A Lista [Jikook] Seguir história

batatinha_voadoraa

º Beije mais de uma pessoa numa festa. º Fique bebado. º Faça um bodyshot. º Nade pelado. º Mate aula. º Fume maconha. º Faça uma tatuagem. º Faça um lap dance. º Faça oral em uma pessoa. º Perca a virgindade. Jimin queria paz no dormitório. Jungkook queria diversão. Ambos ansiavam por coisas diferentes, e claro que é confusão na certa quando duas opiniões são completamentes divergentes. Um acordo é proposto. Park tem um mês para cumprir tudo que Jungkook lhe deu. Ganhe e tenha o que deseja. Perca e fique nas mãos do Jeon A sorte foi lançada, resta saber de qual lado ela está.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#bangtan #fanfic #yaoi #gay #lemon #kookmin #bts #flex #jungkook #jimin #jikook
15
1.5mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Como tudo começou

Eu estava farto.

Tudo que eu mais queria nessa vida, era poder chegar no meu dormitório e relaxar depois de um dia completamente exaustivo.

Mas eu poderia?

Não, eu não poderia.

Motivo?

Simples. Meu colega de dormitório, Jeon Jungkook.

Conheci Jungkook no meu segundo ano da faculdade. Ele era calouro do curso de dança e acabou por ficar no mesmo dormitório que o meu, já que era o único vago.

Os primeiros seis meses foram os melhores possíveis! Jungkook era bom de papo além de ser extremamente divertido, portanto não foi difícil surgir uma amizade entre nós.

Nós tornamos inseparáveis.

Ou pelo menos eu achava que éramos.

Meses depois, Jungkook começou a frequentar festas e conhecer pessoas novas. Não demorou muito para ele se tornar conhecido e desejado na faculdade. Aos poucos o menino carinhoso e companheiro que eu conheci foi sumido, dando lugar a um Jeon Jungkook insuportável.

Nossa convivência antes perfeita, passou a se tornar conturbada. Farpas e gritos eram comum entre nós e os motivos eram sempre os mesmos:

Eu acordando com ele chegando tarde e bêbado no dormitório, ou com gemidos no quarto dele.

As vezes, durante a tarde, ele resolvia levar companhia para o quarto e se tornava quase impossível permanecer no dormitório. E era isso que estava me cansando, essa falta de respeito por parte do mais novo.

— Eu juro pra você, Taehyung, eu vou cometer um homicídio! Eu vou matar aquele cãoelho dos infernos!— Digo com a boca cheia de jujubas e vejo o loiro rir.

Eu e Taehyung somos melhores amigos desde nosso primeiro ano na escola infantil. Estivemos juntos a vida toda, mas diferente de mim, ele não cursa dança e sim canto.

Nesse momento estamos jogados no tapete da sala do seu dormitório enquanto eu reclamo pela centésima vez sobre Jeon Jungkook e suas manias de transformar o nosso dormitório em motel particular.

— Eu ainda acho que vocês têm que sentar em conversar como pessoas adultas. Vocês apenas brigam!

— Mas Tae, ele não me ouve! Da última vez que eu tentei conversar ele simplesmente me olhou e disse: "Se está incomodado, se mude ou junte-se a mim."— pego mas um punhado de jujuba e jogo dentro da boca, mastigando fortemente como se fossem os ossinhos do Jeon entre meu dentes.

— Escuta...Eu vou tentar conversar com ele hoje, mas eu quero que vocês parem de agir como duas crianças e passem a ser os adultos que são. Sentem e exponham tudo que está incomodando vocês. — não respondo nada, apenas encho minha boca com mais um punhado de jujubas e dou de ombros.

Resolvi mudar de assunto e instantes depois, estávamos falando sobre alguns dos nossos professores que tinham pacto com o tinhoso.

Reclamar sobre Jungkook com Taehyung era um pouco complicado, já que os dois, por intermédio meu, se tornaram amigos, então o Kim se via em meio a um conflito.

Se apoiasse Jungkook, eu ficaria puto.

Se me apoiasse, Jungkook ficaria puto.

Portanto seus conselhos eram sempre os mesmos:

"Acho que vocês devem sentar e conversar"

Sendo que a única coisa que vou sentar, e a minha mão na cara do Jeon.

Francamente, não sei por que ainda perco meu tempo lamentando sobre Jungkook com o Kim. Talvez seja pelo fato dele ser meu amigo mais próximo, mas é claro que isso não vem ao caso. O foco aqui era a segunda guerra mundial que rolava no meu quarto todos os dias e a tristeza de saber que eu não poderia sentar no tapete do dormitório do meu melhor amigo para reclamar sobre da vida, já que o mesmo se encontrava neutro a tudo.

Talvez eu devesse entrar em um desses sites de reclamações anônimas e me tornar a Clarice Lispector da depressão enquanto reclamo sobre Jeon Jungkook e seus péssimos hábitos.

Quando deu o horário da minha aula, eu me despedi de Taehyung e peguei minha mochila, saindo do seu dormitório e indo em direção ao campus.

Durante todo o caminho eu já lamentava em ter que ficar dois períodos ao lado do cãoelho. Não sei se mencionei, mas no curso de dança, é obrigatório que você tenha um parceiro de dança, tanto nas aulas teóricas como nas práticas, e você já deve imaginar quem é o meu parceiro, não é mesmo?

Adentrei a sala que ainda continha poucos alunos e me sentei no meu lugar de sempre, aguardando o professor chegar enquanto fazia algumas revisões da aula passada.

Senti uma mão delicada em meu ombro e um perfume doce invadiu minha narinas. Levantei o olhar e encarei a ruiva que sorria docilmente para mim. Ou ela era aluna nova, ou era de outra turma, pois nunca vi a mesma ali.

—Você é Park Jimin, colega do Jungkook?— pergunta e franzo o cenho quando ouço a voz extremamente fina e nasalada.

— Sim, você é?...

— Yagmi. Bae Yagmi— ela sorri e me estende um papel— Você poderia entregar isso para o Jungkook-Oppa? — controlo a vontade de revirar os olhos e pego o pequeno papel de sua mão, sorrindo docilmente.— Muito obrigada Jimin! Diga para ele que estarei esperando a ligação dele para ir até o dormitório estudar!— ela pisca e se afasta, saindo da sala.

Oppa?

Ele não é o seu oppa!

Amassei o papel assim que constatei que ela não voltaria mais e joguei fora. Eu não costumo ser uma pessoa ruim, mas me negava a entregar aquele papel para Jungkook e ter o dormitório feito de motel mais uma vez. O professor chegou minutos depois e deu inicio as aulas fazendo perguntas sobre a aula passada.

Na metade do período, Jungkook chega interrompendo o professor e jogando uma de suas desculpas esfarrapadas pelo atraso. O culpado da vez, era o despertador.

Seu cabelo estava desgrenhado, seus lábios vermelhos e inchados e sua roupa amassada. Com certeza que seu atraso era por causa do despertador que não tocou. O despertador deixou um chupão no pescoço dele também, né?

Ele se sentou ao meu lado como sempre e me jogou um dos seus habituais sorrisos cafajestes, apenas ignorei e voltei a prestar atenção na aula ignorando totalmente o ser ao meu lado e os seus flertes descarados com a assistente do professor. No fim do período segui até o dormitório com a intenção de dormir um pouco e recompensar as horas perdidas.

Preparei um sanduíche natural e peguei um pouco de suco de laranja na geladeira para acompanhar. Comi tudo em questão de segundos e me dirigi até o banheiro após lavar a pequena louça para tomar um banho e dormir.

Acordei horas depois completamente relaxado e de bem com a vida. Fui até o banheiro onde passei uma água no rosto e escovei os dentes. Saí do banheiro e fui para a sala com a intenção de estudar um pouco e praticar algumas coreografias que eu estava trabalhando, mas todos meus planos foram frustrados quando vi Jungkook esparramado no sofá enquanto assistia algum anime que não me preocupei em descobrir o nome.

Ignorei totalmente a existência daquele ser humano e segui em direção a cozinha, a fim de pegar algumas porcarias para comer em meu quarto enquanto estudava.

A conversa que eu tive mais cedo com Taehyung surgiu em minha cabeça enquanto eu decidia o que levar para comer. Talvez não fosse de todo ruim conversar com ele, no entanto essa seria minha última conversa com ele, se não desse certo, eu iria procurar um quarto em um outro dormitório, por que é aquele ditado né. Os incômodos que se mudem e era exatamente isso que eu faria caso nossa conversa não desse certo.

Peguei um pacote de jujubas, contei até dez e respirei fundo antes de seguir para a sala. Era agora ou nunca, eu teria que resolver essa situação de uma vez por todas.

Eu só espero que o universo esteja ao meu favor.

Pelo menos, dessa vez.

—Jungkook... podemos conversar?—meu tom de voz saí calmo e Jungkook franze o cenho com toda minha tranquilidade.

— Sobre o que?

— Sobre a nossa convivência nos últimos seis meses.— ele inspira e a expressão de tédio domina seu rosto— Eu sei que já tentamos ter essa conversa diversas vezes, mas dessa vez eu quero que a gente seja totalmente verdadeiro um com o outro. Podemos fazer isso?

— Claro.— ele se endireita sobre o sofá e me encara— Quer falar primeiro?— dou de ombros e me sento na poltrona.

— Sabe Jungkook, o que você faz com sua vida ou o que deixa de fazer não é da minha conta. Por mim você pode beber e ir a quantas festas quiser, pode pegar um garoto ou garota por minuto que eu também não vou me importar, mas a partir do momento que você trás isso para o nosso dormitório, isso passa a ser da minha conta.— umedeço os lábios com a ponta da língua e tomo folego antes de continuar— Eu estou cansado de toda noite acordar com você chegando tarde das festas e com os gemidos que vem do seu quarto. Eu estou cansado desse seu comportamento. Quer ir para festas? Ótimo! Vá. Mas respeite o local que dividimos, você não mora sozinho.— finalizo e espero que ele se manifeste

— A culpa disso é sua!— ele diz calmamente e eu o encaro como se ele tivesse dito que o céu era roxo.

— O que disse!?

— Eu disse que a culpa é sua, Jimin.

— Quer dizer que você age como um rebeldezinho do caralho e a culpa é minha?— pergunto controlando a raiva que crescia em mim, mas todo meu autocontrole vai pelos ares quando ele balança a cabeça para cima e para baixo em confirmação.

— Sim! Se você fosse um jovem comum, estaria se divertindo comigo, mas você só quer saber de ficar no dormitório e estudar! — ele passa a mão no rosto e me fita— Jimin, você foi meu primeiro amigo aqui, tudo que eu queria era ter as experiências de um universitário ao seu lado. Eu perdi as contas de quantas vezes te chamei para sair, para ir apenas em uma social em um dos dormitórios, mas tudo que eu recebia de você eram enormes não's. Você não vive, Park.

— Eu não sabia que ser focado no meu futuro era um crime! E outra, jovem comum? Um jovem comum seria você?

— Eu não estou dizendo isso, Jimin.. Eu estou dizendo que você não aproveita a sua juventude. Daqui uns anos você se forma e com isso vem as responsabilidades, e talvez amanhã ou depois você se arrependa de não ter uma experiencia sequer da universidade para contar aos seus filhos. Então por favor, não venha me culpar pelo simples fato de que eu estou apenas aproveitando essa oportunidade única na minha vida.

— Eu sabia que isso seria uma perca de tempo.— murmuro — Eu não sei por que eu ainda perco meu tempo com você, Jeon!

— Por que você não tira um final de semana para ir a uma festa comigo? Talvez indo, você passe a me entender melhor...— ele diz calmo, me fitando com os olhos brilhantes.

— Para eu me tornar um sem futuro como você? Não, muito obrigado!

— Aish! Por que você tem que ser tão...Argh!— ele fecha a mão em punhos e respira fundo— Quer saber? Eu que não vou ficar aqui!— ele se levanta e segue em direção a porta.

— Vai procurar outro dormitório? — pergunto antes que ele saia com os olhos brilhando em expectativa.

— Não mesmo, o único incomodado aqui é você..— ele abre a porta e me encara— E você conhece aquele ditado, né? Os incomodados que se mudem!— ele pisca e sai me deixando fulo da vida.

Arrogante, mimado, desgraçado, infeliz!

Argh!

Jeon Jungkook conseguia acabar com toda a minha paz interior em questão de segundos! Deveriam definir Jungkook como um sinônimo para folgado no dicionário. O nome dele deveria ser um xingamento!

Abri o saco de jujubas esquecido por mim, e peguei um punhado grande, logo enfiando na boca e mastigando furiosamente. O gosto doce foi se alastrando por todo o meu paladar a medida que eu mastigava eaquilo foi me acalmando aos poucos. Peguei o celular e liguei para Taehyung, mas a ligação chamou ate cair. Talvez ele estivesse com Hoseok.

Resolvi ir ensaiar a coreografia que eu estava preparando para a aula que teria no dia seguinte, então peguei meu celular, minha carteira e minha mochila e rumei para o estúdio de dança que ficava disponível para os alunos dentro do campus. Para minha completa sorte, o local estava vazio.

Conectei meu celular na caixinha de som que trouxe comigo e deixei em uma música qualquer só para me aquecer antes de iniciar qualquer movimento. Sai do estúdio quando já passava das nove, completamente suado e ofegante pelas longas horas que gastei ensaiando, pelo menos tinha descontando toda minha frustração na dança e agora me encontrava bem mais calmo e leve.

Retornei para o dormitório calmamente, e quando adentrei o mesmo, ignorei totalmente a presença do Jeon na sala e segui para o banheiro, onde tomei um longo banho quente, relaxando todos os músculos do meu corpo.

Sequei meu corpo, vesti uma boxer e a calça de moletom limpa que eu tinha na minha mochila e sai do banheiro sem camisa e com a toalha ao redor dos meus ombros para aparar qualquer gotícula de água que escorresse dos meus cabelos.

Abri a porta do meu quarto e quis furar meus olhos quando vi que Jungkook estava dentro do mesmo, deitado confortavelmente na minha cama enquanto mexia no celular.

Calma Jimin, se controla, se lembre que você ainda é muito jovem para ser preso por causa de um homicídio.

Mas talvez eu pudesse matar ele é fingir que foi suicídio. É uma opção, não é mesmo?

— O que você está fazendo no meu quarto?— pergunto retirando calma do cú para não jogar o all star que estava do lado da porta na cabeça oca dele.

— Eu vim te propor algo...— ele responde se sentando.

— Não estou interessado. Muito obrigado e não volte outro dia!— sorri debochadamente e aponto para a porta— Será que você pode...?

— Eu quero te propor um acordo.— ele diz ignorando totalmente minha mão segurando a porta para que ele saísse do quarto— Eu vou te passar alguns desafios. Se você conseguir cumprir tudo em um mês, eu te dou a paz que você tanto quer. Se quiser até saio do dormitório, em resumo eu farei o que você quiser.

Hm...tentador, muito tentador.

— É quais seriam os desafios?

— Ainda estou pensando, mas não é nada muito complicado. Você não terá que matar alguém ou pular de Bungee Jump, será coisas simples.

— E se eu perder?— pergunto tentado a aceitar.

— Ah Park..—ele sorri— Se você perder...você fará tudo o que eu quiser...Nada mais justo, não é mesmo?— eu sabia que tinha alguma merda ai no meio.

Meu instinto de merdas nunca falha.!

— Obrigado, eu passo. Agora por favor...?— aponto para a porta novamente e ele se levanta mas não sai, ele me encara e ri.

— Eu sabia que você iria recusar, você é um covarde.— ele ri novamente e caminha na minha direção para poder sair do quarto.

Depois de rosas vermelhas, a coisa que eu mais odeio no mundo é quando as pessoas duvidam de mim e dizem que eu não sou capaz. Eu poderia ser o mais tímido dessa terra mas eu odiava quando as pessoas debochavam e diziam que eu não conseguiria fazer algo, isso me irritava de uma maneira que se eu fosse o Hulk eu esmagava na hora, e é claro que eu fazia de tudo para provar o contrário.

Sim, isso era de certa forma um grande defeito e até mesmo, um pouco infantil, mas eu não conseguia evitar esse traço da minha personalidade. Era simplesmente, mais forte do que eu.

— Eu aceito!— digo antes que ele possa entrar no seu quarto e juro que pude ver um sorriso diabólico surgir em seu rosto, mas agora era tarde demais para voltar atrás— Cadê a lista com os desafios?

— Não se preocupe, amanhã antes de sair para a aula, eu deixo sobre a mesa da cozinha.— ele diz mas antes que pudesse sair do quarto, ele se vira e me encara— Park?

— Sim?

— Boa sorte, você vai precisar!

1 de Outubro de 2019 às 12:20 0 Denunciar Insira 3
Leia o próximo capítulo Maldito seja o Fred e sua bebida

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 16 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!