Presidente Seguir história

indrakimura Susanoo Soberano

Uchiha Sasuke, um homem cercado de mistérios e segredos. Sendo ele o dono de uma das maiores empresas de cosméticos do mundo, Luar. Devido a uma doença rara e desconhecida, o mesmo é obrigado a trabalhar a noite. Seu hobby é dormir com mulheres que exalem sedução e que tenham um elevado status social, um homem que vive para o trabalho e para sanar os seus estranhos vícios. Seus vícios! Manias! Hobby's! Está tudo ligado ao seu obscuro segredo. Hyuuga Hinata é a responsável por cuidar e auxilar o homem de olhos breu. A jovem secretaria tem a difícil missão de cuidar do homem de grande fama e reputação, lhe ajudando não que é preciso e ajudando no necessário. A personalidade forte do Uchiha e o jeito tímido é reservado da Hyuuga, faze com que ambos naturalmente se estranhem. Mas durante um estranho acontecimento o Uchiha se vê obrigado a compartilhar seu obscuro segredo, se vê obrigado a contar o porquê de suas atitudes. Descobertas inesperadas! Um amor nunca imaginado! Um voto de confiança faz com a relação de ambos mude drasticamente.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#romance #fantasia #sobrenatural #lobos #Híbridos #vampiros #hinasasu #hinata #sasuke #hétero #yaoi #Gravidez- #drama #Mpreg- #ObiKaka- #SasuHina- # #ObiKaka #kakaobi #sasuhina #gravidez #mpreg
0
476 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Blood I

Blood I

Prólogo

Os extensos corredores do enorme edifício se encontram cobertos por uma estranha atmosfera, quase como se tudo fosse sombrio e ao mesmo tempo bem agradável. A mulher ao meu lado mantém um sorriso meigo estampado, acho que de tanto fazer aos poucos ele foi deixando de ser forçado. Pois há momentos que o mesmo brota de forma natural em sua face.

Ela não me dirige a palavra, ela somente o faz quando julga necessário, o tour que estou a fazer é para evitar que eu futuramente não me perca dentro das grandes instalações. Pois assim que me disserem a minha função eu terei obrigada a me virar sozinha, afinal durante meu serviço serei obrigada a andar pelo mesmo desacompanhada e sem ninguém ao lado pra me indicar lugares e andares.

A mulher de cabelos rosados mantém uma distância considerável entre nós, seus orbes esmeralda me evitam com mestria. A mesma se limita olhar para frente e para algumas pessoas que se encontram à toa durante o horário de serviço.

As paredes estão pintadas de um vermelho intenso e ao mesmo tempo neutro, uma cor confusa de se distinguir. Os quadros pintados à mão retratam a face dos antigos líderes empresa, cada um deles tem uma peculiaridade em comum, seus olhos em tom breu. Um tom diferente de preto, pois eles pareciam mortos e ao mesmo tempo tão vivos, em certos momentos eu sinto uma estranha sensação de que eu os conhecia.

Que estranho nunca entrei nesse prédio e nem mesmo conheço esses homens de olhar intenso e cabelos pretos, os antigos presidentes são tão parecidos um com o outro. Penso se todos fazem parte da mesma família ou se é somente coincidência.

Paro em frente ao quadro do atual, diferente dos outros eu não senti a sensação de que estar vivo, pelo contrário eu somente vejo o vazio em seus olhos, quase como se ele estivesse morto. É como se ele fosse oco por dentro e que seu exterior não passasse de uma casca, um simples enfeite que anda e fala.

Mas apesar da aparência sem vida da pintura, ela retrata um homem de porte fino e um olhar mortal, posso sentir a profundidade de seus olhos que parecem te aprender apesar de ser uma figura inanimada. Coro um pouco com a ousadia de certos pensamentos meus, a mulher fingi uma tosse, fazendo com que eu parasse de me distrair. Sua face se encontra séria é um pouco rígida.

O caminho voltou a ficar em absoluto silêncio.

Ao decorrer do caminho algumas pessoas param e a cumprimentam, contudo eu sou ignorada. Ninguém nem mesmo olha em minha cara ou se dirige a palavra a mim, sei que eu ainda sou uma desconhecida e que praticamente ninguém me conhece, contudo sinto que eles ao menos deveriam ter me cumprimentado, pois em breve seremos colegas de trabalho. Mas por pura educação eu os cumprimento me curvando levemente, eles são meus veteranos, por isso devo a eles respeito.

Um ou outro me devolve o cumprimento, enquanto os demais somente me olham com um ar superioridade e com desdém. Por alguma razão as mulheres me lançavam olhares mortais, já com os homens seus olhos continham desejo e malicia. Abaixo a cabeça envergonhada, pela atenção que eu estou a chamar, pelo excesso de imagem que estou a chamar.

Sempre foi muito reservada, chamar atenção desse jeito não é algo normal pra mim. Passo tempo todo tentando ser invisível e a outra metade tentando não ser despejada do meu apartamento, penso um pouco sarcástica.

Para me distrair, fico tentando me lembrar de tudo aquilo que li a respeito de meu novo chefe. Afinal conseguir uma vaga aqui não foi fácil! Após algumas entrevistas e vários testes eu fui designada para ser secretária pessoal de uma dos maiores empresários no ramo de cosméticos do mundo! Uchiha Sasuke, o homem a qual fiquei perdida ao encarar seu quadro emoldurado, homem que consegue tudo o que sempre almeja e deseja.

Posso escutar cochichos e murmúrios sobre o Uchiha. Conheço minimamente a fama do empresário, ele é conhecido por dormir com praticamente todas as modelos de sua empresa. Somente mulheres de status têm direito de deitar ao seu lado, o Uchiha dorme somente com mulheres que o agradam e que chamam a sua atenção, seja pela beleza ou pela fama.

Ele é considerado um dos homens mais ricos e importantes do mundo, a maioria das mulheres “comuns” se mataria somente para ter uma noite com o moreno ou um pouco da atenção do homem de orbes breu.

A minha superior, está a andar apressada após dar uma leve encarada no relógio em seu pulso. Começo há correr um pouco para alcançá-la. Minhas pernas pequenas tem dificuldade em acompanhar a mulher alta e ligeira, por causa disso eu acabei caindo no chão. Indo assim de encontro com ao carpete do chão do último andar da empresa.

Bolsa! Caderno! Celular! Tudo voou para longe, a mulher que está à parada em frente a uma porta, estranhos ruídos saem de dentro do lugar de enormes portas. Me apresso ainda mais para recolher meus pertences que parecem ter sido separados e mandados para longe um do outro. Tento me levantar, mas sinto um leve ardor ao fazer isso. Em meu joelho uma pequena quantidade de sangue está a escorrer.

Ignoro o ferimento, enquanto corro para terminar de pegar as minhas coisas e para receber meu novo chefe. Tento não focar na dor e nem na minha vontade de sair correndo, pois assim que terminei de me arrumar dei de cara com o meu chefe, o homem que todas querem.

Seu escritório, assim como todo o andar, tem um ar sombrio e pouquíssimo confortável. O Uchiha está a dar um beijo longo em uma das modelos que apareceu no último catálogo da empresa. Ela se despede sacana, pois a mesma pisca e acena de forma provocativa para o moreno, que a ignora. Assim que a modelo sai ele adquire uma aparência séria, a mulher se curva, faço o mesmo.

Pele pálida, um físico invejado e uma beleza de tirar o fôlego, contudo assim que ele me vê ele rosna! Fico estática. Meu chefe rosnou pra mim, me encolho ao ver que o mesmo está a vir em minha direção.

Ele toca em meu rosto e sorri sarcástico, desvio o olhar corada. Ele estava a me devorar com os olhos, penso um pouco desesperada. Em seus lábios um sorriso sarcástico se faz presente, ele encosta seu nariz em meu pescoço e se afasta de forma rápida. O cheiro forte de cigarros e perfume fez com que minhas pernas ficassem levemente moles e a minha pobre mente a mil.

O Uchiha sussurra algo no ouvido da mulher, que ao se virar sorri para mim.

Colocando os óculos de escuro o moreno sai, me deixando confusa e fazendo com que meu tolo coração se acelerasse com o cheiro embriagante que sai de sua pele pálida.

10 de Novembro de 2019 às 01:26 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Blood II

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 19 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!