As duas espias Seguir história

jace_beleren Lucas Vitoriano

Kim e Natasha são duas espias famosas e também grandes amigas. Sempre que podem, as duas passam um tempo juntas e colocam a conversa em dia.


Fanfiction Desenhos animados Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#Viuva-negra #Kim-possible #pwp #crossover
Conto
0
360 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo único

Era difícil as duas se encontrarem, pois cada uma estava sempre muito ocupada com as missões. As vezes elas trabalhavam juntas, claro, mas essas ocasiões não eram tão comuns assim. Naquela tarde, porém, na casa de campo de Natasha, elas estavam juntas. Não era uma missão, as duas haviam se reunido apenas como amigas. Kim sorriu quando viu Nat se aproximar dela com um copo de suco nas mãos.

- Ouvi sobre o que fez em Los Angeles – disse Natasha oferecendo o copo para a mais jovem – um grupo de nove terroristas e você os derrubou sozinha. Está evoluindo rápido. Nem parece aquela garota que conheci a apenas um ano atrás.

As bochechas de Kim coraram com o elogio. Ela tinha apenas dezessete anos, era uma espia habilidosa para sua idade. Com muito, muito esforço, conciliava sua vida de espia com as atividades da escola. Essa, talvez, fosse sua maior façanha. Kim era uma linda jovem, corpo bastante maduro, seios grandes, bunda cheinha e coxas bem malhadas. Ela era expert em combate corpo a corpo, além de especialista em algumas armas brancas. Seus cabelos ruivos, lisos e brilhantes, desciam até dois palmos debaixo dos ombros.

Mas ela em nada se comprava a mulher a sua frente. A lendária Viúva negra. Natasha Romanoff era uma espia de fama internacional. Perita em infiltração, luta, falsificação, armas brancas e armas de fogo. Seu currículo era vasto e suas façanhas não conheciam limites. Ela era mais alta do que Kim, com cabelos ruivos curtos e ondulados, sua pele branca e seu corpo atlético a faziam um dos membros mais desejados dentre os Vingadores, tanto por homens quanto por mulheres.

Natasha havia recrutado Kim um ano atrás. Na época a adolescente já trabalhava como espia, mas Nat abrira as portas para ela, ensinando-a muito mais sobre essa vida. Kim devia muito do que sabia hoje a sua mentora e amiga. Não era a toa que sua relação com Natasha beirava a adoração. Kim não apenas a admirava como pessoa e como espia, mas também sentia uma atração pela mestra. Atração essa que só parecia crescer a cada dia, por mais que Kim tentasse lutar contra isso. Ela sabia que Nat nunca teria olhos para uma garota tão jovem como ela.

Mas como ela poderia resistir com Nat estando vestida de forma tão descontraída e sexy? Tudo que usava era um robe branco, preso por uma faixa frouxa. Era possível ter uma bela noção dos seios dela. Kim chutava que ela estivesse nua por debaixo daquele robe ou, no mínimo, apenas de calcinha.

Mas as vestimentas da adolescente não ficavam para trás no quesito sensualidade. Kim vestia apenas um shortinho bem curto e uma blusa amarela folgada.

- Não foi nada comparado ao que você fez! Você enfrentou os exércitos de Loki em Nova York e os robôs de Ultron!! – ela dava pulinhos de tanta empolgação.

Nat apenas sorriu de forma sútil, como se aquilo não fosse algo tão incrível quanto realmente fora. Kim terminara de beber seu copo de suco e o colocara em cima da mesinha da sala. Ela voltou a fitar sua mestra, o que a fez corar ainda mais.

- Algum problema Kim? – perguntou Nat aproximando-se da adolescente – você ficou meio calada de repente.

- Ah! Não é nada! Só estava pensando umas bobagens mesmo! – Kin sorriu, tentando desconversar, mas Nat ficou a fita-la intensamente, deixando a garoto ainda mais sem jeito.

Kim desviou o olhar. Era complicado não corar quando a ruiva mais cobiçada do mundo fixa sua atenção e você. Para sua surpresa, Nat se aproximou ainda mais dela. A mais velha ficou bem próxima, fazendo com que o coração de Kim quase saltasse do peito.

- Eu já percebi como você me olha Kim. Eu sou muito boa em sedução, acha que não percebo quando alguém está interessado em mim? – ela não falava aquilo como se desse bronca. Sua expressão era sincera, gentil.

Kim sentiu que estava tão vermelha quanto um tomate. O nervosismo a paralisou. Ela queria dizer alguma coisa, qualquer coisa, para desmentir aquilo, mas as palavras simplesmente lhe faltaram. Tudo que fez foi ficar parada, com a boca semi-aberta e um olhar abobalhado no rosto.

- Kim, não precisa ter vergonha disso – Nat dizia as palavras lentamente, com bastante doçura. Kim não sabia se era impressão dela, mas Nat parecia ter se aproximado ainda mais. Os corpos das duas se tocavam sutilmente. Ela podia sentir os seios de Nat, grandes e macios, roçando nos seus.

E depois, sentiu a mão de Natasha acariciando seus cabelos, deslizando sutilmente por eles até encontrar o rosto da garota, acariciando-o também.

- N-nat... – Kim não podia acreditar no que estava acontecendo. Seu corpo estava paralisado, sua respiração fraca. Ela tremia como uma criança, mas seu corpo parou totalmente de tremer quando Natasha colou seus lábios nos dela.

O beijo foi muito além do que Kim poderia ter sonhado. Doce, excitante, gentil, úmido, estimulante. Ela nem sentiu quando Nat a empurrava delicadamente para trás, até que suas costas encostassem na parede. O beijo continuava, mais intenso e estimulante. Natasha acariciava o rosto da mais jovem, sua língua deslizando suavemente dentro da boca de Kim.

A garota de deixou perder-se naquele beijo. Suas mãos acariciaram os ombros de Natasha gentilmente. Kim era imprensada entre a parede e o delicioso corpo de sua mestra. O folego lhe faltava, mas ela não queria parar o beijo para recuperar o ar.

- Era isso que queria Kim? – perguntou Nat encerrando o beijo. Suas mãos ainda tocando no rosto da mais jovem.

- S-sim... – respondeu nervosa, sua voz falhando.

- Apenas isso? – perguntou a outra com malicia. Seus olhos baixando-se para fitar os seios juvenis da moça.

- Não – Kim se surpreendeu com sua ousadia, suas mãos descendo até os seios de Nat e massageando-os por cima do fino tecido do robe – eu quero mais.

- Boa resposta – respondeu a Viúva negra com uma piscadela sensual, enquanto sua mãos desfaziam lentamente o nó da faixa que prendia seu robe.

Kim retirou a blusa, jogando-a em um canto qualquer da casa. Não usava sutiã por baixo, ficando semi-nua, apenas com seu shortinho minúsculo. Natasha retirou a faixa, abrindo o Robe. Revelou um corpo belo e maduro, a vagina era maravilhosa, suculenta e convidativa. Os seios eram grandes, com aureolas avermelhadas e grandes mamilos. O robe caiu no chão, Natasha estava totalmente despida, um convite para o pecado. Convite esse que Kim aceitou com prazer.

Elas voltaram a se beijar, agora de forma mais intensa e faminta. Seus seios se pressionavam em uma massagem gostosa. As mãos de Nat acariciavam as costelas de Kim, enquanto a jovem deslizava as mãos pelas largas costas de sua parceira. Elas encontraram a bela bunda de Nat e a apertaram de leve. Natasha soltou um gemidinho de satisfação.

Os beijos eram cada vez mais ousados, elas pareciam que iriam se engolir ali mesmo. Nat começou a beijar o pescoço de Kim, dando leves chupões e lambidas na região. A jovem sentiu-se delirar, suas mãos apalpando, com ainda mais gosto, as nádegas da mais velha.

Após alguns instantes dessa troca de caricias, as duas se afastaram, arfantes e sorridentes. Kim estava estupefata com a visão do corpo nu de Natasha. Ela queria provar mais dele, e foi exatamente isso o que fez.

Primeiramente, ajoelhou-se no chão, seu rosto ficando na altura da cintura da companheira. Ela acariciou as coxas de Nat, beijando sua intimidade com delicadeza. Lambeu a região lentamente, provando o sabor de sua mestra. Nat gemeu baixinho, elogiando-a e pedindo que ela continuasse.

Excitada, Kim prosseguiu, deu lambidas, beijos e chupões na vagina da Viúva negra. Ela já tinha transando com alguns caras, e ficado com algumas garotas, mas era a primeira vez a transar com uma mulher. E que primeira vez. Ela estava amando o gosto de Nat. Ouvir os gemidos baixinhos dela e sentir as mãos dela acariciando lhe os cabelos. Tudo ficou ainda melhor quando foi recompensada com o orgasmo da companheira, pegajoso e quentinho. Kim sorriu de forma safada, lambendo cada gota daquele precioso elixir.

- Muito bem Kim, continue... – dizia Nat, olhando com desejo e doçura para sua discipula.

Após terminar de sorver todo o sêmen, Kim olhou para cima, para o corpo escultural de Nat. A mais velha exibia um sorriso de satisfação, mas não parecia inclinada a parar por ai. Natahsa sentou-se de joelhos no chão, atrás de Kim. Puxou a garota para sentá-la em seu colo. As costas de Kim encostando nos seios de Nat. Kim se acomodou, nada melhor do que estar juntinha da mulher que tanto desejava. Mas ainda havia um pequeno incomodo, seu short. Kim livrou-se dele juntamente com a calcinha. Agora sua vagina finalmente estava exposta e ela parecia pulsar de tanto desejo.

- Você foi ótima, agora é minha vez de fazê-la se aliviar – disse Nat com uma voz sensual. Ela afastou uma mecha do cabelo de Kim que cobria-lhe a lateral do pescoço. Com muita sutileza beijou o local, chupando-o de uma forma tão sútil e excitante que fez a adolescente arfar.

Kim deixou escapar um gemido de prazer. Com habilidade, Natasha levou as mãos aos seios cheinhos e apetitosos da garota, apertando-os com gosto e iniciando uma massagem sensual.

- Ah merda... ninguém nunca me tocou assim... – falou a garota em um ímpeto de prazer. Nat era boa com as mãos, muito boa.

- Não viu nada Kim, ainda vou te fazer sentir sensações muito mais intensas – respondeu a outra dando um beijo ardente na garota.

Natasha aproveitava cada pedacinho do corpo da adolescente. Estimulava-a com destreza tanto com a boca quanto com as mãos. Não demorou para que rendesse Kim, deixando-a totalmente derretida em seus braços. Nat era boa nisso, em dar prazeres inimagináveis. Havia sido treinada para isso também. Era uma das habilidades que mais se orgulhava.

Ela manteve seus toques firmes no corpo da garota, ouvindo os gemidos abafados de Kim. Não satisfeita com aquilo, desceu furtivamente uma das mãos até a intimidade da jovem, encontrando-a já bastante lubrificada.

Natasha penetrou dois dedos ali. Iniciou uma masturbação intensa, arrancando gemidos cada vez mais fortes da garota. Enquanto isso, sua boca não dava descanso a Kim, pois os beijos eram interruptos. As línguas delas se enroscavam como duas serpentes em guerra. Nat podia sentir Kim se contorcendo devido aos estímulos. A garota estava louquinha de tanto desejo, tanto que acabou tendo um forte orgasmo. Gritou com força enquanto expelia muito sêmen de sua vagina, melando totalmente a mão de Nat, escorrendo até melar as coxas das duas também.

- Satisfeita? – perguntou Nat maliciosa. Ela encerrara o beijo e oferecera os dedos melados para Kim.

A garota chupou, sorvendo seus próprios fluidos. Estava arfante e com uma cara de felicidade no rosto. Após beber tudinho ela respondeu, corada e um tanto cansada.

- Sim. Vamos fazer isso mais vezes?

- Muitas – respondeu a mais velha dando um beijo carinhoso na bochecha de Kim – eu espero que a próxima seja em torno de uma hora. Acha que consegue estar pronta até lá Kim Possible?

Kim confirmou com um aceno com a cabeça. Sentia-se meio boba como uma adolescente apaixonada, mas tudo bem. Tinha transada com a Viúva negra, a mulher que mais admirava, desejava e respeitava de todo o mundo.

Ela descansou sua cabeça no ombro de Nat. Estava mesmo cansada. E que lugar melhor para descansar do que nos braços da mulher a qual gostava?

19 de Novembro de 2019 às 09:02 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Lucas Vitoriano Ola, me chamo Lucas, adoro escrever, ver animes, jogar Magic the gathering, ler entre outras coisas mais rs. Sou particulamente fissurado em mitologia grega, meus autores favoritos são Neil Gaiman e Kazuo Ishiguro e, meu livro favorito, é As brumas de Avalon.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~