Contos eróticos - Harry Potter Seguir história

jace_beleren Lucas Vitoriano

Contos eróticos envolvendo os personagens da série Harry Potter.


Fanfiction Livros Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#hentai #pwp
0
382 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Harry Potter - Cho Chang

A reunião da Armada Dumbledore havia terminado a pouco mais de vinte minutos, a maioria dos alunos daquele grupo secreto e ilegal, formado por alunos que treinavam por conta própria defesa contra as artes das trevas, já havia voltado para seus quartos, mas dois deles ainda se encontravam ali: Harry Potter e Cho Chang.

Eles não estavam fazendo algo realmente errado praticando ilegalmente aulas que deveriam ter normalmente. Era absurdo que a nova professora de defesa contra as artes das trevas, Dolores Umbridge, quisesse-se ensina-los a se defender contra as artes das trevas sem realizar um único feitiço sequer. O motivo para isso era uma paranoia absurda do atual ministro da magia, ao qual Dolores era subordinada, de que na escola de Hogwats os alunos estavam sendo treinados como soldados para derruba-lo e que o diretor da escola, Alvo Dumbledore, era a mente maquiavélica por detrás desse plano louco.

Devido a isso muitos alunos insatisfeitos com as aulas de Dolores resolveram tomar a iniciativa e praticar eles mesmos seus feitiços. A ideia havia começado com Harry, mas agora um grupo grande de alunos estavam com ele treinando secretamente três, as vezes quatro vezes por semana.

Harry era um garoto magro, cabelos negros curtos, de seus dezoito anos. Usava óculos de armação simples e era um bruxo excepcionalmente bom em lidar contra as artes das trevas. Em seu currículo havia enfrentado, mais de uma vez, Lord Voldmort, o maior bruxo das trevas que já havia existido. Sendo assim sentia-se apto para liderar um grupo autônomo de defesa contra as artes das trevas.

Cho Chang era um ano mais velha que ele, feições orientais, pele clara e longos e negros cabelos lisos. Ela era uma bruxa muito inteligente, não a toa havia sido escolhida para a Corvinal*, casa aonde a inteligência era o principal fator a decidir os integrantes da mesma. Cho também era a namorada de Harry a pouco mais de dois messes.

- Expectro patronum!! – bradou Cho balançando sua varinha no ar e lançando um feitiço.

Uma luz branca saiu da varinha da garota tomando a forma de um lindo cisne feito de pura luz branca. O animal voou pela sala aonde eles se encontravam deixando rastros de luz por onde passava até, depois de alguns instantes, sumir.

Harry se aproximou da namorada orgulhoso, levou a mão ao ombro da garota e ela se virou com um sorriso de satisfação discreto no rosto.

- Você está melhorando muito rápido Cho, é muito inteligente não é a toa que foi para a Corvinal – elogiou Harry. Cho deu um de seus sorrisos contidos e corou de leve.

- Não é só mérito meu, tive um bom professor.

Então foi a vez de Harry corar, o garoto ficou sem jeito o que Cho achava sempre fofo. Ela tocou no rosto dele e deu-lhe um beijo sutil nos lábios. Eram assim os beijos deles, sutis, discretos, nada de impetuosos beijos apaixonados. Harry nunca havia namorado e se sentia um tanto desnorteado em como agir e Cho por seu lado havia terminado um relacionamento no ano passado de forma trágica, seu antigo namorado, Cedrico Digori, fora assassinado por Voldmort. Devido a isso a garota era sempre cautelosa, não se sentia pronta para mergulhar de cabeça em outro relacionamento tão cedo.

Quando o beijo terminou Harry estava visivelmente sem jeito, apenas ficou olhando para a namorada como se perguntasse o que deveria fazer em seguida. Cho se sentou em um banco e Harry sentou-se ao seu lado. A garota não sabia como lidar com aquele namoro ainda, nem sabia se realmente amava Harry ou estava com ele mais para preencher o vazio que Cedrico deixara em seu coração.

- Então... essas aulas são bem legais – disse Cho tentando iniciar qualquer tipo de conversa – eu gosto muito de todos aqui. Nos meio que formamos um grupo secreto não é?

- É, se com secreto você quer dizer ilegal – ele deu um riso achando que era uma boa piada, mas foi o único ali a considerar aquilo engraçado.

Cho ficou calada, apenas balançou a cabeça afirmativamente. Ela olhou para Harry se perguntando o que realmente sentia por ele. Era amizade, admiração, até atração, mas não era amor, não como era com Cedrico. Ela se perguntou, como se perguntava desde que começara a namorar o garoto, se um dia iria ama-lo, se era só uma questão de tempo até que aprendesse a gostar dele.

Ela sentia desejos, era uma adolescente na flor da idade afinal, e queria sacia-los. Sentia atração por muitos alunos de Hogwats como de algumas alunas também. Ela porem não era do tipo que saia se agarrando com todo mundo, gostava de seguir as formalidades, namorar e tudo mais. Mas, apesar de ser certinha, Cho não negava seus desejos. Fazia tempo que ela não transava e isso já a estava incomodando ao ponto de alterar seu humor.

Ela não tinha certeza se Harry seria a pessoa certa para isso, mas sentia muito desejo e sabia que ele também queria. Harry porem não era o tipo de pessoa bom em tomar iniciativas. Ela sabia que deveria agir ali, caso contrario ficariam apenas trocando beijos durante anos.

Ela acariciou o rosto do garoto e beijo-o novamente, outro beijo lento e tímido, mas não parou por ai. Intensificou o beijo, pressionou seus lábios contra os de Harry e levou suas mãos aos ombros dele, acariciando-os. Apesar da surpresa Harry retribuiu aos gestos. Ele sentia que aquilo estava indo além de onde normalmente ia e ele podia sentir seu pênis crescer entre as pernas.

- Cho... – ele tentava falar entre os beijos que se sucediam, cada um mais excitante que o anterior – acho que estamos indo rápido demais...

- Você não quer isso? – perguntou corada, estava com muito desejo e queria muito se aliviar, mesmo assim era muito difícil para ela tomar a iniciativa desse jeito. Quando namorava com Cedrico era sempre ele que tomava a iniciativa.

- Eu... eu não sei... – disse Harry desviando o olhar – se continuarmos com isso podemos acabar...

- Transando – completou Cho ficando tão vermelha quanto um tomate – sim, eu quero isso Harry, sinto... sinto-me tão carente.

Harry sentiu seu coração amolecer enquanto outra coisa ficava bem dura entre suas pernas. Cho avançou nos beijos, seus movimentos se tornados mais ousados, embora ela ainda agisse com cautela.

Cho estava sentindo-se queimar por dentro. A garota se ajoelhou no chão e abriu as pernas de Harry. O garoto arregalou os olhos quando ela abaixou as calças dele exibindo seu pênis. Cho massageou o pênis com uma das mãos, ouviu seu namorado soltar gemidos baixos de prazer e isso a excitou. O pênis de Harry não era tão grande quanto o de Cedrico, mas seria mais que o suficiente para satisfaze-la. Após se demorar alguns instantes acariciando e masturbando o pênis de Harry ela lambeu-o lentamente e então começou a chupar.

- Ahhh... – Harry gemeu baixo, levantou a cabeça para cima e gemeu de novo – Cho... isso... isso é muito bom.

- Que bom que gosta Harry – respondeu tímida – também estou achando muito bom.

Cho continuou e quanto mais duro Harry ficava entre as pernas mais se derretia devido aos toques e lambidas da garota. Ela o tinha em mãos, totalmente dominado de desejo. Cho o chupou com gosto, queria chupa-lo mais, mas sentiu que ele logo chegaria ao orgasmo e isso não seria bom. Ela parou de chupar, levantou-se e retirou sua saia e calcinha exibindo sua vagina branquinha e depilada, corou ao fazer isso e, em silêncio, sentou-se no colo de Harry engolindo o membro dele com sua vagina.

- Ahh... – ela encaixou-se perfeitamente nele e então beijo-o com desejo. Harry retribuiu acariciando os seios dela por cima da blusa.

Lentamente Cho começou a rebolar em movimentos de vai e vem, gemia no ritmo de seus movimentos enquanto trocava beijos molhados com o namorado. Harry tentava, atrapalhado, desabotoar a blusa de Cho, como não conseguiu acabou desistindo e levou suas mãos as coxas dela apalpando-as com gosto.

Eles continuaram a mover seus corpos naquela dança luxuriante. Seus gemidos ecoavam pela sala vazia. Cho estava amando aquilo, começou a sentir seu corpo queimar por dentro, estava no ponto, pronta para avançar aquilo para o próximo nível. Foi então que, para sua total frustação, Harry soltou um longo gemido e teve um orgasmo. Cho fez uma expressão de total desagrado, mas Harry não se deu conta disso, estava quase desfalecido devido ao esforço de sua primeira transa. Sem tentar esconder seu descontentamento ela se levantou, saindo do colo do namorado e começou a se vestir em silêncio.

- Cho... está tudo bem? – perguntou Harry cansado devido a transa sem entender o porque da reação da namorada.

- Sim, tudo Harry, só acho que devemos ir, já esta tarde – respondeu ela friamente com uma leve pitada de hostilidade na voz. Ela se abaixou, inclinando o corpo e, não propositalmente, empinando sua linda bunda, enquanto pegava sua saia preta que estava largada no chão.

Harry aproveitou para acariciar aquela bunda com um sorriso de desejo no rosto, mas Cho se irritou e levantou-se rapidamente não dando a ele muito tempo de apalpa-la. Ela se virou para ele, o olhar totalmente frio. Quando falou o clima esfriou como se um dementador** estivesse entrado no aposento.

- Precisamos ir Harry – ele tentou voltar a levar a mão a bunda dela, mas Cho a afastou com um movimento sutil, porem rude – não temos tempo para isso – completou secamente.

Harry ficou parado sem entender o que havia acontecido, Cho não estava com cabeça para sair se explicando com ele então simplesmente vestiu a saia e saiu dali sem nem esperar que o namorado a seguisse.

Ela deixou o cômodo a passos largos, a insatisfação estampada no rosto. Harry não era o homem que ela amava, ele não era Cédrico. Mesmo no sexo ele não podia satisfaze-la. Transar com ele não havia sido muito diferente de uma masturbação. Ela precisava de mais e sabia que não ia ser um garoto imaturo como Harry que iria dar isso a ela.

Irritada ela percorreu os corredores de Hogwats até chegar no dormitório da Corvinal. Se deitou com uma expressão carrancuda e, coberta por um grosso lençol, começou a masturbasse imaginando que estava em situações muito mais excitantes da que vivenciara alguns minutos atrás, fantasiando que estava fazendo amor com diferentes colegas, homens e mulheres, aos quais sentia atração.

17 de Novembro de 2019 às 12:00 0 Denunciar Insira 0
Continua…

Conheça o autor

Lucas Vitoriano Ola, me chamo Lucas, adoro escrever, ver animes, jogar Magic the gathering, ler entre outras coisas mais rs. Sou particulamente fissurado em mitologia grega, meus autores favoritos são Neil Gaiman e Kazuo Ishiguro e, meu livro favorito, é As brumas de Avalon.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~