um bom show, muitos beijos e descomplicando a vida dos nossos híbridos lindos...
Recadinho: Essa fic eu posto atualizações uma vez por semana tá gente, com três fics em andamento fica difícil postar mais que isso. Espero que gostem, não desistam da fic! Akirasam.

Itachi estava feliz e radiante, agora só faltava o show ser um sucesso para tudo ficar perfeito, ele agora estava indo de táxi buscar Sasuke, porque Naruto estava em uma emergência no hospital, ser médico e monge budista dava mesmo muito trabalho... Assim que desceu do carro o moreno olhou para todos os lados, ajeitou a touca e o cachecol no pescoço, estava frio então isso era normal, entrou na cafeteria e sorriu ao ver seu irmão tão contente conversando com Ino e Kushina, elas já estavam fechando, então eles podiam ficar tranquilos por algum tempo antes de sair e ir para o show. -Oh meu menino lindo! Entre e sente-se, como está passando? Enjoando ou ainda não? Perguntou a ruiva toda feliz. -Estou bem, não estou enjoado agora, me sinto...Feliz. -Realmente não é com todos, isso é bom, vou servir algo para comerem antes do show. Disse Ino já arrumando algo gostoso e quentinho para eles, que comeram e conversaram bastante, Itachi contou o desfecho da reunião e todos acharam ótimo. -Mas eu quase morri de medo, e se aqueles homens de negócio resolvessem me entregar ao governo? Graças a Kamisama nenhum se sentiu assim, eles foram tão gentis comigo que até estranhei. -Isso é porque híbridos tem um poder quase hipnótico sobre humanos comuns...Salvo alguns de coração escuro, a maioria se sente apaixonado pelos híbridos e os trata muito bem. -Isso mesmo minha doce ruiva, isso mesmo...Riu a moreno, dando um beijo na bochecha da esposa. -Bom, vamos Sasu? Pegamos um táxi aqui e logo estaremos no show, temos lugares perto do palco, é mais seguro. -Sim, vamos, eu vou pegar autógrafos dos integrantes da banda, que emoção!! Itachi riu, achando que era mais fácil os integrantes quererem autógrafo do seu irmãozinho lindo, depois de se despedirem das mulheres rumaram para fora e pegaram um táxi, indo ao show, não notaram outro carro os seguido, estavam tão bem e felizes que nem pensavam mais em Fugaku e nem em seus capangas. Entraram na área vip e logo estavam nos camarins, foram recebidos pelos meninos já todos arrumados para o show, e foi uma cena épica. -Meninos, este é Sasuke, irmão caçula do meu Itachi, e namorado do meu irmão. Então nada de dar em cima dele, por favor! Avisou Menma, ouvindo reclamações gerais por parte dos meninos da banda, o que foi o suficiente para os dois morenos rirem muito. -Poxa Menma, você tem esse gato lindo e agora traz esse fofinho e ele já tem dono? Sacanagem! Reclamou Neji, analisando o pequeno Sasuke com divertimento. Shikamaru também adorou o menino, e Kiba mais ainda, o jovem Sai então nem se fala, ele quase babava em Sasuke, assim como sempre estava babando por Itachi... -Bom, aqui estamos todos nós, a banda Dreams, euzinho, Neji, Shika, Kiba e Sai, esse branquelo que tá ficando desidratado de tanto babar em vocês dois... -Oi...Falou Sasuke com vergonha e todos o cercaram para assinar sua agenda e tirar uma casquinha dele, como beijinhos na bochecha por exemplo... Claro que não era diferente com Itachi, com uma única coisa...Menma tentando protege-lo dos outros era hilário, ele tirava a mão boba de Kiba e logo Neji o puxava para um abraço, era melação demais!! -Oh vida! Vão arrumar namorado seus pervertidos, deixem meu namorado e meu cunhadinho em paz!! E vamos entrar no palco que já estão chamando! Menma mandou um segurança cuidar de Sasuke e Itachi, os levando a um local perto do palco, previamente arrumado para eles, e subiu ao palco e o show começou, vibrante, todas as luzes se apagaram e depois se acenderam coloridas, fumaça subindo do palco, levemente, e as vozes lindas em uma perfeita sintonia, eles dançavam e rebolavam no palco, deixando a plateia enlouquecida, e ali fora, os dois híbridos pulavam, cantavam e riam felizes, já nem ligando para suas caudas ou orelhinhas, ali se alguém visse ia achar que era só um acessório mesmo. No meio da multidão um homem moreno se destacou, o único sério, alto e com cara de mal, ele andou até perto dos meninos Uchihas e os analisou detidamente, esperando o momento certo de agir. Lá pelo finalzinho do show os meninos faziam uma pausa no palco mesmo e respondiam alguns fãs rapidamente, somente para dar tempo de respirarem um pouco depois de tanto dançar e cantar ao mesmo tempo. Uma fã gritou para Menma sobre o menino especial dele, quem era, e porque ele o escondia tanto. Eram perguntas normais num show, em entrevistas e coisas assim, as meninas gostavam de inventar shipes para seus ídolos lindos, a bola da vez era o garoto misterioso que perdeu as calças dentro da gravadora, nesse momento Itachi já estava corado, mas sem que ninguém percebesse uma fã muito afoita subiu no palco, fugindo dos seguranças e pulou em cima de Menma, o enchendo de beijos molhados, os outros meninos riram da situação, mas Itachi ficou muito, muito zangado, como assim aquela loira faz isso? Com seu namorado? Não aqui Mona!!! Mesmo com Sasuke tentando segura-lo ele se desvencilhou e subiu no palco, foi tudo muito rápido, ele alcançou a menina e puxou de cara feia, depois colocou a mão na cintura e fitou seu namorado com uma cara nada boa, nervoso, sem touca, as orelhinhas expostas, o rabinho agitado ao seu redor, como um gato prestes a saltar na presa... O povo gritou enlouquecido e Menma se perdeu naquele olhar lindo, o que fez? -Bobo...Eu só amo você meu Itachi...Falou Menma, esquecendo que seu microfone estava bem ligado, o beijo que deu em Itachi a seguir tirou o fôlego de muita gente, ouve desmaios, crises de sangramento nasal e um verdadeiro reboliço na plateia, com um Itachi todo molinho nos braços do namorado depois, e corado por ter se entregado assim...Malditos hormônios da gravides!! Os meninos da banda aplaudiram e gritaram, causando ainda mais tumulto, e então Menma se pronunciou para todos, com Itachi muito bem firme ao seu lado. -Bom meninas, este é o cara que roubou meu coração, e como podem ver...Ele é um gatinho lindo, então não tenham ciúmes, eu ainda sou o cantor de vocês, mas eu amo somente meu gatinho... O mundo veio abaixo, gritos, choros, palmas, e no meio disso Menma segurou na mão do belo moreno e começou sua mais nova canção, seguido dos outros, era uma música que fez para Itachi, linda e lenta, cheia de romance e carregada de erotismo. "Seu sorriso me pegou, me seduziu, me capturou... Baby, você me capturou. Eu tentei resistir a você, tentei lutar contra a maré, tentei ser mais forte, mas seus olhos, seu cheiro, seu corpo lindo... Baby, você me capturou. Baby, você me capturou. Eu não vivo mais sem seus carinhos, perdido nos seus beijos macios e doces, na sua pele... Oh, sua pele de seda, puro encanto e pecado. Eu sou seu refém, sou seu prisioneiro, eu faço o que quiser, eu me rendo...Porque... Baby, você me capturou." A canção explodiu na galera, todos cantavam juntos, aplausos, assovios, gritos, todos apaixonados pela música, pelo momento e pelo lindo casal que levou uma imensa parcela das meninas ao delírio ali, do seu canto Sasuke ria, até arrepiado pelo que ouvia, por ver seu irmão tão feliz assim, sorriu mais ao ver a música terminar e Menma beijar Itachi no palco, quase matando as fãs. As luzes apagaram e todos foram para os camarins, com Itachi voltando ao local junto ao Sasuke, sorrindo feito bobo, embora estivesse nervoso. -Ah que fofo! Menma te beijou no palco, todo mundo viu!! To tão feliz por você. Gritou Sasuke, pulando em seu pescoço, porque ali somente aos gritos se ouvia algo. -Que vergonha!! O que será que vai acontecer agora? Será que o empresário de Menma vai demiti-lo? -Imagina! As fãs matariam o homem com certeza, elas amaram, você virou o centro das atenções maninho. Itachi resmungou um pouco, mas logo notou um homem vindo em sua direção, podia ser um dos seguranças, mas ele não conhecia o homem. -Meninos, venham comigo, vou leva-los em segurança para casa. Disse o homem, puxando Sasuke pelo braço, sendo seguido de Itachi meio nervoso. O celular de Sasuke tocou e ele atendeu. -Amor? Eu cheguei, onde vocês estão? Perguntou, gritou Naruto. -Ah, Naru!! Vem nos encontrar, estamos saindo de perto do palco, o segurança tá nos escoltando...Ele ia terminar de falar, mas o homem tomou o celular de sua mão e o jogou longe, apertando o pulso de Sasuke em suas mãos fortes. -Quietinho gatinho, seu pai quer te ver. -Não!! Gritou Sasuke chutando o homem, e quando Itachi percebeu pulou em cima dele também, tentando soltar o irmão, mas o homem era mito forte, mesmo com os dois lutando nada o movia, Naruto ao perceber algo errado começou a procurar na multidão, sem encontra-los subiu no palco, pegou o microfone e gritou bem alto, chamando a atenção do público que já se dirigia a saída. -Sasuke, Itachi!! Do meio do povo Itachi gritava, enquanto o homem já erguia Sasu no colo, pronto para fugir com sua carga preciosa. -Estão tentando raptar Itachi e Sasuke, ajudem!! Gritou Naruto no microfone e foi uma loucura. Menma voltou ao palco e desceu correndo, indo ajudar seu namorado, e todas as meninas resolveram ajudar também, começaram a bater no covarde forte que puxava Sasuke sem pena pelos cabelos, o arrastando, enquanto tentava puxar Itachi pelo pulso direito, mas com tantos tapas, chutes em lugares não tão bons assim, ele acabou soltando os meninos e fugindo das fãs. Naruto chegou quase ao mesmo tempo que Menma, ambos abraçando os meninos Uchihas pela cintura, os beijando e acariciando com ternura. -Quem era aquele louco? Perguntou Menma, já tirando seu namorado do meio do tumulto. -Era um dos capangas do meu pai...Ele disse que eu seria levado para meu pai...Ele sabe que somos híbridos, e agora ele quer nós dois, o que faremos? Perguntou muito nervoso Sasuke. -Deixa ele tentar pra ver! Acabo com esse maldito de uma vez!! Gritou Naruto nervoso. -Podemos chamar a polícia, o que acham? Perguntou Itachi mais racional. -Ou podemos fazer uma armadilha pra ele, o que acha? Eu posso mentir para seu pai, fingindo que vou entrega-lo exigindo dinheiro em troca e ele com certeza não vai resistir, embora com certeza vá tentar me enganar na troca, e então pegamos ele e o enviamos ao mundo oposto, deixando que Kamisama cuide dele. Explicou Menma calmamente. Ouve um silencio espantado de todos. -Ué? Não posso ter uma ideia brilhante? Ele deu de ombros. -Poder até que pode mas... O gênio aqui é o Sasuke, ao passo que você irmãozinho é muito pirado para pensar em algo que não seja música...To chocado! -Cala a boca Naru! Mas gostaram da ideia? Todos concordaram, agora só precisavam avisar Fugaku, avisar Kamisama e deixar a armadilha pronta...Desta vez Fugaku iria aprender uma lição, e nunca mais iria esquecer.

Notas finais
Estão gostando? Próximo lemon de Kamisama e Akira e armadilha pronta.


16. A armadilha e o romance.

Notas do Autor
Oi, estou de volta, neste capítulo tem a decisão de Sasuke, ele é um gatinho corajoso mesmo...E tem o jantar de Akira e Kamisama, cheio de romantismo. Quero agradecer quem anda acompanhando essa fanfic, é muito importante para mim saber que tem gente que lê.

-Certo, não podemos fingir que queremos dinheiro, porque seu pai já sabe que Menma tem dinheiro, é bem rico na verdade e além disso é namorado de Itachi, não daria certo, ele também conhece todos que andam com a gente, o plano de tentar vender os meninos furou...Falou Naruto nervoso. -Como fazemos uma armadilha? Perguntou Sasuke nervoso. -Acho que é bem simples...Tá vendo aquele cara ali, tomando um chá e nos olhando discretamente? Perguntou Itachi e apontou com a cabeça em direção ao homem que fingia tomar seu chá. Todos na mesa concordaram, incluindo Naruto que era o mais animado de todos, isso porque ele amava filmes de espiões. -Continua Itachi e me diz que será emocionante como nos filmes de James Bond. Menma riu do irmão, mas esperou o lindo namorado continuar com seu plano. -Bom, aquele cara é um dos homens do meu pai, tenho certeza disso, vamos deixar claro aqui, em uma conversa que Sasuke ficará sozinho em algum momento, sozinho no apartamento por exemplo e meu pai não vai resistir em tentar rapta-lo. -Mas tem um problema nessa coisa toda, seu pai não vai aparecer pessoalmente, aquele homem vai raptar o Sasuke e levar ele até seu pai, não é? Perguntou Naruto nervoso, olhando para Sasuke que mordia a unha mais nervoso ainda. -Não tinha pensado nisso...Eu posso ser a isca, afinal meu pai sabe que somos híbridos, ele quer nos dois...Falou Itachi desanimado. Sasuke se remexeu na cadeira inquieto, mas por fim falou. -Eu já tinha pensado nisso, é exatamente o que deve ser feito, meu pai é controlador, e adora dominar todos a sua volta, principalmente eu...Se ele mandar me raptar vai mandar me entregar em seu local favorito, onde ele sempre me dominou e humilhou, e lá então se sentirá seguro, neste momento Kamisama pode pega-lo, não sei se ele liga para o fato de sermos híbridos, mas sei que ele liga para o fato de que eu fugi dele, ele quer me achar e me ferir. -Não! Falaram alto Naruto e Itachi, olhando para Sasuke. -Mas é o único modo de pega-lo, não entendem? Sasuke está coberto de razão, e tem outra, pelo que sei ele não vai querer machucar o Sasuke antes, to certo? Explicou Menma sendo bem racional, mas também nervoso com tudo. -Certo, eu tenho que chegar inteiro, para que ele possa me machucar. Sasuke disse, embora isso o deixasse apavorado. -Não aceito. Nunca mesmo, esqueçam...Pegamos ele em outra ocasião, nunca deixaria colocar a vida de Sasuke e de nosso bebezinho em risco assim. Falou Naruto. -E-eu também nunca permitiria isso, acharemos outra coisa. Sasuke sorriu para o namorado e o irmão, mas ele sabia que não tinha outro jeito, nunca teve, por isso como era muito inteligente já tinha tomado sua decisão. Ficaram ali por um bom tempo, conversando e rindo, esquecidos do homem que não deixou o local um minuto sequer, e sorrateiramente tirou fotos deles, uma delas revelando de novo as orelhinhas felpudas do caçula Uchiha e as enviando imediatamente para o chefe pelo celular. Por mensagem leu a ordem para raptar o menino assim que fosse possível e concordou com ele. -Gente, preciso ir ao banheiro. Falou Sasuke se levantando, sentiu uma leve vertigem e logo Naruto o apoiou em seu peito, como sempre fazia, e Sasuke o abraçou por um momento, mas logo se recuperou e se dirigiu ao banheiro, o que ninguém viu foi o moreninho roubando (pegando emprestado sem consentimento!) o amuleto que poderia contatar Kamisama. Dentro do banheiro o jovem moreninho apertou o amuleto nas mãos e orou fervorosamente para o Deus raposa e quando abriu os olhos negros lá estava o Deus a sua frente, com as vestes claras esvoaçantes ao seu redor. -Oi gatinho, imagino que seja importante já que está ansioso e sozinho, o que aconteceu? -Bom, quero que pegue meu pai, ele não pode ficar mandando e machucando as pessoas assim, e eu não posso viver sabendo que ele me procura o tempo todo, e pode ferir a mim, meu bebê ou mesmo Itachi...Ele é um homem mal, mas terrivelmente rico, por isso é quase impossível ele ser preso neste mundo, mas você pode puni-lo não é? -Sim, eu concordo com você pequenino, mas não posso caça-lo, existem regras mesmo para um Deus Yokai como eu, entende? Eu devo proteger meu povo e agora você faz parte disso, para que eu possa puni-lo ele teria que ameaçar sua vida ou a do bebezinho, entende? -E-eu sei...Posso conseguir isso, é só eu ficar sozinho e deixar um dos seus homens me raptar e depois você aparece e me resgata, daí a justiça será feita e eu poderei ser feliz com meu namorado e nosso bebezinho, no seu ou nesse mundo... Kamisama admirou a coragem do pequeno, realmente o achou formidável. -Posso presumir que os outros não concordaram não é? -É...Mas eu quero ser livre, preciso de ajuda. Kamisama sorriu satisfeito e tocou o rostinho bonito carinhosamente. -Faça o que deseja e não tenha medo, é só me chamar e eu virei, não precisa usar o amuleto, eu vou manter um canal aberto com você, me dê sua mão um instante... Sasuke estendeu a mão direita e viu o Deus traçar um desenho em sua palma aberta, o desenho parecido com uma mandala brilhou lindamente em sua palma aberta e depois sumiu. -Pronto, um canal...Pense em mim e eu virei, muito rápido onde quer que esteja, é uma promessa. O Deus sumiu e Sasuke voltou a mesa, conversou mais um tempo e antes que eles saíssem todos da cafeteria deu um jeito de ficar para traz, ao passar pelo homem que ainda fingia tomar seu chá falou mais alto para Ino na cozinha... -Ino, amanhã eu venho pegar o almoço as 11:30h tá bom? É pertinho e eu preciso andar um pouquinho e tomar sol. A mulher saiu da cozinha e sorriu para ele. -Claro lindinho, só avise o meu filhote por favor tá bom...Ele surta fácil com sua segurança, mesmo que seja um trajeto curtinho desses. Sasuke riu e saiu, todos o esperavam na calçada, rumaram para o apartamento de Itachi, lá eles conversaram mais um pouco e depois foram dormir, Itachi foi para seu quarto junto com Menma e Naruto ficou com Sasuke no quarto de hóspedes, estavam cansados e logo adormeceram. Na manhã seguinte Menma saiu cedo, seu empresário o chamou depois das confissões do show e ele achou melhor levar Itachi juntos, assim seu namorado conhecia o seu chefe e vice versa, e também depois deixaria Itachi na empresa, onde ele comandava sua pesquisa. Naruto também precisava atender uns pacientes no hospital, parte de seu serviço nesse mundo. -Gatinho, deixei o porteiro avisado, ninguém sobe aqui sem sua permissão, se alguém te procurar ele avisa, e seja quem for me chame e chame a polícia, não quero que corra riscos, minha mãe vem logo para ficar com você, tá bom? -Ok amor, eu vou ficar bem, é só um tempinho, vai trabalhar sossegado. Naruto lhe deu um beijinho na boca e saiu. Sasuke ligou em seguida para Kushina e falou que iria dormir pela manhã, porque estava indisposto, não precisava que viesse ver ele, e que estava muito bem, ela concordou tranquilamente, sabia que ele estava mesmo indisposto devido a gravidez. Por volta de onze horas o menino olhou da sua janela e lá estava o homem no carro preto, estacionado bem em frente ao prédio, olhando no celular, era a hora, não tinha mais jeito, por isso Sasuke deixou um bilhete para Naruto sobre a mesa. “Não fique nervoso, eu estou bem...Fiz um pedido a Kamisama e ele sempre me atende. Te amo.” Sasuke desceu e sorriu para o vigia da portaria, saindo em seguida, para facilitar seu suposto sequestro, caminhou bem lentamente pelas rua, entrando numa rua mais afastada e pouco movimentada ali perto, não demorou nem dois minutos e o homem o seguia, Sasuke fingiu não percebeu e logo foi abordado pelo homem que o puxou pelo pulso, tapando sua boca com a mão. -Fique quietinho gatinho, ou eu machuco você, entendeu? Sasuke ficou quieto e foi arrastado para o carro estacionado ali perto, lá dentro outro homem esperava, ele foi jogado dentro e o carro saiu em disparada, não muito longe um jatinho particular os aguardava, em nenhum momento Sasuke reagiu, apenas esperou, foi colocado dentro do jatinho e ficou em silencio, esperando...Sabia para onde iria, iria para sua casa, para ver seu pai. ….................................................................................................................................................................................................................................... Umas horas antes de tudo isso, no mundo oposto, Kamisama apreciava Akira, seu lindo yokai estava deslumbrante, realmente perfeito, ele vestia um quimono florido bem suave, num leve tom rosado, com ramos de flores de Sakura, o cabelo solto, um sorriso tímido e seu olhar mais doce. -Akira...Você é tão lindo... O pequeno sorriu, olhando para os pés nervoso, mas deu um pulinho ao sentir as mãos do Deus tocar em seus dedinhos. -Ops, eu te assustei? Desculpe... -Não é isso...É que não to acostumado a ser tocado assim, faz tempo desde de que alguém se importou comigo de verdade. Isso fez o coração de Kamisama apertar dentro do peito, isso era mesmo possível, afinal ele era tão lindo! -Como pode? Falou o Deus tocando seu rostinho suave e belo com a ponta dos dedos num leve roçar. -Eu sou sozinho, não tenho família, por isso vim parar no templo, eu trabalho aqui há muito tempo e não sou de sair muito e depois...Eu tenho medo de andar sozinho, sou muito pequeno para me defender. -Concordo, um lindo yokai assim deve ser protegido sempre, venha comigo, vou leva-lo a um lindo lugar e poderá desfrutar de um jantar feito somente para nós dois. Akira sorriu e o acompanhou, não era longe, mas eles foram a cavalo, o cavalo de Kamisama era um dos cavalos alados mais lindos que o jovem já viu na sua vida, completamente branco, com asas enormes e macias. -Kamisama...Acho que estou com medo... -Vem aqui, pode subir, eu seguro você, e depois Rufus é meu cavalo mais confiável, ele é grande e forte, mas super gentil, vai voar baixinho e suavemente, não tenha medo de nada meu pequeno lindo. Akira subiu e achou o pelo do animal super macio, ele era todo suave, como pluma, e seu voo realmente era bom, adorou a sensação do vento na pele do rosto e chegou a ficar triste quando chegaram na estalagem, adorou voar, mas também gostou do lugar, era um lugar muito bonito, com aquele ar rústico do campo, mas bonito, cheiro de flores pelo ambiente, e realmente muitas flores pelas janelas, pequenas janelas quadradinhas, pintadas de vermelho vivo, enquanto a estalagem era branca e salpicada de pedras antigas ao seu redor, como os fundamentos de outro mais antiga, uma música vinha de dentro, agradável e boa. Kamisama desceu Akira com cuidado e sussurrou no ouvido do cavalo que voou para longe, eles entraram no ambiente suave e gostoso da estalagem, havia mesas de carvalho e casais bebendo vinhos bem juntinhos, aproveitando o calor da lareira e a música lenta e romântica que tocava. Foram até uma mesa mais afastada e logo uma moça com asas de borboleta veio atende-los, ela era gentil e atenciosa. -Bem vindo senhor Kamisama, como posso servi-los? Ela disse fazendo uma reverência para o Deus e sorrindo para Akira. -Quero um jantar completo, com uma garrafa de vinho das fadas por favor, a melhor safra, direto dos sete reinos livres por favor. -É claro senhor...Ela disse e saiu sorrindo. -Kamisama, o que é esse vinho das fadas? -Bom, existem muitos reinos sabe, o reino das fadas não é exatamente neste mundo, embora elas tenham colonias aqui e no mundo humano também, o mundo delas fica longe, é preciso usar uma passagem antiga, no mundo humano existe um livro muito conhecido que descreve esse mundo, muito embora não falem das fadas nele... -Sério, um livro! -Sim, lindinho, chama-se o Senhor dos Anéis, é muito bom, eu mesmo já o li, não tem tudo que existe naquele mundo, mas até que está bem detalhado. Akira riu achando isso engraçado. -Deve ser gostoso viajar assim, conhecer outros mundos...Eu só conheço esse vale. Kamisama dessa vez sorriu. -Te levarei para conhecer muitos lugares...Mas coma, está uma delícia. E eles comeram, conversaram bastante, descobrindo coisas um do outro, nesta conversa o Deus descobriu que seu pequeno era muito inocente, nunca tinha namorado ninguém, e nem mesmo em festivais tinha se relacionado com alguém. Depois de um jantar maravilhoso e de ambos terem rido bastante com por conta do vinho das fadas, que era doce e delicioso como um suco fresco, mas subia rápida e deixava uma sensação de que se estava flutuando no ar, eles saíram do local, desta vez o Deus não chamou o cavalo voador, vieram andando devagar, com Akira abraçado a ele, rindo de coisinhas bobas no caminho. A Lua minguante estava nos céus, um fio suave apenas delineado por um brilho pálido, mas era lindo de se ver, isso porque a Lua neste mundo é bem maior que na terra. -Kamisama, eu estou tonto...E leve...E feliz... -E eu estou feliz, muito feliz...Como há muito tempo não me permitia sentir. Akira fez um biquinho engraçado e parou onde estava, cambaleando no lugar antes de fazer um pedido muito doce. -Me beija Kamisama...Por favor? Pediu mansinho. -Ah Akira...Você me tira a sanidade pequeno... O pequeno yokai fez biquinho e fechou os olhos, muita doçura para um ser tão lindo, o Deus o tomou nos braços e o beijou profundamente, pedindo passagem adentrou em sua boca e ouviu seus gemidinhos manhosos e satisfeitos, ele o queria de verdade, queria ele em sua cama neste momento, por isso não pensou em mais nada, com um estalar de dedos usou sua magia e logo estavam em seu quarto dentro do templo, ou melhor dizendo, nas dependências do templo, na bela casa de Kamisama. -Kamisama...Eu sempre te amei...Sussurrou Akira dentro de seus braços, tão baixinho que mesmo para um Deus era difícil entender. -Porque nunca me disse meu pequeno... -Porque você é o Deus Kamisama...E eu sou só o Akira... Kamisama o pegou nos braços e o levou a cama, o depositando levemente na mesma, abriu sua veste totalmente descobrindo a pele nua e deliciou-se com seu toque. -Akira, eu sei que é cedo, a gente saiu somente uma vez...Eu deveria te cortejar mais, ser delicado e tudo, mas estou louco por você. O rapaz sorriu e o olhou com seus lindos olhos claros, suas mãos macias acariciando suas costas ainda cobertas, traçando pequenos círculos ali... -Faz amor comigo Kamisama...Onegai...

Notas finais
Espero que tenham gostado, o que acham que pode acontecer a Fugaku? Qual será sua punição? Me contém suas teorias...E eu sei que parei bem na hora boa, é para dar mais suspense a coisa, deixar vocês com gostinho de quero mais...Beijos.


17. Amor, castigo e rosquinhas.

Notas do Autor
Lemon de Akira e Kamisama, adoro muito tudo isso...

Akira estava sorrindo, de nervoso e de alegria, sentia as mãos macias a traçarem círculos em sua pele já nua, sabia que seu coração estava batendo muito rápido, mas não tinha certeza se era isso que o deixava tão quente por dentro, como um fogo em brasa em seu baixo ventre, teve que morder os dedos para não gemer mais alto quando o outro dedilhou suavemente sobre sua coxa direita e subiu os dedos até quase tocar seu sexo. -Lindinho, abre os olhos, não tenha medo de mim... O pequeno yokai abriu os olhos e piscou alguns segundos, pequeninas lágrimas se formando ali, ele estava terrivelmente envergonhado, não porque se sentisse mal, mas porque era tudo tão bom! -Kamisama...Isso...É assim mesmo? -Não está gostando pequeno? -E-eu estou quente...E acho que...Com vergonha. Admitiu por fim, respirando com dificuldade porque o Deus acabará de tocar em seu membro e o movia, e isso era muito, mas muito bom mesmo, mas também era muito estranho e dava uma vergonha danada. -E se eu der um beijo em você, se sentiria mais feliz? Akira concordou, tremendo ainda, e levou um susto ainda maior quando o Deus se abaixou e tomou seu membro na boca, o sugando como se ele fosse um doce, e sem deixar o pequeno se esquivar subia e descia as mãos em sua cintura, aquecendo a pele, arrepiando todo seu corpo quente e pequeno. O jovem yokai gemia e torcia as mãos, as prendendo nos lenções da cama, já estava perdido no prazer quando sentiu o Deus fazer outa coisa ainda mais constrangedora, ele abriu suas pernas e tocou lá! Sim, ele tocou com um dedo a sua entrada e forçou um pouco, o que causou tanto um arrepio quanto um gemido no pequeno yokai. -K-Kamisama...O que...O que está fazendo? O belo Deus achava essa inocência toda uma delícia, e não queria assusta-lo, mas a verdade é que era impossível resistir a esse corpinho leve, doce e totalmente nu a sua frente. -Nunca imaginou como as pessoas fazem amor? O Deus perguntou, agora movendo seu dedo delicadamente dentro dele. -E-eu acho que nunca pensei...Nunca pensei que seria assim...Isso é meio estranho...Falou, mas logo gemeu um pouquinho, sem perceber abrindo mais as pernas roliças. -Hum, tem uma raposinha querendo mais aqui, não é? -Nham...Sim, mais um pouco...Gemeu manhoso o pequeno, e sentiu outro dedo dentro dele, isso tudo enquanto o Deus o acariciava ainda, o fazendo arder em desejos em sua mão. Kamisama voltou a suga-lo com vontade, o acariciando enquanto fazia isso, sua língua era quente e deslizava por todo o comprimento do membro do menino e depois voltava, criando ondas de prazer na pele sensível, seus dois dedos estocavam seu interior apertadinho e ele gemia entregue ao carinho, tão lindo e gostoso que o Deus precisava se concentrar muito para não gozar somente lhe dando prazer, mas queria ele, queria prova-lo, queria lhe dar ainda mais prazer. O corpo de Akira gemia junto, cada célula gritando, a pele ardendo em febre com ondas e mais ondas de puro deleite passando por cada camada, deslizando até a superfície e voltando a se afundar no mar de agonia e desejos que ele sentia, já não podia mais ter vergonha, estava perdido na boca quente a suga-lo, na mão pervertida que o tocava naquele lugar exótico e no modo como tudo fazia um sentido absurdo ali, ele o queria, ele o desejava e faria tudo por ele. Kamisama sentiu o corpo de Akira retesar inteiro, no último segundo do orgasmo e o recebeu prontamente, doce e sutil, sorveu até a última gota do néctar do pequeno ser e então viu o torpor nublar sua visão, prazer o tomando e suspirou ao abrir mais as pernas do menor e segurar em suas coxas fartas e macias, antes de entrar nele delicadamente, e mesmo assim ver o corpo se arquear pelo susto da invasão e o semblante calmo se turvar de dor, parou por um breve momento, sofrendo pelo desejo refreado, mas então voltou a entrar, indo até o limite, e dando beijos macios e molhados na boquinha vermelha do seu pequeno, enquanto lágrimas cintilantes desciam da face corada, um soluço cortava o ar, mas mãos pequenas e delicadas se prendiam em seu pescoço, e arranhavam sua pele luminosa, num breve instante o menor enlaçou as pernas em sua cintura e jogou seu quadril para frente, impulsionando o ato, dando ainda mais prazer a ambos, numa mescla de desejo e insanidade temporária. Kamisama sentiu seu corpo arder, tremendo no prazer de finalmente achar sua alma gêmea, pois sabia naquele momento que Akira havia sido feito para ele, assim como ele agora era somente de Akira, gemeu alto, gritando o nome do pequeno e depositou nele sua semente sagrada, enchendo seu corpo e deixando escorrer entre suas nádegas, se retirou dele e sorriu, pois o umbigo de Akira estava repleto de seu próprio sêmen, numa prova magnífica de que ele teve novamente um orgasmo ao ser tomado pelo Deus daquele jeito. -Kami...Gemeu Akira, erguendo os braços para o Deus que o acolheu nos braços e o puxou para seu colo, o acariciando os cabelos desgrenhados e o rostinho afogueado pelo sexo gostoso que compartilharam naquela cama. -Akira, se estiver doendo eu posso fazer um chá de ervas calmantes, devem aliviar a dor e um banho quentinho de banheira também deve ajudar. -Só fica comigo aqui? Assim, bem juntinho? E me promete que não vai me deixar... Kamisama sorriu deste pedido tão doce, como ele poderia deixar? -Akira, eu amo você...Te farei meu amado, meu companheiro, meu pequeno príncipe... O jovem yokai sorriu e gemeu de dor, se encolhendo em seu colo. -Talvez eu queria o chá e o banho...Resmungou e o Deus sorriu satisfeito, com um leve aceno uma xícara fumegante surgiu, e ele a deixou descansando na mesinha para esfriar um pouco, enquanto levava o pequeno nos braços para uma banheira, cheia e perfumada, com água quentinha e espuma macia, o banhou com todo carinho. -Da próxima vez não vai doer, eu prometo... Akira sorriu e beijou o rosto sério do Deus levemente preocupado com ele. -Eu estou bem, só está doendo um pouquinho. Kamisama o tirou da água e o ajudou a vestir um quimono leve de algodão branco, entregou a xícara em suas mãos e voltou a fazer carinho em seus cabelos, ele dormiu depois de dois goles no líquido claro e doce e o Deus o deitou em sua enorme cama e cobriu. Por mais que quisesse ficar ali por dias, tinha um assunto a resolver ainda...Tinha quase certeza que Sasuke já tinha sido levado pelo homem estranho que era um empregado de Fugaku, o pai de Sasuke e Itachi, por isso deixou flores espalhadas pelo quarto, uma mesa farta com tudo que o pequeno podia querer comer e um recadinho bem doce em cima da mesa. “Logo estarei de volta, descanse meu pequeno lindo, te amo...Seu Kamisama.” ….................................................................................................................................................... Naruto estava no trabalho, mas se sentiu mal subitamente, um aperto no peito o fez parar tudo e desmarcar suas consultas, ele voltou ao apartamento para junto de seu pequeno híbrido, queria o cheiro dele, o calor dele em seu corpo, mas ao chegar notou que Sasuke não estava, desceu para a cafeteria e suas mães não sabiam dele, ligou para Itachi e nada. -Não!! Como podemos ajuda-lo se nem sabemos para onde ele foi levado? -Calma Naru, ainda não temos certeza de que foi Fugaku, Sasuke pode ter ido ao mercado, a biblioteca e estar perfeitamente bem. Explicou Menma, mas nem ele mesmo acreditava nisso. -Não posso mais ficar assim...Vou ligar para ele. Falou Itachi nervoso, pegando o celular e discando um numero. A linha tocou algumas vezes e então uma voz que causou arrepios no corpo do moreno se fez ouvir. -Itachi? Meu filho desobediente...Porque está me ligando agora? -Pai, cadê o Sasu? -Bom, seu irmãozinho está chegando em casa agora, eu tenho assuntos inacabados com ele, tenho um cliente muito insatisfeito com o sumiço dele, mas agora que ele tem...Particularidades únicas por assim dizer, creio que serei perdoado. -Seu monstro! Eu e o Sasuke somos seus filhos! O fato de sermos híbridos agora não muda nada para o senhor não é? Eu lhe dou uma chance de se arrepender e devolver meu irmãozinho sem tocar num fio de cabelo dele, ou eu juro...Vai se arrepender amargamente por isso!! Fugaku riu divertido, bem na hora em que Sasuke era trazido a sua presença. -Me arrepender? Até parece, se você não tivesse fugido, eu certamente faria o mesmo com você, que só serve para ser um divertimento para os outros, esse seu irmão caçula, sempre tão inteligente, o primeiro aluno da turma, o mais adiantado, mais bonito...Meu cliente vai ficar muito satisfeito, e eu ganharei uma fortuna, posso até fechar minha empresa e viver o resto dos meus dias tranquilo. -Monstro!! Gritou Itachi nervoso, mas Fugaku desligou o telefone e ele se deixou cair pesadamente no sofá. -Naruto, chame Kamisama, Fugaku não deve tocar num fio de cabelo da cabeça do meu irmãozinho. Naruto estava muito bravo, com ele, com todos e com Sasuke, mas quem ele mais odiava era Fugaku, esse ele daria um bom soco no olho, sem pena. …....................................................................................................................................................... Sasuke foi levado até Fugaku, ele mantinha a cabeça baixa, seu rabinho estava solto, enroscado em sua cintura, e ele não se atrevia a olhar no homem a sua frente. Fugaku se adiantou e arrancou a touca de sua cabeça, revelando as orelhinhas negras, baixinhas pelo medo e a ansiedade. -Então é verdade? Como isso aconteceu? Me conte Sasuke. -E-eu fui ao mundo mágico, e acabei voltando assim...Grávido e com essas orelhinhas e esse rabinho... Fugaku engasgou e se aproximou dele, tomando sua face nas mãos, o analisando devagar e depois sorriu feliz. -Aumentarei o valor por você, além de muito fofo, ainda grávido? Oh sim, um achado, não ligo para esse bebezinho, mas o seu dono pode adorar. Sasuke o olhou triste. -Você não muda, mesmo com uma revelação dessas. Sinto muito pai, já é hora de pagar por seus crimes. De olhos fechados o pequeno chamou pelo Deus Kamisama, e num segundo depois o belo Deus surgiu na frente do homem arrogante, o brilho do Deus iluminou o ambiente escuro e opressivo e Fugaku deu alguns passos longe. -Mas quem diabos é você e como se atreve a aparecer aqui assim? Fora, estou com meu filho!! -Não, um filho a gente ama, um neto a gente adora, você não merece nem um e nem outro, vim para lhe dar seu castigo. Fugaku riu, analisando o belo Deus raposa. -Se eu gostasse de homens certamente ficaria tentado com você, mas infelizmente não gosto, na verdade nem ligo para sexo, gosto mesmo é de poder, por isso suma da minha frente! Gritou com ele e se virou. Kamisama sorriu e gesticulou, num leve arfar do vento dentro da sala, o homem sumiu, desapareceu como fumaça. O Deus sorriu para Sasuke e o tomou pela mão, absolutamente gentil. -Vamos ver Naruto e os outros? Estou louco por um café expresso feito por Kushina, amo aquele café. Sasuke sorria feliz. -Podemos pedir rosquinhas? -Claro...A propósito, o que pretende fazer com esse enorme império de seu pai? Porque ele nunca mais volta para cá. -Hum, vou ver com Itachi, mas eu quero doar tudo, absolutamente tudo a caridade, orfanatos e hospitais infantis, casas de repouso e clínicas de recuperação. Kamisama sorriu e ambos sumiram numa densa e perfumada nuvem. -Ótima ideia pequeno, realmente ótima...Agora vamos comer rosquinhas...

Notas finais
Me ajudem ok? Qual será o castigo de Fugaku?


18. Tranquilidade.

Notas do Autor
E então esse capítulo tem aquela função de colocar as coisas em seus lugares, mas eu gostei dele, espero que gostem também. Obs: Criei um castigo que dá calafrios ao pensar no assunto.

Depois de comprar rosquinhas para seu pequeno amigo hibrido e o deixar exatamente onde estava antes, não sem antes se certificar que tudo estava bem, já que a policia devia ser chamada e todos os assuntos burocráticos resolvidos, Kamisama surgiu em seu mundo, carregando junto a si o prisioneiro, um novo hibrido, sorriu ao ver nos olhos negros levemente azulados pela mutação sofrida tão bruscamente, o medo e a incompreensão. -Este é meu mundo, onde sou o Deus de meu povo, aqui minha palavra é a lei e meus desejos são ordens, mas eu sou um bom Deus, raramente temos prisioneiros, e nas poucas vezes nestes últimos dez séculos que isso ocorreu, eram todos de outros mundos, como é o caso hoje, o que acha de meu mundo senhor Fugaku Uchiha? Fugaku mal conseguia falar, sua transformação em híbrido o deixou com características de lobo negro, uma das raças de híbridos mais complexos e raros que existiam naquele mundo, uma das raças que mais apreciava a liberdade e os seus sentidos aguçados, incrivelmente aguçados, tanto que neste momento em particular o homem mal se mantinha em pé, tudo ao seu redor era claro demais, vivo demais e intenso demais. Kamisama o rodeou propositalmente, o analisando de perto, tocou seu rosto forte e viril e percebeu que este homem seria um dos seus melhores guerreiros, um dia...Quando sua dívida tivesse sido paga e seus crimes perdoados, mas que castigo seria bom o bastante para um ser sem coração como ele? E o Deus sabia muito bem o que seria capaz de transformar esse ser lindo e forte, mas completamente egoísta e sem coração em alguém melhor, sabia como retirar sua casca de arrogância e maldade, um homem que controla tudo e que tem tudo, precisa ficar sem absolutamente nada. Com um leve puxão o Deus yokai levou o hibrido de lobo para seu templo, ele o seguiu sem reclamar, agora extasiado pelo que seus olhos viam, pois sua visão era clara e límpida, seus ouvidos aguçados, seus sentidos alertas a qualquer som, aquilo era incrível!! -Nunca imaginei que isso era possível, o que ouve comigo? Porque vejo tudo tão bem? Eu posso ouvir sons muito distantes, sentir cheiros maravilhosos, eu quero correr pela campina! Kamisama sorriu ao ouvir isso, e parou dentro do templo numa sala ampla, parecia uma biblioteca, era linda e tinha grandes janelas com cortinas esvoaçantes. -Olhe para meu mundo pela janela. O Deus disse. Fugaku ainda inebriado pelo que sentia e via nem cogitou não o fazer, ele se inclinou e analisou o mundo novo a sua frente, certo que era a coisa mais linda que já tinha visto, e já começando a imaginar um modo de ser temido ali...Mas foi quando o Deus proferiu a sentença que mudaria tudo. -Eu, O Deus Kamisama, o dono deste vasto mundo condeno você, Fugaku Uchiha a sofrer na escuridão...Pelo crime de maltratar e ferir seu próprio filho o humilhando e amedrontando. E com horror Fugaku perdeu a visão, caindo na mais completa escuridão, gritou apavorado, tateando pelas paredes, até se encostar nele e lentamente descer até o chão. -Não!! Sasuke não é meu filho!! A mãe dele teve um caso, não sei quem foi, nem me importa, eu apenas...Eu o odiei durante toda a minha vida, ele é a prova que eu nunca fui amado e ainda fui traído! Kamisama abaixou a mão, o analisando, mas a ergueu em seguida, decidido. -Se não teve amor dela, deveria ter aceitado o amor puro do seu filho, ainda que seu sangue não corresse nas veias dele, ainda assim ele é uma parte dela, da mulher que um dia amou, ter maltratado ele e o ferido assim prova que o amor que sentiu era uma farsa, pois o pequeno Sasuke tinha muito amor para lhe dar, eu senti isso. E por esse motivo eu o sentencio ao silêncio absoluto, não poderá falar mais, nenhuma palavra venenosa sairá de seus lábios até que eu assim ordene. E Fugaku levou as duas mãos a própria garganta, incapaz até mesmo de gritar, estava na escuridão e nem mesmo podia pedir ajuda. -Eu retiro seu paladar e seu olfato, e assim viverá. -Como um pedido de seu filho ilegitimo eu o pouparei um pouco, terá ainda a audição e o tato para poder se guiar, agradeça a ele um dia, mas não hoje e nem nos próximos anos, sua sentença começa agora, aproveite sua prisão. Kamisama se retirou, deixando ordens aos seus servos, o prisioneiro devia ser alimentado todos os dias, mas não seria permitido visitas pelos próximos trinta anos... Um dos servos engoliu em seco, um hibrido de lobo ama a liberdade e os seus sentidos, cortar a visão que permite ao lobo ver as belezas da noite é terrível, cortar sua voz que permite uivar a lua é assustador, impedir seu paladar apurado é quase de enlouquecer, e retirar seu olfato praticamente o torna um inválido...Além disso ele viverá trancafiado numa sala por longos trinta anos... -Senhor Kamisama, este homem deve ser um grande criminoso não é? Disse o servo cabisbaixo. -Sim Madara, ele é um criminoso, mas como é um hibrido e agora terá uma vida longa, acredito que trinta anos não façam muita diferença em seu corpo físico, talvez se ele se arrepender de seus crimes eu vá aos poucos lhe devolvendo seus sentidos, mas sua liberdade realmente somente quando seu tempo nesta prisão acabar, cuide dele por mim. -Sim meu senhor, eu cuidarei...Respondeu o hibrido de lobo branco. Kamisama sorriu e se deixou levar pelo cheiro doce de seu pequeno Akira, agora que sabia que Sasuke estava seguro em seu mundo humano, ele tinha tempo para se dedicar ao seu pequeno adorável, cantarolou suavemente pela casa, suas vestes fluídas ao seu redor, nas mãos fazendo surgir um lindo ramalhete de flores silvestres. ,................................................................................................................................................................................................................................... Sasuke ao se ver sozinho, ligou do escritório onde estava para a polícia, e comunicou o que ouve, enquanto esperava a policia chegar ligou para Naruto. -Oi, está tudo bem por aí? Falou com sua voz mansinha e doce para um apavorado Naruto. -Sasu!! Por Deus, onde está? Está bem? Foi seu pai não é?? Quando eu pegar esse maldito... Sasuke revirou os olhos ouvindo os gritos de Naruto do outro lado da linha, deixou ele reclamar e gritar até se sentir mais calmo. -Seu pai já levou ele, e mesmo ele não merecendo pedi que o mantenha relativamente bem. Naruto suspirou do outro lado da linha. -Baixinho, eu vou te dar uns tapas na bunda quando eu te pegar, entendeu? Sasuke riu, divertido com a bronca. -Duvido...Provocou. -O que?? Seu pestinha atrevido, dono de uma bunda linda!! Agora você tá perdido!! Sasuke riu alto, ouvindo seu irmão ao fundo, tentando roubar o telefone de Naruto e pelo som que se seguiu ele conseguiu. -Sasu!! Cadê você? Onde aquele monstro te levou? -Calma Ita, eu estou em casa, no escritório de nosso pai, mas ele já foi, Kamisama o levou e eu não gostaria de estar na pele dele agora. A respiração de Itachi melhorou, ouve um som estranho e alguns resmungos. -Fofinho!! Eba você tá bem então?? E como vai meu afilhadinho mais lindo do mundo?? -Oi, Menma...Ainda não sei se é afilhado ou afilhada...Mas acho que a gente tá bem, podem vir pra cá?? -Olha só...Odeio aviões, mas tudo bem, meu irmãozinho é um monge budista yokai, ele conhece todos esses lances de viagem entre os mundos, ou coisas assim, não deve ser difícil criar um portal...Talvez a gente descubra um guarda roupas e possa ir logo...Acha que é pouco original? Sasuke riu alto e olhou pelo escritório todo. -Olha não é muito original esse negócio de guarda roupa, acho que eu vi um filme assim...Que tal um quadro? Tem um na sala. Falou Sasuke olhando um pintura sobre um navio ali na parede, imaginando eles totalmente encharcados ao sair da tela. Foi a vez de Menma rir. -Ok, o meu irmão está fazendo as magias dele aqui, dá só um minutinho que a gente já tá aí. Sasuke desligou e ficou esperando, e para sua alegria logo ouviu um ruido bastante conhecido, a risada de Menma, e correu até a porta de um armário de vassouras localizado ali, abaixo de uma escadaria que levava ao segundo andar. -Credo Itachi, seu pai não manda limpar os armários de vassouras...Cof, cof, cof...Reclamou e tossiu Naruto, saindo de lá todo cheio de pó e teias de aranha, e foi imediatamente rendido por braços magros que o envolveram num abraço quente. -Naruto!! O loiro tinha até mesmo criado o discurso para brigar com o namorado pela atitude louca dele, mas ao ver aqueles lindos olhinhos cheios de lágrimas mandou tudo pro alto, o beijou e abraçou. -Nossa, acho que o guarda roupa seria melhor...Quanto pó!! E quem disse que um armário de vassouras embaixo de uma escada é original? Nunca viram Harry Potter?? Francamente. Reclamou Menma, puxando Itachi pela mão, e o moreno tentava tirar as teias de aranha dos cabelos compridos. -Ah...O que foi, você sempre me enfia nesses lugares quando quer tirar uma casquinha, do que está reclamando? Menma riu e o abraçou, com cara de safado. -Verdade amor, que tal a gente voltar e brincar um pouquinho? E a propósito não acha interessante essa coisa de sair de um armário? É tão significativo não acha?? -Ahhh você é impossível Menma!! Resmungou Itachi, dando uns tapinhas na mão boba do namorado e indo abraçar o irmãozinho com todo carinho do mundo. -Itachi!! Estamos livres meu irmão...Estamos finalmente livres!! O mais velho sorriu e o abraçou ternamente, e ouviram a sirene da polícia chegando. -O que diremos a eles? Perguntou Naruto nervoso. Mas Itachi e Sasuke sabiam perfeitamente o que dizer, eles eram hibridos e como tal podiam derreter o coração de qualquer humano comum, a polícia não fugia a regra. -Diremos a verdade, que meu pai sequestrou Sasuke, porque queria fazer negócios com ele, temos o numero do comprador aqui na mesa, eles podem confirmar se forem espertos, e usaremos todo nosso charme para que eles nos deixem livres e felizes, quanto ao desaparecimento dele...Bom, a gente diz a verdade, somos hibridos e Kamisama prometeu que se nosso charme não for o suficiente ele ajuda. Explicaram os dois, abraçados. -Tá aí uma coisa que não se vê todo dia, mas é isso mesmo meninos!! Mata a cobra e mostra o pau!! Ou nem tanto, nada de mostrar coisa alguma para os polícias viu!! Falou Menma e todos eles riram muito, esse Menma era tão...Tão Menma!! Com todas as provas incriminando Fugaku foi fácil eles acreditarem em tudo, e claro que o charme dos hibridos ajudou bastante, na verdade veio tanto policial que aquilo virou quase um circo, mas no final tudo deu certo, Fugaku era tão mal e tão cheio de assuntos ilegais o envolviam que seu desaparecimento nem foi levado em consideração, e o fato de que supostamente um Deus yokai o levou para seu mundo não parecia mais estranho do que dois meninos lindos com orelhinhas e rabinhos e olhos totalmente lindos a contar todo o caso, os policiais simplesmente deram Fugaku como desaparecido e arquivaram o caso, omitindo a história do Deus em seus relatórios, é claro. Itachi ficou como tutor legal de seu irmão até ele ter vinte e um anos, devido a fortuna envolvida no caso, mas mesmo não podendo abrir mão de todo o dinheiro em prol de obras de caridade, eles decidiram criar um fundo para ajudar casas de repouso, asilos e orfanatos, sem falar em hospitais dedicados ao tratamento de doenças graves, casas de apoio a menores carentes e abusados e a uma enorme variedade de projetos semelhantes. A turnê de Menma e sua banda foi um sucesso sem precedentes, as fãs enlouqueciam cada vez que Itachi surgia, os dois se tornaram os shipaveis de todas as maneiras possíveis, tinham fanfics sobre eles, fotos, books, fofocas e mil coisas na internet, eles eram a obsessão das fãs. Com tanta repercussão positiva o diretor da banda decidiu deixar os rapazes mais livres e assim logo outro casal surgia dentro do grupo, Neji e Shikamaru...(Nem preciso dizer que as fãs enlouqueceram...) É claro que isso levou uma legião de fãs a tentar achar de juntar Sai e Kiba...Mas os meninos se divertiam com isso, e como! Não negavam e nem confirmavam, (Como a maioria dos cantores...) Mas como tudo nessa vida as coisas mudam e Menma já estava cansado de tanto assédio e falta de privacidade, os seus amigos deveriam continuar com a banda, pois Neji era um ótimo vocalista, mas ele já tinha se decidido, só queria uma vida mais calma. Sendo assim tanto Menma quanto Naruto queriam realmente viver no outro mundo, onde seus filhotes pudessem viver livres e longe de tanta atenção por toda a parte, e Ino e Kushina também estavam cansadas da cafeteria, só queriam uma vidinha tranquila no campo, passeios pelas praias brancas das terras lindas de Kamisama. Itachi e Sasuke estavam tão felizes que não importava para onde iriam, desde de que estivessem com seus amados e seus filhotes...E assim começaram seus planos para a grande mudança.

Notas finais
E então por hoje é só...Comentários meus lindos e lindas???


19. Lobo solitário.

Notas do Autor
Fugaku descobriu na escuridão de sua prisão sem grades que alguém pode ser muito gentil com ele, mesmo que não tenha todos os sentidos, seu coração sempre tão frio começou a aquecer por alguém.

Já faziam cinco meses que a escuridão reinava em seus olhos, ele estava apenas sentado no chão, ouvindo os passarinhos cantando, e esperando pacientemente o único ser que vinha lhe ver, o único que trazia um pouquinho de felicidade para sua existência, tranquilidade e vergonha vinham junto no pacote. -Olá, está com fome ou quer tomar um banho primeiro? Falou o dono daquela voz macia, mesmo sabendo que o prisioneiro não podia responder. Fugaku sorriu pequeno e sentiu quando uma mão grande e quente lhe tocou a pele fria, ele estava novamente perto da janela, sentado no chão, havia andado vacilante até ali, segurando-se na parede e agora se mantinha assim, deixando seus sentidos restantes ativos para poder entender o ambiente a sua volta, ouvia os passarinhos, risadas distantes, sons indistintos. -Certo, aperte minha mãe se quiser o banho uma vez, se quiser café primeiro aperto duas vezes, está bem? Novamente Fugaku sorriu, apertou uma vez e abaixou a cabeça, nervoso, odiava esse momento, não ver, não falar, não poder se expressar e nem mesmo ajudar, era horrível. -Vou preparar o banho quentinho, está gelado, deve estar aí desde de o nascer do sol não é? Sei que seus sentidos restantes gritam por mais, mas tenha calma, Kamisama não é tão mal assim, ele logo te devolverá sua visão e poderá ver a paisagem que é realmente linda. Fugaku sentiu ele se afastar e quis chama-lo de volta, queria toca-lo, sentir sua pele, não gostava quando ele saia de perto rapidamente, um vazio se instalava em seu coração, seu coração que até então só sabia odiar, mas que agora se aquecia com pequenas coisas. Logo sentiu uma mão quente a lhe puxar e o encaminhar calmamente ao banheiro, o ajudar a se despir e entrar na água quentinha, como queria poder dizer que estava ótimo...Mas não gostava da ideia de ficar nu na frente dele, algo nisso era estranho, não sabia se ele o analisava ou não, suas orelhas de lobo se mexiam inquietas, nervosas, a procura de algo para captar, mas logo...A mão suave o ensaboava e ele soube que não estava só, tento lhe restado apenas a audição e o tato não era fácil sentir tudo, muito lhe escapava neste novo mundo limitado, era horrível. -Sei que não pode sentir o perfume, mas o sabonete é de lavanda, e você ficará perfumado com ele. Fugaku tocou na mão que o ensaboava e sorriu procurando olhar em sua direção no meio de sua escuridão, e ouviu um leve arfar, que não entendeu muito bem, retirou rapidamente a mão com medo de o ter desagradado, mas logo a sentiu novamente em sua perna, seu toque era lento e suave. -Gosto de você, sei que fez muitas maldades, mas acho que todos podem mudar e sinto que você está mudando...Posso fazer algo? Fugaku respondeu que sim, com um leve aceno de cabeça, sentiu em seguida um toque suave em seus lábios, se não soubesse diria que era um roçar de pétalas de uma flor, mas soube na hora que era um beijo, o sentiu e saboreou, como só um lobo negro pode sentir, sua raça híbrida é rara, e quando se apaixonam é para sempre, assim seu coração de pedra se derreteu inteiro e a dor disso o fez chorar. -Desculpe...Se não gostou não faço mais, não chore... Fugaku queria falar, queria ver ele, queria dizer que tudo bem, que aquela dor era boa, era libertadora, mas impossibilitado disso, tateou na escuridão até tocar a face dele, desse desconhecido sem rosto por quem tinha se apaixonado, tocou cada linha forte em seu rosto, o maxilar, as maças do rosto, a boca generosa, os olhos de cílios longos, as orelhas felpudas...Um híbrido...Queria poder fareja-lo, seria um lobo? Um gato? Não sabia... Deixou a mão se apertar em seu rosto e o puxou para si, selando seus lábios e entregando o controle do beijo ao outro, que explorou sua boca sem pressa, até o deixar ofegante, depois o soltou e deu novos beijinhos em sua face. -Terminaremos o banho e logo vamos tomar café, fiz torradas e chá, temos mel e frutas...Sei que não sente sabor, mas precisa de todos os alimentos, assim se manterá saudável. Essa parte era muito ruim, no começo ele não comia nada, perdeu muito peso com isso, ficou fraco a ponto de quase desfalecer, mas por fim voltou a comer, com a ajuda de Madara, que ia falando sobre cada alimento e isso o lembrava do sabor que um dia sentiu e o ajudava a se alimentar melhor, ainda estava magro, mas nem tanto. Se deixou ajudar a sair da banheiro, se enxugou e logo sentiu a roupa em sua pele limpa, a sensação era boa, logo contou os passos até a mesinha pequena, e se acomodou entre as almofadas, pronto para ouvir o relato detalhado do outro. -Torradas quentes com mel...Este mel vem das montanhas, é leve e doce, não suje os dedos, é bem melado. Fugaku pegou a torrada na mão, deu uma mordida e nada...Era como comer argila, sem sabor, sem nada...Mas se obrigou a mastigar imaginando o sabor do mel, acreditando que um dia voltaria a senti-lo, melou os dedos e fez menção de lambe-los, quando sentiu outros dedos a tocar em sua mão, e Madara lambeu seus dedos melados de mel. Uma corrente elétrica percorreu seu corpo tenso, cada pedacinho dele vibrou, seus dois únicos sentidos restantes, o tato e a audição estavam no máximo para compensar a perda dos outros, e ele se arrepiou intensamente com esse ato, podia sentir a língua a tocar sua pele e isso lhe causou sensações incríveis em suas terminações nervosas, se tivesse voz teria gemido, neste ponto ainda bem que não tinha, seria vergonhoso. Madara riu e sussurrou em seu ouvido bem baixinho e bem de pertinho... -Lobo negro lindo...E doce... Isso foi demais, ofegou, incrivelmente consciente de que queria muito falar, gemer, fazer algo a mais... O outro hibrido sentiu sua entrega desesperada e o deitou em meio as almofadas, o híbrido de lobo negro sentiu a textura macia das almofadas de seda em sua pele, mesmo sobre o tecido que usava, mas logo levou um susto, pois esse tecido era tirado de seu corpo, e o ar frio da manhã tocou sua pele quase nua, arrepiando tudo, ele permaneceu parado, respirando com dificuldade, a audição em alerta máximo, a pele em chamas. -Um lobo branco se apaixona perdidamente somente uma vez...E mesmo que você seja um prisioneiro eu me apaixonei...Posso te mostrar o que seus poucos sentidos podem fazer quando alguém sabe explora-los? Fugaku tremeu mas concordou, e sentiu um leve assopro em sua orelha, um beijo depositado ali, sua pele queimou de novo, cada toque era uma perdição, ele ouvia até mesmo a respiração sobre sua pele, antes que os lábios macios a tocassem e quando tocavam ele ardia, ardia e se contorcia ao menor toque, sua respiração se descompassou, seu coração saltava no peito, e ele gemia por dentro, gritava por dentro e seu silencio lhe dava pavor, mas mesmo assim a boca quente e ávida traçou beijos ardentes que incendiaram sua pele branca, até o tocarem em sua área mais íntima, aí então se rendeu...Madara era experiente na arte do amor, teve muitos amantes, mas nunca amou, se interessou por muitos, namorou...Mas nunca amou, já tinha perdido as esperanças, até que o destino lhe deu seu par, um lobo negro, prisioneiro, cego, sem voz, sem paladar, tendo somente seu olfato e seu tato e seu sorriso lindo...Encimados por olhos negros como a noite sem luar, completamente sem vida agora, mas ainda cintilantes e lindos. O tomou na boca e o fez delirar, até sentir que ele estava perto do final, então parou, sentiu o seu leve arfar e sorriu. -Espere...Tem mais...Me deixa fazer? Perguntou beijando a boca quente dele, que confirmou novamente com um breve aceno. Os híbridos são sensíveis, este lobo era mais, por cinco meses só seus dois sentidos o guiaram, então sua pele ardia em chamas, abriu as pernas macias, e o tocou intimamente, ele se retraiu a princípio, assustado, mas logo relaxou, apertando as duas mãos nas almofadas que o rodeavam. -Não tenha medo...Será muito bom...Sussurrou Madara e sorriu. Já havia espalhado gel na entrada apertada e agora a circundava com seu dedo, até a penetrar suavemente, ele era apertado, muito apertado...Seu corpo se tensionou, suas mãos tensas, apertadas, mas ele logo relaxou, outro dedo...Outra vez a tensão, movimentos lentos, contínuos, que ardiam a pele, exploravam... Fugaku abriu mais as pernas e se deixou sentir, aquilo era novo para ele, mas não era ruim, sua pele era agora um território novo, ele queria aprender a explorar, e permitiu mais e mais...Se tivesse voz estaria gritando... O híbrido gemeu, e parou, tudo ficou em silencio por um segundo, e então ele o sentiu...Firme, duro, intenso...A dor explodiu em seu interior, era grande, gemeu internamente, se contorceu, algo quente se espalhou em sua barriga por dentro, um fogo ardendo, calor, medo, vergonha e dor. Deu a si mesmo a ordem de suportar tudo isso, prendeu as pernas na cintura do homem que agora o estocava lentamente, e abraçou seu pescoço, apertando suas unhas curtas na pele exposta. -Fugaku!! Que apertado!! Oh, céus!! Tão, tão apertado!! A medida que a dor dilacerante cedia lentamente, ele passou a sentir algo mais, além do molhado quente e da dor difusa, havia lá longe um prazer nascendo, e então explodiu, ele foi tocado em algum lugar lá dentro, era intenso, e ele queria gritar, apertou as pernas para mostrar o que sentiu e o outro entendeu, acertando essa mesma parte todas as vezes, seu corpo protestou, gritou, se debateu o prazer vindo em ondas e mais ondas...Arrebentando dentro de si, intensas, profundas, insanas... Seu grito ecoou no ambiente inteiro, forte, lindo e longo, levou a mão aos lábios e sorriu, sua voz voltou! O gozo veio em seguida, e foi arrebatador, seu corpo tremeu convulsionado pelos espasmos intensos, e ele apertou o amado em seus braços, gemendo alto, lágrimas desceram de seus olhos fechados e quando ele os abriu pronto para a escuridão sem fim, viu os contornos do rosto belo de Madara, os cabelos negros longos, os olhos violeta tão lindos que ele quase perdeu o pouco fôlego que ainda tinha, passou as mãos nas orelhas brancas, de pelinhos arrepiados, que contrastavam lindamente com os cabelos negros desconectados e longos e sorriu. Sua voz saiu rouca pela falta de uso... -Lindo...Lindo... Madara deixou lágrimas deslizarem por seus olhos, ele entendeu que seu lobo solitário rompeu a magia de Kamisama, e isso só tinha uma explicação...Seu lobo negro o amava. -E-eu...Eu te amo...Sussurrou com dificuldades, ainda sentindo o corpo quente dele sobre o seu, e as lágrimas de Madara caíram em sua face, antes que ambos se apertassem em um abraço urgente, e recomeçaram o amor exigente de ambos. Fugaku beijou o outro e sorriu. -Doce... Madara também o beijou e imitou... -Doce... Ambos sorriram, antes que os gemidos tomassem conta do ambiente de novo.

Notas finais
Uau! E aí, gostaram??


20. Um dia de primavera...

Notas do Autor
Gostei muito dessa história, foi diferente, divertida e cheia de coisinhas fofas, para distrair e se divertir. Um kilo de beijos a todos que leram e comentaram com tanto carinho, do fundo do meu coração...Obrigado.

"O amor é o fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se sente, é um contentamento descontente..." Akira estava deitado sobre o corpo de Kamisama, seu pequeno corpo ardia ainda, quente, mas saciado, ele sorriu e escondeu o rostinho corado na curva do pescoço do Deus que amava, e sentiu os afagos em seus cabelos soltos nas costas. -Meu lindo Akira, minha vida...Como pode ser tão perfeito? Akira sorriu e olhou seu amor de pertinho, nunca imaginou ser tão feliz assim na vida, uma coisa o deixou curioso e ele resolveu perguntar. -Porque acha que Madara vai se apaixonar por Fugaku? Kamisama riu e abraçou seu namorado pela cinturinha fina, se deliciando com seu calor. -Bom, quando eu trouxe Fugaku para cá foi apenas para puni-lo, claro que eu sabia que ele seria um hibrido, mas nunca me ocorreu que ele seria um hibrido de lobo negro, eles são extremamente raros...Naquele momento pensei em Madara, ele é um hibrido de lobo branco, raro, forte e sozinho...Decidi uni-los para ver se o destino deles é serem um do outro, assim sendo os coloquei juntos, com o tempo Madara acabará se apaixonando pelo seu prisioneiro. -Mas e quanto ao castigo de Fugaku? Kamisama beijou o nariz pequenino do seu Akira, e depois deu beijinhos em todo seu rostinho lindo. -Não há magia que dure diante do amor verdadeiro, se eles se apaixonarem minha magia vai acabar e Fugaku terá seus sentidos de volta, quanto aos trinta anos de reclusão...Podemos rever isso, talvez ele possa ser útil trabalhando para nosso povo, tenho certeza que Sasuke e Itachi podem perdoa-lo se ele se arrepender sinceramente. -Ah sim...Entendo amor...Como assim nosso povo? Perguntou Akira o olhando curioso. -Como meu marido deve saber que reinará ao meu lado...Kamisama respondeu e ergueu suavemente o jovem yokai o fazendo sentar em seu colo, apertando sua cintura com delicadeza, apreciando sua nudez total, cada pedacinho saboroso dele que adorava beijar. -Case-se comigo meu lindo Akira, porque o mundo sem você não tem graça. Eu te amo. Akira abriu e fechou a boca duas vezes, depois o beijou com desejo intenso. -E-eu aceito... Kamisama rodou a mão no ar e um anel lindo surgiu, ele o pegou e colocou no dedo do seu pequeno amor, selando o compromisso. ............................................................................................................................................................................................................................................... Um ano já havia se passado, o mundo humano seguia com seus problemas e suas vitórias, mas Naruto e Sasuke, Menma e Itachi e as duas mulheres já nem se importavam mais, agora seu mundo era aquelo, onde a magia rodeava seus dias e noites com o encanto das flores na primavera. Sasuke estava sentado no chão, sobre uma colcha macia e ao seu lado, dormindo tranquilo estava seu pequenino bebê, as bochechas rosadas, os olhinhos pequenos, chupando o dedinho no seu sono gostoso, Naruto estava ao seu lado, tão feliz que seu rosto transparecia sua felicidade. -Nossa menininha é tão linda! A gatinha mais linda do mundo todo... -Falou o papai mais coruja do mundo. Disse Sasuke o beijando de leve na bochecha. -Nunca estive tão feliz na vida, graças a você...Quando te vi a primeira vez não podia imaginar o quanto minha vida mudaria, e agora olhe só! Tenho uma família linda e absolutamente perfeita. Sasuke sorriu e abaixou o olhar envergonhado, o que deixou Naruto curioso, ele tocou o queixo do seu marido com dois dedos e o fez o olhar. -O que foi amor? Porque está com vergonha? -Eu pedi a Kamisama em minhas orações...Eu pedi que você me amasse e que a gente fosse feliz... -Que lindo...Que bom que fez esse pedido...Mas eu fiz o mesmo pedido... -Jura? Falou Sasuke, se sentando e ficando de frente ao seu marido, seus lindos olhos negros sorriam de felicidade. -Sim, eu juro...Mas acho que meu pai não teve muito trabalho no final das contas, a gente se apaixonou tão perdidamente que ele não fez muita coisa... Sasuke riu e o abraçou, ambos olharam para o vale a distancia e lá longe avistaram os dois lobos correndo, a amplitude do dia e o seu brilho realçando sua alegria, eles corriam pelos campos livres e totalmente felizes, as vezes rolando no chão, e se beijando. -Isso deve dar coceira, rolar nessa grama toda...Lobos são estranhos...Disse Naruto. -Deixa eles amor...Papai e Madara são felizes agora, eu eu fico feliz por eles. -Seu coração não tem tamanho, o perdoou mesmo não é? -Claro, e agora somos uma família completa, eu, você, meu irmão e seu irmão, suas mães, seu pai, Akira...E meu pai e Madara. -Ufa! Nossa família aumentou, não esquece de nosso bebezinho e desse pequeno barulhento e resmungão...Falou Naruto olhando para o lado, onde Menma tentava fazer seu bebezinho parar de chorar, em vão. -Ahhh Itachi, o que eu to fazendo de errado? Porque ele tá chorando tanto? Itachi riu e pegou uma mamadeira da cesta de vime ao lado e entregou ao seu marido bobo. -É porque ele puxou você, e está com fome, de novo... Menma riu ao ver como o seu filhotinho sugava o leite e ficava corado de satisfação. -Ele é lindo, sua cara meu amor...Falou Menma sorrindo. -Sim, minha cara e seu gênio...Explicou Itachi rindo e beijando a testinha do seu filhote no colo do seu marido. -Papai quer beijinho! Fez beicinho o belo hibrido. Itachi revirou os olhos e rindo o beijou na boca suavemente, para logo em seguida o soltar e deitar na colcha macia, olhando o céu azul daquela linda tarde de primavera. -Meninos, trouxemos os refrescos, quem quer? Falou Ino, ajeitando uma jarra de suco ali ao lado. Kushina trazia os copos e outra mamadeira para seu netinho que ainda dormia, foi até Sasuke e Naruto e sorriu olhando o pequeno bebê dormindo de bracinhos abertos agora, largado em seu sono. -Nossa, puxou o Naruto...Adora dormir. -Que isso mãe, assim o Sasuke vai achar que eu sou preguiçoso! Sasuke riu, ele sabia que seu marido era dorminhoco, mas mesmo assim acordava a noite para ajudar a cuidar do seu bebezinho, era lindo. -Não reclame meu filho, é a mais pura verdade, e olha só como ela é fofinha, tão loirinha e pequenina...Oh que fofo!! Se derreteu Ino, passando o dedo suavemente nos cabelinhos loiros da pequena bebezinha. -Linda como o pai...Falou Naruto todo orgulhoso. -Mas puxou o gênio doce de Sasuke em tudo, essa menininha nunca chora, é a coisa mais doce desse mundo...Graças a Deus, senão estaríamos perdidos, esse moleque aí chorou um mês sem parar, os vizinhos quase chamaram a polícia achando que a gente não sabia cuidar de um bebê. Falou a ruiva rindo. Ino riu e Naruto fez bico, Sasuke achou uma graça, adorava sua família. Madara chegou ofegante e logo Fugaku o alcançou, ambos rindo, cheios de folhas. -Nossa pai...Você tá todo suado, vai tomar um banho. Reclamou Itachi e o homem riu, se jogando no chão, na grama mesmo, olhando o dia a sua frente, adorava o céu azul, a grama verdinha e o seu lobo branco... Madara se deitou ao seu lado, sorrindo. -Vocês dois não cansam de correr assim o dia todo? Perguntou Naruto, achando graça nesses dois lobos. -Ser livre para correr, para ver e sentir as flores, para sentir seu cheiro e tocar suas pétalas nunca me cansa, eu amo a vida. Falou Fugaku e logo se sentou analisando o sol. -Mas eu tenho que ir, preciso de um banho e voltar para o meu patrulhamento, a noite nos vemos, farei o jantar, o seu favorito Sasuke. -Oba! Carne com batatas grelhadas! Falou Sasuke feliz, ter seu pai de volta, sendo realmente um pai era fantástico, ele nunca se sentiu tão agradecido na vida como estava agora. Itachi se sentou e fingiu estar zangado. -Ei, e eu? Quando vai cozinhar pra mim pai? Fugaku riu e se aproximou do filho mais velho, nunca antes tinha demostrado amor por eles, mas agora podia amar e se deixar ser amado, eles o perdoaram e ele não podia estar mais feliz, tinha seu amor ao seu lado, e cumpria sua pena sendo um guerreiro, defendendo os habitantes dessa terra linda contra qualquer mal. -Itachi...O que quer que eu faça, macarrão com queijo? Itachi fez um bico fofo e sorriu. -Adoro macarrão com queijo pai. O homem beijou os cabelos do filho e depois se aproximou de Sasuke o estreitando num abraço. -Amo os dois...E amo essa pequena dorminhoca, o nome dela é perfeito filho...Nossa pequena Sarada...Depois olhou para o bebezinho faminto que mamava como se a mamadeira fosse fugir a qualquer momento e riu. -Boruto...Onde foi que acharam esse nome? Itachi riu e Menma também. -Mas combina com ele...Falou Fugaku. Madara assistia isso e se emocionava, quando o amor deles rompeu os encantamentos de Kamisama eles tiveram medo da reação do Deus, mas ele os abençoou amplamente, e trouxe os filhos e todos os envolvidos para uma conversa, quando Fugaku pediu perdão de joelhos perante os filhos...E eles o perdoaram foi o dia mais feliz de sua vida, e depois Kamisama resolveu mudar o castigo de Fugaku, ele trabalharia para a manutenção da paz, seria livre...Eles se casaram em uma semana, viviam numa casinha simples nos arredores do templo, e eram felizes ali. Madara levou um susto ao sentir os braços do seu lobo negro em seus ombros e soube que estivera distraído de novo. -O que estava pensando amor? -Que você está mimando seus filhos, imagina seus netos? Falou Madara rindo baixinho. -Eu pretendo mimar eles a minha vida toda, e compensar toda a minha falta e maldade com amor, macarrão com queijo e carne com batata grelhada...Riu o lobo negro, os olhos radiantes de felicidade genuína. Madara riu e ambos refizeram o caminho de sua casinha...Ainda ouvindo sua família brincando no piquenique que faziam naquela tarde ensolarada de primavera, não viam que lá do templo, de uma janela ampla o Deus Kamisama terminava seu quadro, dando os toques finais em sua obra. -Amor, como vai chamar esse quadro? Perguntou Akira, sentado ao seu lado, apreciando o trabalho lindo de seu marido. -Um dia de primavera...O que acha? Mostrou Kamisama a pintura ao seu amado Akira. Akira sorriu ao ver representado na pintura a cena que se desenrolava lá embaixo, a família feliz que agora estava em paz. -Eu acho perfeito... -Perfeito é você meu pequeno...Falou Kamisama sorrindo e se aproximando. Akira riu e puxou o seu marido pela mão até a cama, deitando nela e lhe sorrindo docemente. -Se fizer amor comigo agora...Posso jurar que serei o ser mais feliz deste mundo. Kamisama sorriu e antes de selar seus lábios em um beijo...Estalou os dedos e pétalas de rosas começaram a cair suavemente sobre a cama grande e macia, perfumando o ar. -Então seremos os dois seres mais felizes do mundo...Meu doce Akira. Notas finais
Este é o final, espero que tenham gostado e se puderem indiquem aos amigos. Um beijo enorme...Akirasam.

22 de Março de 2020 às 02:14 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Fim

Conheça o autor

Akira Sam Buscando mais para ler e um local para escrever.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~