ParaLelo Seguir história

loremkmorais

O novo apartamento de Bruno está assombrado por uma aparição babaca, que tomou de conta da sua poltrona favorita. Ele é só um cara do interior que veio para estudar, sua única experiência com fantasmas veio de assistir os Winchesters. Falhado o sal, ele entra em contato com o antigo morador por ajuda. Ele nunca imaginou que uma amizade iria surgir dali Ou mais do que isso até. Uma história sobre estrelas fluorescentes, aparições babacas, universos paralelos e dois estranhos encontrando o amor de forma inesperada.


Paranormal Todo o público.

#multiversos #email #fluffy #setealem #universos-paralelos #fantasmas #romance #lgbt
9
1.4mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

A aparição do apartamento 302

📷📷📷

de: Bruno Garcia

<BruGtS@gmail.com>

para: JotaPedro@hotmail.com

data: 2 de nov. de 2019 21:59

assunto: A aparição do apartamento 302

enviado por: gmail.com

Caro estranho.

Você não me conhece, eu não conheço você, mas temos muito mais em comum do que seria o normal em dois completos estranhos.

Para começo de conversa, aparentemente temos um gosto por aprender hobbies estranhos e um amor por estrelas fluorescentes no teto e papel de parede cafona.

Calma, calma. Acho que estou colocando a carroça na frente dos bois aqui. Não chame a polícia ainda, não sou um stalker. Sou o mais novo morador do seu antigo apartamento. Por sinal, obrigado por deixar os livros, eles estão sendo uma ótima distração.

Me mudei faz dois dias para a grande cidade, e tirava um mais que merecido descanso quando encontrei um desconhecido sentado na poltrona da sala. Aquela mesma, encardida, que tem cara que passou de morador por morador, uma relíquia e herança para cada novo inquilino.

Pois bem, ao estranho.

Lembro da baixa abrupta de temperatura, da repentina penumbra. O céu antes estava aberto fora da janela, de repente estava nublado. No momento não achei estranho, agora me pergunto se teve algum envolvimento. Ele estava lá, lendo um livro em sossego. Na minha poltrona.

Caro estranho, minha reação foi o que minha irmã sempre denomina de "defeito em instinto de sobrevivência."

Depois de duas semanas aqui eu entendo que sou uma presa fácil para oportunistas. O típico cara que é o primeiro a morrer em filmes de terror, ou escapa por pura sorte.

"Posso ajudar?"

Ele me olhou, parecendo aturdido. E os olhos dele eram negros. Você pode me falar "não existem olhos negros!"

Esses eram. Íris e esclera.

Eu olhei, ele me olhou.

E em um piscar de olhos ele não estava mais lá.

Caro estranho, entenda. Acreditei eu que fosse fruto do cansaço ou um sonho estranho. Liguei para minha mãe naquela noite e falei a ela o ocorrido. Ele me pediu para orar e ir na igreja, mas realmente pensei que fosse apenas isso: cansaço.

Teria me convencido se isso não continuasse a acontecer. Por dias que seguiram ele continuava a surgir naquela poltrona. Noite passada descobri que ele pode passear por outros cômodos.

Quando nesta manhã o encontrei a me esperar ao sair do banho me convenci que estou sendo assombrado por uma aparição que não respeita privacidade.

Fóruns e canais do youtube, site obscuros, livros de banca e conversas com as senhoras aqui do prédio. Velas e linhas de sal depois, e aqui estamos.

Encontrei sua carta. Dentro do livro de receitas.

Então, obrigado pelos livros, um não tão grande obrigado por deixar o seu colega de casa por aqui, apesar da longa carta em aviso. Foi bom saber que não estava enlouquecendo.

Alguma dica de como lidar com seu 'amigo'?

Desde já agradeço.

Ass: Bruno

P.S: Escavei seu contato de forma completamente legal, eu juro.

P.S 2: Deixei as estrelas no teto, espero que não se importe.

........................................

de: João Pedro

<JotaPedro@hotmail.com>

para: Bruno Garcia

<BrunoGtS@gmail.com>

data: 2 de nov. de 2019 22:27

assunto: Re: A aparição do apartamento 302

enviado por: hotmail.com

assinado por: hotmail.com

Não entre em pânico. Antes de chamar um padre, saiba que ele é completamente inofensivo. Um pouco tagarela demais, mas no geral ele é inofensivo.

Vamos ver: ele gosta de música, principalmente italiana, das bem antigas, mas ele também pegou um gosto por Belchior. Deixar a televisão no canal de cartoons também ajuda. Bob Esponja é um favorito.

De resto ele é bem na dele.

Fique a vontade com as estrelas, elas foram para ele, por isso deixei aí. Que bom que gostou dos livros. Cuide deles.

E cuide do meu colega.

Tem certeza que não quer se mudar?

..........................................

de: Bruno Garcia

<BruGtS@gmail.com>

para: JotaPedro@hotmail.com

data: 3 de nov. de 2019 08:59

assunto: O babaca

enviado por: gmail.com

Caro estranho.

Sim, sossegado, você disse? Achei hilário acordar com ele olhando para minha cara no meio da madrugada, rindo do meu susto.

Com todo respeito, seu amigo é um babaca, mas foi bom saber sobre as músicas. Pelo menos ele tem bom gosto. E com cartoons. Nossa, bom saber de um apreciador.

A varanda tem uma visão muito boa para me mudar, mas mais que tudo não quero deixar o babacazinho me tirar daqui.

Por curiosidade e se não for perguntar muito, foi por isso que se mudou?

Ass: Bruno

P.S: Qual a da Dona que fica no corredor olhando as sacolas que trazemos da rua? O babacazinho não é muito fã dela.

.............................................

de: João Pedro

<JotaPedro@hotmail.com>

para: Bruno Garcia

<BrunoGtS@gmail.com>

data: 3 de nov. de 2019 15:27

assunto: Re: O Babaca

enviado por: hotmail.com

assinado por: hotmail.com

Não, arrumei emprego em outro estado. Para ser sincero, quando sai daí ele havia sumido por um tempo, pensei que ele havia cruzado depois de tanto eu avisar para ele encontrar a luz.

Me acostumei com a companhia.

Depois dos primeiros sustos as coisas melhoraram.

Acredita que hoje eu até sinto falta?

Talvez seja um pouco deprimente, eu era solitário o bastante para procurar a companhia de alguém já morto.

Ah sim, Dona Ramona. Diz a lenda que quando o prédio foi construído ela deu a última mão de tinta. Eu não sabia dessa animosidade, nunca havia acontecido. Mas também nunca me envolvi muito com as pessoas do prédio. Eu era aquele cara que ia do trabalho para casa, uma ocasional ida ao bar, uma ainda mais que ocasional companhia.

Mas até eu sei que ela gosta de saber de tudo. Já foi sequestrado por ela para tomar café? Ela já arrancou os seus segredos? Já tentou te casar com alguém?

Fique atento!

P.S: Posso perguntar a razão de se mudar?

...........................................................

de: Bruno Garcia

<BruGtS@gmail.com>

para: JotaPedro@hotmail.com

data: 3 de nov. de 2019 21:59

assunto: Cara de cidade pequena

enviado por: gmail.com

Caro estranho

Ainda não tive o prazer do café, mas já tive meu interrogatório no meio do corredor mesmo.

Por sorte Dona Marta me salvou. Eu gosto dela e dos 20 gatos que ela tem em casa.

Nossa, pois muita gente fala sobre você aqui. Só coisas boas.

Agora estou curioso. Já pesquisou sobre a história do apartamento? A razão do babaca estar aqui? Ele é bem diferente. Tem algo estranho na situação.

Digo, mais estranho do que ter uma aparição no apartamento.

Pode perguntar assim, afinal eu também perguntei.

Me mudei em razão da faculdade. Faço história na federal. Como sou do interior, tive que vir de mala e cuia.

É a vida.

Acho que é meio óbvio que sou do interior. Minha irmã diz que tenho na testa isso. Quase fui atropelado umas 3 vezes na primeira semana e me perdi tantas vezes, que nossa senhora.

........................................

de:João Pedro

<JotaPedro@hotmail.com>

para: Bruno Garcia

<BrunoGtS@gmail.com>

data: 4 de nov. de 2019 10:57

assunto: Re: Cara de cidade pequena

enviado por: hotmail.com

assinado por: hotmail.com

Eu dei uma pesquisada sobre o apartamento na época, mas não encontrei nada sobre algum antigo morador ou alguma morte no prédio.

Pode imaginar como foi estranha essa pesquisa.

Mas quem sabe um estudante de história não tem mais sorte do que eu?

Ah, mudar de cidade, bem complicado. Espero que se adapte bem. Já deve ter percebido que as pessoas do prédio são um pouco excêntricas, mas a maioria é bem acolhedora. Pelo o que percebi já descobriu isso. Está fazendo amizade só com as senhoras? Garoto esperto, nunca vai passar fome.

É sua primeira experiência com o sobrenatural, ou já passou por algo assim antes?

............................................

de: Bruno Garcia

<BruGtS@gmail.com>

para: JotaPedro@hotmail.com

data: 4 de nov. de 2019 21:00

assunto: Winchesters

enviado por: gmail.com

Caro Estranho

A série sobrenatural conta?

Não, é minha primeira vez sendo assombrado. Você tem esse costume???

Eu fui adotado por elas. Tem muita gente solitária nesse prédio e gosto de tomar um cafézinho em casa alheia.

Como você é um estranho posso confessar que é difícil me acostumar, sair de um lugar que todo mundo se conhece desde sempre e vir para cá.

O pessoal nem mesmo responde o bom dia e está sempre com tanta pressa. Ninguém olha no olho, sorri. É como se ninguém se visse de verdade.

Como pode essa cidade ter tanta gente e o povo ser isolado assim?

Entendi o que falou em sentir solitário ao ponto de aceitar companhia de um morto.

De qualquer forma, vou dar uma pesquisada sobre o apartamento. Sou curioso que só um gato.

P.S: Ele realmente cresce em você. Tipo um fungo.

P.S: Desculpe o desabafo.

..............................................

de: João Pedro

<JotaPedro@hotmail.com>

para: Bruno Garcia

<BrunoGtS@gmail.com>

data: 5 de nov. de 2019 07:57

assunto: Re: Winchesters

enviado por: hotmail.com

assinado por: hotmail.com

Bruno

Não se desculpe. O que é trocar emails com um desconhecido se não para desabafar?

Eu entendo e não entendo você. Eu me acostumei a me virar sozinho, desde cedo. Meu pai e eu não nos damos bem, o bastante para ter alguns estados entre nós dois. E nunca fui um cara de conversa. Mas sempre fui um cara de cidade, do cheiro da poluição e dos barzinhos. Eu gosto de uma cerveja gelada ouvindo o barulho, de ir para boates anônimo e sair com uma pessoa que nunca mais vou ver depois de uma noite.

Talvez para você seja uma noção absurda e solitária. E realmente é. Esse é o caro que morou dois anos em um apartamento e que só teve um fantasma como amigo.

Você que é certo, Bruno.

Não deixe ninguém dizer o contrário. O mundo já está cheio de gente vazia demais.

Vê? Isso também foi um desabafo.

Eu já tive minha cota de aparições na vida, nenhuma delas foi como nosso colega. Você tem razão, há algo de diferente nele. Por vezes tenho a sensação de que eu que visitava.

Tem alguns livros sobre o assunto na caixa. São os marcados em vermelho.

Divirta-se.

3 de Novembro de 2019 às 16:58 2 Denunciar Insira 7
Leia o próximo capítulo John Doe

Comentar algo

Publique!
Alice Alamo Alice Alamo
"Antes de chamar um padre, saiba que ele é totalmente inofensivo" hahaha, mano, eu só consigo imaginar o fantasma sentado entediado enquanto o padre fica rezando. Tadinho, já deve ter visto tanta gente tentando tanta coisa

  • Lorem K Morais Lorem K Morais
    A cara de tédio enquanto jogam água benta no coitado. 1 week ago
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 9 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!