A Garota do Vídeo Seguir história

pauladanaellen Paula Dana Ellen .

Emma Sanders está desaparecida e os policiais não tem nenhuma pista, porém tudo muda quando um vídeo de Emma pedindo ajuda cai na internet com mais de um milhão de visualizações. Desesperado para encontrar a filha, Christopher contrata o detetive particular Benjamin James, porém o passado e antigo caso desse detetive pode atrapalhar sua investigação. Enquanto isso, Daniel, melhor amigo de Emma, sofre com a perda e tem que enfrentar um pai de conduta no mínimo duvidosa e que comanda toda a cidade, a única pessoa com quem ele pode contar é Rafael, seu amigo Hacker. Embarque nessa trama cheia de suspense e mistério, se surpreenda com cada reviravolta e tente descobrir o que está realmente por trás da garota do vídeo. CAPA POR: GUILHERME MIRANDA


Suspense/Mistério Todo o público.

#suspense #mistério #policial #investigação #desaparecimento #detetive
0
201 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Quartas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

RECADO DA AUTORA: Olaaaaa meus amores. Como estão? Espero que bem. Sejam bem vindos a A GAROTA DO VÍDEO. Essa história está sendo mais que especial pra mim, ele se tornou muito importante e eu espero de coração que vocês gostem e possam acompanhar a histórias de cada personagem. Todos eles tem algo a dizer e mostrar, A Garota do Vídeo vai além de apenas uma história de mistérios e você leitor vai perceber que não é só uma garota desaparecida e uma investigação, tenho certeza que vocês vão se surpreender.

Estarei sempre a disposição para responder cada mensagem que vocês me enviarem, estou muito feliz por poder compartilhar esse meu trabalho com vocês. E estou ansiosa pra ler as teorias que vão criar kkk

Boa leitura a todos!




Prólogo

"Olá! Bom... Não adianta ficar enrolando nesse vídeo, é muito provável que eu esteja morta. Mas se ainda houver um pouco de esperança, eu preciso da sua ajuda. Eu estou em perigo e talvez não esteja mais aqui quando acabar. Meu nome é Emma e eu vou contar a minha história."

MAIS DE UM MILHÃO DE VISUALIZAÇÕES. O vídeo mais compartilhado da semana e o mais comentado nas redes sociais. A Hashtag #OndestáEmma em primeiro lugar no Twitter. Teorias sendo criadas de por que Emma Sanders desapareceu na noite de Sexta-feira. Era isso que Victor observava em sua pequena tela do celular e a única coisa que ele pensava era: PROBLEMA. Um enorme e terrível PROBLEMA batendo forte em sua mente. Após um longo suspiro ele conseguiu desligar a tela e deixar o aparelho de lado.

Como todos os dias naquela cidade o sol estava quente, mas mesmo a luz iluminando a sala vazia, Victor enxergava tudo nublado e cinza, parecia outro universo, um em que ele estava preso e não conseguia sair. O quadro com a foto de Emma sorrindo sentada no banco do parque decorava a mesinha de centro junto com dois vasos de flores. Violetas, as preferidas dela. Ele encarava o quadro e a visão chegava a ficar embaçada só de pensar onde sua irmã poderia estar. Talvez morta, jogada em algum canto da cidade, ou sendo torturada por algum psicopata em uma casa velha e abandonada. Os pensamentos não paravam, por mais que Victor tentasse a imagem de Emma ensanguentada era nítida. E agora, com o vídeo na Internet parecia pior. Por que ela não pedira ajuda a ele ou ao pai? Por que fazer um vídeo? Com tantos pensamentos e emoções agora o que ele sentia era: Raiva. Emma deveria ter contado a ele o que estava acontecendo, mas era tarde demais para pensar em brigar com ela. Afinal, não fazia ideia de onde ou como estava. As lágrimas começaram a escorrer de seu rosto pálido e por mais que evitasse começou a soluçar, desesperado, sozinho, bravo e ao mesmo tempo preocupado. Era tanta informação que seu corpo tremia como se fosse explodir a qualquer momento, como se não fosse mais aguentar tanta coisa em sua mente que agora parecia pequena demais, inútil demais.

- EU QUERO O MELHOR DETETIVE! NÃO IMPORTA O PREÇO! – os gritos do pai que vinha da cozinha fez Victor voltar do transe.

A visão voltara ao normal e a luz do sol fez com que ele enxergasse a sala novamente. Antes de ir à cozinha, ele pegou o quadro de Emma e guardou em uma gaveta da estante, não queria mais o rosto da irmã o encarando toda vez que entrasse na sala de estar.

- EU VENDO A CASA SE FOR PRECISO, MAS EU QUERO ALGUÉM NO CASO DA MINHA FILHA! O MELHOR! NEM QUE EU TENHA QUE BUSCAR PELO PAÍS INTEIRO! OU PELO MUNDO!

- Pai, precisamos ir até a delegacia, Joey está esperando.

- EU SÓ SAIO DAQUI QUANDO ESSA SECRETÁRIA IMPRESTÁVEL ME DER O TELEFONE DE UM DETETIVE! É ISSO MESMO EU VOU GRITAR MAIS ALTO ATÉ VOCÊ FAZER O QUE EU ESTOU MANDANDO!

- Pai! – Victor fez com que Christopher o encarasse. O rosto dele era marcados por olheiras profundas e escuras, a roupa que não trocara desde o dia em quem a filha sumiu estava amassada e com o cheiro forte do suor. Os cabelos molhados e sujos faziam Christopher parecer um cientista louco de filmes de terror. – Temos que ir. Prometo que vamos achar alguém pra investigar, mas ir até a delegacia também é importante. O vídeo da Emma já está com mais de um milhão de views.

- Eu juro que vou matar quem colocou o vídeo da minha filha da Internet.

- Vamos logo!

- Senhor? – a voz que saiu pelo celular de Christopher fez ele voltar a atenção para a secretária.

- O que?

- O Detetive James está livre e eu posso mandar o numero do celular dele se quiser.

- Sim! Sim! Muito obrigado, pode falar. – Após anotar o numero do detetive, Christopher desligou o celular, ele soltou uma risada grossa e assustadora. Victor não ficava mais assustado com o pai, já fazia três dias que ele não era mais o mesmo. – Finalmente. Eu preciso ligar.

- E depois vamos à delegacia?

- Depois eu vou tomar um banho e ai sim delegacia.

- Banho. Uau. Não pensei que você lembrasse o que era isso. Vou esperar no carro, se apresse.

James abriu a porta do escritório e deixou o copo de café vazio em cima da mesa de madeira. Não era um lugar aconchegante, mas era o que podia pagar pelo espaço. As paredes mostravam a tinta branca descascando, o sofá marrom velho do seu antigo apartamento ficava ao lado da estante de livros. A lata de lixo estava cheia de papeis amassados e casos não resolvidos, do outro lado ficava pilhas de documentos e caixas de papelão, a janela era pequena e pouca luz entrava no local. O cheiro era de pó e mofo. James não se importava, o que ele realmente pensava era em concluir os casos que pegava, o escritório era apenas um lugar.

- Alguém o aguarda na linha dois, senhor. – avisou a secretário para James que acenou com a cabeça, sentando-se na cadeira e pegando o telefone.

- Detetive James.

- Alô! Ah graças a Deus! – a voz do homem estava ofegante, ele parecia que ia desmaiar a qualquer momento. James era impaciente e revirou os olhos ao ver que o suposto novo cliente não falava logo.

- Qual o caso?

- É a minha filha. Ela está desaparecida desde sexta-feira. Eu já falei com os policiais, mas eles não tem pista de nada e...

- Quero o endereço do senhor, eu vou ai de manhã.

- Ah? Não quer saber mais?

- Vou saber quando chegar ai. Seu nome e endereço, por favor.

James anotou tudo em sua agenda e desligou o telefone sem falar nada a Christopher. Mais um caso. E dessa vez ele iria achar as respostas, não ia deixar mais um cliente na mão.

30 de Setembro de 2019 às 21:08 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Capítulo 1 - Fell on Black Days ( Caí em dias negros )

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!