ROSAS DO HALLOWEEN Seguir história

debrittus Maykow Debrittus

Alguns acreditavam ser apenas uma lenda, outros tinham a certeza de que as "As Rosas de Halloween” existiram. A verdade é que vários desaparecimentos foram atribuídos as rosas, mas nunca encontram um culpado e apenas um sobrevivente para contar toda a história.


Drama Todo o público.
Conto
2
476 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

ROSAS DO HALLOWEEN

A cidade é Diagroda, situada na região leste do Estado de Galopas há 210km da capital Mantiu. Nesta cidade aconteceu um dos maiores mistérios de desaparecimento de pessoas e todos eles sempre na noite de Halloween. O caso ficou conhecido como as “Rosas do Halloween”.

Diagroda era uma cidade litorânea com aproximadamente 200 mil habitantes, no período de festas chegava a ter 500 mil turistas. A comemoração mais tradicional na cidade era a noite de Halloween. Diversos turistas vinham aproveitar suas belas praias, bares, boates e principalmente participar da festa.

Toda a estrutura da festa era realizada na praia com tudo incluso, quem entrava na cidade ganhava uma pulseira de identificação e com ela podia usufruir de bebidas, comidas e todas as outras atrações. O turismo sempre foi à base de sustentação da cidade. Tudo girava em torno do turismo local, mas a cada noite de Halloween o turismo diminuía até não existir mais cidade, sim Diagroda quase virou uma cidade fantasma, dos 200 mil habitantes restaram apenas 300 habitantes.

Carlos, Igor e eu acabamos de chegar e vocês devem estar se perguntando o porquê viemos parar na cidade! Resolvemos fazer um documentário sobre “As Rosas de Halloween”. A verdade é que houve vários desaparecimentos no século passado, mas nunca encontram um culpado e apenas uma testemunha sobreviveu.

Com o passar do tempo e abandono da cidade o caso virou lenda. O único sobrevivente se chamava Pedro e em todos os depoimentos na época sempre contou em detalhes o que havia acontecido naquela noite de Halloween.

As Rosas eram simplesmente três irmãs lindas, mais precisamente trigêmeas, Pedro contava que ele e dois amigos, como todos os turistas na época vinham a Diagroda na esperança de festejar o Halloween e encontrar bebidas e mulheres.

Relato dele na época, dizia que eles conheceram as garotas durante a festa. Estava perfeito. Era noite de lua cheia e conheceram as três irmãs lindas, depois de algumas bebidas, cada um estava ficando com uma irmã e depois de alguns beijos e bebidas elas os convidaram para a pousada em que elas moravam, eles, no mesmo instante aceitaram vislumbrando cada um a noite maravilhosa de sexo que teriam.

Seguindo relato, o local era bem afastado e sombrio, nada parecido com o ambiente aconchegante e alegre da praia, mas o que eles mais queriam era aproveitar a noite de sexo que estava por vim, o local pouco importava com aquelas garotas ao lado.

Assim que chegaram cada um foi para um determinado local e, segundo o depoimento de Pedro, ele foi o que bebeu menos na festa, ele estava ficando com Kia, aliás eram trigêmeas mas cada uma de uma maneira diferente, Kia era uma morena alta de olhos azuis como oceano, Mia uma loira dos olhos verdes e pernas grossas e Lia uma ruiva de olhos cor de mel e pele branca como a neve.

Enquanto Pedro tocava naqueles seios rosados e beijava aquela boca suave e doce, não via a hora de tirar aquele vestido vermelho. Assim que retirou ficou paralisado de tão linda que era Kia.

Foi quando escutou um grito de socorro, no instante percebeu que era a voz de Ricardo que havia saído com Mia, Kia se levantou apressadamente e pediu para que ele esperasse no quarto que voltaria assim que verificasse o que estava acontecendo. Ele permaneceu alguns minutos sentindo um misto de tesão e susto.

Em determinado momento ainda pôde escutar mais um grito. Dessa vez sendo abafado, até que não resistiu, vestiu suas roupas e saiu do quarto a procura, ao aproximar de uma porta aberta e luz acesa chegou bem devagar e olhou para dentro, mas o que ele viu naquele momento ficou marcado para o resto da sua vida.

Havia dois corpos esquartejados pendurados de cabeça para baixo, o sangue jorrando para dentro de uma banheira e para o seu temor, estavam Kia, Mia e Lia se banhando com o sangue, mais aterrorizante ainda ficou quando ele percebeu que aquelas não eram as garotas, as fisionomias lembravam, mas elas pareciam muito mais velhas, sua mente gritava para que ele corresse dali, mas seu corpo estava paralisado de medo, antes de conseguir se mexer pode perceber que a medida que elas iam se banhando seus corpos iam se transformando e as belas garotas estavam voltando, com isso percebeu que sua vida corria risco e tinha que sair dali o mais rápido possível, saiu o mais depressa que conseguiu da casa e entrou em uma mata próxima e correu sem parar até o amanhecer.

Pedro ficou desaparecido por dois dias. Foi encontrado por um grupo de turistas. Durante dias e meses os policiais fizeram vistorias para tentar localizar o local onde ele informava o que havia acontecido com seus amigos, mas sem sucesso a policia acabou colocando ele como principal suspeito de ter cometido os crimes, mas sem provas acabou sendo liberado. Pedro mudou-se de Diagroda e nunca mais foi visto deixando apenas seus relatos, aterrorizando moradores e turistas. Segundo informações extra oficiais foram mais de 30 homens desaparecidos com idade entre 20 e 32 anos, todos os casos sempre na festa de Halloween.

Temos conhecimento de toda a história e por isso resolvemos fazer esse documentário a respeito, chegamos e nos encaminhamos direto para a única pousada que ainda insistia em permanecer funcionando, era dia 30 de outubro, véspera de Halloween e diferente de épocas anteriores não havia turista algum na cidade. Assim que chegamos somos recepcionados por uma morena linda de olhos azuis.

— Boa noite! Meu nome e Leo esses são meus amigos Carlos e Igor.

— Boa noite! Meu nome é Lua.

— Esse é o seu nome verdadeiro.

Questionou Carlos.

— Não, mas já tem tanto tempo que sou conhecida assim que nem lembro a última vez que disse meu nome verdadeiro.

— Lua, queremos um quarto com três camas.

— Porque um quarto com três camas?

— Posso arrumar três quartos para vocês pelo mesmo preço.

— E se vocês arrumarem alguma companhia na cidade, neste caso como vocês fariam? Aproveitando vou logo avisando que aqui e totalmente liberado trazer mulheres para os seus aposentos.

— Pensando bem e melhor dessa forma mesmo, nunca se sabe!

Insinuando Carlos, aproveitando e dando uma leve piscada em direção a Lua.

— Falando em mulheres tenho duas amigas que adorariam conhecer vocês, se quiserem podemos marcar de sair amanhã a noite, não existe mais comemoração de Halloween, mas podemos fazer marcar alguma coisa, o que vocês acham?

— Ótimo! — retrucou Igor, sem mesmo deixar que pensássemos no assunto.

Já era tarde quando chegamos, entramos para nossos quartos e aproveitamos para dormir, ficaríamos apenas dois dias na cidade e queríamos descansar para levantar bem cedo para conversar com antigos moradores da cidade.

Acordei bem cedo, enfim era dia 31 de outubro. Não vou mentir que estar naquela cidade sabendo que durante alguns anos diversos homens desapareceram ali e nunca foram encontrados não era o melhor local do mundo que gostaria de estar naquele momento, mas o tempo era outro e tínhamos uma ambição de fazer um belo documentário a respeito. Desci e segui para tomar meu café, assim que cheguei vejo Carlos e Igor conversando com Lua.

— Bom dia, pessoal.

— Bom dia, Léo. Estava conversando com os meninos dizendo que já marquei com minhas amigas e elas vão chegar hoje por volta das 21h e iremos fazer um luau na praia, já encomendei todas as bebidas, comidas e tochas de bambu para iluminar a praia.

— Que ótimo, vai ficar ótimo comentei.

Tomamos nosso café, nos despedimos de Lua e seguimos por toda a cidade conversando com os mais idosos. Aproveitamos para filmar por toda a cidade, mas a história contada era a mesma. Vários homens desapareceram durante a noite de Halloween, o que fez com que até hoje eles tenham certo medo de permanecer até tarde da noite, vários desses moradores nos sugeriram para ficar em nossos quartos e esperar o dia amanhecer e não arriscar passar a noite na cidade, juro que a cada sugestão ficava com mais vontade de permanecer na pousada.

Retornamos para pousada já era por volta das 20h e logo as garotas chegariam. Nos apressamos e seguimos direto para os quartos para tomar banho e arrumar, as 21h em ponto descemos e assim que chegamos no salão lá estavam todos elas.

Assim que chegamos Lua apresentou as garotas.

— Rapazes essas são minhas amigas, Karen e Luma.

Karen uma loira linda que não consegui tirar os olhos e Luma uma ruiva que deixaria qualquer homem louco. Juro que na hora que avistei as garotas não pude deixar de lembrar-me dos relatos de Pedro sobre as Rosas, as três mulheres lindas e assassinas, mas a época era outra e aquelas garotas jamais seriam assassinas. Cumprimentamo-nos e dirigimos direto para a praia.

Ao chegar puder perceber que estava tudo arrumado. Em frente a uma casa estavam varias tochas acesas, a noite era linda, a lua cheia clareava o oceano e deixava tudo mais perfeito ainda. Não demorou muito e os casais já estavam formados Carlos e Lua, Igor e Luma e Eu e a loira mais linda que já conheci em toda minha vida Karen.

Era por volta de 23h quando os rapazes entraram na casa para buscar mais bebidas, Karen e eu ficamos esperando na praia, não conseguia desgrudar os olhos dela, seus lábios eram doce e seu corpo era tão liso com uma pena, havia passado já alguns minutos e o pessoal não retornava com as bebidas foi quando Karen disse:

— Vou entrar lá e pegar as bebidas eles estão demorando muito.

— Vou com você!

— Não precisa, pode ficar ai, volto já.

— Tudo bem então, cuidado para não atrapalhar os casais.

— Pode deixar.

Assim que ela entrou não demorou muito escutei dois gritos que fizeram meu corpo e alma tremer de medo, sabia que aqueles gritos eram do Carlos e do Igor, levantei e corri para dentro da casa, mas antes peguei um pedaço de madeira que estava queimando na fogueira, assim que entrei puder ver meus dois amigos todos caídos apenas de bermuda com sangue espalhados por todo corpo e as garotas com facas e machados na mão, nesse instante entrei em pânico e ao tentar sair correndo escorreguei e bati a cabeça na quina da porta e desmaiei.

Acordei na manhã seguinte em uma cama e ao meu lado pude ver as garotas, dei um pula da cama e já fui gritando:

— Assassinas, Assassinas, Assassinas!

— Você mataram meus amigos, o que vão fazer comigo!

— Meu Deus! Ajuda-me? Socorro!

Foi quando vejo a porta do quarto abrir e logo em seguida entraram Carlos e Igor.

— Calma, Leo, fizemos uma brincadeira com você para aproveitar a noite de Halloween, mas você se assustou muito e ao sair correndo bateu a cabeça e desmaiou, tentamos de reanimar, mas como vimos que não conseguiríamos trouxemos você para o posto de saúde da cidade, que bom que você acordou.

— Vocês fizeram o que? Vocês queriam me matar de susto, se esse era o objetivo quase conseguiram. Esqueceram-se de onde estamos, quando entrei e vi vocês sujos de sangue.

— Era molho de tomate.

Exclamou Kanen, passando sua mão no meu rosto.

— Quase morri de medo, você não tem noção do medo e pavor que fiquei, lembrei na hora de toda história contada por Pedro e das Rosas do Halloween, achei que seria o próximo a entrar na contabilidade dos mortos e desaparecidos.

Passado o desesperado não pudemos deixar de rir da situação, eles contando do pavor em meus olhos e desespero para sair correndo e o pavor que eles ficaram ao bater minha cabeça. Permanecemos ali por mais três dias, desistimos de fazer o documentário e prometi a mim mesmo que nunca mais voltaria naquela cidade nesta maldita data de Halloween.

16 de Outubro de 2019 às 14:56 3 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Maykow Debrittus Natural da cidade de Ipatinga, localizada na região leste do estado de Minas Gerais, a 240 km da capital Belo Horizonte. Venho de uma família de quatro irmãos, casado e pai de três filhos. Publiquei meu primeiro livro "Adoção, uma história de Vida”, para homenagear meus filhos, a partir daí passei a escrever por hobby e paixão. Tenho outro livro publicado “O Exercício do Amor – Drama”, participações em revistas, antologias e coletâneas.

Comentar algo

Publique!
gaKk🔥mura gaKk🔥mura
Ficaram ou não com as garotas?! RS Amigos filhos da p....

MiRz Rz MiRz Rz
Olá, eu sou a MiRz do Sistema de Verificação do Inkspired. O Sistema de Verificação atua para ver se as histórias estão dentro das normas do site e ajudar os leitores a encontrar boas histórias no quesito de gramática e ortografia; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores nesse aspecto. A verificação não é obrigatória para sua história continuar sendo exibida no site, portanto se não se interessar em obtê-la, basta ignorar essa mensagem e não alterar o seu texto. Caso queria que outras histórias suas sejam verificadas, é só contratar o serviço através do “Serviços de Autopublicação”. Sua história está marcada como “em revisão” pelos seguintes apontamentos retirados do seu texto: 1) Falta de vírgula antes da conjunção adversativa “mas” em “[...] aliás, eram trigêmeas mas [...]”, falta vírgula em “[...] Boa noite! Meu nome e Leo esse são meus amigos Carlos e Igor [...]”. 2) Artigo no lugar do verbo “é”, em: “[...] Boa noite! Meu nome e Leo [...]”. 3) Pontuação errada em “[...] Esse é seu nome verdadeiro. [...]”, por se tratar de uma pergunta, deve vir com ponto de interrogação. 4) Uso equivocado do “porque”. Em frases interrogativas quando o “porque” vier no começo, deve-se escrever “por que”. O “porque” junto é usado apenas nas respostas. 5) Mudança da classificação indicativa. Eu recomendo a mudança da classificação indicativa para “Não recomendado para maiores de 13 anos”, pois apesar de não ter nada descritivo, há momentos de conotação sexual implícitos no texto, que não é recomendável para uma leitura de todo o público. Eu citei apenas alguns exemplos presentes no texto, pode ter alguns outros que não foram abordados, por isso recomendo uma revisão mais minuciosa da história caso decida optar por revê-la. Você pode contratar os serviços de um Beta Reader em Serviços de Autopublicação aqui do Inkspired para analisar os erros mais profundos ou se quiser, pode conferir algumas dicas no livro “Esquadrão da Revisão”. Caso você estiver interessado em uma nova verificação, após corrigir os erros, basta comentar aqui, que eu farei uma nova releitura. Não há necessidade de pagar por uma nova prioridade. No mais, a história está muito boa, cheia de mistério e terror, parabéns! Tenha uma boa semana. :)
~