Goriflos: Os Quatro Demônios Seguir história

L
Lucas Fernando Oliveira Duarte


Em meio à loucura, Ícaro recebe visitas de seres divinos durante um ano, que mais tarde o seu filho Levi referisse à demônios, por causa dá aparência animalesca, distorcida, e humanoide. Essas criaturas falaram histórias místicas, e misteriosas, fazendo qualquer uma pessoa ficar obcecada. Então Ícaro cria uma religião, e o seu único objetivo de vida é espalhar o novo pensamento pelo mundo, por bem ou por mal. Siga no blog para acompanhar antes do lançamento. (Blog: Domingo as 19:00. Aqui: Segunda as 19:00) https://quase14.blogspot.com/


Horror Literatura monstro Para maiores de 18 apenas.

#horror #terror #drama #mistério #gore #ficção #301 #terror-psicológico #terro #Mistério-
0
601 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Falsas Religiões

“Eu ainda amo a minha família, apesar…”

Dia, após dia, meus pesadelos atormentam-me por 24 horas, até mesmo os sonhos mais felizes, iriam levar uma pessoa para um estado de insanidade tão profundo, que nem o ser mais insano do nosso planeta, poderia encontrar sentido para os enigmas confusos formados no subconsciente. Não sei como ainda sou capaz de falar coerentemente com uma mente fragmentada. Ter recusado a entrar na loucura humana, parece um verdadeiro milagre, ou talvez seja impossível enlouquecer um louco. Os demônios grotescos e horrendos que falam comigo durante as noites, são os menores do meu problema, eles apenas abrem a ferida, fazendo-me agonizar ainda mais, porém, não foram eles a criarem esse machucado, sim, não posso culpa-los pela dor e sofrimento desses últimos 20 anos. Então quem é o causador desse inferno astral? É uma longa história, mas não tem problema, pois com certeza esse tempo não se compara ao tempo, que passei na casa quando era jovem…

Naquela pequena cidade não havia escola, pois era bem mais urgente em cidades maiores, hoje vejo que só um terço da minha vida foi normal, se não fosse pelo fato do meu pai raramente deixar manter contato com outras crianças, como se ele quisesse me manter protegido de qualquer ameaça. Mas tudo começou a piorar quando fiz 12 anos, ainda me lembro com exatidão do dia…

A mesa era retangular com cinco cadeiras, uma ficava na cabeceira, geralmente ninguém podia sentar nessa, pois o seu lugar já estava reservado. Sempre ficava do lado da minha irmã mais nova, que se chamava Luana, cabelos longos e escuros, com apenas 9 anos e vivia carregando um urso de pelúcia, deu o nome de “Teddy”, com certeza sua inocência supera a do próprio irmão. Na minha frente estava a mais velha, Lara sua idade 16, conforme foi envelhecendo perdeu um pouco o interesse nos caçulas, os seus olhos eram característicos da Amanda, foi a única que conseguiu ter essa qualidade, os seus cabelos eram curtos e negros conforme o padrão. Ao seu lado estava a nossa mãe, com alguns quilos há mais, saindo do limite de seu corpo, rosto redondo com olhos castanhos e amendoados, sendo maiores que o comum, hoje compreendo que esse detalhe era o mais atraente para o meu pai. Os seus cabelos eram curtos e ruivos, não sendo naturais.

Ícaro estava atrasado, era alto com mais ou menos 1,90, os seus cabelos eram longos para a maioria dos homens, quase batendo em seu ombro, a barba cobria todo o rosto, usava óculos, pois tinha miopia, o detalhe que mais marcava eram as suas tatuagens, sendo todas distorcidas e não possuindo uma lógica, até hoje não entendo os seus significados, cobriam todo o braço esquerdo indo para o peitoral, alguns traços se estendiam chegando no ponto exato para ter uma simetria bilateral, como se quisessem chegar no lado direito de seu corpo, onde não havia um risco se quer.

Estávamos olhando para o bolo, todos ansiosos e prontos para devorar todo aquele chocolate, eu principalmente afinal de contas estava fazendo aniversário, porém, a minha mãe falou para espera o meu pai, alguns minutos se passaram e o desejo só aumentava, então ouvimos a porta da sala abrindo, nesse instante vários sorrisos foram esboçados por toda à família, porém, uma sensação de insegurança surgiu, cada passo que Ícaro dava em nossa direção, a ansiedade ficava ainda maior, inicialmente não consegui olhar para o seu rosto, não sabia o motivo de estar com tanto medo e desespero, hoje compreendo perfeitamente. Quando se sentou no lugar reservado, ajeitou a postura, logo em seguida colocou um objeto sobre a mesa, e todos olharam se perguntando: “Que livro é esse?” As palavras ditas a seguir me atormentam até hoje, pois aquilo marca o início de tudo…

— Antes de comemorarmos o aniversário de Levi, tenho algo muito importante para dizer. Como todos devem saber faz mais de dois anos, que não somos mais católicos, por causa de seu Deus.

Logo em seguida parou de falar, respirou fundo, passando 3 segundos voltou de onde estava: — Um Deus que é inexistente e bipolar, quando comecei a estudar sobre a história da humanidade percebi que as religiões sempre causaram ódio, guerras e sofrimentos, para as pessoas com fé no paraíso, tendo medo de ir para o inferno. E isso é muito irônico, não acham? Digo precisamos acreditar em algo pior, para fugir da nossa realidade, que é o verdadeiro inferno, mas, sei dá verdade, fui privilegiado por alguns seres divinos que me visitaram durante 1 ano todas as benditas noites, até que terminasse de escrever esse livro, me disseram para colocar o nome dessa nova religião de: “ Goriflos.”, a princípio estranhei essa palavra, porém, depois de alguns meses repetindo diversas vezes, me acostumei, é até mesmo genial alguém ter a inventado.

Todo mundo havia ficado em silêncio, como se algo tirasse as nossas cordas vocais, talvez fosse a própria presença de Ícaro causando esse ar pesado. Alguns segundos depois ele respirou fundo novamente, e olhou para cada um de nós, esperando alguma pergunta.

— Ninguém reclamou, porém, mesmo assim vou pedir desculpas, devia ter contado para vocês que estava recebendo seres divinos, mas, quis esperar a hora certa, sabe quando todos os pensamentos estivessem na bíblia Goriflos.

O silêncio ainda continuava, percebendo isso ele logo mudou de assunto, colocando um sorriso no rosto, a expressão seria se, desmanchou como um tecido velho.

— Então, vamos comer logo esse bolo, parece ser delicioso…

7 de Outubro de 2019 às 21:34 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Asas Da Compreensão

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!