O DIVISOR Seguir história

W
Wesley dos Santos


Ele nunca tinha se sentido assim. Livre, leve, feliz, sendo ele. Do menino tímido ao mais solto do grupo. Edu sabia que aquilo tinha sido um divisor na sua vida. EM PROGRESSO


LGBT+ Todo o público.

#lgbt
0
464 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Quartas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

I - O CONVITE

Eduardo tinha acabado de chegar da academia quando ele viu uma mensagem no celular. Era no grupo do WhatsApp da faculdade que ele fazia de Jornalismo. Sua melhor amiga Débora acabava de dizer que não poderia ir pra aula hoje porque estava doente, mas de certo Edu sabia que essa história era mentira.


- Até parece que em plena Sexta-feira você fica ‘doente’ Débora? – Eduardo disse assim que ela atendeu ao telefone. E de fato era verdade, pois logo ouviu o som alto no quarto da Débora.

- Ai Edu, sabe como é não é? Me chamaram pra sair e vem cá, eu ia até te ligar. Vem com a gente? – Débora disse assim que abaixou o som.

- Está maluca? Hoje temos aula de Investigação Prática e se eu não me engano você tinha reclamado por não estar muito bem nessa matéria, e outra, como você conhece meus pais, eles não iriam gostar nada de saber que estou faltando pra sair.

- Edu, seus pais controlam a sua vida assim como você cuida do corpo. Vamos, eles nem vão saber!

- Olha, não sei Débora, não estamos mais no Ensino Médio e prometemos sermos mais responsáveis quando entramos no curso.

- A cada dia mais parecido mesmo com seus pais. Edu solta as asas, faz tempo que não nos divertimos como antes... por favor...

- Débora, você... olha... ta bem Débora, mas vê se me faz o favor de da próxima vez não me ligar pra me convidar pra sair em dia de aula... na verdade fui eu que te liguei não é? Oh meu Deus, acho que preciso mesmo sair um pouco. – Débora acabara de soltar um riso de felicidade – Vou tomar um banho e já te ligo. Beijos... até já.


Assim que eles desligaram a mãe de Edu chegou. Logo ele disfarçou fazendo o habitual, arrumando sua mochila com os livros da faculdade, o notebook, algum material, e descendo as escadas para colocar a mochila no sofá, onde estava seu irmão mais novo que desde antes de Eduardo sair para ir a academia, falava ao telefone com a namorada.

- Então, quando é o casamento? – Eduardo bagunçou o cabelo do irmão e colocou a mochila em cima dele.

- Deixa tá o seu irmão quieto Eduardo. Olha, hoje eu vou te levar para a escola... - Disse a mãe do Eduardo, Ângela.

- Faculdade... - Corrigiu Edu.

-... Seu Pai e eu vamos jantar hoje na casa do seu irmão, e você Pedro, vê se desgruda desse telefone e vai comprar alguma coisa pra você jantar. – Disse Ângela se dirigindo à mesa pegando o celular para digitar uma mensagem a alguém – Eu posso te deixar na porta da escola mesmo ou você ainda tem aquela vergonha de 10 anos atrás quando eu te deixava na porta da escola? – Apertou a bochecha de Edu.

- Mãe, não precisa me levar à FACULDADE. Até porque eu não quero que a senhora chegue atrasada na casa do Carlos. – Disse Edu disfarçando o nervosismo com medo de sua mãe ter descoberto que ele, afinal, combinara com Débora que sairiam.

- Não se preocupe que é caminho - Disse Ângela, dando um beijo ao filho e logo exclamando – Credo Eduardo, vai tomar um banho, você está fedido!


Eduardo virou as costas e sua mãe deu uma tapinha na bunda do filho, sendo zombado por Pedro assim que passou, e então Ângela abraçando e beijando Pedro também começou a enchê-lo de beijinhos perguntando se estava com ciúmes do irmão.

17 de Outubro de 2019 às 16:51 1 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo II - A APRESENTAÇÃO

Comentar algo

Publique!
Donna Dan Donna Dan
Olá, Wesley! Sou da equipe de Verificação do Inkspired. Verificar suas histórias serve para que os leitores as encontrem entre as melhores histórias no quesito ortografia e gramática. A verificação não é necessária ou obrigatória, apenas ajuda a dar destaque dentro do site. Portanto, se não tiver interesse em modificá-la, fique à vontade. Caso queira verificar outras histórias de sua autoria, basta contratar o serviço na aba “Serviços de Autopublicação”. Seu texto foi colocado em revisão pelos seguintes pontos: 1. Pontuação. Vocativo: “Até parece que em plena Sexta-feira você fica ‘doente’ Débora?” em vez de “Até parece que em plena Sexta-feira você fica ‘doente’, Débora?” e “Sua melhor amiga Débora acabava“ em vez de “Sua melhor amiga, Débora, acabava”. Vírgula em vez de ponto final: “por não estar muito bem nessa matéria, e outra, como você conhece meus pais” em vez de “por não estar muito bem nessa matéria. E outra, como você conhece meus pais”; a frase seguinte não tem dependência de sentido da frase anterior. Falta de vírgula: “Ai Edu, sabe como é não é?” em vez de “Ai, Edu, sabe como é, não é?” e “na verdade fui eu que te liguei não é?” em vez de “na verdade fui eu que te liguei, não é?” 2. Ortografia. Acentuação: “ta bem Débora” em vez de “tá bem, Débora” - lembrando que aqui temos a mesma questão do vocativo. 3. Trecho confuso: “Deixa tá o seu irmão quieto”. Observação: Estes são alguns exemplos, mas existem outros que precisam de atenção. Ter alguém que leia seus textos e ajude na revisão é muito positivo. Caso não tenha uma pessoa para isso, você pode contar com o trabalho de nossos Betas Readers; também presente na parte de Serviços de Autopublicação. O Inkspired também conta com blogs como “O esquadrão da revisão” e “Tecendo histórias” que ajudam na revisão, dicas de português e construção de narrativas. Se tiver interesse em continuar a verificação, responda este comentário quando fizer as modificações em sua história e farei uma nova verificação.
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 6 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!