Contos eróticos - nanatsu no taizai Seguir história

jace_beleren Lucas Vitoriano

Contos eróticos envolvendo os personagens do anime Nanatsu no taizai.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#nanatsu-no-taizai #hentai #pwp
1
467 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Merascylla - Elizabeth

Elizabeth acordou com a cabeça pesada. Descobriu-se estando em uma espécie de masmorra com muros antigos de pedra rodeando-a por todos os lados. O local estaria totalmente escuro se não fossem alguns archotes presos as paredes iluminando o ambiente ao redor com chamas esverdeadas. A masmorra cheirava a mofo e carne e estava repleta de poeira e teias de aranha, o que tornava a estadia dela ali bastante desagradável. Elizabeth cobriu o nariz para se proteger do mal cheiro.

Ela não sabia como havia parado ali. Seu vestido azul escuro, que descia até a metade de suas coxas, estava sujo. Seus longos cabelos brancos despenteados. Tirando a dor de cabeça não havia nenhum outro problema consigo. Isso é claro sem contar o fato de se estar em uma masmorra.

- Meliodas? Ban? – disse insegura, implorando por ajuda. Ela levantou-se e procurou explorar o lugar.

Sua visão estava limitada até aonde a luz dos archotes lhe permitia ver. Havia uma grade de ferro marcando os limites de sua prisão. Elizabeth colocou as mãos nas grades e tentou força-las, mas, apesar de estarem velhas e enferrujadas, ainda eram resistentes o suficiente para não cederem.

- Uma princesa em apuros. Acho isso tão fofo.

Elizabeth recuou assustada ao ouvir aquela voz. Olhou ao redor procurando por alguém, mas aparentemente estava sozinha ali. Era mesmo uma princesa em apuros e isso só a deixava mais temerosa.

- Q-quem está ai? Apareça! – perguntou assustada abraçando o próprio corpo. Por algum motivo esse gesto a fazia sentir-se um pouco mais segura embora ela soubesse que, na realidade, não tinha efeito algum.

Uma massa de energia negra começou a se formar a frente de Elizabeth que recuou dois passos tropeçando nas próprias pernas e caindo de bunda no chão. A energia se contorcia como se fosse um ser vivo. Era como uma densa neblina negra que, aos poucos, moldava-se para assumir uma forma mais palpável.

Tremendo Elizabeth abraçou com ainda mais força o próprio corpo. A massa de energia finalmente se solidificou revelando a figura de uma doce garota. Aparentemente devia ter apenas dezesseis ou dezessete anos. Mas aquela aparência era enganosa, a demônia tinha milhares de anos. Ela era baixa, cabelos lilás claros, olhos negros banhados em um doce sarcasmo. A menina vestia apenas uma roupinha branca curta cobrindo-a da cintura até os seios. Elizabeth a reconheceu imediatamente. Era Merascylla, o mandamento da fé.

- Merascylla... eu não tenho medo de você – era uma mentira. Elizabeth estava totalmente apavorada. Aquela garota era sádica. Por detrás de seu rostinho angelical a demonia se mostrava uma pessoa cínica e cruel.

Sob a iluminação esverdeada que vinha dos archotes Merascylla parecia ainda mais assustadora, com um ar macabro e sobrenatual. Ela se ajoelhou em frente a Elizabeth e acariciou o rosto da princesa.

- Tão bonita... agora entendo porque Meliodas se apaixonou por você. Bem, talvez não tenha sido paixão e ele queria apenas... – sua mão desceu do rosto até os seios de Elizabeth, acariciando-os discretamente. A demonia sorriu perversa – você sabe, se divertir com você.

Assustada Elizabeth recuou arrastando-se no chão. Só o toque da demônia havia lhe causado calafrios. Merascylla apenas a fitava de uma forma enigmática. Ela engatinhou ate a princesa, seu corpo ficando colado ao de Elizabeth. Os rostos das duas estavam tão próximos que era possível Elizbeth sentir o cheiro doce da demonia que a fazia lembrar de frutas silvestres.

- Acho que você não entendeu Elizabeth – ela voltou a toca-la no rosto, acariciando-o com as pontas dos dedos – você pertence a mim agora. Nós a capturamos não lembra? Nesse exato momento Meliodas e os outros pecados devem estar vindo para cá resgata-la – ela deu um risinho fofo e completou – acho que eles sabem que é uma armadilha, mas que diferença faz? Eles não têm escolha.

As memórias do que havia ocorrido começaram a voltar lentamente. Elizabeth recordou-se do ataque que os dez mandamentos haviam realizado. Fora uma investida brutal e inesperada. Merlin nem sequer teve tempo de conjurar seu cubo perfeito antes que Zeldris atacasse Elizabeth e depois... bem, ela não sabia o que havia acontecido depois, havia perdido a consciência e então acordara naquela masmorra.

Merascylla estava de quatro sobre ela de uma forma intima demais. Elizabeth tentou recuar, mas só o fez por alguns centímetros, pois logo chocou-se contra a parede da masmorra. A demonia sorria lindamente. Olhando-a de perto Elizabeth percebeu o qual ela era bonita ali de quatro, mais parecia uma coelhinha sensual com aquele seu jeito meigo e seu corpo juvenil.

Merascylla possuía poucas curvas e seios pequenos. Era tão delicada como uma linda boneca de porcelana. Mesmo sem saber porque Elizabeth corou quando seu olhar desceu até o decote da demonia. Merascylla pareceu perceber pois um sorriso malicioso se formou em seu rosto nesse exato momento.

- Meu corpo lhe agrada princesa?

- N-não sei do que está falando – disse desviando o olhar. A mão de Merascylla deslizou furtivamente pela coxa de Elizabeth em uma caricia sensual.

- Não? Mesmo? – Merascylla sorria sínica. Ela então empinou mais seu corpo na direção de Elizabeth pondo fim a distância que separava os lábios das duas.

Elizabeth ficou totalmente sem reação com aquele beijo. Nunca havia imaginado que iria beijar uma garota, ainda mais uma demônia como Merascylla!

A garota era insistente e persuasiva com aquele beijo, isso Elizabeth teve que admitir. Merascylla pressionava sua boca com sutileza, sua língua invadia a boca de Elizabeth de forma lasciva. Sem perceber a princesa se viu retribuindo timidamente. Merascylla acariciava sua coxa, sua mão porem subiu e repousou no seio da princesa, apalpando-o de leve.

O beijo encerrou-se, mas Elizabeth ainda sentia-se um tanto tonta com tudo aquilo. Merascylla riu um risinho infantil beijando novamente a princesa, dessa vez na bochecha.

- Gostou disso princesa?

A mão dela continuava no seio de Elizabeth e a garota corou ao concluir que era bom que estivesse ali. Merascylla era extremamente doce e sensual, de uma forma que mexia com Elizabeth. Ela deu mais um beijo na princesa, um discreto selinho que logo transformou-se em um beijo de língua.

- Sempre tão certinha... mas até você gosta quando brincamos com seu corpo não? – perguntou abaixando o vestido de Elizabeth e exibindo os seios dela.

Elizabeth tentou cobrir-se, mas Merascylla foi mais rápida apalpando os seios e mamando neles com suavidade. Seus lábios eram macios e seus movimentos ritmados e experientes. Não demorou muito para que a princesa simplesmente perdesse o interesse em resistir e apenas se deixasse conduzir pela demonia.

- Tão apetitosa... – disse sem parar de mamar. Merascylla dava leves mordidinhas nos mamilos de Elizabeth. Ela divertia-se apalpando e acariciando o corpo da garota. Elizabeth gemia baixo, entregando-se completamente aquele ato.

- Gosta de ser minha princesa? – perguntou maliciosa dando total atenção aos seios de sua amante com lambidas, beijos e toques.

Em resposta a princesa apenas gemeu e pendeu a cabeça para o lado, rendendo-se aos toques da demonia. Merascylla continuou o que estava fazendo com calma e precisão. Estimulava Elizabeth meticulosamente e, quando sentiu que a princesa estava totalmente derretida de prazer, encerrou os carinhos.

Elizabeth ficou um pouco constrangida e decepcionada com aquilo. Muito sem jeito cobriu os seios e ficou a olhar para Merascylla que apenas sorria daquela forma maliciosa para ela.

- Por que parou? – perguntou em uma voz baixa e frágil.

- Porque quero que você implore para que eu continue. Quero que diga que vai fazer tudo que eu pedir – ela fez uma pausa olhando Elizabeth de cima abaixo – vamos princesa, estou esperando.

Aquilo era muito vergonhoso. Elizabeth desviou o olhar desejando que a demonia simplesmente voltasse ao que estava fazendo, mas Merascylla continuava parada, apenas sorrindo para ela. Com um suspiro de derrota Elizabeth disse as palavras que Merascylla cobrara dela.

- Por favor, continue a me possuir Merascylla... eu... eu prometo que farei tudo que você me pedir...

Merascylla levantou-se com um sorriso de satisfação no rosto. Rapidamente retirou suas poucas roupas ficando totalmente nua. Seus seios pequenos estavam parcialmente cobertos por mechas de seus cabelos lilás. A vagina era lisinha e depilada, tão atraente que parecia pedir para ser tocada e lambida.

- Agora quero que me chupe princesa. Seja bastante servil.

Elizabeth concordou com um discreto aceno positivo. Muito sem jeito ajoelhou-se em frente a demonia analisando a vagina dela. Primeiramente explorou a intimidade de Merascylla com a ponta dos dedos, estava bastante úmida e quentinha por dentro. Elizabeth inclinou seu rosto para frente e beijou a vagina de sua amante.

- Hmm... nada mal princesa.

Ela estava gostando daquilo, Elizabeth começou a lamber sua vagina e dar leves chupões, estimulando-a aos poucos. Merascylla divertia-se com o prazer que a outra lhe proporcionava, mas também sentia um enorme prazer em ver a princesa sem jeito, com aquela expressão servil colada no rosto. Ela era tão fofa. Só essa visão era tão excitante quando a língua morna de Elizabeth no meio de suas pernas.

- Está indo muito bem Elizabeth. Agora, eu quero que masturbe-se.

- O-o que?!? – Elizabeth parou de chupar de tão assustada que ficou com aquele pedido – não posso fazer isso na frente de outra pessoa é tão... tão constrangedor!

- Então não tem problema quando faz isso sozinha? – perguntou a demonia maliciosamente – isso quer dizer que a princesa está acostumada a fazer esse tipo de coisa? Que gracinha.

Elizabeth não soube aonde enfiar a cara de tanta vergonha. Ela já havia sim se masturbado algumas vezes, como toda garota de sua idade, mas admitir isso era vergonhoso demais.

- Vamos princesa se masturbe para mim, e não esqueça que deve continuar me chupando.

Sem opção, e aceitando que deveria servir a Merascylla, Elizabeth fez o que lhe foi ordenado. Colocou a mão dentro do seu vestido e alojou-a no meio de suas pernas. Sua intimidade já estava úmida e por isso foi fácil começar uma masturbação. Ela gemia baixo enquanto, com um pouco de esforço, recomeçava a chupar Merascylla.

Apesar de constrangedor aquilo era bom. Elizabeth fechou os olhos e relaxou, deixando com que seus toques a estimulassem cada vez mais. Merascylla acariciava os próprios seios discretamente ao mesmo tempo que gemia baixo satisfeito com os “serviços” de sua nova amante.

- Não é tão ruim assim ser minha prisioneira não é mesmo princesa?

- N-não... – respondeu Elizabeth com a voz embargada – é muito bom.

Ela prosseguiu chupando Merascylla ao mesmo tempo que se estimulava ao tocar-se em sua intimidade. Seu desejo e sua excitação elevavam-se a cada segundo. Estava adorando o sabor delicado da demonia e a forma como ela lhe dominava era estranhamente agradável.

Merascylla por fim chegou ao orgasmo e Elizabeth sorveu todo o liquido com lambidas cuidadosas e gentis. Logo a princesa também chegou ao orgasmo, aliviando-se. Estava um pouco exausta, arfando de leve, mas sentia-se satisfeita. Merascylla acariciou-lhe os cabelos como uma recompensa pelo serviço bem feito.

- Ótimo, por hoje é suficiente. Voltarei mais tarde para possui-la novamente e quando isso acontecer serei um pouco mais exigente.

Elizabeth apenas concordou com um movimento tímido com a cabeça imaginado que tipo de coisas a demonia estaria preparando para ela. Merascylla voltou a se vestir e se foi, sumindo magicamente. Elizabeth sentia-se cansada. Transar havia sido muito bom, mas também exaustivo. A princesa recolocou o seu vestido e deitou-se no chão da masmorra.

Ela desejava que Meliodas e os outros pecados demorassem ao menos um pouquinho para resgata-la. Queria aproveitar mais das caricias de Merascylla. O prazer que ela sentira no curto espaço de tempo que a demonia a possuiu atiçara a sua curiosidade. Ela queria mais, queria descobrir um pouco mais sobre o prazer e Merascylla era a pessoa certa para ensina-la.

13 de Novembro de 2019 às 23:25 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Zeldris - Merascylla

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!