Conto
0
744 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Elegant assassin

Baseado no MV BULLET TO THE HEART do Jackson Wang


Corre um boato por esses corredores, que um demônio vem levar sua alma para o inferno, um vulto negro que gosta de brincar perante o desespero dos condenados.

Eu a conheci, virei um brinquedo em suas mãos…

Deitei na cama, bom cama seria um elogio enorme para aquele imóvel feito de cimento e tijolo no quanto direito do quarto na instituição de saúde mental, é difícil me acomodar tento o corpo envolto por uma camisa de força, já perdi o tempo em que estou aqui, tudo culpa da minha sensibilidade ao sobrenatural.

— Senhor Wang? - a voz do vigia me tira da minha concentração em olhar a lua, pela pequena janela alta no quarto.

— Estou vivo. - digo me virando para o canto, os passos dele vão ficando cada vez mais longe.

A noite morna, de uma lua cheia extremamente enorme, começava a ter seus sons de lamurio, lamentos e gemidos que ecoavam pelo corredor daquele lugar, senti a presença de mais alguém naquele ambiente, algo inumano, uma presença forte.

Olhei para os cantos, vendo no feixe de luz que invadia o ambiente pela janela, um pano preto a dançar como se o vento o movesse, mas não a vento nenhum nem aqui dentro nem lá fora, logo o movimento aumentou, e uma silhueta apareceu, o pano, na verdade, é um véu que cobre o corpo de uma moça.

Ela colocou sua mão para fora do véu, com a pouca luz no ambiente notei que seus dedos têm o mesma cor que seu véu, e em um simples movimento fez meu corpo se mexer, me jogando contra a parede, vi a mão dela se fechar, e o ar dos meus pulmões começaram a se esvair lentamente.

Meu peito ardia pela falta de ar, de longe ela abriu os feixes da minha veste, tom branco sujo, fazendo ela voar pela pequena janela, num piscar de olhos, ela está atrás de mim, percorrendo suas mãos frias em meu corpo.

Senti sua linguá lamber minha nuca, e um frio subir por minha espinha, seus dedos invadiram minha boca, sua mão esquerda deslisou para dentro da minha calça acariciando meu membro, mesmo com seus dedos em minha boca, consegui soltar um gemido, em prazer pelo contato com a mão dela.

— Você é o diabo em um vestido preto. - disse fechando os olhos, e me entregando aos toques dela.

Quando abri meus olhos, estava envolto em seu véu, com somente a luz da lua bem no alto como se estivesse em um buraco fundo, a pouca luz revelava as curvas volumosas de seu corpo, fixei meu olhar nos olhos vermelhos vibrantes dela.

Estiquei minha mão tocando o corpo quente dela, um arrepio percorreu minha espinha de baixo para cima, o ser a

minha frente sorrio, puxando meu corpo mais para si, sua mão se agarrou em minha nuca e sua boca ficou a centímetros da minha. Uma mordida em meu queixo, o contato com o corpo dela me exitava muito, senti nossos corpos indo contra o chão vagarosamente enquanto ela me beijava ferozmente.

Suas unhas cravaram em meu peito, arranhando a pele, olhei e vi o pouco sangue escorrer por meu abdômen, virei aquelas posições ficando por cima dela, foi minha vez de sorrir, aproveitei a ausência de vestes nela, para percorrer minhas mãos por seu corpo, parando em sua intimidade.

Encarrei novamente suas orbes vermelhas, se ela quer brincar vamos brincar, com os olhares fixos nos dela, percorri seu abdômen dando algumas mordidas profundas, podia sentir o gosto de sangue em minha boca; minha linguá acariciava sua intimidade, profundamente, podia sentir as paredes do seu interior se contraindo a procura de mais prazer.

— Eu não sou uma santa, mas posso fazer você orar. - a vozes de seu interior proferia pela primeira vez. — Se você acha que pode me salvar, me derrubar e me domar, está muito enganado.

Apertei sua coxa e me afastei de sua intimidade, retirei minhas calças de moletom e junto a ela minha boxer, voltei para junto do outro corpo, sem pedi permissão a penetrei, faz tanto tempo que não sinto o calor de outo ser.

Um calor intenso envolvia nós dois, meu corpo esta cheio de adrenalina e tesão, movi meu quadril, chocando contra a sua intimidade, pude ver ela tentando segurar suas vozes, impedindo-me de ouvi-la gemer.

Nem o desconforto do chão duro e frio me deixava menos selvagem, sua boceta me apertava, e meu pênis queria mais daquilo, girei nossos corpos, queria sentir seu corpo cavalgar no meu, sua habilidade me surpreendeu, minhas mãos livres por não precisar ajuda-la, brincavam com seus seios, acariciando sua pele macio feito pêssego.

— Você pode me deixar arregaçar essa boceta ou não? - foi a última coisa que disse.

Gozei preenchendo seu interior, o demônio a minha frete se inclino para trás gemendo alto com o prazer, meu corpo se esquentou ainda mais, ao ouvir seu gemido, minha mão se segurou em seu cabelo negro comprido e com muita agilidade, coloquei seu corpo de quatro a minha frente.

Me encaixei novamente em sua intimidade, chocando nossos corpos violentamente, meu membro saia e entreva em sua intimidade com força, o ar me faltava nos pulmões e meu cérebro estava em branco. Corrompido pelo prazer, eu não conseguia parar de fuder aquele ser, que me retribuía com os sons maravilhosos de seus gemidos.

Seu corpo escorregou se deitando no chão quando ejaculo pela segundo vez em seu interior, meu corpo fraqueja também caindo por sobre o dela, a minha respiração ficava cada vez mais devagar, senti o corpo dela se movendo lentamente tentando se livrar do meu peso, fechei os olhos me deixando leva pelo cansaço.

Acordei no outro dia jogado no chão, completamente nu e com alguns raios de sol aquecendo minha pele, olhei por todos os cantos e nenhum sinal dela, a não ser os deixados em meu corpo, suspirei e voltei a dormir no mesmo local.

The End...Será?




6 de Outubro de 2019 às 17:14 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~